Navegando Posts marcados como Alan Kardec


Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) reportagem Sportv.

Santos 1 x 0 Vélez Sarsfield – 4 x 2 nos pênaltis

Data: 24/05/2012, quinta-feira, 20h00.
Competição: Copa Santander Libertadores – Quartas de final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.908 pagantes
Renda: R$ 677.502,00
Árbitro: Roberto Silvera (URU).
Auxiliares: Mauricio Espinosa e Miguel Nievas (ambos do URU).
Cartões amarelos: Alan Kardec, Adriano, Arouca e Neymar (S); Fernández e Cabral (VS).
Cartão vermelho: Barovero (VS).
Gols: Alan Kardec (32-2). Nos pênaltis: Alan Kardec, Ganso, Elano e Léo (S); Martínez e Sebá Domínguez. Perderam: Canteros (VS, por cima) e Papa (VS, defesa do Rafael).

SANTOS
Rafael; Henrique (Maranhão), Edu Dracena, Durval e Juan (Léo); Adriano (Renteria), Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec.
Técnico: Muricy Ramalho

VÉLEZ SARFIELD-ARG
Barovero; Peruzzi, Sebá Domínguez, Ortiz e Papa; Cubero, Zapata, Fernández (Canteros) e Cabral (Bella); Martínez e Obolo (Montoya).
Técnico: Ricardo Gareca



Santos elimina o Vélez nos pênaltis e encara o Corinthians na semi

Nos pênaltis, Alan Kardec, Paulo Henrique Ganso, Elano e Léo fizeram os gols da classificação do Santos na Libertadores

Após o arquirrival Corinthians garantir uma vaga na semifinal da Copa Libertadores, a classificação contra o Vélez era uma questão de honra para o torcedor santista. Nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, o time de Muricy Ramalho não decepcionou: venceu por 1 a 0 e eliminou o time argentino nas cobranças de pênalti: 4 a 2.

Com um jogador a mais desde os 39 minutos do primeiro tempo, o Santos marcou o gol da vitória na etapa final, com Alan Kardec. Nas penalidades, Kardec, Elano, Ganso e Léo fizeram os gols da classificação – o goleiro Rafael pegou a cobrança de Papa e Canteros chutou para fora.

As semifinais do torneio continental serão disputadas nos dias 13 e 20 de junho. Como o Corinthians fez melhor campanha na fase de grupos, o segundo jogo será no Pacaembu. A princípio, a primeira partida deve ser realizado na Vila Belmiro.

Agora, no próximo domingo, a equipe do técnico Muricy Ramalho busca a primeira vitória no Campeonato Brasileiro, contra o Sport, na Vila Belmiro. Convocados para a seleção, Neymar e Rafael vão desfalcar a equipe em três rodadas do Nacional. Já Paulo Henrique Ganso será submetido a uma artoscopia no joelho direito e deve ficar três semanas afastado.

O jogo

O Santos não perdeu tempo e quase abriu o placar no primeiro minuto da partida. Elano cobrou falta na área, nenhum jogador conseguiu desviar de cabeça e a bola tirou tinta da trave esquerda de Marcelo Barovero.

A jogada de perigo animou a torcida que lotou a Vila Belmiro. No entanto, por causa da forte marcação do time argentino, o Santos voltou a ameaçar apenas aos 19 minutos. A zaga do Vélez rebateu mal, Neymar ficou com a bola e chutou para fora.

Na melhor jogada do primeiro tempo, aos 39 minutos, Neymar recebeu lançamento de Elano e, fora da área, sofreu falta dura do goleiro. Como o atacante tinha tudo para marcar o gol, o árbitro não pensou duas vezes e expulsou Marcelo Barovero.

Devido à expulsão, o técnico Gareca sacou o atacante Obolo para a entrada do goleiro Montoya. Na cobrança da falta, Elano chutou para fora.

No segundo tempo, o Santos partiu com tudo para aproveitar a vantagem numérica. Logo aos dois minutos, Adriano soltou a bomba de fora da área e o goleiro espalmou para escanteio. Mesmo com todos os jogadores no campo de defesa, o Vélez respondeu aos oito minutos. Fernandez chutou de muito longe e quase encobriu o goleiro Rafael.

Após o Santos ficar quase 15 minutos sem criar uma chance de perigo, Muricy Ramalho resolveu mudar o time e colocou o atacante Rentería na vaga do volante Adriano.

E mais: Neymar já ganhou relógio, carro e até iate em apostas com o pai

A mudança, por pouco, não surtiu efeito aos 27 minutos. Rentería foi calçado por Ortiz dentro da área, mas o árbitro não marcou o pênalti.

Dois minutos depois, Alan Kardec perdeu uma chance incrível. O atacante ficou livre na cara do gol e chutou em cima do goleiro Montoya.

A torcida ficou revoltada com o gol perdido, mas o atacante precisou de apenas quatro minutos para dar a volta por cima. Aos 33, Kardec recebeu passe de Ganso dentro da área e tocou com estilo no canto do goleiro: 1 a 0.

