Colo Colo 3 x 2 Santos

Data: 16/03/2011
Competição: Copa Libertadores – Grupo 5 – 3ª rodada
Local: Estádio Monumental, em Santiago, Chile.
Árbitro: Sérgio Pezzotta (ARG).
Auxiliares: Gustavo Esquivel e Diego Bonfa (ambos da ARG).
Cartões amarelos: Paredes, Cabrera, Scotti e Mena (CC); Pará, Elano, Possebon e Neymar (S).
Gols: Elano (04-1), Paredes (26-1), Miralles (35-1) e Scotti (41-1); Neymar (04-2).

COLO COLO
Castillo; Cabion (Ormeño), Scotti, Cabrera e Jerez; Mena (Pavez), Salcedo, Fuenzanila e Jorquera; Paredes e Miralles.
Técnico: Américo Gallego

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Possebon); Adriano, Danilo, Elano e Paulo Henrique Ganso (Keirrison); Neymar e Zé Eduardo (Maikon Leite).
Técnico: Marcelo Martelotte.



Santos sofre pane em 14 minutos, leva três gols e perde para o Colo-Colo no Chile

O Santos marcou dois gols, teve chances preciosas desperdiçadas, e devido a uma pane geral sofrida dos 27 aos 41 minutos do primeiro tempo, perdeu para o Colo-Colo, por 3 a 2, no estádio David Arellano, em Santiago, no Chile, na noite desta quarta-feira. A equipe chilena agora pula para a primeira colocação do grupo 5 da Libertadores, e deixa o alvinegro em situação de alto risco. Paredes, Miralles e Scotti marcaram para o time mandante, enquanto Elano e Neymar fizeram os gols do time da Vila.

O Santos, ainda na terceira colocação da chave, tem apenas dois pontos, após três rodadas disputadas. Já o Colo-Colo soma seis pontos. O Cerro Porteño é o segundo, com cinco, e o Deportivo Táchira, o último, também com dois.

A derrota deixa o Santos na obrigação de vencer o Colo-Colo, na quarta rodada, dia 6 de abril, na Vila Belmiro. Lá, o alvinegro poderá chegar para a disputa do jogo com um novo treinador. O ainda interino, Marcelo Martelotte precisava da vitória para ganhar moral no clube.

Em Santiago, o Santos também enfrentou um terremoto de magnitude 5.3 na escala Richter pouco mais de uma hora antes do jogo. O drama foi sentido no trajeto ao estádio e gerou comentário amedrontado de Neymar no Twitter: “A caminho do estádio. Tem uns terremotos estranhos aqui, viu. Tá louco #medo rsrsrsrs”, postou o jovem.

Nem mesmo a presença de Paulo Henrique Ganso, pela primeira vez como titular desde a contusão sofrida no dia 25 de agosto do ano passado, inibiu o adversário. O meia foi o autor do passe para o gol de Neymar, mas não repetiu a atuação de gala que teve contra o Botafogo-SP, no fim de semana.

O Santos começou a partida de maneira empolgante. A equipe optou pelo toque de bola rápido para escapar da violência adversária, mas foi após uma falta sofrida que abriu o placar. Aos 4 minutos, Elano arriscou chute de quase 40 metros de distância, e viu o goleiro Castillo se atrapalhar, sem conseguir evitar o gol.

Mesmo em desvantagem, o Colo-Colo não mudou o estilo de jogo, e seguiu marcando forte, e esperando por contra-ataques. Neymar tentou se aproveitar da virilidade adversária, e cavar um pênalti ao ser puxado na área aos 14 minutos. O árbitro argentino, Sergio Pezzotta, nada marcou.

A equipe chilena, empurrada pela torcida, se encaixou no jogo rapidamente, e passou a metade final da primeira etapa exercendo um amplo domínio.

Em 15 minutos, foram dois lances de grande perigo, e três gols marcados: um massacre. Paredes, Miralles e Scotti deixaram o time chileno em situação relativamente tranquila para o segundo tempo, e o Santos desnorteado no intervalo.

“Estamos jogando Libertadores fora de casa e não podemos errar desse jeito”, reclamou Elano, o responsável por desperdiçar a bola no campo ofensivo em lance que resultou no contra-ataque de origem do segundo gol do Colo-Colo.

Os erros santistas pareciam não corrigidos logo no início da segunda etapa. Com 2 minutos, Miralles finalizou um contra-ataque com chute no travessão. No entanto, a situação modificou radicalmente pouco depois.

Aos 3 minutos, Elano recebeu livre na área, e desperdiçou ótima chance. Segundos depois, Neymar teve a mesma chance e marcou, driblando Castillo e tocando de perna esquerda para o gol.

O Santos cresceu consideravelmente no jogo, e começou a perder boas chances de empatar. Neymar e Edu Dracena, aos 14 minutos, tiveram no mesmo lance oportunidades valiosas.

Colo-Colo e Santos voltaram a ter oportunidades importantes no trecho final de jogo. No entanto, não tiveram competência para marcar. Melhor para a equipe chilena, que venceu por 3 a 2, e virou líder do grupo 5.