Navegando Posts marcados como André


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 2 x 1 Penapolense

Data: 21/04/2013, quarta-feira, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 19ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.650 pagantes
Renda: R$ 188.335,00
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Maiza Teles Paiva (ambos de SP).
Cartões amarelos: André, Rafael Galhardo e Edu Dracena (S); Luis Felipe (P).
Gols: André (25-1) e Cícero (28-1); Guaru (08-2).

SANTOS
Rafael; Rafael Galhardo, Edu Dracena, Durval e Léo; Alan Santos, Arouca, Cícero e Montillo; André e Neymar.
Técnico: Muricy Ramalho

PENAPOLENSE
Marcelo; Luis Felipe, Jaílton, Gualberto e Rodrigo Biro; Heleno, Fernando (Eric), Liel e Guaru (Sérgio Mota); Silvinho e Magrão (Fio).
Técnico: Pintado



Santos vence o Penapolense e enfrenta Palmeiras nas quartas de final do Paulista

Com gols de André e Cícero, time de Muricy teve vida tranquila na Vila e terá clássico pela frente

Em jogo movimentado, o Santos venceu o Penapolense, por 2 a 1, na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista. André e Cícero marcaram para o Santos, no primeiro tempo, enquanto Guaru diminuiu para o time de Penápolis.

Com o resultado, a equipe santista terminou a fase de classificação no terceiro lugar, com 39 pontos, e irá encarar o Palmeiras nas quartas de final do Paulistão. O Penapolense também avançou, em oitavo lugar, e enfrentará o São Paulo.

O jogo

Em busca da vitória, o Penapolense começou o jogo atacando. Aos três minutos, o lateral esquerdo Rodrigo Biro deixou o volante Arouca e o lateral direito Rafael Galhardo para trás, antes de finalizar no canto direito do goleiro Rafael, que espalmou a bola e evitou o gol dos visitantes.

O Santos respondeu aos nove, quando o ala esquerdo Léo lançou André, que hesitou na hora de tocar para o gol, enquanto o arqueiro Marcelo afastou o perigo. Na sequência, o centroavante tentou recuperar a bola, mas fez a falta e levou cartão amarelo.

O Peixe quase marcou o seu primeiro gol aos 24, com o argentino Montillo lançando Neymar. Dentro da área, a Joia limpou a marcação e chutou de pé direito, para Marcelo espalmar pela linha de fundo, cedendo o escanteio.

Mas no minuto seguinte, os alvinegros chegaram ao gol. Em boa trama do ataque santista, Arouca encontrou Neymar, que deixou André de frente para o gol. Com calma, o centroavante dominou e bateu de perna direita, sem chances de defesa para Marcelo: 1 a 0.

Três minutos mais tarde, aos 28, após cobrança de escanteio, em jogada ensaiada, Neymar cruzou para a área, Edu Dracena disputou a bola com Marcelo e a bola sobrou para Cícero apenas completar para o fundo das redes, ampliando a vantagem do Santos no placar.

Com a vantagem no marcador, o Peixe passou a ter mais facilidade para encontrar espaços. Aos 35, Neymar acionou Léo, pela esquerda, mas o chute do veterano lateral não levou perigo para o gol da Pantera da Noroeste.

Antes do intervalo, o Penapolense quase descontou. Aos 46, Silvinho fez bom lance individual, passando por Durval e finalizando para a defesa de Rafael, que estava bem colocado e não teve dificuldades para fazer a intervenção.A Pantera da Noroeste, que voltou com Fio no lugar de Magrão no ataque, descontou aos oito minutos da etapa complementar. O meia Guaru recebeu dentro da área e chutou para o gol, Galhardo tentou tirar, mas a bola acabou nas redes santistas.

Com o Penapolense se lançando ao ataque, em busca do empate, o time praiano começou a ter o contra-ataque como arma. Aos 16, Montillo inverteu a bola da direita para esquerda, encontrando Neymar sozinho, mas o camisa 11 pegou mal na bola e isolou a chance do terceiro gol alvinegro.

No ataque, a Pantera da Noroeste quase chegou ao empate, aos 23, quando Silvinho recebeu dentro da grande área, só que antes do arremate, Edu Dracena cortou e cedeu escanteio para a equipe visitante.

O técnico Pintado queimou as duas últimas alterações, colocando Eric no lugar de Fernando e Sérgio Mota na vaga de Guaru.

O Santos ainda teve a oportunidade de marcar o terceiro gol. Aos 41, Montillo recebeu na entrada da área, Marcelo espalmou e André não conseguiu alcançar a bola, desperdiçando a chance de ampliar a vantagem do Peixe. Mesmo assim, os santistas administraram o resultado até o apito final, conquistando mais uma vitória no torneio estadual.

Bastidores – Santos TV:

Muricy elogia André e garante centroavante como titular para quartas

Atacante marcou o primeiro gol do Santos na vitória sobre a Penapolense e deve começar o jogo contra o Palmeiras ao lado de Neymar

Autor do primeiro gol do Santos na vitória sobre a Penapolense, por 2 a 1, na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, o centroavante André agradou ao técnico Muricy Ramalho. Tanto que, nos vestiários da equipe praiana, o treinador santista elogiou a movimentação do atacante e destacou que André deve seguir como titular para as quartas de final do Campeonato Paulista – o Peixe irá enfrentar o Palmeiras, na próxima fase da competição.

“O André fez gol e participou bastante da partida. Ele ainda tem que participar mais, porém, teve uma boa atuação. Em diversas vezes, nos últimos jogos, nós não tínhamos ninguém dentro da área. O Giva, por exemplo, cai mais pelos lados do campo e é difícil tirar isso do jogador. O André aproveitou a oportunidade e deve jogar (no clássico)”, analisou Muricy, explicando a razão pela qual o centroavante será mantido no time alvinegro.

Com isso, André, autor de seis gols pelo Santos no Paulistão, levou a melhor na disputa com o argentino Patito Rodriguez, titular contra União Barbarense, pelo Estadual, e Flamengo-PI, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil – o atleta foi ao seu país, participar do velório e do enterro de sua avó – e o jovem Giva, que chegou a ser titular recentemente.

Animado com a nova fase, o camisa 9 vibrou com o resultado positivo alcançado diante da Pantera da Noroeste e se mostrou confiante em poder retribuir a confiança depositada em seu futebol, já nos próximos compromissos dos santistas na temporada.

“A vitória foi boa para o time ganhar confiança, visando o mata-mata. Para eu fazer o gol, tenho de jogar. Fiz o gol e mostrei que, se for preciso, estou em condições para ajudar”, comentou André.

Muricy pede clássico na Vila Belmiro e prega respeito ao Palmeiras

Por conta de compromisso do Palmeiras na Libertadores, jogo deve ser no próximo sábado

Com a vitória sobre a Penapolense, na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, o Santos termine irou a primeira fase na terceira colocação e irá jogar contra o Palmeiras, nas quartas de final do Campeonato Paulista.

