Navegando Posts marcados como 2010

Santos 1 x 1 Vitória-BA

Data: 03/11/2010, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 33ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.643 pagantes
Renda: R$ 112.825.00
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR)
Auxiliares: Paulo Ricardo Silva Conceição e João Monteiro de Souza Júnior (ambos do RS).
Cartões amarelos: Roberto Brum, Edu Dracena, Alex Sandro e Danilo (S); Uelliton, Thiago Martinelli e Anderson Martins (V).
Cartão vermelho: Thiago Martinelli (V).
Gols: Neymar (33-1) e Júnior (40-1).

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Roberto Brum, Danilo (Maranhão), Marquinhos e Alan Patrick (Keirrison); Neymar e Zé Eduardo (Marcel)
Técnico: Marcelo Martelotte

VITÓRIA
Viáfara; Nino Paraíba, Thiago Martinelli, Anderson Martins e Egídio (Gabriel); Neto Coruja, Uelliton, Bida e Elkeson (Ramón); Adailton e Júnior
Técnico: Antonio Lopes



Em jogo fraco, Santos empata com o Vitória e fica longe do título

Santos e Vitória ficaram no 1 a 1, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, e não apresentaram um bom futebol

O Santos apenas empatou com o Vitória por 1 a 1, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, e ficou mais longe do título brasileiro. Com poucas jogadas de ataque dos dois lados, as duas equipes marcaram os gols ainda no primeiro tempo, e não conseguiram apresentar um bom futebol. Neymar marcou o gol do Santos, enquanto Júnior empatou para os baianos.

Santos e Vitória entraram em campo com objetivos distintos em campo. Os santistas jogaram com chances remotas de conquistarem o título brasileiro. Enquanto os baianos estão perto da zona de rebaixamento. Com apenas um ponto somado, o Santos ficou na quinta colocação, com 50 pontos ganhos. Já o Vitória chegou aos 38 pontos ganhos, na 14ª colocação.

Após enfrentar o Vitória, o Santos joga contra o Atlético-MG, no próximo sábado, às 19h30 (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo

A partida começou com as duas equipes demonstrando dificuldades para saírem jogando. Desta forma, o primeiro lance aconteceu após um chutão da zaga do Santos. Aos 12 minutos, Neymar recebeu na entrada da área e tocou de primeira para Zé Eduardo chutar cruzado, a bola passou na frente do goleiro, que espalmou para escanteio.

Os dois times erravam muitos passes e não conseguiam criar jogadas de perigo. O Vitória só assustou o goleiro Rafael aos 24 minutos. Elkesson foi derrubado por Roberto Brum. O árbitro marcou a falta na entrada da área e advertiu o volante com o cartão amarelo. Na cobrança, o goleiro Viáfara chutou para fora.

Apesar da dificuldade de entrar na área do adversário, o Santos abriu o marcador em uma triangulação. Aos 33 minutos, Alan Patrick tocou para Marquinhos, que de primeira serviu Neymar. O camisa 11 ficou na frente do goleiro Viáfara e tocou rasteiro no canto para abrir o marcador.

Depois do gol do Santos, a partida ficou mais movimentada. Faltando cinco minutos para acabar o primeiro tempo, o Vitória empatou o jogo. Bida fez uma boa jogada e encontrou Júnior na marca do pênalti. O atacante driblou Edu Dracena com facilidade e chutou rasteiro para empatar o jogo.

O segundo tempo começou um pouco mais movimentado que a primeira etapa. No entanto, Santos e Vitória saíam com mais velocidade para o ataque, mas não conseguiam finalizar com perigo para o gol. Os baianos forçavam as jogadas pelo lado esquerdo do ataque, com os apoios de Egídio. Aos 11 minutos, o lateral foi derrubado por Edu Dracena. Na cobrança da falta, Bida chutou forte e a bola raspou o travessão do gol de Rafael.

Sem pressionar o Vitória, o técnico Marcelo Martelotte colocou Keirrison na vaga de Alan Patrick e passou a jogar com três atacantes. Antônio Lopes respondeu a substituição do Santos, e tirou Elkeson para a entrada do veterano Ramón. Os dois times exageravam nos erros de passe e não chegavam ao gol adversário.

