Navegando Posts marcados como 2007

Santos 2 x 4 Fluminense

Data: 02/12/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 14.377 pagantes
Renda: R$ 98.754,00
Árbitro: Edson Esperidião (ES).
Auxiliares: Cleidy Mary Santos Nunes Ribeiro (SC) e Flávio Gilberto Kanitz (GO).
Cartões amarelos: Domingos, Rodrigo Tabata e Alessandro (S)
Gols: Rodrigo Souto (31-1), Adriano Magrão (32-1) e Luiz Alberto (40-1); Thiago Neves (02-2), Alessandro (17-2) e Arouca (25-2).

SANTOS
Felipe; Domingos (Petkovic), Adaílton e Antônio Carlos (Pedrinho); Alessandro, Maldonado, Rodrigo Souto, Rodrigo Tabata e Kléber; Marcos Aurélio (Renatinho) e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

FLUMINENSE
Fernando Henrique, Luiz Alberto, Thiago Silva e Roger; Gabriel, Maurício, Arouca (David), Thiago Neves (Rodrigo Tiuí) e Júnior César; Cícero e Adriano Magrão (Romeu).
Técnico: Renato Gaúcho



Santos perde do Fluminense, mas é vice-campeão nacional

Nem parecia que Santos e Fluminense já haviam definido suas situações dentro do Campeonato Brasileiro e já estavam classificados para a Taça Libertadores. Num duelo movimentadíssimo e que marcou a despedida do zagueiro Antonio Carlos, os cariocas venceram por 4 a 2, na Vila Belmiro. Apesar do tropeço, os paulistas terminam como vice-campeões Nacional-07, graças à derrota do Flamengo para o Náutico por 1 a 0, no Recife.

O Santos encerra sua participação com 62 pontos, um à frente do Flamengo. Por isso vai receber uma boa bonificação. Os paulistas ganharão do Clube dos 13 R$ 1,125 mi. Já o Fluminense, que acabou um jejum de 14 anos sem vencer o rival no Estado de São Paulo, ficou em quarto lugar, com 61 pontos, e faturará R$ 800 mil.

Paralelo à classificação e à premiação, as duas equipes já começam a pensar na próxima temporada. Do lado santista, o Antonio Carlos anunciou o fim da sua carreira. Como homenagem, entrou em campo neste domingo como capitão e usando a camisa 10, que foi eternizada por Pelé.

“Jogar com a camisa do maior do mundo e ser capitão num dia desses é muito emocionante. Quero agradecer a todos por essa carreira maravilhosa”, disse um emocionado zagueiro, que deverá ser confirmado nos próximos dias como diretor do Corinthians. Por outro lado, o técnico Vanderlei Luxemburgo ainda não definiu se continuará no comando dos paulistas.

Se ainda existe indefinição no Santos, o Fluminense já trabalha com alguns nomes para reforçar seu elenco para a Libertadores. O atacante Dodô, que deixou recentemente o rival Botafogo, deverá ser anunciado nos próximos dias como o primeiro reforço para a temporada 2008.

O jogo

Apesar da tranqüilidade das duas equipes, o duelo deste domingo foi movimentado desde o seu início. Para se ter idéia, o Fluminense teve duas grandes oportunidades e todas pararam na trave de Felipe. Na primeira, logo a 1min, o atacante Adriano Magrão, livre e dentro da pequena área, errou o alvo e o acertou o travessão santista. Depois, aos 19min, foi a vez de Gabriel arriscar e acertar a trave.

Já o Santos foi mais eficiente em um de suas primeiras chances. Aos 31min, Rodrigo Tabata cobrou falta para área e encontrou o volante Rodrigo Souto, que desviou e abriu o placar. Mas a equipe paulista teve pouco tempo para comemorar. Um minuto depois, Thiago Neves encontrou Adriano Magrão, que desta vez não falhou e tocou no canto direito de Felipe: 1 a 1.

