Navegando Posts marcados como 2007

Náutico 1 x 2 Santos

Data: 31/10/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio dos Aflitos, em Recife, PE.
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Alessandro Rocha (BA) e Aristeu Leonardo Tavares (RJ).
Cartões amarelos: Elicarlos e Acosta (N); Adriano, Tabata e Rodrigo Souto (S).
Gols: Felipe (15-1); Pedrinho (41-1) e Kléber Pereira (45-2).

NÁUTICO
Fabiano, Radamés, Onildo, Toninho, Julio César, Daniel Paulista, Elicarlos (Marcelo Silva), Geraldo e Acosta; Marcelinho e Felipe (Ferreira).
Técnico: Roberto Fernandes

SANTOS
Fábio Costa; Dionísio, Marcelo, Domingos e Kléber; Rodrigo Souto, Adriano, Petkovic (Pedrinho) e Tabata (Vítor Júnior); Marcos Aurélio (Renatinho), Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos supera Náutico nos Aflitos e fica perto da Libertadores

Náutico e Santos entraram em campo decididos a vencer para facilitar suas respectivas metas neste Brasileirão: manutenção na elite do torneio e a vaga à Libertadores. O time da Vila, porém, foi melhor, venceu por 2 a 1, nesta quarta-feira à noite, nos Aflitos, e ficou mais perto do torneio sul-americano.

O Santos se manteve na segunda posição do Brasileiro, com 58 pontos, se distanciando do concorrente Grêmio, 54 pontos. Outro rival, o Flamengo também venceu, chegando aos 55 pontos e assumindo a 3ª posição.

Já o Náutico perdeu sua invencibilidade de cinco jogos seguidos em casa com vitória. Ameaçado pelo rebaixamento, o Náutico, por sorte, viu seus concorrentes perderem; o Goiás caiu em casa diante do Vasco e o Corinthians para o Flamengo.

Uma derrota seria catastrófica para ambas as equipes. Por isso, Náutico e Santos não economizaram jogadas ofensivas na primeira etapa. O time da Vila começou assustando os donos da casa. Aos 9min, Marcos Aurélio invadiu a área e chutou no travessão.

A resposta do Náutico não demorou. Aos 16 min, o lateral Júlio César cruzou na cabeça do atacante Felipe, que teve o cuidado de cabecear no contrapé de Fábio Costa. Desde então, o clube pernambucano soube trabalhar mais a bola no ataque; o Santos ameaçava com contragolpes rápidos.

Quando a etapa inicial estava pra se encerrar, Kléber Pereira, aos 45 min, foi mais ligeiro que o goleiro Fabiano e tocou a bola para o gol, após linda enfiada de bola de Rodrigo Tabata. Criticado pela torcida santista na rodada passada, Kléber Pereira encerrou a fase sem gols no Brasileirão, que já durava oito partidas.

O Santos voltou a acertar bola na trave do Náutico após o intervalo de jogo. Ousado, o lateral Dionísio arriscou chute de longa distância, aos 21 min da segunda etapa, assustando o goleiro Fabiano. Temendo serem surpreendidos, os times paulistas e pernambucanos se seguraram em campo.

Novamente decisivo, o meia Pedrinho repetiu a exibição da rodada passada, quando marcou contra o Goiás e anotou o gol da vitória sobre o náutico, aos 41 min. Kléber lançou Pedrinho, que chutou cruzado, num lindo gol.

Na próxima rodada, o Santos enfrenta o Atlético-MG, domingo, na Vila Belmiro, enquanto o Náutico sai de casa para encarar o Fluminense, no Maracanã.

Goleiros:
Fábio Costa
Roger
Felipe


Laterais:
Pedro
Kléber
Dênis
Carlinhos
Alessandro


Zagueiros:
Adaílton
Antônio Carlos
Ávalos
Domingos
Marcelo
Leonardo


Volantes:
Maldonado
Rodrigo Souto
Adriano
Dionísio


Meias:
Zé Roberto
Cléber Santana
Pedrinho
Rodrigo Tabata


Atacantes:
Jonas
Fabiano
Marcos Aurélio
Rodrigo Tiuí
Júnior
Renatinho
Moraes


Técnico:
Vanderlei Luxemburgo



Santos Futebol Clube

– Presidente: Marcelo Teixeira (2006-2007)
– Patrocínio: Semp Toshiba (master) e Bombril (mangas).
– Fornecedor: Umbro

