Navegando Posts marcados como Arena do Grêmio

Grêmio 1 x 2 Santos

Data: 28/04/2019, domingo, 11h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 32.318 pagantes (34.291 presentes)
Renda: R$ 1.371.049,00
Árbitro: Bruno de Araújo (RJ)
Assistentes: Rodrigo Corrêa (Fifa) e Thiago Henrique Neto (RJ).
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda, auxiliado por Marcelo de Lima Henrique e Michael Correia (todos do RJ).
Cartões amarelos: Kanemmann e Maicon (G); Alison, Diego Pituca e Derlis Gonzáles (S).
Cartão vermelho: Derlis Gonzáles (S).
Gols: Eduardo Sasha (05-1); Felipe Jonatan (34-1); Everton (47-2).

GRÊMIO
Paulo Victor; Léo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez, Maicon, Matheus Henrique, Alisson (Diego Tardelli) e Jean Pyerre (Luan), Everton e André.
Técnico: Renato Portaluppi

SANTOS
Vanderlei; Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Lucas Veríssimo; Victor Ferraz, Diego Pituca, Jean Lucas (Carlos Sánchez), Felipe Jonatan; Jean Mota (Alison); Soteldo e Eduardo Sasha (Derlis González).
Técnico: Jorge Sampaoli



Vanderlei brilha, Santos vence Grêmio e inicia Brasileiro com pé direito

O Santos derrotou neste domingo o Grêmio por 2 a 1 na Arena pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Usando o esquema 3-5-2, o técnico Jorge Sampaoli impôs muitas dificuldades ao Tricolor Gaúcho, que não soube marcar a boa movimentação de Soteldo e Eduardo Sasha. Apesar das mudanças, o time da casa não teve forças para reagir e parou nas mãos do goleiro Vanderlei. Sasha e Felipe Jonatan fizeram para o Peixe, enquanto Everton descontou para os gaúchos.

O jogo

Antes do jogo uma homenagem do Grêmio ao superintendente do clube, Antônio Carlos Verardi, que faleceu nessa semana. Houve aplausos de pé da torcida gremista ao dirigente que trabalhou por 54 anos no Tricolor Gaúcho.

Um começo de partida muito truncado na Arena. Na sua primeira chegada ao ataque o Peixe surpreendeu os donos da casa, aos 5, o ex-atacante do Internacional, Eduardo Sasha, marcou um lindo gol em uma finalização sem chance para Paulo Victor.

O Peixe teve domínio das ações do jogo e continuou chegando com perigo ao gol de Paulo Victor. Aos 10, Jean Mota arriscou de fora da área e o arqueiro defendeu. Por sua vez, os donos da casa não conseguiram se encontrar em campo. Sasha e Soteldo se movimentaram muito no setor ofensivo e confundiram a marcação gremista.

Na tentativa de buscar o empate, o Tricolor Gaúcho levantou muita bola na área, porém a defesa do Santos se portou bem. Finalmente o Grêmio fez o goleiro Vanderlei trabalhar. Aos 25, Jean Pyerre mandou uma bomba de área e o arqueiro santista faz linda defesa. Dois minutos depois a resposta do Peixe, Soteldo driblou Maicon e finalizou rasteiro. Paulo Victor segurou firme. Aos 29, Léo Gomes chutou na grande área, e Vanderlei defendeu. Felipe Jonatan mandou para escanteio.

Se aproveitando de uma bobeira do sistema defensivo dos mandantes, aos 34, Soteldo cobrou escanteio, Paulo Victor saiu de soco, e Felipe Jonatan pegou o rebote e finalizou para o fundo da rede. O ataque gremista está bem vigiado pelos defensores do Peixe. Aos 44, André marcou para o Grêmio, mas o impedimento foi marcado. Avisado pelo árbitro de vídeo, Bruno Araújo confirmou anulação do gol.

A etapa inicial mostrou um Santos que jogou de forma ofensiva principalmente através de Sasha e Soteldo que deram trabalho a Geromel e Kannemann. O Peixe soube controlar o ímpeto gremista anulando as suas principais jogadas.

Com objetivo de reagir no confronto, o Grêmio avançou a marcação nesse retorno do segundo tempo. Apesar disso, os visitantes se mostram perigosos quando chegam à frente. Aos 06, Felipe Jonatan aproveitou o rebote e mandou uma bomba de fora da área. Paulo Victor defendeu com tranquilidade.

Para ganhar mais força ofensiva o técnico Renato Portaluppi sacou Alisson para a entrada de Diego Tardelli. No contra-ataque, aos 13, Tardelli cobrou escanteio, Jean Pyerre se atrapalhou e Soteldo acionou Jean Lucas que finalizou por cima, perdendo a chance de ampliar.

Liso e rápido, Soteldo levou vantagem pelo direito de defesa do Grêmio. Aos 16, Tardelli finalizou de fora da área e Vanderlei fez ótima defesa. Passado mais de 20 minutos, o Santos conseguiu controlar as ações ofensivas do Grêmio. Aos 26, Luan finalizou da entrada da área e fez ótima intervenção. Renato partiu para o tudo ou nada sacou o lateral-esquerdo Cortez para a entrada do centroavante Felipe Vizeu.

Não conseguindo entrar na área santista, o Tricolor Gaúcho apostou nas cobranças de falta e bola parada. Aos 29, Luan cobrou falta e Vanderlei espalmou. Aos 30, cruzamento na área, Lucas Veríssimo cortou para trás e quase fez contra.

Com espaços generosos no contra-ataque por pouco o Peixe não fez o terceiro, aos 36, Felipe Jonatan recebeu de Alison e finalizou. A bola passou por cima do gol e levou muito perigo para Paulo Victor. Realmente hoje não está sendo o dia do Grêmio, aos 37, Everton finalizou e Vanderlei segurou firme. Aos 38, Felipe Vizeu cabeceou na pequena área, mandou para fora. Aos 39, sensacional o arqueiro do Santos. Três defesas sem sequência nos chutes de Tardelli e André(duas vezes).

Mesmo com a insistência a bola não entrou em favor do Grêmio. Aos 43, André dá uma bicicleta, a bola bateu na trave. Na sequência, Tardelli chutou e Vanderlei defendeu. Assim o Peixe segurou o resultado estreando com pé direito na competição. No apagar das luzes o atacante Everton passou por Gustavo Henrique, finalizou cruzado e bateu sem chance para Vanderlei.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli explica estratégia contra o Grêmio e elogia atuação do Santos

Jorge Sampaoli se mostrou bastante satisfeito com a atuação do Santos na vitória sobre o Grêmio, em Porto Alegre, na estreia do Campeonato Brasileiro. Depois de promover uma mudança no time e entrar em campo com três defensores, o treinador argentino não só elogiou a atuação, principalmente no primeiro tempo, como rasgou elogios ao time do Grêmio.

“Nós nos adiantamos no jogo, primeiro tempo tivemos controle do jogo, não sofremos. Fomos contundentes na hora de atacar. Se eles tivessem feito o gol antes, nos obrigaria a dar espaço, mas jogamos dentro da nossa ideia”, disse. “Feliz por eles e porque começamos com uma vitória num lugar muito difícil contra o melhor time do Brasil”, completou Sampaoli.

