Navegando Posts marcados como Avaí

Avaí 1 x 2 Santos

Data: 06/11/2019, quarta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 31ª rodada
Local: Estádio Ressacada, em Florianópolis, SC.
Público: 4.820 pagantes
Renda: R$ 144.580,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Luiz Claudio Regazone e Lilian da Silva Fernandes Bruno (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Luanderson, Léo, Richard Franco, Igor Fernandes e Gegê (A); Gustavo Henrique e Luiz Felipe (S).
Cartões vermelhos: Léo (A) e Gustavo Henrique (S).
Gols: Eduardo Sasha (08-1), Marinho (23-1) e João Paulo (34-1).

AVAÍ
Lucas Frigeri; Eduardo Kunde, Betão e Zé Marcos (João Paulo); Léo, Luanderson (Gegê), Pedro Castro, Richard Franco, Julinho (Vinícius Araujo) e Igor Fernandes; Jonathan.
Técnico: Evando Camillato

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Derlis González) e Felipe Jonatan (Alison); Marinho, Soteldo (Luiz Felipe) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos sofre com expulsão, mas vence o Avaí na Ressacada

O Santos sofreu, mas venceu o lanterna Avaí por 2 a 1 nesta quarta-feira, na Ressacada, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Eduardo Sasha e Marinho. João Paulo descontou para o Léo.

O Peixe começou bem a partida, abriu 2 a 0 com certa facilidade e “sentou” na vantagem. O Avaí cresceu, diminuiu ainda no primeiro tempo e pressionou depois da expulsão de Gustavo Henrique, aos 17 minutos na etapa final. No fim, Léo foi expulso e deixou ambas as equipes com 10.

O Santos segue na terceira colocação, agora com 61 pontos, perto da vaga direta na Libertadores da América em 2020. O Avaí segue na última colocação, com 17.

O jogo

O Santos controlou o jogo desde o primeiro minuto e aproveitou bem as chances para abrir 2 a 0 diante do Avaí no placar do Estádio Ressacada.

Aos 8 minutos, em escanteio ensaiado, Carlos Sánchez bateu rasteiro, Felipe Jonatan fez o corta-luz e Marinho bateu fraco. Eduardo Sasha aproveitou a sobre para vencer Lucas Frigeri.

No minuto 23, Marinho recebeu pela direita e, na sua tradicional jogada, cortou para a esquerda, driblou e bateu bonito de fora da área. Gol semelhante ao da vitória sobre o Botafogo.

O gol, porém, “fez mal” ao Peixe. Os visitantes recuaram e viram o Avaí crescer. Aos 34, João Paulo acertou um lindo chute de longe para diminuir. Cinco minutos depois, Jonathan teve chance de empatar e parou em Everson.

“Não está acontecendo nada. Depois de fazer os gols, não mantivemos a mesma intensidade. Temos que ouvir Sampaoli e voltar 110%”, disse Marinho, ao Premiere, antes de ir para o vestiário.

O Santos seguiu mal nos 45 minutos finais, mas via o Avaí esbarrar na sua falta de criatividade. E no minuto 17, o jogo virou um drama para o Peixe. Diego Pituca errou e cedeu contra-ataque. Gustavo Henrique vacilou na marcação e teve de expulsar Jonathan, que só pararia no gol. Expulsão para o zagueiro do Alvinegro.

O Santos se fechou na defesa e o cenário mudou completamente para o Avaí. Aos 26, Vinicius cruzou rasteiro e Gegê, livre, furou na marca do pênalti. No minuto 38, Vinicius Araújo foi travado na hora H por Lucas Veríssimo na pequena área. Logo na sequência, Léo recebeu o segundo cartão amarelo e os dois times ficaram com 10.

Os visitantes “furaram a bola” nos minutos finais e garantiram mais três pontos. Terceira vitória consecutiva do Peixe no Brasileirão.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli valoriza vitória do Santos na Ressacada: “Adversário difícil aqui”

O técnico Jorge Sampaoli valorizou a vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Avaí nesta quarta-feira, na Ressacada, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe começou bem, mas caiu de rendimento após marcar o segundo gol e sofreu até o minuto final.

“Começamos bem, mas depois, em uma jogada esporádica, o Avaí conseguiu diminuir. O estímulo do gol fez com que eles passassem a ser superiores. No segundo tempo, ficou mais complicado depois da expulsão. Avaí sempre foi um adversário difícil para todos aqui”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli optou por Felipe Jonatan na vaga de Evandro. Improvisado no meio-campo, o lateral-esquerdo foi substituído por Alison no intervalo.

