Navegando Posts marcados como Arruda

Santa Cruz 0 x 2 Santos

Data: 12/06/2016, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 7ª rodada
Local: Estádio do Arruda, em Recife, PE.
Público: 16.464 pessoas
Renda: R$ 182.805,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires e Leone Carvalho Rocha (ambos de GO).
Cartões amarelos: Wallyson (SC); Paulinho e Zeca (S).
Gols: Zeca (44-1) e Joel (19-2).

SANTA CRUZ
Tiago Cardoso; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Tiago Costa; Alex Bolaño (Leandrinho), João Paulo, Fernando Gabriel (Daniel Costa) e Lelê; Arthur e Bruno Moraes (Wallyson).
Técnico: Milton Mendes

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Léo Cittadini (Serginho) e Vitor Bueno; Paulinho (Ronaldo Mendes) e Joel (Elano).
Técnico: Dorival Júnior



Com golaço de Zeca, Santos bate Santa Cruz e vence fora de casa

O Santos espantou o fantasma do jogo fora de casa. Neste domingo, o Peixe enfrentou o Santa Cruz, no Arruda, e saiu de campo com a vitória por 2 a 0. Zeca, com um golaço, e Joel marcaram os gols do Alvinegro, um em cada tempo da partida.

Com o resultado, o Santos chegou a dez pontos e assumiu a quinta colocação, colando no Corinthians, primeiro time do G4, com 13 pontos. O Santa Cruz, por sua vez, perdeu a terceira partida consecutiva e se aproximou da zona de rebaixamento. Com oito pontos, a equipe coral ocupa a 14ª posição.

O jogo

Mesmo jogando fora de casa, o Santos começou controlando a posse de bola e trocando passes em busca de um espaço na defesa do Santa Cruz, que esperava uma oportunidade para sair em velocidade nos contragolpes. Apostando nas jogadas pelas beiradas, o Peixe chegou com perigo pela primeira vez aos 11 minutos, em cruzamento de Victor Ferraz cortado pela zaga tricolor. Na sequência, Vítor Bueno lançou para a área, mas Neris, bem posicionado, afastou.

Aos poucos, o Santa Cruz foi conseguindo sair para o jogo. Também priorizando os lançamentos para a área, os donos da casa foram chegando. João Paulo, Tiago Costa e Arthur arriscaram cruzamentos, porém a defesa santista afastou as tentativas. Apesar da melhora do Tricolor, o Santos continuava melhor. Aos 22, Joel aproveitou falha na zaga coral e tentou encobrir Tiago Cardoso, mas chutou com muita força e a bola saiu por cima.

Em nova chegada alvinegra, aos 25 minutos, Zeca apareceu pela esquerda e cruzou para a área. Joel desviou na altura da primeira trave e a bola sobrou para Léo Cittadini, que bateu travado pelo marcador e a bola ficou limpa para Tiago Cardoso. Aos 36, o mesmo Léo Cittadini finalizou novamente, mas chutou fraco e facilitou a defesa do goleiro. Aos 41, Victor Ferraz teve boa chance em cobrança de falta, mas mandou por cima. Aos 44, saiu o gol. Zeca tabelou com Joel e chutou de primeira, sem deixar a bola quicar, fazendo um golaço no Arruda.

O Santa Cruz voltou com outro ritmo na segunda etapa, acuando o adversário. Logo no primeiro minuto, Wallyson, que entrou no lugar de Bruno Moraes, foi lançado em profundidade e cruzou com perigo. Victor Ferraz fez o corte. Na sequência, Arthur arriscou de fora da área e a bola passou perto da trave direita de Vanderlei. Aos cinco minutos, Fernando Gabriel recebeu na meia-lua e mandou uma bomba, obrigando Vanderlei a fazer grande defesa, espalmando para escanteio. No corner, Danny Morais desviou com perigo.

