Navegando Posts marcados como Alfredo Jaconi

Juventude 0 x 2 Santos

Data: 17/06/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Árbitro: Willian Marcelo Souza Nery (RJ)
Auxiliares: Hilton José Moutinho e Jorge Luiz Campos Roxo (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Alessandro (S), Lauro (J), Adriano (S) e Cláudio (J)
Gols: Cléber Santana (01-1) e Marcos Aurélio (31-1).

JUVENTUDE
Michel Alves, Ricardo, Leonardo Silva, Cedrola e Márcio Azevedo (Wescley); Marcão, Lauro, Beto e Bruno (Éber); Michel e Alex Alves (Cláudio)
Técnico: Flávio Campos

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Domingos e Carlinhos; Rodrigo Souto, Adriano, Cléber Santana e Pedrinho (Rodrigo Tabata); Renatinho (Moraes) e Marcos Aurélio (Marcelo).
Técnicos: Nei e Serginho Chulapa



Santos vence Juventude em Caxias e supera mau momento

O Santos deu o primeiro passo para superar o seu mau momento na temporada. Em meio à turbulência posterior à eliminação da Copa Libertadores, o time da Vila Belmiro visitou, neste domingo, o Juventude em Caxias do Sul, venceu por 2 a 0 e conseguiu se livrar da zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Santos chegou aos sete pontos e pulou para a 14ª posição na tabela da Serie A, beneficiado pelos maus resultados de Grêmio, Náutico, Flamengo, Sport e América-RN na rodada. Já para o Juventude, o revés significou a permanência na casa dos seis pontos, na 15ª colocação, fora da área do perigo apenas pelos critérios de desempate (saldo de gols).

Para o Santos, mais importante que a vitória em si foi recuperar a auto-estima perdida nos últimos tempos. Desde a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR fora de casa, há três rodadas, o time alvinegro não conseguia ter bons resultados.

Logo depois do confronto diante dos paranaense veio o primeiro jogo da semifinal da Copa Libertadores, que terminou 2 a 0 para o Grêmio, em Porto Alegre. Na seqüência veio o empate por 1 a 1 com o Corinthians na Vila Belmiro e a vitória em casa por 3 a 1 sobre o time gaúcho, que marcou a eliminação do Santos do torneio continental.

Depois disso, além de perder para o Internacional no Beira-Rio por 1 a 0, o time alvinegro ainda viu Zé Roberto, seu principal astro, anunciar sua transferência para o futebol europeu e a torcida viver a expectativa de um possível desmanche.

Para o confronto em Caxias, os problemas não eram poucos. Maldonado, lesionado, Kléber, servindo a seleção brasileira, e até Vanderlei Luxemburgo (que chegou a indicar alterações para o seu auxiliar Serginho Chulapa pelo telefone), recuperando-se de cirurgia no apêndice, desfalcaram o Santos. O triunfo sobre o Juventude, então, pode significar uma reviravolta na temporada alvinegra.

Um dos motivos para acreditar nisso é a quebra de um tabu recente contra gaúchos. A última vitória do Santos no Rio Grande do Sul havia sido no Brasileiro de 2005, quando a equipe alvinegra venceu o Internacional por 1 a 0. De lá para cá, haviam sido cinco jogos, com quatro derrotas e apenas um empate.

E conseguir o feito não foi tão complicado assim. O passo inicial para o triunfo foi dado logo no primeiro minuto de jogo. Cléber Santana, em um chute de fora da área, abriu o placar e quebrou um jejum pessoal de mais de dois meses sem marcar gols (a última vez havia sido no dia 8 de abril, contra o Noroeste, ainda pela primeira fase do Campeonato Paulista).

O gol pegou o Juventude de surpresa, e a equipe da casa tentou partir para o ataque com tudo na tentativa igualar o marcador. Em um contra-ataque, porém, os visitantes fizeram o segundo com um belo voleio do atacante Marcos Aurélio.

Daí em diante, uma virada parecia algo distante para a equipe alviverde, e o Santos conseguiu dominar as ações no seu campo de defesa, mesmo quando o time gaúcho ameaçava fazer uma pressão. O resultado, então, acabou ficando 2 a 0 para os paulistas.

Na próxima rodada, o Santos fará o clássico contra o São Paulo, na Vila Belmiro, tentando consolidar sua reação no Campeonato Brasileiro com a primeira vitória em casa. Já o Juventude receberá o Figueirense buscando se manter longe da zona do rebaixamento.