“Evandro havia atuado em dois jogos seguidos. Preferimos colocar um jogador mais fresco no meio para ter aparições surpresa de trás. Depois, se complicou e corrigimos com um sistema diferente. As rotações vão continuar acontecendo”, afirmou.

“Tivemos que modificar depois da mudança sistemática do Avaí (tirou um dos zagueiros), colocando Alison com o Pituca no meio. João Paulo entrou muito bem nas costas do nossos volantes. Corrigiu bem, mas depois se complicou com a expulsão (do Gustavo Henrique). O mais importante é que conseguimos uma vitória”, emendou.

Jorge Sampaoli manteve o discurso e evitou falar sobre título. O Flamengo está a 10 pontos e enfrentará o Botafogo nessa quinta-feira. O Palmeiras é o segundo, com cinco a mais.

“Estamos focados em deixar o Santos no lugar mais alto. Vamos jogo a jogo, vendo quantos pontos somamos. Passamos a barreira dos 60 pontos e isso nos deixa muito felizes. Depois veremos onde terminamos. Importante é ganhar sábado. Cada jogo será uma final”, concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Goiás, sábado, no Serra Dourada, pela 32ª rodada do Brasileirão. O Peixe treinará nesta quinta no CT do Avaí e na sexta no campo do Atlético-GO, sem voltar para São Paulo até domingo.


Santos 3 x 1 Avaí

Data: 28/07/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 12ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.787 pagantes
Renda: R$ 461.520,00
Árbitro: Wagner Reway (PB)
Auxiliares: Fabio Pereira (TO) e Ivan Carlos Bohn (PR).
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Alison e Uribe (S); Marquinhos Silva e Léo (A).
Gols: Derlis González (08-1), João Paulo (27-1) e Carlos Sánchez (32-1); Felipe Jonatan (32-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Jorge; Alison (Felipe Jonatan), Diego Pituca e Carlos Sánchez; Derlis González (Jean Mota), Soteldo (Marinho) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli

AVAÍ
Lucas Frigeri; Léo, Betão, Marquinhos Silva e Igor Fernandes (Julinho); Pedro Castro, Richard Franco, Lourenço, João Paulo e Gustavo Ferrareis (Caio Paulista); Bruno Sávio (Gegê).
Técnico: Alberto Valentim



Com estrela de Sampaoli, Santos vence o Avaí na Vila e é líder do Brasileirão

O Santos venceu o Avaí por 3 a 1 na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, e assumiu a liderança isolada do Campeonato Brasileiro, com dois pontos à frente do Palmeiras após 12 rodadas. É a primeira vez na liderança desde agosto de 2016.

O Peixe construiu a vitória com gols de Derlis González, Carlos Sánchez e Felipe Jonatan. O gol dos catarinenses foi de João Paulo. O técnico Jorge Sampaoli mostrou que tem estrela: Derlis foi a surpresa na escalação e Felipe entrou no intervalo, no lugar de Alison, improvisado no meio-campo.

O Alvinegro não teve vida fácil para vencer o lanterna. Os donos da casa abriram o placar, sofreram o empate e desempataram ainda no primeiro tempo. Na etapa final, o jogo ficou aberto, com chances para os dois lados.

O jogo

O Santos foi para cima desde o primeiro minuto, empurrando o Avaí no campo de defesa. E o gol não demorou a sair. Aos 8 minutos, Sánchez cruzou, a zaga afastou mal e a bola sobrou no pé de Derlis. O uruguaio bateu forte e abriu o placar.

Empurrado pela torcida, o Peixe seguiu na pressão e teve duas chances com Sasha. Na sequência, porém, diminuiu o ritmo e o Avaí equilibrou as ações.

No minuto 23, Aguilar salvou em chute de Ferrareis. E aos 27, o Avaí se aproveitou do atendimento médico a Diego Pituca, tocou bem a bola e encontrou João Paulo, livre, para deslocar Everson e empatar.

O Alvinegro “acordou” e logo desempatou. Soteldo, melhor em campo na primeira etapa, entortou a defesa e cruzou na cabeça de Sánchez na pequena área. O uruguaio deslocou Lucas Frigeri e colocou os donos da casa de volta à frente quando o placar marcava 32′ jogados.

O Santos passou a ter maior controle do jogo no segundo tempo e o Avaí ofereceu menos perigo nos contra-ataques. A primeira chance real, porém, só veio aos 23 minutos.

Felipe Jonatan arriscou de fora da área, Lucas Frigeri rebateu e Sasha, sozinho, bateu na trave depois do goleiro tocar na bola. Após dois minutos, Felipe deu um chapéu e deixou Marinho sozinho. O atacante chutou nova grande defesa de Frigeri.

