Navegando Posts marcados como Alfredo Jaconi

Juventude 2 x 1 Santos

Data: 18/08/2002, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 2ª rodada
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Público: 8.168
Renda: R$ 61.910,00
Árbitro: Wagner Tardeli Azevedo
Cartões amarelos: Anderson Luís e Denis (J); Maurinho, Elano, Diego e Robinho.
Cartões vermelhos: André Luis (S) e Mineiro (J).
Gols: Cláudio Pitbull (18-2), Leonardo Manzi (28-2) e William (37-2).

JUVENTUDE
Diego; Mineiro, Paulão, Índio e Filipe Alvim; Anderson Luís, Marcelo (Marcelinho Paulista) Dionatan e Denis (Leonardo Manzi); Michel e Cláudio Pitbull (Itaqui)
Técnico: Ricardo Gomes

SANTOS
Julio Sérgio; Maurinho (Bernardi), André Luis, Preto e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Wellington) e Diego; Robinho (William) e Alberto.
Técnico: Emerson Leão



Santos perde para o Juventude em Caxias

O Santos foi até Caxias do Sul e sofreu sua primeira derrota no Campeonato Brasileiro: 2 a 1 para o Juventude. Os gols gaúchos foram marcados por Cláudio Pitbull e Leonardo Manzi. William descontou para o Santos.

Com esse resultado, o Santos permanece com três pontos em dois jogos, enquanto o Juventude pula para sete pontos ganhos em três partidas.

A equipe gaúcha via neste jogo uma espécie de decisão. Dependendo do resultado, no entendimento dos seus dirigentes, traçaria seu destino no torneio: vencendo, conseguiria afastar o fantasma de ter perdido muitos jogos em seu estádio na edição do torneio no ano passado, o que quase o rebaixou.

Por isso, começou a partida pressionando o Santos. Em apenas oito minutos de jogo, já havia desperdiçado três boas oportunidades de gol.
Como o domínio da partida não se converteu em gols, o Santos começou a se adaptar à adversidade de jogar fora de casa.

Aos 13min, após jogada de Robinho, Paulo Almeida chutou na trave -o goleiro Diego chegou a ir em direção à bola, mas o chute seria indefensável.

A partir desse lance e da insistência santista, a partida ficou equilibrada. Mais precisamente, após os 15min do primeiro tempo, o Santos conseguiu impor mais seu bom toque de bola, especialmente com Robinho e Diego.

O Juventude, em uma jogada isolada, teve excelente oportunidade aos 35min, mas Cláudio Pittbul a desperdiçou, chutando a bola para fora.
O não-aproveitamento de oportunidades no início do jogo pelo Juventude e a ânsia do Santos em recuperar o espaço que havia perdido no meio-campo nos primeiros 15 minutos deixaram as duas equipes visivelmente nervosas.

A partida ficou truncada, com excesso de passes no meio-campo. Os momentos mais empolgantes do primeiro tempo ficaram por conta das demonstrações de habilidade do atacante Robinho no domínio de bola.

Aos 44min do primeiro tempo, por exemplo, Robinho fez excelente jogada, passando pelos adversários aos dribles, mas Alberto não aproveitou a chance. O Juventude ainda tentou algumas jogadas no final do primeiro tempo, mas seus atacantes não conseguiam demonstrar objetividade.

Para o segundo tempo, o Santos voltou mais equilibrado, conseguindo impor seu toque de bola. O Juventude, ao contrário do que ocorrera no começo do primeiro tempo, perdeu o controle do meio-campo.

A torcida da equipe gaúcha começou a pedir a entrada do atacante Leonardo Manzi, que poderia tornar seu ataque mais eficiente.

O técnico Ricardo Gomes concordou, mas, em vez de tirar Cláudio Pittbul, tirou o meia Dênis, tornando a equipe mais ofensiva. Com dois atacantes, aos 19min do segundo tempo, Manzi atraiu a marcação santista e Pittbul fez 1 a 0.