Juventude 3 x 2 Santos

Data: 01/11/2006, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Público: 4.921
Renda: R$ 23.935,00
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Cartões amarelos: Antônio Carlos, Fernando, Ederson, Bruno e Christian (J); Cléber Santana e Wellington Paulista (S).
Cartão vermelho: Luiz Alberto (S)
Gols: Christian (16-1) e Rodrigo Tabata (40-1); Igor (09-2, contra), Alexandre (12-2) e Raulen (25-2).

JUVENTUDE
André; Igor, Fabrício, Antônio Carlos e Wellington (Raulen); Renan, Fernando, Alexandre (Ederson) e Márcio Azevedo; Bruno (Leandrinho) e Christian.
Técnico: Ivo Wortmann

SANTOS
Felipe; André, Manzur, Luiz Alberto e Kléber; Heleno (Leandro), André Luis (Carlinhos), Cléber Santana e Rodrigo Tabata; Reinaldo e Wellington Paulista (Rodrigo Tiuí).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos perde em Caxias e segue sem vencer fora de SP

O Santos foi até Caxias do Sul e perdeu por 3 a 2 para o Juventude, nesta quarta-feira, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, e segue sem vencer jogos fora de seu Estado durante a competição.

A derrota praticamente elimina as chances da equipe de conquistar o título nacional, já que agora permanece 55 pontos, oito a menos que o líder São Paulo, que amanhã enfrenta a Ponte Preta, no Morumbi.

O time da Baixada segue lutando por uma vaga na Taça Libertadores, e por essa disputa foi beneficiado pelas derrotas de Grêmio e Vasco na rodada. O Juventude, com a vitória, foi a 42 pontos.

Para a partida de hoje, o técnico Vanderlei Luxemburgo não pôde contar com o meia Zé Roberto. Os zagueiros Ronaldo Guiaro e Domingos também foram desfalques. O primeiro foi suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos e o segundo cumpriu pena imposta pela Justiça Desportiva.

O técnico Vanderlei Luxemburgo desfez o esquema 3-5-2 e montou o time com dois zagueiros, colocando no meio-campo André Luiz, Heleno, Tabata e Cléber Santana.

O jogo

O Santos começou a partida acuado e via o Juventude ter mais atitude ofensiva. O time da casa criou boa chance aos 10min, quando após cobrança de escanteio, Fabrício cabeceou na trave, pegou o rebote e chutou para fora.

Mas o time gaúcho não demoraria para abrir o marcador. Aos 15min, Christian recebeu livre na esquerda e chutou forte, sem chances para o goleiro Felipe: 1 a 0.

O Santos assustou pela primeira vez aos 28min, quando Wellington Paulista arriscou de fora da área, e a bola bateu no travessão, e Rodrigo Tabata pegou o rebote, mas chutou travado.

O time paulista voltou melhor na segunda etapa e virou o placar. Aos 9min, Reinaldo deu bom passe para Rodrigo Tabata, que chutou por cobertura, e a bola bateu no travessão e no zagueiro Igor e entrou.

Mas o Juventude não deu nem tempo para os visitantes comemorarem. Três minutos depois, Alexandre recebeu bola dentro da área e chutou forte de esquerda: 2 a 2.

No momento em que o jogo ficou equilibrado, o time de Caxias conseguiu virar o marcador. Aos 25min, Raulen chutou forte de fora da área, e o goleiro Felipe não conseguiu defender: 3 a 2.


Juventude 3 x 1 Santos

Data: 08/10/2005, sábado, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 31ª rodada
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)
Público: 4.142 pagantes
Renda: R$ 10.168,00
Árbitro: Elvécio Zequeto (MS).
Auxiliares: Alécio Aparecido Lezzo (MS) e Celso Barros da Silva (MS)
Cartões amarelos: Antônio Carlos, Ramalho, Enílton e Juliano (J); Luizão, Fabinho, Luís Alberto, Giovanni e Bóvio (S).
Cartão vermelho: Flávio (S)
Gols: Cláudio Pitbull (08-2), Enílton (10-2), Caíco (20-2) e Enílton (40-2).