Desta forma, os dois treinadores mexeram mais uma vez nas equipes. Lopes tirou Adaílton para a entrada de Henrique. Enquanto Martelotte foi vaiado após sacar Zé Eduardo para a entrada de Marcel. Em uma das poucas jogadas de perigo de Neymar, o atacante sofreu uma falta por trás e provocou a expulsão do zagueiro Thiago Martinelli. Um minuto depois, Antônio Lopes tirou Egídio e colocou o zagueiro Gabriel. Já Martelotte sacou Danilo para entrada de Maranhão.

No final do jogo, o Santos tentou pressionar no desespero, mas não conseguia finalizar para o gol. Desta forma, a partida terminou empatada em 1 a 1, e os jogadores deixaram o campo recebendo muitas vaias da torcida.

Internacional 1 x 1 Santos

Data: 30/10/2010, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 29.565
Renda: R$ 459.005,00
Árbitro: Paulo Godoy Bezerra (SC).
Auxiliares: Carlos Berkenbrock e Marco Antônio Martins (ambos de SC).
Cartões amarelos: Guiñazu, D’Alessandro (I); Rodriguinho, Zé Eduardo (S).
Gols: Zé Eduardo (33-2) e Leandro Damião (36-2).

INTERNACIONAL
Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Guiñazu, Wilson Matias, D’Alessandro e Giuliano (Andrezinho); Rafael Sobis (Edu) e Alecsandro (Leandro Damião).
Técnico: Celso Roth

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Arouca (Rodriguinho), Roberto Brum, Danilo e Alan Patrick (Marquinhos); Zé Eduardo e Neymar.
Técnico: Marcelo Martelotte



Inter e Santos empatam no Sul e vêem título mais distante

Empate no Beira-Rio deixou rivais a oito pontos do líder Fluminense faltando apenas seis rodadas para o final do Campeonato Brasileiro

Um resultado que não adiantou para ninguém. Com um empate por 1 a 1 no Beira-Rio, Internacional e Santos foram a 49 pontos, permaneceram com o quarto e quinto lugares na tabela de classificação e viram a distância para o líder Fluminense (que era de seis pontos antes da 32ª rodada) subir para oito pontos a apenas seis jogos do final do Brasileirão-2010.

Destaques da partida, os goleiros Renan e Rafael só foram superados no segundo tempo. Quando o jogo já parecia se encaminhar para um 0 a 0, Zé Eduardo abriu o placar para a equipe paulista aos 33 minutos, em belo chute no ângulo direito de Renan. A resposta dos anfitriões, porém, não demorou. E três minutos depois o empate veio com Leandro Damião, que havia entrado poucos minutos antes.

Na próxima rodada, o Internacional volta a jogar em Porto Alegre, recebendo o líder Fluminense às 19h30 de quarta-feira no Beira-Rio. Já o Santos joga no mesmo dia e horário contra o Vitória, na Vila Belmiro.

O jogo

Logo aos três minutos, o Inter exigiu uma ótima defesa do goleiro Rafael. Guiñazu recebeu cruzamento da direita de Rafael Sobis, dominou, invadiu área e chutou cruzado, mas o camisa um santista estava bem posicionado e conseguiu espalmar e afastar o perigo.

Não demorou e o Santos respondeu, dando trabalho também para o goleiro Renan, do Inter. Aos seis minutos, Neymar arrancou bem pela direita, tabelou com Zé Eduardo e saiu sozinho, cara a cara com o goleiro. Mas na hora da conclusão, o atacante santista acabou batendo fraco, o que facilitou a defesa.

Ainda antes dos quinze minutos, cada equipe teve mais uma ótima chance. Pelo Inter, D`Alessandro, Giuliano e Guiñazu fizeram bela troca de passes pela esquerda e Giuliano chutou colocado, mas a bola saiu acima da meta santista. Pouco depois o Santos respondeu com Danilo, que acertou chute forte da direita da grande área, bem defendido por Renan.

A primeira etapa seguiu com as duas equipes alternando bons momentos no ataque, mas sempre sofrendo com a forte marcação e, quando conseguiam concluir, as jogadas paravam nas mãos dos dois goleiros, ambos em tarde inspirada. Aos 30 minutos, o Santos perdeu o volante Arouca. Com dores na coxa esquerda, ele foi substituído por Rodriguinho.