Depois do gol, o Vélez ficou ainda mais fechado na defesa, fez muita cera e conseguiu administrar a derrota por 1 a 0.

Nos pênaltis, Alan Kardec, Ganso, Elano e Léo fizeram para o Santos. Pelo Vélez, Seba e Martinez converteram a cobrança. Já Canteros chutou para fora e Papa parou na mão de Rafael.

Bastidores – Santos TV:

Léo desabafa após brilhar e marcar gol decisivo nos pênaltis

Lateral-esquerdo do Santos, de 37 anos, desabafou e se disse desrespeitado devido à sua idade

O veterano lateral Léo, que atualmente é reserva do Santos, foi decisivo nesta noite de quinta-feira, na classificação do Santos sobre o Vélez Sarsfield na Libertadores. O jogador de 37 anos entrou no 2º tempo, deu passe para o gol de Alan Kardec e converteu a cobrança que garantiu a vaga do time paulista para as semifinais. Após a partida, Léo desabafou e se disse desrespeitado pela sua idade.

“A gente trabalha muito. Muita pena, muita gente olha pra mim, com 37 anos e acha que eu não posso produzir. Existe um desrespeito muito grande quando o atleta tem essa idade. Tem que analisar o que você faz dentro de campo. Eu, por exemplo, fiquei machucado e já falaram que o Léo estava velho. Tem jogador de 20 anos que se machuca e ninguém fala nada”, declarou o lateral santista.

Léo substituiu Juan, que teve atuação apagada e deu novo fôlego à equipe de Muricy Ramalho. Cinco minutos depois de sua entrada, deu belo passe para Alan Kardec marcar o único gol do jogo. Nos pênaltis, bateu a quarta cobrança do Santos e selou a classificação do time para as semis da Libertadores. O adversário dos santistas na próxima fase será o arquirrival Corinthians.

O lateral, que surgiu no Santos na geração de Diego e Robinho em 2002, também falou de sua dedicação nos treinos, mesmo sem atuar entre os titulares da equipe de Muricy Ramalho.

“Eu me dedido, eu treino. Eu estava preparado e pude ajudar fazendo o gol da classificação”, disse Leó, que ainda admitiu que tem esperanças de ser titular nos próximos jogos do Santos. “Quem sabe eu possa aparcer, sempre com os pés no chão e trabalhando com dedicação”, concluiu o veterano lateral.

Neymar responde provocação de assessor do Vélez: “Respecto es bueno”

Carlos Martino, assessor de imprensa do Vélez, provocou o Santos ao fazer alusão à morte de Chico Formiga

Após a classificação do Santos para as semifinais da Libertadores contra o Vélez Sarsfield, Neymar respondeu à provocação do assessor de imprensa do time argentino, Carlos Martino. Antes do duelo desta quinta, o integrante do Vélez fez uma brincadeira com a notícia da morte de Chico Formiga, ex-técnico do Santos que lançou os primeiros meninos da Vila.

“Respecto es bueno y a nosotros nos gusta. Obrigado Chico Formiga!!”, postou Neymar em sua conta no Twitter.

Martino publicou uma foto em sua conta no microblog de uma notícia do jornal “A Tribuna” de Santos, que mostra uma foto do caixão de Chico Formiga coberto com a bandeira do Santos e fez a piada: “Publicar isso é um prognóstico para hoje?”, postou Martino.

Antes do início da partida, o Santos divulgou uma nota em seu site repudiando a atitude do assessor de imprensa argentino, porém pediu para os torcedores santistas não agissem de maneira violenta contra o ato de Martino.



Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 4 x 2 Guarani

Data: 13/05/2012, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – Final – Jogo de volta
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 53.749
Renda: R$ 2.667.232,00
Árbitro: Paulo César de Oliveira
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Vicente Romano Neto.
Cartões amarelos: Neymar, Juan e Alan Kardec (S); Bruno Recife (G).
Gols: Alan Kardec (01-1), Fabinho (04-1), Neymar (08-1, de pênalti) e Bruno Mendes (16-1); Neymar (26-2) e Alan Kardec (46-2).

SANTOS
Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan (Léo); Arouca, Ibson, Elano (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec.
Técnico: Muricy Ramalho

GUARANI
Emerson; Bruno Peres, Domingos, André Leone e Bruno Recife; Ewerton Páscoa (Thiaguinho), Fábio Bahia, Danilo Sacramento e Medina (Max Pardalzinho); Bruno Mendes (Ronaldo) e Fabinho.
Técnico: Oswaldo Alvarez



Santos confirma vantagem, dá “olé” e leva o Tri do Paulista

Com dois gols de Neymar e dois de Kardec, time venceu Guarani por 4 a 2 e conquistou o estadual no Morumbi

O que tem virado rotina ultimamente aconteceu no Morumbi. Com goleada e olé, o Santos conseguiu confirmar a vantagem conquistada no primeiro jogo da final, venceu o Guarani por 4 a 2 e levou o terceiro título consecutivo do Campeonato Paulista . O feito da geração Neymar , conquistado neste domingo, iguala o alcançado pelo time de era Pelé, que conseguiu dois tricampeonatos na década de 1960.

