Navegando Posts marcados como Anacleto Campanella

São Caetano 2 x 1 Santos

Data: 08/04/2012, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 18ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, SP.
Público: 4.283 pagantes
Renda: R$ 187.210,00
Árbitro: Mauricio Antonio Fioretti
Auxiliares: Leandro Almeida dos Santos e Matheus Camolesi
Adicionais: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza e Alysson Fernandes Matias
Cartões amarelos: Augusto Recife, Marcone (SC); Arouca (S).
Gols: Neymar (30-1); Geovane (12-2) e Marcelo Costa (21-2).

SÃO CAETANO
Luiz; Marcone, Gabriel, Eli Sabiá e Diego; Augusto Recife, Moradei, Anselmo e Marcelo Costa; Kleber (Aílton) e Geovane.
Técnico: Márcio Araújo

SANTOS
Rafael; Fucile (Elano), Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique, Arouca, Ibson (Renteria) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec).
Técnico: Muricy Ramalho



Santos abre placar com Neymar, mas sofre virada contra o São Caetano

Apesar da derrota neste domingo, o time da Vila Belmiro continua na terceira colocação do Campeonato Paulista

Em uma jornada pouco inspirada, o Santos conheceu a sua quarta derrota na atual edição do Campeonato Paulista. Os santistas abriram o placar com Neymar, porém, viram o São Caetano virar o confronto. Com os gols de Geovane e Marcelo Costa, o time do ABC venceu o duelo, por 2 a 1, na noite deste domingo, no Anacleto Campanella.

Mesmo com a derrota, os santistas, já classificados para as quartas de final do Paulistão, continuam na terceira posição, com 36 pontos ganhos – o Guarani tem a mesma pontuação, mas perde no saldo de gols (23 contra 9). O São Caetano, sem chances de avançar a etapa seguinte do torneio, é o 11° colocado, agora com 22 pontos.

Na próxima rodada, a última do Estadual, o Santos recebe o Catanduvense, no próximo domingo, às 16 horas (horário de Brasília), na Vila Belmiro. No mesmo dia e horário, o São Caetano visita o Guaratinguetá, no Dário Rodrigues Leite.

O jogo:

O Santos começou a partida no ataque e, logo no primeiro minuto, quase balançou as redes dos donos da casa. Neymar fez boa jogada e soltou a bomba, mas a bola bateu na rede, pelo lado de fora.

Após essa primeira chance, o time da Vila Belmiro teve domínio territorial do jogo, porém, pouco ameaçava o gol de Luiz. Se aproveitando disso, o São Caetano respondeu e, em duas oportunidades, levou perigo aos santistas. Na primeira, aos 22, Rafael espalmou chute forte de Geovane, de fora da área. Na segunda, aos 27, Augusto Recife recebeu de Anselmo e disparou um arremate cruzado, por cima do gol.

Mas quando o time da casa tentava se impor, o Santos respondeu em grande estilo e chegou ao gol. Aos 30, Paulo Henrique Ganso deixou Neymar na cara do gol para, com tranquilidade, vencer Luiz e estufar as redes do São Caetano: 1 a 0 para o Santos.

Antes do intervalo, o Santos ainda teve uma chance para ampliar a sua vantagem no placar. Ganso encontrou Neymar com mais uma bela assistência e o camisa 11 santista, depois de se livrar dos marcadores, acertou o travessão da equipe do ABC Paulista.

Na volta para o segundo tempo, os dois times sofreram alterações. Alan Kardec entrou no lugar de Borges, no Santos, enquanto Aílton substituiu Kleber, no São Caetano.

Com uma melhor produção no início da etapa complementar, o São Caetano logo chegou ao empate. Aos 12, Moradei driblou dois adversários e cruzou na medida, para a cabeçada de Geovane, que deixou tudo igual no placar.

O empate motivou mais uma troca no Santos, com o técnico Muricy Ramalho sacando o lateral direito uruguaio Fucile para a entrada do meia Elano. Pouco antes, aos 18, Juan quase marcou o segundo gol santista, mas a bola passou rente a trave esquerda de Luiz.

