Navegando Posts marcados como Arthur Gomes

Estudiantes 0 x 1 Santos

Data: 05/04/2018, quinta-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 6 – 3ª rodada
Local: Estadio Centenario Ciudad de Quilmes, em Quilmes, Argentina.
Árbitro: Roddry Zambrano (EQU)
Auxiliares: Christian Lescano e Juan Macías (EQU)
Cartões amarelos: Campi (E); David Braz e Vanderlei (S).
Gol: Arthur Gomes (18-1).

ESTUDIANTES DE LA PLATA
Mariano Andújar; Facundo Sánchez, Leandro Desábato, Jonathan Schunke e Gastón Campi; Iván Gómez, Lucas Rodríguez, Gastón Giménez (Mariano Pavone) e Carlo Lattanzio (Juan Bautista Cascini); Lucas Melano e Juan Ferney Otero (Pablo Lugüercio).
Técnico: Lucas Bernardi

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Renato (Gustavo Henrique) e Jean Mota; Arthur Gomes (Léo Cittadini), Rodrygo (Diogo Vitor) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jair Ventura



Com show de Vanderlei, Santos vence o Estudiantes e vira líder

O Santos sofreu, mas venceu o Estudiantes por 1 a 0 na noite desta quinta-feira, em Quilmes, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. Com o resultado, o Peixe assumiu a liderança do Grupo 6, com sete pontos.

O alvinegro segurou a pressão dos argentinos nos minutos iniciais e abriu o placar em contra-ataque perfeito aos 19′, criado por Rodrygo e encerrado por Arthur Gomes após finalização na trave de Eduardo Sasha.

No segundo tempo, depois de perder grandes chances para ampliar, o Santos sofreu, mas viu Vanderlei fazer pelo menos quatro ótimas defesas para garantir o resultado. Depois de trauma na mão esquerda sofrido no treino da última quarta, o goleiro foi para campo no sacrifício e se destacou.

O jogo:

O Estudiantes começou o jogo pressionando o Santos. Sem saída de bola, o Peixe só tentava se marcar e viu os argentinos ficarem perto do primeiro gol. Aos nove minutos, Melano finalizou na trave. Na sequência, Schunke cabeceou para linda defesa do goleiro Vanderlei.

E quando o alvinegro parecia perto de sofrer o gol, veio a luz. Eduardo Sasha iniciou o contra-ataque, Rodrygo deu bom passe para Arthur Gomes, a bola voltou para Sasha, que deu uma meia-lua em Desábato e finalizou na trave. Arthur, impedido, só empurrou no rebote para abrir o placar.

Depois do gol, o Santos passou a controlar mais o jogo e sofrer menos. O Estudiantes, pouco criativo, abusou da bola parada e do jogo aéreo. O único susto veio em contra-ataque puxado por Melano. O atacante arrancou sozinho, mas finalizou longe.

E aos 44, o Peixe quase ampliou. Rodrygo arrancou pela esquerda e cruzou, Arthur Gomes chutou para rebote de Andújar e Jean Mota, sozinho na pequena, chutou por cima do travessão de forma inacreditável.

O Estudiantes veio para o tudo ou nada e o Santos se postou para o contra-ataque. Aos 10, veio nova oportunidade de fazer o segundo gol. Jean Mota foi à ponta e tocou para trás, Eduardo Sasha serviu Arthur, e o atacante foi à linha de fundo, mas exagerou na força do cruzamento e ninguém empurrou.

Aos 14 minutos, o time de La Plata respondeu. Lattanzio se antecipou a Daniel Guedes no segundo pau e bateu de barriga. Vanderlei, no reflexo, salvou mais uma. E a pressão só voltou aos 36′.

Campi cruzou na área, Melano cabeceou, Vanderlei não segurou e, no rebote, o goleiro fez milagre em finalização de Pavone à queima-roupa. Aos 42, o camisa 1 fez nova intervenção espetacular em cabeceio de Pavone, garantindo o 1 a 0.

Bastidores – Santos TV:

Após vitória e liderança, Jair diz que Santos aprendeu a ser “copeiro”

Para Jair Ventura, a maior lição do Santos na vitória sobre o Estudiantes foi aprender a ser “copeiro”, definição dos times cascudos, que sabem defender na hora certa para administrar resultados. Foi assim no 1 a 0 em Quilmes na noite desta quinta-feira, com show do goleiro Vanderlei e zagueiros muito exigidos.

Com os três pontos, o Peixe assumiu a liderança do Grupo 6 da Libertadores. Por causa das circunstâncias, Jair entende que essa é a principal parte da viagem, sem muita preocupação com a atuação em si.

“Jogo muito difícil. Joguei aqui ano passado. Foi bem complicado e acho que o Santos foi copeiro hoje, foi competitivo, lutou, soube jogar. O gramado não estava tão regular, mas competiu e conseguimos uma bela vitória. Assumimos a liderança do nosso grupo, mas hoje, a nossa lição, é que fomos copeiro. Nada impede que o Santos seja um time jovem, mas que jogue competindo”, disse Jair.

“Tivemos dificuldades em fazer nosso jogo apoiado na saída de bola. Analisamos. O Otero e o Melano marcam muito forte esta saída. Foi uma estratégia dentro da partida. Não jogamos em uma nota só, tentamos adaptar. Quando tem que propor, nós jogamos como vencemos o Palmeiras. Esta versatilidade é importante. Tenho que agradecer aos jogadores pela entrega, saíram exaustos do jogo”, completou.

O Santos voltará a enfrentar o Estudiantes para encaminhar a classificação às oitavas de final da Libertadores no dia 24 de abril, na Vila Belmiro, pela quarta rodada da primeira fase.

Vanderlei supera dores para brilhar em vitória do Santos

No sacrifício, Vanderlei foi o melhor jogador do Santos na vitória por 1 a 0 sobre o Estudiantes nesta quinta-feira, em Quilmes, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores da América. O goleiro sofreu um trauma na mão esquerda no treinamento desta quarta, mas superou as dores e foi para o jogo. E brilhou.

O goleiro fez pelo menos quatro grandes defesas para segurar o resultado na Argentina. Eleito melhor em campo pelos organizadores da Libertadores, o camisa 1 dividiu os méritos e alertou o time.

“Agradeço pela vitória e pela oportunidade. Sabíamos que seria difícil, campo acanhado, apoio da torcida, e sabíamos do espaço para contra-ataque. Fizemos o gol e poderíamos ter feito outro. Vieram para cima, suportamos bem e saímos com uma vitória muito importante”, analisou Vanderlei, em entrevista ao SporTV.

As defesas dão tranquilidade maior para os jogadores. Vão ter oportunidade de definir. Faltou passe final no contra-ataque e seguramos bola, rifamos muito. Serve de aprendizado. Sobre a nota (da atuação), deixo para vocês (da imprensa). O importante é fazer um grande trabalho”, completou.

Veja abaixo todas as defesas de Vanderlei na partida contra o Estudiantes.

Sasha diz que vitória superou expectativas do Santos: “Um ponto não seria ruim”

O empate não seria ruim, mas o Santos venceu o Estudiantes por 1 a 0 nesta quinta-feira, em Quilmes, e assumiu a liderança do Grupo 6 da Libertadores da América. Eduardo Sasha admite que o resultado supera as expectativas do Peixe.

“A gente veio para pontuar. Um ponto não seria ruim, mas conseguimos uma vitória muito importante para enfrentarmos ele em casa e podermos aumentar ainda mais a vantagem”, disse Sasha, ao SporTV.

Sasha foi decisivo. O atacante finalizou a bola na trave antes de Arthur Gomes, na pequena área, só empurrar para o fundo das redes.

“Foi um gol coletivo, saímos em um contra-ataque muito rápido. Eu, Rodrygo e Arthur estamos de parabéns pelo belo gol”, emendou.


Santos 1 x 3 São Bento

Data: 11/03/2018, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 12ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.816 pagantes
Renda: R$ 104.250,00
Árbitro: Vinicius Furlan
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Alberto Poletto Masseira
Cartões amarelos: Luiz Felipe (S).
Gols: Marcelo Cordeiro (43-1, de pênalti), Arthur Gomes (45-1, de pênalti); Lúcio Flávio (33-2) e Fábio Bahia (48-2).

