Data: 30/01/2011 – às 17h00
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 5ª rodada
Local: Arena Barueri, em Barueri, SP.
Público: 9.334 pagantes
Renda: R$ 213.960,00
Árbitro: Salvio Spinola Fagundes Filho
Auxiliares: Emerson de Carvalho e Anderson Jose de Moraes
Gols: Elano (10-1), Maikon Leite (28-2).

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano (Bruno Rodrigo, 23-2), Rodrigo Possebon (Anderson Carvalho,30-2), Elano e Róbson (Felipe Anderson, 35-2); Maikon Leite e Keirrison.
Técnico: Adilson Batista

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Jean, Xandão, Miranda e Juan (Luiz Eduardo, 34-2); Rodrigo Souto, Zé Vítor (Marlos, 09-2), Carlinhos Paraíba e Fernandinho; Dagoberto (Marcelinho Paraíba, 30-2) e Fernandão.
Técnico: Paulo César Carpegiani



Santos vira defensivo, faz 2 a 0 e mantém rotina de vitórias sobre o São Paulo

Equipe que há mais de um ano faz sucesso no Brasil por ser ofensiva, o Santos mudou de estratégia neste domingo, atuou de forma cautelosa e venceu o São Paulo por 2 a 0, na Arena Barueri, gols de Elano e Maikon Leite.

Assim, o clube litorâneo mantém a rotina de vitórias sobre o rival da capital no Campeonato Paulista. Em 2009, ganhou um jogo, em 2010 foram três vitórias e agora completou a quina pelo Estadual. No Brasileiro passado, o São Paulo ganhou por 4 a 3, em outubro, e no primeiro turno perdeu por 1 a 0.

O Santos soma 13 pontos e segue na liderança do Paulista, à frente do Palmeiras no saldo de gols. Já o São Paulo perdeu a segunda no certame e continua com 9 pontos.

“Eles tiveram posse de bola, mas aproveitamos as chances, e futebol é bola na rede”, opinou Maikon Leite, que já anotou cinco gols em 2011.

“A bola do Jean poderia ter mudado o jogo. Tivemos várias oportunidades, mas eles fizeram o gol”, analisou o capitão Rogério Ceni, citando um chute de Jean na trave três minutos antes do segundo gol do rival.

Apesar de a torcida alvinegra ter gritado “olé” nos minutos finais, a vitória santista esteve sob risco até os 28min do segundo tempo, quando o time tricolor encurralou o adversário, porém pecou no arremate final.

O quarteto ofensivo santista começou a dar trabalho à retaguarda são-paulina logo no início da partida, principalmente com bolas em profundidade para Maikon Leite, pela direita, e com a chegada de Elano e Robson pelo meio.

Logo aos 10min, Robson dominou pela direita, se livrou da marcação e colocou a bola na cabeça de Elano, que só teve o trabalho de tirar de Rogério Ceni e marcar o seu quinto gol neste retorno à Vila Belmiro.

A equipe do Morumbi apostou na velocidade de Fernandinho e Dagoberto, com Fernandão como meia e chegou com perigo ao gol de Rafael por três vezes no primeiro tempo.

Após abrir o placar, os santistas recuaram, enquanto os são-paulinos tiveram mais posse de bola. Dagoberto, Jean e Zé Victor quase empataram.

O time alvinegro ainda teve a melhor oportunidade de marcar. Rogério Ceni realizou uma grande defesa após cabeçada de Rodrigo Possebon.

“Estamos criando bastante, e o Santos foi lá e fez o gol em uma jogada”, comentou Fernandinho na saída para o intervalo. “Precisamos de tranquilidade no último passe para sair o gol”, endossou Dagoberto.

A pressão são-paulina permaneceu na etapa final, enquanto a equipe da Baixada atuou de forma defensiva, com a estratégia de explorar o contra-ataque.

Paulo César Carpegiani ousou ao sacar o volante Zé Victor para a entrada do meia-atacante Marlos. Já Adilson Batista tirou o volante Adriano para a entrada do zagueiro Bruno Rodrigo e passou a adotar o 3-5-2.

O São Paulo foi para cima e teve a sua melhor oportunidade nos pés de Jean, que acertou a trave de Rafael. O castigo veio aos 28min, quando Maikon Leite aproveitou rebote de Rogério Ceni, após chute de Elano, e fez 2 a 0.