Navegando Posts marcados como 2007

Botafogo 1 x 2 Santos

Data: 06/10/2007, sábado, 18h10
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 7.918 pagantes
Renda: R$ 112.160,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa)
Auxiliaress: Altemir Hausmann (Fifa/RS) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS)
Cartões amarelos: Juninho (B), Adaílton (S) e Dionísio (S)
Gols: Rodrigo Tabata (06-2), Dodô (21-2) e Renatinho (44-2).

BOTAFOGO
Julio César; Renato Silva (Reinaldo), Juninho e Alex; Alessandro (Adriano Felício), Leandro Guerreiro, Coutinho, Lúcio Flávio e Luciano Almeida (Moreno); Zé Roberto e Dodô.
Técnico: Mário Sérgio

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Marcelo e Dionísio (Petkovic); Maldonado, Rodrigo Souto, Kléber e Rodrigo Tabata (Vitor Junior); Marcos Aurélio (Renatinho) e Moraes.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos bate Botafogo e mantém boa fase contra rivais diretos

O Santos confirmou sua boa fase contra adversários diretos por uma vaga na Copa Libertadores, neste sábado. Pela segunda vez consecutiva, o time conseguiu uma vitória no fim e derrotou o Botafogo por 2 a 1, no estádio João Havelange.

Esta foi a terceira vitória santista seguida contra rivais que disputam uma vaga no G-4. Primeiro, a equipe venceu o Vasco, depois o Cruzeiro e agora o Botafogo. Com isso, o time manteve o terceiro lugar, com 51 pontos.

“Foi uma grande vitória. Vencemos três concorrentes diretos que são postulantes à vaga na Libertadores. E conseguimos a dois resultados fora de casa que nos fizeram chegar junto do Cruzeiro [vice-líder], que ainda joga amanhã”, comemorou o técnico Vanderlei Luxemburgo.

O Botafogo, por outro lado, perdeu sua quarta partida consecutiva no Campeonato Brasileiro, a terceira sob o comando do técnico Mário Sérgio, que ainda não venceu com o time. A derrota foi a primeira da equipe no Engenhão.

“Procuro falar sempre da realidade. Não uso subterfúgios para qualquer coisa. Quando vim para cá, sabia o que ia enfrentar. Cheguei e vi um grupo de jogadores voltados para ganhar. Se não está vencendo, é porque é complicado”, lamentou Mário Sérgio.

Na próxima semana, as duas equipes têm clássicos pela frente. No sábado, às 18h10, o Santos encara o Palmeiras, mais um adversário direto, na Vila Belmiro. No domingo, no único jogo da rodada neste dia, o Botafogo enfrenta o Vasco no Maracanã, às 16h.

Dois tempos opostos
A primeira etapa não teve muitas emoções e nem muito trabalho para os goleiros Julio Cesar e Fabio Costa. O Santos foi um pouco superior que o muito defensivo Botafogo, mas não o suficiente para tornar a partida interessante.

O segundo tempo foi completamente diferente. Muita disposição, lances de perigo dos dois lados, bola na trave, grandes defesas. A emoção foi do início ao fim da etapa. Aos 6min, Rodrigo Tabata abriu o placar, Dodô empatou aos 21min e, aos 44min, Renatinho decidiu o jogo para o Santos.

Cruzeiro 0 x 1 Santos

Data: 03/10/2007, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Público: 8.110 pagantes
Renda: R$ 113.208,00
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (SC)
Assistentes: Alcides Zawaski Pazetto (SC) e Claudemir Maffessoni (SC)
Cartões amarelos: Domingos, Adaílton, Vítor Júnior e Kléber Pereira (S); Ramires, Maicosuel e Roni (C).
Gol: Adaílton (49-2).