SANTOS
Vladimir; Robson Bambu (Victor Yan), Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Guilherme Nunes (Gabriel Calabres), Renato e Vitor Bueno (Copete); Diogo Vitor, Arthur Gomes e Yuri Alberto.
Técnico: Jair Ventura

SÃO BENTO
Rodrigo Viana; Lucas Farias, Luizão, João Paulo (Douglas Assis) e Marcelo Cordeiro; Fábio Bahia, Diego Felipe e Cássio (Maicon Souza); Marquinho (Léo Itaperuna), Everaldo e Lúcio Flávio.
Técnico: Paulo Roberto Santos



Reservas falham, e Santos perde para o São Bento na Vila

Com time reserva, o Santos perdeu para o eliminado São Bento por 3 a 1 neste domingo, na Vila Belmiro. O Peixe marcou com Arthur Gomes. Marcelo Cordeiro, Lúcio Flávio e Fábio Bahia fizeram para a equipe de Sorocaba.

No primeiro tempo, o alvinegro teve a bola nos pés, mas pouco assustou. A emoção ficou para os minutos finais. Robson Bambu cometeu pênalti em Everaldo. Marcelo Cordeiro converteu, aos 43′. Segundos depois, Arthur Gomes cavou pênalti e botou para as redes.

Na segunda etapa, em jogo mais aberto, o alvinegro criou mais, esbarrou no goleiro Rodrigo Viana, e viu o São Bento surpreender. Lucas Farias arrancou pela direita e cruzou, Luiz Felipe falhou e Lúcio Flávio empurrou. Desentrosado, o Santos não teve forças para reagir e ainda viu o São Bento fazer o terceiro após Vladimir subir para o escanteio nos acréscimos e deixar o gol vazio.

O Peixe termina a primeira fase do Paulistão como líder do Grupo D, com 18 pontos, e o quarto no geral, atrás de Palmeiras, Corinthians e Novorizontino. O alvinegro enfrentará o Botafogo nas quartas de final do Campeonato Paulista. O Santos decidirá em casa, provavelmente no Pacaembu.

O jogo:

O primeiro tempo foi bem mais morno que o forte calor na Baixada Santista. O Santos, como esperado, ficou com a posse de bola e tentou controlar o jogo, mas não criou grandes chances. O São Bento marcou bem e quase não assustou Vladimir.

O Peixe chegava bem até a intermediária ofensiva, mas pecava no último passe. O São Bento roubava a bola e se livrava rapidamente, sem aproveitar as oportunidades.

A primeira etapa só se animou nos minutos finais. Aos 43 minutos, Robson Bambu derrubou Everaldo na área. Marcelo Cordeiro converteu. E segundos depois, a resposta santista também veio em uma penalidade máxima. Arthur sofreu e fez. Ambos os lances são questionáveis.

O segundo tempo começou mais aberto. Aos 8 minutos, Cássio encontrou Everaldo sozinho na área, o atacante deslocou Vladimir, mas Bambu interceptou antes da bola ultrapassar a linha.

Cinco minutos depois, o Peixe teve duas chances para virar. Dodô tabelou com Renato e cruzou para Yuri Alberto, de carrinho, finalizar para grande defesa de Rodrigo Viana na pequena área. Na sequência, Diogo Vitor arriscou de longe e o goleiro espalmou novamente.

O Santos voltou a assustar com Yuri Alberto. Em partida discreta, o centroavante arrancou aos 21, fez fila, mas chutou por cima do gol, ganhando aplausos do torcedor.

E aos 33, veio a ducha d’água fria. Lucas Farias arrancou pela direita e cruzou para Lúcio Flávio, no segundo pau, empurrar para as redes. Luiz Felipe falhou no lance. E segundos depois, Vladimir fez grande defesa em chute de Everaldo para evitar o pior.

Nos minutos finais, o Santos nem esteve perto do empate. O São Bento administrou bem e ainda fez o terceiro, quando o goleiro Vladimir subiu para escanteio, Diogo Vitor perdeu a bola no rebote e Fábio Bahia fez o terceiro, com gol vazio.

Bastidores – Santos TV:

Renato diz que derrota pesa, mas pede foco do Santos na Libertadores

Capitão do Santos, Renato falou sobre a derrota por 3 a 1 para o São Bento neste domingo, na Vila Belmiro, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista. O volante de 38 anos manteve o discurso ameno e já falou da Libertadores. O próximo jogo será contra o Nacional-URU, quinta-feira, no Pacaembu, pela segunda rodada.

“A gente sabia que era um jogo difícil. Eles fizeram marcação homem a homem. Esse gol no final foi mérito deles. Infelizmente não conseguimos a vitória, mas agora temos um jogo importante na Libertadores, no Pacaembu”, disse o veterano, ao Premiere.

“Resultado pesa, sim, mas agora é pensar na Libertadores. Lutamos até o fim, não aproveitamos as oportunidades e eles foram felizes”, completou.

O Peixe terminou a primeira fase como líder do Grupo D, mas na quarta colocação geral, atrás de Palmeiras, Corinthians e Novorizontino. O alvinegro enfrentará o Botafogo nas quartas de final e decidirá em casa, provavelmente no Pacaembu.

Jair vê lado bom de derrota no Santos: “Sei com quem posso contar”

O Santos perdeu por 3 a 1 para o São Bento, neste domingo, na Vila Belmiro, mas o técnico Jair Ventura acredita que há como tirar coisas positivas da atuação. Agora é possível saber com quais reservas se pode contar para o decorrer da temporada.

“Não posso tirar o jogo dentro de um contexto. Classificação com duas rodadas de antecedência e, por isso, oportunizei mais de 30 atletas em 13 jogos. Agora, em momentos decisivos, sei com quem posso contar. Torcida quer vencer, derrota é ruim, mas Santos teve luxo de time alternativo para conhecer o elenco”, disse Jair, em entrevista coletiva.

“Tivemos coisas positivas e negativas. Coisas que não gostamos, fizemos avaliação individual e vamos observar o jogo de novo. Fica complicado expor, principalmente individualmente, mas muitas coisas que tínhamos dúvidas viraram certeza. É importante. Gosto muito de justiça. E de repente eu teria que chegar em momento decisivo sem olhar. E agora são 30 jogadores observados em 13 jogos. Chegamos em um momento decisivo conhecendo bem o elenco. A derrota em casa é ruim, lógico, mas espero que o torcedor entenda o planejamento”, completou.

Com o tropeço, o Santos seguiu como líder do Grupo D do Campeonato Paulista, com 18 pontos, mas ficou atrás de Palmeiras, Corinthians e Novorizontino. O Peixe enfrentará o Botafogo nas quartas de final, com o segundo jogo em casa. A diretoria quer mandar o duelo no Pacaembu. Jair Ventura diz não ter preferência.

“O Santos tem o privilégio de ter duas casas. Compartilho desse privilégio. Santos será forte nas duas casas”, concluiu o treinador.

Jair assume responsabilidade por má atuação de Bambu no Santos

Robson Bambu foi uma das novidades do Santos na derrota por 3 a 1 para o São Bento, neste domingo. Zagueiro de origem, o Menino da Vila foi lateral-direito e não foi bem. Ele cometeu o pênalti do primeiro gol dos visitantes.

O técnico Jair Ventura admitiu que Bambu não se destacou e assumiu a responsabilidade pela escalação. O defensor foi xingado pela torcida no caminho para o vestiário após o apito final.

“É complicado, menino quebrou galho. Ficou em cima para o Victor Ferraz jogar e eu não tinha outra opção. Daniel Guedes treinou forte hoje pela manhã e eu tive que sacrificar. Esses xingamentos têm minha responsabilidade. Não tenho problema em escalar. Não fez um grande jogo, saiu cansado, naquela vontade de fazer, melhorar, acabou não aguentando. É um zagueiro com grande velocidade, pode ser um lateral mesmo, como vinha treinando. Não coloquei ele de lateral ontem, ele vinha treinando. Ele treinou na vaga do Ferraz. Não vou mentir que ele foi bem, mas temos que levar em consideração que estava adaptado e foi um pedido meu”, explicou o treinador.

