Santos 2 x 2 São Paulo

Data: 12/09/2020, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (ambos de SP).
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Soteldo, Luan Peres (S); Igor Vinícius, Hernanes (SP).
Gols: Gabriel Sara (07-1), Madson (29-1) e Gabriel Sara (37-1); Marinho (45-2)

SANTOS
João Paulo; Madson, Lucas Veríssimo, Alison, Luan Peres; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Marinho), Arthur Gomes (Wagner Leonardo); Soteldo (Jean Mota), Lucas Braga e Marcos Leonardo (Lucas Lourenço).
Técnico: Cuca

SÃO PAULO
Volpi; Igor Vinícius; Diego Costa, Léo e Reinaldo; Tchê Tchê (Luan), Sara, Hernanes (Brenner), Igor Gomes, Vitor Bueno (Paulinho Boia) e Luciano.
Técnico: Fernando Diniz



Santos e São Paulo empatam em clássico eletrizante na Vila Belmiro

Neste sábado, Santos e São Paulo fizeram um clássico muito movimentado e empataram por 2 a 2, em partida válida pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. Muito criticado pela torcida nos últimos jogos, Gabriel Sara marcou os dois gols do Tricolor, enquanto Madson e Marinho, de falta, balançaram as redes para Peixe.

O clássico teve um primeiro tempo eletrizante. O Tricolor iniciou o jogo dominante, marcando com Gabriel Sara logo no início e criando chances para ampliar. No entanto, na primeira chegada do Santos, Madson marcou de cabeça e deixou tudo igual. Quando o Peixe crescia na partida, o São Paulo construiu boa jogada pela direita e Sara marcou seu segundo gol.

O segundo tempo foi menos animado, mas sem cair no marasmo. O Peixe voltou melhor e mais intenso do intervalo, conseguindo chegar ao gol de empate em cobrança de falta de Marinho, contando com a colaboração de Volpi. Pouco antes, a partida foi paralisada por conta de uma falha parcial no sistema de iluminação na Vila Belmiro.

Com o resultado, o Santos chegou aos 15 pontos, na sexta posição. Enquanto isso, o São Paulo foi aos 18 pontos, na segunda colocação.

O jogo

O São Paulo começou melhor em campo e levou perigo desde o início. Primeiro, Reinaldo avançou com liberdade e finalizou em cima de João Paulo. Logo em seguida, aos sete minutos, Luan Peres tentou sair jogando e foi desarmado por Gabriel Sara, que invadiu a área e tocou na saída do goleiro para abrir o placar.

Mesmo com a vantagem no placar, o Tricolor continuou no campo de ataque, conseguindo recuperar diversas bolas na intermediária ofensiva. Além de chutes de Vitor Bueno e Hernanes facilmente defendidos por João Paulo, Igor Vinícius perdeu grande chance ao receber lançamento de Tchê Tchê dentro da área e chutar para fora.

Mesmo acuado na partida, o Santos conseguiu empatar aos 29 minutos da primeira etapa. Sánchez bateu escanteio com precisão pela direita e Madson subiu entre dois defensores para testar e balançar as redes. Pouco depois, quase a virada: após escanteio da esquerda, Gabriel Sara desviou contra a própria meta e exigiu boa defesa de Volpi.

O Santos voltou a ter grande chance com Soteldo, que fez fila na entrada da área, entortou Léo e finalizou rasteiro, exigindo boa defesa de Volpi. No entanto, aos 37, o Tricolor conseguiu uma boa escapada e voltou a marcar. Gabriel Sara fez belo lançamento para Igor Vinícius, que avançou pela direita e cruzou rasteiro para o meia que iniciou a jogada. Sara chegou batendo de primeira e fez seu segundo gol no jogo.

Cuca mexeu duas vezes no intervalo e o Santos voltou mais intenso, levando perigo logo no início. Diego saiu jogando errado pela direita, Soteldo roubou a bola e cruzou na medida para Sánchez que testou livre à esquerda da meta de Volpi. O jogo esfriou nos minutos seguintes e o Peixe só voltou a chegar nos 20, quando Lucas Lourenço arriscou chute perigoso de fora da área.

Como o sistema de iluminação da Vila Belmiro teve uma queda, a partida ficou paralisada por cerca de 15 minutos. Logo no retorno, Marinho sofreu uma falta na intermediária e ele mesmo bateu. Volpi decidiu inverter a barreira e, na finalização forte do atacante do Peixe, ficou sem reação no meio do gol, aceitando o chute. 2 a 2 no placar.

