Fluminense 1 x 1 Santos

Data: 26/09/2019, terça-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 11.032 pagantes
Renda: R$ 141.015,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaoli (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Guilherme Dias Camilo (MG).
VAR: Andre Luiz de Ferreira Castro (GO)
Cartões amarelos: Yuri Lima e Allan (F); Alison, Diego Pituca e Marinho (S).
Cartão vermelho: Digão (F, 26-2), Frazan (F, 47-2) e Marinho (S, 53-2).
Gols: Soteldo (39-1) e Lucas Veríssimo (47-1, contra).

FLUMINENSE
Muriel; Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri Lima, Allan, Ganso (Daniel) e Nenê (Frazan); Yony (Wellington Nem) e João Pedro.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Victor Ferraz) e Gustavo Henrique; Derlis González (Carlos Sánchez), Alison, Diego Pituca e Felipe Jonatan; Eduardo Sasha, Soteldo e Uribe (Marinho).
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos fica com dois a mais no fim, mas só empata com o Fluminense em noite de briga de Oswaldo com Ganso

Fluminense e Santos empataram em 1 a 1 na noite desta quinta-feira, no Maracanã, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Soteldo e Lucas Veríssimo (contra).

O Peixe teve um a mais na segunda metade da etapa final, após a expulsão de Digão, mas não conseguiu desempatar. A noite também contou com discussão áspera entre Oswaldo de Oliveira e Paulo Henrique Ganso. Substituído, o meia chamou o técnico de burro. A resposta foi “vagabundo”. A torcida ficou com o jogador e pediu a saída do treinador.

Com o empate em casa, o Fluminense sai da zona de rebaixamento e é o 16ª, com 19 pontos. O Santos segue em terceiro, com 38, a sete do Palmeiras e a 10 do Flamengo, cada vez mais longe da briga pelo título.

O jogo:

O Santos foi melhor durante a maior parte do primeiro tempo. O Peixe ficou perto de abrir o placar aos 10 minutos, quando Derlis González recebeu de Eduardo Sasha, não viu Uribe sozinho e finalizou em cima de Muriel. Aos 13, Felipe Jonatan invadiu a área, ganhou de Digão e também parou no goleiro do Fluminense.

Após a pressão inicial do Alvinegro, o Tricolor equilibrou as ações e assustou quando o placar marcava 25: Ganso viu Gilberto sozinho e o lateral-direito chutou torto.

E quando tudo parecia caminhar para o empate sem gols no intervalo, Soteldo apareceu. O camisa 10 recebeu pela esquerda, passou por Nino e Gilberto e deslocou Muriel. Um golaço no Maracanã.

O Fluminense sentiu o gol, a torcida passou a protestar e, mesmo assim, os donos da casa empataram. E num acaso. Derlis foi fominha no ataque, puxou o contra-ataque do rival e Nenê cruzou. Lucas Veríssimo cabeceou para trás e balançou as redes de Everson.

A etapa final começou morna e só teve emoção aos 17 minutos – e fora de campo. Ganso foi substituído para a entrada de Daniel e discutiu feio com Oswaldo de Oliveira. O meia chamou o técnico de “burro”. A resposta veio com “vagabundo”.

Aos 19, a primeira chance do Fluminense. Allan arriscou de longe e Everson espalmou para escanteio. E no minuto 26, uma boa notícia para o Santos: Digão deu um chute em Marinho e foi expulso após checagem no VAR.

O Peixe se lançou ao ataque e quase desempatou aos 33: Felipe Jonatan dribla Frazan e para novamente em Muriel, dessa vez com cavadinha na pequena área.

Aos 43, em escapada de Allan, o Tricolor quase virou. No minuto seguinte, Sasha recebeu passe de Sánchez e, livre, bateu por cima. Ainda deu tempo de Veríssimo cabecear para fora aos 46 e Frazan ser expulso aos 47. Marinho recebeu o segundo amarelo no último lance. No fim das contas, porém, o empate no Maracanã persistiu.

Auxiliar de Sampaoli vê ‘posição boa’ do Santos: “Felizes por entregar tudo”

O auxiliar Jorge Desio, responsável por dirigir o Santos contra o Fluminense por causa da suspensão de Jorge Sampaoli, minimizou o empate no Maracanã na noite desta quinta-feira, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe venceu uma vez nos últimos oito compromissos, é terceiro colocado e está a 10 pontos do Flamengo. O argentino, porém, nega abatimento do elenco.

“Quando íamos primeiro não pensávamos no título, também não pensamos agora. É dia a dia e pensar no próximo rival. Estamos em terceiro, posição relativamente boa, mas temos que melhorar. E fizemos coisas boas que temos que voltar a fazer”, disse Jorge Desio.

“Não há crise. Quando termina o jogo sempre estamos felizes por entregar tudo na parte anímica, física. E depois temos sempre o que corrigir, até na vitória. Equipe está em posição boa, há coisa a melhorar e isso já ocorria quando éramos os primeiros”, completou o auxiliar.

Desio vê a necessidade de equilibrar a ânsia pelo resultado sem perder a organização tática. O auxiliar, porém, vê lado positivo nesse “amor próprio”.

