Navegando Posts marcados como Alexandre

Santos 4 x 0 Palmeiras

Data: 04/06/1997, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.471 pagantes
Renda: R$ 19.768,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS)
Auxiliares: Paulino R.C. Neto (SP) e Willian Zacharias (SP).
Gols: Alexandre (14-1), Careca (17-1), Caíco (40-2) e Alessandro (45-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Ronaldo Marconato, Narciso e Cássio; Marcos Assunção, Élder (Sandro), Alexandre e Caíco, Careca (Macedo) e Müller (Alessandro).
Técnico: Wanderlei Luxemburgo

PALMEIRAS
Velloso; Dedimar (Fernando), Júnior II, Sandro, Agnaldo (Neto) e Júnior; Sergio Soares, Marquinhos e Rogério; Edmilson e Almir.
Técnico: Sebastião Lapola



Santos goleia o Palmeiras e fica com terceiro lugar do Paulista

O Santos venceu ontem, na Vila Belmiro, o Palmeiras por 4 a 0 e ficou com a terceira colocação do quadrangular final do Paulista, com três pontos.

Apenas 2.471 pagantes assistiram ao jogo. Foi o menor público da fase final do torneio. Os dois times chegaram a essa partida sem chances de ganhar o título.

Foi a primeira vitória do time de Wanderley Luxemburgo no quadrangular. A equipe perdeu seus dois jogos iniciais -para Corinthians e São Paulo.

O Palmeiras ficou na quarta colocação do quadrangular, com nenhum ponto marcado. O time perdeu todos os seus jogos na fase final do Paulista.

O Santos iniciou o jogo pressionando o adversário, procurando marcar a saída de bola do rival.

O Palmeiras, com três zagueiros na defesa, teve dificuldades para articular suas jogadas.

Para piorar, a equipe dirigida interinamente por Sebastião Lapolla abusou dos erros individuais.

Aos 14min, a zaga palmeirense falhou na marcação num cruzamento. Após uma defesa de Velloso, Alexandre pegou um rebote e abriu o placar: 1 a 0.

Os erros continuaram. Três minutos depois, Velloso não interceptou um lançamento, e Careca aproveitou-se para marcar o segundo gol: 2 a 0.

Foi o último gol do atacante com a camisa do Santos. Careca, 37, deve encerrar sua carreira como jogador profissional.

O jogador, que foi substituído aos 15min do segundo tempo, deve abrir uma escolinha de futebol em Campinas.

A chuva e frio prejudicaram muito a partida na segunda etapa. As duas equipes foram pouco objetivas e tiveram poucas chances de ampliar o placar.

Para tentar reverter a situação, Sebastião Lapolla abriu mão do esquema tático com três zagueiros. Porém a falta de talento do grupo de jogadores do Palmeiras não permitiu qualquer reação.

No final da partida, aos 40min, o meia Caíco acertou um ótimo chute de fora da área: 3 a 0. Aos 45min, Alessandro fechou o placar.

“Tivemos muitos problemas no quadrangular final. Apenas dois jogadores considerados titulares entraram em campo na última partida”, disse o goleiro Velloso, do Palmeiras, referindo-se a ele próprio e ao lateral Júnior.

Os jogadores do Santos terão uma semana de folga. A próxima competição da equipe é a Copa dos Campeões Mundiais. Os atletas palmeirenses também terão folga.



Luxemburgo quer final ‘digno’ para time

O Santos encerra sua participação no Paulista com a expectativa de sofrer uma pequena reformulação para a disputa do Brasileiro.

Dois dos titulares poderão deixar a equipe. Vágner, cuja suspensão de dois meses termina no dia 27, quer sair. Ele tem propostas do São Paulo e do futebol alemão.

O volante Marcos Assunção interessa à Roma, da Itália, mas o jogador está nos planos do Santos.

Pelas especulações, os mais cotados reforços são os atacantes Túlio, Caio, Evair e o meia Zinho.

O jogo de hoje poderá ainda significar a despedida do atacante Careca, 36, de jogos oficiais.

O técnico Wanderley Luxemburgo não garantiu que permanecerá no clube. Ele quer um final no Paulista “digno” para o time, que não contará com Ronaldão (machucado) e Baiano (suspenso).

