Santos 3 x 1 12 de Octubre

Data: 20/02/2003, quinta-feira, 19h35.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 3 – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.343 pagantes
Renda: R$ 146.164,00
Árbitro: René Ortubé (BOL)
Cartões amarelos: Derlis Gonzalez, Arvinigaldez, Amarilla, Gorniak (12); Elano, André Luis e Alex (S).
Gols: Bareiro (03-1) e Elano (17-1); Ricardo Oliveira (19-2), Nenê (26-2).

SANTOS
Fábio Costa, Michel (Nenê), André Luis, Alex e Leo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego; Robinho e Ricardo Oliveira.
Técnico: Emerson Leão

12 DE OCTUBRE
Derlis Gomez, Valdéz, Rolón, Cañete e Amarilla; Ávalos (Monzón), Gorniak, Richard Gómez, Derlis González (Tomás Gongalez) e Arvinigaldez; Bareiro.
Técnico: Alicio Solalinde



Santos vence retranca paraguaia e conquista 2ª vitória na Libertadores

O Santos assumiu a liderança do Grupo 3 da Taça Libertadores ao derrotar o retrancado 12 de Octubre do Paraguai por 3 a 1, hoje, na Vila Belmiro. Com o resultado, o campeão brasileiro se isolou na liderança de sua chave, agora com seis pontos, e ficou mais próximo da vaga à segunda fase da competição.

A equipe da Baixada mal teve tempo para se organizar em campo. Aos 3min, sua defesa falhou feio e permitiu que o atacante Bareiro recebesse lançamento longo. Ele tirou Fábio Costa da jogada com um toque rápido e abriu o placar com facilidade.

Para o time paraguaio, que entrou em campo com cinco meio-campistas para tentar neutralizar o adversário e sair de Santos pelo menos com um empate, o gol logo no início da partida foi excelente.

O Santos demorou algum tempo para encontrar os espaços, mas aos 17min os jogadores mostraram que podem superar defesas fortes com talento. Diego invadiu a área pela esquerda e tocou de calcanhar para Robinho. O cruzamento saiu perfeito, na cabeça de Elano, que empatou o jogo.

O time de Emerson Leão continuou pressionando em busca da vitória na etapa inicial, mas não conseguiu impor seu ritmo veloz de jogo _o adversário só queria saber de gastar o tempo.

A melhor chance santista aconteceu aos 31min. Após um cruzamento da esquerda de Diego, Ricardo Oliveira cabeceou bem e o goleiro Derlis Gomez colocou para escanteio.

A defesa santista voltou a falhar aos 4min da etapa final. Bareiro, novamente, recebeu a bola completamente livre na frente de Fábio Costa. No entanto, o atacante paraguaio finalizou mal e desperdiçou uma ótima chance.

O Santos marcou o segundo gol do jogo aos 19min. Léo foi derrubado quando invadia a área adversária (os paraguaios reclamaram bastante, dizendo que a falta foi cometida fora da área) e o juiz marcou pênalti. Ricardo Oliveira bateu forte, sem defesa para Derlis Gomez.

Aos 26min, o ex-palmeirense Nenê, que entrou no intervalo no lugar do lateral-direito Michel, cobrou falta com categoria e marcou o terceiro gol santista, o seu primeiro com a camisa do clube. Os paraguaios não tinham fôlego para mais nada.