Num Morumbi que não lotou, mas esteve cheio, com 53 mil torcedores, a maioria santista viu o time vencer o quinto título da era Neymar. Com a vantagem conquistada na vitória da primeira final, por 3 a 0, a torcida do Santos chegou ao estádio já em festa. Faixas e camisas comemorativas ao título eram vendidas em frente ao Morumbi horas antes da partida começar.

Os gols começaram a surgir logo no início do jogo. Com o rival precisando vencer, o Santos aproveitou os contra-ataques. Assim, marcou com Alan Kardec logo no primeiro minuto da final.

A facilidade que encontrava no ataque, não era a mesma na defesa. Em duas falhas, primeiro do goleiro Rafael e depois de Durval , o Guarani fez os seus gols. “Time experiente não pode errar assim”, reclamava o capitão do time, Edu Dracena , na saída do campo para intervalo.

No segundo tempo, o Santos se corrigiu, acalmou a partida, eliminou os erros e segurou o placar dominando a bola, atacando as vezes e impedindo avanços do Guarani. Assim, voltou a ficar a frente no placar, com mais um gol de Neymar e outro de Alan Kardec.

Se não chegou a se poupar, o time evitou riscos. Motivo para isso teve. Na próxima quinta-feira, enfrenta o Velez, na Argentina, pelas quartas de final da Libertadores da América.

O jogo

Em campo, um minuto de jogo foi suficiente para o Guarani ver que sempre que algo está ruim ainda pode piorar. No primeiro ataque santista, Neymar trabalhou como armador. Na frente da área, atacante driblou e, ficou de costas para o gol e viu Elano livre na direita. O meia recebeu e de primeira tocou para a área. A bola sobre para Alan Kardec tocar para o gol.

A necessidade de fazer quatro gols e não levar mais nenhum desanimou ainda mais os cerca de três mil torcedores do clube de Campinas. Os jogadores, entretanto, não deixaram de tentar. Aos 4 minutos, Fabinho empatou a partida, após falha de Rafael, que deixou a bola escapar de suas mãos após cruzamento e deixou o rival marcar.

Dois minutos depois, o Santos voltou a ficar à frente no placar. Em jogada de Juan na área, Bruno Peres tocou com a mão na bola e Paulo César de Oliveira marcou pênalti. Neymar cobrou e marcou o segundo gol santista.

O abismo entre Santos e Guarani, que agora precisava fazer quatro gols não impediu o time de Campinas de jogar. Alias, sendo melhor até que o rival. Aos 16 minutos, voltou a igualar o placar com gol de Bruno Mendes, depois de falha de Durval.

Mesmo sem alterações no intervalo, Muricy Ramalho conseguiu mudar a forma de jogar do Santos, que deixou de ser passivo no segundo tempo e voltou a ter mais posse no jogo. Com calma e a genialidade de Neymar, os santistas marcaram o terceiro gol.

O atacante recebeu a bola dentro da área e, aos 26 minutos do segundo, deu a vantagem ao Santos. O que veio depois foi a festa, com direito a dribles e firulas no campo, mais um gol de Alan Kardec e gritos de olé nas arquibancadas.

Santos conquista o tri e se iguala ao São Paulo com 20 títulos na história

Em 2005, data do último troféu do Tricolor, Peixe estava cinco conquistas atrás. Ainda faltam dois para chegar no Palmeiras e seis no Corinthians

A lista dos maiores campeões paulistas até 2005 colocava o Santos longe de seus maiores adversários. O São Paulo, após a conquista daquele ano, chegou ao seu vigésimo troféu, e abriu cinco títulos de diferença em relação ao Peixe – com este número, o Tricolor aparecia de forma isolada na terceira colocação entre os maiores do estado. Na época, poucos acreditavam que o alvinegro praiano conseguiria igualar a marca tão rapidamente. Mas conseguiu. Com a conquista deste domingo, após vencer o Guarani na decisão, o Santos subiu uma posição na tabela e se igualou ao São Paulo.

Este número gera um pouco de polêmica e nem todos concordam com ele, já que o time do Morumbi computa o título de 1931, vencido pelo São Paulo da Floresta, um dos clubes que deram origem ao atual. O desentendimento é devido ao São Paulo ter sido fundado em 1935 – como explicar, portanto, um título de quatro anos antes?

Além deste, existe a conquista do Supercampeonato Paulista, em 2002. Naquele ano, houve um torneio Rio-São Paulo com 16 times (sendo nove paulistas). No estadual entraram em campo apenas os times do interior. No Supercampeonato, Corinthians, Palmeiras e São Paulo jogaram um quadrangular com o Ituano, que venceu a competição com os menores. O Tricolor sagrou-se campeão.

