Navegando Posts marcados como 2011

Santos 0 x 4 Barcelona

Data: 18/12/2011, domingo, 8h30 de Brasília e 19h30 horário do Japão.
Competição: Copa o Mundo de Clubes da FIFA
Local: Estádio Nissan Yokohama, em Yokohama, Japão.
Público: 68.166 pagantes
Árbitro: Ravshan Irmatov (Uzbequistão)
Auxiliares: Abdukhamidullo Rasulov (UZB) e Bakhadyr Kochkarov (QUI)
Cartões amarelos: Edu Dracena (S) e Piqué (B).
Gols: Messi (16-1), Xavi (23-1) e Fábregas (45-1); Messi (37-2).

SANTOS
Rafael; Edu Dracena, Durval e Bruno Rodrigo; Danilo (Elano), Arouca, Henrique, Paulo Henrique Ganso (Ibson) e Léo; Neymar e Borges (Alan Kardec).
Técnico: Muricy Ramalho

BARCELONA
Valdés; Daniel Alves, Puyol, Piqué (Mascherano) e Abidal; Busquets, Xavi, Iniesta, Thiago Alcântara (Pedro) e Fábregas; Messi.
Técnico: Josep Guardiola


Kashiwa Reysol 1 x 3 Santos

Data: 14/12/2011, quarta-feira, 08h30 de Brasília.
Competição: Copa do Mundo de Clubes da FIFA
Local: Toyota Stadium, em Toyota, Japão.
Público: 29.173 pagantes
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Auxiliares: Renato Faverani e Andrea Stefani (ambos da ITA)
Cartões amarelos: Leandro Domingues e Kurisawa (KR); Henrique (S).
Gols: Neymar (18-1) e Borges (23-1); Sakai (08-2) e Danilo (17-2).

KASHIWA REYSOL
Sugeno; Kondo, Masushima, Hashimoto (Hyodo) e Sakai; Otani, Leandro Domingues, Jorge Wagner e Kurisawa; Tanaka (Sawa) e Kudo (Kitajima).
Técnico: Nelsinho Baptista

SANTOS
Rafael; Danilo (Bruno Aguiar), Edu Dracena, Bruno Rodrigo e Durval; Henrique, Arouca, Elano (Alan Kardec) e Ganso; Neymar e Borges (Ibson).
Técnico: Muricy Ramalho



Com golaço de Neymar, Santos vence Kashiwa e espera Barcelona

Equipe santista construiu placar no primeiro tempo e derrotou os japoneses por 3 a 1 na estreia no Mundial

O Santos não fez uma grande partida, mas teve uma atuação convincente no primeiro tempo para construir o resultado e vencer o Kashiwa Reysol por 3 a 1 nesta quarta-feira, no estádio de Toyota, pela semifinal do Mundial de Clubes da Fifa, no Japão. O caminho da vitória foi aberto por Neymar, que marcou um golaço após deixar o marcador no chão e finalizar de pé esquerdo no ângulo.

Borges também no primeiro tempo e Danilo em cobrança de falta marcaram os outros gols. O gol da equipe japonesa foi marcado pelo lateral-direito Sakai, jogador que recebeu uma proposta oficial do Santos, mas não foi liberado pela diretoria do Kashiwa.

O Santos não apresentou um bom futebol no segundo tempo e chegou a sofrer pressão dos japoneses. O Kashiwa acertou a trave de Rafael e até perdeu gol sem goleiro.

Horas antes do jogo, os atletas santistas ficaram apavorados com um rápido terremoto de 4,9 graus de magnitude e a 39 km de Nagoya. O tremor durou cerca de um minuto e foi registrado também em Toyota.

Após vencer o duelo contra o Kashiwa Reysol, o Santos espera o vencedor de Barcelona e Al-Sadd, do Qatar, que jogam às 8h30 da manhã desta quinta-feira (horário de Brasília), em Yokohama. A decisão do Mundial de Clubes acontece no próximo domingo também no palco da final da Copa do Mundo de 2002, conquistada pela seleção brasileira.

O jogo

O Santos chegou primeiro ao ataque na partida. Neymar aproveitou uma bobeira da zaga do Kashiwa e finalizou sem marcação na entrada da pequena área, mas a bola bateu na frente e voltou nas mãos do goleiro Sugeno.