JUVENTUDE
Fabiano; Índio, Daniel e Antônio Carlos; Juliano, Ramalho, Lauro, Caíco (Tucho) e Roger; Enílton (Magal) e Marcelinho (Marlon).
Técnico: Valteir Gomes (interino)

SANTOS
Saulo; Flávio, Ávalos, Luís Alberto e Kleber; Fabinho, Heleno (Basílio), Élton (Bóvio) e Giovanni; Cláudio Pitbull e Luizão (Geílson).
Técnico: Nelsinho Baptista



Juventude derruba o Santos em Caxias

Não foi neste sábado que o Santos conseguiu fazer sua primeira boa apresentação sob o comando de Nelsinho Baptista. No início da noite, a equipe paulista foi até o estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, e perdeu por 3 a 1, de virada, para o Juventude, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O resultado prejudica o objetivo alvinegro de se manter próximo ao líder Corinthians e de embalar justamente para enfrentar o arqui-rival, em seu próximo compromisso. Com 48 pontos, o Santos cai para o sétimo lugar na classificação geral.

Essa é a primeira derrota do time alvinegro desde a chegada de Nelsinho, que tinha obtido uma vitória sobre o São Caetano (2 x 0) e um empate sem gols com o Fortaleza.

Como consolo, o atacante Cláudio Pitbull desencantou e marcou o único gol dos visitantes, seu primeiro em três jogos desde a chegada à Vila Belmiro. Luizão, que também estreou há duas rodadas, teve atuação apagada e acabou substituído ainda no intervalo.

No Juventude, o resultado acabou com um jejum de seis rodadas sem triunfo, seqüência que culminou com a demissão de Sebastião Lazaroni. A equipe gaúcha não vencia desde o dia 7 de setembro, quando superou o Paraná por 2 a 0. Desde então, foram quatro derrotas e dois empates.

Comandado pelo interino Valteir Gomes, o Juventude chega aos 38 pontos e se distancia um pouco da zona de rebaixamento. O time gaúcho se mantém na briga por uma vaga na Copa Sul-Americana de 2006 e alivia um pouco o ambiente enquanto a diretoria busca um novo treinador no mercado.

As duas equipes voltam a campo na próxima semana, quando disputam jogos remarcados devido ao escândalo da arbitragem. Na quarta-feira, o Juventude recebe o Fluminense no Alfredo Jaconi, enquanto o Santos, no dia seguinte, pega o Corinthians na Vila Belmiro, no litoral paulista.

O jogo

Em momento complicado no Brasileiro, o Juventude tentou desde o início pressionar o Santos em seu campo de defesa. Apostando principalmente na velocidade do atacante Marcelinho, a equipe gaúcha não deu sossego aos defensores adversários e criou algumas chances.

Depois de dois disparos cruzados de Marcelinho, o meia Caíco perdeu grande oportunidade aos 6min. Ele recebeu passe rasteiro da direita e, quase na pequena área, bateu de primeira, mandando a bola sobre o travessão de Saulo.

O Santos respondeu com Cláudio Pitbull, duas vezes. Na primeira, ele tentou ajeitar para Luizão em vez de chutar e acabou errando o passe. Depois, aos 24min, recebe assistência de Giovanni e, desequilibrado, bateu prensado pela marcação, conseguindo escanteio. Na cobrança, Fabiano deu sorte e fez a defesa após a bola tocar a trave em cabeceio.

Saulo também teve trabalho, sobretudo em novo chute de longa distância que quase surpreendeu o goleiro adiantado, e em finalização forte de Marcelinho, da entrada da área. Em termos ofensivos, o Santos mostrou sentir falta de Ricardinho, na seleção brasileira. A equipe de Nelsinho Baptista pecou constantemente na aproximação à dupla Cláudio Pitbull e Luizão.

Após o intervalo, o técnico interino Valteir Gomes mexeu no Juventude, colocando Marlon no lugar de Marcelinho. “Criamos algumas oportunidades no primeiro tempo, mas faltou um pouco de capricho na finalização”, comentou. “Estamos precisando de uma referência na área e o Marlon é especialista nisso”, explicou ele na volta do vestiário.

Antes mesmo que a alteração pudesse surtir efeito, o time gaúcho teve grande oportunidade de abrir o placar. Luís Alberto cortou cruzamento com a mão e o árbitro marcou pênalti. No entanto, Caíco, aos 3min, cobrou muito mal e mandou a bola sobre o travessão do goleiro Saulo.

O erro custou caro aos anfitriões. Cinco minutos mais tarde, Cláudio Pitbull foi lançado em velocidade, tirou Fabiano da jogada com um toque de peito e empurrou a bola para o gol vazia, colocando o Santos em vantagem. A festa paulista, porém, durou pouco.