“O resumo é esse. Santos começa bem e depois se desorganiza um pouco. Santos não ganha há alguns jogos, com ansiedade e um pouco de vontade em buscar o resultado, e acabamos um pouco desorganizados. Desorganização é fruto da busca pelo resultado positivo. Função é equilibrar isso. Temos ansiedade e amor próprio para buscar o resultado”, concluiu.

Gustavo Henrique vê falta de frieza e diz que má fase do Santos é “inexplicável”

Capitão do Santos, Gustavo Henrique não encontrou explicações para o empate do Santos em 1 a 1 com o Fluminense, no Maracanã, e a manutenção da má fase do Peixe no Campeonato Brasileiro: uma vitória nos últimos oito jogos.

O Alvinegro segue na terceira colocação, mas agora está a 10 pontos do Flamengo e cada vez mais distante da briga pelo título.

“É inexplicável. Não é o que queremos. Nos cobramos muito para voltar a ser o time das sete vitórias seguidas. Vamos continuar lutando. Explicação no futebol é complicado. Vamos até o final com a filosofia do nosso treinador”, disse Gustavo, ao Premiere.

“Difícil falar porque não entramos em campo para perder ou empatar. Desde a chegada do Sampaoli implantamos a filosofia dele. Tentamos fazer o máximo. Hoje faltou mais frieza para fazer o gol e trabalhar a bola. Soteldo estava bem e direto livre no um contra um, mas forçamos muito”, completou.


Santos 0 x 3 Grêmio

Data: 21/09/2019, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 20ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.898 pagantes
Renda: R$ 476.877,00
Árbitro: Paulo Roberto Alves Jr (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (PR)
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Jorge Sampaoli e Soteldo (S); Diego Tardelli, Michel e Everton (G).
Gols: Luan (09-2), Pepê (41-2) e Everton Cebolinha (47-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Felipe Jonatan) e Jorge; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez (Venuto); Marinho (Uribe), Eduardo Sasha e Soteldo.
Técnico: Jorge Sampaoli

GRÊMIO
Paulo Victor; Galhardo, David Braz, Kannemann e Cortez (Juninho Capixaba); Matheus Henrique, Michel e Luan (Pepê); Alisson, Everton e Diego Tardelli (Thaciano).
Técnico: Renato Gaúcho



Santos é amassado pelo Grêmio no 2º tempo e se distancia da liderança

O Santos perdeu por 3 a 0 para o Grêmio na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gols do Tricolor foram marcados por Luan, Pepê e Everton, todos no segundo tempo.

Esse foi o terceiro tropeço consecutivo do Peixe na sua casa, agora mais longe da liderança – ainda em terceiro, mas a dois do Palmeiras (pode ficar a cinco) e com distância de oito para o Flamengo. O Alvinegro empatou com Fortaleza e Athletico-PR e perdeu para os gaúchos.

O Grêmio venceu Cruzeiro, Goiás e Santos e já é o sétimo, com 31, perto da zona de classificação para a Libertadores da América. O Tricolor enfrentará o Flamengo pela semifinal da atual edição da competição continental.

O jogo:

Santos e Grêmio, de estilo ofensivo e busca incessante pelo gol, se anularam no primeiro tempo na Vila Belmiro. A partida ficou concentrada no meio-campo na maior parte do tempo e poucas oportunidades foram criadas.

As melhores do Peixe ocorreram aos 15 minutos, quando Diego Pituca chutou de fora da área, Paulo Victor espalmou e Soteldo teve nova oportunidade no rebote, para outra boa defesa do goleiro gremista.

O Tricolor ficou perto de abrir o placar aos 47, quando a bola sobrou para Michel após bate-rebate, mas Victor Ferraz travou na hora H e Everson defendeu com segurança.

O Grêmio adiantou as linhas para a etapa final e passou a oferecer mais perigo ao gol de Everson. E o gol dos visitantes não demorou a sair.

Marinho fez falta boba na defesa, Galhardo não bateu bem, mas a bola sobrou limpa para Luan bater de primeira e abrir o placar na Vila Belmiro, aos nove minutos.

Atrás no placar, o Santos se lançou ao ataque e, mais uma vez, teve mais vontade que organização ou criatividade. O Peixe não assustou Paulo Victor de forma efetiva uma vez sequer. Enquanto isso, o Grêmio teve diversos contra-ataques e demorou a matar o jogo.

A pá de cal dos visitantes veio aos 41, quando Pepê disparou sozinho, Everton se enrolou e conseguiu devolver para o companheiro ampliar. Ainda deu tempo para Cebolinha fazer o terceiro aos 47. Terceiro tropeço consecutivo do Santos na Vila Belmiro, enquanto o Tricolor venceu a terceira seguida.

Torcida do Santos protesta após derrota na Vila; Sampaoli minimiza

Parte da torcida protestou na arquibancada e também na porta da vestiário do Santos na noite deste sábado, após a derrota por 3 a 0 para o Grêmio, na Vila Belmiro.

Os torcedores pediram garra e honra e se disseram cansados de “time amarelão”. Não houve qualquer relato de violência ou depredação no estádio.

Em entrevista coletiva, o técnico Jorge Sampaoli minimizou o ocorrido e disse que o Peixe precisa voltar a vencer para ter o torcedor do lado.