Daniel Guedes deve permanecer como titular contra o Nacional-URU na próxima quinta-feira, no Pacaembu, pela segunda rodada da Libertadores. Victor Ferraz está em fase final de recuperação e pode ser novidade na lista de relacionados.

Jornada dupla: Santos treinou com titulares antes de derrota com reservas

O time reserva do Santos perdeu por 3 a 1 para o São Bento na tarde deste domingo, na Vila Belmiro. E os titulares treinaram de manhã, no CT Rei Pelé, em jornada dupla do técnico Jair Ventura.

O Peixe poupou seus principais jogadores pensando no duelo pela Libertadores, contra o Nacional, quinta-feira, no Pacaembu, pela segunda rodada da competição continental.

“Resultado não foi bom, mas treinei com prováveis titulares, temos mais duas ou três sessões de treino e podemos chegar afiados na Libertadores, já que estávamos classificados com antecedência”, explicou o treinador.
O provável time titular do alvinegro para a partida contra os uruguaios é: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison; Eduardo Sasha, Léo Cittadini, Vecchio e Rodrygo; Gabigol.

Santos tem pior público do ano; Jair justifica: “Time alternativo”

O Santos teve seu pior público em 2018 na derrota por 3 a 1 para o São Bento, neste domingo, na Vila Belmiro: 3.816 pagantes, com renda de R$ 104.250,00.

Antes deste domingo, o Peixe recebeu 7508 contra o Bragantino, 6.608 diante do Santo André e 4.165 na vitória sobre o São Caetano. No Pacaembu, a média de público é de 22.980 após dois jogos: Ituano e Corinthians.

Em coletiva de imprensa, o técnico Jair Ventura entendeu o baixo público e projetou casa cheia na quinta-feira, no Pacaembu, contra o Nacional-URU, pela segunda rodada da Libertadores.

“Torcida sabia do time alternativo, da classificação, e entendemos. Quando for decisivo, faremos grande festa como fizemos no Pacaembu (contra o Corinthians). Eu imagino que a torcida vá entender o planejamento feito (contra o Santo André) e vá nos apoiar na quinta-feira”, afirmou o treinador.

A diretoria presidida por José Carlos Peres tem a premissa de dividir os mandos de campo entre Vila Belmiro e Pacaembu pela metade.

Jair usa 31, acha soluções e vê carências após 1ª fase do Santos

O Santos terminou a primeira fase do Campeonato Paulista como líder do Grupo D, com 18 pontos, e quarto na classificação geral, atrás de Palmeiras, Corinthians e Novorizontino. Para o técnico Jair Ventura, o saldo foi positivo, principalmente pela rodagem dada ao elenco.

Novo no comando, o treinador utilizou 31 dos 37 jogadores inscritos no Paulistão. E dentre os seis não aproveitados, um é o terceiro goleiro (João Paulo), dois ficaram a maior parte do tempo no departamento médico (Cleber e Yuri) e três foram recém-promovidos das categorias de base (Matheus Guedes, Emerson Barbosa e Lucas Lourenço).

“Oportunizei mais de 30 atletas (são 31) em 13 jogos. Agora, em momentos decisivos, saberemos com quem contar. Torcida quer vencer, derrota é ruim, mas Santos teve luxo de time alternativo para conhecer o elenco”, explicou Jair, em entrevista coletiva no último domingo.

No “intensivão” com o plantel em menos de dois meses e 12 partidas no Estadual, Jair Ventura encontrou soluções e teve a certeza de algumas carências. Veja um resumo abaixo.

Goleiros

O Peixe não tem qualquer carência nesse setor. Vanderlei é um dos melhores do Brasil e Vladimir costuma dar conta do recado quando acionado. João Paulo, terceira opção, chegou a ser titular em 2017 e também se mostrou confiável.

Laterais

Na ala direita, há um problema. Daniel Guedes é o atual titular. Victor Ferraz, em recuperação de luxação no ombro direito, é a alternativa. Não há, porém, uma terceira peça. O zagueiro Robson Bambu treinou como lateral e atuou assim na derrota para o São Bento, mas não convenceu.

Na lateral esquerda, Jair parece estar bem servido. Dodô foi contratado e vem sendo titular, Caju é o reserva e Jean Mota e Copete já desempenharam bem a função. Emerson Barbosa treina no sub-20 e pode pintar em caso de alguma necessidade. Romário foi emprestado ao Ceará após ir mal nas duas primeiras partidas.

Zagueiros

É, certamente, onde o Santos menos tem problemas. Os titulares Lucas Veríssimo e David Braz são regulares e ainda há Luiz Felipe, Gustavo Henrique, Cleber Reis, Robson Bambu e Matheus Guedes. Cleber, que não recebeu qualquer chance em 2018, deve ser emprestado.

Meio-campistas

É a área do campo onde Jair Ventura precisa se preocupar. No esquema 4-1-4-1, Alison é titular absoluto como primeiro “1”. À frente, Vecchio só deixou de jogar quando o alvinegro poupou a todos diante do São Bento, mas é irregular. O terceiro elemento, no momento, é Léo Cittadini, que busca afirmação.

O experiente Renato perdeu a vaga. Matheus Jesus foi negociado com o Gamba Osaka-JAP e Vitor Bueno não correspondeu quando acionado. Jean Mota ganhou as principais chances na lateral e pode ser uma solução no meio. Guilherme Nunes se mostrou um bom substituto para Alison. Gabriel Calabres, destaque da Copinha, e Victor Yan, promovido do sub-17, atuaram por poucos minutos na última rodada. Lucas Lourenço não saiu do banco de reservas e Yuri, com fratura em osso do pé direito, está fora de combate desde o começo da temporada.

Uma observação importante: Diego Pituca, não inscrito no Campeonato Paulista, tem agradado nos treinamentos, está na lista da Libertadores e pode ser novidade em um futuro próximo. Canhoto, ele é meia de origem no Botafogo-SP, mas também pode atuar como volante.

Atacantes

Enquanto espera pelo retorno de Bruno Henrique, em fase final de recuperação de contusão na retina do olho direito, o Santos procura o terceiro atacante para jogar ao lado de Eduardo Sasha e Gabigol.

Neste momento, Rodrygo larga na frente e deve ser titular contra o Nacional-URU, pela Libertadores. Arthur Gomes, Copete e Diogo Vitor são opções para o lado do campo. Yuri Alberto é reposição para Gabigol. Rodrigão perdeu espaço e nem vem sendo relacionado.

Time-base

Neste momento da temporada, a equipe titular do Santos é Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison; Eduardo Sasha, Léo Cittadini, Vecchio e Rodrygo; Gabigol.

Victor Ferraz e Dodô brigam por espaço nas laterais. Se Rodrygo vacilar, Arthur Gomes é a primeira opção. E Bruno Henrique deve retornar ainda nas fases finais do Campeonato Paulista. Para as quartas de final, o Peixe pode fazer quatro mudanças entre os inscritos. Romário e Matheus Jesus, negociados, serão substituídos. Pituca é um provável nome.

Veja todos os jogadores utilizados pelo Santos na primeira fase do Campeonato Paulista:

Goleiros: Vanderlei e Vladimir
Laterais: Daniel Guedes, Victor Ferraz, Dodô, Romário e Caju
Zagueiros: Lucas Veríssimo, David Braz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Robson Bambu
Meio-campistas: Alison, Renato, Vecchio, Léo Cittadini, Vitor Bueno, Matheus Jesus, Gabriel Calabres, Guilherme Nunes, Victor Yan e Jean Mota
Atacantes: Eduardo Sasha, Rodrygo, Gabigol, Bruno Henrique, Arthur Gomes, Copete, Rodrigão, Yuri Alberto e Diogo Vitor

Aos 16 anos, Victor Yan vibra por estreia inesperada no Santos

Victor Yan, 16 anos, estreou como jogador profissional do Santos no último domingo, na derrota por 3 a 1 para o São Bento, na Vila Belmiro, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

A chance não era esperada. Com todos os titulares poupados, Yan, Emerson e Lucas Lourenço, das categorias de base, foram chamados para compor o banco de reservas. E Victor foi acionado para substituir Robson Bambu na metade final do segundo tempo.