Para recompor o meio-campo, Ricardo Gomes tirou o meia Marcelo da equipe e colocou o volante Marcelinho Paulista -mais forte na marcação.

O Santos, com bom toque de bola, não conseguia mais se impor na marcação e voltou a perder terreno. Em um contra-ataque, Manzi, decisivo na partida, fez o segundo gol, desviando do goleiro Diego. William, em bela jogada, fez o gol do Santos, aos 39min do segundo tempo.

Juventude 1 x 1 Santos

Data: 23/08/2000, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Alfredo Jaconi , em Caxias do Sul, RS.
Público: 3.618 Pagantes
Renda: R$ 21.158,00
Árbitro: Léo Feldman
Cartão vermelho: Rincón (S) e Marcelinho (J) ambos aos 06-2.
Gols: Michel (02-1) e Júlio César (41-2).

JUVENTUDE
Julio Cesar; Maxsandro, Marcos Aurélio, Paulo Cesar e Marcelinho; Edmílson, Luiz Fernando, Michel (Vandick) e Aderaldo; Alex e Luciano Fonseca (Sidnei).
Técnico: Roberto Davino

SANTOS
Pitarelli; Michel (Júlio Cesar), André Luis, Claudiomiro e Rubens Cardoso (Valdo); Anderson Luis (Caio), Rincón, Renato e Robert; Edmundo e Dodô.
Técnico: Giba



Santos chega a empate no fim e revolta Edmundo

Atacante diz que equipe está ressuscitando “times mortos” na Copa JH

Jogando mal, o Santos ainda conseguiu empatar em cima da hora com o Juventude, ontem, jogando em Caxias do Sul (RS).

Mesmo com o time arrancando o 1 a 1 aos 42min do segundo tempo, o santista Edmundo não diminuiu suas críticas ao time.

“É brincadeira. Nosso time não quer jogar futebol. A gente pega tudo quanto é time morto e ressuscita”, disse o atacante, que também deve atuação apagada -perdeu todos os lances diante de seus marcadores.

Após chegar “”manso”, o jogador começa a tirar as mangas de fora. Depois de perder para o Atlético-MG, no último sábado, já havia apontado falhas na zaga. Ontem, ele gritou com vários companheiros durante o jogo, principalmente com o lateral-esquerdo Rubens Cardoso. Razões não faltaram para as reclamações, afinal, a equipe santista mostrava uma defesa muito aberta, um meio-campo que não criava ou destruía e um ataque que não conseguia entrar na área adversária.

Por seu lado, o Juventude, fraco tecnicamente, foi superior ao time visitante, principalmente explorando as falhas do lado esquerdo da defesa contrária.

Os times só chegaram a seus gols no segundo tempo, que foi bem mais movimentado que a primeira metade, quando quem brilhou foi o goleiro santista. Pitarelli protagonizou um lance raríssimo aos 13min: salvou o que seria um gol rival defendendo de bicicleta próximo à linha.

A jogada começou com um cruzamento da esquerda. Michel dominou a bola, driblou a zaga, mas Pitarelli espalmou o chute. Nesse instante, a bola bateu na zaga e ia em direção ao gol, quando o goleiro fez a defesa acrobática. Passados três minutos, ele interceptou uma nova finalização à queima-roupa de Michel.

Depois desses dois lances, o Santos recuou para acertar sua marcação. O Juventude, a partir desse momento, se contentou com chuveirinhos na área e chutes de longa distância.

Já o Santos dependia de lances individuais, como um de Dodô, aos 17min -driblou três defensores, mas chutou para fora.

No segundo tempo, teve duas jogadas decisivas logo nos primeiros minutos.

Aos 3min, o Juventude marcou seu gol. Após cruzamento da esquerda (área de responsabilidade do lateral Rubens Cardoso), Michel dominou e chutou no canto esquerdo de Pitarelli.

Aos 6min, o santista Rincón se desentendeu com o gaúcho Marcelinho -ambos foram expulsos.

