Navegando Posts marcados como 1999

Santos 0 x 1 Grêmio

Data: 17/11/1999, quarta-feira, 21h40.
Competição: Torneio Seletivo para Copa Libertadores 2000 – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda:
Público:
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira (RJ)
Gol: Itaqui (33-2).

GRÊMIO
Danrlei; Alex Xavier, Rodrigo Costa, Scheidt e Roger; Ânderson Polga, Luíz Carlos Goiano, Gavião e Itaqui (Capitão, 35-2); Cleison (Zé Alcino, 29-2) e Agnaldo (Magrão, 29-2).
Técnico: Cláudio Duarte

SANTOS
Zetti; Ceará (Marcos Basílio, no intervalo), Narciso, Andrei (Rodrigão, 25-2) e Gustavo Nery; Claudiomiro, Élson, Eduardo Marques e Aílton (Lúcio, no intervalo); Dodô e Deivid.
Técnico: Paulo Autuori



Créditos:
Vídeo: Indicado por Danilo Barbosa
Ficha técnica: Daison Sant Anna

Grêmio 2 x 1 Santos

Data: 13/11/1999, sábado, 15h30.
Competição: Torneio Seletivo para a Copa Libertadores 2000 – Jogo de ida
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre, RS.
Público: 13.375 (9.876 pagantes e 3.499 não pagantes)
Renda: R$ 39.971,00
Árbitro: Álvaro Azevedo Quelhas (RJ)
Gols: Agnaldo (06-1) e Aílton (43-1); Cleison (25-2).

GRÊMIO
Danrlei; Alex Xavier, Rodrigo Costa, Scheidt e Roger; Ânderson Polga, Luíz Carlos Goiano, Gavião (Itaqui, 18-2) e Cleison; Rodrigo Gral (Zé Alcino, no intervalo) e Agnaldo (Magrão, 18-2).
Técnico: Cláudio Duarte

SANTOS
Nei; Ceará, Narciso, Andrei (Marcos Basílio, 34-2) e Gustavo Nery; Claudiomiro, Élson, Eduardo Marques e Aílton (Adiel, 26-2); Dodô e Deivid (Lúcio, 31-2).
Técnico: Paulo Autuori



Créditos:
Ficha técnica: Daison Sant Anna

Ponte Preta 2 x 0 Santos

Data: 09/10/1999, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 20ª rodada
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, SP.
Público: 15.368
Renda: R$ 95.656,00
Árbitro: Edilson Pereira de Carvalho (SP).
Cartões amarelos: Piá (PP); Valdir e Lúcio (S).
Gols: Piá (38-1); Vaguinho (43-2).

PONTE PRETA
Alexandre Fávaro; Daniel, Paulão, Alex e Misso; Roberto, Mineiro, Piá e Vânder (Claudinho); Régis e Reinaldo (Vaguinho).
Técnico: Marco Aurélio

SANTOS
Zetti; Ceará, Cláudio, Valdir e Gustavo Nery (Rodrigão); Élson, Marcos Basílio, Eduardo Marques (Caíco) e Aílton; Lúcio e Dodô.
Técnico: Paulo Autuori



Santos perde de novo por 2 a 0 e fica mais longe da classificação

A Ponte Preta derrotou ontem o Santos, por 2 a 0, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Essa é a segunda derrota consecutiva do Santos por 2 a 0 no Brasileiro. Na quarta passada, o time perdeu para o Atlético-MG pelo mesmo placar, em Belo Horizonte.

O resultado manteve o Santos com 20 pontos e fora da zona de classificação. Já a Ponte Preta voltou a figurar entre os oito melhores times do campeonato.

Logo no início o atacante Lúcio, do Santos, que substituiu Paulo Rink no jogo, ficou cara a cara com o goleiro Alexandre, que defendeu o chute do santista.

A partir dos 15min, a Ponte Preta passou a dominar o meio de campo e começou a avançar pelas laterais.

O atacante Régis foi o principal destaque da Ponte na primeira etapa. Ele conseguiu deixar o jogador Reinaldo frente a frente com o goleiro Zetti duas vezes, mas o atacante desperdiçou as chances de gol.

Em seguida, Régis recebeu um lançamento na área, livre de marcação, teve tempo para escolher o canto em que iria chutar, mas a bola bateu na trave. Aos 38min Régis tentou novamente, Zetti espalmou a bola e, na sobra, Piá chutou no canto direito do goleiro santista, abrindo o marcador.

No intervalo, o técnico do Santos, Paulo Autuori, disse que seu time estava jogando recuado “pela necessidade”, referindo-se aos desfalques da equipe.

