Navegando Posts marcados como 1997

O Santos fará até segunda-feira, na Vila Belmiro, a apresentação oficial de Emerson Leão como novo técnico do time. Amanhã, o treinador deve estar em Santos para negociar os últimos detalhes.

Os dirigentes santistas confirmam a contratação em conversas reservadas, mas negam publicamente. O técnico, no entanto, confirmou a transferência pouco antes da decisão da Copa Conmebol, dirigindo o Atlético-MG no empate com o Lanús (Argentina) em l a l.

A comissão técnica a ser montada por Leão deverá incluir o preparador físico Valmir Cruz, que trabalha com o treinador no Atlético-MG, e o preparador de goleiros Pedrinho Santilli, atualmente no Atlético-PR.

Entre os jogadores que o técnico poderá indicar para o Santos, estão o meia Jorginho e o atacante Valdir. Ambos disputaram o Campeonato Brasileiro no Atlético-MG, sob o comando de Leão.

Entre os dois, a contratação de Jorginho é a que envolve menor dificuldade, já que o atleta é dono do próprio passe. O passe de Valdir pertence ao São Paulo.

Entre os jogadores, o goleiro Zetti acertou anteontem à noite a permanência no Santos. Ele renovou contrato por mais um ano.

A situação de Muller está indefinida. Ele pretende continuar trabalhando com Luxemburgo. Muller tem passe preso ao Santos e contrato assinado até o final de 1999. A diretoria do Santos não pretende liberá-lo, mas, caso o jogador insista em sair, o preço do passe estaria estipulado em US$ 5 milhões.

Gerente de futebol pode abandonar time

A continuidade do trabalho de investimento em infra-estrutura no departamento de futebol, após a saída de Wanderley Luxemburgo, fica agora vinculada à permanência do gerente Marco Aurélio Cunha.

Cunha, que já trabalhou com Leão no Verdy Kawasaki, disse ontem que ainda não definiu sua situação no clube, mas afirmou que só ficará se sentir disposição da diretoria em manter o trabalho.

“Meu cargo está à disposição. Agora, a diretoria tem de analisar se quer que eu fique.”

A permanência de Cunha também poderá decidir o futuro do fisiologista Fábio Mahseredjian e do fisioterapeuta Luiz Alberto Rozan.

Ambos foram levados para o Santos por Luxemburgo e agora foram indicados pelo treinador para integrar a nova comissão técnica do Corinthians.


O técnico Vanderlei Luxemburgo anunciou na noite de ontem que deixou o Santos. Mas, até as 23h30, dirigentes do clube davam informações divergentes sobre a saída.

O presidente Samir Abdul-Hak disse que não havia sido oficialmente informado da decisão do técnico. “Soube extra-oficialmente, pela imprensa, mas espero uma confirmação.”

Já o gerente de futebol Marco Aurélio Cunha confirmou a saída do treinador. Segundo ele, que disse que vai seguir no Santos, a comissão técnica deve sair também.

“Agora é a hora ideal de romper o contrato porque é final de temporada”, disse Luxemburgo em entrevista a uma rádio de Santos ontem pela manhã.

Segundo ele, o problema não foi dinheiro. “Poderia ter saído no início do ano, quando tive propostas para ganhar três vezes mais”, afirmou na mesma entrevista. Ele está no clube desde o final do ano passado.

Ainda não há definição de qual será o próximo emprego do treinador, embora ele esteja em negociação com o Corinthians e diga ter também recebido propostas do La Coruña, da Espanha.

Luxemburgo está com as atividades suspensas por 50 dias, por causa de agressão verbal contra um árbitro na fase final do Brasileiro.

O presidente da Unicór (a patrocinadora da equipe), Renato Duprat, teria mantido contato com Luxemburgo antes do anúncio.

O treinador disse que não iria fazer comentários sobre seu futuro e que só voltaria a dar declarações amanhã, quando vai estar em São Paulo para a reinauguração do bar do qual é sócio.


