Navegando Posts marcados como 1999

Santos 3 x 3 Cruzeiro

Data: 10/11/1999, quarta-feira, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 21ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.922 pagantes
Renda: R$ 38.335,00
Árbitro: Carlos Eugênio Símon (RS).
Cartões amarelos: Eduardo Marques e Deivid (S); Espínola e Leandro (C).
Gols: Deivid (03-2), Geovanni (11-2), Deivid (15-2), Alex Alves (21-2, de pênalti), Alex Alves (22-2), Dodô (26-2, de pênalti).

SANTOS
Zetti; Ceará, Cláudio (Andrei), Claudiomiro e Gustavo Nery; Élson, Narciso, Aílton e Eduardo Marques; Dodô e Deivid.
Técnico: Paulo Autuori

CRUZEIRO
André; De La Cruz, Marcelo Djian, Espínola e Donizete Amorim; Leandro, Ricardinho (Cléber Monteiro) e Valdo (Paulo Isidoro); Müller (Marcelo Ramos) Geovanni e Alex Alves.
Técnico: Levir Culpi



Alex Alves brilha no 3 a 3 da Vila

Em um jogo movimentado, com grandes atuações dos jogadores de ataque, o Santos empatou ontem com o Cruzeiro em 3 a 3 e despediu-se do Brasileiro.

Os destaques do jogo foram o cruzeirense Alex Alves, que chegou a 22 gols e disparou na artilharia do campeonato, e o santista Deivid. Cada um fez dois gols.

Precisando da vitória e contando com uma boa atuação de seu novo ataque, Ailton, Deivid -que ganhou a vaga de Lúcio- e Dodô, o Santos iniciou o jogo pressionando o time mineiro.

Logo aos 2min, Ailton, livre, bem posicionado, chutou forte, mas André fez a defesa. Instantes depois, foi a vez de Deivid, que disputou e perdeu uma dividida com o goleiro cruzeirense.

O Santos continuou ameaçando o Cruzeiro, mas esbarrava em erros de finalização. Sem conseguir armar suas subidas ao ataque e suprir Alex Alves, o time mineiro pouco fez na primeira etapa.

O segundo tempo começou como o primeiro, com o Santos subindo com perigo ao ataque.

Aos 2min, Deivid colocou Dodô de frente para o gol, mas a zaga cruzeirense travou a bola no momento do chute. No minuto seguinte, enfim, a pressão santista surtiu efeito: Deivid recebeu pela esquerda e, de fora da área, chutou no canto de André, marcando seu primeiro gol no campeonato.

O Cruzeiro reagiu. Aos 7min, Alex Alves aproveitou uma falha da zaga santista e, sozinho, chutou forte, exigindo defesa de Zetti.

Aos 11min, em uma cobrança de falta, Geovanni jogou a primeira ducha de água fria na torcida do Santos. Chutando forte, de perna direita, empatou a partida.

Melhor jogador em campo, Deivid voltou a marcar quatro minutos depois. Recebeu um cruzamento de Ailton e, de primeira, chutou rasteiro, no canto esquerdo de André. A bola ainda bateu na trave antes de entrar.

A esperança santista voltou a ruir aos 21min, quando Narciso cometeu pênalti em Paulo Isidoro. Alex Alves cobrou, marcando seu 21º gol no campeonato.

Apenas dois minutos depois, o atacante voltou a marcar. De cabeça, completou cruzamento de De la Cruz e fez seu 22º gol, cinco a mais que o vice-artilheiro, Luizão, do Corinthians.

Aos 25min, também em uma cobrança de pênalti, cometido sobre o lateral Ceará, o Santos empatou o jogo, com Dodô.

Santos cala a Vila pela classificação (Em 10/11/1999)

Sistema de som não anunciará resultados dos jogos para não desconcentrar atletas contra o Cruzeiro

O Santos decidiu suspender, durante o jogo de hoje à noite contra o Cruzeiro, o anúncio pelo sistema de som da Vila Belmiro dos resultados dos outros jogos da última rodada do Brasileiro.

O objetivo é evitar que as informações sobre o andamento das demais partidas influenciem o comportamento dos jogadores dentro de campo.