Volante de origem, Victor Yan fez alguns treinamentos como lateral-direito com o técnico Jair Ventura no começo da temporada. A experiência o fez debutar no Peixe.

“Foi uma emoção enorme, não só pra mim, mas pra minha família também. Com certeza é algo que ficará marcado para sempre na minha vida. Sempre sonhei com isso. Quero agradecer a Deus, aos meus companheiros, a comissão técnica e ao Santos por esse momento maravilhoso. Espero que seja o primeiro de muitos jogos com essa camisa que carrega uma história linda no futebol”, disse Yan, do sub-17.

Surpreso com a oportunidade, o meio-campista revela a conversa com Jair na área técnica antes de entrar e lamenta a estreia com derrota na Vila.

“Eu fiquei muito feliz quando soube que ia para o jogo. O Jair já tinha falado comigo sobre uma chance no profissional, mas não imaginei que fosse acontecer tão rápido. Ali na hora que eu fui entrar, ele me passou as orientações, pediu pra ajudar bastante na marcação e trocar com o Guilherme (Nunes) na bola parada. Infelizmente tomamos o segundo gol, então eu tive que sair mais para o jogo, já que o time estava perdendo”, completou.

Victor Yan é um dos destaques da equipe sub-17 e tem multa rescisória de 50 milhões de euros (pouco mais de R$ 200 milhões). O volante tem boa saída de jogo e faz muitos gols na base.


Flamengo 1 x 2 Santos

Data: 26/11/2017, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Luso-Brasileiro, a Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 15.456 presentes (13.798 pagantes)
Renda: R$ 288.083,00
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (SC/FIFA) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Diego e Felipe Vizeu (F); Jean Mota e Alison (S).
Gols: Lucas Paquetá (06-1), Bruno Henrique (10-1) e Arthur Gomes (28-2).

FLAMENGO
Alex Muralha; Rodinei, Réver, Rafael Vaz e Renê; Willian Arão (Vinícius Júnior), Gustavo Cuéllar e Diego (Geuvânio); Everton Ribeiro, Lucas Paquetá e Felipe Vizeu (Lincoln).
Técnico: Reinaldo Rueda

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Fabián Noguera e Jean Mota; Alison, Renato e Vecchio (Kayke); Bruno Henrique (Matheus Jesus), Copete (Arthur Gomes) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Elano Blumer



Santos bate Flamengo e se garante na fase de grupos da Libertadores

O Santos garantiu presença na fase de grupo da Copa Libertadores 2018 durante a noite deste domingo. Na Ilha do Urubu, o time alvinegro começou em desvantagem diante do Flamengo, mas conseguiu no segundo tempo a virada por 2 a 1, resultado que assegura a classificação.

Com 62 pontos ganhos, o Santos dorme na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, enquanto o Flamengo, com os mesmos 53 pontos, permanece no sexto lugar. A posição dos dois times pode ser influenciada pelo jogo entre Palmeiras (60) e Botafogo (52), que duelam às 20 horas (de Brasília) de segunda-feira, no Palestra Itália.

Pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos volta a campo para enfrentar o Avaí, time que ainda luta para evitar o rebaixamento. Já o Flamengo pega o também ameaçado Vitória, no Estádio Barradão. Todos os jogos serão disputados às 17 horas de domingo.

Antes de pensar no Brasileiro, o Flamengo tenta garantir vaga na decisão da Copa Sul-Americana. Às 22h15 da próxima quinta-feira, na Colômbia, o time rubro-negro encara o Junior Barranquilla precisando de um empate para avançar à final do torneio continental.

O jogo

Em um começo de jogo movimentado na Ilha do Urubu, o Flamengo saiu na gente logo aos seis minutos do primeiro tempo. Após escanteio pela esquerda, o zagueiro Rafael Vaz cabeceou, Victor Ferraz não conseguiu afastar e a bola sobrou para cabeçada certeira de Lucas Paquetá.

O Santos não sentiu o gol e conseguiu empatar quatro minutos depois, com a colaboração de Alex Muralha. O goleiro falhou na tentativa de driblar Ricardo Oliveira e perdeu a bola. O centroavante, então, tocou para Bruno Henrique completar com o gol vazio.

O time visitante marcou o gol da virada aos 28 minutos da etapa complementar, em nova falha de Alex Muralha. Colocado pelo técnico Elano no lugar de Copete, Arthur Gomes limpou a marcação pela esquerda e bateu para outro vacilo do goleiro adversário.

O Flamengo pressionou e buscou o empate nos minutos finais da partida, especialmente com o jovem Vinícius Júnior, posicionado na ponta esquerda. No entanto, o Santos soube como se defender na Ilha do Urubu e garantiu o triunfo para avançar à fase de grupos da Copa Libertadores 2018.

Bastidores – Santos TV:

Elano fala em “noite memorável” e valoriza vaga na Copa Libertadores

Encarregado de comandar o Santos após a saída do técnico Levir Culpi, Elano conduziu o time a uma vaga antecipada na fase de grupo da Copa Libertadores 2018. Satisfeito, o interino valorizou o feito após a vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, alcançada na noite deste domingo, na Ilha do Urubu.

Com 62 pontos ganhos, o Santos dorme na terceira colocação do Campeonato Brasileiro e ainda pode ser ultrapassado pelo Palmeiras, que tem 60 e ainda enfrenta o Botafogo na noite desta segunda-feira, no Palestra Itália. De qualquer maneira, o time praiano terminará, na pior das hipóteses, no quarto posto.

“É uma noite muito memorável. Estou vivendo uma experiência que não é simples. Enfrentar uma equipe da grandeza do Flamengo… Estive aqui e sei o que significa. É um clube fantástico e dirigido por pessoas capacitadas. Poder vir aqui, fazer um grande jogo e vencer é memorável”, declarou Elano.

O Flamengo chegou a sair na frente com um gol marcado por Lucas Paquetá, mas Bruno Henrique empatou para o Santos ainda no primeiro tempo. Na etapa complementar, colocado por Elano no lugar de Copete, Arthur Gomes marcou o gol da vitória.

“Estou muito feliz, porque é uma noite em que vou conseguir dormir muito melhor. É especialíssima para mim. Agradeço aos atletas e à diretoria pela confiança, mas o mais importante nesse momento é que o objetivo de Libertadores foi alcançado”, declarou Elano, evitando comentar o desempenho do vulnerável Alex Muralha.

“O Ricardo Oliveira foi muito bem, muito rápido. Acho que é mérito dos nossos atletas, que fizeram o que treinamos. Foi tudo muito bem executado e eles estão parabéns por uma noite memorável. Estamos na Libertadores, classificados à fase de grupos”, reiterou o interino.


Santos 3 x 1 Atlético-MG

Data: 04/11/2017, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.418 pagantes
Renda: R$ 337.480,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO/FIFA)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires (GO/FIFA) e Leone Carvalho Rocha (GO).
Cartões amarelos: Daniel Guedes (S); Otero, Fábio Santos e Elias (A).
Gols: Arthur Gomes (45-1); Fred (05-2), David Braz (15-2) e Ricardo Oliveira (34-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Caju; Alison, Renato (Yuri) e Lucas Lima; Arthur Gomes (Daniel Guedes), Bruno Henrique (Rodrygo) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Elano Blumer

ATLÉTICO-MG
Victor; Marcos Rocha, Leo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adílson, Elias, Cazares (Valdívia) e Otero (Luan); Robinho e Fred (Rafael Moura).
Técnico: Oswaldo Oliveira



Santos muda postura, vence Atlético-MG e segue vivo na briga pelo título

Logo em sua primeira entrevista como técnico do Santos após a demissão de Levir Culpi, Elano afirmou que iria recuperar o ‘DNA ofensivo’ do clube. Pelo menos no primeiro tempo do duelo contra o Atlético-MG, neste sábado, na Vila Belmiro, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, o novo comandante conseguiu. Agressivo, o Peixe abriu o placar com Arthur Gomes. Na segunda etapa, porém, a equipe voltou a recuar e levou o empate, com Fred. Porém, os santistas alcançaram a vitória após gols de David Braz e Ricardo Oliveira, e seguem vivos na luta pelo título do torneio nacional.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos 56 pontos, assumiu a segunda colocação e encostou no líder Corinthians, que tem 59 e encara o Palmeiras neste domingo, em Itaquera. Já o time mineiro, por sua vez, parou nos 42 e segue na 10ª posição.