Só que o São Caetano não desperdiçou a chance que teve e chegou a virada, aos 21. Geovane fez boa jogada individual e tocou para Aílton, que dividiu com Rafael, com a bola sobrando para a finalização de Marcelo Costa para o fundo do gol: 2 a 1.

Irritado com o gol do oponente, Muricy queimou a sua última troca no Peixe. Aos 23, o treinador colocou a sua equipe ainda mais no ataque, substituindo o volante Ibson pelo atacante colombiano Renteria.

Na pressão, os santistas quase chegaram ao empate. Em lance polêmico, aos 30, Ganso aproveitou o rebote de um chute de Elano, que explodiu no travessão, e empurrou a bola para as redes. No entanto, a arbitragem anulou a jogada alegando impedimento.

Pouco depois, aos 36, Ganso teve mais uma boa oportunidade para empatar, ao receber passe de Renteria, na entrada da área. O camisa 10 bateu colocado, buscando o canto direito de Luiz, mas a bola passou ao lado do gol do time do ABC.

Nos minutos finais, o Santos tentou o gol de empate, mas o São Caetano soube suportar a pressão até o apito final do árbitro.

Santos 2 x 1 Ituano

Data: 26/01/2012, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 2ª rodada
Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano, SP.
Público: 2.203 pagantes
Renda: R$ 48.645,00
Árbitro: Alessandro Darcie
Cartões amarelos: Emerson Palmieri (S); Thiago Gomes, Alan Mota e Alex (I).
Gols: Kleyton Domingues (26-1); Alan Kardec (28-2) e Alan Kardec (46-2).

SANTOS
Aranha; Maranhão, Bruno Rodrigo, Vinícius Simon e Emerson Palmieri (Crystian); Anderson Carvalho, Ibson e Felipe Anderson; Tiago Luis (Tiago Alves), Alan Kardec e Renteria (Dimba).
Técnico: Muricy Ramalho.

ITUANO
Roberto; Alex, Tiago Gomes, Anderson Salles e Gustavo; Alan Mota, Bruno Martins (Escobar), Alemão e Kleyton Domingues; Evando e Jefferson Luiz (Otacílio Neto).
Técnico: Ruy Scarpino.



Alan Kardec resolve no fim, Santos vira sobre Ituano e vence primeira

O atacante Alan Kardec brilhou pela segunda vez consecutiva pelo Santos no Campeonato Paulista. Com dois gols do jogador, o clube alvinegro derrotou o Ituano por 2 a 1, em confronto realizado no Estádio Anacleto Campanella – a Vila Belmiro está em processo final de reforma no gramado -, e conquistou o primeiro resultado positivo dentro da competição estadual nesta temporada.

O triunfo no primeiro duelo como mandante no Paulista ajudou os santistas a saltarem três posições na tabela, alcançando a sétima colocação, com quatro pontos. Já o clube de Itu tem três pontos ganhos, número que fez o time do interior do Estado de São Paulo cair para o décimo posto na classificação geral.

Embalado pela primeira vitória no Paulista, o Santos visita no domingo, às 19h30 (de Brasília), o Paulista de Jundiaí, no Estádio Jayme Cintra. O Ituano joga no mesmo dia e horário, diante do Guarani, no Brinco de Ouro da Princesa.

O jogo

Jogando em São Caetano do Sul, devido à reforma do gramado da Vila Belmiro, o Santos tentou espantar o frio e a chuva no ABC Paulista, pressionando o Ituano desde o começo. Entretanto, bem armado taticamente, o Ituano criou dificuldades para o adversário. A primeira boa chance de gol foi dos visitantes. Aos 20min, o meia Kleyton Domingues recebeu livre, dentro de grande área, só que o goleiro Aranha estava atento e salvou os santistas.

Rápido nos contra-ataques, enquanto os santistas sofriam com a falta de criatividade do meio-campo, o Ituano balançou as redes aos 26min. Se aproveitando de um corta-luz de Evando, que estava em posição irregular, Kleyton Domingues invadiu a área e, com uma finalização precisa, acertou o ângulo direito do arqueiro Aranha, que nada pôde fazer para evitar o gol.