A classificação do Santos depende de uma vitória sobre o Cruzeiro e de que Palmeiras, Atlético-MG e Flamengo não vençam seus jogos contra os gaúchos Internacional, Grêmio e Juventude, respectivamente. Uma derrota do São Paulo, contra o Vitória, na Bahia, também interessa ao time.

“Se anunciarem resultados favoráveis a nós, isso vai aumentar a ansiedade dos jogadores. Se o resultado for contrário, vai tirar o tesão do nosso time”, declarou o técnico Paulo Autuori.

Autuori disse que não pediu essa providência à diretoria, mas afirmou que será uma atitude “pouco inteligente” não adotá-la.

O gerente de futebol, Clodoaldo Tavares Santana, afirmou que vai orientar os responsáveis pelo sistema de som da Vila Belmiro para não anunciarem nenhum resultado, mesmo os dos jogos que não influenciam as pretensões de classificação do Santos.

Apesar da preocupação de “isolar” os jogadores do andamento dos outros jogos, o maior obstáculo para o Santos, segundo avaliação do técnico Paulo Autuori, será conseguir, mesmo em casa, um triunfo sobre o Cruzeiro, vice-líder do campeonato.

“O mais difícil de acontecer será a nossa vitória contra o Cruzeiro. Os outros resultados são até mais possíveis”, disse o treinador.

A equipe mineira tem como estímulo a possibilidade de, com uma vitória -e um tropeço do Corinthians contra o Coritiba, no Pacaembu-, terminar a primeira fase em primeiro lugar, o que lhe dará vantagens nas fases seguintes da competição.

O maior trunfo do Cruzeiro é o atacante Alex Alves, artilheiro do campeonato, com 20 gols.

Autuori tem uma dúvida na defesa

Embora tenha poucas alternativas, o técnico Paulo Autuori evitou confirmar a formação da defesa do Santos na partida de hoje.

O time terá três desfalques -o lateral-direito Michel e o zagueiro Jean, convocados para a seleção pré-olímpica, e o meia Caíco, machucado.

Para os lugares de Michel e Caíco estão definidas as presenças dos ex-juniores Ceará e Ailton. Mas o treinador santista preferiu não revelar quem substituirá Jean -se Andrei ou Cláudio.

A tendência é a escolha de Cláudio, um jogador destro. A escalação de Andrei implicaria a formação de uma dupla de canhotos (Andrei e Claudiomiro), situação que não agrada ao treinador.

“Contra o Flamengo, o professor optou pelo Jean, e tive de acatar. Fiquei triste por sair do time, mas a minha volta é o Paulo Autuori quem decide”, declarou Cláudio.


Flamengo 0 x 1 Santos

Data: 07/11/1999, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 20ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 62.235
Renda: R$ 418.110,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Cartões amarelos: Beto (F) e Narciso (S).
Gol: Dodô (32-2).

FLAMENGO
Clemer; Pimentel (Maurinho), Célio Silva, Juan e Athirson; Leandro Ávila, Beto, Fabio Baiano (Reinaldo) e Iranildo (Rodrigo Mendes); Leandro e Romário.
Técnico: Evaristo Macedo

SANTOS
Zetti; Michel, Jean, Claudiomiro e Gustavo Nery; Élson, Narciso, Eduardo Marques (Marcos Bazílio) e Caíco (Deivid); Lúcio (Ailton) e Dodô. Técnico: Paulo Autuori



Santos bate Flamengo e está no páreo

Time de Paulo Autuori faz 1 a 0 no Rio e ainda tem esperança de se classificar; cariocas se complicam

O Santos venceu o Flamengo ontem por 1 a 0, no Maracanã, e manteve pequenas chances de classificação para a segunda fase do Brasileiro. O Flamengo, com a derrota, também depende agora de combinação de resultados.

O jogo começou em ritmo lento, com o Flamengo desorganizado e o Santos trocando passes.

Apesar do apoio de milhares de torcedores e da necessidade de vencer, o Flamengo foi dominado durante quase toda a primeira etapa. O Santos, jogando com inteligência nos contra-ataques, criou as melhores chances.

Logo no quinto minuto de jogo, Narciso fez grande jogada pela direita e cruzou na medida para Lúcio. O meia-atacante tocou de letra, e a bola passou rente à trave esquerda de Clêmer.

Aproveitando espaços deixados entre a defesa e o meio-campo do Flamengo, os jogadores de frente do Santos tinham chances de finalizar da entrada da área.