O Santos só empatou no final, com um chute de fora da área de Júlio César, que acabara de entrar no lugar de Michel.


Juventude 1 x 3 Santos

Data: 24/05/2000, quarta-feira
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de ida
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Público: 6.810 pagantes
Renda: R$
Árbitro: Carlos Magno
Cartões amarelos: André Luis, Eduardo Marques, Michel, Anderson e Rubens Cardoso (S).
Cartão vermelho: Claudiomiro (S, 31-2).
Gols: Mabília (11-1); Robert (16-2), Rincón (24-2, de pênalti) e Robert (47-2).

JUVENTUDE
Wellerson; Picolli, Adilson, Luiz Oscar; Denis, Djair (Luciano Fonseca), Lauro, Luiz Antonio, Mabília; Cris (Maurílio), Adriano Chuva.
Técnico: Flavio Campos

SANTOS
Fábio Costa; Baiano, Claudiomiro, André Luis, Galván e Rubens Cardoso; Anderson Luiz (Robert), Rincón, Caio (Valdo), Eduardo Marques (Michel); Valdir Bigode.
Técnico: Giba



Santos derrota Juventude por 3 a 1, de virada, e mantém boa fase

Com uma ótima atuação de Robert, o Santos venceu de virada o Juventude, em Caxias do Sul, por 3 a 1, na partida de ida pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil.

O meia, que entrou na etapa final, fez dois gols e sofreu o pênalti que resultou no outro, de Rincón.

Com o resultado, o Santos se classifica para a próxima fase até com uma derrota por 2 a 0 no jogo de volta. Se perder pelo mesmo placar de ontem, a vaga será decidida nos pênaltis. A vitória foi a quarta do Santos nas últimas cinco partidas que disputou.

No começo do jogo de ontem, o Juventude se aproveitou da displicência dos santistas para abrir o placar, aos 11min. Mabília chutou forte e a bola desviou em André Luiz antes de entrar.

Apático, o Santos ameaçava em cobranças de falta o fraco time adversário. Aos 30min, num dessas cobranças, Claudiomiro chutou forte e a bola passou rente à trave.

O Juventude só oferecia perigo em jogadas do atacante Adriano.

No segundo tempo, o panorama do jogo se alterou. Com Robert no time, o Santos passou a ousar mais e, aos 16min, Valdir sofreu falta na entrada da área.

Robert bateu fora do alcance de Wellerson, empatando o jogo.

Aos 24min, Robert foi lançado e derrubado na área. Rincón cobrou o pênalti com força, sem defesa para o goleiro do Juventude.

O Santos dominava a partida e utilizava contra-ataques para surpreender o time da casa, que precisava empatar.

Aos 31min, o volante Claudiomiro foi expulso por falta sobre Adriano. O Juventude passou a pressionar e, aos 37min, quase marcou numa cabeçada de Adriano, que bateu na trave.

Aos 47min, Robert recebeu passe de Valdir pela direita, invadiu a área e chutou forte. O goleiro do Juventude falhou e a bola entrou, fechando o placar em 3 a 1.


Juventude 1 x 2 Santos

Data: 16/09/1998, quarta-feira, 15h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 12ª rodada
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Público: 4.418 pagantes
Renda: R$ 24.400,00
Árbitro: Antonio Pereira da Silva (GO).
Cartões amarelos: Rogério (J); Ânderson Lima, Gustavo Nery e Marcos Bazílio (S).
Gols: Viola (12-1, de pênalti) e Flávio (29-1); Claudiomiro (26-2).

