Navegando Posts marcados como Beira Rio

Internacional 2 x 0 Santos

Data: 13/08/2020, quinta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ).
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ).
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Cartões amarelos: Edenilson e Moisés (I); Lucas Veríssimo, Kaio Jorge e Marinho (S).
Gols: Guerrero (14-2) e Edenilson (42-2).

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Saravia, Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Moisés; Rodrigo Lindoso, Edenilson (D’Alessandro), Patrick e Boschilia (Marcos Guilherme); Thiago Galhardo (Musto) e Guerrero.
Técnico: Eduardo Coudet

SANTOS
Vladimir; Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Kaio Jorge) e Luan Peres; Pará, Alison (Ivonei), Diego Pituca (Jobson) e Felipe Jonatan (Madson); Marinho, Carlos Sánchez (Tailson) e Soteldo.
Técnico: Cuca



Santos é dominado pelo Internacional e perde só de 2 a 0

O Internacional venceu o Santos por 2 a 0 nesta quinta-feira, no Estádio Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Guerrero e Edenilson, no segundo tempo.

O Colorado dominou a partida do início ao fim e poderia ter vencido por diferença ainda maior. O Peixe chegou a empatar com Kaio Jorge, mas a arbitragem anulou após checagem no VAR e constatação de toque no braço.

O Inter tem 100% de aproveitamento depois de vencer Coritiba fora e Santos em casa. O Peixe ainda não ganhou: empatou com o Red Bull Bragantino na Vila Belmiro e perdeu para o Colorado.

O jogo

O Internacional amassou o Santos em todos os minutos, mas foi para o intervalo com um 0 a 0 injusto no placar. O Peixe não viu a cor da bola no Estádio Beira-Rio.

Cuca escalou o Alvinegro com três zagueiros e a formação não funcionou. Aos 16 minutos, Luiz Felipe sentiu, Kaio Jorge entrou e o técnico refez o esquema habitual.

Lucas Veríssimo, contra, jogou a bola no travessão. Galhardo, sozinho na pequena área, não conseguiu empurrar para o gol após desvio de Vladimir. Lindoso finalizou bem e o goleiro fez grande defesa. Foram pelo menos cinco oportunidades claras em 47 minutos.

Cuca colocou Jobson e Tailson para as saídas de Diego Pituca e Carlos Sánchez. O Santos melhorou e ficou perto do gol aos sete minutos.

Jobson lançou Tailson, que não dominou e Lomba afastou mal. Marinho finalizou de fora da área e o goleiro do Inter espalmou para escanteio.

E depois de dominar a etapa inicial e não abrir o placar, o Colorado fez o gol justamente quando o Peixe melhorava em campo. Felipe Jonatan vacilou ao tentar fazer a bola sair, Galhardo acreditou, Saravia cruzou e Guerrero cabeceou com estilo. 1 a 0 aos 11 minutos.

O gol desestabilizou o Santos. Aos 14, Galhardo fez boa jogada e Guerrero não dominou. No minuto 16, Edenilson chutou e a bola raspou a trave. Quando o placar marcava 19, Galhardo deixou Luan Peres e finalizou com muito perigo, para fora.

No minuto 21, o Santos teve uma ducha d’água fria. Soteldo cruzou para Kaio Jorge, que dominou no peito, tirou de Marcelo Lomba e empurrou para o fundo das redes. A arbitragem viu braço do atacante após checagem no VAR.

O Internacional seguiu melhor e esteve perto de ampliar aos 37 e 39, em duas finalizações de Boschilia para novas defesas de Vladimir. O segundo gol veio só no minuto 42, quando Edenilson tabelou com Guerrero e encobriu Vladimir. Um golaço em Porto Alegre.

O Peixe teve outro gol bem anulado, de Soteldo, aos 45, e o Colorado administrou a vitória nos minutos finais.

Cuca vê “erro absurdo” da arbitragem na derrota do Santos para o Internacional

Cuca acredita em “erro absurdo” da arbitragem na derrota do Santos por 2 a 0 para o Internacional nesta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Quando estava 1 a 0 para o Inter, Kaio Jorge dividiu com o goleiro Marcelo Lomba e fez o gol. O juiz acionou o VAR e deu toque no braço do atacante. Antes, porém, Cuca viu pênalti.