“A torcida normalmente está a favor na vitória e contra na derrota. Temos que sair deste momento que não ganhamos e tratar de que voltem a gritar nosso nome. É sempre assim. Há muita pressão ao perdedor e descrédito a muitos. Isso gera incerteza a quem protagoniza. Não estou dando desculpa, é o ambiente que vivemos. Uma bola parada mudou um pouco a história e ficamos expostos, isso nos prejudicou. Que possamos ganhar no próximo jogo”, disse Sampaoli.

Victor Ferraz pede mudança de postura no Santos: “Da forma que está não dá”

O capitão Victor Ferraz pediu mudança de postura no Santos após a derrota por 3 a 0 para o Grêmio neste sábado, na Vila Belmiro, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe segue na terceira colocação, mas pode ficar a cinco do Palmeiras, que enfrenta o Fortaleza no domingo, e tem oito de distância para o Flamengo.

“A gente fez um primeiro tempo bom, jogando de igual para igual, podendo abrir o placar. No segundo tempo fomos ansiosos, querendo fazer o gol de qualquer maneira. A maioria dos gols deles foi de contra-ataque. Temos de jogar bem o tempo inteiro para voltar a pontuar e tentar encostar nos líderes de novo”, disse Ferraz, ao Premiere.

“A gente precisa melhorar muito, precisa voltar a ser o time que um dia já foi nesse campeonato. Da forma que está não dá. A gente precisa de mudança, principalmente na postura”, completou.

Sampaoli diz que Santos o emocionou no 1º tempo de derrota: “Muito superior”

O técnico Jorge Sampaoli diz que ficou emocionado com o domínio do Santos no primeiro tempo da derrota por 3 a 0 para o Grêmio neste sábado, na Vila Belmiro, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe criou chances, mas não aproveitou. Na segunda etapa, sofreu três gols e não conseguiu reagir.

“Grêmio está na semifinal da Libertadores e fomos para cima. Quando ganhamos em Porto Alegre (no primeiro turno) não tivemos o volume de jogo. E ganhamos. E sofremos. É difícil explicar o futebol às vezes, é aproveitar o momento. Aproveitar as chances. Tivemos 40 minutos de domínio incessante, atacando por todos os lados, e poderíamos ter feito gol para complicar o plano do rival. E eles fazem gol numa bola parada estranha (no primeiro gol). Temos que assumir essa realidade que nos toca viver no futebol. E eu, como parte principal da derrota, tenho que aceitar. E disse aos jogadores que no primeiro tempo eles me emocionaram pela quantidade de situações criadas contra equipe muito forte, que pode jogar final da Libertadores. Mas é gol, é o resultado, difícil que se crie análise do desenvolvimento, porque se analisa ganhar ou perder. A imagem final deteriora qualquer coisa, tomara que não deteriore a gente e que continuemos mantendo nossa ideia, que é o que nos faz brigar em cima”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Com mais um tropeço na Vila, o Alvinegro fica a oito pontos do Flamengo e pode terminar a rodada a cinco do Palmeiras, que enfrenta o Fortaleza neste domingo. Sampaoli minimizou a briga pelo título.

“Trabalharemos para ganhar o próximo jogo. Nem estando líder eu imaginava não pensar no próximo jogo. O próximo é o mais importante e assim sucessivamente. Hoje somos ruins, depois somos muito bons. E futebol é parte da vida e sociedade”, concluiu.

Renato Gaúcho diz que deu nó tático no Santos na Vila

O Grêmio de Renato Gaúcho deu mais uma prova de sua força e talento. Na Vila Belmiro, impôs a primeira derrota do Santos na Vila Belmiro desde que Jorge Sampaoli chegou ao Brasil. E com um placar incontestável: 3 a 0. Desta forma, o comandante gremista voltou a reforçar a teoria de que sua equipe tem o melhor futebol do Brasil.

“Mais uma vez, para mim não é surpresa. Quando falo que é o melhor futebol do Brasil, as pessoas dizem que estou menosprezando. Não escolhemos adversário, nem local”, disse Renato Gaúcho, que fez questão de dar uma resposta por um possível “nó tático” recebido na derrota para o Santos em Porto Alegre na primeira rodada do Brasileirão. “Muita gente disse que houve nó tático em Porto Alegre, posso dizer que nó tático foi hoje”, emendou.

Para Renato Gaúcho, a superioridade gremista foi incontestável e poderia ter sido maior no placar. “Se o Grêmio levasse mais a sério, poderíamos ter aumentado o placar”, avisou.

O show na Vila Belmiro foi possível porque os jogadores do Grêmio cumpriram as exigências de Renato Gaúcho principalmente no segundo tempo. No intervalo, o treinador pediu para o time aumentar o ritmo e pressionar o adversário.

“Não começamos muito bem a partida, nosso goleiro fez boa defesas e depois nos encontramos. No segundo tempo começamos a jogar, a valorizar a bola, construir situações de gols e jogar da forma que estamos acostumados”, disse.

Santos tem a pior sequência na Vila desde transição entre Jair e Cuca

Santos tem, atualmente, a pior sequência na Vila Belmiro desde a saída do técnico Jair Ventura, anunciada em julho de 2018.