CRUZEIRO
Fábio, Mariano, Thiago Martinelli, Thiago Heleno e Fernandinho; Ramires, Charles, Maicosuel (Kerlon) e Wagner (Leandro Domingues); Marcelo Moreno (Guilherme) e Roni
Técnico: Dorival Júnior

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Domingos e Carlinhos (Rodrigo Tabata); Rodrigo Souto, Maldonado, Kléber e Petkovic (Vítor Júnior); Marcos Aurélio (Renatibho) e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Cruzeiro perde do Santos, no Mineirão, e São Paulo agradece

Com um gol de Adáílton, aos 49min do segundo tempo, o Santos venceu o Cruzeiro, por 1 a 0, em jogo fraco, especialmente no primeiro tempo, na noite desta quarta-feira, no Mineirão. Foi a segunda derrota consecutiva do time celeste, em casa, deixando-o ainda mais distante do líder São Paulo, que se vencer o Flamengo, nesta quinta-feira, abrirá 15 pontos de frente. Já a equipe santista passou para o terceiro lugar, superando o Grêmio, ambos com 48 pontos, mas com uma vitória a mais.

O Santos, que vinha de vitória sobre o Vasco, por 1 a 0, na Vila Belmiro, e que havia reduzido de nove para seis pontos a diferença em relação ao Cruzeiro, vice-líder da competição, conseguiu se aproximar ainda mais do seu concorrente a uma vaga à Libertadores. A diferença agora é de três pontos entre Cruzeiro e Santos.

Ao não somar nenhum ponto em seis possíveis, no Mineirão, depois de sete vitórias consecutivas como mandante, o Cruzeiro se afastou ainda mais do caminho do título, facilitando a situação do São Paulo. O time celeste segue sem empatar em 15 partidas no Mineirão e continuou com 51 pontos.

Na próxima rodada, domingo que vem, às 18h10, o Cruzeiro voltará a jogar como visitante, enfrentando, no Serra Dourada, o Goiás, que foi goleado pelo Sport, por 4 a 0, nesta quarta-feira. O Santos, por sua vez, vai ao Rio, no sábado, enfrentar o Botafogo, no Engenhão.

O primeiro tempo foi disputado em ritmo muito lento, com predomínio da forte marcação e do pequeno número de finalizações a gol. Foram apenas quatro para cada lado, sendo que apenas uma de cada time teve a direção certa, sendo defendidas por Fábio e Fábio Costa. Em compensação, foram muitos passes errados: 18 pelo time celeste e 15 pela equipe santista.

Numa tentativa de melhorar o desempenho ofensivo da sua equipe, o técnico Dorival Júnior trocou Marcelo Moreno por Guilherme, aos 38min da etapa inicial. A mudança ajudou o Cruzeiro a voltar melhor para o segundo tempo, quando tomou muito mais a iniciativa do jogo do que seu adversário.

Enquanto os donos da casa atacavam, o Santos se defendia e procurava atuar no erro do oponente, tentando encaixar o contra-ataque. Aos 32min, o time paulista desperdiçou ótima oportunidade, com Rodrigo Tabata obrigando o goleiro Fábio a boa defesa. Aos 49min, Adaílton fez o gol que garantiu o triunfo santista.

Santos 1 x 0 Vasco

Data: 30/09/2007, domingo.
Competição: Campeonato Brasileiro – 28ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: N/D
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Eremilson Xavier Macedo (DF).
Cartões amarelos: Amaral (V), Adaílton (S), Leandro Amaral (V), Renatinho (S), Rubens Júnior (V), Júlio Santos (V), Pedrinho (S), Leandro Bomfim (V)
Cartão vermelho: Baiano (S).
Gols: Rodrigo Souto (22-1).

SANTOS
Fábio Costa; Baiano, Domingos, Adaílton e Carlinhos; Maldonado, Rodrigo Souto, Petkovic (Alessandro) e Pedrinho (Adriano); Renatinho (Rodrigo Tabata) e Kléber Pereira
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

VASCO
Silvio Luiz; Julio Santos (Alan Kardec), Luizão (Vilson) e Jorge Luiz; Wagner Diniz, Amaral, Perdigão, Marcelinho (Leandro Bomfim) e Rubens Júnior; Leandro Amaral e Enílton
Técnico: Celso Roth



De volta à Vila, Santos vence Vasco e recupera-se no Brasileiro

Bastou ao Santos retornar à Vila Belmiro para reencontrar a vitória no Campeonato Brasileiro. E a vítima agora foi justamente uma equipe rotulada como “caseira” pela fraca campanha longe de seus domínios. Em um jogo violento, o time paulista, mesmo com um a menos desde a etapa inicial, venceu o Vasco por 1 a 0 e, de quebra, voltou ao G-4.