A tendência é que a partida seja disputada no próximo sábado, por conta da viagem do Verdão para o duelo com o Tijuana (México), no dia 30, pelas oitavas de final da Copa Libertadores. O técnico do Peixe, Muricy Ramalho, falou sobre o local do confronto e espera que a direção do clube praiano confirme a realização do clássico na Vila.

“A Vila é o nosso campo, sempre muito difícil para o adversário. Na minha opinião, o jogo tem que ser aqui. Claro que os dirigentes podem ter outra ideia e nós respeitamos a estratégia do clube. Mas acredito que (o clássico) vai ser aqui”, disse Muricy.

Sobre o adversário, o treinador santista demonstrou respeito ao Verdão. Para Muricy Ramalho, mesmo com a vantagem de atuar em casa, com o rival dividido entre a disputa do Paulistão e da Libertadores, o duelo deve ser complicado para o time alvinegro.

“Todos os jogos são complicados, as equipes estão jogando bem e não tem partida fácil. O Palmeiras viveu uma grande reformulação, depois da queda no Brasileiro (para a Série B), e demorou um pouco para engrenar, principalmente na Libertadores. Se trata de um time grande e nós temos que respeitar a camisa, os jogadores e o técnico que estão lá, trabalhando sério. O Palmeiras atravessa um bom momento”, encerrou o comandante.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 2 x 1 Guarani

Data : 16/03/2013, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 12ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.865 pagantes
Renda: R$ 312.220,00
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Alex Ang Ribeiro
Cartões amarelos: Cícero (S); Thiago Pagnussat e Boiadeiro (G).
Gols: Montillo (34-1); André (03-2) e Thiago Pagnussat (13-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Emerson Palmieri; Renê Júnior, Arouca, Cícero e Montillo; Neymar e André (Giva)
Técnico: Muricy Ramalho

GUARANI
Renan; Boiadeiro, Tiago Pagnussat, Cássio e Diogo; Ademir Sopa (Coutinho), Mika, Thiago Gentil e Dener (Cadu); Wilson (Juan Cominges) e Ronaldo Mendes.
Técnico: Branco



Santos supera o Guarani em reedição da final de 2012 e volta a liderar

Montillo e André marcaram para o time de Muricy Ramalho, que chegou aos 24 pontos na classificação do Paulistão

Em um jogo aberto, movimentado e com chances criadas para os dois lados, o Santos aproveitou a presença de Neymar antes de se apresentar à seleção brasileira para superar o Guarani e assumir a liderança provisória do Campeonato Paulista. Na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, abrindo a 12ª rodada da competição, o camisa11 quase comprometeu o primeiro gol, mas teve participação direta no segundo, consolidando a vitória por 2 a 1 na reedição da final do ano passado.

Finalista em 2012, o Guarani entrou desatento no segundo tempo e, mesmo com boa atuação, não evitou a vitória santista. Com apenas nove pontos somados, a equipe segue na 18ª posição, afundada na zona de rebaixamento. Já o Santos, que sofreu o gol do preciso Thiago Pagnussat, mas marcou com Montillo e André, avança a 24 pontos e rouba do São Paulo a primeira posição. No complemento da rodada, neste domingo, tanto o Tricolor quanto a Ponte Preta têm chances de ultrapassar o Peixe.

Com Neymar desperdiçando ao menos duas chances de dar tranquilidade ao time em boas intervenções do goleiro Renan, o Santos se recuou no segundo tempo e segurou a vitória. Para manter a boa toada, a equipe entra em campo na próxima quinta-feira, para receber o Mirassol na Vila Belmiro sem seu principal jogador, que estará na Seleção. Já o Bugre, em busca de reação, recebe o Paulista de Jundiaí no mesmo dia.

O jogo

Depois do Guarani chegar duas vezes ao gol de Rafael, o Santos resolveu buscar o ataque, mas acabou caindo no velho erro de insistir demais nas jogadas de Neymar. Na primeira chance santista, o camisa 11 disputou corrida com Mika à esquerda da entrada da área do Bugre e conseguiu o cruzamento para o meio. Antes de André chegar, Thiago Pagnussat afastou o perigo, em apenas uma de suas boas interferências. Enquanto o Santos só conseguia criar com Neymar, que recebia marcação dupla, o Guarani aproveitava cada sobra e erro dos donos da casa para apostar na velocidade de Ronaldo Mendes, que teve boa atuação pela esquerda do ataque.

O Santos teve grande chance de abrir o placar aos 15 minutos do primeiro tempo: Neymar cobrou escanteio na primeira trave, a defesa do Guarani desviou para o meio e Arouca devolveu na ponta direita. O camisa 11 aproveitou o rebote para levantar para André, que apareceu livre na pequena área, cabeceou na trave e, na segunda tentativa, só ele e o gol, concluiu para fora, desperdiçando uma chance incrível.

Aos 34 minutos, depois de muito insistir em Neymar, o Santos provou que nem toda jogada de ataque precisava passar pelo pé de seu craque. Após cobrança de escanteio fraca do Guarani, Edu Dracena cabeceou para frente e a bola voltou aos pés de Arouca, que acionou a velocidade de Montillo. O camisa 10 do Peixe disparou seguido de perto pela marcação, pedalou e bateu cruzado, sem chances de defesa para o goleiro Renan.

Já no segundo tempo, o Santos demorou apenas quatro minutos para aumentar a vantagem diante de um agora desatento Guarani. Neymar roubou a bola de Ademir Sopa na intermediária e construiu bela jogada, com a tradicional arrancada pela direita, drible para cima da marcação e cruzamento para André. O camisa 9 do Santos ‘roubou’ o gol de Neymar, finalizou em cima do zagueiro bugrino, mas acabou anotando o segundo do Peixe antes de comemorar com timidez.

Neymar seguiu incendiando a defesa do Guarani após o lance do segundo gol. No minuto seguinte, O camisa 11 do Santos partiu com a bola dominada desde a intermediária, cortou o goleiro Renan, mas concluiu fraco, de cobertura, e viu o camisa 1 se recuperar. Na sequência, tentou de bicicleta, mas o goleiro ficou com a bola.

As mexidas tiveram reação imediata. Aos 14 minutos, o Guarani cobrou escanteio do lado esquerdo do ataque, Rafael não saiu e Durval não conseguiu o corte por cima. Thiago Pagnussat acabou subindo mais alto e anotou o gol do Bugre, que seguiu na pressão. Cinco minutos depois, Thiago Gentil cortou a marcação de Cícero e levantou no meio da área, onde Cadu apareceu e cabeceia no ângulo de Rafael. Antes de comemorar, o atacante bugrino viu a bandeira levantada e o lance anulado.

Bastidores – Santos TV:

Montillo dedica golaço a filho e vê o Santos bem mesmo sem Neymar

Argentino se apresenta à sua seleção nesta segunda-feira, já que foi convocado para dois compromissos válidos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo

Contestado nas primeiras rodadas do Campeonato Paulista por conta das atuações irregulares, o meio-campista Montillo foi autor de um dos gols da vitória do Santos diante do Guarani , neste sábado, na Vila Belmiro. Na semana passada, em Sorocaba, o camisa 10 havia marcado seu primeiro gol com a camisa do time que investiu 6 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) em sua contratação, e acredita que está cada vez mais pronto para render o esperado.

