Chivas Guadalajara 3 x 2 Santos

Data: 09/04/2008
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio Jalisco, em Guadalajara, México.
Árbitro: José Buitrago (COL)
Assistentes: Wilson Berrio e Javier Camargo (ambos da COL)
Cartões amarelos: Domingos, Evaldo e Wesley (S); Solis, Pineda, Araújo e Reynoso (C).
Gols: Arellano (12-1), Rodriguez (34-1) e Kleber Pereira (38-1); Santana (01-2) e Kleber (10-2).

CHIVAS GUADALAJARA
Luís Michel; Reynoso, Rodriguez e Magallon; Solis, Pineda, Ávila, Morales (Araújo) e Medina; Santana (Esparza) e Arellano (Bravo).
Técnico: Efraín Flores

SANTOS
Fábio Costa; Fabão, Domingos (Evaldo) e Betão; Denis (Quiñonez), Rodrigo Souto, Marcinho Guerreiro, Molina (Tiago Luís) e Kléber; Wesley e Kléber Pereira
Técnico: Emerson Leão



Santos cai no México, adia vaga às oitavas e vê Chivas encostar

O Santos entrou em campo necessitando de um empate para assegurar vaga às oitavas, montou esquema defensivo, mas não resistiu à pressão do Chivas, que venceu por 3 a 2, em Guadalajara, e encostou no time da Vila na disputa pela classificação na Libertadores.

Com esta derrota, o Santos não tem mais chance de ser líder do grupo 6. O Cúcuta tem 11 pontos, seguido pelo Santos, com sete. Chivas tem seis pontos e o San José quatro pontos. A equipe da Vila precisa vencer o Cúcuta, na Baixada, dia 16, para assegurar vaga às oitavas sem depender do resultado de San José x Chivas.

Irritado com o desempenho santista em campo, Leão “elegeu” a zaga alvinegra como a vilã no duelo no México. “Se eu tiver que listar tudo o que erramos, ficarei um longo tempo citando aqui. Não pode se apaixonar pela bola e sair correndo”, disparou o treinador à TV Tribuna.

Ciente de que o Chivas viria desesperadamente para cima do Santos, pois só a vitória interessava ao time da casa, Emerson Leão optou por uma formação cautelosa, usando três zagueiros, em vez de três no ataque.

Como previu Leão, o Chivas investiu fortemente no ataque. Travado em campo, o Santos não incomodou a defesa mexicana, permitindo avanços seguidos do rival. E o gol do Chivas não demorou a ocorrer. Após errar duas chances boas de gol, Arellano abriu o marcador, aos 12 min.

Mesmo atrás no placar, o Santos continuou apresentando sérias dificuldades em articular jogadas ofensivas. Melhor organizado, o Chivas criou inúmeras oportunidades de ampliar o placar. Irreconhecível, a equipe paulista apenas assistia ao Chivas em seu campo.

O convite ao ataque mexicano custou caro. Rodriguez, de cabeça, fez o segundo gol do time de Guadalajara. “Vítima” da blitz mexicana, Domingos cedeu lugar a Evaldo ainda na etapa inicial.

Em rara investida ofensiva, o Santos diminuiu o placar, com Kléber Pereira, que se enroscou com zagueiro mexicano em cobrança de escanteio.

O Chivas iniciou a etapa complementar imprimindo o mesmo ritmo dos 45 min iniciais. Logo no primeiro minuto, Santana aumentou a vantagem no placar, cabeceando sem qualquer marcação.

Sem criatividade, o Santos explorou jogadas de bola parada e voltou a encostar. De falta, Kléber cobrou bem, dando novo ânimo ao time da Vila. Na frente, o Chivas passou a se segurar na defesa, sem ser ameaçado pela equipe alvinegra.