Palmeiras 2 x 1 Santos

Data: 23/08/2020, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 5ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo
Auxiliares: Danilo Manis e Miguel Cataneo.
VAR: José Cláudio Filho
Cartões amarelos: Bruno Henrique, Gabriel Silva, Luiz Adriano, Rony e Ramires (P); Felipe Jonatan, Alison e Diego Pituca (S).
Cartão vermelho: Alison (S).
Gols: Luiz Adriano (45-1); Ramirez (02-2, contra) e Patrick de Paula (27-2).

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Luan, Gustavo Gomez e Diogo Barbosa; Patrick de Paula, Bruno Henrique (Ramires), Gabriel Menino (Gustavo Scarpa) e Lucas Lima (Gabriel Silva); Rony (Willian) e Luiz Adriano.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SANTOS
João Paulo; Pará (Madson), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca (Jobson) e Carlos Sánchez (Marcos Leonardo); Marinho (Tailson), Soteldo e Kaio Jorge (Lucas Braga).
Técnico: Cuca



Com golaço de Patrick de Paula, Palmeiras vence o Santos no Morumbi

O Palmeiras venceu o Santos por 2 a 1 na tarde deste domingo, no Morumbi, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Luiz Adriano e Patrick de Paula. O Peixe fez com Ramires (contra).

O Verdão abriu o placar no primeiro tempo com pênalti polêmico de Alison assinalado após consulta ao VAR. O volante tocou com o braço na bola em cobrança de falta de Bruno Henrique. Luiz Adriano converteu.

O Alvinegro empatou logo no segundo minuto da etapa final, com gol contra de Ramires em cruzamento de Carlos Sánchez. O Palmeiras, porém, não sentiu o gol, criou mais chances e desempatou com golaço de Patrick de Paula, aos 27.

O Verdão assume a quarta colocação, com oito pontos. O Peixe caiu para o sexto lugar do Brasileirão, com sete pontos conquistados.

O jogo

O primeiro tempo foi equilibrado no Morumbi, mas o Palmeiras criou as principais chances e deu muito trabalho ao goleiro João Paulo.

O Verdão chegou logo aos quatro minutos, quando Lucas Lima cruzou e Luiz Adriano chutou para a primeira defesa do garoto João.

Quando o placar marcava 18 jogados, Luiz Adriano fez o pivô e Bruno Henrique bateu bonito. João Paulo, novamente, voou para defender. E logo depois, aos 22, o meio-campista palmeirense chutou de novo para outra intervenção decisiva do goleiro.

Aos 29, o Peixe respondeu. Marinho puxou contra-ataque, atravessou quase todo o campo e titubeou entre passar ou finalizar e acabou chutando torto.

E quando o clássico se encaminhava para o empate no intervalo, veio um lance polêmico. Bruno Henrique cobrou falta, Alison mexeu o braço e tocou com o cotovelo na bola. A arbitragem acionou o VAR, marcou pênalti e Luiz Adriano converteu nos acréscimos.

Cuca fez alterações: tirou Diego Pituca e Kaio Jorge para as entradas de Jobson e Lucas Braga. E as mexidas não demoraram a funcionar.

Lucas Braga arrancou e sofreu a falta. Carlos Sánchez bateu, Jobson se antecipou e chegou a comemorar o gol do empate no segundo minuto da etapa final, mas a súmula mostrará gol contra de Ramires.

Aos 8, o Palmeiras reagiu. Patrick de Paula cobrou falta de longe a bola explodiu no travessão. Gabriel Menino, impedido, marcou no rebote. Lance invalidado.

No minuto 17, o Verdão chegou de novo. Lucas Lima lançou Luiz Adriano, que cruzou para Willian chegar de peixinho. A bola passou perto.

E depois de tanto insistir, o Palmeiras desempatou. Jobson errou na saída de bola e armou o ataque do adversário. Willian cruzou e Patrick de Paula fez o gol no minuto 27.

O Santos só ficou perto de empatar aos 35, quando Soteldo cobrou escanteio, Madson cabeceou e o goleiro Weverton salvou em linda defesa. O Palmeiras administrou nos minutos finais e venceu o clássico.

Cuca não entende VAR em Santos x Palmeiras: “Uma pena que interpretação venha de cima”

Novamente incomodado com a arbitragem, o técnico Cuca analisou a derrota do Santos por 2 a 1 para o Palmeiras neste domingo, no Morumbi, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro.

O primeiro gol do Verdão foi de Luiz Adriano, de pênalti, após toque no braço de Alison. A arbitragem consultou o VAR.

“Primeiro tempo do Palmeiras foi um pouco melhor. Jogo muito disputado no meio-campo, tiveram certa vantagem nesse setor. Tem o lance do pênalti. É interpretativo. Essa interpretação… Temos que entender e ainda não consegui. Não é interpretação de campo ao vivo? Dentro de campo, é lance normal. Acontecem diversos. Está subindo no meio da barreira, não ia para o lado. Não usa-se a mão, usa-se o braço, não tem como. Vi o lance, é interpretativo. Quando VAR chama, risco de pênalti é grande. E aí Palmeiras saiu na frente. Não determinou o resultado até porque buscamos o empate. Mas existe desequilíbrio emocional grande em coisa assim. Jogador jovem se perde um pouco, corrigi no intervalo para não irem falar. Se é dado pelo árbitro com convicção, ok, mas árbitro deixou seguir, VAR interpretou e chamou. Uma pena que interpretação venha de cima. VAR precisa corrigir erro do árbitro e não vejo como erro. Vejo como interpretação”, disse Cuca.

“Fizemos duas trocas, começamos segundo tempo fortes, empatamos e tínhamos equilíbrio e em alguns momentos time mais encorpado. Tivemos erro de saída, Palmeiras foi feliz. Eram sete nossos contra quatro, não distribuímos bem e Patrick fez o gol. Meninos tentaram o empate, se jogaram à frente, até goleiro foi para a área. Falta quase pênalti, cabeceio defendido por Weverton. Buscamos, não podemos negar. De maneira geral, Palmeiras foi um pouco melhor. Palmeiras tem time mais pronto, é óbvio. Time treinado há mais tempo. Vanderlei tem controle do esquema, peças deixam time melhor. Ele sabe usar bem isso. Temos que reconhecer isso e a luta do Santos com cinco ou seis meninos. Nunca acharemos culpados em clássico que poderíamos ter empatado. Desgaste não é desculpa, é realidade. Não treinei ontem porque desgaste seria ainda maior. Guardei o time para competir 90 minutos. É minha segunda semana e agora tenho uma cheia para trabalhar e melhorar. Não estou descontente, não. Tristes com a derrota, mas espírito da meninada prevalece”, completou o técnico.

Cuca ainda explicou o objetivo das mexidas no intervalo: Jobson e Lucas Braga por Diego Pituca e Kaio Jorge.