Em melhores condições físicas, o argentino se apresenta à sua seleção nesta segunda-feira, já que foi convocado para dois compromissos válidos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014. Satisfeito com o rendimento atual vestindo a camisa do Santos, Montillo acredita que a tendência é melhorar e o time ser cada vez menos dependente da individualidade de Neymar.

“O gol na semana passada deu bastante confiança, mas o importante é ver o Santos ganhando e ficando nas primeiras posições do campeonato. A gente tem que se acostumar a jogar sem o Neymar e saber que todos procuram o mesmo objetivo de vencer. O Neymar é diferenciado, mas tem que ser utilizado no momento certo, senão ele cansa de ir atrás de todas as bolas”, comentou Montillo, contratado justamente em função das críticas sofridas pelo time, altamente dependente de seu camisa 11 na temporada passada.

Após a partida, pela internet, o argentino dedicou o golaço, marcado após pedalar e bater cruzado ao gol de Renan, ao filho Santino. Herdeiro mais novo de Montillo, Santino completa três anos de idade neste domingo, dia seguinte à vitória que fez o Santos reassumir a liderança do Campeonato Paulista.

Muricy nota evolução, mas quer paciência com jovens Giva e Emerson

Com gols marcados pelos ‘veteranos’ Montillo e André, o Santos venceu o Guarani por 2 a 1 e reassumiu a liderança do Campeonato Paulista

Disposto a dar mais chances aos santistas campeões da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2013, o técnico Muricy Ramalho escalou o lateral esquerdo Emerson Palmieri como titular e ainda acionou o atacante Giva, que começou do banco de reservas. Com gols marcados pelos ‘veteranos’ Montillo e André, o Santos venceu o Guarani por 2 a 1 e reassumiu a liderança do Campeonato Paulista.

Apesar da ovação da torcida a Giva, que fez boa jogada e quase deixou sua marca, aos 26 minutos do segundo tempo, o comandante recomenda um pouco mais de paciência com as duas promessas. Neste sábado, o experiente Léo já ficou no banco de reservas de Emerson. Já Giva, na próxima quinta-feira, diante do Mirassol, pode receber uma chance com os desfalques de Cícero, suspenso, Neymar e Montillo, que estão com suas seleções para jogos das Eliminatórias.

“Já é o terceiro ou quarto jogo que o Giva joga, é difícil entrar assim como ele entrou, com pouco tempo para jogar, mas é um jogador que está treinando bem, isso anima a gente. Precisamos ter mais paciência para ver ele jogando ainda e saber o que fazer durante o ano”, garantiu Muricy ao falar sobre o atacante. Já Giva dividiu responsabilidades: “Graças a Deus conseguimos vencer o Guarani, isso é o mais importante. Quero continuar trabalhando e tentar dar mais um passo na quinta-feira”.

A respeito de Emerson Palmieri, que recebeu uma chance de ser titular na vaga do lateral Léo, Muricy preferiu ser mais cauteloso e fez uma crítica ao seu rendimento: “O Emerson jogou bem, marcou bem, só faltou subir um pouco ao ataque. Ele começou a receber chances no ano passado, não foi excepcional, mas não podemos dar só uma oportunidade. O Léo a gente conhece, é titular, ídolo. Temos que dar sequência para o garoto”.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Atlético Sorocaba 1 x 2 Santos

Data: 10/03/2013, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 11ª rodada
Local: Estádio Municipal Walter Ribeiro, em Sorocaba, SP.
Público: 8.472 pagantes
Renda: R$ 387.810,00
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e João Edílson de Andrade.
Cartões amarelos: Da Silva e Wellington (AS); Cícero (S).
Cartão vermelho: Vagner Benazzi (AS).
Gols: Montillo (15-1) e André (46-1); Tiago Marques (03-2).

ATLÉTICO SOROCABA
Marcelo Moretto; César, Murilo e Wellington; Tiago Baiano (Júnior Timbó), Da Silva (Rai), Gilberto, Bruninho e Carlinhos; Tiago Marques (Jorge Preá) e Marquinhos.
Técnico: Vagner Benazzi

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Emerson Palmieri; Renê Júnior, Arouca, Cícero e Montillo (Felipe Anderson); Giva (Patito Rodriguez) e André.
Técnico: Muricy Ramalho



Sem Neymar, Montillo desencanta e Santos bate Sorocaba fora de casa

Argentino marca pela primeira vez com a camisa do clube a abre o caminho para a vitória por 2 a 1 pelo Campeonato Paulista

Sem poder contar com o suspenso Neymar, o Santos contou com uma boa exibição do meia Montillo para derrotar o Atlético Sorocaba, por 2 a 1, na noite deste domingo, no Estádio Walter Ribeiro. O argentino desencantou e abriu o caminho para a vitória, com André marcando o segundo gol. Tiago Marques descontou para os donos da casa.

O triunfo levou os santistas para a terceira colocação do Campeonato Paulista, agora com 21 pontos. O Atlético Sorocaba, por sua vez, caiu uma posição e ocupa o 17º lugar na tabela, com apenas nove pontos ganhos.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Guarani, sábado, a partir das 18h30 (de Brasília), na Vila Belmiro. Já os sorocabanos visitam a Ponte Preta, no domingo, às 18h30, no Moisés Lucarelli.

O jogo

Após um começo de jogo equilibrado, o Santos abriu o placar logo em sua primeira chance de gol. Aos 15 minutos, o volante Arouca puxou rápido contra-ataque, tabelou com o lateral Bruno Peres e, após driblar o goleiro Marcelo Moretto, encontrou Montillo, livre, para chegar antes da zaga adversária e cabecear para o fundo das redes: 1 a 0 para o Peixe. Este foi o primeiro gol do argentino, contratação mais cara da história do clube praiano, com a camisa 10 santista.

No minuto seguinte, quase veio a resposta sorocabana. Carlinhos fez boa jogada pela esquerda, escapando de Bruno Peres e cruzando rasteiro para a área, na direção de Bruninho, que dentro da grande área, desperdiçou a chance de empatar, finalizando por cima do gol de Rafael.

Na busca pelo empate, o Atlético criou mais uma boa oportunidade logo depois. Aos 19, após cobrança de falta de Bruninho, Wellington e Murilo tentaram o arremate dentro da pequena área, mas a bola rebateu em André e ficou nas mãos do goleiro, que impediu o empate.

Os sorocabanos continuaram pressionando e, aos 40, tiveram mais uma chance para empatar. Desta vez, Tiago Marques fez boa jogada pela esquerda e bateu cruzado. Rafael desviou a bola, mandando-a para escanteio.

Depois de ver o seu gol ameaçado, o Santos conseguiu encaixar um bom ataque no final do primeiro tempo, ampliando a sua vantagem. Aos 46, Cícero driblou Murilo, que viu a bola passar por entre as suas pernas, antes de o meia cruzar com perfeição para o toque de cabeça de André, anotando o segundo gol dos visitantes.

