Navegando Posts marcados como 2012

Santos 0 x 0 Náutico

Data: 25/10/2012, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 33ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.256 pagantes
Renda: R$ 98.080,00
Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (Fifa-RJ) e Nadine Schramm Camara Bastos (SC).
Cartões amarelos: Gérson Magrão e Felipe Anderson (S); Patric, Alemão e Martinez (N).

SANTOS
Rafael; Rafael Galhardo (Bill), Bruno Rodrigo, Durval e Gérson Magrão; Adriano (Henrique), Arouca, Patito Rodríguez (Bernardo) e Felipe Anderson; Neymar e André.
Técnico: Muricy Ramalho

NÁUTICO
Gideão; Patric, Alemão, Jean Rolt e Douglas Santos (João Paulo); Elicarlos, Martinez, Souza (Josa) e Rhayner; Rogério (Kim) e Kieza.
Técnico: Alexandre Gallo



Em jogo fraco e com pênalti perdido pelo Náutico, Santos empata em casa

Com o empate, os santistas permanecem na 11° posição da Série A, com 43 pontos. O Náutico, por sua vez, caiu para o 13° lugar

Santos e Náutico fizeram um jogo sem grandes emoções, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro. Em uma partida na qual a marcação prevaleceu, poucas chances de gol foram criadas. Os pernambucanos chegaram a desperdiçar um pênalti no primeiro tempo, com Kieza, mas o placar não saiu do 0 a 0.

Com o empate, os santistas permanecem na 11° posição da Série A, com 43 pontos. O Náutico, por sua vez, caiu para o 13° lugar, com um ponto a menos em relação aos paulistas. Agora, p Santos volta a campo diante do Cruzeiro, no dia 3 de novembro, na Arena Independência. Já os pernambucanos recebem o Internacional-RS, no dia 4, nos Aflitos.

O jogo

Sem muitas aspirações na competição, Santos e Náutico começaram muito cautelosos o jogo. A primeira jogada de perigo, por exemplo, só ocorreu aos 21 minutos. Neymar limpou a marcação, antes de arriscar para o gol, para defesa de Gideão.

Porém, o melhor lance do primeiro tempo foi dos visitantes. Aos 32, Gérson Magrão cometeu pênalti em cima de Rogério. Na cobrança, no minuto seguinte, Kieza acertou a trave esquerda de Rafael, desperdiçando grande oportunidade de gol para o Náutico.Com pouca criatividade e dependendo de jogadas individuais de Neymar, o futebol apresentado pela equipe santista gerou protestos da torcida do Santos, presente em baixo número ao estádio.

Na volta para o intervalo, o Santos retornou com Henrique no lugar de Adriano, que não se sentiu bem no vestiário e precisou deixar a partida. O Santos melhorou um pouco na sua organização dentro de campo na etapa complementar, passando a ter maior posse de bola. Aos 12, Neymar chutou de fora da área, ao lado direito do gol de Gideão, assustando o goleiro do Náutico.

Com Kim no lugar de Rogério no Náutico e, depois, Bernardo na vaga de Patito Rodríguez, no Peixe, os donos da casa criaram a melhor chance do duelo. Aos 21, Bernardo completou cruzamento da esquerda para cabecear e exigir grande defesa de Gideão. No rebote, o próprio Bernardo chutou e o arqueiro do Náutico salvou os pernambucanos mais uma vez, em finalização à queima-roupa.

Na tentativa do gol da vitória, os santistas quase balançaram as redes aos 38. Bruno Rodrigo foi lançado pela direita e, dentro da grande área, finalizou rasteiro. A bola cruzou a pequena área, com André quase completando para o gol, mas chegando atrasado, para alívio do Náutico.

Dois minutos após a chance criada pelos alvinegros, o Náutico respondeu e, com Kim, levou muito perigo ao gol de Rafael. O chute do atacante do time pernambucano acertou a trave do camisa 1 do Santos. No fim do jogo, os treinadores queimaram suas últimas alterações. A equipe paulista teve o centroavante Bill no lugar do lateral-direito Rafael Galhardo, enquanto Josa substituiu Souza. Entretanto, nada foi o suficiente para que o resultado mudasse, gerando vaias da torcida santista, ao apito final do árbitro.

Neymar cobra mais vontade e pede para companheiros ‘aparecerem para jogar’

Atacante do Santos saiu irritado de campo, após empate sem gols do Santos diante do Náutico

O empate sem gols com o Náutico , na noite desta quinta-feira, gerou um forte desabafo do atacante Neymar. Para a atacante do Santos, os seus companheiros precisam ter mais iniciativa durante as partidas, pois desta forma a equipe vai apresentar um melhor futebol e não irá depender apenas de seus lances individuais.

“É uma discussão que tem que se resolver em campo. Peço para eles aparecerem para jogar, não ficarem apenas olhando para a minha cara, esperando eu fazer alguma coisa. Mas eu não estava irritado”, disse Neymar, que cobrou mais vontade do time.

“Os outros estão entrando com mais vontade? Não pode ser assim. Aqui tem tudo que um jogadorprecisa ter para trabalhar bem. Não falta estrutura, temos tudo. Por isso, é preciso entrar com a vontade dobrada”, comentou.

Indagado se teria cansado durante a etapa complementar, Neymar admitiu que é natural a queda de rendimento no final da partida. “Quando você corre, se entrega no jogo, é normal cansar. Não tem jeito”, encerrou.


Vídeo: (1) Gol e (2) melhores momentos.

Ponte Preta 1 x 0 Santos

Data: 21/10/2012, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, SP.
Público: 13.468 pagantes
Renda: R$ 268.310,00
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP).
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Bruno Salgado Rizo (SP).
Cartões amarelos: Baraka, Renê Júnior e Uendel (PP); André e Bruno Peres (S).
Gol: Luan (12-1).

PONTE PRETA
Edson Bastos, Cicinho (Xaves), Ferron, Cléber e João Paulo; Baraka, Wendel Santos, Renê Júnior e Nikão (Uendel); Luan (Rildo) e Roger.
Técnico: Guto Ferreira

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Gérson Magrão; Adriano (Patito Rodríguez), Henrique (Bernardo), Arouca e Felipe Anderson; Neymar e Miralles (André).
Técnico: Muricy Ramalho



Com atuação fraca, Santos é derrotado pela Ponte Preta em Campinas

Gol de Luan ainda no primeiro tempo define vitória do time da casa, que chega a 40 pontos e se distancia da zona de rebaixamento

Com uma fraca atuação, o Santos conheceu neste domingo mais uma derrota no Campeonato Brasileiro . O time comandado por Muricy Ramalho visitou a Ponte Preta no Moisés Lucarelli, em Campinas, e saiu de campo derrotado por 1 a 0. O gol dos mandantes foi anotado por Luan na etapa inicial.