O Santinha seguiu pressionando na busca pelo empate. Aos 18, Wallyson bateu falta direto para o gol, mas Vanderlei defendeu. No lance seguinte, o mesmo Wallyson apareceu na área, nas costas da zaga, passou por Vanderlei, mas foi atrapalhado por Lelê, que também chegava para finalizar. O ímpeto do time coral, porém, foi punido com mais um gol do Santos. Aos 19, Vítor Bueno arrancou com velocidade pela esquerda e bateu cruzado. Tiago Cardoso fez a defesa, mas Joel pegou o rebote e só empurrou para o fundo das redes.

O Tricolor pernambucano não diminuiu o ritmo depois de sofrer o segundo gol e seguiu no ataque. Na marca de 30 minutos, Wallyson fez jogada individual pela direita e rolou para Daniel Costa, que chutou cruzado. A bola desviou em Luiz Felipe e sobrou para Arthur, que tentou cabecear para o gol, mas mandou por cima. Bem postado na defesa, o Santos fechou os espaços e segurou o resultado, garantindo a vitória.

Joel exalta vitória fora de casa e nega que time não sinta falta de Oliveira

Depois de dez meses sem vencer longe da Vila Belmiro, o Santos enfim quebrou o jejum de vitórias fora de casa, que durava desde agosto do ano passado. Neste domingo, o Peixe visitou o Santa Cruz, no Arruda, e bateu o rival por 2 a 0. Autor do segundo gol santista – o primeiro foi marcado por Zeca – Joel exaltou o feito da equipe e negou que o time não sente a falta de Ricardo Oliveira, que está com a Seleção Brasileira na disputa da Copa América Centenário.

“Não sentir mais saudade é mentira. O Ricardo Oliveira é o nosso capitão, é um jogador de uma importância muito grande para o nosso elenco. Então eu fico feliz pela vitória, a primeira fora de casa, porque havia tempo que não vencíamos fora de casa. Foi uma vitória importante para a sequência do campeonato”, disse o atacante camaronês ao SporTV, na saída do gramado.

A vitória fora de casa sobre o Santa Cruz fez o Peixe encostar no grupo dos quatro melhores do Campeonato Brasileiro, chegando à quinta colocação, com dez pontos ganhos. O Corinthians, última equipe do G4, em quarto lugar, tem 13 pontos.

Dorival celebra vitória fora de casa e enaltece atuação da defesa

A vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Santa Cruz, neste domingo, no Arruda, satisfez Dorival Júnior. O técnico santista elogiou a atuação do time, que chegou a primeira vitória fora de casa desde agosto de 2015, destacando a inteligência apresentada dentro de campo.

“O Santos teve uma proposta de jogo e a manteve nos 90 minutos. Sofremos um pouco, mas eu só tenho a valorizar e reconhecer o espírito de luta, a vontade e a garra para vencer. Prevalecemos com toque de bola, movimentação e penetrações. Nos comportamos bem, tivemos paciência e soubemos sofrer para chegarmos ao que temos de melhor, o contra-ataque, definindo o resultado. Foi uma partida muito inteligente”, avaliou.

O comandante alvinegro também aprovou a atuação da zaga, que mesmo com o desfalque de David Braz não sofreu gols. Diante do Santa Cruz, Dorival escalou a defesa com Gustavo Henrique, que completou 100 jogos com a camisa do Santos, e Luiz Felipe.

“A zaga esteve muito bem composta. Foi uma partida consistente da nossa equipe, uma partida inteligente. Reconheço o valor do adversário, mas tenho que enaltecer a nossa equipe”, finalizou o treinador, que não escondeu a felicidade com o resultado positivo.


Santa Cruz 1 x 1 Santos

Data: 23/08/2006, quarta-feira, 22h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 19ª rodada
Local: Estádio do Arruda, em Recife, PE.
Público: 6.698 pagantes
Renda: R$ 60.296,00
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES)
Auxiliares: Alfonso Scarpati e Antônio Carlos de Oliveira (ambos do ES)
Cartões amarelos: Mirandinha (SC), Heleno (S).
Cartão vermelho: Alemão (SC)
Gols: André (44-1) e Júnior Maranhão (08-2).