“O Santos tem mostrado que possui um grande grupo e grande jogadores em todas as posições. Hoje tivemos mudanças e todos que entraram em campo deram conta do recado. A gente propôs, fizemos um grande jogo. Acho que poderíamos ter sofrido menos até, porque tivemos chances de matar o jogo. Mas o importante é somar os três pontos e começar bem o campeonato fora de casa”, disse Vanderlei.

Escolhido por Sampaoli para ser o titular na estreia do Brasileiro, depois de um rodízio com Everson entre Campeonato Paulista e Copa do Brasil, Vanderlei desconversou sobre a titularidade. “A gente faz o nosso melhor dia a dia e trabalha muito”, completou.

Após vitória do Santos, Sampaoli fala em “romper paradigmas” no futebol

“Romper paradigmas”. Esse é o objetivo de Jorge Sampaoli no Santos e no futebol brasileiro. Neste domingo, após a vitória do Peixe sobre o Grêmio por 2 a 1 pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro, o treinador argentino explicou suas motivações para trabalhar em solo brasileiro e exaltou o alto nível do duelo com o Tricolor Gaúcho, considerado pelo próprio o melhor time do Brasil.

“Chegamos ao Santos e não importa que jogadores venham, nossa característica é ser um time valente, onde quer que seja e em qualquer circunstância. Nós sabíamos com que equipe iríamos jogar hoje. Demos um passe importante. Ganhar aqui torna possível ganhar em todos os lados”, disse Sampaoli.

“Temos que seguir insistindo (na ideia). Não quero renunciar a um estilo que me fez vir ao Brasil. A ideia é de muito tempo atrás, quero repetir e aproveitar o futebol brasileiro para submeter o rival. Todo o tempo tem de ser para aliviar a pressão e pensar no gol adversário para ter êxito. Romper paradigmas é o que me traz aqui”, completou o treinador do Santos.

Sasha comemora primeiro gol no ano contra o “velho conhecido” Grêmio

Grande novidade de Jorge Sampaoli na escalação do Santos que venceu o Grêmio por 2 a 1 pela estreia do Campeonato Brasileiro, Eduardo Sasha desencantou em 2019 justamente contra o Tricolor Gaúcho, seu velho conhecido dos tempos em que vestia a camisa do Internacional. Ainda na Arena, o atacante comemorou o reencontro com as redes depois de ser preterido no início da temporada.

“Fazer gol sempre é bom, sempre positivo. Fico feliz de voltar a marcar. O professor (Sampaoli) viu bastante vídeos deles e fez uma estratégia para a gente anular. A gente vem sendo feliz e aproveitando as oportunidades”, disse Sasha, que marcou seu primeiro gol em 12 jogos que foi escalado na atual temporada.

E o gol de Sasha saiu justamente contra um time que o próprio conhece muito bem: o Grêmio. Com passagem pelo Internacional e com um histórico de polêmicas com o Tricolor, o atacante teve seu nome vaiado quando anunciado pelo sistema de som e teve de sobreviver com as provocações vindas das arquibancadas até abrir o placar ainda no primeiro tempo.

O estopim para a relação conturbada entre o Grêmio e o agora atacante do Santos começou em 2016, na conquista do Campeonato Gaúcho pelo Internacional. Na época, Sasha comemorou um dos gols na decisão, contra o Juventude, dançando valsa com a bandeira de escanteio, em alisão ao jejum que o Tricolor vivia na época de 15 anos sem conquistar um título nacional.

“Com certeza a gente ouve vaias, xingamentos. Pelo jeito eles ficaram magoados até hoje com o que aconteceu”, brincou Sasha.

Sampaoli confirma Vanderlei como titular no Brasileiro

A indefinição quanto ao goleiro titular do Santos para o Campeonato Brasileiro permaneceu até a escalação divulgada por Jorge Sampaoli para o confronto com o Grêmio, no último domingo, que terminou com vitória do Peixe por 2 a 1. E Vanderlei, o escolhido do treinador, fez valer a titularidade, sendo o herói do triunfo ao ponto de ser confirmado como o dono da meta no restante da competição.

Após a partida, em sua entrevista coletiva, Sampaoli elogiou muito a atuação e confirmou a escolha por Vanderlei em relação a Everson, mas anunciou a permanência do rodízio, com o recém-chegado atuando nas partidas da Copa do Brasil.

“Temos de tomar decisões todo tempo. Seguramente Everson seguirá na Copa do Brasil, e Vanderlei estará no Brasileirão. Vanderlei teve uma atuação que ajudou muito o time. Isso o consolida como o goleiro de sua história”, disse o treinador argentino.

No duelo em Porto Alegre, o Santos teve um primeiro tempo de domínio sobre o Grêmio, controlando as principais ações ofensivas e abrindo 2 a 0. Na segunda etapa, no entanto, os donos da casa melhoraram, principalmente depois das mudanças promovias por Renato Portaluppi, e passaram a assustar. Foi aí que Vanderlei deu início a sua atuação de gala, fazendo no mínimo cinco grandes intervenções.

“A gente tentou situar os jogadores que estavam com mais capacidade, vinculado ao esforço do jogo anterior. Não sei se o Renato se surpreendeu pelos jogadores ou pelo sistema. A ideia era jogar a partida com a valentia que fez o time, mas fizeram ainda melhor”, analisou Sampaoli, que ainda explicou as mudanças na equipe e a entrada com três zagueiros.

“Sobre as mudanças, tem de ver os atletas preparados para cada partida. O plantel que a gente tem, temos 25 jogadores preparados para jogar. Hoje o Felipe Jonatan jogou porque precisávamos dessa característica. Hoje descobri que posso contar com todos”, finalizou.


Grêmio 5 x 1 Santos

Data: 06/05/2018, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 27.844
Renda: R$ 822.966,00
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Auxiliares: Cleberson do Nascimento Leite e Marcelino Castro de Nazare (ambos do PE).
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Dodô e Alison (S).
Gols: Maicon (30-1), Jean Mota (32-1) e Everton (46-2); Maicon (09-2), André (24-2) e Arthur (34-2).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Léo Moura (Madson), Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez (Marcelo Oliveira); Maicon, Arthur, Ramiro, Luan e Everton; André (Jael).
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Léo Cittadini (Copete) e Jean Mota; Eduardo Sasha, Rodrygo (Vitor Bueno) e Gabriel (Arthur Gomes).
Técnico: Jair Ventura



Retranca não funciona, e Santos é goleado pelo Grêmio

O Grêmio goleou o Santos por 5 a 1 na noite deste domingo, em sua arena, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor superou a retranca do Peixe com tranquilidade e marcou com Maicon (2), Everton, André e Arthur. O de honra foi de Jean Mota.

Os gaúchos dominaram o jogo desde o início e viram um alvinegro de certa forma covarde, tentando se defender e se desfazendo da bola com rapidez. No primeiro tempo, o Santos perdeu “apenas” por 2 a 1. Na segunda etapa, com a mesma postura, os visitantes sucumbiram à pressão.