O resultado ajudou a Ponte Preta a respirar um pouco no Brasileirão. Com o triunfo, a equipe campineira chegou a 40 pontos, agora na 13° posição do torneio. Já o Santos caiu para o 11° lugar, com 42 pontos.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Náutico, quinta-feira, em local a ser definido. Interditada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), pelo incidente com a ambulância que não entrou no gramado do estádio, no empate com o Atlético-MG, na última quarta, a Vila Belmiro ainda pode ser liberada para o duelo. Caso contrário, o Pacaembu deve receber o jogo. Já a Ponte Preta recebe o Cruzeiro, também na quinta, no Moisés Lucarelli.

O jogo

Precisando da vitória para se afastar da zona do rebaixamento, a Ponte Preta começou a partida pressionando. Logo aos cinco minutos, o atacante Luan fez jogada individual, cortando para o meio e finalizando de perna direita, para defesa de Rafael.

Melhor em campo, a Ponte dominava o jogo e não demorou para abrir o placar. Aos 12, João Paulo avançou pela esquerda e cruzou para Cicinho, que, na tentativa de finalizar, ajeitou para Luan. O atacante, em posição legal, apenas completou para o gol vazio e colocou os campineiros em vantagem no Moisés Lucarelli: 1 a 0.

A Ponte quase ampliou em rápido contra-ataque, aos 17. Nikão lançou Roger, que driblou o zagueiro e arriscou o chute, mandando a bola por cima no travessão.

Sem dar espaços para o Santos em campo, a equipe da casa esteve perto do segundo gol em outra grande oportunidade. Aos 28, Nikão levantou na área para Roger, que ajeitou de cabeça para o meio. A bola foi para a cabeçada de Cléber, no canto direito. Rafael se esticou e espalmou o forte toque do zagueiro campineiro, para escanteio.

Com Nikão, aos 34, a Ponte Preta quase balançou as redes santistas, em uma finalização de voleio do meia. A bola passou muito perto da trave esquerda do camisa 1 do Santos.

Antes do intervalo, os donos da casa ainda tiveram mais uma boa chance de gol. Aos 38, Luan acionou Roger, que fez o giro em cima da marcação adversária, batendo de primeira para mais uma grande defesa de Rafael, que de mão troca, espalmou a bola para escanteio.

Depois de um primeiro tempo ruim, o técnico Muricy Ramalho resolveu promover duas alterações no Santos, na volta para o segundo tempo. O volante Henrique deu lugar ao meia Bernardo, enquanto o argentino Miralles foi substituído por André, no ataque.

Apesar das substituições, o Santos pouco produzia em termos ofensivos. Com isso, a Ponte Preta esperava o momento certo para contra-atacar. Aos 15, Roger chegou na frente de Bruno Rodrigo, em uma enfiada de bola dentro da grande área, mas Rafael evitou o segundo gol do rival.

Aos 22, após cruzamento, a bola sobrou quicando na frente de Luan e o atacante armou o voleio, com o pé direito. A bola acertou o travessão, em mais uma grande chance desperdiçada pela Ponte.

Os santistas enfim criaram uma chance de perigo, com André. Aos 27, em cobrança de falta pelo lado direito, Bernardo lançou a bola na cabeça do centroavante, que tocou no canto esquerdo de Edson Bastos. A cabeçada passou ao lado do gol.

Enquanto no time da casa o meia Nikão deu lugar ao lateral Uendel, aos 29, e Rildo substituiu Luan, aos 41, Muricy arriscou sacar um volante, Adriano, para a entrada do meia-atacante argentino Patito Rodríguez, em sua última troca, aos 37.

Porém, mesmo com as tentativas do seu treinador, a equipe santista não teve forças para chegar ao empate nos minutos finais.

Após derrota, Neymar dispara: “Entramos como se fosse treino”

O camisa 11 se irritou com o desempenho santista e apontou a determinação da Ponte Preta dentro de campo como decisiva para a vitória alcançada pela equipe campineira

O atacante Neymar criticou duramente a atuação do Santos na derrota por 1 a 0 diante da Ponte Preta , neste domingo, no estádio Moisés Lucarelli. O camisa 11 se irritou com o desempenho santista e apontou a determinação da Ponte Preta dentro de campo como decisiva para a vitória alcançada pela equipe campineira.

“O nosso time entrou como se fosse um treino”, disse. “Não podemos dar esse mole. Eles venceram porque entraram com espírito de decisão. Mesmo fora de casa, temos que fazer melhor, entrar para ganhar”, completou.

Neymar não se eximiu de responsabilidade e acredita que os jogadores do Santos atuaram mal contra a Ponte, sem exceções. “Ninguém esteve bem. Todos nós fomos mal. Hoje (domingo) ninguém foi mais ou menos. Para mim, todo mundo foi de ruim para pior”, analisou.

Com o Santos tendo chances praticamente nulas de alcançar o G4 nestas últimas seis rodadas do Brasileirão, o atacante, que entrou em campo mediante um efeito suspensivo conseguido pelo departamento jurídico do clube praiano, pede dedicação nos últimos jogos do Santos no campeonato.

Para Neymar, mesmo sem maiores aspirações na competição nacional, o Santos precisa terminar com dignidade a sua participação no torneio. “Somos trabalhadores honestos. Só isso”, encerrou.

Muricy admite má atuação e vê Ponte Preta com mais “fome”

Além dos jogadores, o próprio técnico santista reconheceu a atuação apática de sua equipe diante do time de Campinas

O Santos não esteve em uma das suas noites mais felizes na derrota por 1 a 0 diante da Ponte Preta , neste domingo, no Moisés Lucarelli. Além dos jogadores, o próprio técnico santista, Muricy Ramalho, reconheceu a atuação apática de sua equipe diante da Ponte Preta.

“A Ponte mereceu porque quis jogar e a gente não jogou. Não podemos reclamar de nada. Se começa a dar desculpa, acaba tirando o mérito do adversário”, afirmou Muricy, antes de reconhecer a maior disposição do time adversário em campo durante todo o confronto.

“Eles tiveram muito mais fome do que nós. Não tem explicação o futebol que mostramos hoje (domingo). Estamos bem descansados, bem alimentados. Não tem como achar justificativas. Você precisa entrar a 100 km/h, caso contrario o adversário vai ganhar. Tem dia que não tem jeito e, realmente, produzimos muito pouco”, comentou.

O treinador do clube praiano ainda lamentou que as substituições promovidas por ele, na volta do primeiro para o segundo tempo, não tenham surtido o efeito desejado. Queríamos ter maior poder de armação de jogadas, pois só temos meias de ligação direta. Colocamos o Bernardo (no lugar do volante Henrique) para isso, com o intuito de que não passássemos direto da defesa para o ataque. Esse é o nosso grande problema. Não temos controle de bola e sofremos com isso”, finalizou Muricy.

Para Muricy, falta de objetivos não é desculpa para atuação do Santos

Treinador diz que jogadores devem manter motivação sempre, mesmo que não seja mais possível conquistar vaga na Libertadores

O técnico Muricy Ramalho ficou bastante desapontado com o rendimento do Santos na derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta . Indagado sobre as razões para a fraca atuação, ele rechaçou que a falta de objetivos no Brasileirão tenha sido uma das razões.