Nos minutos seguintes, aconteceram os dois principais lances do primeiro tempo. Aos 34, Wilson Matias chutou no travessão santista. Rafael Sobis ainda pegou o rebote, mas chutou por cima do gol, desperdiçando a chance de abrir o placar para os anfitriões. E aos 39, Edu Dracena ganhou no alto do goleiro Renan e cabeceou. O lateral-direito Nei tirou de bicicleta, mas os jogadores santistas reclamaram muito, dizendo que a bola havia passado pela linha.

As equipes voltaram sem alterações para o segundo tempo e o ritmo do jogo também permaneceu semelhante ao da primeira etapa. A primeira grande chance, novamente, foi do Inter. Kleber cruzou da esquerda, Bolívar subiu mais que a defesa santista para cabecear e o goleiro Rafael precisou se esticar muito para fazer a defesa.

Antes dos 20 minutos, o técnico Marcelo martelotte, do Santos, gastou as duas outras alterações às quais tinha direito, colocando Marquinhos no lugar de Alan Patrick e Alex Sandro no lugar de Léo. Do lado gaúcho, Celso Roth promoveu a entrada de Edu e Andrézinho e tirou Rafael Sóbis e Giuliano, respectivamente.

Aos 24, mais um lance polêmico. Na ponta direita da grande área do Internacional, Neymar prendia a bola enquanto era agarrado pelo lateral Kleber. O atacante tentou tabelar com Marquinhos, mas ainda estava seguro pelo defensor e caiu dentro da área, mas o árbitro Paulo Godoy Bezerra ignorou e não marcou o pênalti.

Pouco menos de dez minutos depois, no entanto, os visitantes conseguiram o gol que abriu o placar. Zé Eduardo recebeu na esquerda do ataque santista, invadiu a área do Internacional e bateu com força no ângulo direito de Renan, que não teve chance de defesa.

Os últimos minutos foram de tudo ou nada para o Inter. Com Leandro Damião no lugar de Alecsandro, os donos da casa foram para cima buscando o gol de empate. E foi justamente o atacante recém-saído do banco quem empatou. Após cruzamento de Kleber da esquerda, ele cabeceou e Rafael não conseguiu evitar o gol que definiu o empate ruim para as duas equipes.

São Paulo 4 x 3 Santos

Data: 17/10/2010, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 23.791 pagantes
Renda: R$ 684.279,59
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcio Luiz Augusto (SP).
Cartões amarelos: Jean, Dagoberto, Richarlyson, Alex Silva e Ricardo Oliveira (SP); Danilo, Pará, Edu Dracena e Felipe Anderson (S).
Cartão vermelho: Richarlyson (SP).
Gols: Alan Patrick (04-1), Dagoberto (06-1), Dagoberto (16-1) e Pará (18-1, contra) e Zé Eduardo (20-1); Neymar (25-2) e Jean (47-2).

SÃO PAULO
Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Rodrigo Souto, Carlinhos Paraíba, Lucas (Renato Silva) e Fernandinho (Diogo); Dagoberto (Marlos) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Paulo César Carpegiani

SANTOS
Rafael; Pará (Maranhão); Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Roberto Brum (Felipe Anderson), Danilo e Alan Patrick (Breitner); Zé Eduardo e Neymar.
Técnico: Marcelo Martelotte



Em clássico eletrizante, São Paulo vence o Santos por 4 a 3 no Morumbi

Partida teve cinco gols no primeiro tempo. Gol da vitória do São Paulo saiu aos 47 minutos do segundo tempo, com Jean, de cabeça.

São Paulo e Santos protagonizaram um verdadeiro espetáculo no Morumbi neste domingo. O clássico teve definição do resultado nos acréscimos do segundo tempo: 4 a 3 para o São Paulo. Dagoberto duas vezes, Pará, contra, e Jean, aos 47 minutos do segundo, marcaram os gols são-paulinos. Para o Santos, Alan Patrick e Zé Eduardo, no primeiro tempo, e Neymar, de pênalti, no segundo, descontaram.

