Santos 1 x 0 Ponte Preta

Data: 23/04/2011
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.225 pagantes
Renda: R$ 402.740,00
Árbitro: Rodrigo Braghetto.
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior e Fábio Luiz Freire.
Cartões amarelos: Leandro Silva, Válber, Gil (PP), Arouca, Danilo (S).
Gol: Neymar (20-1).

SANTOS
Rafael; Jonathan, Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Arouca, Danilo, Elano (Adriano) e Ganso; Neymar e Zé Eduardo (Keirrison).
Técnico Muricy Ramalho.

PONTE PRETA
Bruno, Guilherme (Eduardo Arroz), Leandro Silva, Ferrón e João Paulo; Mancuso (Renan), Josimar, Gil e Válber; Renatinho e Márcio Diogo (Rômulo).
Técnico Gilson Kleina.



Neymar marca, garante vitória do Santos contra a Ponte Preta e vaga na semifinal

Sem surpresa, e com o brilho de Neymar, o Santos venceu a Ponte Preta por 1 a 0, na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, e tornou-se o primeiro classificado à semifinal do Campeonato Paulista. O jovem foi o autor do gol solitário da partida no primeiro tempo, e ratificou a fama de decisivo. Agora, o alvinegro aguarda o vencedor do confronto entre São Paulo e Portuguesa, domingo, na Arena Barueri.

Para garantir a vaga, o Santos superou a pressão da Ponte nos minutos finais, e chegou a ver a ameaça do empate bem próxima com uma finalização na trave de Rômulo, aos 34 minutos. Com o fim do jogo veio o alívio, e o foco agora é em outra decisão.

O Santos encara quarta-feira, também na Vila Belmiro, o América-MEX, pela partida de ida das oitavas de final da Libertadores.

Já a Ponte Preta vai esperar pelo início da Série B do Campeonato Brasileiro. A primeira derrota da equipe campineira para um clube grande no Estadual resultou logo na eliminação.

A torcida santista encheu a Vila Belmiro (11.225 pagantes), e sentiu uma enorme tensão logo no início do jogo com uma oportunidade clara desperdiçada pelo Ponte aos 4 minutos. Arouca deu a bola nos pés de Renantinho, que livre na área, chutou em cima de Rafael.

A equipe campineira não atuou na retranca, mas permitia poucas chances ao Santos abusando da violência. Só no primeiro tempo foram 18 faltas cometidas pela ponte, contra apenas cinco do Santos.

Neymar sofria com as pancadas, mas apesar disso insistia nos dribles. Em um deles, saiu o primeiro gol. O jovem recebeu passe na entrada da área, cortou o marcador após ameaçar chute de direita, e de perna esquerda bateu forte no ângulo direito de Bruno.

“Foi um belo gol de esquerda, estou virando praticamente canhoto. Meu pai sempre fala: ‘escureceu, chuta forte’, lembrei e chutei”, destacou Neymar no intervalo do jogo.

A Ponte manteve a mesma proposta de jogo mesmo em desvantagem, só que não levava perigo ao adversário. Já o Santos seguia assustando, tinha espaço de sobra, e chegou a desperdiçar uma chance rara de três jogadores no campo de ataque contra dois defensores. Danilo puxou o contra-ataque, mas errou o passe para Zé Eduardo.

A torcida santista gostou do que viu no primeiro tempo, aplaudiu o time no intervalo do jogo, mas certamente não esperava pela ousadia da Ponte no segundo tempo.

Mesmo sem alterações, a Ponte voltou a campo mais determinada, e corajosa ofensivamente. Volantes e alas apoiavam constantemente, mas o time não conseguia finalizar com perigo.

O momento de maior drama para os santistas aconteceu aos 22 minutos. Foi quando Léo dividiu a bola com Guilherme e caiu no gramado pedindo atendimento médico. O jogador, com suspeita de torção no joelho, teve que ser substituído por Alex Sandro.

A Ponte Preta seguia com poucas chances de gol, e a melhor delas foi o chute na trave de Rômulo no trecho final do jogo. A derrota nas quartas de final do Paulista em jogo único em dolorosa. Ela significa a eliminação.