Dodô, que voltava bastante ao meio-campo para buscar jogo, arriscou chute forte aos 9min, e a bola passou perto, com perigo.

Minutos mais tarde, foi a vez de Eduardo Marques tentar de longe. O tiro do meia saiu com bastante força, mas longe do gol.

Dodô, em lances de habilidade, quase marcou aos 20min e aos 25min. Nas duas jogadas, ele se livrou da zaga flamenguista e tocou com estilo, mas errou o alvo.

O Flamengo melhorou a partir daí. O atacante Leandro teve boa oportunidade ao cabecear após cruzamento de Pimentel.

Aos 39min, após uma falha de Zetti na saída do gol, Romário pegou o rebote e encobriu o goleiro. A bola tocou no travessão.

Um minuto depois, o atacante recebeu na área e se atirou no chão, tentando cavar pênalti. O juiz não marcou a penalidade. E não deu cartão amarelo a ele.

Aos 45min, o lateral Athirson recebeu livre e chutou forte, mas sem direção, desperdiçando o que seria um perigoso cruzamento.

Na última chance da primeira etapa, o Flamengo bateu falta com rapidez, Romário ficou na cara de Zetti, mas tocou para fora.

No segundo tempo, o jogo ganhou em velocidade. Mais animado, o Flamengo aumentou seu ritmo, e o Santos continuava perigoso nos contra-ataques. Após bom passe de Lúcio, quase Caíco marcou logo no primeiro minuto.

No quarto minuto, o meia Beto arrancou quase do meio-campo, se livrou de dois adversários e chutou colocado. Zetti pegou com firmeza no meio do gol.

Aos 12min, o ex-santista Athirson foi à linha de fundo e cruzou com perigo na área. A zaga aliviou antes da finalização de Romário.
Dois minutos mais tarde, o zagueiro Célio Silva acertou potente chute, mas Zetti espalmou.

Paulo Autuori tirou Lúcio e Caíco, mas o Santos continuou sendo dominado. Aos 15min e aos 18min, Leandro Machado tocou de cabeça já na pequena área e quase abriu o placar.

O troco santista veio com Dodô, que driblou dois zagueiros e chutou com força. A bola passou rente à trave esquerda de Clêmer.

Aos 24min, Rodrigo Mendes bateu bem da entrada da área, mas Zetti defendeu. Segundos depois, Dodô obrigou o goleiro flamenguista a fazer grande defesa.

O lance empolgou os poucos torcedores santistas no Maracanã, que entraram no estádio somente naquele momento.

A empolgação teve mais sentido aos 33min, quando Dodô pegou rebote de Clêmer e marcou o centésimo gol do Santos no ano.

Autuori explora o cansaço do rival

O técnico do Santos, Paulo Autuori, disse que explorou o cansaço dos jogadores adversários para vencer o Flamengo.

O clube carioca havia jogado na sexta-feira à noite no Maracanã contra o Independiente, pela Copa Mercosul -ganhou de 4 a 0. Na terça, tinha ido a Buenos Aires para enfrentar o mesmo rival.

“No primeiro tempo, tocamos a bola. No segundo, sabíamos que os jogadores do Flamengo não aguentariam o ritmo”, disse.

Sobre uma classificação do Santos, o técnico afirmou que matematicamente é difícil, mas que, “como na economia, os números frios não traduzem a realidade”.

Dodô disse que o time mereceu a vitória. “Fizemos belas jogadas e fomos premiados com o gol.”

Ao final do jogo, torcedores do Flamengo vestiram a camisa do clube do lado avesso.



Santos “estreita” campo do Maracanã contra cariocas (Em 07/11/1999)

O Santos vai tentar “estreitar” o campo do Maracanã para diminuir os espaços do Flamengo e dificultar as ações ofensivas do time carioca no jogo de hoje.

O técnico Paulo Autuori prevê que o Flamengo exercerá forte pressão, devido à necessidade de vitória para manter as chances de classificação às finais.

O Santos, antes dos jogos de ontem, estava em 13º lugar, com 26 pontos, e, mesmo se fizer 32 (máximo que pode alcançar), terá chances remotas de se classificar em 8º lugar para a próxima fase.