Sem Rincón, Palmeiras pega o Santos só para Luiz Felipe ver

Elaborando uma lista de contratações e um relatório que definirá os dispensados, o Palmeiras se exibe hoje para seu novo técnico, Luiz Felipe Scolari, contra o Santos, na Vila Belmiro, às 20h30.

“A avaliação leva em conta todo o campeonato. Mas Luiz Felipe está participando e ele terá a primeira impressão de alguns jogadores só contra o Santos”, afirmou o técnico interino, Sebastião Lapolla.

O excesso de individualismo pode ser um dos reflexos da presença de Scolari nas tribunas. “O pessoal vai querer mostrar serviço”, disse o atacante Edmílson.

Para o volante Galeano, seu estilo vai agradar ao novo técnico. “Sou um jogador de muita força e marcação, o tipo de meio-campista de que o Luiz Felipe gosta.”

Lapolla concorda com seus jogadores. “O novo comandante vai estar lá. É uma motivação a mais.”

Segundo Lapolla, que, depois da partida contra o Santos, volta ao seu posto de dirigente, pelo menos três reforços devem chegar ao time antes da reapresentação no dia 12. “Virão um zagueiro, um meio-campista e um atacante.”

Os reforços (se fala em Adílson, Arílson e Paulo Nunes) iniciariam a preparação para o Brasileiro -antes um torneio com Flamengo, Bahia e Vitória.

O Palmeiras não contará com Rincón, que será poupado por ter uma contusão no joelho esquerdo, sentida após o último jogo. Com isso, a equipe terá três zagueiros, com Sandro funcionando como líbero.

Luiz Felipe assistiu ontem de manhã ao treino dos juniores e passou toda a tarde reunido com os dirigentes da Parmalat.

A Federação Paulista de Futebol declarou que o regulamento não define com precisão como será determinado o vice-campeão, com vaga garantida na Copa do Brasil.

A FPF deve dar a conhecer hoje ou amanhã o critério. De qualquer forma, além do campeão e vice estadual, deve haver times convidados para disputar o torneio.


Santos 4 x 2 Mogi Mirim

Data: 30/03/1997, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 2ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.177 pagantes
Renda: R$ 97.180,00
Cartões amarelos: Vagner, Baiano e Zetti (S).
Gols: Macedo (05-1), Andradina (25-1) e Luis Cláudio (40-1); Vágner (07-2), Macedo (14-2) e Alexandre (34-2).

SANTOS
Zetti; Léo (Baiano), Sandro, Ronaldão e Cássio (Rogério Seves); Marcos Assunção, Vágner, Caíco (Alexandre) e Robert; Macedo e Alessandro.
Técnico: Wanderley Luxemburgo

MOGI MIRIM
Marcos Garça; Paulão, Marcelo Batatais e Rogerinho (Luis Mário); Luis Cláudio, Branco (Ademir), Marcelo Lopes, Wellington (Ricardo Dias) e Leto; Marcão e Andradina.
Técnico: Oswaldo Alvarez



De virada, Santos derrota o Mogi na Vila

O Santos não mostrou o futebol de toque de bola exigido pelo técnico Wanderley Luxemburgo, mas teve garra e determinação para vencer, de virada, o Mogi Mirim por 4 a 2, ontem à tarde, no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

O atacante Macedo foi um dos destaques da partida, marcando dois gols e dando o passe para o gol de Alexandre. Ele ofereceu os gols ao filho Lucas, que nasceu ontem.

A partida começou com o Santos pressionando e inaugurando o placar. Caíco recebeu pela direita, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para a entrada de Macedo, livre de marcação, chutar forte, sem chances para Marcos Garça.

O gol levou o Mogi Mirim à frente, criando boas oportunidades, principalmente pelo setor direito com Marcelo Lopes.

Aos 25min, o empate. Marcão se livrou de dois marcadores e a bola sobrou para Andradina, que chutou no canto direito de Zetti.

O técnico Luxemburgo reclamou com insistência do número de passes errados e do espaço dado ao adversário, que dominou tecnicamente o primeiro tempo.