O Grêmio, insaciável, tentou aumentar a goleada a todo tempo. O Santos, nocauteado, tentou não ser humilhado. A derrota teve gritos de olé desde cedo e até uma discussão calorosa entre os companheiros Vanderlei e Alison.

O jogo:

O Grêmio teve domínio total nos primeiros 48 minutos de jogo. A postura do Santos, desde o pontapé inicial, ficou clara: defender e tentar se contra-atacar. O problema foi uma retranca incompetente e a dificuldade para trocar três passes consecutivos quando a bola, poucas vezes, ficou nos pés dos alvinegros.

Com o Peixe quase todo na defesa, o Tricolor teve calma para rodar a bola e tentar encontrar espaços. Em boa parte da etapa inicial, a saída foi finalizar de fora da área. Com o tempo, porém, os atalhos foram encontrados, principalmente depois do primeiro gol. E um golaço. Aos 30 minutos, Maicon recebeu na intermediária ofensiva. O capitão teve tempo para dominar, olhar pensar e… brilhar. Um chute indefensável, no ângulo de Vanderlei.

Ao tomar o gol, o alvinegro teve que abdicar de sua postura conservadora. Mas durou pouco. Dois minutos depois, Rodrygo acelerou e Léo Cittadini tocou para Jean Mota achar um gol. O meia chutou fraco, com a perna direita (ruim) e contou com o desvio em Kannemann para pegar Marcelo Grohe no contrapé.

Com a igualdade no placar, o Santos poderia ter tentado incomodar mais o Grêmio, mas voltou para a estratégia inicial: se defender. E não deu certo: O Grêmio empilhou chances, viu Luan acertar o travessão, e aos 46 minutos, a justiça foi feita, quando Everton recebeu de Léo Moura na área e deslocou Vanderlei. Alison e Lucas Veríssimo não foram bem na jogada.

Depois de perder por pouco no primeiro tempo, o Santos sucumbiu na segunda etapa. A conversa no vestiário deve ter sido a mesma da preleção e, mesmo com a desvantagem, a postura foi a mesma: tentar se defender e atacar quando der.

O Grêmio, insaciável, ampliou novamente com Maicon, em cobrança de falta perfeita aos 9 minutos. Sem qualquer indício de reação, o Peixe tinha um novo objetivo: não ser goleado. E a missão não foi alcançada. Depois de várias chances criadas, André fez valer a ‘Lei do Ex’ e empurrou após passe de Luan aos 24 minutos. E aos 34′, Arthur, com todo o espaço do mundo, deslocou Vanderlei em mais uma tentativa de fora da área.

Em todo esse tempo relatado acima, o Santos foi incapaz de criar uma chance clara de gol. E a jogada do quarto do Grêmio resume o que foi a partida, com gritos de olé desde cedo: Daniel Guedes invadiu a área e chutou o chão. Na sequência, contra-ataque concluído por André.

Nos minutos finais, o Peixe, nocauteado, correu o risco de uma goleada histórica. O Grêmio, melhor time do futebol brasileiro, teve o luxo de preservar Léo Moura, Bruno Cortez e André. O alvinegro tentou melhorar com as entradas de Copete, Arthur Gomes e Vitor Bueno, mas não melhorou. Nem perto disso.

Jair nega vexame, mas admite noite ruim do Santos após goleada

O Santos foi goleado por 5 a 1 pelo Grêmio neste domingo, em Porto Alegre, mas Jair Ventura não acredita que tenha sido um vexame. O técnico, porém, admitiu a noite ruim do Peixe.

“Foi um jogo onde uma equipe fez uma excelente partida e nós não fizemos. Todo mundo tem a liberdade de expressão, mas vejo placar elástico de uma equipe com treinador há muito tempo, e em contrapartida o Santos longe de seu melhor jogo. Não acho que seria essa palavra (vexame), mas você (repórter) tem total liberdade de falar”, disse Jair, em entrevista coletiva.

O treinador não achou que errou em sua estratégia de jogo, de marcar bem e buscar contra-ataque. Na visão de Jair, o Peixe já venceu assim em outras oportunidades.

“Sobre a estratégia, foi a mesma de quando ganhamos, mas hoje não deu certo por uma noite muito boa do Grêmio e uma não boa do Santos. Poderíamos ter saído com outro placar, poderia ter sido diferente, agora é fácil falar. Temos que fazer diferente na próxima oportunidade”, completou.

Braz “elogia” discussão entre Vanderlei e Alison após goleada e critica arbitragem

A goleada por 5 a 1 para o Grêmio neste domingo, em Porto Alegre, causou até uma discussão entre companheiros do Santos. Vanderlei e Alison bateram boca de forma calorosa pouco antes do apito final.

Capitão, David Braz viu o lado bom da discussão entre os santistas. A reportagem do SporTV tentou ouvir Vanderlei, mas o zagueiro pediu para falar no lugar do camisa 1.

“Às vezes acontece isso pelo resultado e jogo ruim. Faz parte. São grandes amigos. É até bom por ninguém estar contente com o resultado. Vamos nos cobrar e o resultado diz tudo”, disse o camisa 14.

Braz elogiou o futebol do Grêmio e admitiu a inferioridade do Santos nessa partida, mas também reclamou da arbitragem de Pericles Bassols Pegado Cortez (PE).

“Grêmio vem jogando bem, tem o fator casa, mas tem a ajudinha da arbitragem também. Pelo amor de Deus. Gol de falta no Maicon não foi. André grita e é falta. Grêmio se animou com esse gol e a gente saiu para a frente, tentou ir para cima e aproveitaram o contra-ataque. Agora tem que ter cabeça fria, é difícil, e teremos decisão na Copa do Brasil”, concluiu o defensor.

Presidente do Santos apoia Jair e promete reforços para ajudá-lo

A derrota por 5 a 1 para o Grêmio não faz o Santos cogitar a demissão de Jair Ventura. Pelo contrário. O presidente José Carlos Peres e os demais dirigentes aprovam o trabalho do técnico e veem parcela de culpa nas dificuldades neste início de temporada.

A principal dívida com Jair é a ausência de um meia para substituir Lucas Lima. E esse armador só virá depois da Copa do Mundo, a partir de julho, na reabertura da janela internacional de transferências e a retomada do futebol no país.

“Não há nenhuma possibilidade de demissão”, disse Peres, em rápido contato com a reportagem da Gazeta Esportiva, antes de responder o que pode fazer para ajudar Jair Ventura.

“Reforços! Mas dependemos da janela se desejarmos qualidade”, completou o presidente, indicando que as soluções não virão do mercado nacional.

O Comitê de Gestão do Santos se reunirá na noite desta segunda-feira, na Vila Belmiro, para tratar de reforços e outros assuntos. A ideia é definir os alvos e encaminhar as negociações. Um volante, um meia e um centroavante estão nos planos. Até o momento, Dodô, Gabigol e Eduardo Sasha, três titulares, foram contratados.

Uma das preocupações do Peixe é a postura do elenco nas derrotas para o Nacional-URU e Grêmio. A apatia é vista como incomum, além da discussão em campo entre Vanderlei e Alison e a cera feita pelos atletas desde os primeiros minutos. Uma conversa da diretoria com os jogadores está prevista para os próximos dias.



Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 30/07/2017, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 32.251
Renda: R$ 1.059.399,00
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Neuza Ines Back (ambos de SC).
Cartões amarelos: Edílson, Geromel, Maicon e Ramiro (G); David Braz, Yuri, Vanderlei, Thiago Ribeiro e Lucas Lima (S).
Cartões vermelhos: Edílson (G).
Gols: David Braz (44-1) e Fernandinho (47-1).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon, Ramiro, Fernandinho, Everton (Arroyo, 29’/2ºT; Jailson, 44’/2ºT) e Pedro Rocha; Luan.
Técnico: Renato Portaluppi

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz (Daniel Guedes, 46’/2ºT), Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Yuri, Alison (Leandro Donizete, 35’/2ºT) e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Thiago Ribeiro, 25’/2ºT).
Técnico: Levir Culpi



Santos segura pressão do Grêmio e arranca empate em Porto Alegre

Grêmio e Santos fizeram um típico duelo de ataque contra defesa neste domingo, em Porto Alegre. O Peixe, atuando fora de casa, até começou bem a partida, mas passou a ser completamente dominado após os minutos iniciais. Mesmo assim, o time comandado por Levir Culpi abriu o placar com David Braz ainda no primeiro tempo. Porém, a alegria dos santistas durou pouco, afinal, Fernandinho empatou na sequência. Já na segunda etapa, mesmo sem fazer um jogo brilhante, o alvinegro conseguiu segurar o ímpeto gremista e arrancou um empate na Arena.

Com a igualdade, Tricolor e Peixe seguem em segundo e terceiro, respectivamente. Porém, as duas equipes não conseguiram diminuir a diferença para o líder Corinthians, que apenas empatou com o Flamengo em Itaquera e parou nos 41 pontos.

O jogo:

Apesar de entrar com Alison no lugar do lesionado Vecchio, o Santos não limitou-se a ficar somente na defesa e até chegou a ter um pequeno domínio do jogo nos primeiros minutos. Porém, após o bom início, o Peixe viu o Grêmio ‘acordar’ e passou a ser completamente dominado na Arena.

Mesmo impondo seu toque de bola com facilidade, a equipe gaúcha só assustou de verdade aos 23 minutos, quando Ramiro soltou uma bomba e Vanderlei defendeu. No rebote, Everton isolou.

Após a chance perdida, o tricolor cresceu de vez e começou a colocar o Santos ‘na roda’. Aos 27, Geromel deu belo lançamento para Pedro Rocha, que deixou escapar. Porém, Everton seguiu na jogada e caiu após divida com Jean Mota. Os gremistas pediram pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

Sufocante, o Grêmio quase abriu o placar no lance seguinte, quando Luan bate cruzado, a bola desviou na zaga santista e passou perto da trave direita de Vanderlei.

Três minutos depois, os gaúchos desperdiçaram mais uma oportunidade clara com Everton, que pegou rebote de Lucas Veríssimo dentro da área, mas mandou para fora.

Mas como dizem no futebol, quem não faz, toma. Apesar da enorme pressão gremista, quem abriu o placar na Arena foi o Santos. Após cobrança de escanteio de Jean Mota, Bruno Henrique desviou e David Braz cabeceou firme para fazer 1 a 0 aos 44 minutos.

Porém, a alegria santista durou pouco. No último lance do primeiro tempo, Pedro Rocha bateu forte de dentro da área e Vanderlei operou um milagre. Mas no rebote, Fernandinho apareceu completamente livre para cabecear e empata o jogo.

A segunda etapa começou do mesmo jeito que a primeira terminou: com o Grêmio dominando. Logo aos sete minutos, Pedro Rocha mandou de fora da área e Vanderlei salvou mais uma. Depois, foi a vez de Everton tentar o chute, mas parar em cima do zagueiro Lucas Veríssimo.

O Santos, por sua vez, seguia tendo muita dificuldade para avançar ao ataque. Sofrendo com a ‘marcação pressão’ dos gremistas, o Peixe não assustou Marcelo Grohe.

Porém, apesar se continuar sendo ineficiente na parte ofensiva, a equipe comandada por Levir conseguiu segurar um pouco o ímpeto do Grêmio com o passar da segunda etapa e ‘esfriou’ o jogo até o apito final de Braulio da Silva Machado.

Lucas Lima vê Santos ‘muito recuado’, mas comemora empate

Apesar de ter começado o duelo arriscando algumas jogadas no ataque, o Santos foi completamente dominado pelo Grêmio em grande parte do duelo deste domingo, em Porto Alegre, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, a equipe comandada por Levir Culpi conseguiu arrancar o empate em 1 a 1.

O meia Lucas Lima admitiu que o Peixe entrou em campo com a proposta de atuar mais recuado, porém, ele lamentou as falhas na marcação.

“A gente veio muito recuado, mas tivemos dificuldade na marcação. Eu, particularmente, joguei muito atrás. Tentamos nos adaptar ao jogo deles. Mas conseguimos segurar a pressão e esse pontinho pode fazer muita diferença lá na frente”, explicou o camisa 10 na saída do gramado.

Santistas acreditam em queda do Corinthians no Brasileiro: “Vamos lutar”

Após a eliminação na Copa do Brasil, o Santos concentra suas forças apenas no Campeonato Brasileiro e na Libertadores. E como o Peixe volta a jogar pelo torneio mata-mata apenas no próximo dia 10, quando encara o Atlético-PR, na Vila Belmiro, os santistas terão três rodadas para encostarem no Corinthians, líder da competição nacional.

Atualmente, o Alvinegro da Vila, que ocupa a terceira posição no Brasileiro, está a 10 pontos de distância para o rival na tabela. A distância, porém, não preocupa os comandados de Levir Culpi, que acreditam na queda de rendimento do Timão nos próximos jogos.

“São 10 pontos, o equivalente a quatro jogos, contando com tropeços deles. Nem terminou o primeiro turno ainda. O Brasileiro é muito disputado, complicado. Respeitamos os adversários. Futebol é dinâmico, as coisas podem mudar e talvez não sejam tão favoráveis a eles. Nós temos uma única convicção: vamos lutar até o final. Temos capacidade no elenco. E depois vemos o que está reservado para a gente. Vamos brigar pelo título, com certeza”, decretou o capitão Ricardo Oliveira.

O camisa 9, inclusive, será titular do Peixe no duelo decisivo contra o Grêmio, neste domingo, às 19h (de Brasília), em Porto Alegre, pela 17ª do Brasileirão. Caso vença o Tricolor Gaúcho, o Santos alcança a vice-liderança do torneio.

“Jogo contra o Grêmio é confronto direto, equipe muito bem qualificada. Vamos usar todo o nosso poderio ofensivo, poderio como equipe, para buscarmos um ótimo resultado lá dentro. Vamos nos preparar nesses poucos dias”, concluiu o centroavante.