No minuto 25, o Avaí respondeu. Pedro Castrou lançou Gegê e o atacante girou e bateu para intervenção providencial de Everson, a primeira do goleiro santista.

E depois de dar emoção ao jogo, o Santos garantiu a vitória e liderança do Brasileirão aos 32 minutos. E foi um golaço de Felipe Jonatan. O lateral-esquerdo deu um chapéu em Betão e chutou, com desvio em Pedro Castro, para encobrir o goleiro Lucas.

Nos minutos finais, o Avaí esteve entregue. O Santos seguiu no ataque e poderia até ter construído uma goleada. O Peixe é líder pela primeira vez desde agosto de 2016.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli contém euforia após liderança do Santos e diz: “Nosso maior adversário é a gente”

O técnico Jorge Sampaoli tenta conter a euforia após o Santos assumir a liderança do Campeonato Brasileiro com a vitória por 3 a 1 sobre o Avaí, neste domingo, na Vila Belmiro. Sampaoli vê a dificuldade de lidar com a liderança como maior adversário do Santos na sequência do Brasileirão.

“Nosso maior adversário é a gente mesmo. Se não entendermos isso nesse bom momento, não melhoraremos. Talvez em duas semanas o assunto seja outro. Temos que estar concentrados para melhorarmos, aprofundar o conceito e a ideia. Que joguemos como no segundo tempo hoje, sem se importar com o resultado. Temos que usar esse estado de ânimo a favor”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“É o que veremos daqui para frente. Se podemos gerar superioridade mesmo com a pressão da liderança. O mais difícil é manter, atrás da gente há equipes com jogadores muito conhecidos, com processos de maior tempo. Sabemos que nosso desafio é o que vem. Pode durar muito pouco. Nosso maior desafio é contra nós mesmos no próximo domingo”, completou.

Jorge Sampaoli vê a “confusão” e durante o primeiro tempo contra o lanterna Avaí como exemplo para a dificuldade de se manter líder.

“O que eu disse naquela coletiva eu sigo pensando. Veremos onde estaremos em novembro. Tudo custa muito para gente. No primeiro tempo custou, empataram e tivemos uma pequena confusão. Temos que tratar de ver como hierarquizamos o funcionamento da equipe para lidar também com a adversidade. Depois de 12 jornadas, nos consolidamos na briga contra equipes de grandes contratações. Cada partida vai ser mais difícil, ainda mais pela pressão do primeiro lugar”, concluiu.

Soteldo “raro” e Felipe Jonatan bem como volante: Sampaoli analisa dupla do Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, vê poucos jogadores como Yeferson Soteldo no mundo. O argentino se impressiona com a facilidade do venezuelano no um contra um.

O camisa 10 foi um dos destaques do Peixe na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí, neste domingo, na Vila Belmiro, com a liderança do Campeonato Brasileiro após 12 rodadas.

“Tamanho não é referência. Soteldo é um extremo que eu não conheço muitos que proponham tanto no 1×1. Importante que esteja bem. Não estava 100% por causa de uma pancada, mas a jogada do segundo gol é de um jogador desequilibrante e raro. Temos que fazer ele melhorar, é jovem. Se não fosse pelo físico, talvez não fosse tão rápido. Brasil tem muitos extremos baixos e hábeis”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli também analisou Felipe Jonatan e vê chance do lateral-esquerdo ser utilizado mais vezes no meio-campo. Ele fez o terceiro gol diante do Avaí.

“Ele tem muita força, segura bem a bola e Jorge por dentro gerou muito dano com um extremo como Soteldo e Marinho. Felipe pode nos dar muito mais nessa posição. É um lateral mais profundo e agudo que Jorge, com características mais internas”, completou.

Sampaoli chama Sasha de “incrível” e cobra maior “sintonia” de Marinho no Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, está entusiasmado com o momento de Eduardo Sasha. O atacante chama a atenção não apenas pela produção na área, mas principalmente pelo entendimento de jogo e chances criadas desde trás.

Sasha ganhou a disputa com Uribe e deixou o colombiano no banco de reservas na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí, neste domingo, na Vila Belmiro.

“Treinamos com os dois (Sasha e Uribe) e eu precisava escolher um. Sasha vive grande momento, é difícil tirá-lo. Equipe funciona muito bem com ele, quando ele volta, nos faz jogador. É incrível para mim. Sasha gera muitas situações. Joga muito bem para o companheiro. Quando jogarmos só com um 9, Uribe vai esperar”, disse Sampaoli.

O treinador santista também comentou sobre Marinho e quer maior sintonia do atacante com os companheiros para que se firme como titular – atualmente, tem sido opção no banco de reservas.