Aos 40min, o Mogi virou o jogo. Em jogada pela direita, Marcão chutou cruzado e a defesa não impediu a passagem da bola, que foi tocada para o gol por Rogerinho.

Luxemburgo mexeu no time para o segundo tempo. As presenças de Baiano e Alexandre, respectivamente nos lugares de Léo e Caíco, deram poder ofensivo ao Santos.

Aos 7min, Vagner recebeu a bola na intermediária, avançou sozinho e, de fora da área, chutou forte de pé esquerdo. A bola entrou no ângulo esquerdo de Marcos Garça.

Com a saída de Rogerinho, machucado, o Mogi deu espaço pelo setor esquerdo da defesa.

Aos 14min, Alexandre fez o cruzamento para a área, o goleiro falhou e a bola sobrou para Macedo marcar o terceiro gol do Santos.

Aos 34min, Macedo tocou de calcanhar para Alexandre chutar de pé direito. A bola resvalou em Paulão e encobriu o goleiro, definindo o resultado do jogo.

Müller é apresentado e prevê nova fase

O atacante Muller foi apresentado ontem à tarde à torcida do Santos, mesmo com o clube não tendo oficialmente contratado o jogador. Müller jogava no Perugia, da Itália.

O Santos paga hoje US$ 1 milhão e parcela de mais US$ 1 milhão, por meio de fiança bancária, ao clube italiano.

Müller evitou dar entrevistas. “Deixa primeiro o Santos fechar o negócio. Depois, eu falo”, disse.

O jogador viu a vitória com dirigentes e Narciso e Ânderson, que cumpriram suspensão ontem.

Müller elogiou o time e o técnico Wanderley Luxemburgo. “O time está bem, vive uma nova fase. O Wanderley sabe o que faz. Ele é como um pai para mim.”

O jogador deixou empolgada a torcida. “Vamos ver se dá para estrear contra o Corinthians.” O jogo está marcado para domingo.



Santos enfrenta o Mogi e busca empatia da torcida

O técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo, quer aumentar a “empatia” com a torcida no jogo de hoje contra o Mogi Mirim, na Vila Belmiro, em Santos.

“Nós temos de criar uma empatia para mostrar ao torcedor que nós os respeitamos e estamos buscando o melhor”, afirmou.

O treinador disse que o time vai voltar a ter a “marca de campeão” nos jogos que disputar na Vila Belmiro, reaberta na última quinta.

“Vai ser difícil o adversário conquistar o resultado aqui porque o Santos voltará a ter essa marca”, disse o treinador.

Um dos fatores que vão melhorar o desempenho do Santos na Vila é o novo gramado, no qual a diretoria investiu R$ 1 milhão. A nova grama foi estreada na quinta contra o Internacional e aprovada pelos jogadores, apesar de estar soltando algumas placas.

“Parece o tapete lá de casa, mas está soltando as placas porque a grama ainda não enraizou direito”, explica o zagueiro Sandro.

Segundo a diretoria, o gramado necessitaria de três meses para se fixar bem e não se soltar. “Mas não era possível esperar mais tempo”, disse o vice-presidente do Santos, Clodoaldo.

O estádio ficou fechado nove meses para reformas, que ainda não acabaram. A construção de um lance de arquibancadas ainda deve durar mais três meses.

Luxemburgo tem dois desfalques certos para a partida. Narciso e Anderson vão cumprir suspensão automática por terem levado o terceiro cartão amarelo.

Wagner e Marcos Assunção são dúvidas, mas é provável que retornem à equipe. Eles foram poupados contra o Internacional.

Luxemburgo afirmou que, se o jogo tivesse sido muito importante, Wagner e Assunção teriam jogado, mas preferiu poupá-los. Assim, há grande chance de que eles voltem à equipe hoje.

Com a saída de Anderson, Léo deve ocupar a lateral direita. Sandro deve substituir Narciso e formar dupla de zaga com Ronaldão.