De qualquer forma, o time da Baixada ainda está a duas conquistas de chegar no Palmeiras, com 22. Para ser o maior vitorioso do Campeonato Paulista, a coisa vai ser um pouco mais difícil. Atualmente com 20 títulos, o Santos precisa vencer mais seis para igualar o Corinthians, clube paulista que acumula mais conquistas na história da competição.

Mas as chances de subir alguns postos nas próximas temporadas são grandes. O Peixe ostenta uma hegemonia respeitável nas últimas edições. O time é o atual tricampeão. Desde 2010 o troféu está exposto no Memorial de Conquistas da Vila Belmiro. Se levar em conta as últimas sete edições da competição, os números são ainda mais surpreendentes. Cinco vezes os santistas levantaram a taça. Após o bicampeonato em 2006-07, o Palmeiras conquistou o título no ano seguinte e o Corinthians em 2009.

Destes campeões, apenas um conseguiu o título quatro vezes consecutivas: o Paulistano (1916-17-18-19). Alguns clubes são tricampeões. O Corinthians conseguiu três vezes o tri, e Palmeiras e São Paulo Athletic, uma vez cada. A conquista deste domingo coloca o Peixe ao lado do Timão como paulista com mais tris.

Após conquistar o Paulista, Santos quer repetir era Pelé na Libertadores

Próximo objetivo do time da Vila Belmiro é ganhar o principal torneio de clubes do continente pela segunda vez seguida

O Santos fez história neste domingo ao vencer o Guarani e conquistar o terceiro título consecutivo do Campeonato Paulista. Desde a era Pelé, o time da Vila Belmiro não comemorava o tricampeonato estadual. Agora, Neymar, Ganso e companhia querem repetir um feito ainda maior: ganhar pela segunda vez seguida a Copa Libertadores.

Com o melhor jogador da história do futebol, o Santos faturou a Copa Libertadores em 1962 e 1963. Primeiro, o time brasileiro derrotou o Peñarol na decisão. No ano seguinte, a vítima foi o Boca Juniors.

Por coincidência, em 2011, o Santos comemorou o título da principal competição de clubes do continente justamente contra o Peñarol. De quebra, a equipe comanda pelo técnico Muricy Ramalho pode decidir o título desta edição contra o Boca Juniros.

Para isso, o Santos precisa eliminar o Veléz, nas quartas de final, e passar pelo vencedor do duelo entre Corinthians e Vasco. Já o Boca tem de eliminar o Fluminense e despachar o vencedor de Universidad de Chile e Libertad.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos

Santos 8 x 0 Bolívar

Data: 10/05/2012, quinta-feira, 19h30.
Competição: Copa Santander Libertadores – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 15.060 pagantes
Renda: R$ 535.445,00
Árbitro: Martín Vázquez (URU).
Auxiliares: Carlos Pastorino e Carlos Changala (ambos do URU).
Cartões amarelos: Flores, Campos, Canteros e Valverde (B).
Gols: Elano (06-1), Neymar (21-1, de pênalti), Ganso (27-1), Alan Kardec (29-1) e Neymar (36-1); Elano (05-2), Ganso (07-2) e Borges (14-2).

SANTOS
Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca (Ibson), Elano (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec (Borges).
Técnico: Muricy Ramalho

BOLIVAR-BOL
Argüello; Rodríguez, Frontini e Valverde; Alvarez (Siquita), Flores, Cardozo (Miranda), Campos e Lizio; Arce e Cantero (Reyes).
Técnico: Guillermo Ángel Hoyos



Santos revive era Pelé, dá show e atropela o Bolívar na Libertadores por 8 a 0

Ganso faz gol de letra, Neymar quebra recorde e Santos se vinga de bolivianos com verdadeiro massacre

O Santos reviveu nesta quinta-feira os tempos aúreos da era Pelé e provou por que é considerado um dos favoritos para conquistar a Taça Libertadores. Com direito a uma bela atuação de Neymar e uma pintura de Ganso, a equipe paulista deu um verdadeiro espetáculo para a torcida que compareceu à Vila Belmiro, massacrou o Bolívar por 8 a 0 e se classificou para as quartas de final da competição. Na próxima fase, o Santos encara o Vélez Sarsfield, da Argentina.

Após perder a partida ida por 2 a 1, na Bolívia, o time da Baixada Santista precisava de uma vitória simples para avançar. O time paulista não fez por menos, se aproveitou da fragilidade dos bolivianos e fez um primeiro tempo avassalador, abrindo 5 a 0. Destaque para Neymar, que marcou o seu 106º gol pelo Santos e ultrapassou Serginho Chulapa e João Paulo como maior artilheiro do time na era pós-Pelé. Ganso ainda marcou um golaço de letra. A exibição de gala santista teve continuidade na segunda etapa e o Santos lembrou os tempos áureos de Pelé, cravando 8 a 0.