Valdir e Eduardo Marques jogaram no lugar do zagueiro Andrei e do meia Claudiomiro, que receberam o quinto cartão amarelo na partida contra o Atlético-MG e cumpriram suspensão.

Além disso, Ceará foi escalado na lateral direita no lugar de Michel, que está contundido.

Domínio

No segundo tempo, o Santos continuou totalmente dominado pela Ponte Preta, que desperdiçou várias chances de gol.

As substituições promovidas pelo técnico santista durante a partida não surtiram efeito. O treinador substituiu Eduardo Marques por Caíco e colocou Rodrigão no lugar de Gustavo. Mas o Santos não conseguiu oferecer perigo à defesa da Ponte.

No final do segundo tempo, o técnico da Ponte Preta, Marco Aurélio, trocou o atacante Reinaldo por Vaguinho para segurar o resultado de 1 a 0.

No primeiro lance de Vaguinho no jogo, que começou com uma jogada de Régis, ele acabou marcando o segundo gol da partida.
Régis cruzou a bola rasteira na área pela direita, o meia Claudinho deixou a bola passar por baixo de suas pernas, enganando a defesa santista, e Vaguinho chutou livre, do canto esquerdo da área, sem defesa para Zetti.

O atacante Lúcio, do Santos, disse que a segunda derrota consecutiva do time faz com que os jogadores tenham de mostrar mais “personalidade” em campo. “Dá para a gente se classificar, se o Santos vencer suas próximas partidas”, disse Lúcio.

Autuori cobrará mais empenho

O técnico do Santos, Paulo Autuori, disse ontem, após a derrota para a Ponte Preta, que vai cobrar dos jogadores mais empenho nas próximas rodadas do Brasileiro.

“Não adianta ficar dando desculpas como as dos desfalques. Jogo é jogo e isso é normal no futebol”, disse Autuori.

O goleiro Zetti prometeu ontem se empenhar mais nos jogos, a pedido de Autuori. Ele disse que toda a equipe tem consciência que precisa tirar o Santos da instabilidade que segue o time desde o início do campeonato.

“Vamos nos empenhar mais porque matematicamente ainda podemos nos classificar”, afirmou o goleiro, que também é capitão do Santos.

Contratempos

O jogo entre Ponte e Santos foi marcado por contratempos antes do início da partida.

Pouco antes de sair do hotel em que estavam concentrados os jogadores da Ponte Preta, o ônibus do time quebrou. Os atletas tiveram de ir para o estádio em seis táxis.

Os jogadores que não estavam de carro após a partida teriam de voltar para casa de táxi.

Já no gramado, o Santos teve de trocar a camisa de seu uniforme minutos antes do início da partida. O juiz Edilson Pereira de Carvalho notou que as duas equipes entraram em campo com camisas semelhantes.
O Santos, por ser o time visitante, teve de vestir seu terceiro uniforme, que é preto e tem o número do jogador e o nome do patrocinador amarelos. Em virtude da troca, o início do jogo foi atrasado em pelo menos dois minutos.



Fonte: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/1999/10/10/20//598397

Internacional 1 x 2 Santos

Data: 02/10/1999, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Beira Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 6.285
Renda: R$ 42.643,00
Árbitro: Léo Feldman (RJ).
Cartoes amarelos: Márcio, Ânderson Luis e Hurtado (I); Cláudio, Claudiomiro e Marcos Basílio (S).
Cartão vermelho: Fabiano (I, 40-2).
Gols: Celso (03-1); Élson (22-2) e Dodô (37-2).

INTERNACIONAL
João Gabriel; Márcio, Lúcio, Régis e Enciso; Ânderson Luis, Dunga (Claiton), Hurtado e Gustavo; Fabiano Souza e Celso (Ânderson Barbosa).
Técnico: Valmir Louruz

SANTOS
Zetti; Michel, Cláudio, Andrei e Gustavo; Claudiomiro, Élson, Marcos Basílio (Eduardo Marques) e Adiel (Lúcio); Paulo Rink (Aílton) e Dodô.
Técnico: Paulo Autuori



De virada, Santos derrota Inter no Sul

O Santos derrotou de virada o Internacional, ontem à tarde, em Porto Alegre (RS), por 2 a 1, e chegou a 20 pontos em 14 jogos no Campeonato Brasileiro. O time paulista iguala-se ao número de pontos do Vitória e passa para o 11º lugar na competição.

A estratégia do Inter no início do jogo foi marcar sob pressão a saída de jogo do Santos para tomar a iniciativa.

O resultado foi positivo: na terceira pressão realizada sobre a defesa santista, aos 3min, Dunga recuperou a bola e Celso aproveitou a oportunidade entrando na área adversária e desviando de Zetti, com a bola entrando rasteira no canto esquerdo.

