Data: 28/05/2011 – 18h30
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 6.222 pagantes (8.662 presentes).
Renda: R$ 143.110,00.
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa/PR).
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa/PR) e Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA).
Cartões amarelos: Thiago Galhardo (B); Alex Sandro, Bruno Rodrigo, Vinícius (S).
Gols: Fábio Ferreira (36-1).

BOTAFOGO
Jefferson, Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Lucas Zen, Marcelo Mattos, Everton (Cidinho) e Maicosuel; Elkeson (Thiago Galhardo) e Alex (Caio).
Técnico: Caio Júnior.

SANTOS
Aranha, Bruno Aguiar, Vinícius e Bruno Rodrigo; Pará, Possebon, Charles (Roger Gaúcho), Alan Patrick (Rychely) e Alex Sandro; Tiago Alves (Maikon Leite) e Keirrison.
Técnico: Muricy Ramalho.



Botafogo vence reservas do Santos e acaba com invencibilidade de Muricy

O Botafogo somou os primeiros três pontos no Campeonato Brasileiro. Após a derrota para o Palmeiras na estreia, o time de Caio Júnior mostrou razoável evolução e venceu os reservas do Santos por 1 a 0, neste sábado, no Engenhão, em partida válida pela 2ª rodada da competição. Fábio Ferreira marcou o gol do jogo, que findou a invencibilidade do técnico Muricy Ramalho no comando santista.

O resultado deixou o time carioca na 10ª posição. Na próxima rodada, o desafio será contra o Ceará, em Fortaleza. Já o Santos, que escalou os reservas preocupado com a semifinal da Taça Libertadores, contra o Cerro Porteño, na próxima quarta-feira, ocupa a 12ª posição, com um ponto conquistado, e pega o Avaí, na Vila Belmiro, na sequência do Brasileirão.

Jogando em casa, o Botafogo iniciou a partida tentando comandar as ações. Capitaneado por Maicosuel, o time do técnico Caio Júnior tinha como principal chegada ao ataque as jogadas pelo lado esquerdo. Desde o começo a movimentação era intensa pelo setor, mas sem efetividade. Elkson, estreante da noite, tentava auxiliar se movimentando constantemente no ataque. Mas quem acabou levando perigo primeiro foi o Santos. Alan Patrick e Bruno Aguiar tiveram boas oportunidades aos 16 minutos do 1º tempo.

Aos poucos, o Botafogo ia se acertando, mas dava mostras de ressentir-se da ausência de um centroavante para prender um pouco mais a bola na frente. No Santos, o problema envolvia a falta de um jogador para pensar o jogo e criar oportunidades em sequência. Com seus respectivos problemas, as duas equipes procuravam chegar ao ataque da melhor forma.

Aos 36, o Botafogo acabou abrindo o placar após cobrança de escanteio de Éverton. O zagueiro Antônio Carlos cabeceou na primeira trave e a bola sobrou para Fábio Ferreira bater no canto direito e marcar. O gol não alterou radicalmente a rotina das equipes, que permaneceram cada qual com as suas dificuldades e procurando ameaçar o adversário através do talento dos seus principais jogadores.

A segunda etapa começou morna, mas com o Santos buscando o empate. Mesmo desentrosado, o time da Vila Belmiro procurava chegar através de passes rápidos na intermediária. Fechado, o Botafogo neutralizava as investidas.

O lateral-esquerdo Cortês continuou como a prinipal opção do Botafogo nos últimos 45 minutos. Através dele, foram criadas as poucas, porém, melhores oportunidadesdo time carioca. Apesar do esforço, o time não conseguiu ampliar e o Santos tampouco empatar. Agora, o técnico Caio Júnior ganha tranquilidade para trabalhar, enquanto Muricy Ramalho volta todas às atenções para a semifinal da Taça Libertadores.