SANTA CRUZ
Guto; Osmar, Valença (Paulo Rodrigues), Váldson e Cássio; Márcio Alemão; Augusto Recife, Júnior Maranhão, Valdson Tiano (Edson Di); Nenê (Mirandinha) e Márcio Mixirica.
Técnico: Maurício Simões

SANTOS
Fábio Costa; Denis, Luiz Alberto (Manzur), Domingos e Carlinhos; Heleno, Cléber Santana, Kleber e André Belezinha; Leandro Rodrigues (Jonas) e Wellington Paulista (Rodrigo Tiuí).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos empata com Santa Cruz e não chega à liderança

O mau desempenho do Santos como visitante foi fundamental para que o time não chegasse à liderança do Campeonato Brasileiro (já que apenas na cidade de São Paulo conseguiu vencer). Nesta quarta-feira, em um jogo com poucas oportunidades, o time da Baixada empatou com o Santa Cruz por 1 a 1, no estádio do Arruda, em Recife. O resultado também aumenta a crise da equipe tricolor, que termina o primeiro turno da competição nacional na última colocação.

Com o resultado, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo chegou aos 32 pontos, na segunda colocação da tabela. Entretanto, o clube alvinegro ainda pode ser ultrapassado pelo Paraná, que entra em campo nesta quinta-feira, contra o líder São Paulo, e tem um ponto a menos. Sendo assim, o time paulista não atinge o objetivo de terminar a rodada na ponta da classificação. Já o Santa Cruz fica com 18 pontos, na lanterna pela terceira rodada seguida.

No final de um primeiro tempo com baixo nível técnico, o Santos conseguiu sair na frente com gol de André, aos 44min. Mas o empate do Santa Cruz, aos 8min da etapa final, com Júnior Maranhão, deu nova movimentação à partida e evidenciou a vontade de ambos os times. Mesmo assim, nenhum fez o suficiente para garantir o triunfo, e o empate foi justo.

“Não era o que queríamos quando viajamos para cá [Recife]. Infelizmente cedemos o empate para eles no começo do segundo tempo e não conseguimos voltar à frente do placar. Agora precisamos batalhar por esses pontos no segundo turno, porque ainda tem muito campeonato para rolar”, lamentou o goleiro Fábio Costa após o confronto.

Em todo o Campeonato Brasileiro, o time de Vanderlei Luxemburgo só conquistou dois triunfos fora de casa. E ambos aconteceram na cidade de São Paulo, contra rivais de tradição (Palmeiras e São Paulo). Com o resultado desta quarta-feira, o desempenho fora de sua cidade natal e da capital paulista permanece como o principal problema para o Santos no certame, já que somou apenas cinco pontos nessa situação.

Já o Santa Cruz, após o término da Copa do Mundo, teve um começo arrasador no Brasileirão, conquistando quatro vitórias seguidas e chegando inclusive a deixar momentaneamente a zona do rebaixamento. Porém, o time não conseguiu manter a boa forma, com mais duas derrotas e dois empates, caindo novamente para a lanterna da tabela.

Agora, o Santos inicia o segundo turno da Série A já neste sábado. O time da Baixada voltará a atuar na Vila Belmiro, contra o Goiás, às 18h10. Um dia depois, o Santa Cruz enfrentará o Figueirense no estádio Orlando Scarpelli, também às 18h10.

O jogo

Insatisfeito com a pouca criatividade do time na última rodada, o técnico Vanderlei Luxemburgo optou pelo deslocamento de Kléber para o meio-de-campo, o encarregando da armação das jogadas ao lado de André, e colocou Carlinhos para atuar na ala esquerda. Porém, quando o jogo começou, foi a equipe pernambucana que apresentou melhor movimentação ofensiva.

