São Paulo 1 x 0 Santos

Data: 24/10/2004
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 37ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 20.871 pagantes
Renda: R$ 284.147,00
Árbitro: Wilson Luis Seneme (SP)
Cartões amarelos: Fabão, Rodrigo, Fábio Santos, Renan e Grafite (SP); Preto Casagrande e Basílio (S).
Gol: Grafite (32-1)

SÃO PAULO
Rogério Ceni, Fabão, Lugano e Rodrigo; Cicinho, Renan, Danilo (César Sampaio), Alê, Júnior (Fábio Santos); Grafite e Diego Tardelli (Nildo).
Técnico: Émerson Leão

SANTOS
Mauro, Paulo César, André Luís, Leonardo e Léo; Fabinho (Marcinho), Preto Casagrande (Zé Elias), Ricardinho e Elano (Basílio); Devid e Robinho.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



São Paulo quebra tabu, dá o troco no Santos e embola Brasileiro

O São Paulo bateu o Santos por 1 a 0, neste domingo, no Morumbi, quebrou um tabu de cinco jogos e mais de um ano e meio sem vencer o rival e embolou de vez a disputa pela liderança do Campeonato Brasileiro.

De quebra, o time de Emerson Leão deu o troco no de Vanderlei Luxemburgo, que eliminou os são-paulinos da Copa Sul-Americana. O triunfo são-paulino impediu os santistas de assumirem a ponta do Nacional, já que o líder, Atlético-PR, caiu no sábado diante do Palmeiras.

Este foi o terceiro “San-São” seguido em 15 dias e o primeiro em que o Santos usou todos titulares. Nos dois jogos pelo torneio continental, Luxemburgo mandou a campo times recheados de reservas, mas mesmo assim teve uma vitória e um empate contra os titulares do São Paulo, avançando às quartas-de-final.

Hoje foi a vez de Leão conseguir a revanche. Mesmo com as estrelas santistas Robinho, Elano e Deivid em campo, o São Paulo não se intimidou e voltou a vencer o rival após cinco jogos (quatro derrotas e um empate). A última vitória são-paulina havia sido no dia 15 de fevereiro de 2003, pelo Paulista, quando ganhou por 2 a 1, na Vila Belmiro. Naquela oportunidade, o técnico santista era Leão.

Com o resultado, o São Paulo chegou a 65 pontos e continua em terceiro lugar, mas encostou nos dois primeiros colocados. Diminuiu para três pontos a desvantagem para o vice-líder Santos (68), para quatro em relação ao Atlético-PR (69).

O atacante são-paulino Grafite foi o grande destaque do jogo. Além de usar a cabeça para marcar o gol da vitória, ele chegou a 21 gols na temporada com camisa do clube e empatou com o ex-ídolo Luis Fabiano como o artilheiro do São Paulo no ano. Grafite também é o goleador do time no Nacional, com 11 gols.

São Paulo e Santos entraram em campo tentando esquecer o clima violento que prevaleceu nos confrontos pela Sul-Americana, principalmente após a polêmica causada quando Elano acusou o zagueiro uruguaio Lugano de violento.

Mas o que se viu dentro de campo foram duas equipes focadas no futebol. O São Paulo abriu o placar aos 32min, quando o zagueiro Fabão cruzou da direita e Grafite escorou de cabeça a bola, que entrou no ângulo de Mauro.

As melhores investidas santistas ficaram por conta de Robinho e Elano. O primeiro perdeu uma grande chance no primeiro tempo após cabecear a bola para fora do gol de Rogério Ceni e num chute na etapa final. O segundo também chutou para defesa do goleiro no primeiro tempo.

O jogo seguiu emocionante até o final, com as duas equipes criando e desperdiçando oportunidades, a maior parte delas interceptadas pelos goleiros Mauro e Rogério.