O jogo

O jogo começou elétrico na Vila Belmiro. Com menos de dois minutos, o Santos perdeu duas boas oportunidades, com Arthur Gomes e Bruno Henrique, respectivamente. O Atlético, por sua vez, respondeu na sequência em rápido contra-ataque. Robinho avançou sozinho pelo lado direito e cruzou para Fred, que não alcançou. No rebote, Cazares entrou na área e chutou na rede pelo lado de fora.

Ao contrário do que acontecia com Levir Culpi, o Santos de Elano propunha o jogo na Vila. O Galo, por sua vez, buscava o contra-ataque. Aos 14 minutos, Ricardo Oliveira driblou dois atleticanos na lateral esquerda e rolou para Arthur Gomes. O jovem mandou uma bomba de fora da área e a bola passou muito perto do gol de Victor.

Aos 17, o goleiro do Galo cortou escanteio de forma errada e a redonda sobrou para Renato dentro da área. Porém, o volante chutou para fora e desperdiçou ótima oportunidade.

O Peixe não conseguiu converter o domínio em gols. Tanto que o lance mais comemorado pela torcida foi uma caneta de Alison em Robinho. O drible do volante em cima do Rei das Pedaladas foi comemorado como um gol na Vila.

Quem quase abriu o placar, por sinal, foi o Atlético-MG. Aos 32 minutos, Cazares avançou em velocidade pela direita, entortou Alison e tocou para dentro da área. Victor Ferraz afastou o perigo antes da chegada de Robinho.

A boa chegada do Galo não assustou o Santos, que seguiu melhor. Aos 36, Bruno Henrique cruzou na área, Gabriel cortou mal, e bola sobrou para Ricardo Oliveira. O centroavante, porém, mandou por cima de Victor.

Já aos 39, Bruno Henrique tentou o drible e a bola bateu na mão de Fábio Santos fora da área. Após muita reclamação e pedidos de pênalti pelos santistas, o árbitro Wilton Pereira Sampaio anotou a falta. Na cobrança, Lucas Lima bateu fraquinho, nas mãos de Victor.

E quando parecia que o duelo iria para o intervalo empatado, Bruno Henrique fez linda jogada pela direita e cruzou para Arthur Gomes. O jovem de 19 anos, que não era utilizado por Levir Culpi, testou firme para vencer Victor e abrir o placar para o Peixe na Vila.

Ao contrário da etapa inicial, o duelo voltou mais lento do intervalo, beneficiando o futebol mais cadenciado do Atlético-MG. Aos 4 minutos, Otero avançou pela direita e bateu por cima de Vanderlei. No lance seguinte, Robinho avançou também pelo lado direito e cruzou na cabeça de Fred, que apenas escorou para empatar a partida.

O tento logo no início voltou a animar o confronto. Aos 12, Bruno Henrique fez fila na zaga atleticana e tocou para Ricardo Oliveira. O camisa 9 tentou driblar Victor e perdeu a bola para o goleiro.

Três minutos depois, Lucas Lima cobrou escanteio no segundo pau, David Braz desviou e a bola foi devagarzinho até morrer no fundo da rede e colocar o Peixe em vantagem mais uma vez na Vila Belmiro.

Em desvantagem no marcador, o Atlético-MG passou a buscar mais o ataque e dominar o meio de campo. Aos 26 minutos, o time mineiro quase empatou em jogada bem parecida com a do primeiro gol. Robinho recebeu pela direita e cruzou na cabeça de Fred. Desta vez, porém, o centroavante testou fraco e Vanderlei pegou.

O jogo voltou a ficar elétrico na Vila. Aos 32, Robinho avançou na entrada da área e mandou uma bomba na trave. No lance seguinte, Leonardo Silva ganhou de todo mundo em cobrança de escanteio e testou na trave.

E o velho ditado “quem não faz toma” atacou novamente. Após perder duas boas chances, o Galo viu Bruno Henrique avançar em contra-ataque, aos 34 minutos, deixar Luan no chão e cruzar para Ricardo Oliveira testar firme e decretar o triunfo santista.

Com a vitória garantida, o técnico Elano aproveitou para promover a estreia de Rodrygo. Principal promessa das categorias de base, o jovem de 16 anos entrou na vaga de Bruno Henrique, mas não teve tempo para mostrar muita coisa.

Bastidores – Santos TV:

‘Estreante’ na Vila, Elano valoriza treinos e vibra com vitória do Santos: “Especial”

O torcedor do Santos se acostumou a ver Elano atuar na Vila Belmiro. Como treinador, porém, ele fez sua estreia neste sábado, em vitória do Peixe por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Substituindo o demitido Levir Culpi, o ex-jogador comemorou bastante o triunfo e fez questão de valorizar a semana livre de treinos antes do embate com o Galo.

“Treinamos muitas coisas durante a semana e se os jogadores não compram a ideia, não se dá para colocar em prática. A entrega no jogo é o espírito deles. São caras que chegam na frente, colaboram, são o alicerce do time. Temos uma base muito positiva. A gente sabe que a tática é boa se ela ganha. Fui feliz hoje, mas o mérito é dos atletas. Tive uma semana inteira de trabalho, ajudou bastante. Acabou de sair um treinador, se a gente coloca alguma coisa, parece que estamos apontando erros, mas não é isso, respeito muito o Levir. Eu saio em uma noite especial, é a primeira vez que sou treinador na Vila Belmiro. É especial”, disse Elano em entrevista coletiva.

O triunfo fez o alvinegro chegar aos 56 pontos, assumindo a segunda colocação e encostando no líder Corinthians, que tem 59 e encara o Palmeiras neste domingo, em Itaquera. Por conta disso, o técnico santista mantém vivo o sonho de conquistar a taça.

“Hoje pedi para eles (jogadores) irem para casa, comemorar como eles acharem melhor. Eles merecem. Temos folga no domingo e reapresentação na segunda. O campeonato está aberto. Independentemente do clássico entre Corinthians e Palmeiras amanhã. Vamos continuar nosso trabalho e a entrega tem que ser como a de hoje. Um time experiente e de muita qualidade”, concluiu Elano.

Arthur Gomes entra bem no Santos e agradece Elano: “Me deu a chance”

Arthur Gomes viveu uma tarde mágica neste sábado. Após receber um voto de confiança do técnico Elano, o jovem de 19 anos mostrou personalidade, jogou bem e fez o primeiro gol da vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, na Vila Belmiro, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“É o melhor sentimento que todo o ser humano pode ter. Tinha certeza que eu iria fazer gol. Elano me deu a chance e eu estou muito feliz”, disse o atacante na saída do gramado.

‘Revelado’ por Dorival Júnior, Arthur quase não foi utilizado no período que Levir Culpi ficou no comando do Peixe. Tanto que a última atuação do jovem havia sido no dia 19 de julho, em vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, na Vila, quando jogou por apenas 15 minutos. Antes, ele só entrou em campo por poucos minutos contra o Vitória, Atlético-GO e São Paulo, respectivamente.

Vale lembrar que quando Elano assumiu a equipe interinamente pela primeira vez no ano, em junho, Arthur Gomes também ganhou uma oportunidade e foi titular na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, no Pacaembu, no primeiro turno do Brasileirão.

E com o gol deste sábado, o jovem espera ganhar uma sequência no time titular, afinal, o colombiano Jonathan Copete, que ficou fora contra o Galo por uma conjuntivite, não vive boa fase.