Gremistas reclamam de retranca do Santos; Arroyo se machuca

O discurso dos jogadores do Grêmio após o empate por 1 a 1 com o Santos na noite desse domingo foi no mínimo repetitivo. A retranca santista irritou os atletas do Tricolor Gaúcho, que tentaram valorizar o ponto conquistado, mas não deixaram de condenar a estratégia da equipe de Levir Culpi.

“O time deles só se defendeu, não chutaram no gol praticamente. Tivemos muitas chances, mas infelizmente não conseguimos ganhar o jogo”, comentou Geromel. “A equipe tentou de todas as maneiras, equipe deles ficou com os 11 dentro da área praticamente. No segundo tempo eles se fecharam de uma maneira que era quase impossível entrar. Tentamos com tabelas, cruzamentos, chutes de longa distância. Dominamos os 90 minutos”, reforçou Ramiro, que foi ainda mais longe.

“Foi o time que veio mais fechado desde que estou no Grêmio, e olha que cheguei em 2013. Tentamos de todas as maneiras e não teve jeito da bola entrar”, comentou o atacante.

O capitão Maicon foi outro a lamentar o empate, mas evitou disparar críticas sobre a arbitragem, alvo de muitos questionamentos durante o jogo, inclusive do volante, um dos mais irritados no gramado.

“Deixar que a diretoria tome as providências, reclame do jeito que tem que reclamar. Valeu pelo nosso empenho. A equipe ficou em cima e o Santos fez o gol em uma bola parada. Paciência”, disse. “Se uma equipe merecia ganhar o jogo era a nossa”, completou Fernandinho.

Suspeita de fratura

Michael Arroyo estreou pelo Grêmio nesse domingo e já se tronou uma preocupação para a comissão técnica. O atacante equatoriano de 30 anos substituiu Jailson aos 44 minutos do segundo tempo e, em sua primeira jogada, levou a pior na dividida com Victor Ferraz. Com o rosto sangrando, o atleta foi levado ao hospital com suspeita de fratura no local.

Renato Gaúcho poupa árbitro, mas avisa: “Não quero padre em campo”

O árbitro catarinense Braulio da Silva Machado teve muito trabalho na Arena do Grêmio na noite desse domingo. O jovem juiz foi muito questionado tanto por gremistas quanto por santistas durante o confronto em Porto Alegre, precisou dar dez minutos de acréscimo e acabou expulsando o lateral Edílson nos minutos finais, quando ainda disparou cartões amarelos para tentar conter as reclamações.

Após o apito final, o clima continuou quente, com os jogadores brigando entre si. Renato Gaúcho entrou no gramado para afastar seus atletas da confusão e cumprimentou Braulio normalmente. Posteriormente, em entrevista coletiva, o treinador mandou seu recado.

“Sobre arbitragem eu não gosto de comentar, não falo, deixo para vocês, diretoria, não cabe a mim. Tenho de analisar minha equipe dentro de campo. Não falo de arbitragem. Procuro treinar minha equipe”, disse, sem deixar, porém, de comentar o lance que gerou o cartão vermelho a Edilson.

“Não quero que minha equipe seja freira, não quero padre em campo. Na hora de chegar junto, tem de chegar junto. Meu time é de homens, não vai aceitar tudo, cabisbaixo, mãozinha para trás. Eu falo para ter respeito com árbitros e adversários. O Edílson queria bater rápido (a falta), empurrou o jogador (Thiago Ribeiro), o juiz quis dar o cartão vermelho, isso eu não comento, foi escolha dele, mas meu time vai chegar junto, sim. Sempre com respeito, mas vai chegar junto”, avisou.

Sobre o jogo em si, Renato Gaúcho mais uma vez disparou elogios a sua equipe e evitou lamentar o fato do Grêmio ter desperdiçado a chance de ficar a seis pontos do líder Corinthians na tabela de classificação. A vantagem dos paulistas segue em oito pontos.

“Normal no futebol, nem sempre você vai ganhar, mas o que me deixa feliz é que minha equipe jogou bem de novo, criou, o Vanderlei estava em uma noite feliz, faz parte. A gente cria para fazer os gols, mas nem sempre consegue. Enfrentamos uma grande equipe, terceira colocada, mas o Grêmio foi bem superior, jogou o tempo todo no campo do Santos. Infelizmente tomamos um gol no fim do primeiro tempo, empatamos, mas a bola não entrou mais”, analisou.

Para o próximo duelo, quarta-feira, contra o Atlético-GO, fora de casa, Renato não poderá contar com Geromel, Arroyo, Edílson e ainda pode perder Barrios mais uma vez. Mesmo assim, nada de lamentações. “É um grupo. Confio em todos. Vamos com o que temos de melhor”.


Grêmio 3 x 2 Santos

Data: 29/06/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 12ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 13.088 pagantes (14.865 presentes)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Auxiliares: Alessandro A Rocha de Matos (BA) e Bruno Raphael Pires (GO).
Cartões amarelos: Edilson, Douglas e Wallace (G); Lucas Lima, Zeca e Yuri (S).
Gols: Giuliano (02-1) e Douglas (44-1); Copete (19-2), Zeca (38-2) e Marcelo Hermes (44-2).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Edílson, Fred, Rafael Thyere (Marcelo Hermes) e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson, Giuliano, Douglas e Éverton (Guilherme); Luan (Bobo).
Técnico: Roger Machado

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato (Jean Mota), Thiago Maia, Vitor Bueno (Jonathan Copete) e Lucas Lima; Gabriel e Rodrigão.
Técnico: Dorival Junior



Grêmio vence confronto direto na Arena e toma vaga do Santos no G4

O Grêmio reagiu diante de seu torcedor após duas derrotas seguidas e interrompeu a ascensão momentânea do Santos no Campeonato Brasileiro. Em confronto direto pela briga no topo da tabela, nesta quarta-feira, o Tricolor levou a melhor com uma vitória emocionante e dramática por 3 a 2 em cima do alvinegro praiano. Além de acabar com a chance do Peixe de assumir a liderança do nacional nesta 12ª rodada após 10 anos e 2 meses, os gaúchos ainda tomaram a vaga santista dentro do G4, independentemente dos resultados dos outros jogos.

O Santos pagou pela falta de concentração em momentos cruciais do duelo na Arena, em Porto Alegre. Logo aos 3 minutos, o time de Dorival Júnior levou o primeiro gol depois de Giuliano aproveitou rebote dado por Vanderlei. E quase nos acréscimos da primeira etapa, em lance muito parecido, foi a vez de Douglas aproveitar rebatida do goleiro alvinegro. O Peixe descontou no segundo tempo com o atacante Jonathan Copete, que fez sua estreia ao entrar no intervalo e não desperdiçou desvio de Gustavo Henrique em escanteio pela esquerda. Nos minutos finais, Zeca marcou um golaço de fora da área e empatou tudo, mas Lucas Lima perdeu uma bola dominada no campo de defesa e Hermes levou os gremistas ao delírio já aos 44 do segundo tempo.