Melhor em campo, a equipe carioca virou, aos 40min. Em jogada ensaiada com Thiago Neves, Junior César cruzou e encontrou Luiz Alberto, que, sem marcação, teve apenas o trabalho de cabecear para o fundo das redes. Esse domínio da equipe de Renato Gaúcho continuou e chegou ao terceiro. Aos 2min, Thiago Neves recebeu de Cícero, driblou Domingos e anotou seu 12º gol no Campeonato Brasileiro.

Atrás no placar, Luxemburgo decidiu mudar sua equipe. Colocou o rápido Renatinho e o experiente Petkovic nos lugares de Marcos Aurélio e Domingos, respectivamente. Desta forma, passou a pressionar o rival e chegou ao segundo gol, com o lateral Alessandro, aos 18min.

Quando parecia que o Santos chegaria ao empate, Arouca anotou o quarto, aproveitando rebote de Felipe, aos 25min, e definiu o marcador: 4 a 2.

Paraná 2 x 3 Santos

Data: 25/11/2007, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada
Local: Estádio Durival Britto e Silva, Vila Capanema, em Curitiba, PR.
Árbitro: Alicio Pena Junior (MG/ Fifa)
Auxiliares: Marco Antônio Gomes e Márcio Eustáquio S. Santiago (MG)
Cartões amarelos: Jumar, Léo Matos, Daniel Marque e Vandinho (Paraná); Marcelo (Santos)
Gol: Jumar (30-1); Paulo Rodrigues (25-2), Kléber Pereira (28-2), Kléber Pereira (36-2) e Kléber Pereira (38-2).

PARANÁ
Gabriel, Léo Matos, Daniel Marques, Neguette e Paulo Rodrigues; Goiano, Jumar (Jumar), Giuliano e Vandinho (Jefferson); Josiel e Lima (Adriano).
Técnico: Saulo de Freitas

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Marcelo (Carlinhos) e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto, Vítor Júnior (Renatinho) e Rodrigo Tabata; Marcos Aurélio (Petkovic) e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Kléber Pereira faz 3, Santos vira e assegura vaga na Libertadores 2008

Depois de desperdiçar duas oportunidades de garantir a classificação à Copa Libertadores da América 2008, o Santos enfim conseguiu o seu objetivo ao vencer, no sufoco, o Paraná por 3 a 2, na noite deste domingo, no estádio Vila Capanema. A equipe de Vanderlei Luxemburgo chegou a ficar dois gols atrás no placar no confronto em Curitiba, mas foi salva pelo atacante Kléber Pereira, que fez três gols num intervalo de 10 minutos.

O Santos alcançou os 62 pontos e segue na segunda colocação da tabela. Como falta apenas uma rodada para o término do Nacional, o time da Baixada Santista não pode mais ser ultrapassado por Palmeiras (58), Grêmio (57) e Cruzeiro (57), que também lutam por uma das vagas na competição continental – o Flamengo também conseguiu o feito ao bater o Atlético-PR por 2 a 0, no Maracanã.

Já o Paraná praticamente caiu para a Série B. O time curitibano ocupa a 18ª colocação com 41 pontos e precisa torcer por tropeços do Corinthians e Goiás, que enfrentam na quarta-feira o Vasco e o Atlético-MG, respectivamente. Somado a isso, a equipe dirigida por Saulo de Freitas ainda terá que ganhar dos vascaínos no próximo domingo e voltar a secar os adversários diretos.

Precisando vencer para seguir na elite do futebol brasileiro na próxima temporada, o Paraná contou com o apoio de quase 16 mil torcedores e tratou de pressionar o Santos desde o apito inicial. Com mais ritmo de jogo, o time paranaense saiu na frente aos 30 minutos do primeiro tempo.

Numa cobrança de falta despretensiosa na lateral esquerda, o volante Jumar surpreendeu ao chutar direto em vez de alçar na área. Apesar de a bola ter saído sem muita velocidade e ter sido levemente desviada, o goleiro Fábio Costa falhou ao não conseguir fazer a defesa. Nos momentos iniciais do duelo, o camisa 1 santista quase havia entregue o ouro ao sair errado da pequena área, mas Giuliano desperdiçou o favor ao cabecear para fora.