Entretanto, o Santa Cruz encontrou muitas dificuldades para furar a marcação dos visitantes, que passaram os minutos iniciais do confronto recuados no campo de defesa e começaram a se soltar com o decorrer da partida. Aos 17min, Denis avançou pela direita e cruzou para o meio. André apareceu de carrinho, mas mandou a bola para fora.

Enquanto isso, o Santa Cruz não desanimou e continuou à procura do gol inicial, mas a falta de objetividade e criatividade no meio-de-campo atrapalhou os donos da casa. Com isso, a principal arma do time tricolor foram os cruzamentos pelas laterais do campo. Aos 31min, Osmar cruzou da direita na cabeça de Marcio Mixirica, que obrigou Fábio Costa a realizar grande defesa para evitar o gol.

Até o intervalo, o time da Baixada melhorou a postura em relação ao começo da partida e não se prendeu apenas à marcação. Aos 44min, André dominou a bola na lateral esquerda e avançou para o meio antes de acertar um belo chute, no canto esquerdo de Guto, para abrir o marcador no estádio do Arruda.

Atrás no placar, o Santa Cruz começou o segundo tempo com nova atitude, priorizando ainda mais o ataque, e ameaçou a meta adversária logo no primeiro minuto. Cássio acertou forte chute da intermediária, que passou muito próximo ao gol de Fábio Costa.

Os anfitriões se motivaram com o lance e criaram nova oportunidade clara apenas três minutos depois Após cruzamento de escanteio da direita, Nenê subiu sozinho e cabeceou no travessão. Com a forte pressão na frente, a equipe de Maurício Simões não demorou a chegar ao empate. Aos 8min, Júnior Maranhão acertou lindo chute da intermediária, no ângulo esquerdo de Fábio Costa, para igualar o placar.

Com o gol do Santa Cruz, a partida se tornou mais aberta, já que o empate não interessava a nenhum dos clubes. O Santos saiu do campo de defesa e foi atrás do gol que lhe garantiria os três pontos. Entretanto, a alta velocidade imposta pelo time recifense também causou problemas para os zagueiros da equipe alvinegra.

A equipe de Luxemburgo ainda teve grande oportunidade para sair com a vitória. Aos 39min, Denis invadiu a área pela direita e rolou para o Rodrigo Tiuí na pequena área. O atacante bateu de primeira e mandou a bola para fora, desperdiçando grande chance. Com isso, o placar permaneceu inalterado até o apito final.


Santa Cruz 0 x 1 Santos

Data: 09/09/2000, sábado, 16h00.
Competição: Copa João Havelange (Campeonato Brasileiro) – Módulo Azul – 1ª fase – 11ª rodada
Local: Estádio do Arruda, em Recife, PE.
Público: 17.279
Renda: R$ 57.283,00
Árbitro: Wagner Tardelli azevedo (RJ).
Cartões amarelos: Valnei e Joelson (SC); Sangaletti e Dodô (S).
Cartão vermelho: Robert (S, 25-2).
Gol: Dodô (07-2).

SANTA CRUZ
João Carlos; Wellington (Fabiano), Janduir, Valnei e Hilton; Dário, Marcílio, Valdinho (Márcio Allan) e Joelson; Róbson e Tiago Gentil (Genílson).
Técnico: Renê Simões

SANTOS
Pitarelli; Wellington (Preto), Sangaletti, Claudiomiro e Léo; Rincón, Renato, Valdo e Robert; Edmundo (Caio) e Dodô (Júlio Cesar).
Técnico: Giba



Santos abafa disputa de Dodô e Edmundo

O clima no vestiário do Santos era de alívio após a vitória sobre o Santa Cruz (1 a 0), anteontem, em Recife (PE). As brigas e conflitos que marcaram a semana passada foram esquecidos.

