Navegando Posts marcados como 1999

Carlos Alberto Silva, 60 anos, foi apresentado ontem como novo treinador do Santos. Ele assinou contrato com o clube por um ano, após deixar o Guarani anteontem.

Silva substitui Paulo Autuori, que pediu demissão no mês passado e foi para o Cruzeiro.

A apresentação do técnico aconteceu na chancelaria da Universidade Santa Cecília, de propriedade da família de Marcelo Teixeira, virtual presidente do clube no biênio 2000-2001.

A cerimônia não ocorreu na Vila Belmiro porque quem decidiu a contratação do técnico foi o próprio Teixeira, vencedor da eleição do último domingo pela chapa de oposição, mas que ainda não é o presidente. Oficialmente, ele será eleito pelo Conselho Deliberativo somente em 14 de janeiro.

Nenhum dos integrantes da atual diretoria compareceu à cerimônia. O presidente Samir Abdul-Hak estava viajando de navio, em um cruzeiro promovido pela Federação Paulista de Futebol.

A prioridade do grupo que assume o comando do Santos é a conquista do título paulista de 2000. O time não consegue se sagrar campeão de uma competição de importância desde 1984.

“Ele (Carlos Alberto Silva) tem uma missão muito importante: resgatar as vitórias para que o Santos conquiste títulos”, disse Teixeira.

Segundo o treinador, todo o esforço do primeiro semestre estará orientado para a equipe profissional. Somente a partir de julho, ele começará um trabalho de integração com o Departamento Amador, para facilitar a observação dos jovens atletas.

“A única coisa que me preocupa de imediato no Santos é fazer desse time um time campeão”, afirmou Carlos Alberto Silva, que no dia 27 iniciará o trabalho no único dos chamados “grandes” paulistas que ainda não havia dirigido.

O treinador programou uma pré-temporada entre 3 e 18 de janeiro em um hotel-fazenda na região de Jaguariúna. Dos jogadores do grupo atual, ele pretende levar 15. Quatro emprestados serão reintegrados, e outros dois retornarão para serem observados.

Definido o novo técnico, Marcelo Teixeira diz ter agora como meta a formação da equipe.

“Será uma briga contra o relógio para montar o time. Neste momento, o Santos não tem uma equipe-base”, declarou Silva.

Teixeira afirmou que a contratação de reforços não dependerá da concretização de uma parceria, mas também não explicou de onde pretende tirar dinheiro para investir em reforços.

“Pelo que eu sei, o presidente (Samir Abdul-Hak) vai deixar valores em caixa”, declarou.

Com as negociações dos passes de Alessandro, Marcos Assunção e Argel, o clube arrecadou neste ano US$ 12,5 milhões.

Parte desse dinheiro foi comprometido com a compra do passe do atacante Dodô (US$ 5,5 milhões) e com o empréstimo de Paulo Rink (US$ 500 mil).

Na manhã de ontem, três representantes do consórcio formado pelas empresas Octagon-Koch Tavares e CIE, do México, estiveram em Santos reunidos com Marcelo Teixeira. Essa foi a única proposta de parceria que o Santos recebeu até agora.

Clube prepara lista com 12 reforços

O virtual presidente do Santos, Marcelo Teixeira, elaborou uma lista com 12 jogadores para contratar para a próxima temporada.

O técnico Carlos Alberto Silva disse ter acrescentado dois jogadores ao rol de possíveis reforços, embora concorde com os nomes relacionados.

Da lista, constam os goleiros Velloso (Atlético-MG) e Carlos Germano (Vasco). A contratação de um goleiro representaria o fim do ciclo de Zetti, cujo contrato se encerra no próximo dia 31.

Também estão incluídos na lista o lateral Cafu (Roma), o volante Flávio Conceição (La Coruña), os meias Valdo (Cruzeiro) e Ramón (Vasco) e os atacantes Edmundo (Vasco) e Valdir (Botafogo).

É possível o retorno à Vila Belmiro do atacante Viola, hoje no Vasco, e do zagueiro Argel, que defende o Porto (POR).


A chapa 2, de oposição, denominada Novos Rumos, tendo a frente o ex-presidente Marcelo Teixeira, venceu as eleições para a renovação do Conselho Deliberativo do Santos FC por 1.296 votos contra 852, da Tradição Alvinegra, da situação, liderada pelo atual vice presidente José Paulo Fernandes.

Teixeira, que já dirigiu o Santos de 1991 a 1993, derrotou o candidato apoiado por Pelé.

A votação para o Conselho Deliberativo do Clube começou as 11h15 no domingo e se estendeu até as 18h15 de forma tranquila.

Diferente do clima de tensão da primeira tentativa de eleição, no último dia 4, que acabou sendo suspensa por uma liminar da Justiça, não houve confusão nem brigas entre os candidatos.

Certa de 120 seguranças e mais 60 homens da Polícia Militar garantiram a ordem na Vila Belmiro durante o pleito.

