Santos 0 x 1 Palmeiras

Data: 03/04/2011
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 17ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.719 pagantes
Renda: R$ 447.102,82
Árbitro: Vinicius Furlan. Auxiliares: Giulliano Neri Colisse e Fabio Rogerio Baesteiro.
Cartões amarelos: Neymar, Elano, Durval, Adriano (S), Danilo, Rivaldo, Cicinho, Patrick (P).
Gol: Kléber (34-2).

SANTOS
Rafael, Pará (Felipe Anderson), Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Danilo, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Zé Eduardo (Keirrison).
Técnico: Marcelo Martelotte

PALMEIRAS
Deola, Cicinho (Chico), Danilo, Thiago Heleno e Rivaldo; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Lincoln (João Vítor) e Patrik; Adriano (Luan) e Kleber.
Técnico: Luiz Felipe Scolari



Em jogo tenso, Palmeiras derrota Santos com gol de ‘caçado’ Kleber e mantém tabu

Ele foi um dos mais caçados em campo, teve poucas chances de gol, mas, quando precisou, estava lá para definir. Com gol de Kleber, o Palmeiras derrotou o Santos por 1 a 0, manteve a liderança do Paulistão e o tabu contra o rival.

A vitória deixou o time alviverde com 38 pontos na tabela de classificação contra 34 do Santos, o quarto colocado. O Palmeiras, de quebra, segue sem perder para o rival: agora o tabu é de seis partidas.

O jogo foi bem tenso no início. O Santos teve duas boas chances de gol logo de cara, e em ambas protestou muito contra a arbitragem de Vinicius Furlan. Na primeira, Elano caiu na área em lance com Rivaldo e pediu pênalti. Na segunda, Danilo pegou rebote e encheu a bomba. A bola bateu na mão do xará palmeirense e os santistas protestaram pedindo nova penalidade.

Neymar ficou revoltado com uma suposta cotovelada de Kleber e em dois lances quase seguidos só não foi expulso porque a arbitragem decidiu contemporizar, já que o atacante santista deu o revide no Gladiador e depois acertou Cicinho, além de protestado demais em ambas as ocasiões. No final, ficou barato: ele recebeu apenas o cartão amarelo.

Apesar de nervoso, o Santos foi superior ao rival na primeira metade da etapa. O time da Vila Belmiro perdeu boas chances com Ganso e Elano contra um Palmeiras muito preocupado em se defender.

Aos poucos, o Palmeiras foi se soltando na partida e equilibrando as ações do clássico. Sem motivo de lesão aparente, o técnico Luiz Felipe Scolari sacou Adriano Michael Jackson ainda no primeiro tempo para colocar Luan no seu lugar.

Após a mudança, boas chances de gol para ambos os lados, mas o placar permaneceu inalterado: 0 a 0, com os santistas reclamando da arbitragem na saída do intervalo e Neymar explicando o porquê de ter ficado irritado.

“Não me estranhei com o Kleber. Ele me deu cotovelada, mas é de jogo. Tomei três e falei: pô Cicinho, está de sacanagem?”, explicou. “Fiz falta mesmo, mas não foi para cartão. O jogo está muito quente”.

O Santos voltou com mais posse de bola para a segunda etapa, mas o Palmeiras assustou com uma bela cobrança de Marcos Assunção na trave, que acabou acordando a torcida santista. Incentivado pelo seu torcedor, o time da casa passou a pressionar o adversário.

O técnico Marcelo Martelotte decidiu colocar o atacante Keirrison no lugar de Zé Eduardo. Depois da mudança, os dois times tiveram um gol anulado pela arbitragem: o Santos com Danilo e o Palmeiras com Thiago Heleno.

Felipão também colocou João Vitor no lugar de Lincoln e o jogo ficou totalmente aberto. Ambas as equipes perderam boas chances de gol, com destaque para a bela defesa de Deola em cabeçada de Durval.

Em bela jogada individual, Patrik deixou Kleber na cara de Rafael e ele não perdoou, abrindo o placar para o Palmeiras. Logo em seguida, Martelotte ousou ao tirar o lateral Pará e colocar o meia Felipe Anderson no seu lugar. Mas a mudança não surtiu efeito e o time alviverde, menos cansado, soube segurar a vitória por 1 a 0.

Destaque do jogo, Kleber diz que o lance do gol é treinado e que ele sempre pede para os meias lançarem esse tipo de bola para ele.

“Sempre peço essa bola para ele [Patrik]. O Tinga também faz. É uma bola que é difícil para o zagueiro pegar. Foi um excelente passe e mais um bom jogo do Patrik de novo”.

Pelo lado do time perdedor, reclamações da arbitragem e elogios a qualidade do atacante Kleber.

“O juiz errando bastante acaba deixando todo mundo irritado”, confessou Neymar. “O Kleber desequelibra qualquer jogo”, elogiou.