“Fizemos 4-3-3 com meio-campo forte e os atacantes de lado com força e o Kaio Jorge na frente. No intervalo mudamos para 4-4-2 com Soteldo e Sánchez de meia e Pituca e Jobson. Para ter diagonais com dois extremos. Corrigimos erros defensivos pelo lado e tomamos gol por dentro em erro de saída. Mudamos de novo com centroavante, Marcos Leonardo, abrindo Soteldo e Tailson pra dentro. Tentamos mexer para se sentir gostando do jogo e às vezes não conseguimos. Jogamos contra equipe forte taticamente, que defende bem, com pegada forte e contra-ataque”, analisou.

O Santos terá a primeira semana livre sob o comando de Cuca antes de enfrentar o Flamengo no próximo domingo, na Vila Belmiro, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a derrota no clássico, o Peixe caiu para a sexta colocação na competição, com sete pontos.

Cuca lamenta erro de Jobson e evita “pressão” sobre Pituca, Sánchez e Soteldo no Santos

Cuca lamentou o erro de Jobson no segundo gol do Palmeiras, de Patrick de Paula, o da vitória por 2 a 1 sobre o Santos neste domingo, no Morumbi.

Mais do que o passe equivocado de Jobson, o técnico questionou o posicionamento da defesa. Com sete contra quatro, Patrick recebeu sozinho na entrada da área.

“Acontece. Não errou porque quis. Forte dele é o passe, vocês sabem disso. Muita gente fala e questiona a titularidade para melhorar o passe e ele errou o passe. Acontece. Nos reorganizamos e depois não tivemos o equilíbrio. Estivemos com mais jogadores, mas mal posicionados em função desse passe. Mas ele não é culpado pela derrota, ninguém é”, disse Cuca.

O treinador santista ainda falou sobre o que fazer para recuperar o melhor nível de Diego Pituca, Carlos Sánchez e Soteldo.

“Eles vão atuar melhor, normal, sem pressão. Não adianta pressionar. É momento. Qualquer jogador vive e temos que ter equilíbrio, sem passar peso maior. Eles sabem que não estão rendendo tudo. Precisam de ajuda. E estou aqui para isso”, afirmou.

João Paulo diz que Vladimir é o titular do Santos: “Precisa ser respeitado”

João Paulo foi bem em três jogos consecutivos – Athletico, Sport e Palmeiras -, mas ainda não se vê como goleiro titular do Santos.

Vladimir se recupera de inflamação no pé direito e pode estar à disposição contra o Flamengo, domingo, na Vila Belmiro, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

“Isso aí (disputa) é o que pessoal cria. Titular da posição é o Vladimir até o professor decidir é o contrário. É ídolo, campeão e precisa ser respeitado”, disse João Paulo, à Santos TV.

João Paulo também falou sobre a surpresa em ter sequência no gol santista após 2020 começar com Everson, Vanderlei e Vladimir à frente. Vanderlei foi para o Grêmio e Everson entrou na Justiça do Trabalho contra o Peixe.

“Fico feliz pela sequência. Confesso que quando o ano começou, não esperava tudo isso. Estou preparado, fico feliz de mostrar meu trabalho e tenho certeza que tem muita coisa para vir”, afirmou João.

“Pessoal é fenomenal, Arzul e Juninho (preparadores de goleiros). Muito inteligentes, nosso dia a dia é tranquilo. Eu, Vlad e John somos muito amigos. Vlad sempre me ajudou com conselhos, John foi campeão da Copinha comigo”, concluiu.

Chulapa diz que Sampaoli desviou dele na praia e cita “quadrilha” no Santos

Auxiliar técnico do Santos, Serginho Chulapa voltou a falar sobre a relação ruim com o ex-técnico Jorge Sampaoli em 2019.

De acordo com Chulapa, o atual treinador do Atlético-MG desviou dele na praia e formou uma espécia de “quadrilha” no Peixe.

“No Santos eu perderia a razão. Eu estava andando na praia, ele me viu de longe e entrou numa rua e sumiu…”, disse Serginho Chulapa, em entrevista ao “Mesa Redonda”, da TV Gazeta.

“O que ele fazia com as pessoas, não é pra mim, eu me lixo pra ele, é pros outros. Proibiu ex-jogadores de entrar lá, como o Edu, trouxe cara do Rio de Janeiro (o gerente Gabriel Andreata), funcionário dele e que faz parte da quadrilha. E ele mandava no CT. Não me conhecia… Mandou um monte de gente embora e trouxe sete com ele. Peguei corda com isso. Eu ia armar uma emboscada, mas não tinha jeito. Escaparam, essa que é a verdade (risos)”, completou o ídolo santista.

Após ser escanteado por Sampaoli e também por Jesualdo Ferreira, Chulapa foi reintegrado por Cuca e agora faz parte do dia a dia do CT Rei Pelé.


Sport Recife 0 x 1 Santos

Data: 20/08/2020, quinta-feira, 19h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 4ª rodada
Local: Ilha do Retiro, em Recife, PE.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: José Mendonça da Silva Júnior (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn e Victor Hugo Imazu dos Santos (ambos do PR).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ).
Cartões amarelos: Iago Maidana, Adryelson, Bruninho e Willian Farias (SR); Soteldo e Lucas Braga (S).
Gol: Marinho (30-2).

SPORT RECIFE
Maílson; Patric, Maidana, Adryelson e Luciano Juba (Sander); Willian Farias, Ricardinho (Hernane) e Jonatan Gómez (Betinho); Bruninho (Ronaldo), Marquinhos e Elton (Philip).
Técnico: Daniel Paulista

SANTOS
João Paulo; Pará, Alison, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson (Jean Mota), Diego Pituca e Carlos Sánchez (Tailson); Marinho (Alex Nascimento), Soteldo (Marcos Leonardo) e Kaio Jorge (Lucas Braga).
Técnico: Cuca



Santos vence o Sport com golaço de Marinho e embala antes de clássico

O Santos venceu o Sport por 1 a 0 na noite desta quinta-feira, na Ilha do Retiro, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Marinho fez um golaço aos 30 minutos do segundo tempo.

Marinho é o maior destaque do Peixe em 2020. Após se recuperar de fratura no pé, o camisa 11 participou dos últimos oito gols do Alvinegro: seis ele mesmo fez e duas assistências.

Com a segunda vitória consecutiva, o Santos de Cuca vai para a quinta colocação, com sete pontos, e embala antes do clássico contra o Palmeiras, domingo, no Morumbi.

O jogo

O Santos teve 70% da posse de bola no primeiro tempo, mas foi o Sport quem criou as principais chances e fez João Paulo trabalhar diversas vezes.

Na melhor chance, João Paulo dividiu com Bruninho e a bola sobrou para Jonatan Gómez. O meia bateu colocado e a bola tinha endereço, mas bateu justamente em Bruninho, que estava deitado e impedido. A arbitragem ainda consultou o VAR, viu falta de Bruninho e deu cartão amarelo.

