2001 - Acervo Santista

Navegando Posts marcados como 2001

O Santos oficializou hoje às 11h o técnico Celso Roth como substituto de Cabralzinho, demitido na quarta-feira.

O anúncio da contratação foi feito após uma reunião entre o técnico, o presidente do clube, Marcelo Teixeira, e outros dirigentes.

Inicialmente, o contrato tem validade de apenas seis meses, encerrando-se no final das competições do primeiro semestre _o clube da Vila Belmiro disputa no período o Torneio Rio-São Paulo e a Copa do Brasil.

O técnico, que revelou as bases financeiras da negociação, começa o trabalho na quarta-feira, com a reapresentação dos jogadores e quando apresenta uma lista de reforços e seus assistentes.

“Temos noção do plantel e sabemos que há carências. Mas conversaremos depois sobre isso com a diretoria.”

Na quinta-feira, o grupo inicia a pré-temporada em São Pedro ou Várzea Grande paulista.

Roth estava desempregado desde outubro, quando foi dispensado pelo Palmeiras. Apesar de ter levado o alviverde à liderança no início do Brasileiro-01, o treinador foi duramente criticado pela torcida e demitido.


Santos 2 x 2 Vasco

Data: 02/12/2001, domingo, 15h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 27ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.466 pagantes
Renda: R$ 10.567,50
Árbitro: Lourival Dias Lima Filho (BA)
Cartões amarelos: Cléber, Marcelo Silva e Pereira (S); Gilberto (V).
Gols: Gilberto (34-1); Dedé (24-2); Marcelo Silva (31-2) e Válber (32-2).

SANTOS
Pitarelli; Russo (Valdir), Pereira, Cléber e Léo; Válber, Marcelo Silva, Canindé (Wiliam) e Robert (Vágner); Elano e Viola.
Técnico: Cabralzinho

VASCO
Hélton; Rafael (André Ladaga), Géder, João Carlos e Gilberto; Jamir (Ricardo), Donizete Oliveira, Fabiano Eller, Souza (Eli Tadeu); Dedé e Léo Lima.
Técnico: Paulo César Gusmão



Santos se despede do Brasileiro com empate contra o Vasco, na Vila

O Santos não passou do empate em 2 a 2 com o Vasco, neste domingo, na Vila Belmiro, na última rodada do Campeonato Brasileiro. A partida serviu apenas para cumprir tabela, já que nenhuma das duas equipes tinham chances de classificação nem corriam o risco de rebaixamento.

Os cariocas, mesmo sem Romário, surpreenderam e abriram o placar com Gilberto, cobrando pênalti, aos 34min. Na segunda etapa, Dedé aumentou a vantagem vascaína.

Os santistas reagiram e alcançaram o empate em dois minutos. Marcelo Silva marcou o primeiro, aos 31min, e Válber deixou tudo igual no placar, aos 32min.

As duas equipes agora entram em férias e só retornam às atividades no início de 2002, quando iniciarão os preparativos para a Liga Rio-São Paulo.

No Santos, a expectativa fica para a permanência ou não do meia-atacante Marcelinho. O presidente Marcelo Teixeira, reeleito ontem, confirmou que já iniciou as negociações para renovar o contrato do ex-corintiano.


Marcelo Teixeira permanecerá na presidência do Santos no biênio 2002/03. A chapa Rumo Certo, da situação, venceu a Resgate, da oposição, liderada pelo empresário Fernando Silva.

O pleito definiu a renovação de um terço do Conselho Deliberativo (150 conselheiros e 50 suplentes) e no início de janeiro o dirigente terá sua reeleição oficializada.

Dos 10.258 sócios aptos a votar, apenas 1.954 compareceram à Vila Belmiro. O grupo de Teixeira recebeu 1.083 votos, contra 871 do de Silva. Cinco associados votaram em branco e um anulou.

“Minha meta é dar prosseguimento ao trabalho que iniciamos há um ano e dez meses. Esse espaço seria muito curto para que o Santos pudesse crescer, principalmente pela forma que assumi, e da maneira como estava o clube”, disse o presidente, em entrevista à Folha Online.

Teixeira descartou um desmanche no time profissional para a temporada 2002. Segundo ele, “a base é boa e será mantida”. Entre as prioridades está a renovação de contrato de Marcelinho Carioca. As negociações entre as duas partes já foram iniciadas.

O técnico Cabralzinho não deve continuar no clube após o Campeonato Brasileiro. Existe a possibilidade da contratação de Oswaldo Oliveira, atualmente no Fluminense. O gerente de futebol do clube carioca, Paulo Angioni, também é pretendido pela direção santista.


Fluminense 2 x 1 Santos

Data: 24/11/2001, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 26ª rodada (penúltima)
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 20.561
Renda: R$ 160.747,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR).
Cartões amarelos: Régis e Sidnei (F); Pitarelli, Preto, Cléber, Renato e Paulo Almeida (S).
Gols: André Luís (02-1); Cléber (26-2) e André Luís (29-2).

FLUMINENSE
Murilo; Flávio, André Luís, Régis e Paulo César; Marcão, Sidnei (Fabinho), Fernando Diniz e Roger; Alex (Gilmar) e Caio (Magno Alves).
Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTOS
Pitarelli; Russo, Preto (Pereira), Cléber e Léo; Válber, Marcelo Silva, Renato (Paulo Almeida) e Robert (Canindé); Elano e Viola.
Técnico: Cabralzinho



Fluminense garante vaga ao vencer o Santos

Derrota agrava crise na Vila Belmiro, que viveu semana turbulenta

A vitória de 2 a 1 sobre o Santos ontem no Maracanã sacramentou a classificação do Fluminense para as quartas-de-final do Campeonato Brasileiro, levou-o à segunda posição (pelo menos até as partidas de hoje) e deixou-o perto de uma grande vantagem: se ficar entre os quatro primeiros colocados, disputará no Rio o jogo único da próxima fase.