Porém, a vantagem construída na primeira etapa diminuiu logo após o intervalo. Aos três do segundo tempo, Tiago Marques aproveitou falha de Renê Júnior e correu em direção ao gol, antes de dar um toque por cima de Rafael, descontando para o Atlético Sorocaba.

Dois minutos depois do gol sofrido, o time santista quase voltou a abrir uma vantagem de dois gols sobre o oponente. Montillo fez boa jogada pelo meio e encontrou André livre. O centroavante tentou acertar o ângulo de Marcelo Moretto, mas a bola passou ao lado do gol sorocabano.

Mais tarde, o Santos fez a sua primeira alteração na partida. Aos 15, jovem Giva deu lugar ao argentino Patito Rodrigues. Pouco depois, aos 19, Rai entrou na vaga de Da Silva no Atlético Sorocaba. Aos 27, Vagner Benazzi mexeu mais uma vez no time da casa, sacando Tiago Marques e colocando Jorge Preá em campo.

Com os sorocabanos atacando bastante, na tentativa de chegar ao gol de empate, o Santos passou a explorar também os espaços deixados pelo adversário, nos contra-ataques. Aos 30, o Peixe quase balançou as redes outra vez, mas André viu Marcelo Moretto fazer boa defesa em chute da entrada da área.

Benazzi, que aos 37 promoveu sua última substituição no Atlético Sorocaba, tirando Tiago Baiano para a entrada de Júnior Timbó, foi expulso dois minutos depois, pela reclamação com relação a um lance contra a arbitragem.

Nos minutos finais, Muricy sacou Montillo, um dos destaques do jogo, para a entrada de Felipe Anderson. Os santistas conseguiram frear o ímpeto dos donos da casa, na busca pelo empate, e ainda tiveram uma boa chance de gol, em jogada individual de Felipe Anderson. Desta forma, o clube da Vila Belmiro garantiu mais uma vitória no Paulistão.

Bastidores – Santos TV:

Mesmo com vitória, Muricy vê defeitos e projeta evolução santista

“Com a qualidade do nosso plantel, a gente não pode jogar tão pouco”, disse o treinador

A vitória do Santos sobre o Atlético Sorocaba, por 2 a 1, na noite deste domingo, no Estádio Walter Ribeiro, não deixou o técnico Muricy Ramalho completamente satisfeito. Para o treinador, o Peixe ainda precisa evoluir para mostrar um melhor futebol em campo. Muricy destacou que o elenco será cobrado para que cresça.

“Acho que a gente tem que se cobrar, claro. Com a qualidade do nosso plantel, a gente não pode jogar tão pouco. Hoje (domingo) foi um pouco melhor, mas a transição não está boa. Estamos com muita correria, precisamos de mais troca de passes”, analisou.

O comandante santista, porém, lembrou que o importante é que a equipe apresente uma melhora de rendimento para chegar mais fortalecido na reta final do Campeonato Paulista. Atualmente, o Peixe é o terceiro colocado no Estadual, com 21 pontos ganhos.

“No futebol, a vitória dá confiança. Contra o Sorocaba, valeu mais por isso. Mas estamos trabalhando forte e acreditamos que esse time vai dar liga. A equipe vai crescer, quando chegar perto do mata-mata (decisivo do Paulistão)”, encerrou.

Muricy elogia Montillo, mas pede paciência por melhor futebol

Meia contratado por R$ 16 milhões marcou seu primeiro gol pelo Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético Sorocaba

Contratado por 6 milhões de euros (R$ 16 milhões), o meia Montillo é a contratação mais cara da história do Santos. A sua transferência para a Vila Belmiro foi cercada de bastante expectativa, mas o futebol irregular do argentino nos primeiros jogos gerou algumas críticas da torcida. Porém, com o gol marcado por Montillo diante do Atlético Sorocaba, no último domingo, Muricy Ramalho disse confiar na evolução do jogador.

“Sinceramente, a gente ainda espera mais do Montillo. Mas é preciso ter paciência com ele. Contra o Sorocaba, ele correu muito, além de fazer o gol e uma bonita jogada (para uma finalização perigosa) do André, no segundo tempo”, analisou o treinador.

Insatisfeito com as suas primeiras exibições com a camisa alvinegra, Montillo chegou a solicitar um trabalho especial à comissão técnica do Santos. O meio-campista intensificou a sua preparação física, visando recuperar o tempo perdido no início da pré-temporada do clube.Devido aos detalhes finais da negociação entre a direção santista e a Raposa, Montillo chegou a perder alguns dias de treinamento. Esse fato, na sua avaliação, estava afetando o seu rendimento em campo.

Contente com o comportamento do argentino, Muricy não tem dúvidas de que Montillo vai atingir o seu melhor nível com a camisa 10 do Peixe. “Um atleta não é convocado para a Argentina de graça. Foi como eu falei: temos que ter paciência. Além disso, o time ainda não está tão bem. Tudo vai dar liga na hora certa. O Montillo está entrando em forma e vai evoluir muito. Ele é muito responsável e dedicado. Confiamos muito nele”, concluiu.

Após primeiro gol, Montillo comemora e projeta crescimento no Santos

“Esse gol é muito importante para me dar mais confiança e ao Santos também. Mas o que vale foi ter ajudado o Santos a ganhar”, disse o argentino

Contratação mais cara da história do Santos, o meia Montillo chegou à Vila Belmiro em uma transação que custou 6 milhões de euros (R$ 16 milhões) ao clube praiano, para tirá-lo do Cruzeiro. Após algumas atuações irregulares, o argentino finalmente conseguiu ter maior destaque, na vitória sobre o Atlético Sorocaba, neste domingo, no Estádio Walter Ribeiro, e marcou o seu primeiro gol com a camisa do Peixe.

O meio-campista comemorou o tento anotado contra o Galo, aos 15 minutos do primeiro tempo, porém dividiu os méritos pelo gol com o volante Arouca, responsável pela jogada e pela assistência.

“Esse gol é muito importante para me dar mais confiança e ao Santos também. Mas o que vale foi ter ajudado o Santos a ganhar. Foi uma felicidade enorme. Mas tenho que destacar todo o lance do Arouca, o grande esforço dele para que a bola chegasse para mim”, disse Montillo.

Sobre o rendimento da equipe, o meia acredita que o time alvinegro ainda irá crescer bastante. “Nós passamos um sufoco, não foi fácil jogar aqui (em Sorocaba). É um campo muito grande. Sabemos que precisamos jogar mais e, só com o tempo, a gente vai melhorar. Não digo só eu, mas o time todo. O Santos não estava jogando bem e está crescendo. Temos muitas caras novas e o time ainda está se entrosando”, concluiu.

Satisfeito, Cícero vibra com passe para gol e vê Santos crescendo

Jogador ficou satisfeito com o resultado e vibrou com a atuação contra o Sorocaba, na qual deu o passe para o segundo gol

O meia Cícero comemorou a vitória do Santos sobre o Atlético Sorocaba, por 2 a 1, na noite deste domingo, no Estádio Walter Ribeiro. O jogador ficou satisfeito com o resultado e vibrou com a atuação contra o Galo, na qual deu o passe para o segundo gol do Peixe, marcado pelo centroavante André.