O jogo

A expectativa antes da bola rolar era de jogão em Porto Alegre devido as duas equipes estarem tão próximas na tabela de classificação. Mas, enquanto o Grêmio entrou em campo preparado para uma decisão, o Santos acabou pagando pela desatenção nos minutos iniciais. Os defensores de Dorival Júnior não resistiram a pressão na saída de bola e foram surpreendidos. Éverton recebeu pela esquerda, limpou e bateu forte. Vanderlei espalmou e Giuliano não perdoou no rebote: 1 a 0 Tricolor com apenas 2 minutos de jogo.

O Peixe demorou para entrar no ritmo da partida e por pouco não viu o prejuízo ficar ainda pior no minuto seguinte. Douglas dominou dentro da área, após escanteio e cruzou na cabeça do zagueiro Rafael, que jogou por cima do travessão e por pouco não ampliou a vantagem.

Só a partir daí os santistas, até então atordoados, conseguiram ter calma e colocar a bola no chão. Aos 7 minutos, Lucas Lima serviu Victor Ferraz na direita. O lateral cruzou para trás e Rodrigão bateu com perigo. Era o início do domínio alvinegro, ao menos no quesito posse de bola, já que o chute do centroavante foi a única jogada furou a defesa gremista em todo o primeiro tempo.

Com a nevoa de volta à Arena, como vem ocorrendo em muitos jogos do Grêmio em sua casa, o ritmo diminuiu e as disputas passaram a ficar concentradas no meio de campo. Apenas Giuliano conseguiu se sobressair ao sistema defensivo aos 28 minutos, nas costas de Victor Ferraz, mas Vanderlei salvou com uma bela defesa a queima roupa.

E quando todos pareciam aguardar o apito do árbitro para descansar nos vestiários, os gaúchos marcaram de novo em lance muito parecido com o primeiro gol. Aos 44, Éverton passou por Luis Felipe e Victor Ferraz e bateu cruzado. Vanderlei voltou a rebater a finalização e Douglas ‘pregou’ o goleiro, sem deixar a bola cair, em amis um rebote.

Com o placar de 2 a 0 contra, Dorival Júnior resolveu mexer já no intervalo e promoveu a estreia do atacante colombiano Jonathan Copete. Vitor Bueno foi sacado. Em campo, porém, as coisas continuaram ruim para os paulistas. O Grêmio repetiu a dose de pressionar nos primeiros minutos e Éverton quase marcou depois de receber cruzamento de Marcelo Oliveira e bater cruzado. A bola raspou a trave de Vanderlei.

O goleiro preciso trabalhar ainda mais duas vezes nos primeiros 10 minutos em finalizações de Giuliano e Edilson. O Santos não conseguia ser criativo, apesar de ter Lucas Lima na armação e três atacantes na frente.

Só aos 19 minutos o Peixe chegou. Gabriel fez jogada individual pela direita e encheu o pé. Marcelo Grohe evitou o gol santista. Mas, na cobrança do escanteio, o goleiro gremista nada pôde fazer. Gustavo Henrique ganhou no alto e a bola sobrou para Copete, que teve liberdade para dominar e estufar as redes. 2 a 1 e um novo jogo na Arena.

A pressão mudou de lado e o Santos se lançou de vez ao ataque. Dorival, para isso, ainda colocou Yuri no lugar de Gustavo Henrique para que o ex-jogador do Audax pudesse fazer o papel de zagueiro, mas usar sua técnica refinada para ajudar na saída de bola. O Grêmio só respondeu aos 27 minutos, quando Luan recebeu cruzamento de Douglas e desperdiçou uma grande chance, de cabeça.

E quem não faz, toma. Já diria o ditado popular. E mais uma vez foi assim dentro de campo. Aos 37 minutos, Zeca apareceu na diagonal e arriscou de fora da área. O lateral esquerdo, que é destro, ‘pegou na veia’, sem chance para o goleiro gremista, e decretou a igualdade no placar. Desta forma, o Santos mantinha sua vaga dentro do G4 e deixava o rival de fora.

Mas, para concluir uma partida emocionante e digna de duas equipes que prometem brigar pelo título nesta temporada, um gol aos 44 minutos mudou todo o cenário. Lucas Lima perdeu a bola no campo de defesa e complicou a zaga santista. Giuliano serviu Hermes, que bateu de primeira na saída de Vanderlei e fez os quase 15 mil torcedores nas arquibancadas explodirem de alegria, principalmente depois do apito final, que veio após quatro minutos dramáticos de acréscimo.

Santistas não culpam Lucas Lima e valorizam postura ousada em derrota

O Santos fez o mais difícil nesta quarta-feira. Buscou o empate na casa do adversário depois do Grêmio abrir 2 a 0 no placar. Mas, já nos minutos finais, Lucas Lima prendeu excessivamente a bola no campo de defesa e acabou dando o contra-ataque ao Tricolor Gaúcho, que foi fatal. Marcou o terceiro gol e decretou a vitória nesta 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após o apito final, ao invés de frustração, veio a surpresa. Os jogadores do Peixe estavam orgulhosos do que fizeram em campo, apesar da derrota.

“Não (frustração), o time jogou bem, no segundo tempo impôs o jogo, mas infelizmente não conseguimos o empate ou a vitória, perdemos por 3 a 2. Saímos de cabeça erguida e vamos trabalhar para poder conseguir o próximo resultado”, comentou Zeca, autor do segundo gol alvinegro, ao Sportv.

“Fomos ousados e valentes. Se fosse outro time, ia tentar segurar o empate, mas é o nosso estilo de jogo e fomos para cima. Tentamos a vitória e acabamos levando o gol”, avaliou Gabriel, antes de eximir Lucas Lima de qualquer culpa pelo terceiro gol gremista. “Uma infelicidade nossa. Tentamos o terceiro gol jogando para frente, para vencer e, em um lance bobo, eles fizeram o gol. Queríamos a vitória, fizemos um bom jogo, mas perdemos”, completou.

O lateral esquerdo também fez questão de sair em defesa de Lucas Lima. “Foi uma bola que a gente treina isso, de sair tocando a bola, treinamos diariamente, toque de bola, mas infelizmente perdemos a bola e eles fizeram o gol. Temos certeza que vamos nos encaixar e ganhar o próximo jogo”, explicou.

Talvez o jogador que mais lamentou os pontos perdidos em Porto Alegre foi o experiente e capitão Renato. O volante não se abateu, mas não conseguiu esconder a decepção com o gol levado nos minutos finais depois de uma reação surpreendente. “Sabíamos que era um jogo difícil, buscamos o empate, eles (Grêmio) fizeram o terceiro. Brasileirão é isso. Era importante fazer um ponto. Infelizmente fomos castigados”, concluiu o volante.

Dorival rasga elogios ao Santos e fala em cabeça erguida após revés

Nem parece que o Santos perdeu na noite desta quarta-feira. Depois dos próprios atletas enaltecerem a postura da equipe no revés para o Grêmio por 3 a 2, em Porto Alegre, em seguida foi a vez do técnico Dorival Júnior não poupar elogios aos seus comandados pela forma como o time de comportou nesta 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Nem mesmo a saída do Peixe do G4 fez com que o treinador se preocupasse.