Com o resultado, o Santos não conseguiu ultrapassar o Corinthians, terceiro colocado. O time da Vila Belmiro fica com 48 pontos, dois atrás do rival ao título. Já o São Paulo foi a 44 pontos e subiu uma posição na tabela. Está em 9º lugar, seis pontos atrás da faixa que dá a vaga à Libertadores de 2011.

O clássico do Morumbi começou com todos os ingredientes de um grande jogo. Com vontade de atacar, São Paulo e Santos foram logo se lançando ao gol adversário e esse ímpeto resultou em um verdadeiro espetáculo. Em 20 minutos de jogo, cinco gols.

Logo aos quatro minutos Neymar fez ótima jogada pelo lado esquerdo do ataque santista e rolou para Zé Eduardo chutar. O atacante acertou bem na bola, mas Rogério Ceni falhou. O goleiro são-paulino deu rebote e Alan Patrick tocou par ao gol.

O gol que poderia frear as pretensões do São Paulo só fez com que o time do Morumbi fosse mais ainda para o ataque. Com uma proposta ofensiva clara já na escalação de Paulo César Carpegiani, que optou pelo quarteto Lucas, Fernandinho, Dagoberto e Ricardo Oliveira, o São Paulo pressionou por todos os lados do ataque e conseguiu a virada de forma fulminante.

Aos seis minutos, Miranda fez ótima jogada na direita, se livrou da marcação de Danilo e mandou para o meio da área. Ricardo Oliveira cabeceou fraco em direção à pequena e Dagoberto se antecipou à chegada do goleiro Rafael para tocar também de cabeça para o gol.

A arma do treinador são-paulino para intimidar o envolvente ataque santista era clara. Atacar com mais força. E no primeiro tempo, o São Paulo se deu bem com essa postura. Dagoberto, Lucas e Fernandinho formavam um trio que se movimentava muito à frente da área santista deixando os volantes Roberto Brum e Arouca vendidos na marcação. Mais à frente, Ricardo Oliveira fez bem o papel de pivô e criou mais problemas para a defesa santista.

O gol da virada do São Paulo, aos 16 minutos do primeiro tempo aconteceu assim. Ricardo Oliveira saiu um pouco da área e lançou Fernandinho pelo lado esquerdo do campo de ataque são-paulino. O atacante fez ótima jogada para cima de Pará que não freou o avanço do são-paulino. Fernandinho tocou a bola rasteira para Ricardo Oliveira lançar para Dagoberto tocar de cabeça. Rafael saiu mal do gol mais uma vez e o atacante fez mais um, seu sexto gol no Brasileirão.

Dagoberto também teve participação decisiva no terceiro gol são-paulino. Dois minutos depois de conseguir a virada para sua equipe, o atacante conduziu a bola com habilidade e entrou na área santista. O lateral-direito Pará chegou firme para impedir o chute de Dagoberto, mas acabou se dando mal. O santista tocou a bola no ângulo do gol de Rafael e fez contra.

A blitz são-paulina, que chegou a três gols em 12 minutos, parou ali. Com o placar favorável, o São Paulo diminuiu o ritmo. Só não esperava que logo aos 20 minutos o Santos já voltasse com tudo e diminuísse a desvantagem. Pará tentou se redimir e puxou o ataque santista pelo lado direito. O lateral passou bem por Miranda e cruzou rasteiro para Zé Eduardo marcar o segundo gol santista.

O começo de jogo veloz e com as duas equipes abertas deu lugar a duas equipes mais cautelosas. O primeiro tempo terminou com os rivais mais comedidos no ataque.

No segundo tempo, Carpegiani deixou um pouco a ousadia no vestiário e voltou com um jogador do seu trio de meias a menos. Lucas foi substituído pelo zagueiro Renato Silva. E com isso o Santos cresceu. Com a mesma postura do primeiro tempo, o Santos foi melhor no reinício de jogo.

Com um zagueiro a mais, o São Paulo atraiu o Santos. Richarlyson perdeu a cabeça aos 12 minutos e foi expulso. Com um a mais, o Santos pressionou e conseguiu o empate aos 25 minutos. Neymar invadiu a área e foi derrubado por Alex Silva. Ele mesmo bateu o seu primeiro pênalti desde a polêmica em que se envolveu na partida contra o Atlético-GO, na Vila Belmiro e que culminou na demissão de Dorival Júnior. Firme, no ângulo, Neymar marcou.