Durante a semana, Autuori comandou treinamentos nos quais usou apenas um quarto do gramado, com o objetivo de “compactar” a equipe.

Outra preocupação será bloquear os lançamentos para o atacante Romário, artilheiro do Flamengo com 11 gols. “Não podemos descuidar. Vamos procurar fazer pressão forte nos demais jogadores para que a bola não chegue a ele”, disse Autuori.

O técnico levará para o Rio uma dúvida -o companheiro de ataque de Dodô. Os candidatos à vaga são Lúcio e o ex-júnior Ailton.

Time enfrenta o Santos hoje no Maracanã pelo Brasileiro-99 usando descanso como preparação

Pelé admite acordo com a oposição

O ex-jogador Pelé, homem forte do Santos, passou a admitir a possibilidade de um acordo com a oposição na eleição para a diretoria do clube em janeiro.

Pelé disse defender a continuidade na diretoria do grupo comandado por ele, que tem o poder no clube há duas gestões, sob a presidência de Samir Abdul-Hak.

Mas o ex-jogador já aceita uma composição entre o “candidato natural” da situação, o vice-presidente José Paulo Fernandes, e o ex-presidente Marcelo Teixeira, filho de Milton Teixeira, outro ex-presidente. Nenhum dos dois admite publicamente que é candidato.

“Acho que temos de nos entender. Se essa parceria for boa para o Santos, estou aberto. Por que não nos unirmos?”, disse Pelé, que acena com a possibilidade de a multinacional ISL apresentar uma proposta para gerenciar o clube.

Flamengo adota “tática” de Romário

O Flamengo vai adotar a “tática” do atacante Romário contra o Santos, hoje à tarde, no Maracanã, pelo Brasileiro-99.

Preocupado com o desgaste físico dos jogadores, o técnico Carlinhos anunciou que colocará os jogadores em descanso como preparação para a partida.

Menos de 48 horas antes de entrar em campo neste domingo, o time carioca havia conquistado a vaga para a semifinal da Copa Mercosul ao golear o Independiente, da Argentina, por 4 a 0, no Rio. Na terça-feira, a equipe já havia enfrentado os argentinos.

“Não temos muito o que fazer. Na fase atual, o descanso é o melhor treino”, disse Carlinhos, que não realizou nenhum treino específico para o jogo com o Santos.

Ídolo no Flamengo, Romário não esconde sua preferência pelo descanso nos intervalos dos jogos.

Recentemente, ele discutiu com o superintende de futebol do clube, Gilmar Rinaldi, que queria obrigá-lo a treinar no dia seguinte aos jogos. “Como não temos opção, vamos descansar e conversar sobre o adversário”, acrescentou o técnico do Flamengo.

Após a goleada imposta ao time argentino, todos os jogadores do Flamengo foram obrigados a voltar para a concentração.

Com 29 pontos no torneio, o time carioca precisa vencer a partida para continuar com chances de classificação. Na quarta-feira, a equipe enfrentará o Juventude, em Caxias do Sul, pela última rodada da primeira fase do torneio.

Como se não bastasse a necessidade da vitória, o Flamengo terá que superar um tabu de sete anos. Desde 1992, o time carioca não vence o Santos, no Rio, pelo Brasileiro. Na ocasião, a equipe venceu o Santos, por 3 a 1.

A partir daí, foram quatro jogos sem vencer o time paulista no Rio -duas derrotas e dois empates.

Para o jogo de hoje, Carlinhos tem apenas uma dúvida. Ele ainda não definiu se vai manter o meia Iranildo no time. O meia Beto, que ficou de fora do jogo com o Independiente, disputa a vaga.

Parceria Flamengo/ISL

O Flamengo deverá acertar amanhã os últimos detalhes da parceria com a ISL, gigante mundial de marketing esportivo. Na ocasião, será realizada uma assembléia convocada pelo atual presidente do clube, Edmundo Santos Silva.

Segundo o presidente do clube, o contrato com a ISL deverá ser assinado no dia 16.

Pelo contrato, a ISL vai repassar US$ 80 milhões ao Flamengo durante 15 anos. Em contrapartida, a empresa poderá explorar a marca e administrar o futebol do clube.

A partir do momento em que a empresa consiga obter lucro, o Flamengo receberá 50% de todos os negócios.