“O Santos jogou perante uma equipe competitiva. Grêmio teve competência no início e no fim. Conseguiu definir a partida. Gol no primeiro momento. O Santos foi guerreiro e não se abateu em momento nenhum. Procurou penetração e encontrou movimentação. Poderíamos sair para o terceiro na jogada em que eles fizeram o último gol. Estou satisfeito com a equipe e com o espetáculo de futebol”, disse Dorival. “O Santos não sai daqui com a cabeça baixa. Buscamos o resultado, e era isso que eu queria ver”, completou.

O comandante santista entendeu o gol gremista nos minutos finais como uma fatalidade do esporte e preferiu, a cada resposta, valorizar o que sua equipe fez de bom no jogo, principalmente no segundo tempo, quando buscou um resultado surpreendente.

“Alcançamos o empate e queríamos o terceiro gol. Nos abrimos, fomos para cima, jogamos com a intensidade de sempre, criamos, com posse de bola, e infelizmente fomos penalizados nesse último minuto. Paciência. temos de trabalhar, reequilibrarmos nossas melhores condições já para o jogo de domingo”, avaliou.

“Até porque eu não tenho o que lamentar. Eu tenho que enaltecer aquilo que a equipe fez dentro de campo, saindo de um 2 a 0, um resultado muito complicado, frente uma grande equipe, mesmo assim, a equipe procurou a todo instante o gol que nos daria uma condição muito favorável”.

A análise final de Dorival Júnior não fez com que o técnico não enxergasse aquilo que seus jogadores não fizeram tão bem nesta quarta. E a maior crítica veio pelo desempenho do time do primeiro tempo, quando o Peixe teve mais posse de bola, mas pouco entrou na área adversária.

“Nós tínhamos a posse de bola, mas faltava a penetração, as trocas de passes com um pouco mais de dinâmica acima de tudo e as movimentações para que um companheiro pudesse estar em condições de finalizar a jogada. Isso que faltou”, concluiu Dorival.

Grêmio 1 x 0 Santos

Data: 15/10/2015, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 8.837 pagantes (10.496 presentes)
Renda: R$ 257.109,55
Árbitro: Marielson Alves da Silva (BA)
Auxiliares: Elicarlos Franco de Oliveira e Marcos Rocha de Amorim (ambos da BA).
Cartões amarelos: Geromel, Douglas e Moisés (G); Vanderlei, David Braz e Gabriel (S).
Cartão vermelho: Gabriel (S).
Gol: Bressan (26-1).

GRÊMIO
Bruno Grassi; Galhardo, Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Giuliano, Douglas (Maxi Rodriguez) e Luan (Moisés); Bobô (Pedro Rocha).
Técnico: Roger Machado

SANTOS
Vanderlei; Zeca, David Braz, Werley e Chiquinho; Thiago Maia (Serginho), Renato e Lucas Lima; Marquinhos Gabriel (Neto Berola), Leandro (Nilson) e Gabriel.
Técnico: Dorival Júnior.



Santos cai diante do Grêmio no Sul, mas não perde vaga no G4

Um gol de cabeça do zagueiro Bressan ainda no primeiro tempo definiu a vitória do Grêmio em cima do Santos nesta 30º rodada do Campeonato Brasileiro. A partida disputada em Porto Alegre contou pouco mais de 10 mil pessoas nas arquibancadas devido aos estragos que as fortes chuvas causaram na Capital gaúcha nesta quinta-feira. O jogo inclusive esteve perto de ser cancelado pela CBF.

A vitória mantém o Tricolor Gaúcho tranquilo na terceira colocação, agora com 55 pontos, a quatro do vice-líder Atlético-MG. Já o Peixe estaciona nos 46 pontos, mas, por causa dos tropeços de seus concorrentes, segue na quarta colocação pela segunda rodada seguida.

O jogo

Como já é de costume, o Grêmio iniciou a partida pressionando e partindo para a cima. Logo aos 20 segundos, Vanderlei salvou o Santos em chute rasteiro de Luan. No lance seguinte, novamente o time da casa chegou com perigo depois de uma tabela de Marcelo Oliveira com Douglas. O lateral entrou na área e rolou para o meio. Sozinho, Giuliano isolou e perdeu a segunda grande oportunidade de abrir o marcador com apenas 1 minuto de jogo.

Passado os sustos, o Peixe foi se encontrando em campo e, com toque de bola, tentava frear o ímpeto dos gaúchos. Aos 7 minutos, Thiago Maia infiltrou Marquinhos Gabriel e o meio bateu com perigo, por cima do gol. Dois minutos depois, Lucas Lima fez linda jogada individual, arrancando do campo de defesa até a entrada da área tricolor, onde sofreu falta. Na cobrança, o meia bateu por fora da barreira e acertou a trave.

O jogo já era equilibrado, quando uma indecisão de Werley com Vanderlei proporcionou um escanteio ao Grêmio. E na sequência da jogada, Bressan testou no ângulo, sem chances para o goleio do Peixe. 1 a 0.

O Santos, então, se lançou ao ataque, mas o máximo que conseguiu foi assutar com um chute de fora da área de Gabriel, aos 41, que acabou facilmente defendido por Bruno Grassi.

Na segunda etapa, o Santos ignorou o fato atuar na casa gremista e foi em busca do empate. A equipe de Dorival Júnior pressionou desde o apito do árbitro, mas viu o Grêmio se fechar com muita organização. Apesar de ter o domínio das ações, o Peixe não levou perigo ao gol.

Com o passar do tempo, o treinador paulista resolveu apostar no banco de reservas. Nilson, Neto Berola e Serginho entraram nas vagas de Leandro, Marquinhos Gabriel e Thiago Maia, respectivamente. Porém, quem por pouco não balançou as redes foi Pedro Rocha, substituiu Bobô.

O atacante do Grêmio recebeu uma linda assistência de Wallace e, na cara do gol, acertou o peito de Vanderlei, que se jogou à frente do atacante. Aos 28, de novo Pedro Rocha arriscou, desta vez de longe, e viu a bola passar perto do travessão.

No fim, o jogo caiu de rendimento. Gabriel ainda assustou Grassi com uma bomba cruzada, mas que acabou indo para fora. O Santos ainda lutou até o fim, mas o sistema defensivo gaúcho suportou a pressão sem grandes dificuldades e garantiu a vitória em casa.

Já depois do apito final, Gabriel foi tirar satisfação com o árbitro e acabou expulso.

Dorival reconhece superioridade gremista e vê Peixe abaixo do normal

Grêmio e Santos fizeram um jogo bastante equilibrado na noite desta quinta-feira e que acabou decidido por um gol do zagueiro Bressan, após cobrança de escanteio. Apesar da derrota, o técnico do Peixe admitiu que sua equipe não apresentou o futebol vistoso das últimas rodadas e concordou que o time da casa mereceu a vitória.

“ O primeiro tempo nosso foi bem abaixo do que vínhamos jogando, muito em razão da postura do Grêmio, que foi mais equipe, fez o resultado. No segundo tempo o jogo inverteu, tomamos uma outra postura, tivemos uma outra condição, nos movimentamos muito mais, procuramos jogar dentro das condições que vínhamos apresentando. Mas não tivemos felicidade nas chances que aparaceram”, analisou Dorival Júnior, enaltecendo a qualidade do espetáculo.