A propaganda de boca-de-urna foi proibida, mas os sócios puderam usar bonés, botons e adesivos dos candidatos.

“É uma honra para mim voltar à presidência do Santos. Os associados mostraram que querem mudança, e vamos trabalhar para garantir isso”, disse Teixeira.

O Santos não ganha um título de expressão nacional há 15 anos (1984).



Observação: Na matéria da Folha de SP ignoraram as recentes conquistas do Torneio Rio SP (1997) e da Copa Conmebol (1998).



Clima tenso envolve eleição no Santos ( Em 12/12/1999 )

Após brigas na primeira tentativa de votação, Polícia Militar fica hoje de prontidão na Vila Belmiro

O risco de confronto físico entre integrantes das duas chapas que disputam hoje a eleição no Santos vai colocar em prontidão a Polícia Militar na cidade. O tenente-coronel Renato Ferreira da Cruz, comandante do policiamento na cidade, afirmou que não haverá esquema especial, mas as equipes que estiverem patrulhando o bairro da Vila Belmiro estarão orientadas para pedir reforço em caso de aglomeração diante do estádio santista.

“Tenho uma cidade inteira para policiar, não posso me concentrar somente no Santos, mas essa eleição nos preocupa. Se pressentirmos alguma agressão, passaremos a deslocar pessoal para a Vila Belmiro”, afirmou Cruz.

A eleição no clube paulista ganhou proporções semelhantes a de um pleito municipal. Os candidatos colocaram faixas e cartazes pelas ruas, e a disputa é assunto nos principais pontos de encontro de Santos.

No último dia 4, data para a qual estava originalmente marcada a eleição, houve confusão e troca de agressões entre integrantes das duas chapas que disputam o comando do clube.

A situação está representada pela chapa Tradição Alvinegra, encabeçada pelo atual vice-presidente do clube, José Paulo Fernandes, que tem apoio de Pelé, ex-jogador do time.

A chapa de oposição é a Novos Rumos, cujo candidato à presidência é Marcelo Teixeira, que já dirigiu o Santos.

A votação começa às 10h de hoje, mas a movimentação nos arredores do clube deverá ter início por volta das 8h.

Liminar

Na primeira tentativa de realizar a eleição, o presidente do Conselho Deliberativo, Florival Barletta, teve de deixar a Vila Belmiro escoltado pela polícia, pois estava sendo ameaçado por apoiadores das duas facções, inconformados com a suspensão da votação naquele dia.

O motivo da suspensão foi uma liminar (decisão provisória da Justiça) obtida nos tribunais pelo conselheiro Nelson Barros Rodrigues. Ele pleiteava sua inclusão na lista dos efetivos, o que automaticamente garantiria sua reeleição como conselheiro, independentemente da chapa vencedora.

Para fazer seu pedido à Justiça, Rodrigues se baseou no estatuto do clube, que prevê a efetivação do conselheiro após cinco mandatos consecutivos.

O impasse foi superado dias depois, com um acordo entre as duas chapas, fazendo com que Rodrigues e mais 61 conselheiros fossem registrados como suplentes de efetivo. Com isso, ele retirou a ação na Justiça, o que garantiu a realização, hoje, da eleição.

O clima tenso que envolve o Santos, clube brasileiro de maior expressão internacional nas décadas de 60 e 70, ao lado do Botafogo-RJ, é fruto das campanhas irregulares da equipe, uma das mais tradicionais do país.

O Santos não ganha um título de expressão nacional há 15 anos. A última grande conquista do clube foi o Paulista de 84, conquistado com uma vitória sobre o Corinthians, no Morumbi.

Nesta década, o Santos deixou escapar, em 95, a chance de se sagrar, pela primeira vez em sua história, campeão brasileiro. O time foi derrotado pelo Botafogo-RJ no jogo final, em São Paulo.

Neste ano, o Santos ficou fora da final do Paulista e não se classificou para a segunda fase do Campeonato Brasileiro. O clube também foi eliminado do torneio seletivo para a Libertadores.




O técnico Paulo Autuori despediu-se nesta terça-feira do Santos e está assumindo o comando técnico do Cruzeiro, substituindo Levir Culpi, dispensado segunda-feira pelo time mineiro. Houve uma reuniao no final da manha entre os dirigentes e o treinador, tendo ocorrido um acordo amigável.

Embora os santistas estejam envolvidos no processo eleitoral, que impede contrataçoes no momento, já se fala em pelo menos três nomes para dirigir o time no Paulista: Oswaldo de Oliveira, Nelsinho Batista e Levir Culpi. “Se houver necessidade, podemos até reunir as duas chapas depois de definida a eleição do Conselho Deliberativo e fazer a contratação, desde que haja consenso”, disse o vice-presidente José Paulo Fernandes, candidato à presidência pela Tradição Alvinegra.