Elenco:

G – Fabio Costa
G – Roger José de Noronha Silva
G – Felipe Garcia dos Prazeres

LD – Pedro Alves da Silva / LD – Alessandro Mori Nunes
LE – Kléber de Carvalho Correia
LD – Dênis Oliveira de Souza / A – Aluísio Chaves Ribeiro Moraes Júnior
LE – Carlos Andrade Souza (Carlinhos)

Z – Adaílton dos Santos Filho
Z – Antônio Carlos Zago
Z – Cristiano Ávalos dos Passos
Z – Domingos Nascimento dos Santos Filho
Z – Marcelo Antônio Guedes Filho

V – Cláudio Andrés Maldonado Rivera
V – Rodrigo Ribeiro Souto
V – Adriano Bispo Santos / Z – Leonardo José Aparecido Moura
V – Dionísio de Oliveira Alves

M – José Roberto da Silva Júnior (Zé Roberto)
M – Cléber Santana Loureiro
M – Pedro Paulo de Oliveira (Pedrinho)
M – Rodrigo Barbosa Tabata

A – Jonas Gonçalves Oliveira
A – Fabiano Vieira Soares
A – Marcos Aurélio de Oliveira Lima
A – Rodrigo Bonifácio da Rocha (Rodrigo Tiuí)
A – José Artur de Melo Júnior
A – Renato Carlos Martins Júnior (Renatinho)

T – Vanderlei Luxemburgo da Silva



Histórico:

O Santos anunciou ontem a inscrição do atacante Moraes para a última vaga que o clube tinha direito na Libertadores. O atleta, autor do gol do título no Paulista-07, foi inscrito no lugar do lateral-direito Denis, que sofreu uma lesão no joelho e não jogará mais neste ano.

A expectativa era que o clube contratasse um atacante de nome. Porém o prazo para a inscrição expirou ontem e, sem tempo, optou-se pela solução caseira.

O Peixe tinha direito a fazer mais uma troca na lista original. Já havia substituído o volante Adriano pelo zagueiro Leonardo e o lateral-direito Pedro por Alessandro. Agora, Moraes ocupa a vaga do lateral-direito Dênis, que lesionou o joelho e só deve voltar no fim do ano. Moraes será o camisa 15.


Santos 3 x 0 Goiás

Data: 27/10/2007, sábado, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 33ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.058 pagantes
Renda: R$ 145.130,00
Árbitro: Wilson Souza de Mendonça (PE)
Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos (RN) e Altemir Hausmann (RS).
Cartões amarelos: Cristiano, Cléber Goiano, Fabiano e Paulo Henrique (G); Pedrinho (S)
Gols: Pedrinho (02-2), Rodrigo Tabata (29-2) e Vítor Júnior (36-2).

SANTOS
Fábio Costa; Dionísio, Domingos, Marcelo e Kléber; Adoniran (Adriano), Rodrigo Souto, Petkovic (Pedrinho) e Rodrigo Tabata (Vítor Júnior); Marcos Aurélio e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GOIÁS
Harlei; Vítor, Ernando, Paulo Henrique (Luiz Henrique) e André Leone; Amaral, Fábio Bahia, Cléber Goiano e Paulo Baier; Rinaldo (Fabiano) e Cristiano (Wendel).
Técnico: Márcio Araújo



Santos vence Goiás por 3 a 0 e adia título do São Paulo

O Santos venceu o Goiás por 3 a 0, na noite sábado, na Vila Belmiro, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com este resultado, o time alvinegro adiou o título do São Paulo, que neste domingo enfrenta o Sport, em Recife. O Santos subiu para 55 pontos, na segunda posição, e ainda segue com chances matemáticas de ser campeão.

Porém, mais importante que isso para a equipe de Vanderlei Luxemburgo é que a permanência no G-4 está garantida, independentemente dos outros resultados da rodada. Os gols santistas foram marcados por Pedrinho, Rodrigo Tabata e Vítor Júnior, todos no segundo tempo.

Já o Goiás continua com 41 pontos, na 16ª posição, e pode ser igualado pelo Corinthians, que soma 38 e está na zona do rebaixamento, em 17º lugar. Com isso, além de adiar o título tricolor, o Santos ajudou indiretamente o rival do Parque São Jorge.