“Quem está vestindo a camisa do Santos não pode ter essa”, disse Muricy, referindo-se a falta de motivação. “Só por causa disso tem que ter a maior motivação do mundo. Agora, isso existe dentro de cada um. Motivado você tem que estar sempre”, completou.

O comandante santista, que em outras oportunidades se mostrou contrário a este tipo de método, sabe que as chances de conquistar uma vaga na próxima Libertadores são apenas matemáticas, mas negou qualquer tipo de trabalho neste sentido, nas últimas rodadas do campeonato.

Muricy Ramalho apenas quer ver os seus comandados jogando com empenho e seriedade neste final de campeonato. “Não existe essa coisa de psicológico. Jogar todo dia é obrigação. Não podemos dar desculpas, pois seria tirar os méritos do adversário e isso não pode acontecer. Agora, nós temos que melhorar nas últimas rodadas. O time todo foi muito mal e é nossa função mostrar um futebol melhor neste término de competição”, concluiu.

Com a derrota para a Ponte Preta, o Santos está na 11° colocação do Brasileirão, com 42 pontos ganhos. A distância para o São Paulo, último integrante do G-4, é de 13 pontos.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 2 x 2 Atlético-MG

Data: 17/10/2012, quarta-feira, 22h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 31ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.553 pagantes
Renda: R$ 171.950,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA).
Cartões amarelos: Adriano (S); Rafael Marques, Júnior César, Pierre, Carlos César (A).
Gols: Miralles (19segs-1) e Neymar (11-1); Bernard (17-2) e Jô (26-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Léo (Gérson Magrão); Adriano (Bill), Henrique, Arouca e Felipe Anderson (Bernardo); Neymar e Miralles.
Técnico: Muricy Ramalho

ATLÉTICO-MG
Victor; Marcos Rocha (Carlos César), Leonardo Silva, Rafael Marques (Richarlyson) e Júnior César, Leandro Donizete, Pierre, Serginho, Bernard e Ronaldinho Gaúcho; Jô (Leonardo).
Técnico: Cuca



Neymar mostra fôlego e brilha, mas Atlético-MG busca empate na Vila

Após longa viagem de volta da Polônia, onde defendeu a seleção, meia faz gol na Vila no empate entre santistas e atleticanos

Santos e Atlético-MG fizeram um jogo bastante movimentado, repleto de emoções e incidentes, e empataram por 2 a 2, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. A partida foi válida pela 31ª rodada do Brasileirão.

Após passar por uma verdadeira maratona para jogar, retornando ao país um dia depois de ajudar a seleção brasileira a golear o Japão, por 4 a 0, nesta terça-feira, na Polônia, o atacante Neymar completou 200 partidas com a camisa do Santos. O craque marcou o segundo gol, mas não conseguiu fazer a sua equipe sair com a vitória. O Atlético reagiu, após estar perdendo por dois gols, empatando o jogo.

O jogo marcou ainda dois incidentes com jogadores do Atlético. O zagueiro Rafael Marques deixou o estádio de ambulância, após desmaiar em choque de cabeça com o colega de zaga Leonardo Silva. Ele foi atendido na Santa Casa de Santos, e passa bem.

Outro que assustou foi o jovem Bernard, que se chocou com o volante Henrique e também precisou deixar o gramado.

O resultado manteve os santistas na nona colocação do Brasileiro, agora com 42 pontos. Já os mineiros continuam no segundo lugar da Série A, com 60 pontos ganhos e nove a menos que o Fluminense.

Na próxima rodada, o Santos visita a Ponte Preta, domingo, a partir das 18h30 (horário de Brasília), no Moisés Lucarelli. Neymar, suspenso por dois jogos pelo STJD, por causa de sua expulsão contra o Grêmio, no último dia 30, em Porto Alegre, não poderá atuar.

Enquanto isso, os atleticanos recebem o Fluminense, líder do Brasileirão, também no domingo, só que às 16 horas, na Arena Independência.

O jogo

O Santos começou avassalador. Com apenas 19 segundos de jogo, o argentino Miralles recebeu de Felipe Anderson dentro da grande área e bateu no canto esquerdo de Victor, sem chances de defesa: 1 a 0 para o Peixe.

Melhores em campo, os santistas ampliaram aos 11. Em grande lance individual de Neymar,que fintou Rafael Marques, Leonardo Silva e Júnior César, o atacante apenas deslocou o goleiro atleticano, colocando a bola no canto direito e ampliando a vantagem de sua equipe no marcador.

O segundo gol fez o Atlético-MG reagir. Aos 16, o lateral-direito Marcos Rocha quase descontou em chute que exigiu grande defesa de Rafael, que espalmou a bola para escanteio.

Um minuto depois, o Galo descontou. Serginho fez grande jogada individual, driblando o lateral-esquerdo Léo e cruzando na medida para Bernard, de cabeça, dentro da pequena área, bater o goleiro Rafael.

O gol animou o Atlético-MG, que adiantou a sua marcação e passou a pressionar a saída de bola do Santos. Aos 26, a recompensa chegou para o Galo. Em rápido contra-ataque, Marcos Rocha lançou Bernard, Rafael tentou cortar, mas a bola sobrou para a finalização de Jô, que não desperdiçou a oportunidade de empatar o duelo: 2 a 2.

No lance do gol de empate, Rafael Marques e Leonardo Silva, ambos zagueiros do time mineiro, se chocaram e o primeiro levou a pior. Marques precisou ser imobilizado e, por problemas no acesso da ambulância da Vila ao gramado, precisou ser retirado de maca. O defensor atleticano, que foi substituído por Richarlyson, foi encaminhado a Santa Casa de Santos e está consciente. Rafael Marques ainda irá passar por tomografia no hospital para maiores detalhes do seu quadro clínico.

Após dez minutos de interrupção, o jogo foi retomado, porém, o ritmo da partida diminuiu bruscamente. Antes do intervalo, o veterano Léo deixou o confronto, lesionado. Gérson Magrão entrou no seu lugar.

Na volta para o segundo tempo, o Atlético-MG quase virou. Aos dois minutos, Ronaldinho Gaúcho levantou a bola para Richarlyson quase marcar o terceiro gol dos visitantes na Vila Belmiro.

Com o Peixe levando pouco perigo ao gol defendido por Victor, o técnico Muricy Ramalho resolveu mexer novamente na sua equipe. Desta vez, por opção tática. Aos 19, Felipe Anderson deu lugar a Bernardo.

No minuto seguinte, Bernardo cobrou falta para a área, Neymar quase completou e a bola sobrou para Miralles. O argentino, entretanto, não conseguiu o arremate e a zaga adversária afastou o perigo.