Aos 10min, Luís Alberto não soube cortar cruzamento da esquerda e se desentendeu com Saulo. Enílton, então, aproveitou o vacilo e completou sem dificuldades para o fundo das redes, deixando tudo igual no Alfredo Jaconi.

Após acertar a trave santista, o Juventude conseguiu virar o marcador aos 20min. Enílton fez bela jogada pela esquerda e cruzou para Caíco, que desviou de primeira para colocar os mandantes em vantagem no marcador.

O Santos, então, partiu para o ataque colocando Basílio em campo. Mas, logo após a expulsão de Flávio, foi o time gaúcho que marcou. Aos 40min, Enílton recebeu cruzamento da esquerda e cabeceou com estilo para fechar o placar.

Juventude 1 x 2 Santos

Data: 01/09/2004
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Público: 14.165
Renda: R$ 54.656,00
Árbitro: Cléver Assunção Gonçalves (MG)
Assistentes: Marco Antonio Martins e Rodrigo Otavio Baeta (ambos de MG)
Cartões Amarelos: Elano (S) e Deivid (S)
Gols: Elano (11-1) e Naldo (25-1); Ricardinho (43-2).

JUVENTUDE
Eduardo Martini; Neto, Naldo e Thiago; Jancarlos, Lauro, Donizete Amorim, Vanderson (Reinaldo Aleluia) (Leonardo Manzi) e Zé Rodolpho; Da Silva e Lopes.
Técnico: Ivo Wortmann

SANTOS
Mauro; Flávio (Bóvio), Antonio Carlos (Domingos), André Luís e Léo; Zé Elias, Fabinho, Ricardinho e Elano; Deivid e Basílio (Ávalos)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Com gol de Ricardinho no final, Santos vence e mantém a liderança

Com um gol de Ricardinho aos 44min do segundo tempo, o Santos venceu o Juventude por 2 a 1, no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, e garantiu a liderança do Campeonato Brasileiro na 28ª rodada.

Com o resultado, o time paulista chegou a 51 pontos. A equipe gaúcha, concorrente direta pelo topo da tabela, permaneceu com 48.

Mesmo que o Atlético-PR vença o Guarani nesta quinta e atinja os 51 pontos, ficará atrás no número de vitórias.

A vitória ainda redimiu a equipe santista de seu maus resultados no Sul. Até então, a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo havia feito quatro partidas na região e perdido as quatro.

Mesmo sem o atacante Robinho, que está com a seleção brasileira, e o goleiro Tapia, convocado pelo Chile, o Santos saiu na frente.

Aos 11min, Elano chutou da esquerda, a bola desviou no meia Lopes e enganou o goleiro Eduardo Martini.

O empate da equipe da casa veio aos 25min. Naldo cobrou falta e Mauro, substituto de Tapia, deixou a bola entrar.

Aos 44min, Basílio foi lançado e dividiu a bola com Eduardo Martini na entrada da área. O rebote sobrou para Ricardinho, que, com o goleiro adiantado, tocou por cima, marcando um gol antológico. Quando o resultado parecia definido, o meia Ricardinho mostrou a técnica que o levou a seleção brasileira. Lançamento longo para Basílio, que o goleiro Eduardo Martini afastou saindo de carrinho naa meia-lua. A bola sobrou para Ricardinho, que bateu de primeira, por cobertura, de cerca de 40 metros. O chute caprichosamente bateu no travessão, pelo lado de dentro, e entrou, selando a vitória santista. O zagueiro Neto tentou salvar sem sucesso. Esse gol manteve o Santos na ponta, sendo perseguido de perto pelo Atlético-PR.

Juventude 1 x 1 Santos

Data: 17/05/2003, sábado, 18h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 9ª rodada
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Público: 10.231
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Auxiliares: Idelfonso Trombeta e Altemar Roberto Domingues (ambos do PR).
Cartões amarelos: Camazzola. Caibi, Gustavo, Mineiro e Rafael (J), Douglas e Fabiano (S).
Cartão vermelho: Preto (S).
Gols: João Paulo (20-1) e Gustavo (33-1, contra).

