Grêmio 2 x 0 Santos

Data: 30/05/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Semifinal – Jogo de ida
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Árbitro : Sergio Pezzota (ARG)
Auxiliado: Rodolfo Otero e Juan Carlso Rebollo (ambos da ARG)
Cartões amarelos: Tuta, Patrício, Sandro Goiano, Lúcio (G); Ávalos, Rodrigo Tabata (S)
Gols: Tcheco (34-1) e Carlos Eduardo (36-1).

GRÊMIO
Saja; Patrício, William, Teco e Lúcio; Sandro Goiano, Gavilán, Tcheco (Ramón) e Diego Souza (Edmílson); Carlos Eduardo e Tuta
Técnico: Mano Menezes

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro (Pedrinho), Adaílton, Ávalos e Kléber; Rodrigo Souto, Maldonado, Cléber Santana (Moraes) e Zé Roberto; Marcos Aurélio e Jonas (Rodrigo Tabata)
Técnico: Wanderley Luxemburgo


Santos perde para o Grêmio no Olímpico e se complica na Libertadores

O Santos sofreu sua primeira derrota na Taça Libertadores-2007 ao perder para o Grêmio por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, no estádio Olímpico, em Porto Alegre, resultado que complica suas chances de avançar à final da competição.

Agora, com o revés, o time da Baixada tem que vencer por três gols de diferença a partida de volta, na próxima quarta, na Vila Belmiro, para avançar. A equipe que passar deste duelo encara na final o vencedor do confronto entre Boca Juniors, da Argentina, e Cúcuta, da Colômbia.

O time paulista estava invicto no torneio sul-americano até a derrota desta noite. Antes do jogo de hoje, a equipe tinha dez vitórias e dois empates no torneio –somando as duas vitórias sobre o Blooming, da Bolívia, na pré-Libertadores.

O técnico Vanderlei Luxemburgo manteve a formação que começou a partida contra o América-MEX, na última quarta-feira, na Vila Belmiro, no 4-4-2. Assim Jonas jogou no ataque ao lado de Marcos Aurélio. “É importante não deixar o adversário jogar, mas você também tem que preocupar em jogar”, disse o treinador antes da partida, à TV Globo.

Após fazer mistério para a partida, o técnico do Grêmio, Mano Menezes, confirmou o meio-campista Tcheco e o atacante Tuta, que eram dúvidas, como titulares para o confronto.

O jogo

Mesmo fora de casa, o Santos chegou a envolver o time gaúcho no início da primeira etapa. Aos 7min, Zé Roberto tabelou com Jonas, mas foi interceptado pela zaga, dentro da área, na hora da conclusão final.

A equipe paulista criou sua melhor chance aos 12min. Após belo lançamento da esquerda, Marcos Aurélio ajeitou e chutou forte, mas o goleiro argentino Saja fez ótima intervenção.

O Grêmio criou sua primeira boa chance aos 24min. Após bola alçada na área, Tuta ganhou disputa com a zaga santista, dominou no peito e chutou, mas a bola passou por cima da meta do goleiro Fábio Costa.

Os donos da casa por pouco não abriram o placar aos 31min. Depois de cruzamento na direita, a bola desviou no lateral Alessandro e sobrou para Diego Souza chutar, mas o goleiro Fábio Costa fez grande defesa. Os gremistas ainda reclamaram de toque de mão de Alessandro.

Melhor em campo, o time gaúcho abriu o placar dois minutos depois. O zagueiro santista Ávalos agarrou Diego Souza dentro da área e o árbitro argentino Sergio Pezzotta assinalou pênalti. Tcheco cobrou no canto direito de Fábio Costa, que pulou para o lado contrário: 1 a 0.

O Santos sentiu o golpe e pouco tempo depois “entregou” o segundo gol ao rival. Aos 37min, o zagueiro Adaílton dominou mal na intermediária e perdeu a bola para Carlos Eduardo, que partiu livre para a área e tocou sem chances para Fábio Costa. Os gaúchos por pouco não ampliaram dois minutos depois, mas Tcheco chutou em cima do goleiro santista.

Na segunda etapa, o técnico Vanderlei Luxemburgo tentou mudar o panorama da partida ao apostar em Pedrinho e Rodrigo Tabata nas vagas de Alessandro e Jonas.

Apesar de manter por mais tempo a posse da bola, o Santos não conseguia superar o forte bloqueio gremista e assim não assustava. O goleiro Saja praticamente não participou do jogo. O Grêmio, nos contra-ataques, era mais perigoso.

Aos 37min, Carlos Eduardo fez boa jogada pela esquerda e cruzou na cabeça de Ramón, livre, testar para fora. Os donos da casa souberam cadenciar a partida e controlar a pressão dos santistas. O time gaúcho ainda reclamou de pênalti aos 41min, em dividida entre Rodrigo Souto e Sandro Goiano, mas o árbitro mandou o lance seguir.