Depois de começar a partida com uma formação mais recuada – Maldonado, Vítor Júnior e Rodrigo Souto tentaram formar uma barreira no meio-campo -, o treinador Vanderlei Luxemburgo decidiu partir para cima ao mandar a campo um terceiro atacante, colocando Renatinho na vaga de Vítor Júnior aos 36min. E logo em seguida o Santos quase empatou, mas Kléber Pereira concluiu errado, de cabeça, um cruzamento de Kléber.

Sem criatividade e apoio nas jogadas pela lateral, Luxemburgo colocou no começo da etapa complementar o sérvio Petkovic e Carlinhos para dar mais mobilidade ao time. Mas o Paraná, que chegou a sofrer pressão, voltou a marcar em nova cobrança de falta. Aos 25 min, Paulo Rodrigues bateu fechado e encobriu o goleiro Fábio Costa para fazer 2 a 0.

Três minutos depois começou a reação do Santos, com três gols de Kléber Pereira num intervalo de 10 minutos. O primeiro foi de cabeça após cruzamento de Petkovic. O atacante empatou em seguida ao receber um longo cruzamento e dar um toque de cabeça para tirar o goleiro Gabriel da jogada. O centroavante só teve o trabalho de empurrar para o gol vazio. A virada saiu depois de um cruzamento de Renatinho, que Kléber Pereira completou – ele é o artilheiro da equipe no Brasileirão com 16 gols.

Flamengo 1 x 0 Santos

Data: 11/11/2007, domingo,
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 81.844 pagantes e 87.716 presentes.
Renda: R$ 1.085.790,00
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Erich Bandeira (PE)
Cartões amarelos: Toró (F). Maldonado, Pedrinho e Rodrigo Tabata (S).
Gol: Souza (30-2).

FLAMENGO
Bruno; Leonardo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Jaílton (Obina), Cristian, Ibson e Toró (Roger); Renato Augusto e Souza (Léo Medeiros).
Técnico: Joel Santana

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro (Petkovic), Domingos, Marcelo e Kleber; Maldonado, Adriano (Renatinho), Rodrigo Souto, Pedrinho (Vítor Júnior) e Rodrigo Tabata; Kleber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Flamengo derrota o Santos e se aproxima da Libertadores

O Flamengo deu um passo importante para chegar à Libertadores. Na noite deste domingo, no Maracanã, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Rubro-Negro derrotou o Santos, por 1 a 0, gol de Souza. O triunfo deixou o time carioca com 58 pontos, na terceira posição. Já o Peixe, mesmo com o revés, segue em segundo, com 59, e sua situação continua relativamente tranqüila.

Na próxima rodada, no fim de semana dos dias 24 e 25, o Flamengo pega o Atlético-PR, no Maracanã (provavelmente com os portões fechados), enquanto o Santos encara o Paraná Clube, no Durival de Britto, em Curitiba. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) ainda não definiu as datas e horários.

Antes da bola rolar, duas “surpresas”. O goleiro Fábio Costa, do Santos, recuperado de dores lombares, e o zagueiro Ronaldo Angelim, do Flamengo, sem as dores no peito, foram confirmados como titulares nas respectivas equipes.

Quando a partida começou, o Flamengo, apoiado pela sua torcida, apresentou um ligeiro domínio no primeiro tempo. Ganhando a maioria das ações no meio-campo, os jogadores sempre chegavam com perigo. O goleiro Fábio Costa salvou o time paulista duas vezes, após arremates de Renato Augusto e Juan.

O Santos também assustou nos 45 minutos iniciais. A melhor opção da equipe paulista foi com o volante Rodrigo Souto. A principal chance surgiu logo aos nove minutos, mas a bola saiu à direita de Bruno.

O segundo tempo começou com o Flamengo exercendo uma grande pressão para cima do Santos. Porém, tirando uma falta de Cristian, o goleiro Fábio Costa pouco trabalhou.