A goleada desta quinta-feira é a sexta maior da história da Libertadores e remete à temporada de 2010, quando o Santos colecionou placares históricos como as humilhantes vitórias contra Naviraiense (10 a 1) e Guarani (8 a 1), ambos pela Copa do Brasil e passeio frente o Ituano (9 a 1).

Nas quartas de final, o atual campeão da Libertadores terá uma parada dura pela frente. Os santistas enfrentam os argentinos do Vélez Sarsfield na próxima fase. A primeira partida acontece na semana que vem na Argentina e o Santos terá a vantagem de decidir a vaga em casa.

Com a vaga assegurada nas quartas do torneio continental, o time de Muricy Ramalho volta as suas atenções para a final do Campeonato Paulista. O Santos tem uma mão na taça, pois venceu o Guarani por 3 a 0 no jogo de ida e decide o título neste domingo, às 16hs, no Morumbi.

O jogo

Precisando de uma vitória simples para se classificar, o Santos começou a partida a todo vapor e abriu o placar aos 5 minutos. Elano aproveitou ajeitada de cabeça de Neymar e fez o primeiro do Santos em belo chute de fora da área.

O Bolívar logo acusou o golpe e começou a apelar. Arouca e Ganso levaram entradas duras de Campos e Canteros, respectivamente, e tomaram amarelo. Substituindo Fucile na lateral direita, o volante Henrique escapou sozinho pela direita e Argüello fez bela defesa para o Bolívar.

Após a bela intervenção, veio o vacilo do goleiro boliviano. Após escanteio, Argüello empurrou “bisonhamente” Edu Dracena dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Neymar bateu no canto esquerdo do goleiro e fez o seu 105º gol pelo time da Baixada, ultrapassando Serginho Chulapa e João Paulo no status de maior artilheiro do Santos na era pós-Pelé.

O show do Santos no 1º tempo não parou por aí. Aos 28 minutos Neymar avançou pela esquerda e cruzou na área, Ganso tocou de letra e fez um golaço na Vila Belmiro. O fôlego do Santos era interminável. Um minuto depois, Allan Kardec marcou o quarto em chute rasteiro de fora da área. Antes do fim do 1º tempo, Neymar ainda marcou mais um para o time da Vila Belmiro, após passe de Juan e o time de Muricy abriu 5 a 0 na primeira etapa, levando a sua torcida ao delírio.

O segundo tempo mal começou e o show do Santos continuou. Aos 4 minutos, Neymar fez bela jogada pela esquerda e tocou para Elano, que basteu rasteiro para ampliar. Ganso fez o sétimo em cobrança de falta. Ainda teve tempo para Borges, substituto de Allan Kardec, marcar o oitavo e fechar a atuação história do Santos nesta noite de quinta-feira. Uma noite inesquecível para os torcedores santistas.

Bastidores – Santos TV:

‘Mordido’, Neymar decreta: ‘Quando jogamos bola, não tem para ninguém’

Craque lembra dos episódios ocorridos em La Paz, onde foi atingido por uma laranja arremessada da torcida, e afirma que Peixe deu o troco

Foi fácil perceber. O Santos entrou de forma diferente em campo para encarar o Bolívar, na goleada desta quinta-feira, por 8 a 0, na Vila Belmiro, pela partida de volta das oitavas de final da Libertadores. Claramente motivado pelos episódios ocorridos no jogo de ida em La Paz, onde o Peixe perdeu por 2 a 1, Neymar, Ganso & Cia deram um show de técnica e eficiência.

Depois da partida, o camisa 11, autor de dois gols, admitiu a motivação especial para o jogo na Vila. Alvo de uma laranja arremessada pela torcida na Bolívia, o atacante já tinha avisado ao sair de campo em La Paz que “teria volta no Brasil”. Mas, mesmo assim, repetiu o discurso do treinador Muricy Ramalho e revelou que o objetivo do time era responder a tudo só com futebol.

– Quando o Santos joga bola, não tem para ninguém. Estávamos mordidos e devolvemos na bola. O Santos não sabe brigar ou guerrear, viemos para jogar e devolver na bola tudo o que fizeram lá – afirmou o craque.

As bolas na rede do atacante o elevaram ao posto de maior artilheiro isolado após a era Pelé, com 106 gols marcados. De quebra, Neymar também virou o 16º maior goleador da história do Peixe, ao lado de Álvaro. Ao comemorar o seu primeiro contra o Bolívar, de pênalti, o craque formou com os braços o T em alusão à expressão ‘É Tois’, criada a partir da gíria ‘É nós’, para celebrar a união com seus amigos.