Segundo o contrato, a ISL se compromete a construir um estádio para o Flamengo nos próximos cinco anos.

A ISL é uma das maiores empresas de marketing esportivo do mundo. A empresa é responsável por todos os contratos da Fifa, entidade máxima do futebol.


Santos 2 x 1 Grêmio

Data: 30/10/1999, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 19ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.772 pagantes
Renda: R$ 32.760,00
Cartões amarelos: Jean e Lúcio (S); Roger, Scheidt e Capitão (G).
Gols: Magrão (18-2), Dodô (21-2) e Eduardo Marques (33-2).

SANTOS
Zetti; Michel, Jean, Cláudio (Élson) e Fricson George (Eduardo Marques); Claudiomiro, Narciso, Caíco e Adiel (Aílton); Lúcio e Dodô.
Técnico: Paulo Autuori

GRÊMIO
Silvio; Zé Carlos, Ronaldo Alves, Scheidt e Roger; Capitão, Fabinho, Gavião (Itaqui) e Ronaldinho Gaúcho; Rodrigo Gral (Macedo) e Magrão.
Técnico: Cláudio Duarte



Santos vence e quer Libertadores

O Santos bateu ontem o Grêmio, na Vila Belmiro, por 2 a 1 e se aproximou do objetivo traçado pelo técnico Paulo Autuori. O time tem agora 26 pontos. O Grêmio permanece com 22 pontos.

Com poucas chances de passar para a próxima fase do Brasileiro, o treinador quer terminar a fase de classificação do torneio pelo menos em nono lugar, que daria ao time vantagem no torneio seletivo que definirá uma vaga na Taça Libertadores.

O jogo:

O Santos abusou das faltas para deter os gremistas no primeiro tempo. Na hora de criar, porém, o time esbarrou em seu grande número de passes errados.

Já a principal via de ataque do Grêmio foi pelo setor do lateral-esquerdo Fricson, que ontem fez sua estréia no Brasileiro-99.

Foi do Grêmio a primeira oportunidade de gol, numa falta cobrada por Ronaldinho, aos 3min.

O atacante Dodô foi o responsável pela resposta santista. Aos 10min, o atleta chutou de fora da área -a bola desviou na zaga e quase surpreendeu Sílvio.

Aos 14min, a defesa santista parou pedindo impedimento, após lançamento de Ronaldinho. Mas os gremistas não, obrigando Zetti dividir uma bola com Rodrigo Gral para evitar o gol gaúcho.

Irritado com a performance de sua equipe, o técnico Paulo Autuori tirou, aos 39min, Adiel para a entrada de Aílton.

A mudança não deu resultado imediato, obrigando o treinador a fazer outra substituição no intervalo -Élson no lugar de Cláudio.

As alterações deram, pelo menos, mais agressividade ao Santos, que passou a procurar o gol com mais ímpeto. Aos 15min, sozinho na pequena área, Narciso cabeceou nas mãos de Sílvio.

Porém foi o Grêmio que marcou primeiro. Aos 18min, Ronaldinho cobrou falta, e Magrão desviou: 1 a 0. O Santos empatou em seguida, aos 21min, com Dodô cobrando uma falta, que antes de entrar no gol bateu na trave: 1 a 1.

A equipe santista virou a partida aos 33min, num belo chute de Eduardo Marques, após jogada individual do meia Caíco: 2 a 1.

Santos e Grêmio buscam vaga em seletiva da Libertadores (Em 30/10/1999)

Com poucas possibilidades de avançar à segunda fase do Brasileiro, Santos e Grêmio participam hoje, às 18h30, na Vila Belmiro, de outra disputa: a corrida por uma vaga na seletiva que definirá um representante na Libertadores.

Em 13º lugar com 23 pontos, o Santos ainda pode matematicamente se colocar entre os oito classificados para a etapa final do Brasileiro. Mas precisa vencer seu três últimos jogos -contra Grêmio, Flamengo e Cruzeiro- e contar com uma combinação de resultados de concorrentes.

“Nosso objetivo é ganhar as três partidas e ver no que vai dar. Se não conseguirmos, vamos disputar a seletiva. Uma vaga na Libertadores é privilégio de campeão”, afirmou o técnico Paulo Autuori.

Ele se refere ao torneio que reunirá do 9º ao 16º colocado, em sistema “mata-mata” . O vencedor terá direito de participar da próxima Libertadores da América.