Na última partida de Jair na Vila, o Peixe perdeu para o Internacional. Com Serginho Chulapa como interino, o Alvinegro empatou com o Flamengo e foi derrotado para o América-MG, pelo Campeonato Brasileiro. Na estreia de Cuca, o Santos viu o Cruzeiro vencer por 1 a 0, pela Copa do Brasil. O estádio só voltou a ser palco de uma vitória diante do Sport, em agosto.

O Santos de Jorge Sampaoli não vence há três jogos na Vila Belmiro – empate com Fortaleza e Athletico-PR e derrota para o Grêmio. O revés do último sábado, inclusive, acabou com invencibilidade de mais de um ano. A última derrota na Baixada Santista foi justamente para o Cruzeiro.

Ainda na terceira colocação do Brasileirão, mas agora a oito pontos do Flamengo, o Peixe enfrentará o Fluminense, quinta-feira, no Maracanã, e voltará a jogar na Vila contra o CSA, no próximo domingo (29).

O Alvinegro deve atuar na Vila Belmiro também diante do Palmeiras, em 9 de outubro, pela rodada 24 da competição. O presidente José Carlos Peres pretende mudar o mando para o Pacaembu na partida contra o Ceará, dia 16.

Sampaoli recebe 3º cartão e “desfalca” o Santos contra o Fluminense

O técnico Jorge Sampaoli não estará na área técnica do Maracanã para a partida entre Fluminense e Santos na próxima quinta-feira, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador recebeu o terceiro cartão amarelo neste sábado, na derrota por 3 a 0 para o Grêmio na Vila Belmiro, mais uma vez por reclamação.

“Fui explicar que reclamei dos nossos jogadores, não do árbitro. Árbitro picou o jogo e isso irritou a todos. Ficarei fora e o mais importante é trabalharmos a partir de amanhã (domingo), levantemos nossa moral e que continuemos convictos sobre o caminho e nosso estilo. Temos que seguir na crença independentemente do resultado. Abandonando a crença o destino termina”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O Peixe será comandado pelo auxiliar Jorge Desio no Maracanã. Isso ocorreu outras duas vezes na temporada – diante do Atlético-MG, em empate pela Copa do Brasil, e na goleada sobre o Goiás, já no Brasileirão.


Flamengo 1 x 0 Santos

Data: 14/09/2019, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1º turno – 19ª rodada – (última)
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 62.510 pagantes (68.243 total)
Renda: R$ 3.328.050,95
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil e Henrique Neu Ribeiro (ambos de SC).
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo, Marinho, Jorge Sampaoli, Cueva e Soteldo (S); Gabriel, Bruno Henrique e Jorge Jesus (F).
Gol: Gabriel (43-1).

FLAMENGO
Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luis (Renê); Willian Arão, Gerson, Éverton Ribeiro e Arrascaeta (Berrio); Bruno Henrique e Gabriel.
Técnico: Jorge Jesus

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Lucas Peres (Uribe) e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Alison, Carlos Sánchez (Felipe Jonatan) e Jorge; Marinho, Eduardo Sasha (Cueva) e Soteldo.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos sofre com Gabigol e Flamengo disparara na ponta do Brasileirão

Gabriel Barbosa ganhou o apelido de Gabigol ainda nas categorias de base do Santos. Na tarde/noite desse sábado, o atacante colocou toda sua categoria em prática para reforçar a fama de matador justamente contra o clube que o criou para o futebol.

Com uma batida cavada, de fora da área, a la Ronaldo Fenômeno contra o mesmo Santos, o artilheiro do Campeonato Brasileiro encobriu Everson, chegou a 16 gols na competição – 30 no ano – e garantiu a vitória do Flamengo por 1 a 0 frente a 68.243 pessoas no estádio do Maracanã.

O triunfo também deu ao Rubro-Negro o título simbólico do primeiro turno. Com 42 pontos, os cariocas deixaram o Santos para trás, agora estacionados com 37 pontos depois de 19 rodadas e com a segunda colocação a perigo.

No próximo sábado, o líder do Brasileirão visita o Cruzeiro, no Mineirão, às 17h (de Brasília), enquanto os santistas recebem o Grêmio na Vila Belmiro no mesmo dia, mas às 21 horas.

O triunfo flamenguista nesse sábado saiu de um confronto marcado pelo equilíbrio. A etapa inicial teve os donos da casa com mais posse de bola, mas os visitantes com contra-ataques perigosos. Em oportunidades claras de gol, porém, os dois ficaram devendo.

O intervalo se aproximava quando Sasha deu a bola de presente para Éverton Ribeiro ainda no meio de campo. O meia rapidamente ligou Gabriel na ponta direita. Sem muita companhia e com Gustavo Henrique na marcação, o camisa 9 limpou para a canhota e bateu por cima de Everson, que estava adiantado no lance. Caprichosamente, a bola ainda tocou o travessão antes de balançar as redes.

“É uma vergonha tomar um gol desse. A gente tem que ter mais atenção no jogo”, cobrou o lateral Jorge, logo após acusar seu xará, técnico do Flamengo de lhe ter dado tapas no rosto. O princípio de confusão foi resolvido na sequência, com Jorge Jesus se desculpando e explicando que não teve má intenção.

