Palmeiras 1 x 2 Santos

Data: 12/09/2004
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 30ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 19.109
Renda: R$ 248.031,00
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Cartões amarelos: Nen, Baiano, Gabriel, Diego Souza e Osmar (P); André Luis (S)
Cartão vermelho: Zé Elias (S)
Gols: Deivid (40-1) e Elano (45-1); Osmar (37-2).

PALMEIRAS
Sérgio; Baiano (Adãozinho), Gabriel, Nen e Lúcio; Marcinho, Correa (Julio Cesar), Magrão, Diego Souza e Elson (Ricardinho); Osmar
Técnico: Estevam Soares

SANTOS
Mauro; Bóvio (Lelo), Domingos, André Luiz e Léo; Fabinho, Zé Elias, Ricardinho e Elano; Deivid (Basí­lio) e Robinho (Avalos)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos consegue revanche contra o Palmeiras e amplia crise do rival

O Santos bateu o Palmeiras por 2 a 1, neste domingo, no clássico realizado no Pacaembu, em São Paulo, e conseguiu a revanche da goleada aplicada pelo rival (4 a 0) no primeiro turno, na Vila Belmiro. De quebra, a equipe da Baixada permaneceu na liderança do Brasileiro, agora com 55 pontos, e ampliou a crise palmeirense.

Enquanto os santistas não perdem há cinco jogos seguidos, os palmeirenses estão com o mesmo número de partidas sem vencer. Para piorar, estão na sétima posição, com 48 pontos, longe dos líderes e de fora da zona de classificação para a Libertadores-05.

A última vitória do Palmeiras foi no dia 18 de agosto, quando bateu o Internacional (3 a 1), no Parque Antarctica. O Santos é o time que mais somou vitórias no torneio: agora são 17 triunfos.

Uma das principais virtudes do Santos, do técnico Vanderlei Luxemburgo, é o seu ataque, o melhor da competição, com 69 gols.

O próprio técnico palmeirense, Estevam Soares, reconheceu o poderio do ataque santista e armou seu time para atuar mais defensivamente, apostando nos contra-ataques e com apenas Osmar como atacante fixo. O esquema previa até uma marcação individual de Marcinho sobre o santista Robinho.

A fórmula não deu certo, e o Palmeiras conheceu a primeira derrota no Pacaembu neste Nacional –havia derrotado o São Paulo (2 a 1), no primeiro turno.

Nem mesmo as jogadas áreas do Palmeiras –a equipe já marcou 13 gols de cabeça no torneio–, tiveram efeito sobre os santistas, que aparecem nas estatísticas como o time que mais sofreu gols de cabeça: 14 vezes.

Só no primeiro tempo, o zagueiro palmeirense Gabriel cabeceou duas vezes com perigo contra a meta do goleiro santista Mauro. Na melhor chance, acertou a bola no travessão, aos 32min.

Depois, só deu Santos. Em jogada bem tramada, o time da Vila Belmiro chegou ao gol depois de a bola passar pelos pés de quatro santistas. Antes de marcar, Deivid recebeu assistência de Robinho, e chutou cruzado dentro da área: 1 a 0, aos 40min.

Não demorou e o Santos ampliou, cinco minutos depois. Fabinho ganhou a dividida com Lúcio e tocou para Elano, que marcou o segundo gol.

“Desatenção. Deixamos a marcação desatenta”, tentava explicar o goleiro Sérgio, durante o intervalo.

A bronca de Estevam nos vestiários até surtiu efeito. O Palmeiras diminuiu aos 37min, com Osmar, mas já era tarde para a reação. Nem a expulsão de Zé Elias, no minuto seguinte, depois de ter feito falta dura em Diego Souza, tirou a vitória do Santos.