Navegando Posts marcados como André Luis

Santos 3 x 0 Internacional

Data: 20/06/2004
Competição: Campeonato Brasileiro – 1º turno – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.669
Renda: R$ 79.509,00
Árbitro: Luís Antônio Silva Santos (RJ)
Auxiliares: João Luís Ribeiro Magalhães (RJ) e Vilmar Raul (RJ)
Cartões amarelos: Bolívar e Wellington (I). Claiton, Ricardinho e Preto Casagrande (S).
Gols: Robinho (12-1), Basílio (36-2) e André Luís (44-2).

SANTOS
Mauro, Paulo César, André Luís, DOmingos e Léo; Claiton, Elano (Preto Casagrande), Diego e Ricardinho; Deivid (Basílio) e Robinho (Luís Augusto).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

INTERNACIONAL
Clemer; Bolívar, Wilson (Cleiton Xavier), Vinícius e Chiquinho; Fernando Miguel, Gavilán, Marabá (Wellington) e Alex; Beto (Oséas) e Dauri
Técnico: Lori Sandri



Santos vence e consolida reação no Brasileiro

O Santos venceu o Internacional por 3 a 0, neste domingo, em partida realizada na Vila Belmiro, em Santos, válida pela décima rodada do Campeonato Brasileiro, e consolidou sua reação no Campeonato Brasileiro.

Após um início irregular, a equipe santista chegou ao seu terceiro jogo sem derrotas. Nas duas última rodadas, o Santos havia empatado com o Atlético-MG por 3 a 3 e vencido o Vitória por 2 a 1.

A retranca esperada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo aconteceu apenas no primeiro tempo, quando o Inter diminuiu os espaços. Mas o time gaúcho acabou levando um gol após cobrança de escanteio.

Na segunda etapa, o Inter, precisando do resultado, abriu mais espaços e permitiu ao Santos marcar mais dois gols.

Com a derrota, o Internacional perdeu a oportunidade de terminar a décima rodada da competição nacional como líder isolado da competição. Os gaúchos permanecem com 17 pontos na tabela de classificação e ocupam a quinta colocação.

O destaque da partida foi o meia Diego, que cobrou o escanteio que originou o primeiro gol do Santos e chutou a bola que acabou sobrando para Basílio, no segundo gol da equipe.

Em um primeiro tempo de muita marcação, o gol santista acabou acontecendo depois de uma bola parada. Aos 13min, Diego bateu escanteio da direita e encontrou Robinho, que subiu livre para cabecear e marcar o primeiro.

No segundo tempo, o técnico Lori Sandri deu mais liberdade ao time do Internacional, colocando o atacante Oséas, mas também criou mais espaços ao time da Baixada Santista. Aos 36min, após assistência de Ricardinho, Diego chutou forte, Clêmer rebateu e a bola sobrou limpa para Basílio, que tinha acabado de entrar, marcar o segundo.

Desanimado, o Inter permitiu mais um gol paulista. Aos 44min, após cruzamento da direita, André Luis subiu sozinho e marcou o terceiro gol do Santos, que selou a vitória.

Santos 3 x 3 São Caetano

Data: 28/03/2004
Competição: Campeonato Paulista – Semifinal – Jogo de Ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda e Público: N/D.
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP).
Cartões amarelos: André Luís, Claiton, Paulo César, Renato, Róbson (S), Anderson Lima, Marcinho (SC).
Cartão vermelho: Gilberto (SC).
Gols: André Luís (34-1, contra), Warley (44-1), Basílio (09-2), Gustavo (17-2, contra), Robinho (37-2), Mineiro (41-2).

SANTOS
Doni; Paulo César, Pereira (Alcides), André Luís, Léo; Paulo Almeida (Basílio), Claiton, Renato, Diego (Lopes); Robinho e Róbson.
Técnico: Emerson Leão.

SÃO CAETANO
Silvio Luiz; Dininho, Gustavo, Serginho; Anderson Lima, Gilberto, Mineiro, Marcelo Mattos, Marcinho (Marco Aurélio); Warley (Triguinho) e Fabrício Carvalho (Euller).
Técnico: Muricy Ramalho.



Em jogo eletrizante, Santos e São Caetano empatam por 3 a 3

Graças a uma substituição no intervalo, o Santos conseguiu sair de uma situação adversa no primeiro tempo e empatou com o São Caetano por 3 a 3, pela partida de ida das semifinais do Campeonato Paulista.