Com os ânimos quentes, mas sem exageros dessa vez, o segundo tempo teve cartões para os dois técnicos gringos, muitas substituições, mas pouco a se falar sobre lances de gol. Uma jogada de futsal de Bruno Henrique em cima de Victor Ferraz e que acabou com a defesa de Everson foi o máximo que se viu de brilho nesse sentido.

O último apito do árbitro surgiu para pôr fim ao jogo e dar de vez a liberação para uma enorme festa dos flamenguistas, tanto dentro quanto fora de campo. O Santos, restou lamentação pelo resultado negativo em uma das ‘finais’ do Campeonato Brasileiro.

Everson atribui gol por cobertura a estilo de jogo do Santos

Everson levou um dos gols mais bonitos do Campeonato Brasileiro nesse sábado. Adiantado, o goleiro do Santos foi surpreendido por Gabigol, que de fora da área encobriu o arqueiro e, assim, deu a vitória ao Flamengo no Maracanã.

Famoso pela capacidade em jogar com os pés, Everson reconheceu que poderia defender o arremate, caso estivesse posicionado sem se preocupar em ter de sair.

“Se eu tivesse debaixo do gol, com certeza seria defensável, mas temos um estilo de jogo. Eu tenho que jogar adiantado pelo nosso estilo de jogo, tinha um jogador deles fazendo o facão e que poderia receber (a bola), mas se eu tivesse debaixo do gol seria defensável, sim. Mas mérito do Gabigol”, disse, ao Premiere, na saída do campo.

“Agora é colocar as coisas no lugar, sabíamos que seria difícil aqui, tomamos um gol no detalhe, viemos de dois empates na Vila, sabemos que somos fortes na Vila, nada melhor que descansar e voltar à Vila contra o Grêmio para retomar as vitórias”, concluiu, já projetando a próxima rodada do Campeonato Brasileiro.

Jorge Sampaoli aprova atitude do Santos em derrota para o Flamengo

O técnico do Santos concedeu uma tranquila entrevista coletiva após perder para o Flamengo em um confronto direto na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. A postura do treinador argentino teve total relação com o que a equipe alvinegra apresentou no Maracanã, apesar da derrota.

“Enfrentamos um rival com muita moral, fora de casa. Não nos apequenamos, não tivemos medo, tentamos jogar. Competimos de maneira intensa. A forma que a equipe se portou me deixa tranquilo. Existem formas de perder, mas a de hoje não me preocupa. Santos perdeu o jogo, mas não perdeu sua identidade”, analisou, reforçando a tese de que o Peixe não teve um resultado melhor no Rio de Janeiro por causa do poder de decisão individual.

“Diante da igualdade que se deu hoje, apareceu um jogador que fez um gol que ninguém esperava. Foi muito equilibrado. Existem individualidades que resolvem, não tínhamos muito o que fazer. Nosso time foi valente, não teve medo. Fizemos o que correspondia. Faltou mais pensar na última jogada para tentar um resultado melhor. Viemos buscar a ponta do campeonato e não conseguimos. Foi um jogo igual contra uma equipe que vive um grande momento”, concluiu.

Capitão do Santos já projeta reencontro com Flamengo: “Na Vila o bicho pega”

O Santos saiu de campo derrota pelo Flamengo nesse sábado. O revés causou um distanciamento da liderança justamente na última rodada do primeiro turno. Ainda assim, o capitão santista, Victor Ferraz, preferiu enxergar o lado positivo que o confronto direto apresentou para os paulistas no Maracanã.

“Foi um grande jogo. Eles jogaram muito bem, estão confiantes, com ritmo forte. A gente veio com a proposta de atacar bastante também, pode ver que eles não tiveram muitas chances claras, foi um jogo parelho, de líderes”, analisou o lateral, ao Premiere.

“A gente sai chateado, porque queria ganhar, mas vamos melhorar. Claro que nosso objetivo era acabar (o primeiro turno) em primeiro. Deixamos alguns ‘pontos ganhos’, mas foi um grande primeiro turno e o torcedor pode ficar tranquilo, porque vamos fazer um grande segundo turno e, quem sabe, a gente não pode encontrar o Flamengo na última rodada de novo, e a gente sabe que lá na Vila o bicho pega também”, avisou.

Santos faz melhor turno no Campeonato Brasileiro desde 2016

Com a derrota para o Flamengo, o Santos não conseguiu terminar a primeira metade do Campeonato Brasileiro na liderança. No entanto, o clube ainda alcançou uma marca importante. Com 37 pontos conquistados nas 19 rodadas iniciais, este foi o melhor turno do Peixe desde o Brasileirão de 2016, vencido pelo Palmeiras.

Na ocasião, o Alvinegro Praiano somou 38 pontos no segundo turno da competição, em campanha que culminou no vice-campeonato. Em relação apenas à pontuação do primeiro turno, o desempenho do Santos é o melhor desde 2004, quando a equipe conseguiu 41 pontos. No entanto, o Brasileirão da época era composto por 24 times na primeira divisão, com 23 rodadas por turno.

Desse modo, o aproveitamento nas 19 rodadas iniciais do Campeonato Brasileiro de 2019 é o melhor do Peixe na primeira metade da competição em toda a história dos pontos corridos. Com 64,91% de eficiência, a equipe comandada por Jorge Sampaoli ultrapassou os 59,42% de 2004 e os 63,76% de 2003, quando o Alvinegro Praiano fez 44 pontos nas 23 primeiras rodadas.


