Santos 2 x 3 Independiente

Data: 15/07/1964
Competição: Copa Libertadores – Semifinal – Jogo de ida
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 23.916
Renda: Cr$ 24.827.539,00
Árbitro: Arthur Holland (ING)
Auxiliares: Cabrera e La Rosa (PAR).
Gols: Pepe (23-1, de falta), Rossi (34-1), Rodriguez (39-1), Bernao (44-1); Suarez (44-2).

SANTOS
Gilmar; Lima; Modesto e Geraldino; Zito e Haroldo; Noriva, Peixinho, Almir, Rossi e Pepe.
Técnico: Lula.

INDEPENDIENTE
Torriani; Ferreiro, Guzman e Rolán; Maldonado e Acevedo (Mori, 38-1), Bernao, Mura, Suarez, Rodriguez e Savoy.



Santos perde primeira do Independiente pela Taça

Com formação improvisada e com Zito completamente ausente da partida, devido à falta de forma fisica, o Santos não pode evitar a derrota diante do Independiente pela Taça Libertadores, terá que vencer o segundo jogo em Buenos Aires por uma contagem que supere a diferença e tentos registrada.

Primeiro Tempo
Os primeiros cinco minutos de jogo foram totamente do Santos, que com grande entusiasmo pressionou seguidamente a meta argentina. O Independiente foi conseguindo equilibrar mas o Santos sempre esteve mais feliz no ataque. Aos 23 minutos Pepe cobrou falta com a costumeira violência e abriu a contagem. Após o tento os argentinos replicaram com vigor e empenharam por várias vezes o arquiro Gilmar, que teve até que contar com muita sorte para evitar a marcação de gols. Todavia foi o Santos quem voltou a marcar em jogada de boa feitura aos 34′: ROssi passou a Peixinho, este devolveu num passe “com açúcar” e a bola foi as redes argentinas pela segunda vez.

Com 2 a 0 no marcador, o Santos sentiu-se mais seguro e a pouca preocupação que passou a demonstrar custou-lhe caro: cinco minutos depois os argentinos diminuiram a contagem, quando Rodriguez cabeceou com firmeza uma bola cruzada or Savoy. Os santistas sentiram o impacto dsse tento e começaram a falhar. Assim, ao faltar apenas meio minuto para terminar a etapa, Bernao, fechando pela direita, atirou para empatar.

Segundo Tempo
O segundo tempo foi do Independiente. O Santos voltou disposto a desfazer o empate, mas com a igualdade no marcador já era considerada como um grande resultado pelos argentinos, estes não se impressionaram com o ímpeto inicial dos santistas e foram controlando a partida e dominando paulatinamente as ações.

À altura dos 30′ os argentinos estavam mais próximos do terceiro tento que os brasileiros. Todavia, nos últimos 15 minutos, o Santos, já desesperado com a igualdade, partiu desordenadamente em busca de mais um gol. Houve duas boas possibilidadees para tanto, mas quem acabou marcando foi o Independiente, que a meio minuto do final venceu a partida: Suarez recebeu um lançamento de Savoy e fez o terceiro gol.