Autuori quer o time disputando pelo menos o 9º lugar, para ter a vantagem de fazer a segunda partida dos jogos da seletiva em casa.

Para alguns dos jogadores, além da chance de disputar a seletiva, os últimos jogos do Santos pelo Campeonato Brasileiro serão a última oportunidade para demonstrar que têm condições de permanecer no clube no ano que vem. Esses são os casos do meia Lúcio, do zagueiro Andrei, do atacante Paulo Rink e até do recém-contratado Fricson George, todos emprestados.

Andrei, que não joga hoje porque cumpre suspensão, e Paulo Rink, que não estará nem mesmo entre os reservas, têm maior probabilidade de serem devolvidos a seus clubes -Betis e Bayer Leverkusen, respectivamente.

Devido à má fase técnica de Rink, Autuori disse que preferiu preservá-lo, pelo fato de o time atuar hoje na Vila Belmiro. “A própria torcida está receosa em relação a ele”, disse Autuori.

Alívio

O Santos terá pela frente um adversário que, mesmo já tendo descartado a possibilidade de classificação para as oitavas-de-final do Campeonato Brasileiro, estará motivado para lutar pela vitória.

A principal novidade na equipe do Grêmio será o goleiro Sílvio, que entra no lugar de Danrlei, machucado. No ataque, Magrão começará jogando, pois Agnaldo também se recupera de lesão.

No caso de Sílvio, sua escalação se deve ao rodízio estabelecido pelo técnico Cláudio Duarte entre ele e Murilo, o outro reserva.

O meio-campo terá o desfalque de Cleisson, destaque da equipe nos últimos jogos, mas que foi expulso contra o Sport.

Equatoriano estréia na lateral santista

O lateral equatoriano Fricson George, 25, faz hoje sua estréia em jogos oficiais pelo Santos com a obrigação de provar que tem futebol suficiente para ser contratado.

Inicialmente, o acordo com o Barcelona, de Guayaquil, previa o empréstimo do jogador até dezembro de 2000, mas o Santos insistiu e conseguiu reduzir o prazo para março. Ao final do empréstimo, se houver interesse, o passe do atleta custará US$ 1,3 milhão.

Segundo o técnico Paulo Autuori, Fricson George atuará nas três últimas partidas da primeira fase do Brasileiro porque serão jogos difíceis, que permitirão uma avaliação completa do jogador.

O lateral, que integra a seleção do Equador, disse não temer a estréia na Vila Belmiro, onde a torcida vaia os erros dos jogadores. “Confio em mim e creio em Deus. A única coisa que temo é Deus.”


Jaraguá 3 x 3 Santos

Data: 23/10/1999, sábado, 16h00.
Competição: Amistoso
Local: Estádio João Marcatto, em Jaraguá do Sul, SC.
Árbitro: Osvaldo Meira Júnior (SC).
Expulsões: Ary Jarrão (massagista) e Heraldo (técnico).
Gols: Adriano (05-1), Dodô (14-1), Adriano (38-1, de pênalti) e Vilmar (35-2); Fumagalli (44-2) e Deivid (46-2).

JARAGUÁ ATLÉTICO CLUBE (SC)
Fábio; Jamur, Evandro, Marcelo (Flamarion) e Kleber; Leandro, Adriano (Vinícius), Souza (Ricardo) e Alê; Fábio Luiz (Wilson) e Vilmar.
Técnico: Heraldo Gonçalves de Souza

SANTOS
Nei; Ceará, Jean, Claudiomiro (Valdir) e Fricson George (Gustavo Nery); Marcos Bazílio, Marcelo Silva (Aílton), Caíco (Fumagalli) e Eduardo Marques; Dodô e Paulo Rink (Deivid).
Técnico: Paulo Autuori



Santos terá duas estréias em amistoso em Santa Catarina

O Santos vai aproveitar o longo período de inatividade no Brasileiro -o time só volta a jogar no dia 30, contra o Grêmio- para disputar um amistoso no próximo sábado em Santa Catarina.

O jogo está marcado para 16h, em Jaraguá do Sul (SC), contra a equipe local, o Jaraguá, e servirá como forma de pagamento de parte do passe do atacante Deivid, de 19 anos. O Santos ainda tenta agendar outro amistoso em Santa Catarina.