“Não saio frustrado com o fato de nao ter ganho o título, pois minha posição é clara, é ser campeão na vida e isso não vou conseguir colocando um monte de faixas no peito”, disse Paulo Autuori logo depois de deixar a reunião, sem esconder uma certa tristeza. Ele contou que, quando recebeu o convite para dirigir o Cruzeiro, pediu licença aos dirigentes santistas para iniciar os entendimentos.

“Deixei as coisas bem encaminhadas e depois informei ao José Paulo Fernandes (o vice-presidente do Santos) a proposta recebida”. Com o contrato acertado, Paulo Autuori já dirigirá o Cruzeiro no sábado, no primeiro jogo de seu novo time pela seletiva.

Nesta terça-feira, Autuori e os dirigentes conversaram durante meia hora, quando foi definido o acordo para sua saída. Seu contrato verbal era para até o final do ano, e ele já havia manifestado interesse em continuar na Vila Belmiro, mas a proposta do clube mineiro e a indefinição do quadro sucessório fizeram com que ele optasse por sair. O treinador dirigiu o Santos em 18 partidas, com 6 vitórias, 5 empates e 7 derrotas.

“Gostaria de disputar um Campeonato Paulista”, disse ele, confessando ter ficado satisfeito com o trabalho que realizou no Santos. “Saio com a cabeça erguida e com a certeza de que dei o máximo de mim”.


Santos 0 x 1 Grêmio

Data: 17/11/1999, quarta-feira, 21h40.
Competição: Torneio Seletivo para Copa Libertadores 2000 – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda:
Público:
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira (RJ)
Gol: Itaqui (33-2).

GRÊMIO
Danrlei; Alex Xavier, Rodrigo Costa, Scheidt e Roger; Ânderson Polga, Luíz Carlos Goiano, Gavião e Itaqui (Capitão, 35-2); Cleison (Zé Alcino, 29-2) e Agnaldo (Magrão, 29-2).
Técnico: Cláudio Duarte

SANTOS
Zetti; Ceará (Marcos Basílio, no intervalo), Narciso, Andrei (Rodrigão, 25-2) e Gustavo Nery; Claudiomiro, Élson, Eduardo Marques e Aílton (Lúcio, no intervalo); Dodô e Deivid.
Técnico: Paulo Autuori



Times do Sul se garantem na seletiva

Internacional, Grêmio e Coritiba são os primeiros classificados para a segunda fase da seletiva para a Taça Libertadores.

O torneio reúne as equipes que não se classificaram à segunda fase do Brasileiro (exceto as que foram rebaixadas).

No Maracanã, o Flamengo, quatro dias após dispensar Romário, empatou em 1 a 1 com o Inter. O time gaúcho vencera o primeiro confronto por 1 a 0. O Inter vai enfrentar agora o Grêmio, que eliminou o Santos ontem na Vila Belmiro ao vencer por 1 a 0, com gol de Itaqui.

O Santos, que já perdera o primeiro confronto, em Porto Alegre, por 2 a 1, deixou o campo aos gritos de “timinho”.



Créditos:
Vídeo: Indicado por Danilo Barbosa
Ficha técnica: Daison Sant Anna

Grêmio 2 x 1 Santos

Data: 13/11/1999, sábado, 15h30.
Competição: Torneio Seletivo para a Copa Libertadores 2000 – Jogo de ida
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre, RS.
Público: 13.375 (9.876 pagantes e 3.499 não pagantes)
Renda: R$ 39.971,00
Árbitro: Álvaro Azevedo Quelhas (RJ).
Gols: Agnaldo (06-1) e Aílton (43-1); Cleison (25-2).

GRÊMIO
Danrlei; Alex Xavier, Rodrigo Costa, Scheidt e Roger; Ânderson Polga, Luíz Carlos Goiano, Gavião (Itaqui, 18-2) e Cleison; Rodrigo Gral (Zé Alcino, no intervalo) e Agnaldo (Magrão, 18-2).
Técnico: Cláudio Duarte

SANTOS
Nei; Ceará, Narciso, Andrei (Marcos Basílio, 34-2) e Gustavo Nery; Claudiomiro, Élson, Eduardo Marques e Aílton (Adiel, 26-2); Dodô e Deivid (Lúcio, 31-2).
Técnico: Paulo Autuori



Santos perde na seletiva da Libertadores

O Santos foi derrotado ontem pelo Grêmio, em Porto Alegre, por 2 a 1, no primeiro jogo da seletiva para a Taça Libertadores, envolvendo times eliminados do Campeonato Brasileiro.

O time da casa abriu o placar aos 6mim do primeiro tempo, com o atacante Agnaldo. O Santos empatou com um gol de Ailton, aos 43min. O Grêmio pressionou no segundo tempo e chegou ao gol da vitória aos 24min, quando Cleison finalizou após confusão na área santista.

Os times voltam a se enfrentar na quarta-feira, em Santos.



Créditos:
Ficha técnica: Daison Sant Anna