Dois minutos depois, Ricardo Oliveira fez boa jogada pelo lado esquerdo da defesa santista e cruzou rasteiro para o meio da área. Dagoberto fez o corta-luz para Jean, mas o lateral desperdiçou uma chance clara. Chutou muito longe do gol.

O lateral teve a chance de se redimir aos 47 minutos do segundo tempo e não falhou. Marlos cruzou da direita e Ricardo Oliveira, livre, cabecear para grande defesa de Rafael. No rebote, Jean só teve o trabalho de empurrar para o gol e coroar a vitória são-paulina, a terceira em três jogos de Carpegiani à frente do time.

No próximo domingo, o São Paulo enfrenta o Ceará no Castelão, em Fortaleza. Já o Santos encara o Prudente na Vila Belmiro também no domingo. Pará será o desfalque pelo terceiro cartão amarelo recebido no Morumbi.

Santos 2 x 3 Grêmio Prudente

Data: 24/10/2010, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 31ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda: R$ 275.895,00
Público: 11.075 pagantes
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Herman Brumel Vani (SP).
Cartões amarelos: Keirrison, Danilo e Edu Dracena (S); Leonardo, João Vitor, Wesley, Anderson Pedra e Giovanni (GP).
Cartões vermelhos: Leonardo e Flávio (GP)
Gols: Keirrison (19-1), Durval (36-1); Wesley (01-2), Gilmar (09-2, de pênalti) e Wesley (16-2).

SANTOS
Rafael; Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo; Roberto Brum (Marquinhos), Arouca e Alan Patrick (Alex Sandro); Neymar, Zé Eduardo e Keirrison (Madson)
Técnico: Marcelo Martelotte (interino)

GRÊMIO PRUDENTE
Giovanni; João Vitor, Flávio, Leonardo e Cleidson; Anderson Pedra, Sasha, Roberto e Adriano Pimenta (Rhayner); Willian José (Gilmar) e Wesley (Anderson Bill)
Técnico: Fábio Giuntini



Neymar perde pênalti, Santos sofre virada para o lanterna e não encosta nos líderes

Santistas venceram o primeiro tempo por 2 a 0, mas sofreram a virada na segunda etapa, que teve dois jogadores expulsos do Prudente e um pênalti desperdiçado por Neymar

Após vencer o primeiro tempo por 2 a 0, o Santos deixou o lanterna da competição virar o resultado em 17 minutos na segunda etapa e perdeu o jogo por 3 a 2, neste domingo, na Vila Belmiro, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. O atacante Neymar, que jogou com a camisa 70, em homenagem a Pelé, teve uma participação apagada no jogo e perdeu um pênalti, chutando no travessão. O santistas também não aproveitaram a vantagem numérica em campo no segundo tempo, já que o Prudente teve dois jogadores expulsos.

Com a derrota, os santistas deixaram de ficar a três pontos dos líderes, já que Fluminense e Cruzeiro não venceram neste final de semana. Desta forma, o Santos termina a rodada na quarta colocação e a seis pontos do líder. Já o Prudente continua na lanterna, apesar da vitória.

O ponto positivo do Santos ficou apenas por conta de Keirrison. O atacante desencantou e abriu o marcador. Keirrison, que tinha marcado apenas cinco gols desde que deixou o Palmeiras na temporada passada, e não marcava um gol há dez rodadas, quando o Santos perdeu para o Ceará por 2 a 1, em Fortaleza, marcou um gol e teve uma boa movimentação dentro de campo.

A derrota santista foi marcada pela homenagem feita pelo clube a Pelé, que completou neste final de semana 70 anos. Além de Neymar jogar com a camisa 70, os santistas pintaram no gramado da Vila a frase: “Parabéns Pelé, 7 x 10”. Os dois times também entraram em campo com uma faixa que parabenizava o Rei do futebol.