“Nós estávamos melhores naquele momento do segundo tempo. Tivemos outra postura, atitude, criamos oportunidade no começo com Marinho. Estávamos dominando a posse. Equipe ia pegando corpo, quando numa infelicidade, num erro, sofremos gol. Cedemos dois ou três contra-ataques, não fizeram o gol e veio lance fatídico. Gol anulado do Kaio Jorge. No meu modo de ver, um erro absurdo. Bola bate na mão antes de entrar, é nítido, mas por que? Se jogou, foi derrubado. Lomba o derruba. Bola bateu na mão, mas é lance interpretativo. Antes de bater na mão ele foi derrubado. Não é mão, é pênalti. Foi muito claro o pênalti. É um erro que nesse momento que vivemos é crucial fazer o gol, equipe retoma a confiança e parte até quem sabe virar. Não é choro, é segundo jogo e segundo erro gravíssimo”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Não vou atribuir a isso, depois o Internacional fez o segundo gol, mas é consequência de se jogar no ataque. Sabia da necessidade de muito trabalho, temos que retomar a confiança, encontrar forma de jogar que dê corpo, sincronia nos setores. Em muito momento não tivemos isso. Foi jogo mais duro, Inter tem equipe com sistema adequado, treinador tem equipe na mão. Muita força, marcação pressão com três meias. Primeiro tempo não foi bom, mas no segundo melhoramos, equilibramos. Inter teve mais chances por cedermos o primeiro gol e terem contra-ataque. Tentamos, tivemos gol anulado também no impedimento. São coisas que temos que trabalhar. Não se há tempo, é sexto dia com dois jogos e terceiro jogo no oitavo dia. Temos viagem, não há repouso. Temos que equilibrar, usar as peças. Mais da metade eram da base hoje e essa é a saída. Não podemos contratar, temos dificuldades financeiras e vamos administrar. Pego a maior parcela de responsabilidade, para isso eu vim, mas depois ganhamos e aumentamos a confiança. Não temos que achar culpados, agora é tentar vencer no domingo”, completou o treinador.

Cuca quer ‘recuperar’ Pituca e Sánchez no Santos: “Total confiança”

Cuca espera recuperar o bom futebol de Carlos Sánchez e Diego Pituca no Santos. A dupla não está bem e foi substituída no intervalo da derrota por 2 a 0 para o Internacional nesta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico elogiou os meio-campistas e quer que eles atuem com confiança novamente.

“Retomar a confiança. É falando também, conversando, mas principalmente fazendo uma boa partida. Não vou deixar de confiar no Pituca ou no Sánchez. Jogadores têm bons e maus momentos ao longo do ano. Não vivem grande momento, mas são grandes jogadores e pessoas e têm minha total confiança”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

O treinador também falou sobre Felipe Jonatan. O lateral-esquerdo errou no primeiro gol do Inter, quando o Peixe estava bem em campo. Não há alternativa no elenco para a posição.

“Felipe Jonatan foi proteger, achou que a bola ia sair. E pegou a defesa toda desprotegida. Não foi erro de marcação ou posicionamento. Não há o que culpar a zaga em cima do cruzamento bem feito e que nos pegou de surpresa. Geralmente é lance para bola sair ou receber a falta”, afirmou Cuca.

“Vamos trabalhar. Não é aqui e agora que vamos resolver o problema. É com trabalho, avaliando o jogo, as opções. Para por em prática no próximo jogo. Daqui a pouco se faz um bom jogo e confiança se eleva. É difícil trabalhar com 11, temos que trabalhar com elenco. Tem time viajando com suplente e deixando equipe principal. Fizemos parte disso hoje, com várias trocas, desgastando menos o time”, completou o treinador.

Santos finalizou 16 vezes e levou 43 chutes a gol no Brasileirão

O Santos não teve um bom início no Campeonato Brasileiro: empatou em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino e perdeu por 2 a 0 para o Internacional.

E as estatísticas mostram a deficiência do Peixe tanto na defesa quanto no ataque nessas duas primeiras rodadas do Brasileirão.

O Santos de Cuca finalizou 16 vezes, cinco na direção do gol do adversário (apenas uma vez diante do Colorado no Estádio Beira-Rio).

Em compensação, o Peixe permitiu 43 chutes no seu gol, 13 certos. Os rivais finalizaram quase o triplo no geral e marcaram três gols. O Alvinegro, só um.

Cuca aprova Tailson como meia no Santos: “Era 10 quando mais novo”

Cuca testou Tailson como meia no Santos no segundo tempo da derrota por 2 a 0 para o Internacional na última quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Atacante de lado de campo, Tailson foi testado como armador durante a semana e entregou na vaga de Carlos Sánchez no intervalo.

Tailson atuava como meia até o sub-17 e em algumas oportunidades no sub-20. Ele, porém, foi promovido ao elenco profissional do Peixe em 2019 como ponta.