O time comandado por Vanderlei Luxemburgo vinha de reveses para São Paulo, no Morumbi, e para Grêmio, no Olímpico. Este foi o sétimo triunfo seguido da equipe diante de sua torcida. Com o resultado, o clube atingiu os 45 pontos e assumiu o quarto lugar.

Já o Vasco somou mais um resultado negativo fora de São Januário. O revés deste domingo foi o oitavo da equipe carioca longe de seu estádio e a manteve com 40 pontos e na oitava colocação, agora mais distante da zona de classificação à Copa Libertadores da América.

No começo da partida, nos contra-ataques, o Vasco quase abriu o placar nos primeiros minutos, mas no duelo entre Leandro Amaral e Fábio Costa, o goleiro santista levou a melhor. Assim, mais eficiente, os donos da casa saíram na frente aos 22min do primeiro tempo, com gol do ex-cruzmaltino Rodrigo Souto, aproveitando cruzamento de Petkovic.

Contudo, mais do que o gol paulista, o que marcou mesmo a primeira etapa na Vila Belmiro foi o excesso de jogadas ríspidas. Ao todo, foram sete cartões amarelos e uma expulsão, do lateral santista Baiano, só nos 45 minutos iniciais.

Com um atleta a menos, o Santos voltou mais defensivo para o segundo tempo e sofreu pressão do Vasco. No entanto, a falta de pontaria dos atacantes da equipe carioca, principalmente Enílton, impediu que o placar fosse alterado. Em jogadas de contragolpe, os anfitriões quase fizeram o segundo, mas também erraram nas conclusões.

“Ficou mais complicado depois da expulsão do Baiano, mas acho que a nossa vontade e determinação foram muito importantes para conseguirmos a vitória. Não fizemos um grande segundo tempo, mas conseguimos marcar bem e ficar com o resultado”, disse o volante Maldonado.

Grêmio 1 x 0 Santos

Data: 22/09/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 20.917 pagantes
Renda: R$ 327.725,00
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Cartões amarelos: Anderson Pico e Sandro Goiano (G); Domingos, Carlinhos e Kléber (S).
Gol: Marcel (11-2).

GRÊMIO
Saja; Bustos, Léo, William e Anderson Pico; Eduardo Costa, Sandro Goiano, Tcheco e Diego Souza; Luciano Fonseca (Rios) e Marcel (Ramon).
Técnico: Mano Menezes

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro (Rodrigo Tabata), Domingos, Adaílton e Carlinhos; Maldonado, Rodrigo Souto, Kléber e Petkovic (Pedrinho); Kléber Pereira e Renatinho (Marcos Aurélio).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos não segura o Grêmio e perde em Porto Alegre

O Santos tentou, mas não conseguiu parar o Grêmio em Porto Alegre neste sábado. A equipe paulista perdeu por 1 a 0, no estádio Olímpico, em partida válida pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Santos continua com 42 pontos, mas perdeu a terceira posição da tabela para o Grêmio, que agora tem 44.

As duas equipes esperam que Botafogo, com 42 pontos, Palmeiras e Vasco, ambos com 40, não tenham sucesso nas partidas deste domingo. O Fluminense tem a mesma pontuação, mas, como venceu a Copa do Brasil, já está classificado para disputar a Taça Libertadores da América.

O primeiro tempo foi equilibrado. Com o apoio da torcida, o time gaúcho começou a partida no ataque. Aos 22min, o centroavante Marcel perdeu uma boa oportunidade para abrir o placar. Após escanteio, o gremista William cabeceou firme, Fábio Costa não segurou e a bola sobrou para Marcel. O centroavante cabeceou mal e o goleiro santista conseguiu fazer a defesa.

Depois do lance, o Santos passou a tocar mais a bola e também levou perigo ao gol adversário. Aos 24min, após bom cruzamento de Petkovic, Renatinho, na área, errou a bola e não conseguiu chutar ao gol.

O Santos, no minuto seguinte, assustou novamente a torcida gaúcha. Rodrigo Souto chutou forte da intermediária e a bola passou perto da trave e saiu.