Santos 3 x 2 Figueirense

Data: 18/03/1997, terça-feira, 18h30.
Competição: Copa do Brasil – 1ª Fase – Jogo de volta
Local: Estádio Parque Antártica, em São Paulo, SP.
Público: 2.582 pagantes
Renda: R$ 28.125,00
Árbitro: Wagner Tardelli de Azevedo (RJ)
Cartões amarelos: Sandro (S); Everaldo, Toto, Silva e Rafael (F).
Gols: Alexandre (05-1) e Silva (39-1); Macedo (01-2), Vágner (38-2) e Rafael (40-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Sandro, Ronaldão e Rogério Seves; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre e Robert; Macedo e Edgar Baez (João Fumaça).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

FIGUEIRENSE
Carlos Alberto; Jackson (Walter), Leonardo, Everaldo e Marco Santos (Rafael); Vinícius, Marquinhos, Sandro Ventura e Nando (Carlinhos); Toto e Silva.
Técnico: Lauro Burigó



Santos bate o Figueirense, mas é vaiado

Às vaias da torcida (as quais o técnico Wanderley Luxemburgo disse não ter ouvido), o Santos venceu o Figueirense (SC), por 3 a 2, ontem, manteve sua invencibilidade no torneio e se classificou para duelar contra o Internacional de Porto Alegre na próxima fase.

A equipe paulista abriu o placar aos 5min. Macedo avançou e tocou para Alexandre, que marcou.

Alguns minutos de fraca atuação foram o suficiente para a torcida exigir a saída de Luxemburgo. O descontentamento aumentou aos 39min, quando Silva empatou.

No primeiro minuto do segundo tempo, Vágner chutou na trave, e Macedo marcou no rebote. O gol que selou a classificação saiu aos 38min: Vágner, de fora da área. O Figueirense marcou em seguida.

Santos 5 x 2 Inter de Limeira

Data: 09/03/1997, domingo, 15h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos, SP.
Público: 7.718 pagantes
Renda: R$ 74.405,00
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Alexandre e Piá (S); Cléber Arildo, Silva e Edu Marangon (I).
Gols: Sérgio Araújo (08-1), Marcos Assunção (11-1), Alexandre (18-1) e Ronaldão (43-1); Sérgio Araújo (02-2), João Fumaça (44-2) e Vágner (50-2, de pênalti).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Narciso, Ronaldão e Cássio; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre (Piá) e Robert; Macedo (Ronaldo) e Edgar Baez (João Fumaça).
Técnico: Wanderley Luxemburgo

INTER DE LIMEIRA
Leandro (Sérgio); Josias, Lica, Renato Carioca e Daniel Júnior; Emerson, Silva (Valdecir), Cléber Arildo (Hélio) e Edu Marangon; Paulinho (Washington) e Sérgio Araújo.
Técnico: Pepe



Santos goleia, é vice-líder, mas atacantes fracassam

O Santos goleou ontem a Internacional de Limeira, por 5 a 2, no primeiro jogo que fez em sua cidade em oito meses. O Santos chegou a 16 pontos e assumiu o segundo lugar do Grupo 1, com 16 pontos. Mas a dupla de ataque Macedo-Baez não marcou.

A Inter marcou aos 8min. O atacante Sérgio Araújo aproveitou um rebote da defesa e chutou no ângulo direito do goleiro Zetti.

Mas três minutos depois, o Santos empatou, numa cobrança de falta. Marcos Assunção bateu forte, a barreira da Inter se abriu e o goleiro Leandro não conseguiu chegar na bola, que entrou no seu canto esquerdo.

Aos 18min, o Santos virou o marcador, num chute longo de Alexandre, em que o goleiro Leandro falhou. O jogador comemorou imitando um frango, o que irritou a comissão técnica da Internacional de Limeira.

Mesmo em vantagem, o Santos mostrava erros no ataque, principalmente dos atacantes Macedo e do paraguaio Baez, que perderam várias chances.

Aos 43min, por fim, o zagueiro Ronaldão ampliou o placar de cabeça, após cobrança de falta da direita.
No intervalo, o goleiro Leandro foi substituído por Sérgio que, ao entrar em campo, foi atingido na cabeça por uma pilha e sangrou um pouco, mas, após ser atendido, pôde jogar.

No segundo tempo, a Inter adiantou seu time e logo aos 2min Sérgio Araújo descontou, aproveitando outro rebote, desta vez uma bola largada por Zetti.