Oliveira se vê em ‘uma crescente’ e valoriza coletivo do Santos: “Foi impecável”

Quem costumava assistir aos jogos do Santos de Levir Culpi deve ter até estranhado a apresentação da equipe neste sábado, em vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, na Vila Belmiro, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Propondo o jogo, principalmente no primeiro tempo, o Peixe não ficou satisfeito apenas em se defender e buscar o contra-ataque, que era comum com o antigo treinador.

Para o atacante Ricardo Oliveira, autor do último gol santista, o alvinegro mostrou um trabalho em equipe que pode fazer a diferença na reta final do Brasileirão.

“Nós temos de ressaltar o trabalho coletivo, que foi impecável. Outro fator positivo é o nosso torcedor, que gritou, nos apoiou. É o momento de unir forças”, disse o centroavante na saída do gramado.

Com o tento deste sábado, Oliveira alcançou a marca de 11 gols no ano, sendo que cinco foram anotados nos últimos sete jogos. “Meu momento é legal. Normalmente no final da temporada é quando começa a perder a potência. E eu estou em uma crescente. Fico feliz de contribuir hoje de novo”, concluiu o camisa 9.

O triunfo fez o alvinegro chegar aos 56 pontos, assumindo a segunda colocação e encostando no líder Corinthians, que tem 59 e encara o Palmeiras neste domingo, em Itaquera.

Vaias, caneta e derrota: Robinho volta a se dar mal em reencontro com o Santos

Robinho voltou a ser hostilizado por boa parte da torcida do Santos na vitória dos donos da casa por 2 a 1 sobre o Atlético-MG neste sábado, na Vila Belmiro. O atacante foi vaiado, driblado e derrotado.

Campeão brasileiro pelo Peixe em 2002 e 2004 e do Paulistão e da Copa do Brasil em 2010, o agora jogador do Galo se deu mal mais uma vez contra o time que o revelou. Foi a terceira derrota. Antes, perdeu por 3 a 0 na Vila, em 2016, e 1 a 0 no Horto, no primeiro turno.

Robinho foi vaiado desde o aquecimento. A torcida o chamou de mercenário e disse que o Santos não precisa dele. A cada domínio, os santistas lembravam da chateação por ele ter ido para o Atlético-MG no começo de 2016.

O momento de êxtase foi a caneta do volante Alison em Robinho, ainda no primeiro tempo. Acostumado a driblar, o atacante foi driblado e viu a torcida comemorar como um gol.

Depois de pouco tocar na bola na primeira etapa, Robinho tentou ajudar o Atlético a reagir. Ele deu ótimo cruzamento para Fred empatar o jogo, mas viu David Braz desempatar logo na sequência e Ricardo Oliveira matar o jogo.

Após a assistência, Robinho parou e olhou para a torcida do Peixe. Os atleticanos gritaram o seu nome. A retribuição veio com palmas. O Rei das Pedaladas ainda acertou a trave em chute de fora da área.

Antes de ir para o vestiário depois do apito final, ele ouviu ofensas e abaixou a cabeça, sem responder. Robinho é um dos alvos da atual diretoria do Santos para 2018. O contrato com o Atlético-MG se encerra no dia 31 de dezembro.

Robinho comentou a partida e disse que a torcida do Santos o ama.

“Infelizmente algumas bolas nossas bateram na trave e as deles entraram. Agora é levantar a cabeça e tentar vencer os próximos jogos. Eles me amam tanto (torcida do Santos) que é assim. O amor e o ódio estão sempre muito próximos”, disse o atacante.

Canal oficial do Santos no Youtube promove “cinco minutos de caneta” em Robinho. E depois tira do ar

Cinco minutos do Alison dando caneta no Robinho”. Este era o título de um vídeo postado pelo canal oficial do Santos no Youtube na noite deste sábado, após a vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Atlético-MG.

Poucas horas depois, porém, o vídeo foi retirado do ar do canal oficial do Santos. Mas aí já era tarde: ele já havia sido compartilhado em outros canais e redes sociais por torcedores.

O vídeo provocativo a Robinho mostra o quanto o torcedor santista se ressente pelo fato de ele ter preferido ir para o Galo no ano passado, após rápida passagem pelo futebol chinês.

O Rei das Pedaladas, criado e revelado pelo Santos, acabou sendo muito hostilizado pelos torcedores santistas na Vila Belmiro. Foi o terceiro jogo dele contra o Peixe. E a terceira derrota. Veja abaixo o vídeo da caneta de Alison:


Santos 6 x 2 Linense

Data: 03/02/2017, sexta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 1ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.567 pagantes
Renda: R$ 294.515,00
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Daniel Paulo Ziolli.
Cartões amarelos: Thiago Maia (S) e Zé Antônio (L).
Gols: Rodrigão (12-1) e Rodrigão 14-1); Thiago Santos (08-2), Lucas Lima (13-2), Arthur Gomes (31-2), Gabrielzinho (34-2), Vitor Bueno (44-2) e Thiago Ribeiro (47-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri e Zeca; Renato, Thiago Maia (Léo Cittadini) e Lucas Lima; Vitor Bueno, Copete (Thiago Ribeiro) e Rodrigão (Arthur Gomes).
Técnico: Dorival Junior

LINENSE
Edson Kölln; Bruno Moura, Bruno Costa, Rodrigo Lobão e Carleto; Zé Antônio, Caíque, Diego Felipe e Thiago Humberto (Gabrielzinho); Joãozinho e Thiago Santos.
Técnico: Guilherme Alves.



Santos massacra Linense na Vila, faz 6 a 2 e estreia bem no Paulistão

O Campeonato Paulista começou em grande estilo. Os torcedores que foram para a Vila Belmiro acompanharam uma grande partida, com oito gols anotados em 90 minutos. Apesar da valentia do Linense, o Santos não deu chances para a equipe do interior e aplicou uma sonora goleada por 6 a 2, nesta sexta-feira, na estreia da equipe no Paulistão.

Os destaques do jogo ficaram por conta de Rodrigão. Substituindo Ricardo Oliveira, que ainda realiza a pré-temporada, o atacante marcou dua vezes no primeiro tempo e saiu aplaudido na Vila. O meia Lucas Lima também deixou sua marca e mostrou que está disposto a dar uma resposta aos críticos. Arthur Gomes, Vitor Bueno e Thiago Ribeiro fecharam a goleada. Pelo lado do Linense, Thiago Santos e Gabrielzinho anotaram os tentos.

Com a vitória, o Peixe assume a liderança do grupo D do Paulistão, com três pontos. O Linense, por sua vez, não conquistou nenhum ponto e deve terminar a rodada na última colocação do grupo B.

O jogo

O Santos começou o Campeonato Paulista a todo vapor. Sem dar chance para o Linense respirar, os comandados de Dorival Júnior se lançaram ao ataque e criaram diversas oportunidades logo no início da partida. A mais clara saiu dos pés de Zeca, aos 11 minutos. O lateral-esquerdo cobrou falta com veneno e a bola bateu na trave do goleiro Edson Kölln.

No minuto seguinte, porém, o arqueiro do Linense não conseguiu segurar. Após ter deixado sua marca no amistoso contra o Kenitra, do Marrocos, no último sábado, o atacante Rodrigão apareceu novamente e anotou o primeiro gol do Paulistão de 2016. O centroavante recebeu cruzamento de Thiago Maia na pequena área e só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes.

Mesmo após ter aberto o placar, o Peixe continuou sufocando o time do interior e ampliou logo na sequência. O meia Lucas Lima acertou um lançamento primoroso para Vitor Bueno. O camisa 7 saiu na cara do gol e dividiu com o Edson Köll. A bola, porém, sobrou para Rodrigão. Com estrela, o centroavante bateu firme e marcou seu segundo tento na partida.