Aos 24, os santistas estiveram mais uma vez perto do terceiro gol. Neymar recebeu da entrada da área e tentou bater no canto esquerdo de Victor. O goleiro atleticano se esticou para desviar a bola com a ponta dos dedos e salvar o seu time. Precisando da vitória para encurtar a distância para o primeiro colocado do Brasileirão, o Galo promoveu duas alterações.

Aos 29, Jô saiu para a entrada de Leonardo, no ataque. Dois minutos depois foi a vez do ala-direito Marcos Rocha sair para a entrada do lateral-esquerdo Carlos César. Após o choque com o volante Henrique, Bernard foi outro jogador do clube mineiro a precisar deixar o gramado, aos 33.

O atleta saiu de maca, imobilizado, com um colete protetor na região do pescoço, e o seu time ficou com um a menos em campo. No minuto seguinte, o Atlético-MG teve uma grande chance, pois a zaga santista não tirou a bola de sua grande área e, no rebote, Leonardo mandou por cima do gol de Rafael.

Para os minutos finais da partida, Muricy aproveitou a vantagem numérica no gramado para sacar o volante Adriano para a entrada do centroavante Bill. No entanto, apesar da pressão dos donos da casa, o Galo resistiu a pressão e o empate perdurou até o apito final do árbitro.


Vídeos: (1) Globo Esporte e (2) os lances geniais do Neymar na partida.

Após novo golaço e drible espetacular, Neymar brinca com Ronaldinho.

Atacante do Santos brilhou mais uma vez no empate da sua equipe contra o Atlético-MG, na noite desta quarta-feira.

Neymar e Ronaldinho Gaúcho foram os personagens principais de um dos duelos mais emocionantes do futebol brasileiro nos últimos tempos: a vitória do Flamengo por 5 a 4, no dia 27 de julho do ano passado, na Vila Belmiro. Os dois voltaram a se enfrentar no empate entre Santos e Atlético-MG por 2 a 2 , na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, porém o atacante da equipe paulista brilhou mais do que o meia-atacante do time mineiro, marcando o segundo gol do clube praiano na partida.

Feliz com mais uma boa atuação contra Ronaldinho, Neymar brincou com o camisa 49 atleticano após o apito final. “Espero que ele venha mais vezes”, disparou o craque, destacando que tem levado sorte nos embates com aquele que é considerado pelo próprio santista como um dos seus ídolos no futebol.

Indagado sobre o lance do segundo gol de sua equipe, aos 11 minutos do primeiro tempo, no qual driblou Rafael Marques, Leonardo Silva e Júnior César antes de finalizar no canto direito de Victor, Neymar ressaltou que a jogada nasceu de improviso.

“O futebol é improviso. Não foi nada planejado. Você imagina uma coisa na concentração, mas na hora do jogo tudo pode mudar. Aí você fica sujeito a improvisação e deu certo. Pensei rápido para sair nas melhores condições possíveis dos marcadores. Depois, eu esperei e chutei no canto”, contou.

Por falar em improviso, já nos acréscimos da partida, Neymar aplicou um lindo chapéu de carretilha no defensor Carlos Cesar, do Atlético-MG, levando os torcedores santistas que foram à Vila Belmiro ao delírio.

Neymar completou 200 apresentações com a camisa alvinegra nesta quarta, mas não poderá enfrentar a Ponte Preta, no próximo domingo, no Moisés Lucarelli. Suspenso por dois jogos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por sua expulsão no empate com o Grêmio, no último dia 30, em Porto Alegre, o atacante cumpriu a pena automática no empate com o Internacional, no dia 6 deste mês, na Vila.

Golaço de Neymar em seu 200º jogo pelo Santos é destaque na imprensa mundial

Atacante santista marcou mais um golaço pelo Santos e ganhou espaço em jornais espanhóis e sul-americanos

O golaço que o atacante Neymar marcou no empate entre Santos e Atlético-MG por 2 a 2 nesta quarta-feira foi destaque nos sites de várias publicações pelo mundo.

O britânico The Guardian classificou a jogada de “atordoante” e lembrou que o brasileiro enfrentou uma viagem de 20 horas da Polônia, onde defendeu a seleção brasileira em amistoso contra o Japão.

Já o caderno de esportes do jornal espanhol El Mundo, destacou que o gol foi marcado na comemoração do jogo de número 200 do craque pelo Santos e contra o time do ex-ídolo do Barcelona Ronaldinho Gaúcho.

Os franceses do Chronofoot, por sua vez, disseram que Neymar fez um gol “à la Bergkamp” e o colocaram como um dos maiores atletas do futebol mundial.

A pintura do santista ainda virou notícia em outros veículos como os argentinos Clarín e Ole, os espanhóis As e Sport.es, além dos franceses L’Équipe e TF1.

Neymar rebate especulações e diz que fica no Santos: “Acreditem em mim”

Atacante santista novamente deixou os boatos sobre a sua saída de lado e afirmou que cumprirá seu contrato com o time paulista

Principal atleta do futebol brasileiro na atualidade, o atacante Neymar garantiu, mais uma vez, a sua intenção de não deixar o país antes da Copa do Mundo de 2014. O atacante rebateu a série de especulações da imprensa europeia, que têm apontado o seu futuro para longe da Vila Belmiro. De acordo com o camisa 11 do Santos, ele cumprirá seu contrato com o clube alvinegro, válido até a próxima Copa.

“Desde quando eu subi para o profissional, em 2009, sempre falo que vou ficar. Sempre tem boatos, Chelsea, Real Madrid ou Barcelona, e eu sempre falando não, que vou ficar. E vocês (jornalistas) sempre falam que eu vou sair. Então, por favor, eu peço que acreditem na minha palavra uma vez”, afirmou Neymar, esfriando os comentários sobre possível transferência para o Velho Continente.

Recentemente, o diário catalão Mundo Deportivo destacou que Peixe e Barcelona teriam um acordo para a contratação da Joia santista e que, caso Neymar desejasse romper esse acerto e se transferir para outro clube da Europa, a equipe espanhola receberia uma indenização de 80 milhões de euros (R$ 210 milhões). O também catalão Sport chegou a noticiar uma possível reunião em São Paulo, na qual o atacante teria pedido ao Barça “que o contratasse o quanto antes.

“Quem toma conta da minha vida, da minha carreira, somos eu e o meu pai. A partir do momento em que vocês ouvirem da minha boca que eu vou sair, ou da boca do meu pai, aí podem ter certeza. Enquanto isso, todos podem ficar tranquilos: não vou sair do Santos”, concluiu.

Os direitos econômicos de Neymar estão divididos da seguinte forma: 55% do Alvinegro Praiano, 40% do grupo DIS e 5% da Teisa (Terceira Estrela Investimentos S.A). Porém, caso a Joia se transfira ao término do seu vínculo com o Santos, nenhuma das partes receberá qualquer tipo de compensação financeira pela negociação.