O Peixe só assustou no último lance da etapa inicial. Soteldo recebeu de Kaio Jorge e disparou, deixou Adryelson no chão e não bateu forte. Mailson salvou o Leão.

O Santos voltou mais agressivo para os 45 minutos finais. Logo nos primeiros segundos, Marinho chutou de longe e fez Mailson trabalhar. Aos 6, Soteldo viu Mailson adiantado e quase fez um golaço da ponta esquerda.

Quando o placar marcava 17 minutos, Cuca colocou o Peixe no ataque. Tirou Jobson e Kaio Jorge para as entradas de Jean Mota e Lucas Braga.

Aos 23, Tailson fez boa jogada pela direita e cruzou. Jean chegou como elemento surpresa na marca do pênalti, mas isolou com a perna direita.

E no minuto 30, o Santos finalmente abriu o placar. Marinho recebeu de Lucas Braga na direita, ajeitou e colocou a bola no ângulo de Marinho. Um golaço.

O Peixe baixou a guarda e o Sport quase empatou aos 35, em cabeceio de Ronaldo para grande defesa de João Paulo, substituto de Vladimir.

Depois de abrir a equipe, Cuca colocou Alex na vaga de Marinho e ajudou o Santos a administrar a pressão do Sport nos minutos finais. Vitória do Peixe na Ilha do Retiro.

Bastidores – Santos TV:

Cuca exalta vitória e importância de jovens do Santos: “Não faço para me exibir”

Cuca exaltou a vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Sport na noite desta quinta-feira, na Ilha do Retiro, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico destacou a vitória na chuva e a oportunidade para novos jogadores, como Lucas Braga e Marcos Leonardo.

“Análise dividida em duas formas diferentes. Primeira parte tivemos posse boa, mas agressividade que não condizia com a posse. Tivemos controle, sem eficácia, sem agredir. Perdemos uma chance clara com Kaio Jorge no final, mas Sport teve duas ou três oportunidades clara. Foi equilibrado, mais truncado. No segundo tempo tentamos mais velocidade, seguimos com a posse e criamos mais. Numa dessas, fizemos gol do Marinho com passe do Lucas, numa passagem do Tailson e Soteldo. Chegamos com quatro caras inteiros no campo de ataque. Campo pesado, muita chuva, depois administramos bem, mesmo com a diminuição na posse de bola. Vitória muito difícil, complicado jogar aqui. Time do Sport é certinho e saímos felizes com essa vitória e dando oportunidades a mais meninos. Estão fazendo a equipe encorpar”, disse Cuca.

“Eles estão vacinados, meninada é pé no chão, humilde. É confiança para os meninos. Coloquei menino de 17 anos (Marcos Leonardo), não fiz para me exibir. Precisávamos de um pivô e ele fez isso que precisávamos. Melhor é lançar numa vitória, sem jogar peso. Coisas estão fluindo bem. Campeonato é complicado. Há cinco dias estávamos em 17º, agora estamos em quinto. Domingo é outra pedreira, um dia a menos de descanso. Viagem, campo molhado… Adversário terá um dia a mais e isso influencia. Tirei Soteldo, Marinho e Sánchez, para preservar e não correr risco de perder ninguém lesionado”, completou.

Marinho: “Santos não precisa de jogador de nome. Precisa de jogador engajado”

Em fase iluminada pelo Santos, Marinho fez o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Sport nesta quinta-feira, na Ilha do Retiro, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Protagonista dos últimos oito gols do Peixe – seis marcados por ele e duas assistências -, o camisa 11 destaca o “engajamento” do elenco.

“A gente sabe a camisa que veste. Camisa pesada. Temos um grupo que a maioria é molecada e precisamos de todos eles. Estamos dando conta do recado. O Santos às vezes não precisa de jogador de nome, precisa de jogador engajado. Cuca está dando confiança aos meninos”, disse Marinho, ao Premiere.

“Jogo difícil, complicado jogar aqui. É passo de cada vez. Comemorar e domingo tem jogo de novo. Importante é pensar a cada jogo, independentemente do adversário. Temos que jogar como jogamos. Sempre como o Santos”, completou.

Cuca explica Alison na zaga do Santos e revela intuição por Lucas Braga

Cuca optou por Alison como zagueiro na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Sport nesta quinta-feira, na Ilha do Retiro, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Sem Lucas Veríssimo e Luiz Felipe, lesionados, o técnico escolheu Alison improvisado para não escalar Luan Peres e Alex Nascimento, dois canhotos, juntos.

“Um cara seguro, responsável, eu fico com time equilibrado. Ele é destro, difícil iniciar com dois zagueiros canhotos. Não posso perder saída de bola com qualidade. Ele saia como um terceiro, Jobson voltava e tivemos passe qualificado. Com Alex eu não teria essa saída. Alex eu coloquei porque não havia treinado (contra o Athletico), mas agora fiz um treino com o Alison e senti firmeza. Resultado foi positivo, isso que importa e diz se tive razão ou não”, disse Cuca.

O treinador santista também destacou a utilização de Lucas Braga no segundo tempo. O atacante foi reintegrado após bom Campeonato Paulista emprestado à Internacional de Limeira.

“Quando as coisas são para acontecer ficamos felizes. Um menino que agradece a Deus pela oportunidade de estrear no Santos. Não estava nem relacionado, no último momento perdemos o Uribe, buscou material em casa correndo. Tive intuição, ele entrou e ajudou muito a gente a vencer”, afirmou o técnico.

Marcos Leonardo estreia pelo Santos e recebe elogio de ex-auxiliar: “Futuro craque do futebol mundial”

Aos 17 anos, Marcos Leonardo estreou como jogador profissional do Santos na vitória por 1 a 0 sobre o Sport na última quinta-feira, na Ilha do Retiro, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Artilheiro nas categorias de base, o Menino da Vila é grande esperança no Peixe.

“Ilha do Retiro, quinta-feira, 20 de agosto de 2020. Dia da minha estreia como jogador profissional do Santos. Hoje foi o dia de realizar um dos meus maiores sonhos, foi o dia de mostrar a todos os que acreditaram em mim que eu estou preparado para mostrar o meu trabalho e a minha dedicação. Muito obrigado aos meus pais, familiares , companheiros, amigos e a toda a nação santista que esteve na torcida por mim. Agradeço pela minha estreia, agradeço pela nossa vitória. Espero continuar ajudando a equipe e os meus companheiros. Deus, obrigado por mais essa benção, honrarei o Seu nome sempre. Aqui é Santos!”, escreveu o atacante.

Cuca elogiou a participação dele nos minutos finais do segundo tempo.

“Coloquei menino de 17 anos, não fiz para me exibir. Precisávamos de um pivô e ele fez isso que precisávamos. Melhor é lançar numa vitória, sem peso”, explicou o técnico.

Ex-auxiliar do Santos, Pedro Bouças aproveitou a estreia do garoto para elogiar e fazer uma previsão para o futuro.

“Nesta rodada estreou no Brasileiro um futuro craque do futebol mundial”, escreveu o membro da comissão técnica de Jesualdo Ferreira.