O goleiro Nei (ex-Corinthians) e o lateral equatoriano Fricson George estréiam hoje no Santos. Nei vive a expectativa de assumir a condição de titular do Santos a partir do ano que vem, caso Zetti, cujo contrato vence em dezembro, não permaneça no clube.

Fricson estréia um mês depois de ter sido contratado por empréstimo do Barcelona de Guayaquil (Equador).


Santos 3 x 0 Juventude

Data: 17/10/1999, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 18ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 1.896 pagantes
Renda: R$ 10.465,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartões amarelos: Cláudio, Claudiomiro (S); Picoli, Lauro e Maurílio (J).
Gols: Dodô (32-1); Dodô (19-2) e Dodô (21-2).

SANTOS
Zetti; Ceará, Claudio, Andrei e Gustavo Nery; Claudiomiro (Élson), Narciso, Caíco e Adiel (Ailton); Dodô e Lúcio.
Técnico: Paulo Autuori

JUVENTUDE
Emerson; Márcio (Marcos Teixeira), Picoli (Vanderlei), Índio e Dênis; Roberto, Lauro, Mabília e Wallace; Maurílio e Fernando (Mário Tilico).
Técnico: Flavio Campos



Dodô marca três na Vila, mas Santos tem vitória tumultuada

Menos de mil torcedores viram o atacante Dodô marcar três gols e dar ontem ao Santos a vitória por 3 a 0 sobre o Juventude, em tarde chuvosa na Vila Belmiro.

O time santista pode ter feito a última partida em casa no Brasileiro deste ano, embora ainda tenha dois jogos marcados para a Vila -contra Grêmio e Cruzeiro.

Aos 10min do primeiro tempo, um torcedor de nome Marcos Paulo saltou o alambrado, invadiu o campo, deu empurrão em Adiel e discutiu com Caíco. Ele foi retirado de campo por seis policiais e levado a uma delegacia.

Pelo mesmo motivo (invasão de campo por torcedor), o Corinthians foi punido pela CBF e teve o mando de dois jogos transferido para fora do Estado de São Paulo -ontem, jogou no Maracanã.

O representante da CBF Gustavo Rogério disse que o incidente constará do relatório do jogo.

“Tem de pegar esse torcedor que invadiu o campo porque agora, por causa dele, toda uma cidade poderá ficar sem ver os jogos do Santos aqui”, afirmou o goleiro Zetti, do Santos.

Com os três gols que marcou ontem, Dodô passou a acumular dez no Brasileiro. Apesar dos gols, Dodô lamentou a má campanha do Santos. Com 23 pontos em 18 jogos, o time tem chances remotas de classificação.

“A gente poderia estar melhor. Vamos ver o que acontece daqui para a frente”, disse Dodô.

O jogo:

O jogo começou equilibrado. Até os 13min, cada equipe teve duas boas chances.

Passada a primeira metade da etapa inicial, o Santos passou a ter o domínio das ações, embora a pequena torcida já pressionasse o time, exigindo o gol, que aconteceu aos 31min, em lance fortuito.

Andrei arriscou chute de longe, a bola saiu sem direção e bateu em Dodô, na entrada da área. O atacante aproveitou e acertou o ângulo direito do goleiro Emerson.

A tensão dos jogadores do Santos se revelou no intervalo. Os jogadores Claudiomiro e Caíco deixaram o gramado discutindo. Caíco ameaçou partir para cima do companheiro, mas foi contido pelo lateral Gustavo. “Isso aí acontece durante um jogo. É normal”, justificou Claudiomiro.

No segundo tempo, o Santos deslanchou com os dois gols marcados em três minutos por Dodô. Até então, a torcida vaiava.

Aos 19min, Lúcio fez jogada pela direita e cruzou para Dodô, que concluiu de cabeça para o gol. Aos 21min, o atacante invadiu a área, passou e tocou no canto direito.

Com a vantagem dilatada, o Santos se tranquilizou e poderia ter construído uma goleada.

Autuori lamentou por não sair goleada

Os gols que o Santos perdeu durante o jogo de ontem poderão fazer falta caso o time chegue à última rodada com alguma chance de classificação, segundo avaliação do técnico Paulo Autuori.