“Marinho tem muitas condições, temos que trabalhar muito com ele e disse pessoalmente. Ele é incisivo, profundo, e tem que jogar mais para a equipe. Ele precisa aprender, jogar mais com os do redor atrás e na frente, com triangulações e ultrapassagens. Hoje fez segundo tempo muito bom, outro dia nos deu a vitória (contra o Botafogo). Ele tem o gol, explosão, individualmente muito bom. Precisa entender a sintonia da equipe e trabalhamos isso todos os dias”, completou o técnico.

Líder, Sampaoli mantém pedido por reforços no Santos: “Diretoria sabe”

O Santos é líder do Campeonato Brasileiro, mas o técnico Jorge Sampaoli mantém o pedido por reforços. A prioridade é um volante para substituir Jean Lucas – um lateral-direito e outro ponta seriam bem-vindos.

Sampaoli pediu as contratações à diretoria e aguarda respostas. A maior dificuldade é o encerramento da janela de transferências na próxima quarta-feira.

“Avaliamos o elenco e diretoria sabe das necessidades. Depende deles. Torneio será largo, seria bom que chegassem, mas depende mais da diretoria do que de mim”, disse Jorge Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli vê “exagero” no carinho da torcida do Santos e diz que precisa se controlar

O técnico Jorge Sampaoli vê “exagero” no carinho da torcida do Santos desde a sua chegada. O argentino virou um ídolo e é o mais aplaudido em todos os jogos na Vila Belmiro ou Pacaembu.

O treinador ainda destacou a Vila lotada na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí neste domingo, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“O carinho do torcedor é um pouco exagerado. Futebol gera autopressões pela exigência. Torcida tem muita ilusão. Hoje enchemos o estádio, algo pendente entre torcida e a gente. Que tenhamos a possibilidade de desfrutar a equipe. No próximo jogo certamente lotaremos também. Isso depende do que fazemos no campo e sustentar isso. Fico feliz pela aceitação da torcida, em um país que não é o meu”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli também comentou sobre os excessos na área técnica. O técnico recebeu o terceiro cartão amarelo e não poderá dirigir o Santos contra o Goiás no domingo, às 11h, novamente na Vila.

“Terei que aprender a me cuidar. Receber o terceiro me deixa fora do jogo e é incômodo. Tenho que controlar minhas emoções”, concluiu.

Soteldo diz que pode fazer muito mais pelo Santos: “Agora vou mostrar meu futebol”

Soteldo ganhou a camisa 10 do Santos, se firmou como titular e fez quatro gols e cinco assistências na temporada. Mesmo assim, o venezuelano promete muito mais.

O meia-atacante foi um dos destaques do Peixe na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí neste domingo, na Vila Belmiro. O Alvinegro assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro.

“Todos acabam tendo confiança. Estamos fazendo as coisas bem com o Sampaoli. Falei que os primeiro seis meses foram de adaptação. Agora vou mostrar meu futebol”, disse Soteldo.


Santos 1 x 1 Avaí

Data: 03/11/2017, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.539 pagantes
Renda: R$ 122.215,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ/FIFA).
Auxiliares: Rodrigo F. Henrique Correa (RJ/FIFA) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ).
Cartões amarelos: Matheus Jesus e Emerson (S); Simião (A).
Gols: Copete (30-1) e Pedro Castro (31-1).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Jean Mota; Matheus Jesus, Renato e Vecchio (Emerson); Copete (Rodrygo), Bruno Henrique e Kayke (Yuri Alberto).
Técnico: Elano

AVAÍ
Douglas; Maicon, Betão, Alemão e João Paulo; Simião, Pedro Castro e Marquinhos (Juan); Maurinho, Lourenço (Rômulo) e Júnior Dutra (Luanzinho).
Técnico: Claudinei Oliveira



Santos empata na Vila, rebaixa Avaí e termina o Brasileirão em terceiro

O Santos tinha tudo para terminar o Campeonato Brasileiro em segundo na tabela, garantindo R$ 11,3 milhões no caixa. Porém, o Peixe sofreu contra um desesperado Avaí, na tarde deste domingo, na Vila Belmiro. Em partida recheada de oportunidades para os dois lados, o placar acabou mesmo ficando no empate em 1 a 1, que pulverizou os sonhos das duas equipes.

Com a igualdade em Urbano Caldeira, a equipe comandada por Elano não aproveitou o tropeço do rival Palmeiras, e terminou o torneio nacional na terceira colocação, com 63 pontos, a vaga direta na fase de grupos da Libertadores garantida e ainda uma premiação de R$ 7,7 milhões.