Marcos Leonardo tem contrato até 22 de outubro de 2022 e multa rescisória de 100 milhões de euros (R$ 660 mi).


Santos 3 x 1 Athletico-PR

Data: 16/08/2020, domingo, 19h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves e Michael Stanislau (ambos do RS).
VAR: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Cartões amarelos: Alison (S); Richard e Lucas Silvestre (A).
Gols: Soteldo (27-1) e Felipe Jonatan (39-1); Marinho (36-2) e Abner (41-2).

SANTOS
Vladimir (João Paulo); Pará, Lucas Veríssimo (Alex), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Carlos Sanchez; Marinho (Jobson), Soteldo e Kaio Jorge (Tailson).
Técnico: Cuca

ATHLETICO-PR
Santos; Jonathan (Khellven), Thiago Heleno, Lucas Halter e Abner; Wellington, Léo Cittadini e Marquinhos Gabriel (Richard); Nikão (Geuvânio), Vitinho (Pedrinho) e Vinícius Mingotti (Carlos Eduardo).
Técnico: Lucas Silvestre



Com Marinho inspirado, Santos bate Athletico-PR e vence a primeira no Brasileiro

O Santos conseguiu sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro na noite deste domingo. Na Vila Belmiro, com Marinho inspirado, a equipe comandada pelo técnico Cuca ganhou do Athletico-PR por 3 a 1 e enfim desencantou no torneio nacional.

Com seu primeiro triunfo, o Santos chega aos quatro pontos ganhos e figura no oitavo lugar da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Já o Athletico-PR, antes com 100% de aproveitamento no torneio, permanece com seis pontos e cai para a quinta posição.

O jogo

O Santos conseguiu inaugurar o marcador na Vila Belmiro aos 27 minutos do primeiro tempo. Em uma saída errada do Athletico-PR, Lucas Halter permitiu a retomada do Santos no campo de ataque. Marinho recebeu do lado direito e cruzou rasteiro para Soteldo apenas completar.

O time mandante cresceu após sair na frente e conseguiu aumentar a vantagem aos 39 minutos da etapa inicial. Marinho driblou pela direita e cruzou. A bola passou por Soteldo e chegou para conclusão certeira de Felipe Jonatan, no ângulo esquerdo do goleiro Santos.

O Santos conseguiu construir uma boa vantagem no primeiro tempo, mas perdeu o zagueiro Lucas Veríssimo e o goleiro Vladimir, substituídos por Alex e João Paulo, respectivamente. Nos acréscimos, Nikão pegou uma sobra na entrada da área, limpou a marcação e acertou a trave da meta alvinegra.

Encarregado de substituir o pai Dorival Júnior, afastado por covid-19, o auxiliar Lucas Silvestre voltou para o segundo tempo com Carlos Eduardo no lugar de Vinícius Mingotti. Em uma jogada individual dentro da área, o ex-atacante do Palmeiras caiu após contato de Diego Pituca, em lance considerado normal pela arbitragem.

O Santos conseguiu marcar seu terceiro gol aos 36 minutos da etapa complementar. Após salto errado de Lucas Halter para cortar lançamento no meio-campo, Marinho disparou em velocidade e definiu com precisão na cara do goleiro Santos.

O Athletico-PR diminuiu a vantagem do Santos na Vila Belmiro quatro minutos antes do final do tempo regulamentar. Em bela jogada individual pela direita, Geuvânio invadiu a área e cruzou para conclusão certeira de Abner. A reação do time paranaense, no entanto, não avançou.

Bastidores – Santos TV:

Cuca dá nota 7,5 ao Santos contra o Athletico-PR e sente melhora da autoestima

Da beirada do gramado da Vila Belmiro, Cuca viu o Santos ganhar por 3 a 1 do Athletico-PR na noite deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Experiente, o treinador atribuiu uma nota ao próprio time e sentiu melhora na autoestima do elenco.

No primeiro tempo, o Santos saiu na frente por meio de Soteldo e Felipe Jonatan. Na etapa complementar, Marinho coroou sua grande atuação com o terceiro gol do Santos, mas Abner diminuiu para o Athletico-PR em lance que deixou Cuca insatisfeito.

“Dou um 7,5. Se não tomasse o gol no final, daria 8”, disse Cuca, sobre a nota do time. “É um relaxo natural que o jogador tem por estar no final e vencendo 3 a 0. Mas precisamos corrigir isso. O jogo só acaba no apito final. De repente, você toma um segundo gol e vira uma confusão. Já conversei com eles sobre isso”, declarou.

O triunfo sobre o Athletico-PR, até então invicto, foi o primeiro do Santos no Campeonato Brasileiro. Com quatro pontos ganhos na tabela de classificação, o time comandado por Cuca subiu para a oitava posição e, de acordo com o técnico, evoluiu do ponto de vista psicológico.

“No geral, acho que foi uma vitória merecida, porque a equipe jogou muito bem e em um momento delicado. O moral, você não adquire sem resultado. Acho que, hoje, recuperamos um pouco da autoestima, o que é importante para a gente melhorar a performance no torneio”, afirmou.

Cuca elogia jovens do Santos, mas faz alerta sobre elenco para a temporada

O técnico Cuca precisou usar dois atletas formados nas categorias de base logo primeiro tempo do triunfo sobre o Athletico-PR, alcançado na noite deste domingo, e ficou satisfeito com o desempenho. Por outro lado, ele aproveitou a situação para fazer um alerta sobre o elenco do time alvinegro após o duelo pelo Campeonato Brasileiro.

Com o placar ainda em 0 a 0, Vladimir e Lucas Veríssimo se chocaram para cortar um ataque adversário. O zagueiro acabou substituído por Alex, enquanto o goleiro ainda ficou em campo por mais alguns minutos, mas também precisou deixar o gramado para a entrada de João Paulo.

“Jogou um menino que estreou no profissional. É um zagueiro canhoto, que jogou com outro zagueiro canhoto. Entrou em um momento dificílimo, de jogo empatado em 0 a 0, sem nem sequer ter treinado. O goleiro, da mesma forma”, iniciou o experiente Cuca.

“São situações que mostram que você vai precisar de elenco. Se, na terceira rodada do Brasileiro, já está necessitando assim, imagina na 20ª, junto com Libertadores e Copa do Brasil. Força de elenco, a gente vai fazer. Esses jovens vão estreando e, assim, vamos seguindo”, declarou.

Pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos entra em campo para enfrentar o Sport a partir das 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira, na Ilha do Retiro. Confiante nos jovens formados na base, Cuca conta com os atletas de mais rodagem para amparar os garotos.

“(O Santos) depende do Marinho, do Soteldo, do Sanchez, do Lucas. Depende dos caras mais experientes para carregar junto essa meninada. Os meninos são bons jogadores, mas precisam estar escorados e os mais experientes têm que agir com liderança”, afirmou.

