Figueirense 2 x 1 Santos

Data: 28/04/2004, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1º turno – 3ª Rodada
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, SC.
Público: 18.896 pagantes
Renda: R$ 146.772,00
Árbitro: Alício Pena Junior (MG)
Cartões amarelos: Bilu (F), André Luís e Marco Aurélio (S).
Cartão vermelho: Claiton (S).
Gols: Fernando (13-1); Robinho (29-2) e Sérgio Manoel.

FIGUEIRENSE
Edson Bastos, Paulo Sérgio (Felipe Oliveira), Márcio Goiano, Cléber e Filipe; Bilu, Jeovânio, Fernandes e Sérgio Manoel; Rodrigo Silva (Marlon), Romualdo (Márcio Martins).
Técnico: Dorival Júnior

SANTOS
Júlio Sérgio, Marco Aurélio, André Luís, Alex e Léo; Paulo Almeida, Claiton, Diego e Elano; Leandro Machado (Daniel) e Robinho.
Técnico: Leão



Com dez, Santos cai diante do líder Figueirense no Sul

Com dez jogadores e fora de casa, o Santos acabou cedendo à pressão do líder isolado do Brasileiro: com um gol aos 41min do segundo tempo, o Figueirense venceu por 2 a 1 em Florianópolis.

“Se não respeitarem o nosso time, nós vamos ganhar mesmo”, disse o herói e autor do gol da vitória, Sérgio Manoel. O meia fuzilou de falta para marcar seu terceiro tento no campeonato e garantir os 100% de aproveitamento do time catarinense.

Os santistas reclamaram da arbitragem de Alício Pena Júnior e depois do fim do jogo xingaram e partiram para cima do juiz. “A escalação de um árbitro mineiro antes do jogo contra o Cruzeiro é suspeita”, disse o volante Paulo Almeida após a derrota.

O time agora recebe a equipe mineira na Vila Belmiro, no domingo. O Figueirense vai à Bahia e pega o Vitória no mesmo dia.

O Santos perdeu Claiton aos 13min do segundo tempo, após falta cometida em Fernandes. A partir daí, o time catarinense dominou a partida até o final.

O Figueirense começou o jogo com o domínio territorial e logo marcou. Aos 13min, Rodrigo lançou Fernandes na direita, que bateu na saída de Júlio Sérgio: 1 a 0.

O gol mudou completamente o panorama do jogo. O Santos passou a acuar a equipe catarinense, principalmente com as investidas de Robinho e Leandro Machado. Aos 29min do segundo tempo, o centroavante dividiu com a zaga e a bola sobrou livre para Robinho, sozinho, marcar o gol de empate.

No segundo tempo, no entanto, o Figueirense voltou disposto a liquidar a partida e investiu contra o Santos, mas parava em uma atuação inspirada de Júlio Sérgio. Aos 2min, o santista defendeu um voleio de Fernandes.

Aos 21, Marlon, que havia entrado no lugar de Rodrigo, girou e bateu, exigindo outra bela defesa do goleiro.

Atuando com dez jogadores, Emerson Leão armou um esquema excessivamente defensivo, substituindo Leandro Machado por Daniel e Marco Aurélio por Pereira. Com as alterações, o time ficou com três zagueiros e três volantes. Robinho ficava isolado no ataque, e as poucas chances do time paulista saíram de faltas cobradas por André Luís.

Quando tudo parecia indicar que a equipe treinada por Leão conseguiria o empate, Sérgio Manoel cobrou falta da intermediária e deu números finais à partida.