Santos 1 x 0 Atlético-MG

Data: 06/12/1997, sábado, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 679 pagantes
Renda: R$ 6.490,00
Árbitro: Luciano Augusto Almeida (DF).
Cartões amarelos: Muller e Ânderson Lima (S); Neguetti e Dede (A).
Gol: Narciso (22-2, de pênalti).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima (Baiano), Jean, Ronaldão e Dutra; Narciso, Marcos Assunção, Caíco (Eduardo Marques) e Alexandre; Muller e Arinelson (Baez).
Técnico: Wanderley Luxemburgo

ATLÉTICO-MG
Taffarel; Bruno, Neguetti, Sandro Barbosa (Cláudio) e Dede; Roberto, Edgar, Juninho (Maqruinhos) e Jorginho; Almir e Nilo.
Técnico: Emerson Leão



O jogo

Numa partida de nível técnico ruim, com poucas chances de gol, o Santos superou a equipe mineira aproveitando-se de um pênalti. A equipe mineira tentou jogar nos contra-ataques

Palmeiras 1 x 0 Santos

Data: 03/12/1997, quarta-feira, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 20.770 Pagantes
Renda: R$ 286.889,00
Árbitro: Antônio Pereira da Silva (GO).
Cartões amarelos: Galeano, Cléber e Viola (P); Dutra (S).
Gol: Galeano (15-2).

PALMEIRAS
Velloso; Pimentel, Roque Júnior, Cléber e Júnior; Galeano, Rogério, Alex (Agnaldo) e Zinho; Viola e Euller (Edmílson)(Marquinhos).
Técnico: Luiz Felipe Scolari

SANTOS
Zetti; Baiano, Ronaldão (Caíco), Jean e Dutra; Marcos Assunção, Narciso, João Santos (Arinélson) e Alexandre; Müller e Caio (Macedo).
Técnico: Wanderley Luxemburgo



Palmeiras vence e faz sua sexta decisão

Santista Alexandre perde pênalti

O Palmeiras venceu ontem o Santos por 1 a 0 e vai disputar, pela sexta vez, uma final de Campeonato Brasileiro. A equipe já conquistou quatro títulos do torneio (1972, 73, 93 e 94). Foi vice em 1978 (perdeu para o Guarani).

Com o triunfo sobre os santistas, a equipe de Luiz Felipe Scolari somou 13 pontos. Não pode ser mais alcançada pelos outros integrantes do Grupo B das semifinais.

No próximo sábado, o Palmeiras joga com o Internacional, em Porto Alegre. Alguns titulares da equipe devem ser poupados.

O último jogo do Santos nas semifinais será contra o Atlético-MG, também no sábado. Deve ser o último do técnico Wanderley Luxemburgo à frente da equipe. O treinador recebeu uma proposta praticamente irrecusável do Corinthians: US$ 200 mil por mês.

Com a necessidade de vencer, para continuar sonhando com uma vaga na final, o Santos começou a partida com maior presença ofensiva. Porém o atacante Caio não teve bom aproveitamento nas finalizações.

Logo aos 2min, Caio cabeceou com perigo. Aos 20min, o goleiro Velloso e o zagueiro Cléber não conseguiram cortar um cruzamento de Dutra. Porém Caio chutou para fora.

O Palmeiras se preocupou mais com a marcação do adversário. Só conseguiu levar perigo efetivo ao goleiro Zetti aos 27min, com um chute perigoso de Rogério.

Aos 31min, Euller cabeceou para fora. Já aos 36min, o atacante fez ótimo cruzamento. Mas Viola não conseguiu finalizar, já na pequena área santista.

No final do primeiro tempo, aos 45min, Caio perdeu outra chance. Na pequena área do Palmeiras, cabeceou para fora.

Com os vários erros do atacante Caio, o técnico Wanderley Luxemburgo, do Santos, decidiu colocar Macedo no início da segunda etapa.

Também escalou Caíco no lugar de Ronaldão, recuando Narciso para a zaga, ao lado de Jean.

Porém foi do Palmeiras a primeira chance de gol, aos 2min. Edmílson, que entrou no lugar de Euller (machucado), cruzou para Viola. Mas o atacante cabeceou nas mãos do goleiro Zetti.

Aos 15min, o Palmeiras definiu sua classificação para a final do Campeonato Brasileiro. O meia Zinho bateu uma falta, da intermediária, sem muita força. O goleiro Zetti cometeu uma falha primária, soltando a bola nos pés de Galeano: 1 a 0.

Com a vantagem, o Palmeiras passou a jogar nos contra-ataques.

Aos 23min, Edmílson perdeu a chance de marcar. Sozinho, ele preferiu tocar para Viola (impedido) ao finalizar.

Sem conseguir criar jogadas perigosas de ataque, os santistas passaram a tentar “cavar” pênaltis. Mas sem nenhum sucesso.

Aos 30min, Viola foi egoísta e não passou para Zinho, em melhor posição, e perdeu a chance.

Aos 31min, Alex bateu com perigo. Zetti defendeu.

Aos 43min, o santista Alexandre bateu pênalti na trave.



Vitória dá classificação ao Palmeiras

Ir a Porto Alegre para fazer turismo, comer um churrasco e rever os amigos. Esse é o objetivo do Palmeiras para o próximo sábado, quando vai enfrentar o Inter.