Marinho vê vitória como ponto de partida para retomada do Santos na temporada

Com Marinho como protagonista, o Santos venceu o Athletico-PR por 3 a 1 na noite deste domingo, na Vila Belmiro. Na saída do gramado, o atleta manifestou o desejo de que o primeiro triunfo do clube no Campeonato Brasileiro marque um ponto de partida para a retomada na temporada.

No primeiro tempo, Marinho cruzou da direita e Soteldo tocou para o gol. Ainda na etapa inicial, em jogada parecida, Marinho cruzou para chute certeiro de Felipe Jonatan. Para completar, na metade final, ele mesmo marcou o terceiro do Santos no jogo.

“Creio que é uma vitória para a retomada. Sabemos da qualidade da equipe. Independentemente das coisas que aconteçam, estamos firmes e fortes. O grupo tem muitos garotos que vêm nos ajudando. Creio que, agora, vamos conseguir dar uma sequência boa, com confiança. Temos muita coisa pela frente”, afirmou, ao Esporte Interativo.

Eliminado nas quartas de final do Campeonato Paulista pela Ponte Preta, o Santos, agora comandado pelo técnico Cuca, tem Marinho como um dos pilares. Ao falar sobre sua boa fase, o jogador citou o português Jesualdo Ferreira, recentemente dispensado.

“É importante. Quero glorificar a Deus por isso e a todos os meus companheiros. A todos que me ajudaram, o Jesualdo me ajudou bastante. E, agora, o professor Cuca, que chegou passando confiança para a gente. Não podemos esquecer das pessoas que nos ajudaram”, afirmou Marinho, bem-humorado.

“O importante é que venho trabalhando. Independentemente de sair gol meu, o importante é que estou fazendo o meu melhor para ajudar a equipe. Mas que bom fazer gol. Cansei de botar nome em gol. O importante é glorificar a Deus por isso”, declarou.

Alex cita conselho de Cuca antes de “estreia surpresa” no Santos

Alex estreou como jogador profissional do Santos no último domingo, na vitória por 3 a 1 sobre o Athletico, na Vila Belmiro, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

O zagueiro substituiu Lucas Veríssimo ainda no primeiro tempo e aproveitou a ausência de Luiz Felipe no banco de reservas para atuar pela primeira vez.

Alex citou um conselho de Cuca e comemorou a estreia.

“Cuca me passou tranquilidade, falou para fazer o simples e fazer meu trabalho com confiança”, disse Alex.

“Eu venho me preparando há um bom tempo para essa oportunidade. Sensação é incrível de estrear com a camisa do Santos. Fiquei focado, concentrado para fazer um bom trabalho. E graças a Deus conseguimos a vitória”, completou.

Alex tem 21 anos, chegou ao Peixe para o sub-20 e tem contrato até dezembro de 2024.

Substituídos após choque, Veríssimo e Vladimir serão reavaliados nesta segunda

Em sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro, o Santos ganhou do Athletico-PR por 3 a 1 na noite deste domingo, mas deixou a Vila Belmiro com motivos para preocupação. O goleiro Vladimir e o zagueiro Lucas Veríssimo, substituídos por lesão, serão reavaliados pelo departamento médico nesta segunda-feira.

Ainda no primeiro tempo, com o placar em 0 a 0, os dois companheiros se chocaram para cortar um ataque perigoso do Athletico-PR. Lucas Veríssimo acabou substituído por Alex. Vladimir ficou em campo por mais alguns minutos, mas precisou sair para a entrada de João Paulo.

Em sua entrevista, o técnico Cuca lamentou a situação. “Tivemos uma infelicidade muito grande de, em um único lance, perder dois jogadores. Foi incrível e não perdi os dois ao mesmo tempo. Então, queimei duas substituições no começo do jogo e isso faz falta no final”, declarou.

De acordo com o Santos, Lucas Veríssimo sofreu um ferimento no joelho esquerdo e a região foi suturada durante o intervalo da partida. O clube informou ainda que Vladimir tomou uma pancada no pé direito. Assim, os dois serão reavaliados nesta segunda-feira.

Apesar dos desfalques, o Santos conseguiu enfim desencantar no Campeonato Brasileiro. No primeiro tempo, após passes de Marinho, Soteldo e Felipe Jonatan marcaram. Na etapa complementar, o próprio Marinho aumentou e Abner descontou para o Athletico-PR.

Com seu primeiro triunfo, o Santos chega aos quatro pontos ganhos e figura no oitavo lugar da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

Luiz Felipe tem lesão na coxa e desfalca Santos por tempo indeterminado ( Em 17/08/2020 )

Luiz Felipe será desfalque do Santos por tempo indeterminado. O certo é que o zagueiro não estará à disposição nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro.

De acordo com o departamento médico do Peixe, Luiz sofreu uma “avulsão do tendão do adutor esquerdo”. Ele iniciou o tratamento da coxa e não há prazo para retorno.

Lucas Veríssimo teve um “ferimento corto contuso” no joelho esquerdo. Ele fez exame e aguarda por uma resposta. Há chance considerável dele ser desfalque contra o Sport nesta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), na Ilha do Retiro, pela quarta rodada do Brasileirão.

Dessa forma, a dupla de defesa de Cuca pode ser formada por Alex Nascimento e Luan Peres.


Internacional 2 x 0 Santos

Data: 13/08/2020, quinta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ).
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ).
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Cartões amarelos: Edenilson e Moisés (I); Lucas Veríssimo, Kaio Jorge e Marinho (S).
Gols: Guerrero (14-2) e Edenilson (42-2).

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Saravia, Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Moisés; Rodrigo Lindoso, Edenilson (D’Alessandro), Patrick e Boschilia (Marcos Guilherme); Thiago Galhardo (Musto) e Guerrero.
Técnico: Eduardo Coudet

SANTOS
Vladimir; Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Kaio Jorge) e Luan Peres; Pará, Alison (Ivonei), Diego Pituca (Jobson) e Felipe Jonatan (Madson); Marinho, Carlos Sánchez (Tailson) e Soteldo.
Técnico: Cuca



Santos é dominado pelo Internacional e perde só de 2 a 0

O Internacional venceu o Santos por 2 a 0 nesta quinta-feira, no Estádio Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Guerrero e Edenilson, no segundo tempo.

O Colorado dominou a partida do início ao fim e poderia ter vencido por diferença ainda maior. O Peixe chegou a empatar com Kaio Jorge, mas a arbitragem anulou após checagem no VAR e constatação de toque no braço.

O Inter tem 100% de aproveitamento depois de vencer Coritiba fora e Santos em casa. O Peixe ainda não ganhou: empatou com o Red Bull Bragantino na Vila Belmiro e perdeu para o Colorado.

O jogo

O Internacional amassou o Santos em todos os minutos, mas foi para o intervalo com um 0 a 0 injusto no placar. O Peixe não viu a cor da bola no Estádio Beira-Rio.