O time de Luxemburgo entrou em campo precisando vencer para continuar com chances matemáticas de título e, principalmente, para não sair da zona de classificação à Copa Libertadores. Insatisfeito com a atuação da equipe na derrota para o Figueirense na última rodada, o técnico do clube do litoral promoveu alterações. A principal delas foi a entrada de Rodrigo Tabata na equipe titular.

O Goiás, por sua vez, precisava dos três pontos para se distanciar da zona do rebaixamento. A aposta da equipe do Centro-Oeste era Paulo Baier, que completou 33 anos durante a semana e passa por um bom momento no futebol.

Logo aos nove minutos, o volante Adoniran sentiu uma lesão e teve que ser substituído por Adriano. Apoiado pela torcida e sob forte calor, o Santos dominou o primeiro tempo, apesar da falta de objetividade. Enquanto isso, o Goiás se fechou na defesa e pouco se arriscou no ataque.

No intervalo, o meia Petkovic, que teve uma atuação discreta na etapa inicial, deu lugar a Pedrinho, sequer relacionado para o banco de reservas nas duas últimas rodadas por opção de Luxemburgo.

Nem mesmo o treinador esperava um resultado tão imediato. No primeiro minuto, o meia bateu cruzado e abriu o placar para alegria dos santistas. Foi o nono gol de Pedrinho na competição.

O técnico Márcio Araújo, do Goiás, que já havia substituído Cristiano por Wendel, no intervalo, colocou Luiz Henrique e Fabiano nos lugares de Paulo Henrique e Rinaldo, respectivamente, aos 15min do segundo tempo.

O Goiás melhorou. Mas a sorte do comandante esmeraldino não estava tão calibrada como a de Luxemburgo. Em sua primeira investida no ataque, Luiz Henrique carimbou o travessão. Rodrigo Tabata, aos 29min, e Vítor Júnior, aos 36min, ainda ampliaram para o time da casa.

Na próxima rodada, o Santos enfrenta outra equipe ameaçada pela degola, o Náutico, na quarta-feira, às 20h30, fora de casa.

Figueirense 1 x 0 Santos

Data: 21/10/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, SC.
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho e Roberto Braatz (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Alessandro, Rodrigo Souto, Marcos Aurélio e Petkovic (S); Felipe Santana e Asprilla (F).
Gol: Kléber (45-1, contra).

FIGUEIRENSE
Wilson; Felipe Santana, Chicão e Asprilla; Ruy (Carlinhos), Cleiton Xavier, Fernandes, Carlinhos e André Santos; Ramon (Frontini) e Jean Carlos (Thiago Gentil)
Técnico: Alexandre Gallo

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Marcelo e Kléber; Adoniran (Moraes), Rodrigo Souto, Petkovic e Vítor Júnior (Rodrigo Tabata); Renatinho (Marcos Aurélio) e Kléber Pereira
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos perde para o Figueira e deixa de assumir vice-liderança

O Santos perdeu por 1 a 0 para o Figueirense, na noite deste domingo, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com este tropeço, o Peixe desperdiçou a chance de alcançar a vice-liderança da competição nacional. Porém, segue no G-4, com 52 pontos, na quarta posição. Já o Figueira entrou para a zona de classificação para a Copa Sul-Americana, ao somar 45 pontos.

O Santos entrou em campo sem Maldonado, que se contundiu em jogo da seleção chilena pela Copa América. Adoniran começou a partida em seu lugar. Por outro lado, o técnico Vanderlei Luxemburgo pôde contar com o retorno do lateral-esquerdo Kléber, que estava com a seleção brasileira.

Com a derrota do Cruzeiro para o São Paulo, no Morumbi, o Peixe buscava uma vitória para assumir a vice-liderança da competição nacional. Já o Figueira iniciou o confronto com apenas quatro pontos acima da zona do rebaixamento. A favor do time da casa, existia um retrospecto positivo de quatro vitórias nos últimos quatro confrontos em Florianópolis.

O jogo começou equilibrado, com leve superioridade do Figueirense, que desperdiçou duas boas oportunidades nos momentos iniciais. Aos poucos, o Santos foi melhorando e também passou a levar perigo à meta dos anfitriões. Os erros de passe no ataque, no entanto, atrapalhavam a equipe da Vila Belmiro.

