Data: 26/01/2011 – às 19h30
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 4ª rodada
Local: Arena Barueri, em Barueri, SP.
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima
Auxiliares: Celso Barbosa de Oliveira e Carlos Alberto Funari
Cartões amarelos: Rodrigo Possebon (S) e Artur (SC)
Gols: Elano (08-1), Artur (37-1) e Vandinho (45-1); Keirrison (03-2), Elano (07-2) e Vandinho (33-2).

SANTOS
Rafael; Jonathan (Rodrigo Possebon), Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Pará e Elano (Rodriguinho); Róbson (Moisés); Keirrison e Maikon Leite.
Técnico: Adilson Batista

SÃO CAETANO
Luiz; Artur, Marcelo Batatais, Anderson Marques e Bruno (Eduardo); Ricardo Conceição, Augusto Recife, Souza (Kleber) e Ailton; Luciano Mandi (Fernandes) e Vandinho.
Técnico: Márcio Griggio



Santos falha na defesa e deixa de ser 100%

O Santos viveu o velho problema do desequilíbrio apresentando em 2010 na partida contra o São Caetano, na noite desta quarta-feira, na noite desta quarta-feira, na Arena Barueri, pela quarta rodada do Campeonato Paulista. O poderoso ataque funcionou, mas a defesa cometeu falhas excessivas, e o alvinegro empatou com o então lanterna da competição por 3 a 3.

Elano abriu o placar em de pênalti, mas ainda no primeiro tempo o adversário virou o placar com gols de Artur e Vandinho. No começo da etapa complementar, Keirrison e, novamente, Elano marcaram. Só que aos 33 minutos, Vandinho tornou-se o carrasco santista ao marcar o gol de empate.

Com o empate, o Santos perde o 100% de aproveitamento no Paulista, mas ainda segue na liderança, agora com 10 pontos. Já o São Caetano agora é o 19º colocado, com apenas um ponto. O novo lanterna, o Grêmio Prudente, encara o Botafogo-SP, nesta quinta-feira, às 21h, em Presidente Prudente.

O Santos cumpriu o mando de campo ante o São Caetano na Arena Barueri, pois a Vila Belmiro está fechada devido às obras de troca do gramado. Na quinta rodada da competição, o alvinegro encara o São Paulo, novamente na Arena, domingo, às 17h. Já o time do ABC joga sábado, às 19h30, diante da Ponte Preta, em Campinas.

O Santos manteve o ritmo marcante do início do campeonato nos minutos inicias da partida na Arena Barueri. Tanto que logo aos 6 minutos, a tabela entre Maikon Leite e Jonathan terminou com a queda do lateral na área, e a marcação pênalti. Na cobrança, Elano chutou no canto direito e abriu o placar.

O confronto parecia ser fácil para o Santos. Doce ilusão. O São Caetano pouco pressionava, mas conseguia evitar novos sustos. Com o passar do tempo, o adversário cresceu.

Os gols da virada do São Caetano demoraram para acontecer. Aos 37 minutos, Artur aproveitou a cobrança de escanteio para marcar. E em nova jogada área, aos 45 minutos, Luciano Mandi deixou Vandinho livre na área, só com o trabalho de empurrar para o gol.

Desta forma, um teste de fogo para o Santos foi desenhado para o segundo tempo. Pela primeira vez no ano, a equipe começava uma etapa em desvantagem. Era a hora de mostrar a capacidade de reação.

Em apenas 7 minutos, com os bonitos gols de Keirrison e Elano, o Santos demonstrou ter excelente capacidade de reação. O grande problema é que a equipe, novamente, não soube segurar a vantagem.

O São Caetano passou a pressionar com frequência até conseguir o gol de empate, aos 33 minutos, novamente em jogada de Vandinho, que a arbitragem anulou gol contra para Durval.

Gols foram perdidos pelo Santos nos minutos finais de jogo. Não será sempre que o ataque santista será capaz de fazer diversos gols. O problema, no entanto, não é esse. O rendimento ruim da defesa da equipe é que foi o culpado do empate contra o São Caetano.

Agora não adianta culpar a defesa. É culpa de todos. Enfrentamos uma equipe que não ia jogar por jogar. Temos que melhorar”, disse Léo.