JUVENTUDE
Humberto; Borges Neto, Capone, Índio e Édson; Marcão, Flávio, Lauro e Fábio Mello (Sandro Sotilli); Rodrigo Gral (Adriano) e Rogério (Zé Carlos).
Técnico: Lori Sandri

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Argel, Claudiomiro e Gustavo Nery; Marcos Bazílio, Narciso, Eduardo Marques e Lúcio (Adiel); Alessandro e Viola (Baiano).
Técnico: Emerson Leão



Santos vence Juventude e se isola na vice-liderança

Time paulista está quatro pontos atrás do Corinthians no Brasileiro

O Santos venceu o Juventude por 2 a 1, ontem à tarde, em Caxias do Sul (RS), e quebrou a invencibilidade do time gaúcho em jogos no Alfredo Jaconi. Com o resultado, o time paulista chegou a 25 pontos, quatro a menos do que o líder Corinthians, isolando-se na vice-liderança do Brasileiro. A Lusa, com 22, está em terceiro.

As duas equipes começaram a partida concentrando suas jogadas no meio-campo.

O Santos abriu o placar na primeira falha da defesa gaúcha. Aos 11min, o atacante Viola recebeu de Alessandro dentro da área, girou e foi derrubado pelo volante Marcão. O centroavante bateu com perfeição, pelo alto, fazendo seu oitavo gol no Brasileiro-98.

Com a vantagem no placar, o Santos recuou. O Juventude passou a pressionar e chegou ao empate, aos 29min. Lauro fez jogada pela esquerda e tocou para Flávio, que, na entrada da área, bateu forte, no canto direito de Zetti.

Nos minutos finais, o Santos esteve perto de seu segundo gol. Aos 43min, Lúcio recebeu, livre, e chutou em cima de Humberto. Um minuto depois, Narciso cobrou escanteio, e Argel cabeceou para o gol. Borges Neto, em cima da linha, evitou o gol santista.

Na etapa final, o panorama da partida não se alterou. Os dois times, sem inspiração, não conseguiam criar boas oportunidades.

O Juventude continuava dominando, mas não conseguia passar pela defesa paulista.

O gol da vitória santista surgiu em um escanteio. Narciso cobrou e Claudiomiro, livre, só escorou. Humberto nada pôde fazer.

O Santos voltou a recuar após o gol, mas suportou a pressão do Juventude. Aos 43min, os gaúchos quase empataram novamente. Sandro fez jogada pela meia e arriscou forte, da intermediária. A bola bateu na trave direita de Zetti.

Aos 47min, Sandro teve outra chance, mas não tirou a sétima vitória do Santos no Brasileiro.

Santos foi inteligente, diz Leão

O técnico Emerson Leão afirmou que o Santos venceu o Juventude por ter jogado de forma inteligente. “Conseguimos coordenar e ditar o ritmo do jogo”, disse Leão.

Segundo o técnico, o time corrigiu os erros que levaram à perda da invencibilidade, domingo, contra o Grêmio, por 3 a 2. “No Olímpico, o time pensou pouco e errou muito. Em Caxias do Sul, o Santos foi mais inteligente.”

Para Leão, o Santos ontem conseguiu marcar bem no meio-campo e sair rápido para o jogo quando recuperava a bola, surpreendendo o Juventude.

Para o volante Claudiomiro -improvisado como zagueiro-, que marcou o segundo gol do Santos, o time “teve tranquilidade” para ganhar o jogo. “Superamos as dificuldades contra um time que não tinha perdido em casa este ano e continuamos bem na tabela.”

No domingo, o time enfrenta o Flamengo na Vila Belmiro e não terá Marcos Basílio, suspenso por ter recebido o terceiro amarelo.

O Juventude, que estreava um novo uniforme, perdeu uma invencibilidade de quase um ano no estádio Alfredo Jaconi. Desde 1º de outubro de 1997, quando foi batida pelo Flamengo por 1 a 0, a equipe não era derrotada em casa.

Com a terceira derrota na competição, o Juventude permanece com 14 pontos e, no próximo domingo, enfrenta o Internacional em Caxias do Sul. “Temos de vencer de qualquer forma”, disse o meia Lauro.



Santos tenta manter a vice-liderança

Após perder a invencibilidade no Brasileiro, o Santos entra em campo hoje, contra o Juventude, em Caxias do Sul, buscando superar os problemas de desfalques para seguir na vice-liderança.