“Lamento que não tenhamos feito mais gols, porque o saldo será importante no final. Tenho certeza que o oitavo lugar vai acabar sendo decidido só no final pelo saldo de gols ou pelo número de vitórias”, declarou Autuori.

O saldo do Santos é de três gols negativos. Com o resultado de ontem, o time passou a ter seis vitórias, cinco empates e sete derrotas no Brasileiro. O time só voltará a jogar no dia 30, contra o Grêmio.

A presença de Viola, do Vasco, ontem na Vila fez alguns torcedores gritarem o nome do atacante, que defendeu o Santos até o semestre passado. Viola foi ao vestiário cumprimentar os amigos.



Santos já começa treinos para 2000

Com chances remotas no Brasileiro, time usa jogo com Juventude para se preparar para o ano que vem

O jogo de hoje contra o Juventude, às 16h, na Vila Belmiro, será usado como ponto de partida para a reformulação do grupo de jogadores do Santos e início da preparação da equipe para a próxima temporada.

Os dirigentes já sinalizam que uma parcela dos atuais jogadores vai deixar o clube. Os principais candidatos a sair são aqueles cujos contratos ou empréstimos terminam no final do ano -casos de Zetti, Cláudio, Elson, Andrei, Aristizábal e Lúcio.

“A equipe não correspondeu ao que se esperava dela. Nessas condições, é natural uma avaliação levando em conta a má campanha do time”, afirmou o vice-presidente, José Paulo Fernandes.

Amanhã, os dirigentes deverão ter uma reunião com o técnico Paulo Autuori a fim de começar a traçar um planejamento para o próximo semestre.

O objetivo do treinador, cuja permanência dependerá do resultado da eleição para escolha da nova diretoria, em dezembro, é começar a estabelecer uma nova base para a equipe, o que exigirá uma série de contratações.

Em 14º lugar com 20 pontos, o Santos tem chances remotíssimas de classificação para a etapa decisiva do Brasileiro -necessita ganhar seus quatro últimos jogos e torcer por uma combinação de resultados que o favoreça.

Por isso, em curto prazo, a ênfase do trabalho de Autuori será a preparação do time para o campeonato que reunirá do 9º ao 16º colocado do Brasileiro e oferece uma vaga para a próxima edição da Taça Libertadores da América, a principal competição de clubes do continente.

A goleada de 4 a 1 sofrida para o Corinthians na última quarta-feira gerou um ambiente de total desânimo entre os atletas para a partida contra o Juventude.

“O discurso de que jogador tem de estar motivado todo mundo faz. Mas nem sempre isso corresponde à verdade. Se dissesse isso agora, estaria falando uma coisa que não é real”, disse Autuori.

A expectativa de público é tão ruim que a venda de ingressos começará somente às 9h de hoje, a preços reduzidos -a arquibancada custará R$ 5.

O atacante Paulo Rink é um dos que expressam o abatimento do grupo e o desconforto de voltar a jogar na Vila Belmiro, onde o time ganhou só dois dos oito jogos que disputou -nos demais, perdeu três e empatou três.

“Não posso tirar a razão da torcida, que está protestando. Hoje, a gente quase já não briga mais pela classificação, e é difícil jogar nessa situação”, disse o jogador.

Autuori deve introduzir algumas mudanças na equipe em relação à formação que começou o jogo contra o Corinthians.

A principal será o retorno ao meio-campo do volante Claudiomiro, provavelmente na vaga de Elson. No clássico, ele atuou improvisado na lateral esquerda, posição que voltará a ser ocupada por Gustavo.

A dupla de ataque deverá ser formada por Lúcio e Dodô -nesse caso, Paulo Rink irá para o banco de reservas. Caso Lúcio seja mesmo deslocado para o setor ofensivo, Adiel ganhará um lugar no meio-campo.

Vila é alívio para o Juventude

Se o Santos já desistiu do Brasileiro-99, a situação do Juventude é ainda pior. Último colocado no campeonato, o rebaixamento para a Série B é tido como praticamente inevitável.

Mesmo assim, o time gaúcho espera surpreender o Santos, aproveitando-se do fato de o adversário estar em crise e sendo hostilizado por sua torcida.

Como a partida é na Vila Belmiro, o Juventude acha que as vaias para a equipe da casa podem ajudá-lo a obter os três pontos.