O melhor ataque do Santos durante todo o primeiro tempo aconteceu aos 38min, quando Felipe Anderson tocou para Alan Kardec dentro da grande área. O centroavante protegeu bem a bola, limpou a marcação e chutou colocado para grande defesa de Roberto.

Insatisfeito com o rendimento da equipe, o técnico Muricy Ramalho fez uma alteração no ataque santista na volta para a etapa complementar: Tiago Luis deixou o confronto para a entrada do jovem Tiago Alves.

A alteração surtiu algum efeito e os alvinegros passaram a ser mais efetivo no ataque. Aos 7min, Felipe Anderson cobrou falta, que passou rente a trave esquerda de Roberto. Três minutos depois, o mesmo Felipe Anderson apareceu novamente e cruzou para Renteria, de cabeça, desperdiçar uma clara chance.

Se arriscando mais, o Santos passou a dar espaço para os contragolpes do Ituano, que quase ampliou a vantagem com Jefferson Luiz. Aos 13min, o atacante bateu de fora da área, exigindo boa defesa de Aranha.

E, após muito insistir, principalmente com jogadas pelas laterais, o time santista chegou ao empate. Felipe Anderson driblou o zagueiro e cruzou com perfeição para Alan Kardec, aos 28, deixar tudo igual no Anacleto Campanella: 1 a 1.

Nos minutos finais da partida, Muricy Ramalho resolveu tirar o colombiano Renteria, que estava cansado, para a entrada do jovem centroavante Dimba, sobrinho do ex-atacante de Goiás e Flamengo, artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2003.

De tanto insistir, o Santos finalmente anotou o segundo gol. Aos 45min, Maranhão iniciou o lance e tocou para Dimba, que fez grande jogada e encontrou Alan Kardec livre na grande área. Com precisão, o camisa 10 venceu Roberto e decretou o primeiro triunfo do atual campeão estadual.

São Caetano 1 x 3 Santos

Data: 04/04/2010, domingo.
Competição: Campeonato Paulista – Primeira fase – 18ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano, SP.
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Danilo Ricardo Simom
Cartões amarelos: Lucas e Marcelo Batatais (SC); Léo e Pará (S).
Cartão vermelho: Léo (S)
Gols: Marquinhos (02-1) e Hugo (38-1); Neymar (22-2) e Robinho (34-2).

SÃO CAETANO
Luiz; Moradei, Marcelo Batatais, Anderson Marques e Romário; Jairo, Lucas, Fernandes e Éverton Ribeiro (Luciano Mandi); Hugo (Eduardo) e Wanderley (Fábio).
Técnico: Roberto Fonseca

SANTOS
Felipe, Pará (Rodriguinho), Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Wesley e Marquinhos; Robinho (Zezinho), André e Neymar (Maikon Leite).
Técnico: Dorival Júnior



Na volta de Robinho, Santos ‘joga para o gasto’ e vence São Caetano no ABC

Na volta de Robinho aos gramados, neste domingo, no Anacleto Campanella, o já classificado Santos (e com a liderança garantida) não repetiu as atuações que vêm ‘enchendo os olhos’ da torcida. Mesmo assim, jogou o suficiente para vencer o São Caetano por 3 a 1, abrir sete pontos em relação ao segundo colocado e de quebra acabar com as esperanças do time do ABC em conquistar uma vaga nas semifinais do Campeonato Paulista.

Ausente da equipe do litoral por quatro partidas em função de uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda, o Rei das pedaladas – que completou seu jogo de número 200 com a camisa do Santos – não teve uma boa apresentação, mas acabou marcando um belo gol, o terceiro do Peixe, que avançou para 44 pontos na tabela. Por outro lado, o São Caetano parou nos 27 e, restando apenas uma rodada para o fim da primeira fase, não pode mais alcançar o São Paulo, quarto colocado com 33. Com isso, passa a se concentrar no Troféu Campeão do Interior.