Bastidores – Santos TV:

Santos promete tomar providências para permitir ambulâncias no gramado na Vila

Rafael Marques sofreu grave acidente, mas ambulância não pôde entrar em campo por causa de degrau à beira de campo

Um choque de cabeça com o companheiro Leonardo Silva, deixou Rafael Marques desacordado por alguns minutos na Vila Belmiro, nesta quarta-feira, no empate entre Santos e Atlético-MG . Os problemas, no entanto, começaram quando a ambulância que removeria o zagueiro não conseguiu entrar no estádio, causando um demora de cerca de dez minutos para que ele fosse levado a um hospital.

“Eu estava vendo o jogo e houve um obstáculo para a entrada da ambulância”, explicou Odílio Rodrigues, vice-presidente santista. “O certo seria remover o jogador na maca móvel, já que a ambulância não conseguia entrar”.

Segundo informações do médico do clube mineiro, doutor Otaviano de Oliveira Jr, o caso de Marques não preocupa e as devidas precauções já estão sendo tomadas. O atleta foi encaminhado até a Santa Casa de Misericórdia de Santos.

“Passou por exames, fez avaliação com neurocirurgião, não foi detectado nenhuma lesão. Não há perigo de sequelas pelo que acreditamos. Houve uma concussão, perda momentânea dos sentidos. Agora, aguardamos três dias por precaução. Ele permanece internado até amanhã”, disse.

O incidente poderia ter sido muito pior, inspirasse a situação do atleta cuidados mais imediatos. Oliveira Jr adverte sobre a gravidade do que aconteceu na Vila Belmiro. “O ideal era que a ambulância pudesse chegar, procuramos transportá-lo com segurança. Fica o alerta para solucionarmos os problemas”, alertou.

Rodrigues, porém, garantiu que o clube praiano resolverá a questão o mais rápido possível. “Marcamos reunião para ver o acesso da Vila, para saber o que aconteceu. Nós temos um departamento de patrimônio, de engenharia, uma diretoria de eventos, todos vamos nos reunir amanhã cedo e apurar o que aconteceu para termos explicações”, afirmou.

A respeito de uma possível punição no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, o dirigente santista se mostrou cético. “Eu espero que não, na realidade temos um laudo como qualquer campo de futebol, válido até novembro. O Santos tem a sua praça de esportes liberada”

Por meio de comunicado oficial divulgado no site do Santos, logo após a partida, o clube informou que mantém três ambulâncias no estádio durante as partidas. A diretoria santista também aproveitou para desejar a Rafael Marques uma pronta recuperação.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 2 x 0 Vasco

Data: 14/10/2012, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.555 pagantes
Renda: R$ 105.170,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Asp. Fifa-GO).
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Thiago Gomes Brígido (Asp. Fifa-CE).
Cartões amarelos: Henrique e Rafael (S); Nilton e Fellipe Bastos (V).
Gols: Miralles (08-1); Miralles (02-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Léo; Adriano, Henrique (Gérson Magrão), Arouca e Felipe Anderson; Miralles (Patito Rodríguez) e Bill.
Técnico: Muricy Ramalho

VASCO
Fernando Prass, Jonas (Pipico), Rodolfo, Douglas Wendel; Nílton, Fellipe Bastos, Felipe (Jhon Cley) e Carlos Alberto (Marlone); Éder Luis e Alecsandro.
Técnico: Marcelo Oliveira



Miralles marca duas vezes, Santos vence outra sem Neymar e tira Vasco do G4

Na Vila Belmiro, Santos estreia novo uniforme e vê argentino brilhar em péssimo dia vascaíno

Existe vida sem Neymar para o Santos . Em mais uma partida sem seu melhor jogador, o time de Muricy Ramalho superou o Vasco por 2 a 0 neste domingo com dois gols do argentino Miralles, fazendo com que o clube carioca saísse do G4 pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro .

O resultado positivo faz o Santos chegar a quatro partidas sem derrotas e segue se afastando das últimas posições. Tem 41 pontos e ocupa a oitava colocação. O sonho da Libertadores segue distante, já que o São Paulo atingiu 52 e ultrapassou o Vasco, que jogou sem Juninho Pernambucano e tem dois pontos a menos.

Os dois clubes terão pouco tempo de descanso até a próxima rodada. Na quarta-feira, novamente na Vila Belmiro, o Santos recebe o Atlético-MG, que briga pelas primeiras posições do Brasileiro. Já o Vasco tenta retornar ao G4 em clássico contra o Botafogo, na quinta.

O jogo

Há seis anos sem vencer o Santos na Vila Belmiro, o Vasco começou sufocando seu adversário com base na troca de passes ofensiva pelo lado esquerdo, entre Wendel, improvisado na lateral, e Felipe. Com o passar do tempo, ainda na etapa inicial da partida, os comandados de Muricy Ramalho notaram que o avanço de Wendel deixava desguarnecido o lado direito do ataque santista – jogadas ofensivas pelo setor acabaram sendo a tônica de todo o primeiro tempo.

Depois de Carlos Alberto tentar organizar o Vasco do meio para frente, o Santos equilibrou a partida e, logo aos oito minutos, aproveitou a avenida que tinha à disposição do lado direito para abrir o placar. Bill recebeu lançamento longo na intermediária, logo após um desarme cometido para cima de Carlos Alberto ,e fez lançamento em velocidade para Miralles, que invadiu a área sem marcação e bateu no canto direito de Fernando Prass para marcar o primeiro do Santos.

Aos 13 minutos, na tentativa de responder, Felipe conseguiu lançamento em profundidade para Éder Luis, que balançou as redes de Rafael, mas foi flagrado em posição de impedimento. No lance seguinte, Henrique recebeu na intermediária e tocou rápido para Bruno Peres, que tentou o cruzamento, mas acabou criando ótima oportunidade de aumentar o placar no tiro direto involuntário. No último instante, Fernando Prass deu um tapa na bola e afastou pela linha de fundo o que poderia ser o segundo gol dos donos da casa.

Na única jogada pelo lado esquerdo do ataque, Léo desarmou Jonas e fez o passe para Miralles, que não conseguiu o domínio e acabou servindo Bill. A zaga do Vasco afastou em um primeiro momento, mas a sobra ficou com Bruno Peres, que encheu o pé e obrigou Fernando Prass a praticar defesa incrível em mais uma tentativa do lateral direito santista, de volta ao time após lesão.

Aos 30, o Santos criou sua última boa oportunidade na etapa inicial. No momento em que Carlos Alberto tentava o lançamento na área do Santos, a forte marcação à frente da zaga conseguiu o corte. Na sobra, o vascaíno acabou desarmado por Miralles, que fazia pelo primeiro tempo e conseguiu servir Bruno Peres, que passava pela direita para tentar o drible para cima de Fernando Prass. A boa saída do goleiro vascaíno impediu o último fôlego do Santos, que depois só trabalhou a bola, sem perigo.