Santos 1 x 1 Athletico-PR

Data: 08/09/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.569 pagantes
Renda: R$ 476.930,00
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Diego Pituca, Lucas Veríssimo e Marinho (S); Léo, Adriano, Matheus Rossetto, Lucho González, Thonny Anderson e Tiago Nunes (A).
Cartão vermelho: Pablo Fernandez (Preparador físico do Santos).
Gols: Braian Romero (41-1); Carlos Sánchez (45-2, de pênalti).

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Pará), Gustavo Henrique e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota (Venuto); Marinho, Eduardo Sasha e Uribe.
Técnico: Jorge Sampaoli

ATHLETICO-PR
Léo; Madson, Pedro Henrique, Léo Pereira e Adriano (Abner); Matheus Rossetto, Lucho González (Erick) e Everton Felipe (Tomás); Vitinho, Braian Romero e Thonny Anderson.
Técnico: Tiago Nunes



Santos tenta até o fim, mas só empata com reservas do Athletico na Vila

O Santos empatou com o time reserva do Athletico-PR por 1 a 1 na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram de Braian Romero, na etapa inicial, e Sánchez, de cavadinha em pênalti, nos acréscimos.

O Peixe sentiu as ausências de Victor Ferraz (suspenso), Evandro (machucado) e Jorge, Derlis e Soteldo (nas seleções do Brasil, Paraguai e Venezuela, respectivamente). O Furacão atuou melhor no primeiro tempo mesmo com os suplentes e contou com várias defesas de Léo na etapa final para segurar o empate.

Com o empate, o Alvinegro fica com 37, ainda em segundo, e a dois pontos do líder Flamengo (mas com desvantagem de 12 de saldo). O Athletico sobe para 26, na décima colocação.

O Santos voltará a campo para enfrentar justamente o Flamengo, no Maracanã, domingo. O Furacão tem a ida da final da Copa do Brasil contra o Internacional, quarta-feira, na Arena da Baixada, e depois recebe o Avaí, no domingo, no fechamento do turno.

O Santos acuou o Athletico-PR nos primeiros minutos. Com a linha de defesa no meio-campo, o Peixe jogava solto e parecia questão de tempo para abrir o placar. Parecia.

O Alvinegro teve grande chance aos sete minutos, quando o goleiro Léo saiu jogando errado, Marinho dominou e chutou forte, antes de Léo Pereira salvar de carrinho.

O Athletico adiantou as linhas, equilibrou a partida e passou a jogar melhor. No minuto 27, Everton Felipe buscou o ângulo e a bola passou perto. Aos 33, Everson fez duas grandes defesas em chutes de Thonny Anderson e Vitinho. Na sequência, o Santos sucumbiu.

Quando o placar marcava 41 jogados, Lucho González lançou Thonny Anderson, o atacante girou sobre Aguilar e chutou cruzado – Everson não alcançou e Braian Romero só empurrou.

Após sair atrás, o Santos buscou a reação e ficou perto com Uribe, aos 45, e Jean Mota, 47. Léo fez duas boas intervenções para salvar o Athletico.

O Santos voltou para o segundo tempo ainda desorganizado, mas disposto a reagir na base do “abafa”. Aos oito minutos, Gustavo Henrique cabeceou após escanteio e o goleiro Léo fez mais uma defesa impressionante. No minuto 10, Jean Mota cruzou e Uribe cabeceou perto da trave.

O Peixe seguiu em cima, mas continuava bem marcado pelo Athletico. O Alvinegro abusou dos cruzamentos e viu Léo continuar fazendo milagres.

Aos 32, Felipe Jonatan bateu cruzado e o goleiro espalmou. No minuto 33, Lucas Veríssimo cabeceou e Léo se esticou inteiro para defender. E quando o placar marcava 34, Uribe tentou e Léo defendeu novamente. Ainda deu tempo do colombiano, aos 34, cabecear sozinho por cima.

E no fim, a pressão funcionou. A arbitragem marcou pênalti em Marinho após acionar o VAR. Sánchez, de cavadinha, converteu aos 45. O Santos tentou a virada nos minutos finais, mas não conseguiu. Empate na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli condena “cera” do Athletico e minimiza discussão

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, reclamou da “cera” do Athletico-PR no empate em 1 a 1 neste domingo, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sampaoli valorizou o esforço do Peixe em busca da vitória até o último minuto. Sánchez empatou aos 45 minutos do segundo tempo, de pênalti.

“Buscamos desde o início ganhar contra uma equipe que tentou cortar o jogo. Só uma equipe quis jogar. Posturas defensivas são legais, mas cair ao chão mais de 50 vezes atrapalha quem busca a vitória. Recriminamos, cortaram o jogo o tempo todo. Desenvolvimento fica incômodo para quem quer protagonizar”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Jorge Sampaoli também comentou sobre a discussão com Tiago Nunes, técnico do Athletico. O auxiliar Pablo Fernández foi expulso.

“Jogo foi tenso, respeito muito o trabalho dele. Jogo foi muito cortado, responsabilidade também dos que conduzem o jogo. A partida que nos tocou foi mais grosseiro, caíram o tempo todo. Partida acabou e não fica nenhum rancor”, concluiu.