“Tailson é o quarto homem, jogador de lado de campo. Com a entrada dele dei mais liberdade para Marinho ser segundo atacante. Tailson sabe compor por dentro também, era 10 quando era mais novo. É polivalente, trabalhamos com ele, Ivonei e Kaio Jorge. Jogo duro, experiência serviu demais para esses meninos”, disse Cuca, antes de destacar a importância da base.

“Importância total. Santos sempre foi time revelador. Em algum momento contratou bastante e hoje, de uma certa forma, paga o preço. Algumas contratações saíram e é necessário pagar mesmo na saída. Tem que ser novamente revelador. E estou nesse propósito. Torcedor tem que ter confiança. Trabalho é árduo, mas vai ser vitorioso. Temos que dar tempo ao tempo. Sabia da dificuldade e vim preparado. Amanhã é pé na tábua, voltar a trabalhar”, completou o treinador.

Os relacionados para a partida contra o Inter treinarão no CT do Grêmio nesta sexta-feira, antes da viagem de volta para a Baixada Santista.

Tailson aprova teste como meia no Santos: “Cuca gosta de jogador versátil”

Cuca testou Tailson como meia no Santos no segundo tempo da derrota por 2 a 0 para o Internacional na última quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. E o camisa 10 aprova o teste.

Atacante de lado de campo, Tailson treinou como armador durante a semana e entrou na vaga de Carlos Sánchez no intervalo.

“Não foi a estreia no Brasileiro como eu gostaria. Acredito que durante o campeonato as coisas irão melhorar, com muito trabalho e dedicação podemos alcançar nossos objetivos. E eu penso que tenho que estar preparado. Quando o professor Cuca precisar me utilizar, tenho que estar pronto. Ele gosta de jogador versátil, que atua em várias posições, então sempre que ele precisar estarei a disposição”, disse Tailson.

O Menino da Vila atuava como meia até o sub-17 e em algumas oportunidades no sub-20. Ele, porém, foi promovido ao elenco profissional do Peixe em 2019 como ponta.

Kaio Jorge lamenta recaídas do Santos: “Somos um time gigante”

Kaio Jorge lamentou as recaídas do Santos após a derrota por 2 a 0 para o Internacional na noite desta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

O atacante também falou sobre seu gol anulado após checagem no VAR. A arbitragem marcou toque no braço na dividida com o goleiro Marcelo Lomba.

“Foi um lance rápido, dominei no peito, se foi mão nem senti. Se o VAR viu que foi mão, não tem nem o que falar. Começamos bem o segundo tempo, mas sofremos o gol logo. Somos um time gigante, não podemos dar essas recaidinhas”, disse Kaio, à TNT.


Internacional 0 x 0 Santos

Data: 13/10/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 25ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público total: 13.572 pessoas
Renda: R$ 522.030,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Luiz Claudio Regazone (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Cartões amarelos: Victor Cuesta e D’Alessandro (I); Marinho e Uribe (S).

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Heitor, Roberto, Victor Cuesta e Zeca; Rodrigo Lindoso (Bruno Silva), Edenilson e Patrick (Neilton); Nico López (W. Silva), D’Alessandro e Guilherme Parede.
Técnico: Ricardo Colbachini

SANTOS
Everson; Victor Ferraz (Jean Mota), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Luan Peres; Diego Pituca, Evandro e Jorge; Marinho (Uribe), Tailson (Alison) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Com três gols anulados, Inter e Santos ficam no zero no Beira-Rio

A rede balançou três vezes na tarde deste domingo, no Beira-Rio, mas em todas as oportunidades o impedimento foi marcado. Desta forma, Internacional e Santos não saíram do 0 a 0, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, e perderam a chance de perseguirem seus objetivos na competição.

O Peixe permanece na terceira colocação, com 48 pontos, atrás do Palmeiras, que venceu o Botafogo na noite de sábado e retomou a segunda posição. Já o Colorado, no primeiro jogo sem Odair Hellmann, é o sexto, com 39 pontos, e pode ser ultrapassado pelo rival Grêmio nesta rodada.

O jogo

O árbitro de vídeo começou trabalhando cedo, aos dois minutos de partida. Eduardo Sasha cruzou para o gol e Tailson completou, mas o atacante de 20 anos estava levemente adiantado e o impedimento foi marcado corretamente, apenas com o VAR confirmando a marcação. Passado o susto inicial, o Colorado conseguiu colocar a bola no chão, criando oportunidades com Guilherme Parede e Nico, mas sem perigo para o gol de Everson.