Logo na primeira jogada da etapa complementar, Nilton pisou no tornozelo de Miralles, que saiu de campo para atendimento, mas não foi motivo de preocupação para a comissão técnica. De volta ao jogo após se recuperar prontamente, o artilheiro do jogo recebeu passe em profundidade de Felipe Anderson, nas costas da marcação de Douglas, e bateu por baixo de Fernando Prass para aumentar a vantagem santista na Vila Belmiro.

Aos 12 minutos, o Vasco criou sua primeira boa oportunidade no segundo tempo, após lançamento em velocidade de Felipe para Éder Luis, que acertou em cima do goleiro Rafael. Na sobra, Nilton completou por cima da meta santista, rente ao travessão. Na sequência do lance, no entanto, Léo fez o desarme no campo de defesa e tocou para Miralles, que lançou Bill de primeira. Fernando Prass saui do gol, falhou no corte e quase deu espaço para o santista completar.

O Vasco continuou atento, mas só teve chances em jogadas interrompidas pela arbitragem, como no lance em que Alecsandro recebeu passe na entrada da área, dominou com a coxa e virou chutando, no ângulo de Rafael, que caiu e conseguiu defender com precisão. O lance já estava paralisado por impedimento. Minutos mais tarde, Bruno Peres encostou a mão na bola e, na cobrança de falta, Fellipe Bastos acertou a trave em lance que também estava parado.

Mesmo com Marlone, Jhon Cley, Pipico e o time mais ofensivo, o Vasco não conseguiu criar espaços na segura defesa santista, que conseguiu garantir o resultado positivo após as entradas de Gérson Magrão e Patito. Nome do jogo, Miralles saiu de campo aplaudido.

Batidores – Santos TV:

Satisfeito por aproveitar ‘brecha’, Miralles vira goleador sem Neymar

Na estreia do novo uniforme listrado, o argentino marca dois gols e garante vitória sobre o Vasco no Brasileiro

No momento em que o atacante Neymar foi convocado para dois amistosos da seleção brasileira, o técnico Muricy Ramalho optou por dar sequência de jogos a Miralles. Em sua segunda partida consecutiva como titular do Santos , o argentino marcou duas vezes na vitória sobre o Vasco neste domingo . Chegou a seis gols e é o terceiro artilheiro da equipe no Campeonato Brasileiro, atrás de André e do próprio Neymar.

Satisfeito por aproveitar a ‘brecha’ atuando mais aberto ao lado de um atacante finalizador, o atacante elogia o técnico Muricy Ramalho no sentido de lhe conceder uma sequência de jogos como titular do Santos.

“Às vezes não chegam muitas bolas, então quando chegam eu tenho que concluir. O Santos tem muitos jogadores de qualidade, minha missão é aproveitar as oportunidades e contra o Vasco eu aproveitei. Fico contente, muito feliz, porque esperei muito tempo no Brasil e não estava conseguindo jogar como queria”, comentou Miralles, criticando o Grêmio, clube que defendeu até junho, quando foi trocado pelo ex-santista Elano.

Obediente taticamente e elogiado pelo comandante por esse motivo, Miralles não titubeia ao relatar o motivo de ter tido espaço para aproveitar as oportunidades: o meio-campista Wendel, improvisado na lateral do Vasco, deu espaços demais: “O jogador deles não marcou muito, porque era um meia. Na primeira chance que tive consegui fazer o gol, não aproveitei algumas, mas depois marquei de novo. Tento dia a dia melhorar e não tenho problema com posição”.

Muricy vê Santos taticamente forte e sem depender tanto de Neymar

Vitória neste domingo sobre o Vasco por 2 a 0 foi a segunda consecutiva da equipe sem contar com o atacante em campo

A vitória sobre o Vasco neste domingo , a segunda consecutiva sem Neymar em campo, enchem o técnico Muricy Ramalho de confiança. O treinador do Santos vê sua equipe cada vez mais preparada para superar o desentrosamento e conquistar os pontos necessários para terminar o Campeonato Brasileiro de forma digna.

Com 41 pontos somados nas primeiras 30 rodadas, o Santos não pensa mais em se classificar para a Libertadores e também não se anima com a reação tardia conquistada nas últimas partidas. Apesar disso, a evolução e a obediência tática demonstrada agradam a Muricy, que entrou em campo neste domingo sem contar até com André, suspenso por acúmulo de cartões amarelos e substituído por Bill.

“Não podemos ser dependentes, porque ano que vem vamos perder o Neymar de novo. Estamos nos preocupando com isso e nos reforçando bastante. Perdemos muitos jogadores após a Libertadores por valorização natural, e agora chegou a hora de esse time dar uma mudada depois de um tempo junto. Você procura as saídas para jogar sem o seu principal jogador e temos feito isso com eficiência”, aponta Muricy, explicando que a reação tardia não fará o time ambicionar algo a mais em 2012.

Sem os jogadores “diferentes”, como gosta de dizer, o técnico cita a obediência tática como trunfo na reta final do Brasileirão. “O time que não tem os diferentes tem que ter obediência tática que seja mais cumprida, e utilizamos isso em jogadas como os contra-ataques do Miralles. Temos um time um pouco desentrosado, então precisa trabalhar mais em relação a posicionamento e parte tática”.

A respeito da vitória conquistada sobre o Vasco, Muricy detectou falhas de marcação do adversário pelo lado esquerdo, setor em que o meia Wendel foi improvisado como lateral. Com jogadores de velocidade, o treinador prevê que, na próxima quarta-feira, o Atlético-MG entrará da mesma forma ofensiva que o Vasco entrou neste domingo: “Eles vêm para cima e às vezes vão abrir espaço. Contra o Vasco aproveitamos”.

Léo fala em aposentadoria, mas Muricy pede tratamento e renovação

Lateral tem a intenção de permanecer no Santos em 2013, mas condicionou extensão do contrato por mais um ano ao tratamento das dores no joelho

Recuperado de uma lesão na panturrilha esquerda, o lateral esquerdo Léo não entrava em campo pelo Santos desde a conquista da Recopa Sul-Americana, no dia 27 de setembro. Neste domingo, participou dos 90 minutos da vitória por 2 a 0 sobre o Vasco , na Vila Belmiro, e voltou a reclamar de dores no joelho que atrapalham a sequência da carreira aos 37 anos.

O experiente ala tem a intenção de permanecer no Santos em 2013, mas condicionou a renovação de contrato por mais um ano ao seu tratamento das dores no joelho. Léo deseja passar por uma artroscopia que o deixaria fora de campo por pelo menos dois meses, mas que exterminaria as dores. Caso o Santos não aceite renovar o vínculo em função da ausência certa nos primeiros meses de 2013, ele encerra a carreira.

“Converso muito com a comissão, com a direção, e venho fazendo o que tenho que fazer com meu joelho, porque o velhinho ainda dá trabalho. Mas eu compenso muito e sinto as dores. Se for da vontade do Muricy, faço no começo do ano a intervenção cirúrgica. Se não me quiserem, eu pararia de jogar ao fim do contrato”, revelou o camisa 3, capitão do Peixe neste domingo.