Cuca escalou o Alvinegro com três zagueiros e a formação não funcionou. Aos 16 minutos, Luiz Felipe sentiu, Kaio Jorge entrou e o técnico refez o esquema habitual.

Lucas Veríssimo, contra, jogou a bola no travessão. Galhardo, sozinho na pequena área, não conseguiu empurrar para o gol após desvio de Vladimir. Lindoso finalizou bem e o goleiro fez grande defesa. Foram pelo menos cinco oportunidades claras em 47 minutos.

Cuca colocou Jobson e Tailson para as saídas de Diego Pituca e Carlos Sánchez. O Santos melhorou e ficou perto do gol aos sete minutos.

Jobson lançou Tailson, que não dominou e Lomba afastou mal. Marinho finalizou de fora da área e o goleiro do Inter espalmou para escanteio.

E depois de dominar a etapa inicial e não abrir o placar, o Colorado fez o gol justamente quando o Peixe melhorava em campo. Felipe Jonatan vacilou ao tentar fazer a bola sair, Galhardo acreditou, Saravia cruzou e Guerrero cabeceou com estilo. 1 a 0 aos 11 minutos.

O gol desestabilizou o Santos. Aos 14, Galhardo fez boa jogada e Guerrero não dominou. No minuto 16, Edenilson chutou e a bola raspou a trave. Quando o placar marcava 19, Galhardo deixou Luan Peres e finalizou com muito perigo, para fora.

No minuto 21, o Santos teve uma ducha d’água fria. Soteldo cruzou para Kaio Jorge, que dominou no peito, tirou de Marcelo Lomba e empurrou para o fundo das redes. A arbitragem viu braço do atacante após checagem no VAR.

O Internacional seguiu melhor e esteve perto de ampliar aos 37 e 39, em duas finalizações de Boschilia para novas defesas de Vladimir. O segundo gol veio só no minuto 42, quando Edenilson tabelou com Guerrero e encobriu Vladimir. Um golaço em Porto Alegre.

O Peixe teve outro gol bem anulado, de Soteldo, aos 45, e o Colorado administrou a vitória nos minutos finais.

Cuca vê “erro absurdo” da arbitragem na derrota do Santos para o Internacional

Cuca acredita em “erro absurdo” da arbitragem na derrota do Santos por 2 a 0 para o Internacional nesta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Quando estava 1 a 0 para o Inter, Kaio Jorge dividiu com o goleiro Marcelo Lomba e fez o gol. O juiz acionou o VAR e deu toque no braço do atacante. Antes, porém, Cuca viu pênalti.

“Nós estávamos melhores naquele momento do segundo tempo. Tivemos outra postura, atitude, criamos oportunidade no começo com Marinho. Estávamos dominando a posse. Equipe ia pegando corpo, quando numa infelicidade, num erro, sofremos gol. Cedemos dois ou três contra-ataques, não fizeram o gol e veio lance fatídico. Gol anulado do Kaio Jorge. No meu modo de ver, um erro absurdo. Bola bate na mão antes de entrar, é nítido, mas por que? Se jogou, foi derrubado. Lomba o derruba. Bola bateu na mão, mas é lance interpretativo. Antes de bater na mão ele foi derrubado. Não é mão, é pênalti. Foi muito claro o pênalti. É um erro que nesse momento que vivemos é crucial fazer o gol, equipe retoma a confiança e parte até quem sabe virar. Não é choro, é segundo jogo e segundo erro gravíssimo”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Não vou atribuir a isso, depois o Internacional fez o segundo gol, mas é consequência de se jogar no ataque. Sabia da necessidade de muito trabalho, temos que retomar a confiança, encontrar forma de jogar que dê corpo, sincronia nos setores. Em muito momento não tivemos isso. Foi jogo mais duro, Inter tem equipe com sistema adequado, treinador tem equipe na mão. Muita força, marcação pressão com três meias. Primeiro tempo não foi bom, mas no segundo melhoramos, equilibramos. Inter teve mais chances por cedermos o primeiro gol e terem contra-ataque. Tentamos, tivemos gol anulado também no impedimento. São coisas que temos que trabalhar. Não se há tempo, é sexto dia com dois jogos e terceiro jogo no oitavo dia. Temos viagem, não há repouso. Temos que equilibrar, usar as peças. Mais da metade eram da base hoje e essa é a saída. Não podemos contratar, temos dificuldades financeiras e vamos administrar. Pego a maior parcela de responsabilidade, para isso eu vim, mas depois ganhamos e aumentamos a confiança. Não temos que achar culpados, agora é tentar vencer no domingo”, completou o treinador.

Cuca quer ‘recuperar’ Pituca e Sánchez no Santos: “Total confiança”

Cuca espera recuperar o bom futebol de Carlos Sánchez e Diego Pituca no Santos. A dupla não está bem e foi substituída no intervalo da derrota por 2 a 0 para o Internacional nesta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico elogiou os meio-campistas e quer que eles atuem com confiança novamente.

“Retomar a confiança. É falando também, conversando, mas principalmente fazendo uma boa partida. Não vou deixar de confiar no Pituca ou no Sánchez. Jogadores têm bons e maus momentos ao longo do ano. Não vivem grande momento, mas são grandes jogadores e pessoas e têm minha total confiança”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

O treinador também falou sobre Felipe Jonatan. O lateral-esquerdo errou no primeiro gol do Inter, quando o Peixe estava bem em campo. Não há alternativa no elenco para a posição.

“Felipe Jonatan foi proteger, achou que a bola ia sair. E pegou a defesa toda desprotegida. Não foi erro de marcação ou posicionamento. Não há o que culpar a zaga em cima do cruzamento bem feito e que nos pegou de surpresa. Geralmente é lance para bola sair ou receber a falta”, afirmou Cuca.

“Vamos trabalhar. Não é aqui e agora que vamos resolver o problema. É com trabalho, avaliando o jogo, as opções. Para por em prática no próximo jogo. Daqui a pouco se faz um bom jogo e confiança se eleva. É difícil trabalhar com 11, temos que trabalhar com elenco. Tem time viajando com suplente e deixando equipe principal. Fizemos parte disso hoje, com várias trocas, desgastando menos o time”, completou o treinador.

Santos finalizou 16 vezes e levou 43 chutes a gol no Brasileirão

O Santos não teve um bom início no Campeonato Brasileiro: empatou em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino e perdeu por 2 a 0 para o Internacional.

E as estatísticas mostram a deficiência do Peixe tanto na defesa quanto no ataque nessas duas primeiras rodadas do Brasileirão.

O Santos de Cuca finalizou 16 vezes, cinco na direção do gol do adversário (apenas uma vez diante do Colorado no Estádio Beira-Rio).

Em compensação, o Peixe permitiu 43 chutes no seu gol, 13 certos. Os rivais finalizaram quase o triplo no geral e marcaram três gols. O Alvinegro, só um.