Quem não entrou na Vila atrasado e não viu o placar pode ter achado que o alvinegro estava perdendo. Mesmo com dois gols de vantagem, o Santos não tirou o pé e seguiu pressionando durante todo o primeiro tempo. Aos 25 minutos, Lucas Veríssimo deu lindo lançamento para Vitor Bueno. O meia cruzou e Rodrigão, sempre ele, bateu firme. Desta vez, porém, o goleiro Edson Kölln conseguiu desviar.

Após aparecer várias vezes, Rodrigão cometeu um belo garrancho na Vila Belmiro. Aos 39 minutos, Lucas Lima encontrou Copete na ponta direita. O colombiano cruzou rasteiro para o camisa 22, que furou feio. O atacante, porém, estava com crédito após anotar dois tentos e saiu aplaudido ao final do primeiro tempo.

Com a vantagem de dois gols anotada na primeira etapa, o Santos diminuiu o ritmo no início do segundo tempo. E foi castigado por isso. Aos 8 minutos, Carleto acertou belo lançamento para Thiago Santos. Nas costas da linha defensiva do Santos, atacante soltou uma pancada no ângulo e diminuiu o marcador na Vila.

Após o susto, o Peixe acordou e ampliou logo na sequência. Aos 12 minutos, Thiago Maia tocou para Lucas Lima. Com facilidade, o camisa 10 entrou na área e finalizou para fazer o terceiro do Peixe.

Novamente com o placar tranquilo, o alvinegro tirou o pé mais uma vez e a partida ficou monótona na Vila. Tanto que o momento de maior êxtase foi quando Rodrigão saiu para a entrada de Arthur Gomes, aos 25 minutos. Autor de dois gols, o atacante foi aplaudido por toda a torcida presente.

E se Rodrigão foi um dos nomes do jogo, seu substituto também roubou a cena. Mostrando personalidade, Arthur Gomes pedalou dentro da área, aos 31 minutos e tentou o cruzamento. A bola desvia no goleiro Edson Kölln e morreu no fundo do gol, anotando o quarto do Peixe.

Mesmo com a goleada, o Linense mostrou ser valente e diminuiu mais uma vez. Aos 34 minutos, Gabrielzinho aproveitou a falha defensiva do Santos, recebeu na pequena área e marcou o segundo do time do interior.

Quando o jogo já se encaminhava para o final, Vitor Bueno apareceu livre na área e fez o quinto. E quando parecia que não havia tempo para mais nada, Thiago Ribeiro recebeu lindo passe de Victor Ferraz e anotou o seu para fechar a goleada em 6 a 2 e garantir a primeira boa vitória do alvinegro no Campeonato Paulista de 2017.

Bastidores – Santos TV:

Dorival vê Santos acima do esperado, mas avisa: “Ainda é muito cedo”

O Santos começou o Campeonato Paulista de forma arrasadora. Atual bicampeão, o Peixe deu demonstrações claras de que é um forte candidato para a conquista do tri. De forma arrasadora, principalmente no primeiro tempo, os comandados de Dorival Júnior não deram chances para o Linense respirar e aplicaram uma sonora goleada de 6 a 2, na noite desta sexta-feira, na Vila Belmiro.

Para o técnico santista, o alvinegro apresentou um futebol acima do esperado por ele após os 23 dias de pré-temporada. “É um início de trabalho, algumas dificuldades foram mostradas. Nos leva muito equilíbrio, mas precisaremos arrumar muitas coisas. Em relação à criação, foi muito bom. Foi acima do que imaginávamos para um começo. “Fizemos um primeiro tempo de maneira intensa, principalmente na retomada de bola. Tivemos um jogo ofensivo efetivo, participando das jogadas com todo meio e ataque e boas presenças dos laterais”, ressaltou Dorival, em entrevista coletiva logo após a goleada.

Porém, apesar da ótima impressão deixada no primeiro jogo, o comandante do Santos acredita que os jogadores não devem entrar na onda da empolgação, pois a temporada está apenas começando.

“De modo geral, foi um jogo de criação e boas oportunidades, mas ainda é muito cedo. Temos que melhorar. Foi apenas uma boa partida, nada além disso. Temos que ter os pés no chão. Não foi nada além de um bom resultado. Estou satisfeito, mas amanhã começamos um processo novamente. Repetição, cobrança, mostrando mais os erros que os acertos. É um momento inicial”, concluiu Dorival.

Com gols, Rodrigão supera desconfiança e garante ‘fico’ no Santos

O atacante Rodrigão viveu um período de incertezas nos últimos dois meses. Cobiçado por Grêmio, Vitória, Bahia e Sport, o jogador chegou a ser considerado uma moeda de troca pela diretoria santista, que não o via com ‘tarimba’ suficiente para ser o substituto ideal de Ricardo Oliveira. A desconfiança era tanta que o clube trouxe Kayke para ser a ‘sombra’ do camisa 9. O centroavante de 23 anos, porém, foi bancado pelo técnico Dorival Júnior e não vem decepcionando.

Sem Oliveira, que perdeu duas semanas de pré-temporada por causa de caxumba, Rodrigão foi titular no jogo-treino contra o Nacional-SP, no amistoso diante o Kenitra, no Pacaembu, e na estreia do Campeonato Paulista, nesta sexta-feira, frente ao Linense, na Vila Belmiro. E em apenas três duelos, o atacante anotou quatro gols.

Os dois últimos tentos foram os mais importantes, pois serviram para abrir a goleada de 6 a 2 sobre o Elefante do interior. O técnico Dorival Júnior mostrou-se satisfeito com a atuação do centroavante.

“O Rodrigo é assim: fez um número grande de gols no ano passado e não teve um trabalho mais intenso com a nossa equipe. Queria ter a oportunidade de mantê-lo e dar um tempo de adaptação. Ele pode produzir mais. Foram gols importantes os de hoje. Ele tem que ter a noção que a intensidade de trabalho dele fará com que as coisas melhorem”, explicou o comandante do alvinegro.

Já Rodrigão, por sua vez, credita a boa fase com o trabalho intenso que realizou desde a reapresentação do Peixe, no último dia 11 de janeiro. “Isso é fruto do trabalho, da pré-temporada que a gente fez, sendo bem dedicado. Temos que mostrar o nosso ritmo, o nosso futebol, e mostramos nossa parte. Feliz pelos gols”, resumiu o jogador.

Debutante na Vila, Arthur Gomes vibra com primeiro gol: “Emoção grande”

Desconhecido de boa parte da torcida santista no ano passado, o atacante Arthur Gomes vem galgando seu espaço aos poucos no Santos e começou 2017 com tudo. Após mostrar personalidade e dar uma assistência no amistoso contra o Kenitra, no último sábado, o jovem de 18 anos entrou aos 25 do segundo tempo e precisou de apenas seis minutos para marcar seu primeiro gol com a camisa do Peixe.

Substituindo Rodrigão, que anotou dois tentos e saiu aplaudido pela torcida, Arthur Gomes não se intimidou com a Vila Belmiro lotada e partiu para cima dos zagueiros da equipe do interior, pedalou sobre a marcação e tentou o cruzamento. A bola desviou no goleiro do Linense e morreu no fundi das redes. O jogador, inclusive, fez seu primeiro jogo nos profissionais do alvinegro dentro do estádio e vibrou com a boa atuação.

“Emoção muito grande. Primeira vez que jogo aqui na Vila como profissional, na frente da torcida. Estou muito feliz. Glória a Deus por tudo. Meu futebol é assim, alegria. E igual falei ali, dedico o gol a minha mãe, meus irmãos. Gosto de estar aqui. Aqui eu sou feliz, esqueço tudo. Agora quero dar muitas alegrias ao torcedor santista”, resumiu Arthur Gomes na saída do gramado.

Teoricamente, o jovem de 18 anos dificilmente receberia oportunidades na temporada, afinal, além de Copete e Vitor Bueno, que estavam no elenco de 2016, o Peixe contratou os atacantes Vladimir Hernández, Kayke e Bruno Henrique. Porém, se continuar com as boas atuações, será difícil para os ‘medalhões’ competirem com ele.