O Leão da Ressacada, por sua vez, encerrou o Brasileirão em 18º, com 43 pontos, e confirmou a queda para a Série B.

O jogo

Precisando da vitória para escapar do rebaixamento, o Avaí começou a partida pressionando o Santos na defesa. Em contrapartida, a equipe de Santa Catarina abria espaços para o Peixe criar. Tanto que a primeira boa oportunidade surgiu aos 6 minutos, quando Victor Ferraz avançou pela direita e soltou uma bomba para Douglas espalmar.

O Leão respondeu com João Paulo. Aos 12, o lateral arriscou uma bomba de muito longe e mandou no travessão de Vanderlei.

Com o passar do primeiro tempo, o alvinegro foi sendo mais incisivo e só não abriu o placar porque Douglas estava inspirado. Aos 24, Kayke mandou uma paulada de fora e o goleiro espalmou. Quatro minutos depois, após bate-rebate, a bola sobrou para Lucas Veríssimo dentro da pequena área. O zagueiro bateu fraco e o arqueiro salvou mais uma.

Aos 30, porém, Douglas não conseguiu salvar quando Jean Mota iniciou contra-ataque lançando para Matheus Jesus, que rolou para Copete. Em velocidade, o colombiano passou pelo camisa 1 e empurrou para o fundo das redes.

Mas a alegria dos santistas durou pouco. Na jogada seguinte, Pedro Castro dominou do lado esquerdo e mandou uma pedrada na gaveta, vencendo Vanderlei e empatando o mais uma vez o confronto.

Dois minutos depois do tento, Bruno Henrique dá belo passe para Kayke dentro da área. O atacante, porém, mandou para fora, decretando o 1 a 1 no primeiro tempo.

A partida voltou do intervalo com a mesma tônica da primeira etapa: aberta e com chances para os dois lados. Aos 2 minutos, Maicon cruzou e bola sobrou para Lourenço, que chutou em cima de Lucas Veríssimo. O Santos respondeu na jogada seguinte, quando Vecchio lançou para Bruno Henrique dentro da área. O atacante driblou a marcação, mas mandou pra fora.

Após o bom início, a partida caiu de produção, tanto que uma boa oportunidade surgiu apenas aos 22 minutos, quando Renato arriscou de longe e a redonda passou perto da trave de Douglas.

Na jogada seguinte, Jean Mota aproveitou sobra e também arriscou de fora da área. A bola encobriu o goleiro do Avaí, mas não entrou na meta.

Apesar do Avaí ainda buscar o ataque, foi o Santos que seguiu perdendo as melhores chances. Aos 29, Matheus Jesus finalizou e Yuri Alberto, que havia entrado na vaga do vaiado Kayke, perdeu gol inacreditável. Porém, o bandeirinha já assinalava impedimento na jogada.

Nos últimos minutos, o Avaí se desesperou e foi com tudo em busca do gol que o salvaria do rebaixamento. O Peixe, por sua vez, tinha o contra-ataque como arma para alcançar a vitória e o vice. Porém, nenhuma das equipes aproveitou as chances e o jogo acabou mesmo no 1 a 1.

Bastidores – Santos TV:

Elano lamenta ‘chances claras’ perdidas e elogia meninos do Santos: “Confio neles”

Com o título nas mãos do Corinthians e a vaga direta na fase de grupos da Libertadores garantida, o Santos tinha apenas um objetivo no embate com o Avaí, neste domingo, na Vila Belmiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro: conquistar o vice e ganhar R$ 11,3 milhões de premiação.

Grêmio e Palmeiras até ajudaram, já que foram derrotados por Atlético-MG e Atlético-PR, respectivamente. Porém, os santistas não fizeram sua parte, ficaram no empate em 1 a 1 com o time catarinense e terminaram o torneio nacional na terceira colocação, com 63 pontos.

Apesar do tropeço, o técnico Elano elogiou bastante o time e fez questão de exaltar o lateral-esquerdo Emerson, e os atacante Rodrygo e Yuri Alberto, que entraram em campo no segundo tempo da partida.

“Tivemos chances claras de gol. Criamos muitas oportunidades, mas faltou a bola entrar. Estávamos treinando, e coloquei os meninos por confiar muito neles. São dois meninos de 16 anos e o Emerson de 19, eu coloco sem medo. Não por eu achar que são “bonitinhos”, mas por achar que são bons. Eles tentaram. Foi uma dedicação muito grande de todos. Fico feliz por ter tido uma oportunidade, mas triste por não conseguir conquistar nenhum título”, disse o treinador em entrevista coletiva após o confronto.