Por causa do calor, o rendimento dos dois times caiu muito a partir do meio do segundo tempo. A Internacional ainda tentou pressionar, mas não conseguiu ameaçar o gol do Santos, que aproveitou os contra-ataques.

Aos 44min, João Fumaça recebeu livre na área e ampliou. Aos 50min, Vágner converteu um pênalti sofrido por Robert.

Técnico evita criticar diretoria

O técnico Wanderley Luxemburgo comemorou ontem a vitória do Santos sobre a Inter de Limeira por 5 a 2 e evitou falar sobre a falta de um atacante para reforçar o time. Há uma semana, ele havia feito duras críticas à diretoria.

“Tudo que tinha para ser discutido sobre isso já o foi. O importante é que conseguimos uma bonita vitória e começamos bem a segunda fase”, disse o treinador.

João Fumaça, revelação dos juniores, estava feliz com o primeiro gol marcado pelos profissionais.

Falta de água e xingamentos direcionados a Pepe

Mesmo depois do jogo, os jogadores da Internacional enfrentaram problemas. Faltou água em seu vestiário.
O jogador Silva, enquanto aguardava a volta da água, criticou a arbitragem. “Houve falhas da defesa, e o juiz foi muito omisso, prejudicando muito a Inter.”

O técnico Pepe se mostrou bastante insatisfeito com o comportamento da torcida, mas elogiou o talento dos jogadores santistas.

“O Santos tem um grande elenco. Se nós perdemos de 5 a 2 é porque tentamos o empate, não ficamos fechadinhos na defesa”, disse o treinador.

“Eu gosto muito mais do Santos do que essa cambada que passou os 90 minutos me xingando”, declarou o treinador, referindo-se à agressividade da torcida contra ele. Pepe desenvolveu sua carreira como jogador no Santos e é ex-técnico do time.



Santos volta a ser ‘local’, após oito meses de exílio ( Em 09/03/1997 )

O Santos volta a jogar em sua cidade hoje, após oito meses de “exílio”. O time enfrenta a Internacional, às 15h, no estádio Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista.

Desde 20 de junho de 1996, a equipe não se apresenta na cidade. O último jogo foi a vitória de 2 a 0 sobre o Real Madrid, da Espanha, na despedida do meia Giovanni. O estádio de Vila Belmiro, desde então, está fechado para reformas.

O Santos não perde para a Inter há 11 anos. O time de Limeira é dirigido pelo técnico Pepe, ex-jogador e técnico do próprio Santos.

Terceiro colocado no Grupo 1, o Santos tem de vencer para não se distanciar de Palmeiras e Guarani e manter-se à frente da Lusa. Apenas dois clubes de cada chave se classificam para a próxima fase.

O Santos faria ontem um treino de reconhecimento do gramado. O técnico Wanderley Luxemburgo manterá a mesma equipe da última partida.

O atacante paraguaio Edgar Baez terá mais uma chance. “Estou motivado e ansioso para marcar meu primeiro gol”, disse Baez.

Luxemburgo disse que o time “deve ter tranquilidade e impor o seu ritmo”.

Edu Marangon preocupa Luxemburgo

Anular o veterano meia Edu Marangon. Essa é a principal preocupação do técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo, em relação ao time da Inter de Limeira.

Luxemburgo disse que o adversário deve jogar retrancado, explorando os contra-ataques iniciados pelos ainda eficientes lançamentos de Marangon.

Os dois atacantes, Paulinho e Sérgio Araújo, são muito rápidos, e Luxemburgo não quer que a bola chegue até eles.

“Também não podemos nos descuidar com as bolas cruzadas sobre a grande área”, disse o zagueiro Narciso, que, mais uma vez, substitui Sandro, machucado.

Luxemburgo lamenta novamente não contar com seu principal atacante: Alessandro. Ele se recupera de uma contusão muscular e só deve retornar no clássico contra o São Paulo, no próximo domingo.

A diretoria deu prazo até hoje para que o La Coruña, da Espanha, responda se concorda ou não em ceder o atacante Renaldo ao clube.

