Competição internacional disputada pelas duas mais expressivas equipes brasileiras da época. Jogo único e em campo neutro, na cidade de La Coruña, na Espanha.

O Santos ficou de posse de um dos troféus mais famosos do mundo, a enorme taça possui 1 metro de altura, 33 centímetros de circunferência, 6 quilos de prata e 9 milhões de custo.

Abaixo a ficha técnica e resumo da partida.

Santos 4 x 1 Botafogo

Data: 21/06/1959
Competição: Troféu Teresa Herrera
Local: Estádio Municipal de Riazor, em La Coruña, Espanha.
Público: 40.000 pessoas
Árbitro: Blanco Perez (espanhol)
Gols: Pepe (43-1, de pênalti); Pelé (15-2), Coutinho (22-2), Zagallo (24-2) e Pepe (32-2).

SANTOS
Lalá; Getúlio, Pavão (Ramiro) e Mourão; Ramiro (Formiga) e Zito; Dorval, Jair, Afonsinho (Coutinho), Pelé e Pepe.
Técnico: Lula

BOTAFOGO
Ernani; Tomé, Borges e Nilton Santos; Airton, (Pampolini) e Chicão; Garrincha, Didi, Paulinho, Quarentinha e Zagallo.



Santos goleia Botafogo e conquista o Troféu Teresa Herrera de 1959.

Jogaram no Estádio Municipal de Riazor, em La Coruña, Espanha, pelo Troféu Teresa Herrera as equipes brasileiras do Santos e do Botafogo, tendo vencido o primeiro pela contagem de 4 a 1.

Mais de 40.000 pessoas assistiram ao jogo que foi arbitrado pelo espanhol Blanco Perez.

Durante a fase inicial o Botafogo teve a seu favor três escanteios e igual número na segunda fase. Já o Santos teve três na primeira etapa e apenas um na segunda.

O jogo foi iniciado com avanços em direção a ambas as áreas, porém, não rematados com acerto. Aos 10’, Pelé consegue levar a bola às redes do Botafogo, numa inteligente jogada, mas o tento não foi concedido pelo juiz por ter sido precedido de “off-side”. Domina mais o Santos, criando muitos perigos a meta adversária. Aos 18’ Afonsinho se contunde e é substituído por Coutinho, atacante de 16 anos.

O Santos realiza um ataque que finaliza com esplêndido disparo de Pepe, mas a bola sai depois de roçar o arqueiro. Aos 39’, Pelé é derrubado dentro da área, quando se dispunha a fuzilar par as redes; a penalidade é cobrada por Pepe que vence a meta do Botafogo com um forte chute baixo. Reage o Botafogo e a contenda se nivela, terminando o primeiro tempo com contagem de 1 a 0 a favor do Santos.

Reinicia-se o jogo com domínio do Botafogo, cuja dianteira não aprofunda demasiado o jogo. Aos 14’, Airton é substituído por Pampolini. Logo a seguir sucede o segundo gol do Santos, conseguido por Pelé, que internou na área adversária e cruzou a bola para as redes quando Ernani iniciava a saída.

Aos 21’, o Botafogo perde uma oportunidade de marcar quando Quarentinha falha no remate. Um minuto depois Coutinho aproveita um passe de Pepe para marcar o terceiro gol do Santos. Logo depois, Formiga substitui Ramiro e este a Pavão, que sai de campo. Aos 24’, Zagallo, com um chute impressionante, de longe e sem ângulo, consegue marcar o tento de honra do Botafogo. Finalmente aos 32’, Pepe recebe a bola perto da meta adversária e assinala o quarto e último gol do Santos.

Finalizada a partida, o Santos recebeu o troféu e deu a tradicional volta pelo campo entre os aplausos do público.

Obs.: O Santos passou a ser o segundo clube brasileiro a conquistar o Troféu Teresa Herrera, o primeiro foi o Vasco em 1957.

1959-06-21-santos-vence-o-botafogo-por-4-a-1-e-conquista-o-trofeu-tereza-herrera-em-la-coruna-na-espanha

Fontes:

– Álbum de Ouro do Santos FC – número 2.
– Jornal Folha de São Paulo.