O Santos começou o jogo de forma defensiva, mas só conseguiu o empate, quando voltou às origens e teve um time mais ofensivo. O herói da partida foi o atacante Basílio, que entrou no segundo tempo, no lugar de Paulo Almeida, e participou dos três gols, tendo anotado o primeiro.

No primeiro tempo, o time do ABC mostrou as mesmas armas que vem marcando a equipe nos últimos dois anos: forte marcação e o rápido contra-ataque. Desta forma, o São Caetano soube anular bem as jogadas do rival e conseguiu a vantagem de 2 a 0, com gols de André Luís (contra) e Warley.

Mas, na etapa final, o técnico Emerson Leão mexeu no time e mudou completamente a partida. Basílio entrou no time, deu uma nova movimentação à equipe e comandou a virada. Aos 9min, ele marcou o primeiro, aproveitando cruzamento de Robinho.

O gol incendiou o Santos, que partiu com tudo ao ataque. Após a expulsão de Gilberto, aos 12min, o time conseguiu a virada com gols de Gustavo (contra) e Robinho, após duas jogadas de Basílio. Quando tudo parecia levar à vitória, os visitantes conseguiram o empate com Mineiro, aos 41min, e agora a definição do finalista vai para a partida de volta.

No próximo sábado, as duas equipes realizam a partida de volta, no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano. O vencedor se classifica para a decisão, contra o vencedor de Palmeiras e Paulista, que empataram por 1 a 1, no jogo de ida.



Créditos:
Ficha técnica: Fernando Ribeiro

Santos 8 x 3 União São João

Data: 15/02/2004
Competição: Campeonato Paulista – Primeira Fase – Grupo B – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5 223 pagantes.
Renda: R$ 71 590,00.
Árbitro: Romildo Correia (SP).
Cartões amarelos: André Luís (S); Marcelinho, Luís Henrique e Osmar (U).
Gols: Basílio (04-1), Basílio (20-1), Paulo César (25-1), André Luís (31-1), Alex (35-1), Osmar (39-1), Marcelinho (46-1); Robinho (06-2), Róbgol (11-2), João Paulo (32-2) e Renato (42-2).

SANTOS
Doni; Paulo César, Alex, André Luís, Léo; Claiton, Renato, Diego (Paulo Almeida); Basílio, Robinho (Luís Augusto) e Róbson (Lopes).
Técnico: Emerson Leão.

UNIÃO SÃO JOÃO
Gilvan; Vágner (Roger), Diguinho, Félix, Eduardo (Luís Henrique); Lico, Wilson Matias, Gérson Lente, Marcelinho; Osmar e João Paulo.
Técnico: Arnaldo Lira.



Em jogo de onze gols, Santos faz oito e goleia o União São João

Até Robson marcou. Numa maratona de gols, o Santos goleou o União São João por 8 a 3, neste domingo à tarde, na Vila Belmiro. O resultado mantém o time santista na liderança do grupo 2 do Campeonato Paulista.

Esta foi a sétima partida de Robson com a camisa do Santos. O jogador, que foi contratado para resolver a ausência de um matador no ataque santista, não vinha conseguindo marcar, apesar de ter seu futebol constantemente elogiado pelo técnico Emerson Leão.

Neste domingo, as dificuldades de Robson continuaram até os 11min do segundo tempo. Quando o placar já apontava 6 a 2 para os donos da casa, o Santos teve um pênalti a seu favor. O camisa nove cobrou bem e acabou com sua maré de azar.

Com o resultado, o Santos chegou aos 14 pontos, um de vantagem para o Paulista, vice-líder. Já o União, que sofreu sua quinta derrota em cinco jogos, segue sem pontos e só não está mais ameaçado de rebaixamento devido aos pontos perdidos pelo Oeste.

Muitos gols

O show de gols do primeiro tempo começou logo aos 4min. Robinho lançou Renato pela direita. Sem deixar a bola tocar no chão, o meia cruzou de primeira para Basílio, livre, tocar para o fundo do gol.

Bem no ataque, o Santos deu muito espaço para o ataque do União. E, aos 15min, a equipe de Araras quase empatou. Wilson recebeu dentro da área, pelo lado esquerdo e, quase sem ângulo, bateu forte. Doni salvou o time da Vila.

Depois desse lance o Santos começou seu passeio. Aos 20min, após boa troca de passes, Robinho lançou Paulo César. O lateral cruzou rasteiro, para trás, e Basílio, de primeira, marcou seu segundo gol na partida, ampliando a vantagem santista.