O Santos equilibrou as ações a partir dos 25. Só que o Flamengo acabou inaugurando o placar, aos 30 minutos, por intermédio de Souza, após receber toque de Fábio Luciano.

Com o resultado negativo, Vanderlei Luxemburgo mexeu na equipe e colocou Renatinho e Petkovic. A equipe ainda tentou algo, mas esbarrou nas defesas de Bruno.

Data: 04/11/2007 (domingo)
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, Santos, SP.
Público: 7.063 pagantes
Renda: R$ 71.735,00
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS – Fifa)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Aristeu Leonardo Tavares (RJ)
Cartões amarelos: Domingos (SFC), Vinícius e Marquinhos (CAM)
Cartão vermelho: Marquinhos (segundo amarelo)
Gols: Marcelo (08-1, contra), Kléber Pereira (06-2), Kléber Pereira (31-2) e Eduardo (33 min-2).

SANTOS
Felipe; Baiano, Marcelo, Domingos e Kléber; Dionísio (Vítor Júnior), Adriano, Petkovic (Renatinho) e Pedrinho; Marcos Aurélio (Wesley) e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

ATLÉTICO-MG
Juninho; Coelho, Leandro Almeida, Vinícius, Thiago Feltri (Eduardo) e Serginho; Xaves, Marcinho (Marquinhos) e Renan; Éder Luís e Vanderlei.
Técnico: Émerson Leão



Em jogo eletrizante, Santos e Atlético-MG empatam na Vila

O encontro entre os técnicos Vanderlei Luxemburgo e Émerson Leão teve de tudo na segunda etapa. No final, ninguém venceu. O Santos virou o placar, mas permitiu o empate do Atlético-MG na Vila Belmiro, 2 a 2, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

Com este resultado, o Santos mantém a vice-liderança do Brasileirão, 59 pontos, e amplia sua invencibilidade na Vila Belmiro. São dez jogos sem derrota na Baixada. O empate na Vila aliviou um pouco o Atlético na incômoda disputa para sair da rabeira, 46 pontos, e mantém o time de Belo Horizonte firme no grupo da Copa Sul-Americana.

Bem distante do Santos na tabela, o Atlético-MG, porém, teve amplo domínio no primeiro tempo de jogo. Sem poder contar com seus três principais volantes, Maldonado, Rodrigo Souto e Adoniran, o Santos permitiu os avanços ofensivos do clube mineiro. Sobrecarregada, a defesa santista cometeu erros graves, que culminou na abertura do placar.

Aos 8 min, o atacante Éder Luís cruza bola para área sem grande pretensão, mas a bola desviou no zagueiro santista Marcelo e acabou enganando o goleiro Felipe, que nada pôde fazer para evitar o gol atleticano. Um minuto depois foi a vez do beque Domingos quase marcar contra, mas Felipe impediu.

O Atlético teve pelo menos outras duas oportunidades de ampliar o marcador na etapa inicial. Pouco inspirados, Petkovic e Pedrinho não conseguiram articular ações de ataque.

Insatisfeito com o rendimento do Santos, Luxemburgo iniciou a segunda etapa com Vítor Júnior e Renatinho entre os titulares. Muito mais veloz, o Santos equilibrou a partida e chegou ao empate aos 7 min do segundo tempo; Kléber Pereira converteu pênalti.

Inspirado, o Santos por pouco não virou o placar aos 14 min com Pedrinho, que driblou dois, arriscou, mas Juninho fez excelente defesa. A virada parecia questão de tempo. Marcado por três atleticanos, Kléber Pereira deixou Leandro Almeida no chão, e chutou rasteiro no canto esquerdo. Irado, Leão reclamou da arbitragem, alegando inversão na cobrança de lateral.

O Santos nem comemorou; dois minutos depois, aos 33 min, Coelho cobrou falta na direita e Eduardo cabeceia. Aos 45 min, o time da casa quase marcou o terceiro, novamente com Pereira. Destaque do Atlético-MG, o goleiro Juninho tirou a bola quase em cima da linha.