“Foi um grande jogo. Acho que temos que enaltecer aquilo que as duas equipes fizeram. Reconhecer que foi uma grande partida, bem jogada, com bola no chão, e buscar a recuperação já no domingo”, completou.

Para o comandante santista, o posicionamento errado da equipe em campo acabou dificultando seu jogo. As constantes perdas na segunda bola, aquela que sobra na intermediária, normalmente, acabaram deixando a equipe exposta.

“Realmente isso aconteceu. As movimentações aconteceram, mas não tivemos a posse de bola necessária para colocar os jogadores em condições de definições. O Grêmio estava ganhando a segunda bola e isso causa um prejuízo grande, porque as jogadas já iniciavam no meio campo. Isso estava causando muita dificuldade”, confirmou Dorival.

A derrota não tira o Peixe do G4, mas deixa o time a nove pontos do próprio Grêmio, terceiro colocado na tabela do Campeonato Brasileiro. Por isso, para Dorival Júnior, o resultado desta quinta-feira deixa a briga pela classificação à próxima Libertadores da América restrita a uma vaga.

“Ainda está em aberto uma das vagas. Poderia ter outra em disputa, se tivéssemos a felicidade de termos o resultado. Traríamos mais uma equipe para esta condição. Estaríamos abrindo uma condição de disputa maior. Agora, cabe a nós corrermos atrás, tirarmos essa diferença, jogar dentro das nossas condições”, conclui o técnico.

Expulso, Gabriel diz que não dá para usar “educação que a mãe ensinou”

O Santos não poderá contar com David Braz e Gabriel na partida contra o Goiás, domingo, na Vila Belmiro. Ambos levaram o terceiro cartão amarelo nesta quinta-feira, durante a derrota para o Grêmio por 1 a 0, em Porto Alegre. No caso do atacante, a situação ficou ainda pior. Isso porque depois do apito final, o camisa 10 do Peixe se dirigiu ao árbitro Marielson Alves da Silva para tirar satisfação de alguns lances do jogo. E, por causa disso, acabou recebendo o cartão vermelho.

“Acho que não precisava, não. Estava de cabeça quente. Acho que ele foi muito severo”, comentou o jogador, já mais calmo, depois de sair do vestiário.

Questionado se havia xingado ou falado algum palavrão em direção ao árbitro, Gabriel voltou a negar qualquer ofensa, mas admitiu que não usou de sua melhor educação para protestar.

“É normal dentro de campo falar palavrão. Não tem como falar “por favor”. Mas não fiquei querendo desrespeitar ele. Só quis conversar um pouquinho sobre os cartões, várias faltas, principalmente no Lucas Lima, o lance do gol, que teve a falta”, explicou o jogador de 19 anos, que estava de costas quando foi advertido com o cartão vermelho.

“Não tinha visto. Fui ver na TV. Acho que não precisava, não. Dentro de campo não dá para falar educadamente, como minha mãe me ensinou, me pai me ensinou”, encerrou.

Dorival Júnior preferiu não entrar em qualquer polêmica e sequer falou sobre o lance de Gabriel após o jogo. O técnico preferiu cobrar uma ação do árbitro em outra jogada isolada.

“Sobre arbitragem não falo, não. Não vou comentar. Acho só que teve um erro fatal, na primeira jogada de perigo nossa, com o Lucas Lima, passível de punição. Ele não deu. Logo em seguida, o zagueiro deles tomou um cartão, que seria o segundo. Poderia modificar o jogo, mas de modo geral, não tenho o que falar, não”, disse o treinador.

Sobre o gol de Bressan, que decretou a vitória do Tricolor Gaúcho, Dorival Júnior apenas reproduziu as opiniões que seus jogadores externaram.

“Não vi ainda o vídeo da partida. A minha impressão é que o Bressan fez um gesto de empurrar, com as duas mãos, e depois sim saltou completamente livre para fazer o gol. Mas não tenho como te falar. Estou indo pelo que ouvi no vestiário”, finalizou.

Além de Braz e Gabriel, o Santos dificilmente contará com Victor Ferraz e Geuvânio. O lateral tenta se recuperar de um problema na coluna, enquanto o atacante está em fase final da recuperação de uma lesão grau 2 na coxa direita e tem previsão de retorno para a quarta-feira da próxima semana, no primeiro duelo contra o São Paulo, pelas semifinais da Copa do Brasil.

Ricardo Oliveira, que desfalcou o time nesta quinta por causa do desgaste causado enquanto defendia a Seleção Brasileira, volta à equipe normalmente.

Árbitro cita ofensa de santista Gabriel em súmula: “Só fazem m…”

O árbitro Marielson Alves Silva não teve dúvidas ao expulsar o atacante Gabriel mesmo após o apito final. Sacramentada a derrota de 1 a 0 fora de casa, diante do Grêmio, o santista, que já tinha cartão amarelo, invadiu o campo para questionar a conduta da arbitragem e acabou expulso. Na súmula, o juiz baiano relatou o protesto do atacante que, dependendo do julgo, pode trazer complicações futuras.

Se enquadrado dentro do artigo 258, no que concerne ao desrespeito à arbitragem, Gabriel pode pegar gancho de uma a seis partidas. No entanto, como não apelou para uma linguagem chula como os xingamentos, é possível que o santista passe desapercebido pelo tribunal. O documento pós-jogo, redigido por Marielson Alves da Silva, tenta explicar melhor o caso.

“Expulsei de forma direta o senhor Gabriel Barbosa Almeida, número 10 do Santos FC, por após o término da partida se dirigir ao quarteto de arbitragem proferindo as seguintes palavras: ‘vocês só fazem m…, vocês só fazem m…’ Após essas palavras, o mesmo se retirou de campo sem maiores problemas”, alegou o árbitro ao escrever a lauda de pós-jogo.

Ao se encaminhar ao túnel dos vestiários, Gabriel falou ao SporTV e, só aí, foi avisado da expulsão. “Eu fui expulso?”, perguntou o jogador a uma repórter, ao deixar o gramado. Na zona mista, já mais calmo, Gabriel analisou o lance e viu rigor excessivo na conduta adotada por Marielson. “Acho que não precisava, não. Estava de cabeça quente. Acho que ele foi muito severo”, comentou.

Se Dorival Jr. preferiu não comentar sobre assuntos relacionados à arbitragem, após o revés, Gabriel admitiu que tentou argumentar com o juiz para ponderar alguns erros. “É normal falar palavrão dentro de campo, não tem como falar “por favor”. Não fiquei querendo desrespeitar ele, só quis conversar um pouquinho sobre os cartões, várias faltas, principalmente no Lucas Lima, o lance do gol, que teve a falta”, declarou.

Para a partida contra o Goiás, na Vila Belmiro, Dorival Jr. não poderá contar nem com Gabriel e nem com David Braz, já que ambos terão que cumprir suspensão. É possível que, na volta à Vila, Neto Berola ganhe uma chance na linha de frente, enquanto Werley ou Paulo Ricardo podem substituir Braz na zaga.