2012-05-10-neymar-executa-passe-com-as-costas-santos-8-x-0-bolivar-libertadores

No Twitter, Neymar ironiza técnico do Bolívar: ‘Muito prazer’

Antes do primeiro jogo, em La Paz, treinador Ángel Guillermo Hoyos havia dito não conhecer o atacante santista. Resposta veio na bola

O técnico do Bolívar, Ángel Guillermo Hoyos, cutucou uma onça com vara curta. Antes do primeiro jogo contra o Santos, válido pelas oitavas de final da Libertadores, em La Paz, ele disse à imprensa boliviana que não conhecia Neymar. O atacante santista encarou a declaração como uma provocação. Na altitude de 3.660 metros da capital boliviana, e em meio a um clima hostil – com botinadas dos zagueiros e objetivos atirados da arquibancada no gramado -, Neymar não conseguiu render bem. Nesta quinta-feira, porém, ele deu a resposta. E em grande estilo.

O camisa 11 comandou o massacre na Vila Belmiro: 8 a 0, resultado que foi a sexta maior goleada da história da Libertadores. Neymar fez “só” dois gols. Na comemoração, fez uma reverência, como se estivesse se apresentando a alguém desconhecido. Parecia a resposta certa a Ángel Guillermo Hoyos.

E se alguém ainda tinha dúvida, Neymar matou a charada no Twitter, logo após o jogo, quando postou a foto abaixo com a seguinte legenda:

– Muito prazer.

Goleada do Santos no Bolívar é a 6ª maior da história da Libertadores

Neymar e companhia colocaram mais uma vitória santista na galeria de maiores do torneio

Faltou um gol para o Santos superar sua maior goleada na história da Libertadores, mas os 8 a 0 em cima do Bolívar nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, já foram suficientes para colocar este jogo na sexta colocação entre as maiores goleadas da história do torneio sul-americano.

O Santos tem também a quarta colocação nesse ranking. Em 1962, com Pelé e companhia, fez 9 a 1 no Cerro Porteño na Vila Belmiro. A maior goleada da história ainda é do Peñarol, que em 1970 fez 11 a 2 no Valencia da Venezuela. O Santos tem agora as três maiores goleadas de um time brasileiro na Libertadores.

Em 2008, outro time boliviano sofreu nas mãos do Santos. O San José tomou 7 a 0, placar igual a de outras goleadas de Palmeiras e Cruzeiro na competição.

Veja as maiores goleadas da história da Libertadores:
1º – Peñarol (URU) 11 x 2 Valencia (VEN) – 15/03/1970
2º – River Plate (ARG) 9 x 0 Universitário (BOL) – 11/03/1970
Peñarol 9 x 0 The Strongest (BOL) – 22/03/1971
4º – Santos 9 x 1 Cerro Porteño (PAR) – 28/02/1962
Peñarol 9 x 1 Everest (EQU) – 07/07/1963
6º – Santos 8 x 0 Bolívar – 10/05/2012
Blooming (BOL) 8 x 0 Deportivo Italia (VEN) – 07/04/1985

Santos 2 x 0 The Strongest

Data: 19/04/2012, quinta-feira, 19h45.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 1 – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.761 pagantes
Renda: R$ 369.670,00
Árbitro: Julio Quintana (PAR)
Auxiliares: Rodney Aquino e Hugo Martinez (ambos do PAR)
Cartões amarelos: Henrique e Adriano (S); Vaca, Reyes e Parada (TS).
Gols: Alan Kardec (40-2) e Neymar (42-2).

SANTOS
Rafael; Henrique (Alan Kardec), Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca (Ibson), Elano (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges.
Técnico:Muricy Ramalho

THE STRONGEST-BOL
Vaca; Parada, Marchesini, Méndez e Torrico; Reyes (Ramallo), Chumacero, Cristaldo e Soliz; Pablo Escobar e Melgar (Sacha Lima).
Técnico: Úber Acosta



Santos faz 2 a 0 no Strongest, carimba vaga e ajuda o Internacional

Time paulista demorou para acertar o alvo, mas venceu. Agora aguarda seu adversário

Não foi fácil, demorou quase o jogo todo para o grito de gol ser ecoado na Vila Belmiro, mas após dois lances depois dos 40 minutos do segundo tempo, o Santos fez 2 a 0 no Strongest, da Bolívia, e sacramentou sua classificação como o primeiro colocado do grupo 1 da Libertadores.

No dia que estreou sua terceira camisa, azul, o Santos suou para vencer, resultado que acabou confirmando também a classificação do Inter como segundo do grupo, que perdeu no Peru para o Juan Aurich. O time gaúcho vai enfrentar o Fluminense na próxima.

O jogo

O uniforme do boliviano Strongest, igual ao do venezuelano Deportivo Táchira, que tomou 6 a 0 do Corinthians na quarta-feira poderia sugerir que o mesmo aconteceria nesta quinta na Vila Belmiro. Mas o que foi visto foi bem diferente.

O Strongest, com o placar igual nos primeiros minutos, fez de tudo para segurar o jogo. Talvez pensando no pior, já que levara 5 a 0 do Internacional em Porto Alegre, o time boliviano tentava evitar ao máximo que a bola rolasse na Vila Belmiro. O goleiro Vaca ficou mais de três minutos trocando luvas e chuteiras. Minutos valiosos para os esforçados bolivianos.