No início do segundo tempo, o Grêmio também pressionou. E, desta vez, teve sucesso. Aos 10min, Marcel cobrou uma falta, com muita força, e fez o único gol da partida.

Aos 13min, Petkovic quase empatou a partida. O meio-campista entrou rápido na área e chutou para fora do gol.

O Grêmio, mesmo com a vantagem, não ficou recuado na defesa, o Santos passou a atacar mais vezes e o jogo ficou muito movimentado.

São Paulo 2 x 1 Santos

Data: 15/09/2007, sábado, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 33.995
Renda: R$ 404.958,00
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa/SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa/SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Cartões amarelos: Jorge Wagner, Breno e Rogério Ceni (SP); Domingos (S) e Baiano (S).
Gols: Breno (04-2), Borges (08-2) e Rodrigo Tabata (47-2).

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Miranda, Breno e André Dias; Souza, Richarlyson (Jadílson), Hernanes, Leandro (Júnior) e Jorge Wagner; Dagoberto (Zé Luís) e Borges
Técnico: Muricy Ramalho

SANTOS
Fábio Costa; Baiano, Domingos, Adailton e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto, Pedrinho (Vitor Junior) e Petkovic (Rodrigo Tabata); Marcos Aurélio (Moraes) e Kléber Pereira
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



São Paulo vence Santos e já escuta gritos de ‘é campeão’

Com autoridade de campeão, o líder São Paulo deixou mais um aspirante a concorrente para trás. Na noite deste sábado, no estádio do Morumbi, a equipe tricolor não deu chances ao rival Santos e venceu por 2 a 1, gols de Breno e Borges. A superioridade na partida empolgou a torcida são-paulina, que já ensaiou os primeiros gritos de “é campeão”.

Depois dessa vitória, a 17ª na competição, a equipe da capital paulista abre 12 pontos para o vice-líder Cruzeiro, que joga neste domingo contra o Atlético-MG, restando 12 rodadas para o final do torneio. E mais: aumenta para 14 o número de jogos sem perder no Nacional. O gol santista, no entanto, encerra uma sequência de nove jogos do time da capital sem tomar gols. Não era vazado desde 2 de agosto.

O Santos, por sua vez, tropeça mais uma vez em clássicos – perdeu recentemente para o Corinthians – e vê a ascensão ser parada. Terceiro colocado com 42 pontos, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo ainda pode perder a posição na tabela ao final da 26ª rodada neste domingo. Para isso, basta o Palmeiras vencer.

O primeiro tempo foi totalmente do São Paulo. Trocando muitos passes e explorando as tabelas, a equipe do técnico Muricy Ramalho não deixou o adversário jogar. No entanto, as finalizações do ataque tricolor não foram boas. Somente Leandro, aos 32min, conseguiu acertar o gol. Fábio Costa defendeu.

Dagoberto, que deu um chute a gol na etapa inicial, elogiou o primeiro tempo do time do Morumbi: “Finalizamos bastante e isso foi ótimo”.

Perdido em campo, o Santos se posicionou apenas para tentar explorar os contra-ataques. Com Petkovic e Pedrinho apagados, e Marcos Aurélio sem se apresentar na frente, apenas Kléber Pereira levou um pouco de perigo ao gol de Rogério Ceni. Mas na melhor oportunidade, aos 33min, ele estava impedido.

“Infelizmente não conseguimos encaixar o contra-ataque. Precisamos manter a atenção no segundo tempo e lutarmos para não sofrer gol”, disse o santista Baiano.

Mas a atenção pedida por Baiano não existiu aos 4min da segunda etapa, quando Breno recebeu a bola no campo de ataque. O zagueiro dominou no peito com categoria, deixou os santistas para trás e, de dentro da área, chutou forte, sem chance de defesa para o goleiro santista.

A equipe santista não teve tempo para tentar se arrumar depois do primeiro gol sofrido. Aos 8min, depois de chute de Dagoberto de fora da área, a bola sobrou para Richarlyson na esquerda. O camisa 20 do São Paulo cruzou para Borges, que desviou da pequena área e ampliou a vantagem tricolor. Tabata descontou para o Santos aos 47min, mas já era tarde para reação.