“Olha… Sou sincero, não tenho problema de idade, ser contratado ou não. O Jogador que tiver pedindo espaço, vai ter preferência. Esse menino, Arthur, vem mostrando em campo. Espero que tenhamos cuidado. Estamos fazendo trabalho de fortalecimento com ele”, disse o técnico Dorival Júnior em entrevista coletiva após o triunfo sobre o Linense.

Longe da depressão e religioso, Thiago Ribeiro quer ser titular do Santos

Quando Dorival Júnior comunicou a diretoria santista que gostaria de contar com Thiago Ribeiro no seu elenco, os próprios dirigentes do clube estranharam a indicação do técnico. O Santos estava preparado para negociar o jogador, usá-lo como moeda de troca ou emprestá-lo novamente para outra equipe. Mas, Dorival se mostrou convicto, independente da reprovação da maior parte dos torcedores santistas, outra ala do clube que não compreendeu os motivos para tal escolha.

‘No sapatinho’, Thiago Ribeiro voltou ao Santos depois de passar o último um ano e meio entre Atlético-MG e Bahia e, em pouco tempo, começou a mudar parte das opiniões antes contrários ao seu aproveitamento.

Empenhado nos treinamentos, o atleta de 30 anos ganhou oportunidade no amistoso diante dos marroquinos do Kenitra e na estreia da equipe no Campeonato Paulista, frente ao Linense. Foram cerca de 20 minutos apenas somando as duas apresentações, mas o bastante para marcar dois gols e provar que está totalmente recuperado da depressão que o atingiu de forma inesperada e colocou sua carreira em risco.

“Eu não falava desse assunto abertamente, porque é muito delicado. Quando saí do Santos, em abril, maio de 2015, eu já estava numa situação complica, mas estava bem melhor do que em outubro de 2014, quando tudo começou. E no Atlético até consegui fazer uma temporada razoável, com gols. Mas eu entrava em campo e não sentia disposição. Muito complicado. Até eu não sabia o que estava acontecendo. Mas, busquei forças em Deus, confiei, tive fé e consegui superar tudo isso”, explicou, ao Sportv, Thiago Ribeiro, sem qualquer vergonha ou receio de expor um problema tão comum entre os brasileiros, mas que ainda esbarra em tabus.

“Eu sempre fui um jogador muito agudo, de partir em velocidade nas costas do zagueiro. Eu perdi totalmente a força, a força física, a resistência que eu tinha. E hoje a parte física conta muito. Você pode ter a técnica, mas se fisicamente você não estiver bem, você não consegue jogar. Me apeguei muito a Deus e sabia que assim eu conseguiria superar. E foi isso que aconteceu”, completou.

Mais apegado a religião e com dificuldade para tirar o sorriso do rosto, Thiago Ribeiro transparece a alegria interna que conta sentir. Sua recuperação não é da boca para fora e o campo também tem servido para provar o que suas palavras tentam explicar, até mesmo para que o torcedor do Peixe considere uma atuação aquém do esperado nos últimos meses antes de sua despedida do clube.

“Recuperei a alegria de viver, de jogar futebol. Estou feliz de poder jogar de novo em alto nível, sei do meu potencial, quero entrar em campo e demonstrar que não quero só fazer parte do elenco. Quero brigar por um lugar entre os 11, porque sei que tenho potencial para isso. Então, é trabalhar, se tiver cinco minutos para entrar, vou entrar. Estou muito feliz com essa volta”.

A titularidade, aliás, claramente é a maior motivação de Thiago Ribeiro no momento. Sempre que questionado o jogador entra no tema e deixa claro a sua determinação em desbancar a concorrência do colombiano Jonathan Copete, uma das principais estrelas da equipe de Dorival Júnior. A empolgação pelos primeiros jogos nesse retorno ao Santos lhe dá a convicção de que ser titular não é uma realidade muito distante.

“Eu não poderia imaginar um recomeço melhor que esse. Entrar no amistoso e fazer gol. Entrar hoje e fazer gol. Agradeço a Deus, às pessoas, ao Dorival, que apostou em mim. Isso é só o começo da temporada. Tenho muito a crescer ainda, mostrar que tenho potencial para brigar com todos. Meu objetivo é passo a passo, mostrar jogo a jogo, para buscar meu espaço entra os 11, e deixar a dúvida para o Dorival”, avisou, à Rádio Globo, minimizando o fato de ter de superar um atleta consolidado e em alta no clube.

“Para mim não é uma novidade ter de brigar por uma posição com vários jogadores de qualidade e, graças a Deus, eu sempre consegui um lugar no time. O segredo é fazer o que venho fazendo. Se tiver cinco minutos, entra e faz o máximo. Graças a Deus eu entrei ali e sobrou a bola para eu fazer o gol. Isso conta muito ponto. Você tem que procurar algo diferente, e quando consegue um lugar no time, tem que se empenhar, porque outro vai entrar e você vai perder espaço. Isso é bom para o Santos”, concluiu.

Lucas Lima vê Santos intenso na estreia, mas lamenta gols sofridos

O Santos conseguiu um ótimo resultado na estreia do Campeonato Paulista. A equipe goleou o Linense, por 6 a 2, e começou o Estadual com o pé direito. O meia Lucas Lima, um dos destaques da vitória, comentou a atuação do Peixe.

“Nosso time foi muito intenso, do começo ao fim do jogo”, comemorou o camisa 10, falando à Santos TV. Ele fez o terceiro do Alvinegro na Vila Belmiro, além de distribuir bons passes ao longo do duelo.

Apesar do ótimo desempenho ofensivo, com os seis tentos marcados, Lucas Lima lamentou os dois gols sofridos, e revelou que o técnico Dorival Júnior não deve ter gostado da situação.

“Tomamos dois gols ali, e com certeza vamos tomar um puxão de orelha do professor Dorival”, declarou o atleta. Ambos os gols tomados pela defesa santista aconteceram no segundo tempo, já com vantagem no placar.

O meia Vitor Bueno, que também deixou sua marca contra o Linense, celebrou a boa vitória, e parabenizou os companheiros. “Tínhamos feito dois bons amistosos, e está todo mundo de parabéns. Agora, é continuar mantendo o foco”, afirmou.

Desde show de Neymar e Ganso, Santos não marcava seis no Paulistão

O Santos fez 6 a 2 no Linense, na partida de abertura do Campeonato Paulista. Além de conquistar a primeira goleada da competição, em 2017, a equipe comandada por Dorival Júnior alcançou um feito que não acontecia há cinco anos, desde 2012: marcar seis gols em uma partida do Estadual.

Na última vez em que o Peixe balançou as redes tantas vezes, as estrelas do time ainda eram Ganso e Neymar. O time, comandado por Muricy Ramalho, fez 6 a 1 na Ponte Preta, no dia 25 de fevereiro de 2012. A partida aconteceu na Arena Barueri.

O camisa 11, que já era titular da Seleção Brasileira, deu show, marcando duas vezes. Na primeira, acertou lindo chute de fora da área. Depois, recebeu na área e, com um toque sutil por cima do goleiro, fez seu segundo.

Paulo Henrique Ganso, que no mesmo ano acabou se transferindo para o rival São Paulo, também fez o seu, em lance de oportunismo na área. O zagueiro Edu Dracena, atualmente no Palmeiras, fez dois, ambos de cabeça. Ferron, contra, completou o placar.

Naquele ano, o Alvinegro Praiano embalou com a goleada e conquistou o título estadual, o terceiro consecutivo, superando outro clube campineiro, o Guarani, na decisão.

Desta vez, frente ao Linense, quem brilhou com dois gols foi o centroavante Rodrigão. Lucas Lima, Arthur Gomes, Vitor Bueno e Thiago Ribeiro completaram o placar, e fizeram o Peixe repetir o número de tentos feitos em 2012. Vale lembrar que, pela Libertadores, no mesmo ano, o time de Muricy fez 8 a 0 no Bolívar, na maior goleada recente do clube.

Em 2017, a competição ainda está no início, e o Santos começa a buscar o tricampeonato do Campeonato Paulista. No próximo domingo, no Pacaembu, os comandados de Dorival Júnior enfrentam o Red Bull Brasil, pela segunda rodada da competição.