O resultado de Juan Aurich e Inter, com vitória parcial dos peruanos, permitia ao Strongest o direito de sonhar com uma classificação. Bastaria uma vitória simples contra o Santos. E assim, como num sonho, o “mais forte” time da Bolívia segurou o Santos por todo o primeiro tempo.

O Santos teve boas chances de abrir o placar. Mas a boa atuação do goleiro Vaca, somada a uma bola no travessão (Borges acertou a barra aos 37 minutos) e uma outra salva em cima da linha por Cristaldo, as duas equipes foram para os vestiários sem alterar o placar. O Strongest esboçou alguns ataques, mas nada capaz de assustar o torcedor na Vila Belmiro.

O Santos chutou 12 bolas no gol boliviano, com seis no alvo, o que comprova que Vaca foi o nome do primeiro tempo. O Strongest chegou com quatro finalizações, mas apenas uma defesa de Rafael. O Santos controlou 75% da posse de bola, mas não foi suficiente para sair na frente.

Na volta do intervalo, nada de mudanças no cenário. Por 20 minutos o Santos foi quem teve a posse de bola, foi quem criou as chances de gol, mas nada de a bola entrar. Neymar teve chance clara aos 14 minutos. Cara a cara com Vaca, sem marcação, mandou a bola à esquerda do gol. Depois, aos 17, tentou uma bicicleta que parou nas mãos do goleiro boliviano.

O gol caminhava para um insosso empate sem gols, mas após dois lances já depois dos 40 minutos do segundo tempo, o Santos matou o jogo. Aos 40, Neymar cruzou para Alan Kardec mandar para as redes de cabeça. Dois minutos depois, o Durval mandou para Neymar que tabelou com Borges e saiu na cara de Vaca. Desta vez, sem firula, mandou para as redes. E o Santos vai forte para oitavas em busca do seu quarto título da Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Neymar marca e iguala Coutinho em gols válidos pela Libertadores

Como o ídolo dos anos 60, joia santista chega aos 11 gols na competição continental

O gol de Neymar aos 42 minutos do segundo tempo contra o Strongest , nesta quinta-feira, foi histórico para o Santos. O atacante igualou a marca de Coutinho, ídolo santista nos anos 60, e agora tem 11 gols marcados em jogos da Libertadores.

“Fico muito feliz por cada jogo, cada dia, cada ano e eu fazendo história no Santos. Mas não quero passar e nem ser melhor do que ninguém. Quero jogar bem pelo Santos”, disse Neymar, cada vez mais ponderado nas declarações.

Neymar e Coutinho estão em terceiro no ranking de goleadores santistas na Libertadores. Pelé tem 17 e Robinho, 14.

“A gente se doou o máximo para vencer. Insistimos e fomos até o final. Respeitamos a equipe deles e saíram os gols depois de tanto esforço”, disse Neymar após a vitória que sacramentou a liderança do grupo 1 da Libertadores para o Santos .

Internacional 1 x 1 Santos

Data: 04/04/2012, quarta-feira, 22h00.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 1 – 5ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 35.530 torcedores
Renda: R$ 1.025.415,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Roberto Braatz e Fabrício da Silva.
Cartão amarelo: Sandro Silva, Nei, Élton, Rodrigo Moledo (I); Durval, Neymar (S).
Cartão vermelho: Rodrigo Moledo (I)
Gols: Nei (08-1); Alan Kardec (20-2).

INTERNACIONAL
Muriel; Nei, Rodrigo Moledo, Índio e Kléber; Sandro Silva, Élton, Tinga (Gilberto), Dátolo (Bolívar) e Dagoberto (Jajá); Leandro Damião.
Técnico: Dorival Júnior.

SANTOS
Rafael; Fucile (Alan Kardec), Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca, Henrique, Ibson e Ganso; Neymar e Borges (Elano).
Técnico: Muricy Ramalho.



Santos busca empate e frustra festa de aniversário do Inter

No dia em que completou 103 anos, clube gaúcho segurou Neymar mas levou gol de Alan Kardec

No dia em que o clube completou 103 anos, a torcida do Internacional ganhou meio presente. Quem foi ao Beira-Rio viu um jogão entre Inter e Santos, pela 5ª rodada da fase de grupo da Libertadores. Porém, o resultado não foi o esperado pelos gaúchos: 1 a 1.

Até o craque Neymar foi convidado. A defesa gaúcha se redimiu e conseguiu segurar o atacante do Santos, depois de ele fazer três gols no jogo da Vila Belmiro. Nei, lateral-direito do Inter, até tentou dar um presentão fazendo um belo gol de falta logo aos 8 minutos de jogo. A festa parecia pronta, mas Alan Kardec apareceu de penetra. O atacante havia acabado de entrar e marcou o gol do Santos aos 20 minutos do segundo tempo.

