Santos 1 x 1 São Bernardo

Data: 26/02/2011
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.945 pagantes
Renda: R$ 220.872,20
Árbitro: Milton Etsuo Ballerini.
Auxiliares: João Edilson de Andrade e Claudenir Donizeti Gonçalves da Silva.
Cartões amarelos: Leandro Camilo, Marcelo Pitol, Lucas, Amarildo (SB); Léo (S)
Gols: Elano (43-1) e Raul (23-2).

SANTOS
Rafael; Jonathan (Pará), Bruno Rodrigo, Durval e Leo; Adriano, Danilo, Elano e Felipe Anderson (Alan Patrick); Neymar e Zé Eduardo (Maikon Leite).
Técnico: Adilson Batista

SÃO BERNARDO
Marcelo Pitol; Guto (Régis), Leandro Camilo, Amarildo e Reinaldo; Dirceu, Willian Favoni (Raul), Lucas e Júnior Xuxa; Danielzinho e Eliomar Bombinha (Zé Forte)
Técnico: Estevam Soares



Santos empata em casa, sai vaiado e aumenta pressão da torcida sobre Adilson

Adilson Batista disse que venceria o jogo para tomar café da manhã na padaria onde foi criticado. Mas sua previsão estava errada. Neste sábado, o Santos ficou no empate por 1 a 1 com o São Bernardo na Vila Belmiro, saiu vaiado de campo e aumentou ainda mais a pressão da torcida sobre o treinador.

Após a derrota no clássico para o Corinthians, um grupo de torcedores fez um protesto em uma padaria de Santos pedindo a saída do técnico. Como resposta, Adilson levou com bom humor e disse que tomaria café no local.

Mas nem tudo parece estar tranquilo na Vila Belmiro. Os últimos resultados (apenas uma vitória em seis jogos) e as escalações polêmicas do técnico têm irritado a torcida, que vaiou o comandante no fim e também durante o jogo pela substituição de Zé Eduardo por Maikon Leite.

Com o resultado, o Santos foi a 19 pontos e perdeu a oportunidade de se aproximar dos líderes do Paulistão. Está em quarto e ainda pode ser ultrapassado pelo São Paulo. Já o São Bernardo vive situação complicada com apenas nove pontos próximo à zona do rebaixamento.

O time litorâneo entrou em campo com muitos desfalques, já que Edu Dracena e Possebom cumpriram suspensão pelo terceiro cartão amarelo e Arouca, lesionado, e Diogo, gripado, foram vetados na última ultima hora. Apesar das baixas, o Santos teve boas oportunidades logo no início do jogo. Com um minuto, Neymar acertou a trave e, em seguida, Marcelo Pitol salvou uma chance clara de Elano.

O São Bernardo tinha uma equipe bem postada e levava perigo ao roubar a bola do Santos e partir nos contra-ataques. Mas pecou pela falta de qualidade para definir, o que é comprovado por ter um dos piores ataques do Campeonato Paulista.

Já a equipe da casa não se encontrava em campo. Afobada, não tinha paciência para trabalhar as jogadas e apostava nos chutões, cruzamentos desesperados ou em jogadas individuais que não rendiam. Até que Neymar assumiu a responsabilidade e acabou sofrendo um pênalti de Leandro Camilo, que saiu reclamando para o intervalo. “Não acho que foi pênalti. Vão sempre favorecer a equipe da casa”, disse.

Elano não desperdiçou a cobrança, deixou seu time em vantagem, mas fez um alerta. “Temos que ter paciência. Toda hora a gente chuta para a frente e acaba errando e se desgastando. Mas o importante é a equipe sair vencendo”, disse.

Apesar do gol, o São Bernardo manteve sua postura agressiva no segundo tempo. Mantinha a bola no campo de ataque e já tinha as principais chances de gol da partida. Para piorar, a torcida voltou a se manifestar contra Adilson ao reprovar a substituição de Zé Eduardo.

Pouco depois saiu o gol do São Bernardo, quando Raul tirou de Rafael e chutou para o gol vazio. A partida ficou mais tensa. Com o empate, o Santos tentou sair para o ataque a qualquer custo e apostava nos contragolpes, mas pecava pela sua própria ineficiência.