Após o término do Brasileirão, o elenco do Santos se reapresenta no dia 3 de janeiro de 2018. Para Elano, o Peixe já tem uma boa base e precisa de poucos reforços para conquistar títulos na próxima temporada.

“Os meninos merecem uma conquista, já são dois anos batendo na trave. E o Santos tem um bom elenco, tenho certeza que no próximo ano vamos nos reapresentar dia 3 e vamos nos preparar para conquistar algo. Foi assim que eu me acostumei a viver. Pedi dedicação da parte deles na próxima temporada, já que nem todos estão indo para cada felizes”, concluiu o comandante.

Veríssimo lamenta ano sem títulos para o Santos: “Esse grupo merecia”

Mesmo classificado para a fase de grupos da próxima Libertadores, os torcedores do Santos veem a temporada de 2017 como frustrante. Afinal, o Peixe terminou o ano sem conquistar um título sequer, coisa que não acontecia de 2014.

Além da terceira colocação no Campeonato Brasileiro, o alvinegro foi eliminado nas quartas de final do Paulistão, Copa do Brasil e Libertadores. Para o zagueiro Lucas Veríssimo, porém, o elenco santista tinha condições de terminar 2017 com alguma conquista.

“Acho que o Santos merecia mais. Esse grupo merece títulos”, resumiu o defensor na saída do gramado após o empate em 1 a 1 com o Avaí, na Vila Belmiro, pela 38ª rodada do Brasileirão.

A igualdade com os catarinenses, inclusive, fez o Santos perder o último objetivo do ano, que era ficar com o vice. Como o Palmeiras perdeu por 3 a 0 para o Atlético-PR, bastava uma vitória simples na Vila para o Peixe terminar na segunda colocação, ganhando R$ 11,3 milhões de premiação.


Avaí 0 x 0 Santos

Data: 06/08/2017, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 19ª rodada
Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis, SC.
Público: 5.939 pessoas
Renda: R$ 158.840,00
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Auxiliares: Oberto da Silva Santos e Kildenn Tadeu Morais de Lucena (ambos da PB)
Cartões amarelos: Alemão e Judson (A); Lucas Veríssimo (S).

AVAÍ
Douglas; Leandro Silva, Alemão, Betão e Capa; Judson, Simião (Willians), Juan (Rômulo) e Pedro Castro; Junior Dutra e Joel (Luanzinho).
Técnico: Claudinei Oliveira

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Noguera e Zeca; Alison, Renato (Léo Cittadini) e Jean Mota; Copete (Thiago Ribeiro), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Kayke).
Técnico: Levir Culpi



Santos fica no zero com o Avaí e fecha turno no terceiro lugar

O Santos não teve uma grande apresentação na noite deste domingo, contra o Avaí, no estádio da Ressacada, mas ficou perto de conquistar uma vitória nos domínios do adversário. Mesmo sem apresentar um bom futebol, o time paulista parou duas vezes no travessão no empate sem gols com os catarinenses.

Com o resultado, o Peixe chega a 35 pontos somados nas 19 rodadas do primeiro turno, na terceira colocação, e vê tanto o líder Corinthians (47) quanto o vice Grêmio (39) se distanciarem. O Palmeiras, porém, perdeu para o Furacão e agora está três pontos atrás. O Leão, por sua vez, fecha a metade da competição com 18, na 19ª posição. quatro pontos atrás da Chapecoense, primeiro time fora da degola.

O primeiro tempo pôde ser dividido igualmente para as duas equipes, com a metade inicial sendo toda do Santos e a final, dominada pelo Avaí. Apostando nas investidas de Bruno Henrique, o Peixe conseguiu chegar com perigo na base da habilidade do camisa 27, sempre indo para cima de Leandro Silva. O melhor lance, no entanto, veio com uma bela contribuição dos mandantes.

Aos 15 minutos, a bola foi alçada na área justamente por Bruno e Alemão desviou para cima. A bola continuou viva e, em disputa com Ricardo Oliveira, Alemão ganhou de novo, mas mandou para trás. Douglas, que estava adiantado, se esticou para alcançar, mas a redonda bateu no travessão. Na volta, o próprio Alemão afastou.

Depois dos 20 minutos, porém, o Avaí percebeu a possibilidade de se aproveitar dos avanços de Bruno Henrique, que demorava a recompor, investindo pela direita. Nos dois melhores lances, Joel foi derrubado por Noguera após cruzamento, mas o juiz não marcou pênalti, e Juan, após confusão, chutou rasteiro, carimbando a trave de Vanderlei.

Sem alterações no placar, os dois treinadores voltaram para o segundo temo confiantes que apenas uma das metades dos 45 minutos iniciais ia se repetir, sem promoverem quaisquer substituições. Quem quase foi premiado acabou sendo Levir. Aos seis, ele viu Zeca pegar chute de primeira após sobra, na entrada da área, e carimbar o travessão.