O Santos – que não contava com Ganso, suspenso – não perdeu tempo após o apito inicial e em sua primeira chegada à área do São Caetano conseguiu abrir o placar com uma ‘ajudinha’ do adversário. Marquinhos cobrou falta pela esquerda e o atacante Hugo desviou de cabeça contra sua própria meta, tirando qualquer chance do goleiro Luiz intervir no lance. Um novo lance de bola parada, outro com o camisa 10 santista, aos 13min, voltou a assustar os anfitriões, mas desta vez o travessão acabou evitando o segundo gol.

Nem parecia ser o São Caetano que precisava do resultado. Mesmo após um período de equilíbrio entre as duas equipes, foi o Santos quem voltou a levar perigo após dois vacilos da defesa do time do ABC, que foi recuando em direção ao seu próprio gol e acabou dando espaço para Robinho e Marquinhos finalizarem com perigo da entrada da área. No primeiro lance, do camisa 7, Luiz defendeu para o meio da área e o atacante André, no rebote, tirou tinta da trave direita.

Errando poucos passes e contando com muita movimentação de seu setor ofensivo, o Santos não oferecia ataques ao São Caetano. Mas uma falha do lateral Pará na entrada da área acabou dando a chance que os donos da casa precisavam; o atacante Hugo ficou com a bola e finalizou no canto esquerdo do goleiro Felipe, redimindo-se do gol contra do início do jogo. Na saída para o intervalo, Pará explicou o erro que provocou o gol de empate do São Caetano.

“Eu vi o Robinho sozinho, fui tocar para ele, mas infelizmente o Fernandes esticou o pé e ficou com a bola”, lamentou Pará. Antes do início do segundo tempo, o técnico Dorival Júnior criticou a falta de objetividade de sua equipe nos 45 minutos iniciais e pediu mais seriedade a seus jogadores. A resposta veio aos 7min, mas o assistente viu impedimento de Neymar, que em posição legal finalizou de direita na saída de Luiz. Antes disso, Wanderley quase havia virado a partida ao acertar o travessão.

Diferente do primeiro tempo, o São Caetano passou a ficar mais perigoso, especialmente em lances de contra-ataque. Mas foi o Santos quem, em bola alçada na área, mexeu novamente no placar. André cruzou da linha de funda, quase da marca do escanteio, e Neymar, sem marcação, cabeceou com estilo para as redes, aos 22min.

Depois de leve pressão do time da casa, o Santos aproveitou rápido contra-ataque para ampliar e praticamente definir a partida. Arouca achou Robinho livre no campo de ataque; o camisa 7 avançou, ficou cara a cara com o Luiz e finalizou para as redes após deixar o goleiro praticamente no chão, aos 34min. Ainda houve tempo para Léo receber o segundo cartão amarelo após chutar a bola longe e ser expulso antes do apito final.

São Caetano 2 x 0 Santos

Data: 16/07/2006
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, SP.
Público: 4.060 pagantes
Renda: R$ 44.703,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE)
Auxiliares: Erich Bandeira e Irani Pinto (ambos do PE).
Cartões amarelos: Ronaldo Guiaro, Fabiano e Kléber (S).
Gols: Anderson Lima (34-2, de pênalti) e Anderson Lima (43-2, de pênalti).

SÃO CAETANO
Mauro; Anderson Lima, Gustavo, Thiago e Triguinho; Daniel, Rafael Muçamba, Elton e Canindé (Fábio Luis); Wellington Amorim (Igor) e Marcelinho (Preto).
Técnico: Emerson Leão

SANTOS
Fábio Costa; Ronaldo Guiaro, Manzur e Ávalos; Denis, Maldonado, Wendel (Carlinhos), Rodrigo Tabata e Kléber; Rodrigo Tiuí (André) e Reinaldo (Fabiano).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



São Caetano respira ante Santos e Leão dá o troco em Luxemburgo

Desafetos confessos, os técnicos Vanderlei Luxemburgo e Emerson Leão travaram um duelo à parte neste domingo, no ABC Paulista, pelo Brasileiro. Melhor para o treinador do São Caetano, que respirou aliviado na luta contra o rebaixamento ao ver seu time vencer por 2 a 0 – gols de Anderson Lima, ambos em pênaltis sofridos por Elton – e deu o troco no seu rival.