Com menos perigo, o Kashiwa respondeu com um chute de fora da área do brasileiro Jorge Wagner, que Rafael defendeu com tranquilidade.

A equipe japonesa tocava bem a bola e marcava forte a linha de atacantes do Santos. Neymar inclusive recebia muitas faltas no início do jogo. No entanto, o astro santista abriu o placar em jogada individual. Após passe de Ganso, o camisa 11 deixou o marcador no chão com um belo drible e finalizou de perna esquerda acertando o ângulo do goleiro japonês.

Os santistas dominaram a partida após o gol. Aos 24 minutos, Borges dominou a bola na entrada da área e chutou forte no ângulo do goleiro para ampliar o marcador.

Após o segundo gol, o Santos diminuiu o ritmo e o Kashiwa tentava assustar em cobranças de faltas e escanteios. Em uma delas, Jorge Wagner cobrou na barreira e Leandro Domingues pegou o rebote emendando de primeira para boa defesa de Rafael.

O Santos voltou para o segundo tempo e desperdiçou duas oportunidades. A primeira com Ganso, que iniciou a jogada e correu até a área para receber livre e finalizar em cima do goleiro. Depois Danilo chutou cruzado na frente do goleiro, que fez uma grande defesa.

Entretanto, o Kashiwa diminuiu o marcador aos nove minutos. Jorge Wagner cobrou escanteio com perfeição na cabeça de Sakai, que finalizou no alto sem chances para Rafael. Mas a alegria dos japoneses durou pouco, já que Danilo cobrou falta por fora da barreira e marcou o terceiro do Santos.

O time de Nelsinho Batista teve outra boa oportunidade para encostar no marcador. Leandro Domingues deixou Kitajima livre dentro da área, mas o japonês finalizou para o alto. O Kashiwa ainda chutou uma bola na trave em um chute cruzado de Sawa.

Se não bastasse, a equipe japonesa perdeu uma chance incrível. Leandro Domingues cruzou rasteiro e Sawa sem goleiro chutou por cima. O Santos respondeu com Ibson, que chutou de fora e acertou a trave. Foi o último lance de perigo da partida, que terminou com a vitória santista por 3 a 1.

São Paulo 4 x 1 Santos

Data: 04/12/2011, domingo, 17h00
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim, SP.
Público: 4.948 pagantes
Renda: R$ 101.915,00
Árbitro: Rodrigo Braghetto (SP)
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Carlos Nogueira Junior (ambos de SP)
Cartões amarelos: Felipe Anderson e Bruno Aguiar (S).
Gols: Luis Fabiano (12-1), Cícero (33-1) e Lucas (38-1); Elano (16-2) e Luis Fabiano (35-2).

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Jean, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Denílson, Cícero (Ivan Piris) e Lucas (Henrique); Fernandinho (Marlos) e Luis Fabiano.
Técnico: Emerson Leão.

SANTOS
Vladimir; Pará, Bruno Aguiar, Vinícius Simon e Éder Lima; Anderson Carvalho, Ibson, Elano e Felipe Anderson (Breitner); Diogo e Alan Kardec.
Técnico: Tata (interino).



São Paulo goleia reservas do Santos, mas fica fora da Libertadores

Vitória do Internacional no Rio Grande do Sul tira equipe do Morumbi da principal competição continental de 2012

Se aproveitando da fragilidade dos reservas do Santos, o São Paulo fez a sua parte e goleou o rival por 4 a 1, na tarde deste domingo, no Estádio Romildo Ferreira, o Romildão, em Mogi Mirim. Apesar do grande resultado, o time do Morumbi não conseguiu se classificar para a próxima edição da Copa Libertadores da América e terminaram o Nacional em 6º, com 59 pontos. O Santos terminou em 10º.

Os são paulinos conseguiram assistir a dois dos três resultados que precisava. O Figueirense empatou com o Avaí, o Coritiba perdeu para o Atlético-PR, mas o Internacional venceu o Grêmio.