Cuca aprova Tailson como meia no Santos: “Era 10 quando mais novo”

Cuca testou Tailson como meia no Santos no segundo tempo da derrota por 2 a 0 para o Internacional na última quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Atacante de lado de campo, Tailson foi testado como armador durante a semana e entregou na vaga de Carlos Sánchez no intervalo.

Tailson atuava como meia até o sub-17 e em algumas oportunidades no sub-20. Ele, porém, foi promovido ao elenco profissional do Peixe em 2019 como ponta.

“Tailson é o quarto homem, jogador de lado de campo. Com a entrada dele dei mais liberdade para Marinho ser segundo atacante. Tailson sabe compor por dentro também, era 10 quando era mais novo. É polivalente, trabalhamos com ele, Ivonei e Kaio Jorge. Jogo duro, experiência serviu demais para esses meninos”, disse Cuca, antes de destacar a importância da base.

“Importância total. Santos sempre foi time revelador. Em algum momento contratou bastante e hoje, de uma certa forma, paga o preço. Algumas contratações saíram e é necessário pagar mesmo na saída. Tem que ser novamente revelador. E estou nesse propósito. Torcedor tem que ter confiança. Trabalho é árduo, mas vai ser vitorioso. Temos que dar tempo ao tempo. Sabia da dificuldade e vim preparado. Amanhã é pé na tábua, voltar a trabalhar”, completou o treinador.

Os relacionados para a partida contra o Inter treinarão no CT do Grêmio nesta sexta-feira, antes da viagem de volta para a Baixada Santista.

Tailson aprova teste como meia no Santos: “Cuca gosta de jogador versátil”

Cuca testou Tailson como meia no Santos no segundo tempo da derrota por 2 a 0 para o Internacional na última quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. E o camisa 10 aprova o teste.

Atacante de lado de campo, Tailson treinou como armador durante a semana e entrou na vaga de Carlos Sánchez no intervalo.

“Não foi a estreia no Brasileiro como eu gostaria. Acredito que durante o campeonato as coisas irão melhorar, com muito trabalho e dedicação podemos alcançar nossos objetivos. E eu penso que tenho que estar preparado. Quando o professor Cuca precisar me utilizar, tenho que estar pronto. Ele gosta de jogador versátil, que atua em várias posições, então sempre que ele precisar estarei a disposição”, disse Tailson.

O Menino da Vila atuava como meia até o sub-17 e em algumas oportunidades no sub-20. Ele, porém, foi promovido ao elenco profissional do Peixe em 2019 como ponta.

Kaio Jorge lamenta recaídas do Santos: “Somos um time gigante”

Kaio Jorge lamentou as recaídas do Santos após a derrota por 2 a 0 para o Internacional na noite desta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

O atacante também falou sobre seu gol anulado após checagem no VAR. A arbitragem marcou toque no braço na dividida com o goleiro Marcelo Lomba.

“Foi um lance rápido, dominei no peito, se foi mão nem senti. Se o VAR viu que foi mão, não tem nem o que falar. Começamos bem o segundo tempo, mas sofremos o gol logo. Somos um time gigante, não podemos dar essas recaidinhas”, disse Kaio, à TNT.


Santos 1 x 1 Red Bull Bragantino

Data: 09/08/2020, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG).
Auxiliares: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza (ambos de MG).
VAR: Emerson de Almeida Ferreira (MG).
Cartão amarelo: Ricardo Ryller (B).
Gols: Marinho (19-2) e Claudinho (47-2).

SANTOS
Vladimir; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Marinho (Jean Mota), Soteldo e Kaio Jorge (Uribe).
Técnico: Cuca

RED BULL BRAGANTINO
Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Ricardo Ryller (Claudinho), Matheus Jesus e Weverson (Robinho); Morato (Bruno Tubarão), Artur e Alerrandro (Ytalo).
Técnico: Felipe Conceição



Na reestreia de Cuca, Santos sofre empate do Red Bull Bragantino no fim

Na reestreia do técnico Cuca, o Santos empatou em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino neste domingo, na Vila Belmiro, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

O gol do Peixe foi marcado por Marinho, em mais um “míssil aleatório”, como ele mesmo define suas finalizações de fora da área. O goleiro Cleiton aceitou o chute de longe aos 19 minutos do segundo tempo.

O Bragantino empatou com Claudinho, cria do Alvinegro, aos 47, nos acréscimos, após Luan Peres afastar mal uma cobrança de escanteio. Vladimir, destaque até os minutos finais, não conseguiu evitar.

A partida foi muito equilibrada e com chances para os dois lados. Jean Mota e Fernando Uribe entraram na etapa final e perderam oportunidades de matar o jogo para o Santos, assim como Soteldo.

O jogo

O Red Bull Bragantino começou melhor e obrigou Vladimir a fazer duas boas defesas em sete minutos, após finalizações de Alerrandro e Weverson.

Após o susto, o Santos equilibrou as ações e passou a criar mais. No minuto 11, Soteldo cruzou e Kaio Jorge não alcançou. E aos 16, Kaio roubou de Fabricio Bruno e sofreu pênalti. Carlos Sánchez bateu para fora.

O Peixe seguiu no ataque e finalizou de fora da área com Marinho, aos 20, para defesa segura de Cleiton. No minuto 22, a resposta: Ryller chutou, a bola desviou e quase entrou.

Aos 39, o Alvinegro esteve perto novamente. Soteldo cruzou e Kaio Jorge, de ombro, finalizou muito perto da trave direita de Cleiton.

Assim como na etapa inicial, o Bragantino chegou primeiro. Artur recebeu na direita e e chutou forte para nova intervenção importante de Vladimir.

Aos 13, Arthur acionou Alerrando e Vladimir salvou novamente. O lance, porém, foi invalidado por impedimento do centroavante. E aí veio a surpresa.

Marinho arriscou de longe, a bola bate na grama e engana o goleiro Cleiton. Santos na frente aos 19 minutos do segundo tempo na Vila Belmiro.

O gol fez o Bragantino se expor e o Peixe passou a criar diversas chances. Novidade logo depois do 1 a 0 sair, Fernando Uribe vacilou.

No minuto 22, Sánchez cruzou e Uribe cabeceou de raspão. Aos 25, Pará cruzou, Cleiton desviou e Uribe, com o gol livre na frente, não conseguiu dominar. Soteldo, sem goleiro, chutou para fora na sequência.

Quando o placar marcava 27 jogados, os visitantes assustaram. Alerrando bateu de primeira e Vladimir, de novo ele, salvou. Árbitro havia marcado impedimento. Dois minutos depois, Matheus Jesus apareceu livre na entrada da área e isolou.

Nos minutos finais, o Santos tentou controlar o jogo e administrar a vitória, mas não conseguiu. O Red Bull empatou aos 47 minutos, com Claudinho, cria do Peixe, em chute de fora da área. Empate na reestreia de Cuca.

Bastidores – Santos TV:

Santistas reclamam da arbitragem após empate: “Palhaçada”

Na reestreia de Cuca, o Santos empatou em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino neste domingo, na Vila Belmiro, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. E o time reclamou depois da arbitragem.