A equipe de Araras voltou a ameaçar aos 22min. Marcelinho chutou de fora da área e acertou o travessão de Doni. Três minutos depois, o Santos marcou o terceiro. Paulo César cobrou falta pela direita, direto para o gol, enganando o goleiro Gilvan.

Aos 31min, o Santos fez o quarto gol. Diego deu linda assistência para Claiton. O meia bateu de virada e Gilvan mandou para escanteio. Após a cobrança, a bola foi desviada para o segundo pau e André Luís marcou.

Com tanta facilidade, faltava o primeiro gol de Robson com a camisa do Santos. Aos 35min, a bola foi cruzada da esquerda, o camisa nove desviou de cabeça e Gilvan defendeu. O goleiro, porém, falhou e largou nos pés de André, que fez o quinto santista.

No final, o União reagiu e marcou seus dois primeiros gols. Aos 39min, com a zaga do Santos ainda dando espaços, Osmar foi lançado livre, driblou o goleiro Doni, já fora da grande área, e tocou para o fundo do gol.

O Santos ainda teve boa chance, aos 43min, num chute de Robinho defendido por Gilvan. E, aos 46min, saiu o segundo gol da equipe de Araras. Marcelinho cobrou falta, Doni ainda tocou na bola, mas não evitou o gol.

Se o Santos se desligou nos minutos finais do primeiro tempo, o intervalo voltou a ligar a equipe da Vila Belmiro. E, aos 6min, Diego deu linda assistência para Robinho, que tirou um marcador da jogada com categoria e marcou um golaço.

O sétimo gol não demorou para sair. Aos 10min, Basílio foi lançado na área, pela direita e acabou empurrado por um marcador do União. A cobrança ficou com Robson. Aos 11min, o atacante bateu rasteiro, tirando Gilvan da bola, e fez mais um para o Santos.

Após o gol de Robson, o Santos tirou o pé do acelerador. E o União conseguiu chegar ao terceiro gol. Aos 32min, o veterano João Paulo aproveitou-se da moleza da zaga santista, recebeu livre, driblou Doni e marcou o seu.

O Santos voltou a chegar com perigo aos 39min. Basílio recebeu livre e, na saída do goleiro Gilvan, tocou por cobertura. A bola saiu por pouco. E, aos 42min, Renato fez o seu. O meia recebeu na direita, driblou um zagueiro do União e chutou forte, fazendo outro belo gol.



Créditos:
Ficha técnica: Fernando Ribeiro

Coritiba 0 x 4 Santos

Data: 25/10/2003, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 39ª rodada
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS)
Cartões amarelos: Neném, André Luís (S), Williams, Nivaldo (C)
Gols: Robinho (22-1) Léo (35-1); Robinho (06-2) e André Luís (23-2).

CORITIBA
Fernando; Ceará, Edinho Baiano, Nivaldo e Adriano; Williams, Roberto Brum (Helinho), Jackson e Djames (Souza); Edu Salles (Lima) e Marcel
Técnico: Paulo Bonamigo

SANTOS
Fábio Costa; Neném (Reginaldo Araújo), Pereira, André Luís e Léo; Paulo Almeida (Daniel), Renato, Elano e Diego (Narciso); Robinho e Fabiano
Técnico: Emerson Leão



Santos, inspirado, goleia Coritiba fora de casa por 4 a 0, na volta de Narciso

O Santos parece ter reencontrado o futebol que encantou milhares de torcedores em 2002, quando sagrou-se campeão brasileiro. Com uma bela apresentação na tarde deste sábado, a equipe goleou o Coritiba por 4 a 0 em pleno estádio Couto Pereira.

Foi a segunda goleada consecutiva da equipe santista fora de casa no Campeonato Brasileiro. Na rodada passada, o time bateu o Bahia por 7 a 4 em Salvador. Com o resultado, o Santos chegou aos 73 pontos, se distanciou ainda mais do Coritiba, com 65 pontos na terceira posição, e diminuiu a diferença para três pontos do líder Cruzeiro (o time mineiro ainda jogaria neste sábado à noite, em casa, contra o Figueirense).

Como esperado, o Coritiba tomou a iniciativa da partida. O Santos, por sua vez, mesmo com dificuldades em sair jogando foi para o ataque. As equipes haviam criado poucas chances até o Santos, mais perigoso em suas descidas, abrir o placar com Robinho, aos 22min, aproveitando bobeira do zagueiro Ceará.

O time do litoral paulista continou melhor após o gol e conseguiu ampliar aos 35min, com Léo. Foi quase um replay do primeiro gol, mas desta vez a jogada saiu dos pés de Diego, que deixou o lateral-esquerdo em boas condições de marcar.