Após perder para o Grêmio Prudente, o Santos volta a campo no próximo sábado, diante do Internacional-RS, às 16h (de Brasília), em Porto Alegre, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já o lanterna Prudente jogará contra o líder Cruzeiro, no próximo sábado, às 18h30 (de Brasília), em Presidente Prudente.

O jogo

As duas equipe priorizavam a marcação no meio-campo no inicio de jogo, e a primeira jogada de perigo aconteceu apenas aos 14 minutos. Zé Eduardo invade a área no lado esquerdo e chuta cruzado para o gol, no rebote do goleiro, Keirrison chuta de primeira e a bola vai para fora. Um minuto depois, Alan Patrick domina com liberdade na entrada da área e chuta rasteiro, a bola passou perto do gol e assustou o goleiro Giovanni. O Santos jogava melhor, e não demorou para abrir o marcador.

Aos 21 minutos, o lateral-direito Danilo fez boa jogada e cruzou para Keirrison, que antecipou o goleiro e voltou a marcar um gol, o que não acontecia desde o dia 12 de setembro, quando fez o gol santista na derrota para o Ceará por 2 a 1, em Fortaleza, há dez rodadas.

Apesar da vantagem no placar, o Santos continuava jogando no ataque, e marcou o segundo gol aos 36 minutos. Alan Patrick cobra falta, Zé Eduardo não consegue dominar, e a bola sobra para o zagueiro Durval, que sozinho na pequena área chutou para ampliar o marcador.

No segundo tempo, o Grêmio Prudente retornou com duas alterações: Rhayner e Gilmar nas vagas de Adriano Pimenta e Willian. No primeiro lance, João Victor aproveitou a falha de Léo, que furou a bola, e tocou para Wesley chutar rasteiro e diminuir o placar. Aos sete minutos, Danilo erra um passe e toca a bola Rhayner, que invade a área sozinho e é derrubado por Edu Dracena. O árbitro marca o pênalti, e Gilmar empata o jogo na cobrança.

Após sofrer o empate, Martelotte mexeu na equipe, e tirou Keirrison e Alan Patrick para as entradas de Madson e Alex Sandro. No entanto, o Santos não criava as jogadas de ataque, e o Prudente virou o jogo no contra-ataque. Aos 17 minutos, Rhayner cruza para Wesley, que chutou rasteiro para fazer o terceiro gol. Insatisfeito com o resultado, Martelotte gastou a última alteração, colocando Marquinhos na vaga de Roberto Brum.

Porém, aos 31 minutos, o zagueiro Leonardo fez falta leve, recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo. Devido a expulsão, o treinador do Prudente mexeu mais uma vez e sacou Wesley para a entrada de Anderson Bil. Se não bastasse, três minutos depois, Flávio Boaventura agrediu Zé Eduardo dentro da área, foi expulso, e o juiz marcou pênalti. Na cobrança, Neymar chutou no travessão. No final do jogo, o Santos foi para o ataque no desespero, mas não conseguiu marcar o gol e perdeu a oportunidade de encostar nos líderes da competição.

Santos 1 x 0 Inter-RS

Data: 13/10/2010, quarta-feira, 22h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 13ª rodada (adiado)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.036
Renda: R$ 243.930,00
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Márcia Lopes Caetano (Fifa/RO) e Jossemmar José Diniz Moutinho (PE).
Cartão amarelo: Glaydson e Guiñazu (I).
Gol: Neymar (26-1).

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Maranhão); Arouca, Roberto Brum, Danilo (Vinicius) e Alan Patrick (Alex Sandro); Zé Love e Neymar
Técnico: Marcelo Martelotte

INTERNACIONAL
Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Glaydson, Guiñazu, Derley (Tinga) e Marquinhos (Guto); Edu e Ilan (Andrezinho)
Técnico: Celso Roth



Com gol de Neymar, Santos vence o Internacional e encosta nos líderes do Brasileirão

Santistas ultrapassam os gaúchos na classificação e assumem a quarta colocação na tabela, com 48 pontos ganhos.

O Santos venceu o Internacional por 1 a 0, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro (jogo adiado da 13ª rodada, a pedido do clube gaúcho, que disputava a fase final da Copa Libertadores da América), passou o adversário na classificação, e encostou nos líderes do campeonato. O gol dos santistas foi marcado pelo atacante Neymar, que voltou a apresentar um grande futebol.