O gol do Bragantino saiu aos 47 minutos do segundo tempo. De acordo com o Peixe, o árbitro não autorizou as substituições e a equipe ficou sem todos na área. Madson e Jobson estavam prontos para entrar.

Cuca e vários atletas foram conversar com Ricardo Marques Ribeiro após o apito final. Luiz Felipe falou assim: “Ele precisa admitir o erro. Isso compromete o campeonato”.

Luan Peres deu entrevista ao Premiere e também repercutiu o lance.

“A gente treina bola parada a semana toda, conseguimos tirar todas… Cuca fez uma estratégia de 90 minutos, quisemos colocar um homem mais alto para tirar a bola, e o árbitro não autorizou, e por que? Era estratégia do time para ajudar na bola parada. Foram dois lances capitais, ele não deixou substituir, e aí o 4º árbitro levantou a placa, e o nosso homem do rebote tava saindo já”, disse Luan.

“Acabou saindo o gol nessa palhaçada da arbitragem”, completou o zagueiro.

Cuca explica ‘fatalidade’ com árbitro em empate do Santos: “Como dói”

O técnico Cuca explicou o desentendimento com o árbitro Ricardo Marques Ribeiro no empate do Santos em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino neste domingo, na Vila Belmiro, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

O gol de Claudinho saiu aos 47 minutos do segundo tempo, após rebote de escanteio. Madson e Jobson estavam posicionados para entrar.

“Eu estava colocando Madson e Jobson, dois altos. Instruí os dois para irem ao primeiro pau. Juiz não autorizou a entrada. Houve um desentendimento de informação, de gestual. Eu fiz que ia trocar e ele entendeu que era para o próximo lance. Isso acontece, não vamos por a culpa. É um lance fatídico, dói, como dói. Se fosse há 20 anos, falaria besteira. Hoje faço diferente. Se reparar bem, Sánchez é homem do rebote pelo lado direito. E onde caiu a bola? Bem ali. E quando ele (Sánchez) vê que vai sair, vem correndo. Eu disse que trocaria, juiz entendeu que seria depois”, disse Cuca.

“Não é culpa do árbitro. Ricardo é integro, do bem, foi uma fatalidade”, completou o treinador.

Cuca vê falta de “moral” no elenco do Santos e visa “conexão” no ataque

Cuca falou sobre a falta de “moral” no elenco do Santos após o empate em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino neste domingo, na Vila Belmiro, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe criou as melhores chances, mas não matou o jogo e sofreu o gol nos acréscimos.

“1 a 0 até o fim abre o risco. Me queixo mais de não ter feito dois, três, quatro do que de termos tomado. Temos que saber administrar. Empate em cima da hora é horrível, mas faz parte. Um jogo em que sabíamos do conjunto forte do Bragantino. Não é equipe de destaques individuais. Estão bem treinados. Tiveram início melhor, 10/15 minutos, tomaram conta. Entendemos, tivemos posicionamento melhor, mais adaptado na marcação e posse de bola. Acabamos primeiro tempo melhor, perdemos o pênalti, Tem um baquezinho, principalmente para quem perde o pênalti, por mais experiente que seja (Carlos Sánchez). Comandamos as ações no segundo tempo, fizemos 1 a 0 e tivemos situações muito claras de matar o jogo”, avaliou Cuca.

“Jogamos com muita determinação, força de vontade, aplicação. Taticamente fez grande parte do jogo bom. Infelizmente, não estamos com moral elevado a ponto das coisas darem certo. Com moral, se faz resultado antes, não leva o jogo para o perigo como estava”, completou.

O treinador ainda avaliou o posicionamento de Sánchez mais próximo do jogo adversário e falou sobre “conectar” melhor o ataque.

“Sánchez jogou mais adiantado, um pouco mais à frente. Quero melhorar a participação dos extremos (Marinho e Soteldo). Quando tivermos a bola em um lado, que participem também, não fiquem do outro sem participar. Atacante precisa dessa companhia. Temos que trabalhar bastante esse posicionamento”, afirmou.

“Eu trabalhei dois dias apenas. Se você tem jogadores de velocidade, dificilmente vamos chegar com toques curtos. São velocistas. Temos que ter bola longa também, é uma saída, um desafogo”, completou.

Elogiado por Cuca, Kaio Jorge retribui: “Santos foi mais agressivo”

Cuca gostou do desempenho de Kaio Jorge no empate do Santos em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino neste domingo, na Vila Belmiro, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

O atacante teve uma chance clara para marcar de cabeça no primeiro tempo, mas a bola passou perto da trave.

“Kaio Jorge fez bom jogo. Foi infeliz no cabeceio, bola passou à frente dele em outra hora. Tem evoluído bem. Vamos administrar o resultado e que tenhamos sorte melhor na quinta-feira (contra o Internacional)”, disse Cuca, antes de evitar comparação com Gabigol.

“Gabigol era um cara rodado, tinha jogado na Europa, diversos campeonatos. Kaio é o primeiro (ele estreou no Brasileirão de 2018), mas jogou bem. Não podemos deixar de enaltecer. Não teve a fortuna de fazer o gol, mas jogou bem e temos que valorizar o menino”, completou o treinador.

Animado com o retorno de Cuca, Kaio Jorge retribuiu o elogio e viu o time melhor contra o Bragantino.

“Professor Cuca é experiente, de grupo, sabe lidar com muitos tipos de situação. Modo de jogar já foi um pouco diferente, fomos mais agressivos. Ele me conhece, foi quem me subiu para o profissional. Agora é trabalhar bem para ter sequência”, afirmou Kaio, ansioso pelo gol.

“Está a mil. Centroavante tem que marcar sempre, independentemente de qualquer coisa. Estou trabalhando bem, forte, e espero marcar em breve”, concluiu.

Cuca dá conselho a Uribe no Santos e diz: “Confiança é tudo”

Cuca avaliou a má atuação de Fernando Uribe no empate do Santos em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino neste domingo, na Vila Belmiro, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

O colombiano entrou no lugar de Kaio Jorge no segundo tempo e perdeu uma chance claríssima. Em outra oportunidade, furou um cabeceio.

O técnico deu um conselho para o centroavante e falou em ajudá-lo a readquirir a confiança.

“Hoje ele teve (chance), né? Bola para fazer o gol, sobrou para ele. Goleiro deu um tapinha. Pelo posicionamento, achei que faria gol de peito ou de coxa, do jeito que fosse. Sobrou para o Soteldo e também perdeu. Temos que recuperar confiança. Confiança é tudo”, disse Cuca.

“Confiança se faz com trabalho, merecimento. Se a técnica não está dando certo, vai com o coração. Aprendi isso na vida. Técnica já se tem”, completou.

Contratado há mais de um ano, Uribe ainda não fez gol pelo Santos. O vínculo termina em 2022 e ele recebe o segundo maior salário do elenco.