Com o empate, o Alvinegro fica com 37, ainda em segundo, e a dois pontos do líder Flamengo. O Santos voltará a campo para enfrentar justamente o Rubro-Negro, no Maracanã, domingo.

Santistas analisam empate e destacam goleiro do Athletico

Os jogadores do Santos lamentaram a grande atuação do goleiro Léo no empate em 1 a 1 com o Athletico-PR neste domingo, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Os zagueiros Lucas Veríssimo e Gustavo Henrique destacaram as chances criadas pelo Peixe e as intervenções do goleiro reserva do Furacão.

“Jogamos em cima deles, tivemos várias oportunidades. Jogamos bem, sim. Faltou capricho e a bola entrar. Goleiro deles estava em um grande dia. Mérito dele”, disse Veríssimo.

“Temos que ganhar sempre em casa, mas campeonato é difícil. Goleiro deles foi melhor em campo. Não foi falta de vontade, às vezes futebol não é como a gente quer”, avaliou o capitão Gustavo Henrique, antes de falar sobre a cera do goleiro Léo.

“Falei para o juiz que caíram toda hora. Goleiro caiu sete vezes, atrapalhou ritmo do jogo. Quem tenta ter intensidade… Fica difícil”, completou.

Sampaoli elogia estreante Venuto no Santos: “Entrou muito bem”

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, aprovou a estreia de Lucas Venuto no empate em 1 a 1 com o Athletico-PR no último domingo, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro

Após quase um mês no clube, o atacante ex-Vancouver Whitecaps, do Canadá, entrou no segundo tempo e “colocou fogo” no jogo.

“Entrou muito bem. Tivemos esperança para ele entrar num jogo muito difícil. Fez diferença pelas pontas, teve o mesmo rendimento do Marinho e brigará por um lugar. Bom termos a possibilidade de ter um extremo com tanta intensidade e drible”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Venuto ganhará mais minutos, mas deve seguir entre os reservas contra o Flamengo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, pela 19ª e última rodada do primeiro turno.

Com mais um tropeço na Vila, o Peixe agora está a dois pontos do Rubro-Negro e precisa vencer para terminar a primeira etapa da competição na dianteira.

Pituca recebe 3º amarelo e desfalca o Santos em “decisão”

Diego Pituca recebeu o terceiro cartão amarelo neste domingo, no empate do Santos com o Athletico-PR na Vila Belmiro, e não enfrentará o Flamengo, no próximo domingo, no Maracanã, pela 19ª rodada e última do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

A partida diante do Rubro-Negro será uma “decisão”. O Peixe está a dois pontos do rival na tabela e precisa vencer para reassumir a liderança e alcançar o título simbólico da primeira etapa da competição.

O técnico Jorge Sampaoli não contará com Pituca, mas, em compensação, terá Jorge, Derlis González e Soteldo de volta. O trio foi convocado para as seleções do Brasil, Paraguai e Venezuela, respectivamente.

Outros reforços devem ser Victor Ferraz e Evandro. O lateral-direito esteve suspenso e ainda teve um trauma no joelho direito. O meio-campista ficou fora por uma contratura na coxa esquerda. A dupla deve ficar à disposição no Maracanã.


Chapecoense 0 x 1 Santos

Data: 31/08/2019, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Arena Condá, em Chapecó, SC.
Público: 9.053 pagantes
Renda: R$ 236.995,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Auxiliares: Thiago Henrique Neto e Daniel do Espirito Santo Parro (ambos do RJ).
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)
Cartões amarelos: Arthur Gomes e Eduardo (C); Pituca, Everson e Soteldo (S).
Gol: Gum (38-1, contra).

CHAPECOENSE
Tiepo; Eduardo, Gum (Diego Torres), Maurício Ramos e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Campanharo, Rafael Pereira (Henrique Almeida) e Camilo (Aylon); Arthur Gomes e Everaldo.
Técnico: Emerson Cris

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Evandro (Jean Mota) e Diego Pituca; Felipe Jonatan (Carlos Sánchez), Derlis González (Alison), Soteldo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos vence graças a gol contra, volta à ponta e seca o Flamengo

O Santos não vencia há três rodadas no Campeonato Brasileiro. A seca de triunfos terminou na noite desse sábado, na Arena Condá, graças a um gol contra de Gum. O zagueiro da Chapecoense garantiu o placar de 1 a 0 para o Peixe nessa 17ª rodada.

O resultado leva o Santos aos 36 pontos e à liderança da competição. O Flamengo, que neste domingo recebe o Palmeiras, só tira os paulistas da ponta se somar três pontos no Maracanã.

A Chapecoense, por sua vez, segue sua campanha de risco. Os catarinenses estacionaram nos 14 pontos e estão na 17ª posição, dentro da zona de rebaixamento, podendo cair ainda mais na tabela até o fim da rodada.

O jogo:

Para buscar a reação na competição, Jorge Sampaoli voltou a apostar em uma escalação sem Carlos Sánchez entre os titulares. De imediato, a estratégia não deu muito certo. Eduardo, pela direita, e Arthur Gomes, que pertence ao Santos e atuou pela esquerda do ataque da Chape, atormentaram os defensores visitantes.