Com o resultado, o São Caetano foi a 15 pontos e se afastou da zona de risco, subindo da 16ª para a 12ª posição. Já o Santos ficou com 18 e se manteve na zona de classificação para a Copa Sul-Americana, mas perdeu a chance de encostar naqueles que vão à Libertadores.

O resultado ainda representou a reabilitação do São Caetano, que não conquistava uma vitória havia quatro jogos. A última tinha sido contra o Atlético-PR por 2 a 1. Depois, o time perdeu para o Goiás pelo mesmo placar e empatou três jogos seguidos por 1 a 1, contra Internacional, Grêmio e Botafogo, na rodada passada.

Enquanto isso, o Santos conheceu sua quarta partida seguida sem vitória. Após vencer o Corinthians por 2 a 0, a equipe alvinegra perdeu para o Grêmio, empatou com o Botafogo e foi derrotada pelo Figueirense.

São Caetano e Santos voltam a campo no próximo fim de semana para a disputa da 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Enquanto o time do ABC vai ao Rio de Janeiro para enfrentar o Fluminense, no sábado, às 18h10, a equipe da Baixada recebe o Juventude, no domingo, na Vila Belmiro, no mesmo horário.

O jogo

O Santos começou melhor e criou a primeira boa chance aos 9min. Wendell recebeu dentro da área, pela esquerda, e chutou forte, mas sem ângulo. Contudo, obrigou o goleiro Mauro a fazer difícil defesa, espalmando a bola que ia entrando no seu ângulo direito.

Mas o São Caetano foi melhorando aos poucos e respondeu aos 12min. Elton tocou para Marcelinho, que fez o giro sobre o um adversário dentro da área, pela direita, e chutou rasteiro, mas Fábio Costa defendeu no meio do gol.

O time da casa chegou de novo aos 15min. Anderson Lima chutou forte da meia direita, a bola ainda quicou na frente de Fábio Costa e o goleiro do Santos caiu no seu canto direito para espalmar.

O São Caetano já dominava o jogo quando quase abriu o placar aos 20min, através de uma cobrança de falta ensaiada da meia lua. Anderson Lima rolou para Elton, que chutou rasteiro. A bola desviou na barreira e ia enganando o goleiro, mas saiu rente ao travessão.

O Santos só voltou a ameaçar aos 27min, num contra-ataque. Maldonado lançou na ponta direita para Rodrigo Tiuí, que cruzou rasteiro para Rodrigo Tabata, na entrada da área. Ele chutou forte e a bola saiu rente ao ângulo direito do goleiro.

O São Caetano voltou a jogar melhor, mas o Santos chegou com perigo aos 39min. Numa cobrança de falta da meia esquerda, Rodrigo Tabata cruzou para a grande área, a bola passou por todo mundo e quase entrou direto, no canto esquerdo de Mauro.

O jogo começou equilibrado no segundo tempo, mas o Santos ameaçou primeiro, aos 8min. Maldonado fez bom lançamento para Wendel, que dominou dentro da área, pela esquerda, e chutou forte, obrigando Mauro a fazer difícil defesa.

Contudo, depois, os times esbarraram na forte marcação imposta por ambos e não conseguiram mais criar nenhuma chance de gol.

O jogo já estava sonolento, quando aos 32min, Elton caiu na área após divida com Ávalos. O árbitro Wilson de Souza Mendonça ia marcar tiro de meta, mas o assistente Irani Pinto indicou pênalti. Anderson Lima bateu no canto esquerdo de Fábio Costa e festejou.

Aos 42min, Elton novamente foi derrubado dentro da área, desta vez por Ronaldo Guiaro. Anderson Lima bateu no meio do gol e fechou o placar de 2 a 0 aos 43min.

Leão se vinga de Luxa

Com a vitória do São Caetano sobre o Santos, o técnico Leão se vingou do seu rival Luxemburgo. No Campeonato Paulista deste ano, o treinador, ainda no comando do Palmeiras, foi eliminado da disputa pelo título da competição ao perder para o alvinegro de Luxa por 1 a 0. Leão nem teve direito a revanche, já que o certame não previa returno.