Pouco depois, porém, quase que os donos da casa conseguiram o seu gol, quando Capa cruzou rasteiro, a bola cruzou a frente de Vanderlei e saiu sem ninguém encostar. A resposta veio com Ricardo Oliveira, que chutou forte, mas a bola passou perto da trave.

O jogo seguiu sem grandes movimentações, mesmo com as substituições dos treinadores. Até o apito final, cada lado teve uma chance de ter a vitória. O Peixe em um cruzamento para Bruno Henrique, que Alemão tirou na hora exata. O Avaí em contra-ataque, já nos acréscimos, quando Willians serviu Júnior Dutra e o avante parou em boa defesa de Vanderlei.


Santos 5 x 2 Avaí

Data: 22/08/2015, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 20ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.036 pagantes
Renda: R$ 289.880,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Alessandro Rocha Matos (BA) e Marcelo Barison (RS)
Cartões amarelos: Lucas Lima (S); Jéci, Romário e Adriano (A).
Gols: Gabriel (10-1), Thiago Maia (13-1) e Léo Gamalho (29-1); Ricardo Oliveira (02-2), Nilson (35-2), Léo Gamalho (37-2) e Lucas Lima (47-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz; Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Gabriel (Leandro), Ricardo Oliveira (Nilson) e Geuvânio (Marquinhos Gabriel).
Técnico: Dorival Júnior

AVAÍ
Diego; Nino Paraíba, Antônio Carlos, Jéci e Marrone (Romário); Adriano, Pablo, Tinga (Roberto) e Camacho; Rômulo (Conrado) e Léo Gamalho.
Técnico: Gilson Kleina



Santos volta a se impor na Vila e constrói goleada sobre Avaí

O Santos não encontrou maiores dificuldades para se impor diante do Avaí na Vila Belmiro. De uniforme cinza, a equipe alvinegra foi superior na maior parte do confronto, na noite de sábado, e construiu sem grandes sustos sua sétima vitória em sete jogos dentro de casa desde o retorno do técnico Dorival Júnior: 5 a 2.

O resultado não fez mais do que deixar a formação paulista no meio da tabela do Campeonato Brasileiro, com 27 pontos, mas permitiu, no segundo tempo, o descanso de alguns jogadores para o duelo com o Corinthians, na próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil. Estacionado nos 20, o Avaí entrou na zona de rebaixamento.

Em pouco mais de dez minutos, o Santos já havia aberto vantagem de dois gols: Gabriel completou, atrapalhado, cobrança de escanteio de Lucas Lima, e Thiago Maia fez boa finalização da entrada da área. Léo Gamalho, no entanto, recebeu nas cosas da defesa e manteve os visitantes no jogo até o intervalo.

Na etapa final, Ricardo Oliveira praticamente matou o jogo, logo aos dois minutos. O gol permitiu três substituições e botou em campo Nilson, autor do quarto gol. Léo Gamalho voltou a descontar, sem efetivamente criar qualquer esperança de reação na Vila. Já nos acréscimos, Lucas Lima bateu pênalti inexistente para fechar a contagem.

O jogo

O comportamento agressivo do Santos não demorou a render frutos. Ricardo Oliveira parou no goleiro Diego, mas, aos dez minutos, Lucas Lima bateu escanteio venenoso da direita. Após a saída em falso do goleiro, Gabriel chegou a se atrapalhar e, a um passo da linha, acertou o travessão. O rebote se ofereceu ao atacante para o gol.

Três minutos depois, uma bonita triangulação com participação de Geuvânio e Ricardo Oliveira acabou em conclusão de Thiago Maia no canto esquerdo. Só com dois gols de desvantagem o Avaí começou a avançar um pouco mais. Aos 29, Léo Gamalho recebeu nas costas da defesa e bateu cruzado para balançar a rede.

O Santos voltou do intervalo disposto a matar o jogo e o fez rapidamente. Aos dois minutos, Ricardo Oliveira recebeu de Geuvânio na esquerda, entrou na área com um toque na bola e finalizou de pé esquerdo, no canto direito do goleiro, deixando o triunfo bem encaminhado.

Começaram, então, as substituições de olho no confronto da próxima quarta, contra o Corinthians, em Itaquera. O Santos venceu o duelo de ida por 2 a 0, na Vila Belmiro, e visitará seu principal rival com boa vantagem na tentativa de ir às quartas de final da Copa do Brasil.