JUVENTUDE
Maurício; Mineiro, Neguete, Índio (Ranato) e Caibi; Camazzola, Fernando, Marcelo (Rafael) e Michel; João Paulo e Gustavo (Geufer).
Técnico: Marinho Peres

SANTOS
Fábio Costa (Júlio Sérgio); Reginaldo Araújo, Alex (Preto), André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Nenê; Robinho (Fabiano) e Douglas.
Técnico: Emerson Leão



Santos arranca empate contra Juventude no Sul e coleciona lesões

Numa partida cheia de problemas e diversos jogadores contundidos, o Santos conseguiu sair do Rio Grande do Sul com um ponto ao empatar por 1 a 1 contra o Juventude pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Além de Preto ter sido expulso, a equipe perdeu Fábio Costa e Alex, contundidos.

Mesmo com os desfalques de Diego e Ricardo Oliveira, o Santos dominou as ações da partida na maior parte do tempo e anulou as jogadas de ataque do Juventude, na estréia do técnico Marinho Peres à frente da equipe gaúcha. Douglas, esperança de gol do time santista, teve atuação apagada.

Apesar de ter saído atrás do marcador, o Santos chegou ao empate ainda no primeiro tempo, em jogada confusa dentro da área do Juventude. No segundo tempo, com um jogador a menos e com dois titulares contundidos, o Juventude passou a pressionar o alvinegro paulista, mas não conseguiu chegar à vitória.

O Santos volta a campo na quarta-feira, quando enfrenta o Cruz Azul, no México, pelo jogo de ida das quartas-de-final da Libertadores da América. Alex e Fábio Costa são dúvidas para a partida. Pelo Brasileirão, o Santos recebe o Internacional em casa, no domingo. Já o Juventude viaja para São Paulo, onde enfrenta o Corinthians, no sábado.

Equilíbrio
Com muita marcação, a partida começou truncada, sem espaços para os ataques de Santos e Juventude.

Aos 8min, em contra-ataque do Juventude, Michel foi lançado nas costas de Reginaldo Araújo, invadiu a área e chutou no canto esquerdo de Fábio Costa. O goleiro do Santos esticou-se e fez boa defesa.

O jogo seguia equilibrado até os 19min, quando Mineiro arrancou pela direita e cruzou para a área santista. André Luís não conseguiu cortar e João Paulo cabeceou no canto direito de Fábio Costa, abrindo o placar para o time da casa.

Ambos os times partiram para o ataque, mas desperdiçaram muitos gols. O Santos pressionou e, aos 33min, Elano cobrou falta da esquerda e a bola bateu em dois defensores do Juventude antes de entrar. Apesar do último toque ter sido de Índio, o juiz anotou gol contra de Gustavo.

Alex, aos 37min, cobrou falta de longe, no ângulo esquerdo da meta do Juventude. Maurício esticou-se todo e evitou o gol da virada santista.

Aos 40min, João Paulo aproveitou contra-ataque rápido do Juventude e partiu para cima de Alex. Ele ganhou na velocidade e chutou forte cruzado, para a linha de fundo. No lance, o zagueiro da equipe santista saiu machucado. Preto entrou em seu lugar.

No segundo tempo, o treinador Emerson Leão colocou Fabiano no lugar de Robinho, com o objetivo de poupar o atacante para a partida decisiva contra o Cruz Azul pela Libertadores.

Aos 3min, Marcelo cobrou falta da esquerda e Fábio Costa subiu para fazer boa defesa. O troco veio com Renato, aos 12min. O volante chutou forte, de fora da área, e a bola raspou o travessão de Maurício.

Aos 14min, mais um problema para o Santos. Fábio Costa deixou o campo machucado. Júlio Sérgio, que foi titular da equipe durante toda a campanha rumo ao título brasileiro de 2002, entrou em seu lugar.

No primeiro lance, o goleiro santista evitou o gol do Juventude após defender cabeçada à queima-roupa de João Paulo. Apesar dos problemas, o Santos era melhor na partida.

Mas, aos 23min, Preto atingiu Gustavo fora do lance e foi expulso de campo, desestabilizando o Santos. O Juventude sentiu o bom momento e partiu para cima em busca do segundo gol.

Mas, foi o Santos que chegou com mais perigo na meta adversária. Aos 31min, Fabiano teve boa oportunidade, mas chutou mal. Aos 38min, Michel fez boa jogada pela esquerda e desperdiçou chance.

O Santos conseguiu equilibrar a partida novamente, mas também encontrava dificuldade em chegar ao ataque. As melhores oportunidades eram em cobranças – erradas – de faltas. Com um bom resultado devido às circuntâncias, o Santos passou a tocar a bola e esperar o apito final.