Data: 18/05/2011, quarta-feira, 22h00.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 35.587 presentes (33.385 pagantes e 2.202 não pagantes)
Renda: R$ 1.347.235,00
Árbitro: Enrique Osses (CHI), auxiliado por Francisco Mondria e Juan Maturana (ambos do CHI).
Cartões amarelos: Amaya (OC); Arouca e Rafael (S).
Gols: Neymar (11-1) e Rentería (29-1).

SANTOS
Rafael, Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Adriano, Arouca, Elano e Alan Patrick (Pará); Neymar e Zé Eduardo (Keirrison).
Técnico: Muricy Ramalho

ONCE CALDAS
Martínez, Palacios, Amaya, Henríquez e Nuñez; Cuero (Pajoy), Mejía, Carbonero e Mirabaje (Harisson Henao); Dayro Moreno e Rentería.
Técnico: Juan Carlos Osório



Neymar marca, perde pênalti e Santos assegura vaga sofrida com 1 a 1 contra Once

Foi sofrido, por conta do pênalti perdido por Neymar, das chances claras desperdiçadas por Zé Eduardo e da vantagem mínima segurada durante todo o segundo tempo. Mas o que vale é que o Santos está na semifinal da Libertadores. A equipe empatou com o Once Caldas por 1 a 1, na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, e ficou com a vaga por ter vencido o confronto no placar agregado por 2 a 1.

O alvinegro não chegou a sofrer grande pressão do adversário, mas deixou a torcida apreensiva até o apito final do árbitro. Agora é esperar o próximo adversário que sai do confronto entre Cerro Porteño-PAR e Jagures-MEX, quinta-feira, no Paraguai – no primeiro jogo, no México, houve empate por 1 a 1.

Bem antes de perder um pênalti aos 40 minutos do segundo tempo, Neymar fez o gol do Santos, aos 11 minutos do primeiro tempo. Só que o empate do Once Caldas aconteceu aos 29 minutos, e o vaga certa, foi conquistada com requintes dramáticos.

O Once Caldas se despede da Libertadores de forma invicta como visitante – em cinco jogos, foram duas vitórias e três empates. O Santos também segue sem perder como mandante – são três vitórias e dois empates.

Muricy Ramalho ordenou aos jogadores para que ignorassem a vantagem conquistada no jogo de ida. Só que time colombiano também jogou como se não estivesse em desvantagem, e resolveu passar o primeiro tempo à espera de contra-ataques e bolas paradas.

O plano de jogo colombiano seguiu o mesmo até quando Neymar marcou o primeiro gol santista aos 11 minutos em bela finalização de fora da área.

O jovem santista entrou na “pilha” do adversário, chapelou o marcador, e se irritou com o fato de o árbitro não ter marcado uma falta após receber uma pancada. Como vingança, ele deu um carrinho no adversário, fazendo a falta que tanto o Once Caldas procurava na lateral da área. Na cobrança, gol de Rentería.

Santos e Once Caldas foram para o intervalo empatados. Sendo assim, a vantagem do alvinegro continuava mínima, e a tensão da torcida era evidente.

O nervosismo aumentou no início do segundo tempo, e o motivo da fúria tinha nome: Zé Eduardo. Por conta dos gols perdidos, o centroavante irritou a torcida e foi substituído por Keirrison.

O Santos foi pouco pressionado e teve a chance de evitar o drama dos minutos finais em um pênalti sofrido por Neymar. O próprio jovem bateu, só que perdeu. E a vaga foi mesmo conquistada de forma dramática.