Geuvânio, Ricardo Oliveira e Gabriel foram substituídos por Marquinhos Gabriel, Nilson e Leandro. E uma jogada construída por Leandro, que errou passe e deu sorte, foi bem concluída por Nilson. Dentro da área, pela direita, o atacante bateu rasteiro para caracterizar uma goleada, aos 35.

Léo Gamalho voltou a marcar para o Avaí, dois minutos depois, completando de pé direito na entrada da pequena área após cruzamento e desvio de cabeça. Para fechar o placar, Lucas Lima agradeceu o pênalti dado por Leandro Pedro Vuaden quando ele tropeçou na área. A batida foi bem executada, aos 47, no canto esquerdo, e fez o Santos ir com ainda mais moral ao clássico em Itaquera.

Bastidores – Santos TV:

Satisfeito com produção do Santos, Dorival fala em “arrancada”

Dorival Júnior ainda adota alguma cautela, mas enxerga uma realidade diferente da que encontrou no retorno ao Santos. A equipe que lutava para escapar da zona de rebaixamento vem de boas partidas, está no meio da tabela do Campeonato Brasileiro e permite ao treinador sonhar com mais.

“Os jogadores deram uma resposta à altura do que esperávamos. Não posso pontuar coisas ruins”, afirmou, referindo-se especificamente à vitória por 5 a 2 sobre o Avaí, na noite de sábado, o sétimo triunfo em sete partidas na Vila Belmiro desde sua contratação.

“Mantendo essa postura, é natural que daqui a pouco a gente se consolide e vislumbre uma nova possibilidade. Começamos a caminhar em um segundo momento, a consolidação. Precisamos seguir essa caminhada para que tenhamos forças para brigar por coisas melhores na competição”, comentou Dorival.

Com 27 pontos, o Santos terminará a 20ª rodada do Nacional entre a décima e a 12ª colocação. A distância para a zona da degola será de ao menos seis pontos, porém o comandante alvinegro toma muito cuidado para demonstrar tranquilidade com essa diferença.

“Temos obrigação de nos manter na faixa do meio da tabela. Depois, podemos pensar em uma arrancada, em buscar outra situação. Estamos começando a passar aquela situação inicial. Espero que não voltemos. O Brasileiro é perigoso. Em duas, três rodadas, o discurso pode mudar. Não queremos mais voltar. E desejamos uma briga mais intensa por uma posição melhor”, concluiu o técnico.

Ricardo Oliveira quebra jejum após pênaltis perdidos e nega ansiedade

Após três partidas sem marcar, perdendo pênaltis em duas delas, Ricardo Oliveira quebrou o jejum na noite de sábado, na vitória por 5 a 2 do Santos sobre o Avaí. O atacante fez o terceiro gol do Santos na Vila Belmiro e negou que estivesse aflito com o período em branco.

“Com toda a sinceridade, eu não estava ansioso”, disse o centroavante, admitindo que a percepção do técnico Dorival Júnior era diferente. “Ele me abraçou e falou para eu ter calma, que eu estava ansioso, acho que teve essa percepção. Sei fazer gols. A bola não entrava, mas sabia que ia entrar. Nunca me afobei.”

Se não se afobou, Ricardo Oliveira mostrou algum aborrecimento com os erros em jogos anteriores. “Confesso que estava incomodado. Nunca é bom ficar tanto tempo sem fazer gols. Mas entramos em campo tranquilo, sem pensar no Corinthians. Se pensássemos, teria sido ruim”, comentou.

Quando ele balançou a rede de pé esquerdo, no entanto, Dorival começou a pensar no clássico. Com vantagem de 2 a 0 nas oitavas de final da Copa do Brasil, começou a dar descanso a alguns titulares, começando suas substituições justamente com o atacante de 35 anos.

“Primeiro, quis deixar que ele fizesse o gol. Depois, a saída foi no sentido de poupar mesmo”, comentou o treinador, que previu dificuldades no estádio de Itaquera. O duelo com o Corinthians por uma vaga nas quartas de final está marcado para a noite de quarta-feira.

Como tirou Ricardo Oliveira, ele não estava em campo para bater o pênalti conseguido por Lucas Lima já nos acréscimos. O meia tropeçou no gramado e não conseguiu explicar por que Leandro Vuaden apontou a marca penal. “Alguma coisa me desequilibrou ali, nem sei o que foi. Eu caí”, sorriu.

Geuvânio suspenso
Por falta cometida ainda no primeiro tempo, Geuvânio recebeu o terceiro cartão amarelo no triunfo alvinegro sobre o Avaí. O atacante cumprirá suspensão no próximo final de semana, na visita que a formação da Vila Belmiro fará ao Cruzeiro no Mineirão.