Gimnasia y Esgrima 1 x 2 Santos

Data: 22/03/2007, quinta-feira, 19h00.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 8 – 4ª rodada
Local: Estádio Ciudad de La Plata, em La Plata, Argentina.
Público e renda: N/D
Árbitro: Roberto Silvera (URU)
Auxiliares: Olivier Viera e Edgardo Acosta (ambos do URU)
Cartões amarelos: Rodrigo Tiuí, Rodrigo Souto, Fábio Costa (S); Romero, Alderete, Leguizamón (G).
Gols: Marcos Aurélio (02-1), Sergio Leal (43-2) e Zé Roberto (45-2).

GIMNASIA Y ESGRIMA
Carlos Kletnicki, Germán Basualdo, Gustavo Semino, Lucas Landa e Daniel Romero (Leal); Ignacio Piatti, Reinaldo Alderete, Antonio Pacheco (Leguizamón) e Sebastián Dubarbier; Antonio Pierguidi e Santiago Silva.
Técnico: Pedro Troglio

SANTOS
Fábio Costa; Adaílton, Antônio Carlos e Leonardo (Marcelo); Denis (Pedro), Rodrigo Souto, Cléber Santana, Zé Roberto e Kléber; Marcos Aurélio (Pedrinho) e Rodrigo Tiuí.
Técnico: Wanderley Luxemburgo



Santos mantém 100% de aproveitamento e avança na Libertadores

O Santos continua imbatível na Taça Libertadores da América. Apesar de perder a invencibilidade de sua defesa, o time da Baixada mantém os 100% de aproveitamento –quatro vitórias no Grupo 8– e está matematicamente classificado para a segunda fase da competição. Nesta quinta-feira, a equipe treinada por Vanderlei Luxemburgo venceu o Gimnasia y Esgrima, em La Plata (Argentina), por 2 a 1.

O caminho para a vitória diante dos argentinos foi aberto logo no primeiro ataque santista. Aos 5min, Zé Roberto e Kléber tabelaram pela esquerda e o lateral acionou Rodrigo Tiuí, que foi até a linha de fundo e cruzou para o meio da área. A marcação adversária falhou e Marcos Aurélio, sozinho, teve tempo de dominar e bater forte para marcar.

Ainda no primeiro tempo, aos 35min, a equipe treinada por Vanderlei Luxemburgo teve a chance de marcar o segundo. Rodrigo Tiuí sofreu pênalti, que Cléber Santana perdeu.

No segundo tempo, o Gimnasia pressionou desde o início, mas não conseguiu marcar até os 43min. Quando o jogo caminhava para o placar de 1 a 0, Leal, de cabeça, empatou a partida e vazou pela primeira vez a defesa santista na competição.

O 1 a 1 parecia sacramentado, mas o principal jogador santista não parecia pensar assim. Aos 45min, após passe de calcanhar de Pedrinho, Zé Roberto bateu forte para marcar o segundo gol do Santos.

O jogo

Disposto a manter os 100% de aproveitamento na Libertadores, o Santos abriu o placar logo no início do jogo. Aos 3min, o lateral-esquerdo Kléber lançou Rodrigo Tiuí, que avançou pela esquerda e cruzou para a área argentina. Após falha da defesa, Marcos Aurélio dominou e, sozinho, bateu forte para abrir o placar.

Depois do gol, o Santos passou a esperar o Gimnasia em seu campo de defesa, esperando por boas oportunidades nos contra-ataques. Aos 10min, Rodrigo Tiuí teve a chance de fazer o segundo, mas chutou em cima da defesa argentina.

O Santos levou perigo novamente aos 25min, mais uma vez pela esquerda do ataque. Zé Roberto lançou Kléber, que levantou na área para Rodrigo Tiuí. O atacante cabeceou bem, mas o goleiro Kletnicki defendeu. O Gimnasia respondeu no minuto seguinte. Piatti chutou forte da entrada da área, para ótima defesa de Fábio Costa.

Aos 34min, Daniel Romero errou na saída de bola e Rodrigo Tiuí se aproveitou para invadir a área do Gimnasia y Esgrima. O atacante foi derrubado pelo goleiro Kletnicki e o árbitro uruguaio Roberto Silvera marcou pênalti. Na cobrança, Cléber Santana chutou na trave.

No segundo tempo, a primeira boa chance foi do Gimnasia. Aos 5min, Pacheco cobrou falta na entrada da área e a bola bateu na trave do gol de Fábio Costa. Oito minutos depois, novamente em cobrança de falta, o time argentino levou perigo –em bola levantada na área, o zagueiro Semino tentou desviar, mas a zaga santista cortou.

Pressionado, o Santos se segurava bem na defesa até os 25min, quando –mais uma vez em jogada de bola parada– Semino desviou um cruzamento para o fundo das redes. O gol, que seria o primeiro sofrido pelos santistas na competição, foi anulado. O zagueiro estava impedido.

Aos 43min, o Gimnasia conseguiu o empate, com Leal, de cabeça. O time argentino mal teve chance para comemorar –aos 45min, em grande jogada de Pedrinho, Zé Roberto marcou para o time da Vila.