Santos 2 x 0 Real Madrid

Data: 20/06/1996, quinta-feira, 18h30.
Competição: Amistoso
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.120 pagantes
Renda: R$ 22.485,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói
Gols: Camanducaia (49-1) e Jamelli (46-2, de pênalti).

SANTOS
Edinho; Claudio, Sandro, Narciso, Marcos Adriano; Gallo (Cerezo), Baiano (Marcos Paulo), Robert (Marcelo Passos) e Jamelli; Macedo (Camanducaia) e Giovanni (Batista).
Técnico: José Teixeira

REAL MADRID
Contreras; Chendo, Sanz, Vaqueriza e Lasa (Molina); Quique, Fernando Redondo (Guti, depois Rincón), Martine (Gomez) e Milla; Ivan Perez e Zamorano (Jaime).
Técnico: Fábio Capello


Jogo de despedida do meia Giovanni, vendido ao Barcelona da Espanha por US$ 7.7 milhões, o maior valor pago por um jogador na história do futebol brasileiro.



Giovanni dá adeus hoje ao Santos ( Em 20/06/1996 )

O meia Giovanni se despede hoje da torcida santista em um amistoso, a partir das 18h30, contra o Real Madrid (Espanha), no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Na chegada ontem cedo do meia ofensivo ao Aeroporto Internacional de Cumbica (Guarulhos), foi o empresário Juan Figger, responsável pela venda do passe do jogador ao Barcelona por US$ 7,8 milhões, quem melhor definiu a negociação.

“Foi a maior transação envolvendo um jogador sul-americano. Superou a venda de Maradona que, na época, custou US$ 4,5 milhões”, disse Figger.

Giovanni assinou contrato por cinco temporadas e receberá salário anual de US$ 1 milhão, livre de imposto de renda.

“A conversação com os dirigentes do Barcelona foi cansativa, mas dentro do esperado. O Barcelona fez todos os esforços”, disse Giovanni. “Assinei por cinco anos e eles ainda terão a prioridade de renovação. Caso não demonstrem interesse, recebo o passe livre”, disse.

Amigos

Em Santos, ao passar em frente ao Centro de Treinamento do Santos, Giovanni parou o carro e foi rever os amigos. “Não posso esquecer deste grupo. Passei uma fase maravilhosa na Vila Belmiro”, confessou.

O jogador se colocou à disposição do técnico José Teixeira para a partida contra o Real Madrid.

“Os dirigentes do meu novo clube não colocaram nenhum empecilho na minha participação nesse amistoso. Estou à disposição do professor Teixeira”, disse.

Giovanni se mostrou empolgado com a receptividade que encontrou em Barcelona. “Deu para sentir o fanatismo do espanhol pelo futebol. Isso é muito bom, motiva qualquer jogador”, disse.

O ex-craque do Santos declarou que sempre teve “o sonho de jogar em um grande clube europeu”. Ele espera repetir no Barcelona o futebol refinado que empolgou o técnico Bobby Robson, do Barcelona, que sugeriu a sua contratação.

“Confio no meu futebol e na força do Barcelona, mas só o tempo dirá se eu serei bem-sucedido”, disse Giovanni.

Mudança

O jogador viaja entre os dias 18 e 20 de julho para a cidade espanhola, onde tratará pessoalmente da mudança da sua família. No dia 25, se apresenta no estádio Nou Camp ao técnico Bobby Robson para início dos treinamentos.

Além de Giovanni, o Barcelona contratou para a próxima temporada o francês Blanc e os espanhóis Luiz Enrique e Pizzi.

Dirigente não revela valor da transação

O presidente do Santos, Samir Abdul-Hak, não quis divulgar o valor oficial da transação do passe de Giovanni com o Barcelona em entrevista coletiva que concedeu ontem à tarde na Vila Belmiro.

Disse apenas que “foi a maior transação já feita por um clube brasileiro”.

O procurador de Giovanni, José Martins, que disse ter visto o contrato firmado entre o Santos e o Barcelona, afirmou que o clube paulista recebeu US$ 7,8 milhões.

Segundo ele, o Barcelona pagará US$ 5 milhões até o final de julho, US$ 1 milhão em novembro ou dezembro e a última parcela, US$ de 1,8 milhão, em fevereiro de 97.

Martins disse que o Santos vai pagar US$ 200 mil a Giovanni como parte dos 10% a que ele tem direito. Os US$ 600 mil restantes ficam por conta do Barcelona.