O Santos tem agora dois compromissos fora de casa nesta reta final de Brasileirão. No próximo domingo, o clube paulista enfrenta o Flamengo, no Maracanã; em seguida, encara o Paraná Clube. Já o Atlético-MG tem seqüência teoricamente mais fácil; pega em casa os ameaçados Juventude e Goiás.

Náutico 1 x 2 Santos

Data: 31/10/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio dos Aflitos, em Recife, PE.
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Alessandro Rocha (BA) e Aristeu Leonardo Tavares (RJ).
Cartões amarelos: Elicarlos e Acosta (N); Adriano, Tabata e Rodrigo Souto (S).
Gols: Felipe (15-1); Pedrinho (41-1) e Kléber Pereira (45-2).

NÁUTICO
Fabiano, Radamés, Onildo, Toninho, Julio César, Daniel Paulista, Elicarlos (Marcelo Silva), Geraldo e Acosta; Marcelinho e Felipe (Ferreira).
Técnico: Roberto Fernandes

SANTOS
Fábio Costa; Dionísio, Marcelo, Domingos e Kléber; Rodrigo Souto, Adriano, Petkovic (Pedrinho) e Tabata (Vítor Júnior); Marcos Aurélio (Renatinho), Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos supera Náutico nos Aflitos e fica perto da Libertadores

Náutico e Santos entraram em campo decididos a vencer para facilitar suas respectivas metas neste Brasileirão: manutenção na elite do torneio e a vaga à Libertadores. O time da Vila, porém, foi melhor, venceu por 2 a 1, nesta quarta-feira à noite, nos Aflitos, e ficou mais perto do torneio sul-americano.

O Santos se manteve na segunda posição do Brasileiro, com 58 pontos, se distanciando do concorrente Grêmio, 54 pontos. Outro rival, o Flamengo também venceu, chegando aos 55 pontos e assumindo a 3ª posição.

Já o Náutico perdeu sua invencibilidade de cinco jogos seguidos em casa com vitória. Ameaçado pelo rebaixamento, o Náutico, por sorte, viu seus concorrentes perderem; o Goiás caiu em casa diante do Vasco e o Corinthians para o Flamengo.

Uma derrota seria catastrófica para ambas as equipes. Por isso, Náutico e Santos não economizaram jogadas ofensivas na primeira etapa. O time da Vila começou assustando os donos da casa. Aos 9min, Marcos Aurélio invadiu a área e chutou no travessão.

A resposta do Náutico não demorou. Aos 16 min, o lateral Júlio César cruzou na cabeça do atacante Felipe, que teve o cuidado de cabecear no contrapé de Fábio Costa. Desde então, o clube pernambucano soube trabalhar mais a bola no ataque; o Santos ameaçava com contragolpes rápidos.

Quando a etapa inicial estava pra se encerrar, Kléber Pereira, aos 45 min, foi mais ligeiro que o goleiro Fabiano e tocou a bola para o gol, após linda enfiada de bola de Rodrigo Tabata. Criticado pela torcida santista na rodada passada, Kléber Pereira encerrou a fase sem gols no Brasileirão, que já durava oito partidas.

O Santos voltou a acertar bola na trave do Náutico após o intervalo de jogo. Ousado, o lateral Dionísio arriscou chute de longa distância, aos 21 min da segunda etapa, assustando o goleiro Fabiano. Temendo serem surpreendidos, os times paulistas e pernambucanos se seguraram em campo.

Novamente decisivo, o meia Pedrinho repetiu a exibição da rodada passada, quando marcou contra o Goiás e anotou o gol da vitória sobre o náutico, aos 41 min. Kléber lançou Pedrinho, que chutou cruzado, num lindo gol.

Na próxima rodada, o Santos enfrenta o Atlético-MG, domingo, na Vila Belmiro, enquanto o Náutico sai de casa para encarar o Fluminense, no Maracanã.