Mas para conseguir esse respiro, o time do técnico Luiz Felipe Scolari precisa derrotar hoje o Santos, às 21h40, no estádio do Morumbi. O time tem dez pontos. Com mais três, garante a classificação antecipada para a final do Campeonato Brasileiro.

“Temos duas chances de classificação: contra o Santos, em São Paulo, e contra o Inter, em Porto Alegre. Espero que a equipe tenha qualidade para obter a vaga em casa”, disse Luiz Felipe Scolari.

Por isso, os palmeirenses encaram a partida desta noite como uma final. “Só dependemos de nossos resultados”, disse o meia Zinho, que busca seu quarto título brasileiro -já tem um pelo Flamengo e dois pelo Palmeiras.

Rival

Para o Santos, a vitória sobre o Palmeiras é o único resultado que mantém a equipe com chances de classificação para a final. Além disso, a equipe de Wanderley Luxemburgo necessita de uma combinação de resultados.

Precisa que o Atlético-MG vença o Inter hoje, bater a equipe mineira na última rodada das semifinais e torcer por uma vitória do Inter sobre o Palmeiras, sábado.

Se não conseguir a classificação, pelo menos o time do litoral paulista poderá alcançar uma marca histórica: 10 mil gols desde 1912, quando o clube foi fundado.

Segundo o historiador Francisco Mendes Fernandes, a equipe já tem 9.996, em 4.596 jogos -média de 2,17 gols por partida.

Fernandes disse que fez uma consulta à Fifa, e, segundo a entidade, nenhuma equipe do mundo possui marca semelhante. O historiador pretende enviar a marca para o Guiness Book (publicação que registra os recordes em várias áreas) e na Fifa.

“Nem os clubes ingleses, mais antigos, alcançaram essa marca. Deve ser prestada uma homenagem ao jogador que fizer o gol, pois vai entrar para a história do clube”, disse Fernandes.


Internacional 4 x 1 Santos

Data: 29/11/1997
Competição: Campeonato Brasileiro – Grupo B – 2ª fase – 4ª rodada
Local: Estádio do Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 15.260
Renda: R$ 181.970,00
Árbitro: Ubiraci Damásio de Oliveira (RJ)
Cartões amarelos: Espínola, Marcão e Sandoval (I); Alexandre, Ânderson Lima, Sandro, Ronaldão, Narciso e Zetti (S).
Cartões vermelhos: Luciano e Ânderson (02-1); Rogério Seves (06-2) e Sandro (18-2).
Gols: Fabiano (42-1); Christian (08-2, de pênalti), Marcelo (25-2), Ânderson (31-2) e Alexandre (39-2).

INTERNACIONAL
André; Enciso, Marcão, Espínola e Luciano; Ânderson Luis (Mabília), Fernando, Sandoval e Marcelo; Fabiano (Sílvio) e Christian (Paulo Diniz).
Técnico: Celso Roth

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Sandro, Ronaldão e Baiano; Élder (Arinélson), Narciso, Alexandre e Caíco (Marcos Bazílio); Macedo (Rogério Seves) e Caio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Inter goleia Santos no Sul com dois jogadores a mais

Em um jogo nervoso, com quatro expulsões e três pênaltis, o Internacional goleou o Santos ontem no Beira-Rio, por 4 a 1. O time paulista jogou a maior parte do segundo tempo com oito jogadores, dois a menos que o Inter.

Na quarta-feira passada, o time gaúcho havia levado 4 a 0 do Santos, no Morumbi, em São Paulo.

O nervosismo dos jogadores apareceu no início do primeiro tempo, dominado pelo Internacional. Aos 2min, Ânderson, do Santos, e Luciano, do Internacional, foram expulsos.

O técnico Wanderley Luxemburgo fez sua primeira substituição, para recompor o sistema defensivo. Retirou o atacante Macedo e colocou o lateral Rogério Seves pelo lado esquerdo.

O Santos suportou a agressividade do Internacional e equilibrou o jogo por alguns momentos.

O primeiro gol aconteceu aos 42min. Uma bola alta sobrou para o atacante Fabiano, que desferiu um chute violento, surpreendendo o goleiro Zetti.

No segundo tempo, o Santos sofreu o segundo gol de pênalti, marcado por Christian. Os dois últimos gols do Inter -marcados por Marcelo e Ânderson- aconteceram em chutes da entrada da área.

O Santos conseguiu ainda dois pênaltis. O primeiro foi perdido por Arinélson -o goleiro André fez boa defesa- e o segundo, convertido por Alexandre.