No segundo tempo, o Coritiba veio com toda a força para cima dos santistas e por pouco não abriram o placar. Mas o Santos tinha Robinho. O atacante fez uma jogada genial, no primeiro ataque do alvinegro na etapa final , e ampliou para os santistas, marcando um golaço aos 6min. André Luís, de falta, fechou a goleada aos 23min.

Para completar a festa, Narciso, depois de quatro anos afastado dos gramados devido a uma leucemia, entrou no jogo no lugar de Diego, aos 38min.

O jogo

O primeiro lance da partida aconteceu antes do primeiro minuto de jogo. Elano recebeu passe na direita, na entrada da área, dominou e chutou. O goleiro Fernando teve trabalho para defender, mas conseguiu evitar o gol santista ao cair no canto esquerdo e agarrar a bola.

Na sequência, contra-ataque rápido do time paranaense e, após cruzamento da direita, Edu Salles cabeceou com perigo contra a meta de Fábio Costa, assustando o goleiro santista.

O Coritiba apertou, mas as jogadas de ataque não eram aproveitadas. Com isso, quem quase marcou foi o Santos. Aos 12min, Robinho tabelou com Diego na entrada da grande área, pela direita, e arriscou. O chute, entretanto, saiu muito alto.

O Santos era mais perigoso em suas descidas. Aos 22min, Ceará marcou bobeira na esquerda, em seu campo de defesa, e Robinho ficou a bola. O atacante santista invadiu a área e tocou rasteiro, na saída de Fernando: 1 a 0.

Os paranaenses quase chegaram ao empate aos 27min. Djames, sem marcação na grande área, chutou forte, cruzado, e Fábio Costa espalmou para frente. Para sorte dos santistas, ninguém do Coritiba conseguiu aproveitar o rebote.

Aos 33min, após cobrança de falta em dois lances, Neném arriscou de fora da área, pela esquerda, e o goleiro Fernando, com a visão comprometida devido ao grande número de jogadores em sua frente, quase foi surpreendido. A bola passou à sua esquerda, próxima à trave do goleiro paranaense.

O Santos pressionou e chegou ao segundo gol aos 35min. Diego abriu para Léo na esquera. O lateral ganhou na velocidade da marcação, invadiu a área e chutou rasteiro, cruzado, na saída de Fernando: 2 a 0.

A equipe santista ainda teve boa chance de ampliar aos 41min e aos 45mi, em cobranças de falta. Na primeira, Elano chutou forte, da intermediária, por cima do gol. Na segunda, Diego, da entrada da área, pela esquerda, cobrou por cima do travessão.

O jogo começou quente no segundo tempo. Antes do primeiro minuto de jogo, a torcida paranaense pediu pênalti de Léo em cima de Helinho, que havia entrado no lugar de Roberto Brum. O árbitro gaúcho Leonardo Gaciba da Silva mandou o jogo seguir, para indignação dos torcedores coxa-branca.

Aos 2min, Souza, que foi paa o jogo em substituição a Djames, fez boa jogada na entrada da área, pela esquerda, e chutou forte. O lance já estava sendo paralisado devido ao impedimento do ataque do Coritiba.

Os donos da casa continuaram a pressionar. Aos 4min, Marcel chutou de fora da área e a bola passou muito perto do gol santista.

De repente, na primeira vez que o Santos conseguiu encaixar um contra-ataque, Robinho apareceu e fez um golaço, aos 6min. Após receber bola fora da área, pela esquerda, ele ameaçou tocar para Léo, tirou dois marcadores do Coxa da jogada, invadiu a área e, na saída de Fernando, encobriu o goleiro do time paranaense.

O Santos ampliou aos 23min. Andre Luís cobrou falta da entrada da área, a bola desviou na barreira e enganou o goleiro Fernando, entrando no canto esquerdo do goleiro do time coxa-branca. Era o quarto dos santistas.

O Coritiba, por sua vez, não desanimou e partiu para cima tentando diminuir a diferença. Lima, que havia acabado de entrar no lugar de Edu Salles, carregou bola sem marcação na entrada da área e chutou forte. A bola explodiu no travessão de Fábio Costa.

Narciso entrou no lugar de Diego aos 38min e em sua primeira participação, pelo lado direito, chutou a bola na trave. Elano, aos 41min, cobrou falta de longe, a bola desviou na barreira e quase entrou no gol. Seria o quinto gol.

Após cobrança de escanteio na sequência, Robinho chutou cruzado e Narciso, livre na direita, colocou o pé no meio. A bola passou perto do travessão.

