América-MEX 2 x 0 Santos

Data: 15/05/2008
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final 1° jogo
Local: Estádio Azteca, na Cidade do México.
Árbitro: Hectro Baldasi (argentino)
Auxiliares: Francisco Rocchio e Sergio Cagni (argentino)
Cartão amarelo: Fabão (S)
Gols: Cabañas (23-1) e Cabañas (16-2).

AMÉRICA
Ochoa, Castro, Sanchez, Sebá Dominguez; Ismael Rodríguez, Oscar Rojas, Germán Villa e Alejandro Argüello (Sanchez); Juan Carlos Silva, Cabañas e Esqueda (Mosqueda)
Técnico: Juan Antonio Luna

SANTOS
Fábio Costa; Betão, Marcelo, Fabão e Kléber; Rodrigo Souto, Marcinho Guerreiro (Adriano) e Molina Tabata); Wesley (Trípodi), Kléber Pereira e Lima
Técnico: Emerson Leão



Cabañas vence duelo contra Santos e põe América em vantagem

O Santos havia declarado ter feito um estudo sobre como anular o atacante Cabañas. Os conselhos, entretanto, não foram seguidos à risca, e o time da Vila saiu derrotado, nesta quinta-feira, diante do América por 2 a 0, no México, no primeiro duelo das quartas da Libertadores.

Os gols do triunfo mexicano foram marcados justamente pelo gordinho Cabañas, ambos nascidos em falhas clamorosas da defesa alvinegra.

Com a derrota no estádio Azteca, o Santos precisará vencer por três ou mais gols de diferença para avançar à semifinal da competição continental. Êxito por 2 a 0 leva a decisão às penalidades. A partida de volta das quartas-de-final acontece no dia 22, na Vila Belmiro.

Irregular no começo de partida, o Santos ao menos evitava o avanço do América. O quarteto formado por Lima, Pereira, Wesley e Molina não criava qualquer lance de perigo. A situação piorou aos 23 min, quando os mexicanos abriram o placar.

O gol marcado por Cabañas mexeu com os santistas, que erraram passes fáceis sucessivamente. Bastante recuado, Kléber Pereira não criou perigo à defesa mexicana. Apático após o tento do América, o time da Vila teve sorte em não sofrer mais gols, evitados graças ao preciosismo do ataque rival.

Insatisfeito com o rendimento de Molina, desatento defensivamente, Leão colocou Rodrigo Tabata no segundo tempo. A substituição, porém, não trouxe qualquer efeito positivo ao Santos, que seguiu sem inteligência no ataque. A equipe seguiu sonolenta.

O América não era volumoso no ataque, mas soube aproveitar as poucas chances criadas. Em dia inspirado, Cabañas recebeu bola livre na área e chutou de forma colocada, ampliando a vantagem mexicana.

Outra escolha de Leão para etapa complementar, Mariano Trípodi deu sinais de vida ao ataque santista, pouco para quem estava atrás no marcador.