Com a vitória diante do Internacional, o Santos chega a 48 pontos, ultrapassa o adversário desta quarta na tabela, e sobe uma posição na classificação. Desta forma, o Inter fica com 47 pontos e desce para a quinta colocação.

Após o duelo contra o Internacional, o Santos jogará o clássico contra o São Paulo, no próximo domingo, às 18h30 (de Brasília), no Morumbi, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já o Internacional enfrenta o Flamengo, no próximo sábado, às 18h30 (de Brasília), no Engenhão.

O jogo

O Santos começou o jogo pressionando o Internacional. Aos dois minutos de partida, o meia Alan Patrick driblou o defensor na entrada da área e chutou rasteiro para a defesa de Renan. Com cinco jogadores no meio-campo, o Inter jogava compactado. Desta forma, os santistas forçavam as jogadas pelas laterais para tentar criar as jogadas. Já o time de Celso Roth finalizou pela primeira vez ao gol de Rafael, aos 18 minutos, quando Edu chutou de fora da área, mas sem muito perigo para o goleiro.

O Santos tentava assustar em cobranças de faltas, sofridas principalmente por Zé Eduardo, mas a zaga do Inter levava a melhor nas bolas aéreas. No entanto, aos 26 minutos, Neymar se aproveitou da falha do lateral-esquerdo Kleber, que errou o passe na saída de bola e entregou para Danilo, que tabelou com Zé Eduardo. O atacante tocou para o camisa 11, que driblou o zagueiro Bolivar e chutou de perna esquerda para abrir o marcador.

Um minuto depois, Zé Eduardo driblou Bolívar e chutou rasteiro para boa defesa de Renan, que espalmou para escanteio. Após o gol, o Santos cresceu no jogo. Aos 33 minutos, Neymar disparou para a entrada da área e foi derrubado por Glaydson, que recebeu o cartão amarelo. Na cobrança. O camisa 11 chutou e a bola passou perto do gol de Renan.

Inspirado, Neymar se movimentou sem bola e recebeu um passe de Arouca. O camisa 11 saiu na cara de Renan, que cortou o cruzamento do atacante. No contra-ataque, o Inter assustou com o lateral-esquerdo kleber, que invadiu a área e chutou forte para boa defesa de Rafael. No segundo tempo, o técnico Celso Roth colocou Tinga na vaga de Derley, mas foi o Santos quem atacou primeiro.

Logo aos três minutos, Danilo chutou forte de fora da área para boa defesa de Renan. Porém, o Inter voltou melhor na segunda etapa e pressionava o Santos em busca do empate, principalmente nos cruzamentos na área, onde os zagueiros e o goleiro Rafael afastavam. Aos nove minutos, o Inter é obrigado a fazer a segunda alteração, já que Marquinhos deixou o campo lesionado para a entrada de Guto.

Em busca do empate, Celso Roth faz a última substituição e coloca Andrezinho no lugar de Ilan aos 20 minutos. No entanto, o Inter não conseguia criar uma chance clara de gol. Aos 25 minutos, o lateral-esquerdo Léo se choca dentro da área com Guto e sente uma contusão no pescoço. O jogador não conseguiu continuar no jogo e foi substituído por Maranhão.

A grande oportunidade do Internacional aconteceu aos 31 minutos, quando Andrezinho pegou o rebote dentro da área e chutou no ângulo para excelente defesa de Rafael. O Santos respondeu e quase ampliou o marcador em três contra-ataques. Aos 34 minutos, Neymar invadiu a área, driblou o zagueiro e chutou para boa defesa de Renan. Dois minutos depois, Neymar novamente entra na área e chuta cruzado para fora. Aos 38 minutos, Zé Eduardo perdeu um gol incrível. O atacante recebeu na cara do gol, mas errou o chute ao tentar encobrir o goleiro.

Aos 41 minutos, Martelotte recua o time e coloca o zagueiro Vinicius Simon na vaga de Danilo. No último minuto, o Inter teve uma falta cobrada por Andrezinho na entrada da área, mas não conseguiu concretizar em gol e o jogo terminou com a vitória santista por 1 a 0.