“Fui feliz no drible (sobre Murilo) e vi o André entrando sozinho. O Muricy (Ramalho) pede para eu dar uma saída a mais, subir ao ataque. Mas nós, volantes, nos desdobramos um pouco”, disse Cícero.

Sobre o futebol apresentado pela equipe santista, o meio-campista destacou que o time alvinegro esteve bem em campo e está evoluindo, apesar das críticas recentes. “Fomos felizes nesses dois lances (gols), mas a tendência é melhorar cada vez mais. A equipe está de parabéns pela vitória e por essa recuperação”, comentou.

Cícero mostrou otimismo e crê que, assim que o Alvinegro Praiano estiver com os seus jogadores 100% fisicamente e mais entrosados, a equipe estará fortalecida para a reta final do Campeonato Paulista.

“Sabemos que estamos no início da temporada, mas já estamos com um físico melhor. Estamos treinando bastante fisicamente e temos que saber suportar o ritmo dos jogos. É assim, jogando, que nós vamos evoluir”, encerrou.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 2 x 1 XV de Piracicaba

Data: 24/02/2013, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 9ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.103 pagantes
Renda: R$ 139.593,00
Árbitro: Aurélio Santanna Martins
Auxiliares: Marco Antonio Gonzaga da Silva e David Botelho Barbosa
Cartões amarelos: Renê Júnior e Arouca (S); Vinícius Bovi e Luiz Eduardo (XV).
Gols: Cesinha (06-2), André (25-2, de pênalti) e André (28-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior, Arouca, Cícero (Patito Rodríguez) e Montillo (Marcos Assunção); Giva (Felipe Anderson) e André.
Técnico: Muricy Ramalho

XV DE PIRACICABA
Bruno Fuso; Vinicius Bovi, Cesinha, Luiz Eduardo e Gustavo Goiano (Adriano); Adilson Goiano (Léo Mineiro), Jairo, Diego Silva (Bruno Gaúcho) e Diguinho; Márcio Diogo e Paulinho.
Técnico: Sérgio Guedes



Santos sai atrás no placar, mas vence o XV de Piracicaba com dois gols de André

Após três rodadas de jejum, time da Vila Belmiro volta a vencer no Campeonato Paulista e alcança os 17 pontos

Desfalcado da sua principal estrela, o atacante Neymar, o Santos sofreu, mas conseguiu fazer as pazes com a vitória no Campeonato Paulista após três rodadas. Jogando dentro de casa, o time da Vila Belmiro contou com dois gols de André para vencer o XV de Piracicaba de virada por 2 a 1.

O resultado levou os santistas para a quarta posição, com 17 pontos, perdendo nos critérios de desempate para o Mogi Mirim, que tem a mesma pontuação e é o terceiro colocado. O XV, por sua vez, caiu para o 14° lugar, com apenas nove pontos ganhos.

O Santos volta a campo diante do Corinthians, no próximo domingo, às 16 horas (horário de Brasília), no Morumbi. Já o time piracicabano recebe o Mirassol, na sexta-feira, a partir das 19h30, no Barão de Serra Negra.

O jogo

Mesmo sem Neymar, o Santos começou o jogo pressionando, em busca do seu primeiro gol. O Peixe quase abriu o placar aos dois minutos, quando aproveitando uma cobrança de escanteio, Giva cortou o seu marcador e bateu na direção do gol, para defesa parcial do goleiro Bruno Fuso. No rebote, o centroavante André se esticou para completar em direção ao gol, mas a bola passou rente a trave direita do arqueiro do XV de Piracicaba.

Após a chance criada logo nos primeiros minutos da partida, o Nhô Quim conseguiu conter o ímpeto santista e, aos poucos, passou a se aventurar no ataque, levando perigo ao goleiro alvinegro Rafael.

A melhor oportunidade dos piracicabanos aconteceu aos 25, quando Márcio Diogo recebeu na área, levou para o fundo, driblando Bruno Peres e chutou na trave. A bola sobrou, mas ninguém apareceu para completar e a zaga do Santos cortou o lance, cedendo escanteio.

Bem distribuído em campo, o XV quase marcou aos 39, quando o lateral-esquerdo Gustavo Goiano arriscou de longa distância e exigiu uma boa defesa de Rafael. Com tranquilidade, o camisa 1 do Peixe evitou o gol e não deu rebote, apesar da perigosa finalização do ala rival.

No minuto seguinte, os santistas responderam com Giva cruzando para André completar de cabeça. Só que o camisa 9 tocou fraco e sem direção, com a bola passando a esquerda do gol do Nhô Quim, saindo pela linha de fundo.

Na volta para a etapa complementar, o Alvinegro Praiano teve uma boa chance, logo aos três minutos, quando Bruno Peres aproveitou um corte errado da defesa do XV de Piracicaba para bater, de perna esquerda, por cima do gol adversário.

Mas foi o Nhô Quim que chegou ao gol, pouco depois. Aos seis, Cesinha aproveitou cruzamento pela direita e tocou de cabeça para o gol. A bola ainda bateu na trave, nas costas de Rafael e foi parar nas redes: 1 a 0 para o XV.

O Santos esteve perto de alcançar o empate, aos 13. Mais uma vez, o novato Giva, que fazia a sua estreia entre os profissionais, tirou a marcação do lance e cruzou para André, que não cabeceou bem e desperdiçou mais uma grande oportunidade para fazer o gol.

Em desvantagem, o técnico Muricy Ramalho resolveu abrir mão do esquema tático 4-4-2, colocando a sua equipe no 4-3-3, com a entrada do argentino Patito Rodriguez no lugar do meia Cícero.

O empate chegou, após Luiz Eduardo colocar a mão na bola dentro da área, para interceptar um cruzamento. O árbitro marcou pênalti e na cobrança, aos 25, André deixou tudo igual no marcador na Vila.

Embalado pelo gol de empate, o Peixe chegou a virada na sequência. Aos 28, Giva desviou cobrança de escanteio na altura da primeira trave e André, dentro da pequena área, saltou para cabecear e selar a virada santista: 2 a 1.

Com Adriano no lugar de Gustavo Goiano, Bruno Gaúcho na vaga de Diego Silva e Léo Mineiro substituindo Adilson Goiano, o técnico Sérgio Guedes colocou o Nhô Quim mais a frente, em busca do empate. No Alvinegro Praiano, Muricy sacou Giva para a entrada de Felipe Anderson.

Melhor após a virada, o Santos quase ampliou a vantagem, quando Patito Rodriguez soltou uma bomba, aos 35, defendida no reflexo por Bruno Fuso.

Perto dos últimos minutos do duelo, Muricy Ramalho sacou o meia Montillo para a entrada do experiente volante Marcos Assunção, visando dar mais poder de marcação ao time e valorizando a posse de bola até o apito final do árbitro, garantindo a vitória santista.