Para o Santos, a derrota confirmou a eliminação na competição, a uma rodada do final da primeira fase. O Fluminense alcançou os 48 pontos. O Santos estancou nos 35.

Muito equilibrada, a partida foi decidida por um zagueiro, André Luís. Durante a semana, ele havia prometido “”vingança” contra o Santos, clube que o dispensou depois do Campeonato Paulista, responsabilizando-o pela derrota. Hoje no Fluminense, André Luís fez os dois gols do seu time.

Apesar dos mais de 30 graus centígrados no estádio, mesmo com o jogo começando às 17h09, o Fluminense começou em ritmo intenso. A 1min, o atacante Alex arrancou quase do meio-campo, chutou, o goleiro Pitarelli defendeu, e a bola tocou na trave.
Numa cobrança de escanteio por Roger, André Luís cabeceou, abrindo o placar, aos 2min.

Surpreendido, o Santos teve dificuldades para se organizar. Aos 14min, a equipe pediu pênalti contra o Fluminense: a bola tocou na mão do lateral Paulo César, dentro da área. O árbitro Héber Roberto Lopes (PR) considerou que o toque não foi proposital.

A partir dos 20min, o Santos reagiu e passou a dominar um encolhido Fluminense. Aos 24min, o goleiro tricolor Murilo fez uma defesa difícil num chute do meia Robert. Aos 29min, o atacante santista Viola cabeceou na trave. Em seguida, Robert chutou, e a bola raspou a trave. Aos 39min, Viola iria concluir para o gol, mas Murilo interceptou o passe.

No final do primeiro tempo, apesar de pressionado, o Fluminense quase marcou: Paulo César driblou Marcelo Silva e acertou no travessão.

O Fluminense voltou melhor, com destaque para Alex, que estreou no ataque titular da equipe. Caio, com desempenho ruim, jogou ontem ao seu lado. Aos 9min, o zagueiro santista Preto se contundiu ao fazer falta violenta em Alex. Preto recebeu cartão amarelo e não conseguiu voltar -foi substituído pelo meia Pereira.

Com a equipe mais ofensiva, o Santos foi ao ataque e imprensou o Fluminense. O técnico da equipe carioca, Oswaldo Oliveira, tentou reforçar a sua defesa, substituindo Sidney por Fabinho, um meia tipicamente defensivo.

Não adiantou: logo depois, aos 27min, o atacante Elano cobrou escanteio. Na confusão na área, o zagueiro Cléber empatou.
Com o impacto do gol, o Fluminense mudou de papel. Partiu para cima e, aos 30min, desempatou, com André Luís concluindo depois de receber livre diante de Pitarelli. O Santos pediu impedimento, mas não foi atendido.

Aos 43min, quando Leo foi derrubado, o juiz marcou falta fora da área. Jogadores do Santos pediram pênalti, alegando que a infração ocorreu na área. De novo, o juiz discordou.


Santos 1 x 2 Ponte Preta

Data: 18/11/2001, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 25ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda: R$ 48.385,00
Público: 6.268 pagantes
Árbitro: Edilson Pereira de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Cléber (S); Macedo, Carlos Alexandre, Mineiro e Marco Aurélio (PP).
Gols: Russo (17-1) e Washington (39-1, de pênalti); Adrianinho (46-2).

SANTOS
Pitarelli; Russo (William), Preto, Cléber e Léo; Marcelo Silva, Renato, Elano e Robert; Marcelinho Carioca (Canindé) e Viola.
Técnico: Cabralzinho

PONTE PRETA
Alexandre; Carlos Alexandre, Rodrigo, Ronaldão e Elivelton; Roberto, Mineiro, Humberto (Luiz Carlos) e Piá (Marco Aurélio); Macedo (Adrianinho) e Washington.
Técnico: Oswaldo Alvarez



Ponte vence de virada na Vila, assume o 8º lugar e elimina o Santos

A Ponte Preta conquistou um grande resultado nesta tarde ao derrotar o Santos, de virada, por 2 a 1, na Vila Belmiro. Com a vitória, a equipe de Campinas, além de aumentar suas chances de classificação, eliminou o Santos, um dos que ainda estavam na disputa.

O resultado neste domingo fez a Ponte chegar à oitava posição, com 41 pontos, mesma soma do Bahia, sétimo colocado. Mas o time de Salvador leva vantagem no número de vitórias: 12 contra 11. O Internacional caiu para nono, com 40.

Os santistas permaneceram com 35, mas mesmo que vençam os dois próximos jogos (Fluminense, no Rio, e Vasco, em casa), chegarão somente a 11 triunfos.

O Santos chegou a dar esperanças a seus torcedores com o gol do lateral-direito Russo, logo aos 17min, após falha da defesa adversária.

Mas aos 41min, o zagueiro Cléber derrubou Washington na área. O atacante e artilheiro do Nacional cobrou bem o pênalti e marcou seu 18º gol na competição.

Nos acréscimos da segunda etapa, Adrianinho marcou o gol da vitória da Ponte.

O time de Oswaldo Alvarez voltar a jogar no próximo domingo, em casa, contra o Sport. Depois, decide a vaga contra o Coritiba, na capital paranaense.