Léo aproveita a oportunidade para fazer o lobby pessoal e garantir que pode atuar por mais uma temporada, em alto nível, como titular do Santos, que briga pelo tetracampeonato paulista logo no início do ano: “Já conversaram comigo, mas vamos ver o que é melhor para mim e para o clube. Meu custo benefício é bem melhor do que de alguns garotos que passam a vida no departamento médico, mas está tranquilo”.

Citado por Léo, Muricy Ramalho deseja contar com o veterano lateral esquerdo, mas pede uma palavra médica para que possa contar com o camisa 3 em 2013. “Ele tem que resolver o problema do joelho, porque sabe que vai jogar competições duras, de alto nível. Jogadores do nome que ele tem precisam aguentar. Ele estava jogando demais, não há nada que aguente, precisa jogar dois e descansar um. O que eu recomendo é primeiro procurar um especialista e resolver isso, depois até para renovar é mais fácil”.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Botafogo 0 x 2 Santos

Data: 10/10/2012, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 29ª rodada
Local: Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 4.434 presente (2.986 pagantes).
Renda: R$ 60.545,00
Árbitro: Wagner Reway (MT).
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Paulo César Silva Faria (MT).
Cartões amarelos: Miralles, André e Patito Rodríguez (S).
Gols: André (08-2) e Miralles (11-2).

BOTAFOGO
Renan, Lucas, Dória, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Gabriel, Jadson, Fellype Gabriel (Vitor Júnior), Andrezinho e Seedorf; Elkeson (Rafael Marques).
Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTOS
Rafael; Éwerthon Páscoa, Bruno Rodrigo, Durval e Gérson Magrão; Adriano, Arouca, Felipe Anderson e Bernardo (Henrique); Miralles (Patito Rodríguez) e André (Bill).
Técnico: Muricy Ramalho



Santos se acerta no segundo tempo e derrota o Botafogo

No Engenhão, time paulista chega às redes após o intervalo e se afasta ainda mais dos riscos do rebaixamento. Já cariocas ouvem vaias da torcida

Com grande atuação no segundo tempo, o Santos mostrou que, mesmo sem a presença de Neymar, que está com a seleção brasileira, é capaz de alcançar bons resultados. O time paulista derrotou o Botafogo , por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, no Engenhão. André e o argentino Miralles balançaram as redes cariocas.

O triunfo fora de casa levou os santistas provisoriamente – antes do complemento da rodada – para a 10° colocação, com 38 pontos. O Botafogo, por sua vez, estacionou nos 40 pontos ganhos, na sétima posição.

Na próxima rodada, o Alvinegro Praiano recebe o Vasco, domingo, às 16 horas (horário de Brasília), na Vila Belmiro. Já os botafoguenses visitam o Grêmio, também no domingo, só que às 18h30, no Estádio Olímpico.

O jogo

Dentro de casa, o Botafogo começou a partida pressionando o Santos. Logo aos nove minutos, Elkeson teve uma grande oportunidade para abrir o placar a favor dos cariocas. Porém, o goleiro Rafael fez boa defesa e salvou o Peixe de sair atrás no marcador.

Os santistas tentaram reagir em campo, mas sem conseguir trabalhar a bola, o Glorioso tinha domínio das ações e acumulava chances de gol. Aos 17, Márcio Azevedo cruzou pelo lado esquerdo na cabeça de Elkeson, que acertou a trave de Rafael.

Mais tarde, aos 30, o Botafogo voltou a mandar uma bola na trave. Elkeson e Seedorf tabelaram, com um chute do camisa 9 do time carioca no travessão.

Nos dois minutos seguintes, o Glorioso se manteve no campo de ataque. Primeiro, Lucas tentou o cruzamento pela direita, a bola desviou em Durval e quase enganou Rafael. O arqueiro do Santos evitou o gol, mostrando reflexo ao esticar a mão esquerda, fazendo a defesa. A bola ainda tocou no travessão e saiu pela linha de fundo. Depois, Jadson rolou para Seedorf chutar rasteiro, mas a bola passou ao lado direito do gol defendido por Rafael.

Irritado com a postura santista em campo, o técnico Muricy Ramalho resolveu fazer a primeira alteração na equipe, antes do intervalo. Com 37, o meia-atacante Bernardo foi substituído pelo volante Henrique.

Antes do término do primeiro tempo, o Peixe assustou pela primeira vez o gol de Renan. Aos 39, Gérson Magrão se aproveitou de vacilo de Jadson, em rebote de escanteio, cruzando para a grande área. Na disputa na grande área. A bola sobrou para Éwerthon Páscoa, que não conseguiu finalizar como desejava, possibilitando ao goleiro do time carioca uma defesa tranquila.

Na volta para a etapa complementar, a pressão trocou de lado. O Santos passou a pressionar e, aos sete, quase Miralles abriu o placar, mas Renan fez uma grande defesa,

Porém, no minuto seguinte, os paulistas chegaram ao gol. Felipe Anderson cobrou escanteio, Éwerthon Páscoa desviou e André completou para o fundo das redes: 1 a 0 para o Peixe.

Os santistas aproveitaram o momento de instabilidade do adversário no jogo pára ampliar o marcador. Aos 11, o argentino Miralles recebeu bom passe de Felipe Anderson e, de frente para Renan, apenas deslocou o goleiro botafoguense, marcando o segundo do clube da Vila Belmiro.

Com a vantagem no placar, o Alvinegro Praiano passou a explorar os espaços deixados pelo Glorioso. Em um desses lances, aos 20, Felipe Anderson deu boa assistência para Miralles, que encobriu Renan, mas não conseguiu completar para o gol. Márcio Azevedo chegou na frente e evitou o terceiro gol. Na sequência, em cobrança de escanteio, Durval raspou para André complementar, exigindo boa defesa do arqueiro rival. O centroavante ainda tentou fazer o gol no rebote, mas sem êxito.

Atrás no marcador, o técnico Oswaldo de Oliveira resolveu trocar Elkeson por Rafael Marques e, pouco depois, Fellypoe Gabriel para a entrada de Vitor Júnior. No Santos, André deu lugar a Bill e Miralles saiu para o seu compatriota Patito Rodríguez ir para o gramado.

Logo em um de seus primeiros lances em campo, aos 37, Patito lançou Felipe Anderson, que invadiu a grande área, mas não aproveitou a oportunidade que teve, chutando a bola em cima do goleiro Renan, que salvou a sua equipe mais uma vez.

Nos últimos minutos, o Peixe soube administrar a vantagem, para a irritação da torcida botafoguense, e alegria dos torcedores santistas presentes ao Engenhão, até o apito final do árbitro.

