Independiente 2 x 1 Santos

Data: 22/07/1964
Competição: Copa Libertadores – Semifinal – Jogo de volta
Local: Estádio de Avellaneda, em Buenos Aires, Argentina.
Público: 70.000
Renda: Cr$ 120.000.000,00
Árbitro: Arthur Holland (ING).
Cartões vermelhos: Guzmán (I) e Toninho (S).
Gols: Mori (36-1) e Toninho (38-1); Rodríguez (23-2).

INDEPENDIENTE
Toriani; Ferreiro, Guzmán e Rolan; Maldonado e Mori (Acevedo, 40-1); Raul Bernao, Mura, Suárez, Rodriguez e Savoy.
Técnico:

SANTOS
Gilmar; Ismael, Modesto e Dalmo; Zito e Haroldo; Peixinho, Lima, Toninho, Almir e Pepe.
Técnico: Lula

Ocorrências: Aos 38-2 Guzman e Toninho foram expulsos, o zagueiro argentino agrediu o centroavante brasileiro que, por sua vez, revidou.



Santos perde outra vez e Independiente está na final

O Santos foi eliminado da Taça Libertadores pelo campeão argentino, o Independiente, que o derrotou pela contagem de 2 a 1.

O Santos iniciou muito bem a partida e até os 10′ prevaleceu em campo, chegando a dominar o adversário, tendo duas oportunidades de abrir o marcador. Em seguida o Independiente firmou-se e passou a manobrar melhor, impondo pequena superioridade.

O primeiro período terminou empatado por um gol, cabendo aos locais, por intermédio de Mori aos 36′ inaugurar o marcador. Decorridos apenas dois minutos, Toninho empatou logo na saída.

No segundo período foi mais patente a vantagem dos locais, o que deu a oportunidade a Gilmar a transformar-se no grande homem do espetáculo, ao impedir que se estabelecesse novo placar.

Aos 23′ do segundo tempo, Rodriguez encerrou assinalando 2 a 1, resultado que garantiu ao Independiente o direito de enfrentar o vencedor do prelio entre o Nacional e Colo-Colo, campeões do Uruguai e do Chile, respectivamente.

Após o gol de Rodriguez, o Independiente tratou de defender a pequena vantagem recorrendo inclusive a “cera”, além de paralisar constantemente o jogo. Mas a vitória dos argentinos foi justa e merecida, premiando a melhor equipe em campo.