O técnico Emerson Leão não poderá contar com o lateral-esquerdo Athirson, que foi expulso na derrota para o Grêmio (3 a 2), no último domingo, e que terá de cumprir suspensão automática.

Além de Athirson, também não atuará o atacante Messias, com uma frieira.

O problema de Messias tem irritado o técnico Leão, que definiu a moléstia como própria de “jogadores de várzea”. O atacante disse que deve ter se esquecido de limpar “o vão do dedo”.

No lugar de Messias, deverá ser mantido Adiel. Já Athirson tem em Gustavo Nery seu substituto natural no Santos.

Para compensar as ausências, a equipe paulista terá a volta do volante Élder, que havia cumprido suspensão automática.

Caso consiga uma vitória ou até mesmo um empate hoje, contra o Juventude, o Santos atinge a segunda colocação isolada do campeonato.

Para perder o segundo posto, há uma só possibilidade: perder para a equipe gaúcha por mais de cinco gols de diferença. Nesse caso, a Lusa conseguiria se igualar ao time santista (22 pontos).

Juventude

A equipe gaúcha executará uma marcação forte sobre o Santos, buscando explorar a rapidez nas saídas do meio-campo para o ataque para derrotar os paulistas.

O técnico Lori Sandri deverá escalar cinco jogadores com características de meio-campistas, ficando o atacante Rodrigo Gral como principal opção ofensiva.

Marcão, Flávio e Lauro devem começar jogando. Os três costumam finalizar a gol. Marcão será o primeiro volante, e os dois demais terão a função de preencher o meio-campo, contendo a velocidade santista.

Fábio Mello e Rogério terão que, sem se descuidar da marcação, executar a ligação com o ataque.



Fonte: Estadão

Juventude 1 x 1 Santos

Data: 20/08/1997
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 8ª rodada
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Público: 630 pagantes
Renda: R$ 4.835,00
Árbitro: Ubiraci Damásio de Oliveira (RJ)
Cartões amarelos: Narciso, João Santos, Caio e Ronaldo (S); Lauro, Índio e Itaqui (J).
Gols: Caio (44-1) e Wallace (33-2, de pênalti).

JUVENTUDE
Márcio; Itaqui, Índio, Rodrigo Costa e Lino (Silvinho); Lauro, Wallace, Sandro Fonseca e Édson (Macalé); Jean e Alexandre Paulista (Adriano).
Técnico: Gilson Nunes

SANTOS
Zetti; Narciso, Ronaldo Marconato, Ronaldão e Cássio; Marcos Basílio, João Santos (Élder), Caíco e Arinélson; Müller e Caio (Macedo).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos e Juventude empatam em Caxias para 630 pagantes

O Santos empatou em 1 a 1 com o Juventude, ontem à noite, em Caxias do Sul, em jogo de público recorde: apenas 630 pagantes. Com o resultado, a equipe soma 11 pontos em oito jogos. O Juventude, que atuou ontem sem quatro titulares, somou o 12º ponto na competição.

O Santos criou a primeira chance de gol aos 6min. Lançado por Muller, Caio ingressou na área pelo lado esquerdo e chutou. O goleiro Márcio espalmou. Aos 12min, Caíco chutou de fora da área, mas Márcio fez outra boa defesa.

O Juventude respondeu com Jean, aos 18min. Primeiro, o atacante chutou cruzado, e Ronaldo Marconato afastou, evitando que Alexandre Paulista marcasse. Depois, Zetti defendeu.

Aos 26min, Caio cabeceou rente à trave do goleiro Márcio. Três minutos depois, o zagueiro Rodrigo cobrou falta na trave.
O Santos chegou ao gol aos 45min. Caíco avançou pela esquerda e lançou Caio, que driblou Márcio e, sem ângulo, marcou.

Em vantagem, o time santista recuou no segundo tempo, apostando nos contra-ataques.

O Juventude conseguiu o gol de empate em um pênalti, aos 32min, convertido por Wallace.