A rixa entre Leão e Luxemburgo surgiu em 2004, quando o atual técnico do São Caetano acusou o rival de negociar sua volta ao Santos quando ele ainda estava no comando da equipe, apesar de já existir um desgaste no elenco alvinegro. Atualmente, os técnicos até se recusam a falar sobre seus respectivos rivais.

São Caetano 2 x 3 Santos

Data: 01/03/2006
Competição: Campeonato Paulista – 12ª rodada
Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, SP.
Público: 3.574 pessoas
Renda: R$ 45.787,00
Árbitro: Élcio Paschoal Borborema
Auxiliares: Osny Antonio Silveira e Junivan Rodrigues de Souza
Cartões amarelos: Gustavo, Thiago, Zé Luis e Ânderson Lima (SC); Heleno e Domingos.
Gols: Rodrigo Tabata (22-1), Fabinho (31-1) e Marabá (39-1); Léo Lima (23-2) Marcelinho (35-2).

SÃO CAETANO
Sílvio Luiz; Thiago, Cléber (Paulo Miranda) e Gustavo; Ânderson Lima, Zé Luis, Marabá, Leandro Lima (Canindé) e Alex; Igor (Dimba) e Marcelinho
Técnico: Nelsinho Baptista

SANTOS
Roger; Luiz Alberto, Ronaldo Guiaro e Domingos; Fabinho, Heleno (Wendel), Cléber Santana, Rodrigo Tabata (Neto) e Kléber; Geílson e Magnum (Léo Lima)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos vence o São Caetano e assume liderança do Paulista

O Santos venceu o São Caetano por 3 a 2, nesta quarta-feira, no estádio Anacleto Campanella, no ABC, pela 12ª rodada do Campeonato Paulista-2006, e assumiu a liderança isolada da competição.

A equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo, que ganhou o quinto jogo seguido no Estadual (não perde desde 5 de fevereiro), lidera com 28 pontos, dois de vantagem para o São Paulo e o Palmeiras.

Nesta quarta, o ataque santista também desencantou –nas quatro vitórias anteriores no Paulista, o Santos tinha vencido por 1 a 0. A defesa, porém, voltou a ser vazada após seis jogos (incluindo Copa do Brasil).

No entanto a defesa do Santos jogou desfalcada do goleiro Fábio Costa, que foi expulso na última partida, e do zagueiro Manzur, que estava com a seleção paraguaia, que disputou amistoso nesta quarta.

O jogo

O atacante Geílson foi o destaque do Santos no primeiro tempo. O time de Vanderlei Luxemburgo chegou a fazer 2 a 0 após dois cruzamentos do jogador. A defesa, porém, falhou no primeiro gol do rival.

Aos 23min, Geílson cruzou da esquerda e Rodrigo Tabata, quase na pequena área, bateu para abrir o placar. Aos 32min, em novo levantamento de Geílson da esquerda, Fabinho, de cabeça, ampliou.

O São Caetano acabou diminuindo graças a uma falha da defesa rival, que não levava gol há seis jogos. Aos 36min, o zagueiro Ronaldo recuou errado para o goleiro Roger e Marabá aproveitou para marcar.

O time da casa chegou com perigo logo a 1min do segundo tempo, mas o zagueiro Ronaldo afastou. Aos 5min, o meia Marcelinho invadiu área, mas finalizou errado, por cima do gol de Roger.

Aos poucos, o Santos retomou o controle da partida e quase não foi ameaçado pelo adversário. Aos 23min, o time de Luxemburgo ampliou o placar em chute cruzado do meia Léo Lima: 3 a 1.

Aos 35min, em jogada individual, o meia Marcelinho avançou em velocidade, passou pelo marcadores santistas e, após entrar na área, bateu cruzado, diminuindo outra vez para os donos da casa.

No domingo, o Santos faz o clássico contra o Palmeiras, no estádio da Vila Belmiro. No mesmo dia, o São Caetano tentará a reabilitação no Estadual contra o Bragantino, no estádio Marcelo Stefani.