Bastidores – Santos TV:

André valoriza gols, mas se desculpa com Giva por “roubar” um

Atacante tem atuação decisiva e balança as redes duas vezes na vitória de virada do Santos sobre o XV de Piracicaba

André tem aproveitado o retorno aos titulares do Santos . Na v itória por 2 a 1 diante do XV de Piracicaba neste domingo, o atacante marcou os dois gols da equipe, que encerrou um jejum de três jogos sem vitórias no Campeonato Paulista.

“Se eu tivesse feito gols nos primeiros jogos do ano, ninguém estaria falando. Procurei melhorar a parte física. A confiança voltou e fico feliz em ajudar”, disse André, que inclusive revelou ter “tirado” o segundo gol santista do jovem Giva, que fez a sua estreia entre os profissionais alvinegros ante o XV.

“Infelizmente, eu ‘roubei’ o gol do Giva. Mas quero dar os parabéns para ele, que jogou muito bem e fez uma grande estreia”, comentou o atacante, que antes havia marcado em cobrança de pênalti.

Sobre a vitória, André destacou a importância do resultado, que amenizou a cobrança da torcida, que chegou a ficar impaciente depois de o Nhô Quim ter aberto o placar, com o zagueiro Cesinha. O triunfo levou o Santos para a quarta colocação do Estadual, com 17 pontos.

“Todo mundo estava sendo vaiado até o gol, mas depois saímos aplaudidos. Foi importantíssimo voltar a ganhar. O Santos está de parabéns pela raça demonstrada dentro de campo”, encerrou.

Muricy elogia XV e considera que Santos não jogou bem

Técnico santista comentou sobre as dificuldades para vencer a equipe do interior e disse que o Santos precisa evoluir bastante na competição

Depois de ver a sua equipe sofrer para derrotar o XV de Piracicaba, por 2 a 1, na noite deste domingo, na Vila Belmiro, o técnico Muricy Ramalho elogiou a postura do adversário do Santos. Para o treinador santista, o futebol apresentado pelo Nhô Quim dificultou as ações do Peixe em campo e, além disso, não explica a razão pela qual os piracicabanos se encontram apenas na 14° posição no Campeonato Paulista, com somente nove pontos.

“É um time bem armado e não entendemos, às vezes, como times assim estão com poucos pontos. Por isso, você precisa analisar o rendimento que as equipes vem tendo, ao invés da colocação na tabela. Eles têm um time muito organizado, que nos dificultou muito. Tivemos que colocar o Patito (Rodriguez, no lugar de Cícero) para dar mais profundidade, abrindo pelos lados. Com um velocista, a gente teve mais chances de gols”, analisou Muricy.

Aliado à boa exibição do XV, o comandante alvinegro admitiu que o Santos poderia ter se apresentado melhor, dentro de casa. “A gente tem que jogar melhor. É normal para um começo de temporada, porém, nós temos que evoluir”, ponderou, para depois acrescentar: “Mas vale lembrar que não tem ninguém jogando muito bem na competição”.

Muricy Ramalho, entretanto, acredita que os santistas conseguiram render mais na segunda etapa, mesmo com o susto do gol do zagueiro Cesinha, aos seis minutos. André, com um gol de pênalti, e outro de cabeça, após cobrança de escanteio, decretou a virada do Peixe na Vila.

“Foi uma partida complicada. O que valeu mesmo foi a vitória. No primeiro tempo, foi um jogo chato, sem chances de gol. Na segunda etapa, nos abrimos um pouco mais e eles também arriscaram um pouco. Tivemos algumas oportunidades e aproveitamos duas. Acho que fomos melhores no segundo tempo. Criamos bastante”, finalizou.

Após críticas a Neymar, Pelé se vê como “paizão” e questiona time do Santos

Ex-jogador deu entrevista criticando o foco da carreira do camisa 11 durante a semana, mas tratou de colocar panos quentes na situação e ressaltou seu carinho por Neymar

Durante a semana, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo , Pelé teceu inúmeras críticas ao atacante Neymar. Neste domingo, o Rei esteve na Vila Belmiro para acompanhar a vitória do Santos sobre o XV de Piracicaba, por 2 a 1, e falou sobre a polêmica com o camisa 11 santista. Pelé ressaltou o carinho que tem pelo camisa 11 do Peixe, apontando as observações feitas sobre o comportamento de Neymar como críticas construtivas para o seu crescimento.

“Sou ‘paizão’ dele aqui, desde o começo. Damos uma força grande para o Neymar. Uma vez eu fiz uma brincadeira, dizendo que tecnicamente ele era melhor do que o Messi e isso mexeu com o pessoal. O Neymar é excelente, mas está perdendo um pouco o foco”, afirmou Pelé à Rádio Globo, reforçando as críticas feitas ao craque santista.

“A minha preocupação é com o jogador e com o Santos, também. Quando eu disse (na entrevista publicada durante a semana), na verdade estou ajudando. Quanto mais você orienta o atleta, melhor ele vai ficar”, destacou.

O Rei, que assistiu ao jogo no seu camarote particular na Vila, ao lado da namorada, ainda disparou contra o time comandado pelo técnico Muricy Ramalho. Pelé cobrou um melhor rendimento da equipe, que na visão do eterno camisa 10 alvinegro, está “refém” do talento de Neymar.

“Todo time que tem um grande jogador, não pode ser dependente de apenas um. Mesmo na época de ouro do Santos, não era só o Pelé. Tinham grandes ‘cobras’ comigo, eu não jogava sozinho. É muito difícil você levar uma equipe a vitória, sem ajuda. Hoje você não pode sentir tanta falta assim de um grande jogador. O que ganha campeonato é equipe, você precisa ter conjunto”, concluiu.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos

Ponte Preta 3 x 1 Santos

Data: 17/02/2013, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 8ª rodada
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, SP.
Público: 11.747 pagantes
Renda: R$ 318.547,00
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira, depois Rodrigo Braghetto.
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Maiza Teles Paiva.
Cartões amarelos: Edson Bastos e Bruno Silva (PP); Edu Dracena e Bruno Peres (S).
Cartões vermelhos: Artur (PP) e Neymar (S).
Gols: Bruno Silva (10-1); Alemão (38-2), André (41-2) e Alemão (47-2).

PONTE PRETA
Edson Bastos; Artur, Cleber, Ferron e Uendel; Baraka, Bruno Silva, Cicinho e Cachito Ramírez (Wellington Bruno); Diego Rosa (Memo) e William (Alemão).
Técnico: Guto Ferreira

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Renê Júnior (André) e Marcos Assunção; Cícero (Patito Rodríguez) e Montillo (Felipe Anderson); Neymar.
Técnico: Muricy Ramalho



Com Neymar expulso, Santos cai diante da líder Ponte Preta em Campinas

Atacante Alemão, que começou sua carreira na Vila Belmiro, fez dois gols para o time da casa

No primeiro teste da tática 4-5-1 que o técnico Muricy Ramalho pretende implantar no time do Santos, nada deu certo. Desconfortável como centroavante, Neymar foi expulso aos 46 minutos do primeiro tempo, após se envolver em confusão com o lateral Artur. Sem reação, o time da Vila Belmiro foi derrotado por 3 a 1 em Moisés Lucarelli, com os gols marcados por Bruno Silva, logo no início do primeiro tempo, e Alemão, duas vezes. André marcou para o Peixe, mas não evitou que a Ponte Preta se consolidasse na liderança do Campeonato Paulista.