Mesmo com as investidas dos donos da casa, o Peixe mantinha-se melhor. Aos 16 minutos, Tailson apareceu novamente pela esquerda, finalizou e Lomba se esticou para realizar a defesa. No rebote, Marinho mandou para fora. O Inter respondeu à altura com lance pela direita com Nico Lopez, que driblou Luan Peres e passou para Heitor, que chutou à direita do gol.

Já partindo para o fim, o Santos teve as melhores oportunidades, primeiro com Jorge e depois com Sasha, mas o Colorado pressionou buscando o gol ainda no primeiro tempo, sem ser efetivo.

Repetindo o enredo da etapa inicial, o placar foi aberto aos três minutos, mas dessa vez pelo outro lado, quando Patrick chutou para o gol de Everson, que falhou e deixou a bola entrar. No entanto, o impedimento no início da jogada foi marcado e, portanto, tento anulado. Aos oito, chegou a resposta do Santos em bola levantada de falta por Tailson para Lucas Veríssimo, que cabeceou para fora.

Em jogo movimentado, Guilherme Parede recebeu lançamento longo de Edenílson e deu bonito toque na saída de Everson, para abrir o marcador no Beira-Rio, mas novamente foi marcado impedimento. Do lado de fora do gramado, os dois técnicos levaram amarelo por desentendimento quando o relógio marcava 13 minutos. Aos 25, Everson fez bela defesa em chute de fora da área de Cuesta.

Partindo para o fim do duelo, o Colorado seguiu pressionando. Nico López chegou, assim como Parede e Neílton, que chutou colocado e viu a bola ir para fora. Mesmo com as investidas, o placar permaneceu inalterado em 0 a 0.

Bastidores – Santos TV:

Após empate, Sampaoli admite dificuldade em alcançar o Flamengo

Com o empate neste domingo contra o Internacional, o Santos está agora a dez pontos do líder Flamengo no Campeonato Brasileiro. Para o técnico Jorge Sampaoli, a partida foi equilibrada, com uma equipe “vencendo” cada tempo, e só resta ir buscando o resultado para chegar o mais longe possível na tabela da competição.

“Nós sabíamos que essa partida seria muito difícil aqui, Inter não perdeu ainda neste campo. Fizemos um primeiro tempo em que fomos superiores. No segundo tempo perdemos um pouco o jogo e o Inter aproveitou, a partida ficou mais equilibrada”, iniciou em entrevista coletiva após a partida.

“A diferença que tem (com o Flamengo) é mais a ver com o rendimento de uma equipe que ganha todas as rodadas. Nos custa seguir esse ritmo. Temos que estabelecer um vínculo com o jogo, não estamos mirando ninguém, só queremos chegar o mais alto possível na tabela“, completou.

Sem reclamar da arbitragem, que anulou um gol do Peixe logo nos primeiros minutos de duelo, Sampaoli ainda falou sobre a sequência da temporada, enalteceu o aproveitamento do Rubro-Negro e disse que, em novembro, a equipe saberá exatamente pelo que estará brigando.

“Essa partida era muito difícil. Vencemos Vasco, Palmeiras, empatamos aqui, agora temos Ceará, Corinthians e Atlético-MG. Toda partida tem um sacrifício, todos estão preparados para competir. O Flamengo está tendo um rendimento superlativo, eles se preparam para este tipo de coisa também. Vamos ver pelo que brigar em novembro. Tivemos um período ruim, vimos abrirem vantagem. Agora estamos tentando retomar pouco a pouco e seguir buscando”, finalizou.

Zagueiro do Santos reconhece queda de ritmo no empate contra o Inter

O Santos não conseguiu impor um bom ritmo no segundo tempo contra o Internacional, neste domingo, quando a partida acabou empatada por 0 a 0, no Beira-Rio. Apesar disso, o zagueiro Gustavo Henrique avaliou positivamente o ponto conquistado fora de casa, visto que o Colorado ainda não perdeu em seus domínios neste Campeonato Brasileiro.

“Aqui é sempre difícil jogar. Tivemos um primeiro tempo muito intenso, como de costume, independente de ser fora de casa, a gente tenta fazer o nosso jogo, se vai dar certo ou não, às vezes é do jogo. Segundo tempo eles cresceram, pela força que eles têm aqui”, analisou o jogador na saída de campo ao canal Premiere.

Ele ainda admitiu que o time não conseguiu manter o ritmo imposto na primeira etapa, quando Tailson foi um dos destaques, mas acabou substituído no segundo tempo por Alison.