Ao comemorar o gol, Celso procurou fazê-lo com Dunga. Os dois, nos dias que antecederam o jogo, haviam discutido publicamente em razão das cobranças realizadas pelo volante, capitão do time, à inoperância do ataque.

Com o gol, o Inter procurou manter a pressão sob o adversário. O Santos tentava reagir.
A tentativa de reação do Santos foi contida por uma forte marcação estabelecida no meio-campo pelo técnico Valmir Louruz.

O jogo ficou equilibrado. O Santos avançou para tentar o empate, adiantando sua marcação, e o Internacional se retraiu.

A entrada de Lúcio no lugar de Adiel, que saiu machucado, deu maior mobilidade ao ataque da equipe paulista.

O Santos começou o segundo tempo com forte pressão. Até os 13min, já havia conseguido três conclusões a gol, contra nenhuma do Internacional.

Aos 18min, o zagueiro Márcio, do Inter, tocou a mão na bola, e o juiz Léo Feldman marcou pênalti. O goleiro João Gabriel defendeu a fraca cobrança de Dodô.

Quatros minutos depois, o Santos empatou. O volante Elson, ex-Inter, aproveitou uma cobrança de escanteio e marcou de cabeça.

O Santos continuou pressionando. Aos 38min, Dodô deu um chapéu em Lúcio e, sem deixar a bola tocar no gramado, chutou de pé direito para fazer 2 a 1.

O atacante Fabiano, do Inter, foi expulso no final do jogo. A torcida vaiou a equipe desde o gol de empate do Santos e havia, no vestiário do Inter, conversas sobre uma possível substituição do técnico Valmir Louruz.

Fonte: Jornal Folha de SP.

Santos 1 x 1 Coritiba

Data: 29/09/1999, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: não divulgados
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE)
Cartões amarelos: Reginaldo Araújo, Cléber e Reginaldo (C).
Cartão vermelho: Betinho (C).
Gols: Dodô (20-1) e Cléber (42-1).

SANTOS
Zetti; Michel (Marcelo Silva), Cláudio, Claudiomiro e Aílton; Elson, Marcos Basílio, Eduardo Marques (Rodrigão) e Adiel (Lúcio); Paulo Rink e Dodô.
Técnico: Paulo Autuori

CORITIBA
Gilberto; Reginaldo Araújo, Leonardo, Flávio e Dutra; Ataliba, Mozart, João Santos (Betinho) e Darci (Reginaldo); Luís Carlos (Sinval) e Cléber.
Técnico: Márcio Araújo



Santos de novo só empata na Vila

O Santos não conseguiu mais do que um empate em 1 a 1 contra o Coritiba, ontem, na Vila Belmiro. De seis jogos em casa no Brasileiro deste ano, o time só conseguiu ganhar dois. Nos demais, empatou três vezes e perdeu uma.

O time santista, que ocupa agora a 13ª colocação do Brasileiro com 17 pontos, foi nitidamente superior no primeiro tempo.

Acuado em seu campo, o Coritiba tentava congestionar o meio-campo para dificultar as ações do rival, mas errava na saída de bola.

Aos 20min, o Santos acabou marcando em um lance isolado. Dodô recebeu a bola na intermediária ofensiva do Santos, longe do gol. Ele experimentou o chute e conseguiu acertar o ângulo direito do goleiro Gilberto.

Aos 32min, o Santos perdeu uma de suas melhores opções de ataque. Machucado, o lateral Michel teve de sair, e, sem opções no banco, o técnico Paulo Autuori teve de improvisar o volante Marcelo Silva no setor.
O empate aconteceu aos 42min, quando Claudiomiro empurrou Leonardo na área. Cléber bateu o pênalti com força, no canto esquerdo de Zetti e empatou.

No segundo tempo, o Santos voltou nervoso e os erros começaram a aparecer. O técnico Paulo Autuori pedia calma ao time, mas os apelos não deram resultado.

À medida em que o tempo passava, a ansiedade santista aumentava, e o Coritiba tirava proveito, aproveitando os espaços.

A torcida santista começou a manifestar sua impaciência, vaiando no momento em que Adiel foi substituído por Lúcio.

A expulsão de Betinho, após entrada violenta em Dodô, reacendeu as esperanças santistas. Com o adversário inferiorizado, o Santos ampliou a pressão, mas não conseguiu furar o bloqueio.
Aos 48min, o Santos teve um suposto pênalti não marcado sobre o atacante Paulo Rink.

O técnico Paulo Autuori, que não costuma comentar arbitragens, saiu correndo ao final do jogo para reclamar com o juiz.

Fonte: Jornal Folha de SP.