Bastidores da Santos TV:

Para Muricy, 10° lugar do Santos no Campeonato Brasileiro é justo

“Perdemos muitos jogadores. Não temos um plantel à altura (dos líderes da Série A)”, avaliou o treinador

A vitória sobre o Botafogo por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, no Engenhão, possibilitou ao Santos ganhar quatro posições no Campeonato Brasileiro. Décimo colocado, com 38 pontos, 12 atrás do Vasco, último integrante do G-4, que garante vaga na próxima Copa Libertadores da América, o Peixe está longe de conseguir essa classificação. Para o técnico Muricy Ramalho, a equipe santista está numa posição justa dentro da tabela do Brasileirão.

“Foi uma vitória importante porque nos afastou de uma zona incômoda. Só que pelo que estamos jogando, não merecíamos estar em outro lugar. Temos de ser realistas”, disse o treinador, admitindo que a reformulação pela qual o grupo passou no segundo semestre, em meio à disputa do Brasileiro, contribuiu para o rendimento aquém do esperado do seu time.

“Perdemos muitos jogadores. Não temos um plantel à altura (dos líderes da Série A). Além disso, a cada jogo alguém se machuca ou é suspenso. Mas não podemos reclamar. Entendemos isso, mas é muito pouco”, comentou Muricy.

Por conta disso, o comandante alvinegro reforçou a necessidade de contratar reforços de peso para a próxima temporada. “Ficamos preocupados e estamos trabalhando para terminar bem e reconstruir (a equipe) para ganhar no ano que vem novamente. Se vendermos jogadores, é preciso repor forte. É preciso fazer isso para voltarmos a ganhar logo. O caminho é conquistar títulos no ano que vem”, encerrou.

Contra o Botafogo, Santos ganha a 1ª como visitante sem Neymar

Com as seguidas convocações do craque para a seleção brasileira, time de Muricy sofreu para enfim conseguir um triunfo como visitante

A vitória sobre o Botafogo, por 2 a 0 , na noite desta quarta-feira, no Engenhão, marcou o primeiro triunfo do Santos como visitante no Campeonato Brasileiro, sem o seu principal astro: o atacante Neymar. Com os gols do centroavante André e do argentino Miralles no segundo tempo da partida, o Santos chegou a 38 pontos ganhos, se distanciando da zona do rebaixamento do Brasileirão.

“Muitos falavam que a gente não vencia sem o Neymar. Está aí para quem falava isso. Mostramos que somos fortes, mesmo sem ele”, desabafou André, satisfeito com o triunfo sobre o Glorioso.

“Nós sabíamos que se não ganhássemos, os times de baixo poderiam encostar na gente. Agora, nós temos dois jogos em casa (Vasco, no domingo, e Atlético-MG, na próxima quarta) e totais condições de nos livrarmos de vez de qualquer chance de rebaixamento. Por isso, essa foi uma vitória muito importante”, ponderou.

Vale lembrar que Neymar está na Seleção Brasileira para dois amistosos: o primeiro contra o Iraque, nesta quinta, na Suécia, e o segundo contra o Japão, na próxima terça, na Polônia. Com isso, o camisa 11 irá desfalcar os santistas contra o Gigante da Colina e o Galo.

A Joia só deve retornar a equipe para o duelo com a Ponte Preta, no dia 21, no Estádio Moisés Lucarelli, na 32° rodada do Brasileiro.

Decisivo contra o Bota, Felipe Anderson ainda não consegue agradar Muricy

Para o treinador, jovem meio-campista “tem qualidade para armar sim, só que precisa passar mais a bola porque é um armador”

Decisivo contra o Botafogo, o meia Felipe Anderson participou dos dois gols da vitória do Santos sobre o time carioca , na noite desta quarta-feira, no Engenhão. Apesar disso, o técnico da equipe paulista, Muricy Ramalho, parece ainda não ter ser convencido de que o jovem jogador pode ser o substituto que o Peixe tanto procura para a vaga deixada por Paulo Henrique Ganso, que recentemente se transferiu para o São Paulo.

“Ele tem que melhorar como armador. É forte, rápido, mas quer partir para cima, agredir logo. É ansioso até por ser jovem. Ele tem qualidade para armar sim, só que precisa passar mais a bola porque é um armador. Mas pouco a pouco está melhorando muito em um setor que temos dificuldade”, afirmou Muricy.

Nos últimos cinco jogos, Felipe Anderson vem mantendo boa regularidade. Tanto que, dos sete gols marcados pelos santistas nesse período, o meia teve participação direta em cinco deles.

Mesmo assim, Muricy ainda prefere cobrar empenho da cúpula alvinegra pela chegada de peças de reposição para o elenco, principalmente para o setor de meio-campo.

“O Santos tem muita dificuldade no setor de armação, não temos armador. Temos um problema crônico no meio, por isso já estamos pensando na frente. É algo que precisa ser resolvido para 2013. A gente não tem armador, por isso já estamos pensando no ano que vem”, concluiu.

O comandante do Santos havia admitido na semana passada o interesse na contratação do meia Alex, que rescindiu com o Fenerbahçe (Turquia). Depois, Muricy Ramalho voltou atrás. Agora, Cruzeiro, Coritiba e Palmeiras são os principais interessados na sua aquisição. Já o meia Diego, do Wolfsburg (Alemanha), é considerado uma possibilidade forte para vestir a camisa 10, na próxima temporada.

Adriano destaca ajustes de Muricy e vê “atitude” em vitória santista

Santos derrotou o Botafogo fora de casa por 2 a 0 e colocou fim a uma série de três jogos sem vitórias no Brasileirão

A vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo, nesta quarta-feira, no Engenhão, deu fim a uma série de três jogos sem vitórias no Campeonato Brasileiro. O volante Adriano foi um dos jogadores da equipe que comemorou bastante o resultado. O atleta valorizou a intervenção do técnico Muricy Ramalho na equipe, tanto na substituição de Bernardo por Henrique, no final do primeiro tempo, quanto no reposicionamento do time alvinegro em campo durante o intervalo, para o segundo tempo da partida contra os cariocas.

“O professor Muricy fez ajustes muito importantes no posicionamento. Além disso, todo o time teve uma mudança de atitude, se aplicando mais na marcação e partindo com velocidade para o ataque”, destacou Adriano, que retornou a formação titular depois de cumprir suspensão automática, pelo terceiro cartão amarelo, no empate com o Internacional, no último sábado.

O volante também enalteceu que, com o triunfo sobre o Botafogo, os santistas abriram uma boa distancia para a zona do rebaixamento. O Alvinegro Praiano está na décima colocação, com 38 pontos ganhos, 11 a mais em relação ao Sport, primeiro integrante do Z-4. O time pernambucano, porém, entra em campo diante do Grêmio, nesta quinta, na Ilha do Retiro, e pode voltar a ficar oito pontos atrás do Santos na tabela.

“A gente vinha de uma sequência sem ganhar e um resultado como esse, diante de um adversário difícil e fora de casa, faz com que o time retome a confiança e mostre que tem qualidade, mesmo com desfalques importantes (Neymar, na Seleção Brasileira, é o principal deles). E abrimos onze pontos do Sport, praticamente afastando qualquer possibilidade de queda para a Série B”, concluiu.