Data: 05/05/2004
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio Casa Blanca, em Quito, Equador.
Árbitro: Oscar Ruíz (COL)
Cartões: Jácome, Espíndola, Obregón e Salas (L); André Luis, Paulo César e Clainton (S).
Gols: Robinho (02-1), Elano (04-1) e Ambrossi (17-1); Urrutia (02-2), Ambrossi (27-2) e Salas (39-2).

LDU
J. Espinoza; Jácome, Espíndola, G. Espinoza e Reasco; Obregón, Urrutia, Ambrossi, Aguinaga; Salas e Paredes (González).
Técnico: Carreño

SANTOS
Julio Sérgio; Marco Aurélio, André Luis, Pereira (Paulo César) e Léo; Paulo Almeida, Claiton (Luis Augusto), Preto Casagrande e Diego; Robinho e Elano (Daniel).
Técnico: Émerson Leão



Santos perde de virada e se complica na Libertadores

Depois de um começo empolgante, com dois gols em apenas quatro minutos, o Santos não conseguiu segurar o resultado e perdeu por 4 a 2 para a LDU (Liga Deportiva Universitária), em Quito, no Equador, em jogo de ida das oitavas-de-final da Taça Libertadores, na madrugada desta quinta-feira.

O resultado deve aumentar a pressão dos torcedores santistas em relação ao trabalho do técnico Emerson Leão, duramente criticado após a derrota em casa para o Cruzeiro, por 3 a 1, na última rodada do Campeonato Brasileiro.

O Santos mostrou muita competência e oportunismo no começo da partida. Logo aos 2min, Robinho arriscou de fora da área e marcou um bonito gol. Dois minutos depois, Elano fez boa jogada individual e aumentou.

Depois da vantagem, o Santos recuou e deu espaço para o adversário. O meio-campista Paul Ambrosi diminuiu aos 18min. Apesar da pressão, a LDU não conseguiu chegar ao empate na etapa inicial.

O time equatoriano empatou aos 3min da etapa final, com Patrício Urrutia, aproveitando um passe de cabeça, completamente livre dentro da área.

Com apenas Robinho isolado no ataque, o Santos não teve força para pressionar o adversário, que chegou ao gol da virada aos 27min, novamente com Ambrosi, completando um cruzamento da direita. Aos 40min, Franklin Salas marcou de cabeça e assegurou a boa vantagem de sua equipe.

O jogo de volta será disputado na próxima terça-feira, na Vila Belmiro. Para ficar com a vaga evitando os pênaltis, o Santos precisa vencer por três gols de diferença.

Leão cai: queda no Paulista e Diego puseram fim a passagem do técnico

Até o ano passado Leão era intocável na Vila Belmiro, tinha poder para indicar contratações à diretoria e dispensar jogadores.

O processo de fritura começou quando não foi capaz de levar o time, que mantém praticamente o mesmo grupo que há dois anos ganhou o Brasileiro, ao título paulista, prioridade da diretoria.

Ele foi criticado pela forma como montou a equipe que foi eliminada depois de humilhante goleada sofrida diante do São Caetano.

Na ocasião expodiu outra crise. Como havia feito em quase todo o Estadual, Leão substituiu o meia Diego, que saiu reclamando. O treinador já havia entrado em atrito com o jogador ao se queixar dos rumos dado aà carreira do astro por seu pai, que também é empresário do camisa 10. Depois das seguidas queixas de Diego, teve fim a sina de substituições.

Por fim, o treinador teve que suportar a interferência do presidente do clube, Marcelo Teixeira, em questões técnicas.

O cartola, sem avisar o treinador, decidiu afastar o goleiro Doni e o atacante Robson (Robgol), do elenco. Os dois, especialmente o primeiro, eram apostas fortes de Leão.

A era Leão:

Quando assumiu: 05/2002
Títulos: Brasileiro 2002
Jogos oficiais: 127
Aproveitamento: 61%
Vitórias: 67
Empates: 31
Derrotas: 29

Colocação por campeonato:

Brasileiro 02: Campeão
Brasileiro 03: Vice-campeão
Libertadores 03: Vice-campeão
Paulista 03: Eliminado na 1ª fase
Sulamericana 03: Eliminado nas Quartas-de-final
Paulista 04: Eliminado na Semifinal