Com mais posse de bola, o Figueirense abriu o placar aos 45min. Em cruzamento da esquerda, Kléber dividiu com Ramon na primeira trave, e a bola entrou.

No intervalo, Luxemburgo sacou Vítor Júnior e Renatinho para as entradas de Rodrigo Tabata e Marcos Aurélio. As alterações deram mais movimentação ao ataque santista, mas como o gol não saía, Luxemburgo colocou o atacante Moraes no lugar do volante Adoniran, aos 27min. Os dois times ainda criaram algumas chances, mas o placar não alterado.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Goiás, no sábado, às 18h10, na Vila Belmiro. O time de Florianópolis, por sua vez, jogará com o Corinthians, no domingo, às 17h, no Pacaembu.

Santos 1 x 1 Palmeiras

Data 13/10/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 16.006 pagantes
Renda: R$ 264.510,00
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Ednilson Corona e Márcio Luiz Augusto (ambos de SP)
Cartões amarelos: Rodrigo Souto e Fábio Costa (S); Rodrigão e Francis (P).
Gols: Caio (33-1) e Renatinho (13-2).

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Domingos, Marcelo e Thiago; Adoniran, Rodrigo Souto, Petkovic (Rodrigo Tabata) e Vítor Júnior (Pedrinho); Kléber Pereira e Moraes (Renatinho)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

PALMEIRAS
Diego Cavalieri, Paulo Sérgio, Gustavo, Dininho e Valmir (Leandro); Pierre, Makelele, Valdivia e Caio (Luís); Luiz Henrique e Rodrigão (Francis)
Técnico: Caio Júnior



Santos empata com Palmeiras, segue em 3º e vê rival fora do G-4

Santos e Palmeiras repetiram neste sábado na Vila Belmiro o placar que é mais comum na história do clássico paulista. Pela 50ª vez em 284 confrontos, os rivais empataram por 1 a 1, resultado que manteve o time da Baixada Santista em terceiro lugar, com 52 pontos, e tirou a equipe da capital do G-4.

Com o triunfo do Grêmio por 2 a 1 sobre o Goiás, o Palmeiras retorna à quinta colocação com 51 pontos, mesma pontuação da equipe gaúcha, que leva vantagem no número de vitórias.

Já o Santos perdeu a oportunidade de assumir pela primeira vez a vice-liderança do Campeonato Brasileiro. Se ganhasse, ultrapassaria o Cruzeiro, que só empatou nesta que foi 31ª rodada da competição e soma 53 pontos.

Além disso, o clube alvinegro completou sete partidas sem perder para o alviverde. A última vez que o Palmeiras triunfou sobre o rival foi em 2005, no primeiro turno do Brasileiro (2 a 1, no Parque Antarctica). Na Vila, o Santos não perde desde 2004.

As duas equipes tiveram desempenhos distintos nos dois tempos do clássico. Na etapa inicial, os visitantes foram superiores e chegaram ao gol com Caio; na final, as substituições do técnico Vanderlei Luxemburgo surtiram efeito, os donos da casa cresceram e igualaram o marcador com Renatinho, que entrou na partida durante o intervalo.

Nos primeiros 45 minutos, o Palmeiras explorou principalmente os lances de bola parada no molhado gramado da Vila Belmiro. Depois de assustar por duas vezes o goleiro Fábio Costa em cobranças de falta, Caio abriu o placar aos 33min com um gol olímpico.

“Primeira vez que faço um gol olímpico, nunca tinha feito, mas venho sempre trabalhando a bola parada nos treinos. Procuro bater fechado no primeiro pau pro Valdivia, mas ninguém desviou e entrou direto”, comentou o artilheiro do alviverde no Brasileiro com oito gols.

“Esperava que fossem fazer o um-dois no escanteio, mas o Caio acabou batendo no primeiro pau”, justificou o goleiro Fábio Costa, que se adiantou no momento da batida e ficou fora da linha do gol.

Com uma nova postura após o intervalo, o Santos empatou aos 13min do segundo tempo. Alessandro cruzou pela direita, Kléber Pereira cabeceou, Diego Cavalieri espalmou e o Renatinho balançou as redes no rebote.

Diego Cavalieri teve que trabalhar em mais dois lances de perigo do Santos no segundo tempo: em um chute de Pedrinho e em outro de Renatinho. O Palmeiras assustou Fábio Costa com Luís e Valdivia.