Bastidores – Santos FC:

Cuca justifica Marinho no banco e parabeniza time por reação contra o São Paulo

Após ficar em desvantagem no marcador duas vezes, o Santos conseguiu buscar o empate contra o São Paulo na noite deste sábado, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na Vila Belmiro, o técnico Cuca justificou a decisão de começar com Marinho no banco e parabenizou seu time pela reação no clássico.

No primeiro tempo, o São Paulo saiu na frente por meio de Gabriel Sara, o Santos empatou com Madson e o mesmo Sara marcou novamente. Na etapa complementar, em uma falha do goleiro Tiago Volpi, Marinho determinou o placar final em cobrança de falta.

“De uma maneira geral, acho que o time no segundo tempo foi muito bem. Não é fácil dominar um jogo como dominamos na segunda etapa, sair duas vezes atrás e buscar o resultado duas vezes. Então, o time está de parabéns, mesmo não tendo vencido”, afirmou Cuca.

Responsável por sete gols e três assistências nas primeiras 10 rodadas do Campeonato Brasileiro, Marinho é o principal jogador do Santos nesta temporada. Após começar no banco de reservas, ele foi colocado por Cuca no lugar de Carlos Sanchez durante o segundo tempo e evitou a derrota do time mandante.

“Hoje, era um jogo importantíssimo e, terça-feira, não é menos importante”, disse Cuca, sobre o duelo contra o Olímpia, pela Copa Libertadores. “Sendo líder, você tem que jogar com o máximo de força. O Marinho sentiu um desconto no adutor e eu pretendia nem usá-lo aqui, mas o jogo pediu e tivemos que colocar”, justificou.

Veríssimo admite primeiro tempo ruim e valoriza melhora na etapa complementar

Em um clássico movimentado na Vila Belmiro, Santos e São Paulo empataram por 2 a 2 na noite deste sábado, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na saída do gramado, o zagueiro Lucas Veríssimo admitiu o primeiro tempo abaixo do esperado e valorizou a evolução na metade final.

No primeiro tempo, o São Paulo saiu na frente por meio de Gabriel Sara, o Santos empatou com Madson e o mesmo Sara marcou novamente. Na etapa complementar, em uma falha do goleiro Tiago Volpi, Marinho determinou o placar final em cobrança de falta.

“Realmente, a gente não fez um grande primeiro tempo e o time deles foi superior. Mas, ainda assim, criamos. O professor puxou um pouco no vestiário e fizemos um grande segundo tempo. É claro que a gente errou bastante ainda e vamos corrigir para que não aconteça novamente”, disse Veríssimo em entrevista ao Premiere.

O empate diante do São Paulo na Vila Belmiro mantém o Santos ainda sem vencer clássicos nesta temporada. Com o resultado diante do rival, o time alvinegro contabiliza 15 pontos ganhos e figura no sexto lugar da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

Elogiado por Cuca, meia de 19 anos comemora nova chance no time profissional

Colocado durante o segundo tempo do clássico contra o São Paulo, disputado na noite deste sábado, Lucas Lourenço teve sua segunda chance no time profissional do Santos. Aos 19 anos, o jovem meia celebrou a nova oportunidade no Campeonato Brasileiro e ganhou elogios do técnico Cuca na Vila Belmiro.

“Ele é chato. Menino, mas maduro. É malandro, prende a bola. É pequeno, mas sabe usar o corpo e tem inteligência. Colocou uma bola na diagonal para o Madson que só um meia consegue. Vai evoluir, é lógico. Tem 19 anos e muito chão ainda pela frente. Está engatinhando”, disse Cuca.

Em 2018, Lucas Lourenço foi escalado pelo mesmo treinador durante o confronto com o Sport, disputado na Ilha do Retiro. Na noite do último sábado, o meia substituiu Marcos Leonardo na etapa complementar do clássico encerrado com empate por 2 a 2.

“Estou muito feliz por reestrear e por estrear na Vila Belmiro como profissional. Nesses dois anos, segui trabalhando forte e não baixei a cabeça. Hoje, surgiu a oportunidade. Agradeço ao professor e ao grupo, que me recebeu superbem. Agora, vamos para cima”, disse o garoto, sincero.

“Nas primeiras bolas, você fica um pouco ansioso, mas, depois, acaba entrando no jogo. Para mim, foi importante receber o apoio de todos e me senti muito à vontade. Estou muito feliz pela oportunidade. É agarrar e, se Deus quiser, não sair mais”, afirmou Lucas Lourenço.