Santos 2 x 1 Vasco

Data: 26/07/2003, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público:
Renda:
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa RS)
Auxiliares: José C. da Silva Oliveira (Fifa RS) e Paulo R. Silva Conceição (RS)
Cartões amarelos: André Luís (S) e Ely Thadeu (V).
Gols: Marcelinho Carioca (10-2), André Luís (21-2) e Daniel (34-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Reginaldo Araújo, Preto, André Luís e Léo; Daniel, Renato, Elano e Jerri (Júlio César); Nenê e Ricardo Oliveira (Douglas).
Técnico: Emerson Leão

VASCO
Fábio; Wellington Monteiro, Fabiano, Wellington Paulo e Ozéia; Da Silva, Rodrigo Souto, Bruno Lazaroni (Morais) e Beto (Léo Borges); Marcelinho Carioca e Donizete (Ely Thadeu).
Técnico: Mauro Galvão



Santos sofre, mas vence o Vasco de virada na Vila Belmiro

Depois de desperdiçar muitas oportunidades e levar um gol, o Santos se recuperou e virou para cima do Vasco, vencendo por 2 a 1, neste sábado, na Vila Belmiro, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, a equipe santista chega aos 41 pontos ganhos e empata com o São Paulo na segunda colocação, mas com um jogo a menos que o rival tricolor. Além disso, o time não perdeu há quatro jogos, já que vem de vitórias sobre Ponte Preta e Fluminense, além do empate diante do Goiás.

Já o Vasco permanece com 25 pontos ganhos e quebra uma pequena série de duas partidas invicto, já que vinha de uma vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio e um empate por 0 a 0 com o Figueirense.

O Santos volta a campo na quarta-feira, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, às 20h30, em jogo atrasado da 14ª rodada. Pela 23ª rodada, o time santista terá pela frente o Grêmio, sábado, no Olímpico. Já o Vasco joga apenas no próximo domingo, contre o Atlético-PR, em São Januário.

O jogo

Com sobras, o Santos dominou por todo o primeiro tempo. Logo no início, André Luís, aos 7min, arriscou de fora da área e acertou o travessão. Dois minutos depois, Elano recebeu de Nenê, se livrou da marcação e bateu rasteiro. Mesmo travado pelo zagueiro, a bola tocou na trave direita.

O time da casa tocava a bola com facilidade até a intermediária, mas não conseguia finalizar com perigo ao gol do Vasco. Depois de uma queda no ritmo de jogo, o Santos foi para cima no final do primeiro tempo e quase marcou.

Aos 36min, Elano recebeu dentro da área e fez o pivô para Daniel, que bateu por cima do gol. No minuto seguinte, Elano puxou contra-ataque pela esquerda, driblou Da Silva já dentro da área e bateu cruzado, para fora.

A última boa chance aconteceu aos 38min, novamente com Elano. O meia entrou com liberdade pela esquerda e cruzou para Ricardo Oliveira, que passou da bola. Nenê pegou a sobra e chutou forte, por cima do gol.

O Santos voltou para o segundo tempo apostando no ataque, mas dava espaços para o Vasco aproveitar os contragolpes.

E foi assim que o time carioca abriu o placar. Logo aos 10min, Morais virou o jogo da direita para esquerda para Marcelinho Carioca. O meia pegou de primeira, de canhota, e mandou no ângulo esquerdo de Júlio Sérgio, marcando um golaço na Vila Belmiro.

Mesmo depois do gol, o time santista não mudou sua maneira de jogar e chegou ao empate aos 21min. Elano lançou Ricardo Oliveira, que tocou para o zagueiro André Luís, em posição duvidosa. Ele entrou livre e tocou no canto direito, na saída de Fábio, para empatar a partida.

Aos 28min, Marcelinho assustou novamente a torcida santista. O meia cobrou falta com veneno e obrigou o goleiro Júlio Sérgio a fazer boa defesa no canto direito.

Três minutos depois, o Santos quase marcou. Nenê cobrou escanteio da esquerda, André Luís desviou e Preto, de cabeça, acertou o travessão.

Mas aos 34min, a torcida santista foi ao delírio. Daniel pegou sobra da defesa e, da entrada da área, soltou a bomba, acertando o ângulo direito e virando o placar para o Santos. Foi o primeiro gol do jogador na equipe profissional.

Depois da virada, o Santos continuou no campo de ataque, tocando a bola e buscando espaços para finalizar. Mesmo sem conseguir marcar, a equipe santista conseguiu sua 12ª vitória no Brasileiro.