Com os três pontos somados no confronto entre os líderes do Estadual, a Ponte se isola com 18 e deixa o Santos só na quarta posição, com 14, e acumulando duas derrotas consecutivas na temporada. O Linense agora é vice-líder e seguido de perto pelo Mogi Mirim. Contando a última temporada, o time de Guto Ferreira acumula dez jogos de invencibilidade, mas não teve tanto trabalho para derrotar os comandados de Muricy, que pouco criaram após a expulsão de Neymar.

O primeiro gol da partida foi marcado aos dez minutos do primeiro tempo, após lançamento preciso do ex-corintiano Cachito Ramírez e conclusão de Bruno Silva. Apático, o Santos levou o segundo de Alemão e só reagiu aos 41 da etapa complementar, com André. Ainda houve tempo para falha de Rafael e mais um da revelação da base santista.

Como o meio de semana será de Libertadores e apenas uma partida adiada do Paulistão (entre São Caetano e São Paulo), Peixe e Macaca voltam a jogar apenas no próximo domingo, às 18h30. Enquanto a Ponte recebe o São Bernardo, em Campinas, o XV de Piracicaba viaja à Vila Belmiro para pegar o Santos.

O jogo

Os primeiros minutos de bola rolando exibiram dois times cautelosos na hora do ataque. A Ponte temia o novo esquema tático do Santos que, por sua vez, não sabia o que esperar de um time que tem como principal característica jogar no erro do adversário. Logo no primeiro lance da partida, o zagueiro Cléber se atreveu a driblar Neymar e tentar o lançamento para Diego Rosa, que sofreu falta de Arouca. Nenhum atacante da Ponte alcançou o lançamento e a bola da primeira chance do jogo saiu pela linha de fundo de Rafael.

O Santos chegou com perigo pela primeira vez quando Durval lançou Léo no campo de ataque e o experiente lateral esquerdo do Peixe, que fazia seu primeiro jogo na temporada 2013 recuperado de uma cirurgia no joelho direito, passou para Neymar, que tocou curto, recebeu de volta de Montillo e finalizou para boa defesa do goleiro da Ponte. Justamente no momento em que o Santos se soltava, mas encarava uma forte marcação da Ponte, o time de Campinas abriu o marcador.

O talentoso peruano Cachito Ramírez foi responsável por levantar a bola na área do Santos, que errou feio na tentativa de fazer linha de impedimento e deixou Bruno Silva livre para concluir na saída de Rafael e abrir o placar no Moisés Lucarelli. A Ponte fazia seu típico jogo naquele momento da partida, marcando forte no meio-campo e deixando Neymar isolado na frente. Com esquema defensivo sólido e sempre abrindo suas jogadas, aproveitou uma desatenção santista para marcar.

A partir do gol da Ponte Preta, que foi marcado aos dez minutos, o Santos buscou o ataque com mais pressa, mas a aposta foi sempre na bola parada de Marcos Assunção. Aos 20, em cobrança de falta, o camisa 20 do Peixe teve o tiro preciso desviado pelo último homem da barreira adversária. Dois minutos depois, o ex-palmeirense levantou na área para Durval aparecer frente a frente a Edson Bastos e obrigar o goleiro da Ponte a praticar uma grande defesa.

Enquanto a Ponte exercia marcação pesada para segurar a vantagem, o Santos batia cabeça e não conseguia nenhuma jogada diferente da bola parada de Marcos Assunção. O novo esquema tático não foi bem compreendido pelos atletas de meio-campo, que se enrolavam na hora de sair jogando e obrigavam Neymar a retornar para buscar a bola. Desconfortável de costas para o gol, o camisa 11 acabou dando dor de cabeça ao técnico Muricy Ramalho ainda no primeiro tempo.

No primeiro dos dois minutos de acréscimo do árbitro Luiz Flábio de Oliveira, Neymar se envolveu em uma confusão dentro da área da Ponte, após falta cometida por Edu Dracena no goleiro Edson Bastos. O camisa 11 do Peixe tentou chutar a bola, mas acertou por acidente o lateral Artur, que reclamou e começou a trocar tapas e provocações com o santista. A solução do árbitro foi segurar o jogo e expulsar os dois jogadores no ato.

De volta para a etapa complementar, o Santos teve André no lugar de Renê Júnior e encontrou uma Ponte Preta ainda mais enclausurada em seu campo de defesa. Montillo chamou a responsabilidade e começou a ser o jogador mais agressivo do time do Santos, mas logo encarou a falta de ritmo e parou e produzir. Com Assunção, Cícero e Arouca pouco produtivos, o Santos parecia ter ainda menos pressa que a Ponte Preta e não produziu nenhuma jogada eficiente.

Coube à Ponte Preta aproveitar a apatia do Santos para marcar o segundo, aos 35 minutos do segundo tempo. Cicinho armou boa chance e deixou Alemão na cara do gol para esperar a saída de Rafael e anotar o dele. Revelação da base do Santos, o reserva de Willian nem comemorou o gol marcado. Com base na velocidade de Patito Rodríguez e Felipe Anderson, o Peixe descontou: André, aos 41 da etapa complementar, para espantar a má fase, mas sem conseguir a vitória.

Nos últimos minutos, com novo árbitro por conta da lesão de Luiz Flávio de Oliveira, Alemão ainda aproveitou uma falha de Rafael na saída do gol para marcar o terceiro e fechar a contagem.

Neymar vê injustiça em expulsão e Muricy aponta exagero do árbitro

“Acho que não era para nenhum dos dois ter sido expulso, porque foi uma jogada normal de choque”, disse o atacante do Santos

O principal lance da vitória por 3 a 1 da Ponte Preta, neste domingo, sobre o Santos, não foi um dos gols de Alemão, mas sim as expulsões de Neymar e Artur, em confusão ocorrida aos 46 minutos do primeiro tempo. Logo na saída do gramado do estádio Moisés Lucarelli, o camisa 11 do Peixe se manifestou contrariamente à expulsão e acabou tendo o discurso acompanhado pelo técnico Muricy Ramalho, que viu ‘exagero’ na marcação do árbitro Luiz Flávio de Oliveira.

“Nem eu sei porque fui expulso. Acho que não era para nenhum dos dois ter sido expulso, porque foi uma jogada normal de choque. Era para ter sido expulso o Cleber, que não foi, mas me deu um tapa. Eu tentei chutar a bola, agora não pode mais fazer isso? Com certeza não merecia ter sido expulso, não acreditei”, explicou Neymar, logo após o recebimento do cartão vermelho que o tira da partida do próximo domingo, contra o XV de Piracicaba.

