Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 07/10/2020, quarta-feira, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Neo Química Arena, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Carvalhães de Miranda
Cartões amarelos: Roni e Danilo Avelar (C); Lucas Braga, Lucas Lourenço e John (S).
Gols: Madson (10-1) e Danilo Avelar (45-1).

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar e Lucas Píton; Gabriel, Roni (Camacho) e Luan (Cazares); Gustavo Mantuan (Mateus Vital), Léo Natel (Gustavo Mosquito) e Jô (Boselli).
Técnico: Dyego Coelho

SANTOS
João Paulo; Pará, Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson, Madson e Lucas Braga (Ivonei); Jean Mota (Tailson) e Kaio Jorge (Lucas Lourenço).
Técnico: Cuquinha (auxiliar técncico)



Santos sai na frente, mas Corinthians arranca o empate em Itaquera

Corinthians e Santos ficaram no empate por 1 a 1, nesta quarta-feira, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Neo Química Arena. O Timão acumulou, com isso, quatro partidas seguidas sem vencer, enquanto o Peixe aumentou a série de invencibilidade para 11 jogos.

Com a igualdade, o Corinthians chega aos 15 pontos, ainda muito perto da zona de rebaixamento, na 14ª colocação, que ainda pode mudar até o fim da rodada. Já o Santos é o quinto colocado, com 21 pontos, e também pode cair na tabela.

O jogo

Fora de casa, sem seus principais jogadores e com o desfalque até de Cuca no banco de reservas. Nada disso foi problema para o Santos no primeiro tempo. O domínio amplo a partir do apito inicial foi coroado com um gol logo aos 10 minutos. Jean Mota cruzou da esquerda e Madson venceu Piton já dentro da pequena área.

O Corinthians, espaçado em campo, perdido, com a sexta escalação diferente em seis jogos sob o comando de Dyego Coelho, se mostrava preza fácil naquele momento.

Inexplicavelmente, o Peixe não soube aproveitar o momento e preferiu diminuir o ritmo. Assim, mesmo com enorme dificuldade, o Timão passou a ocupar mais o campo de ataque.

O castigo aos santistas veio no último lance agudo antes do intervalo. Gil ganhou de Luiz Felipe no alto, depois de cobrança de escanteio, e o goleiro João Paulo perdeu para Danilo Avelar no alto. Um gol bizarro, que gerou muita reclamação dos visitantes, consulta do VAR, mas, no fim, foi validado.

Na etapa final, o resultado de substituições dos técnicos foi favorável ao Corinthians, que apresentou evolução pelo que vinha fazendo em campo. O Santos se manteve organizado, mas passou a ficar mais tempo no campo de defesa, com dificuldade em chegar ao gol de Cássio.

A partida teve uma nova polêmica por causa de uma falta marcada pelo juiz em cima de Gustavo Mosquito. A princípio, a dúvida era se a infração tinha ocorrido dentro ou fora da área. O árbitro, porém, voltou atrás e não deu a falta após consultar o replay. Em tese, o VAR não pode ser usado para este fim.

A partir disso, o jogo não apresentou mais grandes emoções. Mateus Vital, nos acréscimos, exigiu uma linda defesa de João Paulo. E foi só.

Bastidores – Santos TV:

Após maratona, Santos ganha respiro na tabela: “Importantíssimo”

Após maratona de jogos e viagens, o Santos tem um respiro na tabela do Campeonato Brasileiro após o empate em 1 a 1 com o Corinthians na última quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada.

O Peixe terá quinta, sexta e sábado antes de enfrentar o Grêmio no domingo, às 16h. A partida ocorrerá diante do Atlético-GO, na quarta, novamente na Vila Belmiro.

O Santos teve três jogos consecutivos fora de casa em uma semana, com duas viagens longas: Olimpia, no Paraguai, Goiás, em Goiânia, e Corinthians, em São Paulo.

“Importantíssimo. Haja visto segundo tempo como não mantivemos o nível, marcar pressão, chegar com qualidade (no clássico). Tempo é fundamental para trabalhar. Temos que enaltecer os meninos, terminamos com cinco meninos. São polivalentes, de um lado e do outro e ajudam. É muito desgaste. Passamos muito tempo fora de Santos. 11 partidas de invencibilidade não é fácil. Temos que enaltecer o trabalho bem feito, essa dedicação dos meninos. Tudo isso nos deixa orgulhosos”, disse o auxiliar Cuquinha, em entrevista coletiva.

O Santos se reapresenta para treinamento na tarde desta quinta, no CT Rei Pelé. O Peixe não perde há 11 partidas e é o sétimo no Brasileirão, com 21 pontos.

Cuquinha nega ordem para recuar e elogia dedicação do Santos: “Bonito de ver”

Técnico do Santos na ausência de Cuca por suspensão, o auxiliar Cuquinha valorizou o empate em 1 a 1 com o Corinthians nesta quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe começou bem, abriu o placar e depois diminuiu o ritmo. O segundo tempo dos donos da casa foi melhor.

“Proposta foi vencer, fazer pressão e conseguir vitória no primeiro tempo. Fizemos isso bem até 30/35 minutos, foi caindo. Viagens, jogos, fomos sentindo. Tomamos o gol no fim do primeiro tempo e depois foi outro jogo. Não encaixamos bem, mas fizemos segundo tempo digno, com algumas oportunidades. Corinthians foi um pouco melhor no segundo tempo, nós muito melhores em 30 minutos. Resultado acabou justo. E não há nenhum pedido para recuar. Jogadores sentem um pouco, é normal”, disse Cuquinha.

“Corinthians pressionado, fora de casa, inúmeras baixas. Não podemos desprezar um ponto. Poderíamos ter ganho, mas não é fácil. Adrenalina toma conta dos guris, perna pesa, não dormem à noite. Estamos felizes com o resultado. Poderia ter sido melhor, mas foi um resultado justo”, completou.

Cuquinha também valorizou o esforço do elenco diante das dificuldades. O Santos utilizou sete Meninos da Vila ao longo do clássico: João Paulo, Kaio Jorge, Ivonei, Marcos Leonardo, Lucas Lourenço, Tailson e Wagner Leonardo.

“Nossa realidade é a final de domingo contra o Grêmio. Cada jogo é uma final. Se a gente se programar para depois, vamos perder parte do foco. Temos que somar pontos e estar na parte de cima, onde o Santos merece. Sabemos da dificuldade dentro e fora de campo, mas é trabalhar e enaltecer os meninos. Dedicação é algo bonito de ver, nunca falta. Se entregam, banco joga junto. Isso constrói 11 jogos de invencibilidade e quem sabe 12 ou 13 e assim por diante?”, concluiu o auxiliar.

Pituca vê bom clássico do Santos e diz: “Empate vai ajudar lá na frente”

Diego Pituca aprovou a atuação e valorizou o empate do Santos em 1 a 1 com o Corinthians nesta quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe teve nove desfalques: o técnico Cuca, Lucas Veríssimo, Marinho, Alison, Raniel, Carlos Sánchez, Soteldo, Arthur Gomes, Vladimir e Renyer.

“Entramos muito desfalcados, sim, mas quem entrou ajudou. Fizemos um bom jogo, sabíamos que seria difícil contra o Corinthians. Mas o empate vai nos ajudar lá na frente”, disse Pituca, ao Premiere.