Agora, depois de encerrar a sua participação no Brasileirão, o time de Muricy Ramalho inicia nesta segunda-feira a sua viagem rumo ao Japão, onde irá disputar o Mundial de Clubes da Fifa. Já os comandados de Émerson Leão entram de férias e só voltam a jogar na próxima temporada.

O jogo

Com chances matemáticas de se classificar para a Copa Libertadores da América 2012, o São Paulo começou o jogo pressionando os reservas do Santos e criando boas oportunidades de gol. Logo aos sete minutos, o atacante Luis Fabiano teve uma boa chance de marcar, mas o seu arremate foi bem defendido por Vladimir, que venceu a disputa com Aranha e foi escalado no gol santista neste clássico.

Mas, se na primeira jogada Vladimir levou a melhor sobre o atacante, na segunda, o centroavante não perdoou. Aos 12, Fernandinho cruzou da esquerda para Luis Fabiano que, levou a melhor sobre a zaga e tocou de cabeça no contrapé do goleiro: 1 a 0 para os são-paulinos.

Com o domínio total das ações e com o Santos pouco produzindo no ataque, o São Paulo quase ampliou a sua vantagem aos 26. Denílson lançou Jean, que soltou a bomba e acertou o travessão de Vladimir. Na sobra, a zaga afastou o perigo.

Porém, os santistas não conseguiram resistir por muito mais tempo. Aos 33, Cícero arriscou de fora da área, de pé esquerdo, no ângulo, aumentando a vantagem da equipe do Morumbi.

Com o Santos desnorteado em campo, o São Paulo ainda chegou ao seu terceiro gol antes do intervalo. Lucas, aos 38, fez boa jogada individual e, em outro chute de fora da área, ampliou o placar para o seu time.

Antes do final do primeiro tempo, o São Paulo esteve próximo do quarto gol, com Fernandinho. Aos 40, o atacante levou a melhor sobre Pará e bateu rasteiro, no canto esquerdo de Vladimir. Na volta do intervalo, aos quatro, os são paulinos quase chegaram ao quarto. No entanto, Cícero tentou toque de “letra”, após completar chute de Luis Fabiano, facilitando a defesa de Vladimir.

Mesmo sem muita inspiração, o Santos reagiu e conseguiu descontar. Aos 16, Elano acertou boa cobrança de falta, no meio do gol, superando Rogério Ceni e anotando o primeiro de sua equipe em Mogi Mirim.

Só que o São Paulo continuava melhor e, novamente com Luis Fabiano, aos 35, balançou as redes. O centroavante são-paulino fez bom lance individual e chutou cruzado, sem força, mas Vladimir não conseguiu evitar o quarto gol do adversário.

Depois do segundo gol de Luis Fabiano na partida, o que se viu foi um clássico no qual os dois times somente aguardavam o apito final do árbitro, para encerrarem suas participações no campeonato deste ano.

Santos 1 x 1 Bahia

Data: 27/11/2011, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada (penúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, Santos, SP.
Público: 12.052 torcedores
Renda: R$
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Julio Cesar Rodrigues Santos (RS) e José A. Chaves Franco Filho (RS).
Cartões amarelos: Bruno Rodrigo e Paulo Henrique Ganso (S); Paulo Miranda, Diones e Ricardinho (B).
Gols: Souza (08-1) e Neymar (32-1).

SANTOS
Rafael, Danilo, Edu Dracena, Bruno Rodrigo (Léo) e Durval; Henrique, Arouca, Elano (Alan Kardec) e Ganso (Ibson); Neymar e Borges.
Técnico: Muricy Ramalho.

BAHIA
Marcelo Lomba; Marcos, Titi, Paulo Miranda, Ávine; Fahel, Fabinho, Diones, Ricardinho (Carlos Alberto); Lulinha e Souza.
Técnico: Joel Santana.

Coritiba 1 x 0 Santos

Data: 20/11/2011, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 36ª rodada
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Público: 16.447
Renda: R$ 266.900,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)
Cartões amarelos: Willian e Everton Ribeiro (C); Leandro Silva, Ibson e Rodrigo Possebon (S).
Gol: Leonardo (16-2).