O lance começou após uma falta cometida pelo zagueiro Edu Dracena no goleiro Edson Bastos, da Ponte Preta. A bola sobrou no meio da área e Neymar tentou afastá-la pela linha de fundo, mas acertou a canela do lateral Artur, que logo lhe deu uma cotovelada nas costas. Para proteger o companheiro, Cleber acertou o rosto de Neymar, que caiu no gramado e foi expulso logo depois, ao lado de Artur.

“Se eu tivesse dado um tapa na cara dele eu teria sido expulso”, justificou o zagueiro Cleber, se isentando de culpa no lance. Nos vestiários do Moisés Lucarelli, o técnico Muricy Ramalho fez questão de comentar o lance das expulsões e apontou um exagero do árbitro, não um erro propriamente dito.

“Foi um pouco exagerado, porque não foi agressão, foi coisa de futebol. Nem o Neymar e nem o Artur praticaram agressão. Mas o árbitro tem seu critério, às vezes quer controlar a partida. Como ele (Luiz Flávio de Oliveira) é acima da média, a gente aceita, porque é seguro, correto e tem seus critérios, temos que respeitar. Foi ruim para o jogo, perdemos bastante com a saída do Neymar”, explicou o comandante.

Após segunda derrota seguida, Muricy fala em acertar o time do Santos

O comandante santista comentou a derrota no estádio Moisés Lucarelli apontando a expulsão de Neymar e a perda de velocidade do time como única culpada pelo resultado final

Em pleno Pacaembu, no feriado de Carnaval, o Santos sucumbiu para o Paulista de Jundiaí. O desafio deste domingo foi mais complicado, mas o resultado acabou sendo o mesmo: 3 a 1 a favor do adversário , a líder Ponte Preta. As duas derrotas seguidas fizeram o time cair da liderança para a quarta posição do Campeonato Paulista e já preocupam o técnico Muricy Ramalho.

Sem demonstrar a mesma irritação da semana passada, o comandante santista comentou a derrota no estádio Moisés Lucarelli apontando a expulsão de Neymar e a perda de velocidade do time como única culpada pelo resultado final. Sobre o 4-5-1, novo esquema tático que adotou e viu fracassar, Muricy preferiu falar pouco.

“Nosso time é muito ofensivo, joga para frente e às vezes se abre. Depois do primeiro gol acabou sendo outro jogo, a gente se abriu. É começo de ano, mas temos que acertar bastante para chegarmos fortes nas finais”, explicou o técnico do Santos, já pensando nas quartas de final do Campeonato Paulista mesmo restando 11 rodadas para a conclusão da primeira fase do Estadual.

Neymar era o único homem do ataque do Santos no primeiro tempo, quando acabou expulso aos 46 minutos. Na etapa complementar, André entrou na vaga de Renê Júnior, mas a equipe praticamente não criou chances de marcar. Com Felipe Anderson e Patito Rodríguez, Muricy tentou dar velocidade ao time, mas a tática também falhou.

“Em relação ao resultado foi justo, porque a Ponte jogou bem. Começamos bem, mas eles foram felizes. Os dois times ficaram presos nas marcações depois das expulsões. A Ponte teve que recuar o Cicinho, um jogador de velocidade, e nós perdemos muito porque o André é pivô. O Santos perdeu mais, ficou sem profundidade e velocidade”, justificou Muricy, contestado pela torcida do Santos após a derrota deste domingo.

Muricy vê Montillo “longe de ser o jogador que esperava”, mas pede paciência

Apesar de atuações abaixo do esperado, técnico lembra que argentino chegou depois e afirma que ainda é jogador que merece que se insista nele

Reforço mais caro da história do Santos, que pagou R$ 16,5 milhões ao Cruzeiro, além dos direitos do volante Henrique, o argentino Walter Montillo ainda não decolou vestindo a camisa 10 do time da Vila Belmiro. Discreto na derrota por 3 a 1 diante da Ponte Preta , neste domingo, o meio-campista reconheceu mais uma má atuação, mas preferiu não falar o termo “má fase”.

“O time todo do Santos foi mal, não existe um culpado ou outro. Temos que trabalhar, porque perdemos um jogo da Ponte Preta em que não fomos mal no primeiro tempo, mas depois não conseguimos virar. Claro que o Neymar faz falta”, comentou o camisa 10, repercutindo a derrota no estádio Moisés Lucarelli e esperando por melhor sorte no próximo domingo, quando a equipe recebe o XV de Piracicaba na Vila Belmiro.

Principal entusiasta da contratação de Montillo como um dos “nomes grandes” que a equipe necessitava para depender menos de Neymar em 2013, o técnico Muricy Ramalho recomenda paciência com o argentino. O discurso do comandante foi bem semelhante àquele utilizado com André, que também não vinha bem no Paulistão e acabou virando reserva de Miralles por conta das más atuações.

“Ele está longe de ser aquele jogador que esperamos”, assegurou Muricy, antes de se aprofundar na análise do futebol pouco convincente do camisa 10: “Para tudo tem explicação: ele chegou faz pouco tempo, menos tempo que os outros jogadores, então está entrando no grupo e entrando em forma aos poucos. É um homem que tem chegar na frente, e isso exige 100% fisicamente. Tem que ter paciência, mas é um jogador que merece que eu insista nele”.

Dracena lamenta derrota e cobra melhora: “Só isso não está dando”

Zagueiro santista disse que a equipe precisa ‘tomar muito dura’ para melhorar o desempenho em campo

A derrota para a Ponte Preta, por 3 a 1, no último domingo, no Estádio Moisés Lucarelli, foi a segunda do Santos no Campeonato Paulista. Após o segundo resultado negativo consecutivo, o zagueiro Edu Dracena lamentou o revés e cobrou uma melhora de rendimento na equipe.

“Fizemos uma boa partida antes de tomar o primeiro gol. Mesmo antes do segundo gol estávamos em cima, mas o time não pode tomar um gol daquele de escanteio, né?”, destacou o capitão do Peixe, se referindo a origem do primeiro gol de Alemão no jogo, em lance de contra-ataque depois de uma cobrança de escanteio a favor dos santistas.

Além do segundo tento anotado pela Macaca, os outros gols campineiros também contaram com falhas do Alvinegro Praiano. No primeiro, Bruno Silva teve liberdade para cabecear e vencer Rafael. No último, o goleiro do Santos errou duas vezes na saída de bola e Alemão aproveitou para a Ponte Preta, decretando o triunfo dos líderes do Paulistão.

Segundo Dracena, erros deste tipo comprometem qualquer exibição e, por isso, o time deve ser cobrado pelo técnico Muricy Ramalho. “Temos de tomar muita dura mesmo e trabalhar bastante, porque só isso não está dando”, disparou.

A derrota levou o Peixe para a quarta posição o Estadual, com 14 pontos. O próximo desafio dos santistas na competição, sem o atacante Neymar, expulso diante da Macaca, será contra o XV de Piracicaba, no próximo domingo, às 18h30 (horário de Brasília), na Vila Belmiro.