“Não disse que Edmundo era “fominha”, aliás, não disse nada, foi tudo invenção da imprensa”, afirmou Dodô, autor do único gol do Santos. Ele declarou que os dois têm a mesma característica -a de sair com a bola dominada em direção ao gol.

O treinador Giba minimizou o conflito entre as duas estrelas. “São dois atacantes que gostam de ter a posse da bola e ainda estão se conhecendo. Não há nenhuma crise na equipe, ao contrário.”

Com a derrota do Fluminense, o Santos entrou na luta pela liderança. Giba só lamentou o fato de ser o terceiro jogo do Santos sob chuva, prejudicando o time, que ele considera técnico e que tem como ponto forte o toque de bola.

“Mesmo assim nosso rendimento foi muito bom. A equipe mostrou determinação e vem subindo de produção. Jogamos contra um bom adversário, na casa dele, e conseguimos vencer.”

O treinador elogiou a estréia na lateral direita de Wellington, de 18 anos.


Santa Cruz 0 x 0 Santos – 3 x 4 pênaltis

Data: 10/12/1988, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro (Copa União) – 2º turno – 9ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio do Arruda, em Recife, PE.
Público: 5.624
Renda: Cz$ 2.204.700,00
Árbitro: José Roberto Wright (RJ).
Pênaltis:

SANTA CRUZ
Luís Carlos; Leandro Silva, Ragner, Gonçalves e Valdemir (Mázio); Almir, Ataíde, Sérgio China (Marcelo); Pedro Haroldo, Ramón e Rinaldo.
Técnico: José Amaral

SANTOS
Ferreira; Heraldo, Nildo, Luisinho e Ijuí (Luiz Carlos); César Ferreira, César Sampaio e Mendonça; Junior, Leonardo Manzi (Cássio) e Giba.
Técnico: Marinho Peres



Fontes:

– Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/1988/12/11/20//5397332
– Revista Placar

Santa Cruz 3 x 1 Santos

Data: 10/10/1987
Competição: Campeonato Brasileiro (Copa União) – 1ª Fase – 7ª rodada
Local: Estádio do Arruda, em Recife, PE.
Público: 5.796 pagantes
Renda: Cz$ 486.240,00
Árbitro: Wilson Carlos dos Santos
Auxiliares: Júlio César Consenza e J. Almeida Dutra
Cartões amarelos: Ataíde (SC) e Antonio Carlos (S).
Gols: Ataíde aos 32 min e Alexandre aos 45 min do 1º tempo. Mendonça (de penalti) e Dadinho aos 38 min do 2º tempo.

SANTA CRUZ
Santa Cruz: Banana; Orlando, Alexandre, Ivan e Lotti; Zé do Carmo, Ataíde e Sérgio China (Rinaldo); Edson, Dadinho e Gilson Gênio.
Técnico: Abel Braga

SANTOS
Rodolfo Rodriguez, Ijuí, Davi, Pedro Paulo (Nildo) e Luisinho; Antonio Carlos, Mendonça e Glauco; Osmarzinho, Luís Carlos e Edelvan (Augusto).
Técnico: Candinho


Santos leva baile do Santa Cruz no Arrudão

O Santa Cruz, como nos bons tempos, empolgou sua torcida no Colosso do Arruda, derrotando o Santos por 3×1 e dando um verdadeiro baile no time da Vila Belmiro.

O Santa Cruz terminou o primeiro tempo vencendo por 2×0, gols de Ataíde, aos 32 e Alexandre aos 45 minutos. O Santos marcou o seu gol de honra através do jogador Mendonça, num pênalti marcado pelo árbitro Wilson Carlos dos Santos, alegando toque de mão da zaga tricolor. O terceiro gol surgiu de uma roubada do ponteiro direito Edson, que lançou a Dadinho para marcar aos 38 minutos do segundo tempo.

Fonte: Diário de Pernambuco.