CORITIBA
Vanderlei; Jonas, Jéci, Pereira e Lucas Mendes (Geraldo); Leandro Donizete, Léo Gago, Davi (Everton Ribeiro) e Rafinha; Everton Costa (Willian) e Leonardo.
Técnico: Marcelo Oliveira

SANTOS
Aranha; Leandro Silva (Crystian), Bruno Aguiar, Vinícius Simon e Éder Lima; Anderson Carvalho, Rodrigo Possebon, Ibson e Felipe Anderson; Diogo e Alan Kardec.
Técnico: Tata (interino)



Coritiba vence reservas do Santos com gol de Leonardo

Reservas do time paulista não resistiram à pressão do Coritiba e sofreram gol aos 16 do segundo tempo

O Coritiba conquistou mais uma vitória no Campeonato Brasileiro. Com uma boa atuação no segundo tempo, traduziu o domínio que teve sobre os reservas do Santos, ganhando por 1 a 0, gol do atacante Leonardo, na noite deste domingo, no Couto Pereira.

O resultado positivo fez os paranaenses ultrapassarem o Santos na tabela de classificação, alcançando a nona posição, com 54 pontos. Em contrapartida, os santistas caíram para o 10° lugar, com 52 pontos ganhos.

O Santos voltar a jogar na próxima rodada, a penúltima do Brasileirão, diante do Bahia, no próximo domingo, às 17 horas (horário de Brasília), na Vila Belmiro. Enquanto isso, o Coritiba atua novamente no Couto Pereira, no mesmo dia e horário, contra o já rebaixado Avaí, lanterna da competição.

O jogo

Jogando em casa, o Coritiba iniciou a partida em busca do gol. Com o Santos se defendendo bem nos primeiros minutos, a primeira chance dos paranaenses surgiu em cobrança de falta. Léo Gago, aos 10, soltou uma bomba, de perna esquerda, mas a bola passou perto do ângulo esquerdo de Aranha, balançando as redes pelo lado de fora.

O Coritiba voltou a assustar aos 24, quando Jonas cruzou para a área, a bola sobrou para Leonardo, que bateu por cima do gol, desperdiçando a oportunidade criada por sua equipe.

Dois minutos depois, Davi recebeu de Everton Costa, fez o girou, mas o seu chute saiu fraco, facilitando a defesa de Aranha. No minuto seguinte, Davi deixou o campo substituído por Everton Ribeiro, por conta de uma lesão.

Melhor em campo, porém, com o seu setor ofensivo pouco inspirado na primeira etapa, o Coritiba ainda perderia mais uma boa chance antes do intervalo. Aos 42, Léo Gago encontrou Lucas Mendes, em bom passe rasteiro, mas o lateral esquerdo do time paranaense mandou a bola sobre o gol de Aranha.

Na volta para o segundo tempo, o técnico da equipe paranaense, Marcelo Oliveira, resolveu se arriscar mais em busca do gol, com a entrada do meia angolano Geraldo no lugar do ala esquerdo Lucas Mendes.

A modificação de Oliveira surtiu efeito e o Coritiba intensificou a sua pressão sobre os santistas. Logo nos primeiros minutos da etapa complementar, Aranha foi obrigado a fazer boas defesas nos chutes de Everton Costa e Everton Ribeiro, respectivamente.

Principal jogador do Coritiba no começo do segundo tempo, Rafinha assustou Aranha ao soltar um forte chute de fora da área, mandando a bola na trave e quase abrindo o placar a favor do seu time. Na sequência, aos 11, o zagueiro Pereira exigiu boa defesa de Aranha, em cabeçada após cobrança de escanteio.

De tanto insistir, o Coritiba, enfim, abriu o marcador. Aos 16, o centroavante Leonardo aproveitou bom cruzamento vindo da esquerda e, de cabeça, tocou a bola para o fundo das redes, sem chances para Aranha: 1 a 0 para os donos da casa.

Em vantagem, o Coritiba ainda teve Willian entrando na vaga de Everton Costa e continuou pressionando. Aos 31, o time paranaense quase ampliou a sua vantagem quando Léo Gago, de cabeça, fez Aranha trabalhar mais uma vez.

O Santos ainda tentou pressionar o adversário no fim do jogo, porém, com pouca criatividade ofensiva, não teve forças para empatar. Desta forma, o Coritiba aproveitou e saiu do Couto Pereira com os três pontos.