Adversário

A Internacional terá quatro desfalques na partida de hoje. O zagueiro Tonhão, o volante Zelito e o meia Beto receberam o terceiro cartão amarelo no último jogo, contra o Mogi Mirim.

Além deles, fica de fora o volante Charles Guerreiro, expulso no confronto do meio da semana.

Entram: Lica, na zaga, Emerson, Luís Henrique e Washington, no meio-campo.


América-SP 1 x 3 Santos

Data: 09/02/1997, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto, SP.
Público: 10.310
Renda: R$ 113.985,00
Árbitro: José Mocelin
Gols: Alessandro (12-1), Alexandre (23-1); Robert (14-2) e Marcelo Sergipano (42-2).

SANTOS
Zetti; Anderson Lima, Sandro, Ronaldão (Narciso) e Rogério Seves; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre (Piá) e Robert (Caíco); Macedo e Alessandro.
Técnico: Wanderlei Luxemburgo

AMÉRICA-SP
Neneca; Juninho, Flávio Santos, Herbert e Soares; João Lima (Flávio), Hugo e Pestana (Everson) e Sinha (Vanderlei); Marcelo Sergipano e Reides.
Técnico: Carlos Alberto Zanata



Santos vence e mantém fase ascendente

Equipe bate o América, em São José do Rio Preto, por 3 a 1; o atacante Alessandro foi o destaque do jogo

Três dias depois de vencer o Torneio Rio-São Paulo, o Santos mostrou por que é um dos favoritos ao título de campeão do Paulista, ao vencer o América por 3 a 1 ontem em São José do Rio Preto (451 km a noroeste de São Paulo).

Aos 30 segundos do primeiro tempo, o Santos deixou claro que iria impor velocidade ao jogo. Numa jogada pelo meio, o ponta-direita Alessandro invadiu a área sozinho e bateu para o gol. Neneca jogou para escanteio.

Alessandro comandou as melhores jogadas do Santos, pela esquerda, pela direita e pelo centro, no primeiro e no segundo tempo. Dos seus pés saíram o primeiro gol, aos 11 minutos, e os dois passes para o segundo e o terceiro gols do Santos. Numa jogada individual, o atacante driblou dois zagueiros e abriu o placar.

O segundo gol veio aos 24 minutos. O zagueiro Flávio Santos tentou sair jogando e entregou a bola de graça para Alessandro. O ponta do Santos tocou para Alexandre, que chutou forte no lado direita de Neneca.

O América não mostrou resistência. Parecia um time cansado, com erros de passe e dificuldades para penetrar na área adversária.

O time do interior paulista voltou melhor no segundo tempo, dominou os dez primeiros minutos mas voltou a se entregar, depois que o Santos fez o terceiro gol. Alessandro driblou dois zagueiros, teve chance de bater mas preferiu rolar a bola para Robert, que chutou no ângulo direito de Neneca, sem chance de defesa.

O placar só não foi maior por desperdício. Piá, que entrou no lugar de Alexandre no segundo tempo, perdeu um gol cara a cara no final da partida. Aos 21 minutos do segundo tempo, Alessandro cabeceou sozinho de frente para Neneca e errou o alvo.

Aos 42 minutos do segundo tempo, o América marcou seu único gol, nos pés de Marcelo Sergipano. O atacante driblou dois zagueiros na pequena área e chutou forte.

Destaque: Alessandro

O ponta-direita Alessandro, que vive no Santos sua melhor fase profissional, disse que a vitória de ontem foi a comemoração do título do Torneio Rio-São Paulo.

No jogo de ontem, ele fez o primeiro gol e foi autor dos passes que resultaram nos dois outros gols do time de Vila Belmiro. Alessandro atribui a si próprio e ao técnico Wanderley Luxemburgo sua boa fase e disse esperar ser lembrado para a Seleção Brasileira. “O jogo de hoje foi a comemoração do título. Nós quisemos dar sequência. Tínhamos que provar que nosso time é campeão mesmo. No segundo tempo, o time deu uma caída, mas foi por causa do calor”, disse.

Depois da vitória de ontem, Alessandro passou a considerar o Santos o grande favorito para conquistar o Paulista-97. “O Santos é um time grande. Vamos brigar pela classificação primeiro e depois pelo título.”