Nem parecia que a Chape luta para não ser rebaixada. Era um time ambicioso, inclusive com jogadas individuais abusadas. Mas, o tempo foi passando e o Peixe foi não só equilibrando como tomando o controle do jogo.

De mais emocionante até o intervalo foram dois lances, um para cada lado. Primeiro, os mandantes ficaram pedindo pênalti de Veríssimo em cima de Everaldo. O árbitro até apelou à TV, mas continuou sem enxergar falta no lance.

Quando todos imaginam um intervalo ainda zerado, uma jogada inusitada colocou o Peixe na frente do marcador. Felipe Jonatan se livrou de Eduardo e serviu Soteldo na ponta esquerda. O venezuelano cruzou e contou com Gum para sair para o abraço. Havia um impedimento no início da jogada, mas o auxiliar não parou a jogada.

O gol contra fez com que os catarinenses se lançassem ao ataque no segundo tempo. Na melhor das oportunidades de empate, Henrique tirou demais de Everaldo e mandou para fora. Sasha também teve a sua chance. O jogo, no entanto, não teve mais gols. Melhor para os santistas.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli condiciona briga pelo título a padrão tático no Santos

O Santos venceu a Chapecoense por 1 a 0 na noite desse sábado sem grande brilho, graças a um gol polêmico e contra, marcado pelo zagueiro Gum, da equipe verde.

O resultado colocou o Peixe na ponta da tabela do Brasileirão até a definição da partida entre Flamengo e Palmeiras.

“Feliz de ganhar uma equipe tão difícil como essa. Uma partida muito disputada. Tivemos de jogar, eles se saíram muito bem com um 5-4-1 com pouco espaço entre as linhas, nós não sofremos quase nada defensivamente. Depois, no segundo tempo, a equipe pôde jogar com mais espaço e chegamos mais no gol adversário”, avaliou o técnico Jorge Sampaoli.

O resultado em si e os pontos na tabela foram minimizados pelo argentino. O comandante santista está mesmo é focado em fazer sua equipe adotar de vez seu estilo de jogo. Sampaoli sabe que precisa de tempo, mas acredita que só assim poderá disputar o título contra clubes de elenco mais caro e renomado.

“Agora é pensar na próxima partida, sabendo que temos de melhorar e seguir tentando provocar um estilo que nos permita defendê-lo em cada partida, e isso seguramente vai demorar um pouco de tempo”, comentou.

“A liderança momentânea é uma emoção de pouca duração. O importante é que a equipe tem se armado para lutar, brigar por um torneio muito complexo, difícil, de muitas obrigações, e nós temos de tentar ser uma equipe que se comprometa com as ideias coletivas. Assim teremos mais possibilidades de competir contra equipes que podem contar com figuras de grande nível”, concluiu.

Victor Ferraz desabafa com vitória do Santos: “Aguento pressão”

O Santos se reencontrou com a vitória na noite desse sábado depois de três rodadas seguidas tropeçando no Campeonato Brasileiro. O triunfo sobre a Chapecoense na Arena Condá serviu para Victor Ferraz desabafar. Tudo por causa das críticas sofridas tanto pelo lateral quanto pela equipe depois do empate em casa com o Fortaleza.

“Importante voltar à liderança, nem que seja provisória. Foi um jogo muito importante pra gente, pra voltar a mostrar para o nosso torcedor, que ficou magoado”, lembrou, em entrevista ao Premiere ainda na saída do campo rumo ao vestiário.

“Nós, jogadores, fomos duramente criticados, deixamos… Deixamos, não. Não vou tirar o mérito do Fortaleza, mas dentro de casa a gente não pode levar empate daquele jeito. Fomos criticados, uma crítica justa, mas fomos homem”, continuou, antes de citar seu drama pessoal com a situação.

“Eu particularmente fui muito hostilizado, eu que tenho quase 280 jogos pelo clube, mas meu pai me criou muito homem para assumir, sou capitão da equipe e aguento pressão, cara. Vim aqui, provei, fiz uma partida muito boa, e a prova é que a gente está na liderança”, afirmou.

Na próxima rodada, Victor Ferraz não poderá ajudar o Santos contra o Athletico. O experiente jogador levou mais um cartão amarelo e terá de cumprir suspensão.

Santos tem cinco desfalques para enfrentar o Athletico-PR

O Santos voltou a vencer no Campeonato Brasileiro, acabou com um jejum de três rodadas e manteve pressão sobre o Flamengo. Mas, para se manter em alta terá suportar a ausência de pelo menos cinco jogadores no duelo contra o Athletico-PR, agendado para domingo, na Vila Belmiro.

Jorge Sampaoli não poderá contar com o venezuelano Soteldo, o colombiano Felipe Aguilar e paraguaio Derlis González. Todos convocados por suas respectivas seleções nacionais.

Além do trio, Jorge também foi chamado por Tite e será desfalque pela segunda rodada seguida, pois teve de cumprir suspensão frente a Chape, neste sábado.

Não bastasse isso, Victor Ferraz levou o terceiro cartão amarelo em Santa Catarina e vai se juntar aos jogadores que poderão ficar só na torcida na 18ª rodada do Brasileirão.

A boa notícia é que Marinho, outro que não pôde enfrentar a Chapecoense por causa de uma suspensão, está de volta a partir de agora, à disposição do treinador argentino.