O resultado não classificou nenhum dos dois. O Santos segue líder do grupo 1, com 10 pontos. O Inter é 2º colocado com 8. O The Strongest, que visita o Juan Aurich na quinta-feira, pode pular também para 10.

O jogo foi do nível que se esperava para um encontro dos dois últimos campeões da Libertadores: muito bom. O Inter se atirou para o ataque logo no início. O Santos não deixou por menos e respondeu nos contra-ataques. O gol de Nei acabou saindo em uma cobrança de falta, mas com a bola rolando os times também deram espetáculo.

O Inter fez uma blitz em Neymar. O craque do Santos produziu bem menos em relação ao jogo da Vila Belmiro, quando marcou três gols. Caiu pelo lado do campo, veio para o meio. Sempre tinha alguém do Inter pronto para roubar a bola. Porém, a defesa gaúcho não contava com Alan Kardec. Dois minutos depois de entrar em campo, o atacante empatou o jogo no segundo tempo.

Domingo, o Inter vai visitar o São Luiz, pela última rodada da fase de grupos do Gauchão. No mesmo dia, o Santos entrará em campo pelo Paulistão. Vai jogar fora de casa contra o São Caetano. Na última rodada da Libertadores, o Santos jogará contra o Strongest na Vila Belmiro, enquanto o Inter terá de encarar o Juan Aurich, no Peru.

O jogo

O Inter começou com uma disposição incrível. Se atirou para cima do Santos. Escanteios, cruzamentos. Logo deu resultado. Dagoberto sofreu falta perto da área. Nei cobrou com perfeição, na gaveta. Inter 1 a 0 aos oito minutos de jogo.

Resposta do Santos aos 13, Neymar colocou a bola na frente e apareceu na cara do gol. Muriel pegou firme. Aos 16, foi Kleber quem arriscou o chute assustando o goleiro Rafael.

Chance claríssima para o Santos aos 27 minutos. O cruzamento de Neymar deixou Ibson de frente para o gol. Muriel espalmou. Aos 41, Neymar arriscou um chute de fora da área. Nova defesa do camisa 1 colorado.

O Santos tentou acionar Neymar ainda mais vezes no início do segundo tempo. A marcação do inter foi perfeita, sempre com alguém pronto para tirar a bola do atacante. A primeira boa chance apareceu aos 15 minutos e foi do Inter. Chute de Dagoberto, passando perto do gol. Aos 17, Neymar conseguiu se livrar da marcação, driblou Moledo e chutou no cantinho. Outra bela intervenção de Muriel.

Se não dava com Neymar, o técnico Muricy Ramalho tirou um coelho da cartola. Colocou Alan Kardec em campo. Dois minutos depois, ele subiu no meio da área e cabeceou para fazer 1 a 1.

Dorival Júnior quase respondeu da mesma forma. Colocou Jajá em campo. Segundos depois, a bomba do meia-atacante explodiu nas luvas de Rafael. Mas Neymar conseguiu se soltar. Aos 28, o chute do craque tocou em Muriel e parou no travessão.

O Inter ensaiou uma pressão final. O Santos, comandado por Neymar, seguiu assustando. O atacante ainda conseguiu a expulsão do zagueiro Rodrigo Moledo nos minutos finais. Jogão de bola. 1 a 1 no Beira-Rio.

Bastidores – Santos TV:

Muricy exalta atuação “a la Barça” e comemora ponto conquistado

Treinador aprovou a posse de bola do Santos, que teve maior domínio em relação ao Inter

O técnico Muricy Ramalho lembrou da derrota do Santos para o Barcelona no Mundial de Clubes de 2011 para exaltar a atuação santista contra o Internacional nesta quarta-feira em Porto Alegre. O empate por 1 a 1 no Beira-Rio praticamente garantiu o Santos na próxima fase da Libertadores. O resultado foi conquistado depois de um grande jogo em que os visitantes tiveram mais de 60% da posse de bola, principalmente característica do time espanhol, campeão do mundo.

“No fim do ano aprendemos muito e estamos a cada jogo ficando mais com bola. Vimos que eles não entregam a bola de mão beijada então temos que continuar com a bola no pé. Jogar aqui (no Beira-Rio) não é fácil”, disse Muricy após a partida.

A classificação do Santos para a próxima fase da Libertadores passa exclusivamente por uma vitória santista contra o The Strongest, dia 19 de abril, na Vila Belmiro. Até um empate pode ser satisfatório. O Santos tem 10 pontos. O Inter, oito e o time boliviano, sete. Nesta quinta o Strongest visita o Juan Aurich no Peru.

Muricy comemorou que depois de cinco rodadas na Libertadores o Santos depende apenas dele para se classificar. E ainda teve uma vitória especial contra o Inter nos dois duelos pela fase de grupos. “Fizemos quatro dos seis pontos que disputamos com o Inter e isso é fantástico”, comentou o treinador.