“É valorizar esse ponto aqui, eles nunca perderam em casa, e continuar pontuando para buscar as primeiras colocações. Independente do adversário, independente da atuação, o Santos sempre vai jogar para frente, sempre tentar ganhar os jogos, infelizmente a gente caiu um pouco no segundo tempo. Acredito que a gente poderia ter feito um gol no primeiro tempo, fomos superior ao Inter, mas temos que valorizar esse um ponto”, finalizou.

Com o resultado, o Peixe caiu para a terceira colocação do Brasileiro, visto que o Palmeiras venceu o Botafogo e retomou a segunda posição, no último sábado. Agora, a equipe volta suas atenções para o duelo contra o Ceará, na próxima quinta-feira, na Vila Belmiro, às 19h15 (de Brasília). Para o confronto, Sampaoli não poderá contar com Marinho e Uribe, que levaram o terceiro amarelo neste domingo e cumprirão suspensão.

Santos tem retornos, mas volta a sofrer com suspensões diante do Ceará

O Santos não pôde contar com uma série de nomes por conta de suspensão e convocações na Data Fifa no empate diante do Internacional neste domingo, no Beira-Rio. Apesar disso, o técnico Jorge Sampaoli procurou relativizar as ausências e comemorou o ponto fora de casa na disputa do Campeonato Brasileiro.

“A gente veio decidido a ganhar o jogo. Eles são jogadores que não contamos por causa da data Fifa. Inter também estava desfalcado. A gente veio jogar com o que tinha, contra uma grande equipe. Fomos melhores no primeiro tempo e o rival nos superou no segundo. Conseguimos um empate que mais para frente vamos dar muito valor”, disse o argentino em entrevista coletiva após o duelo.

Para esse jogo, Sampaoli não teve Carlos Sánchez, cumprindo suspensão, e sete ausentes por convocação, independentemente se são usados pelo técnico ou não. Foram eles: Cueva (Peru), Derlis (Paraguai), Felipe Jonatan (seleção olímpica), Jackson Porozo (Equador), Kaio Jorge e Sandry (seleção sub-17) e Soteldo (Venezuela).

Com o fim do período de amistosos, os jogadores retornam, mas o Santos terá duas baixas confirmadas para o duelo contra o Ceará, na próxima quinta-feira: Marinho e Uribe, que entrou no lugar do atacante no segundo tempo, levaram o terceiro amarelo e precisarão cumprir suspensão.


Internacional 2 x 2 Santos

Data: 22/10/2018, segunda-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 43.159 pagantes
Renda: R$ 1.082.715,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Sidmar dos Santos Meurer (MG).
Cartões amarelos: Nico López (I); Gustavo Henrique e Bruno Henrique (S).
Gols: Leandro Damião (43-1); Gabriel (05-2), Patrick (25-2) e Fabiano (33-2, contra).

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Fabiano (Jonatan Álvez), Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Iago (Wellington Silva); Rodrigo Dourado, Nico López, Edenílson, D’Alessandro e Patrick; Leandro Damião (Rossi).
Técnico: Odair Hellmann

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Bryan Ruiz), Diego Pituca e Carlos Sánchez; Rodrygo (Derlis González), Bruno Henrique (Renato) e Gabriel.
Técnico: Cuca



Damião e Gabigol marcam, e Internacional empata com o Santos

Internacional e Santos empataram em 2 a 2 na noite desta segunda-feira, no Beira-Rio, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do Colorado foram de Leandro Damião e Patrick. O Peixe marcou com Gabigol e Fabiano (contra).

A partida foi movimentada e teve o Alvinegro buscando o empate duas vezes. Leandro Damião, ex-santista, e Gabriel Barbosa, artilheiro do Campeonato Brasileiro, foram destaques e participaram das principais oportunidades do duelo.

Com o empate, o Internacional cai para a terceira colocação, com 57 pontos, cinco a menos que o líder Palmeiras. O Santos segue na sétima posição, agora três atrás do Atlético-MG, o primeiro na zona de classificação para a Libertadores da América.

O jogo

O Santos não se intimidou com o Beira-Rio lotado e começou melhor o jogo contra o Internacional. Com marcação adiantada, o Peixe freou a pressão dos donos da casa nos primeiros minutos e se armaram à procura do contra-ataque.

A primeira chance – e a melhor dos primeiros 45 minutos -, foi aos 24, quando Carlos Sánchez armou o contra-ataque e inverteu para Gabigol. O artilheiro do Campeonato Brasileiro bateu de fora da área, com categoria, e o goleiro Marcelo Lomba tocou com a ponta do dedo antes da bola parar no travessão.

Depois da pressão santista, o Inter equilibrou a partida e começou a criar chances. A primeira veio com Edenilson, após cruzamento de Cuesta aos 40 minutos. O goleiro Vanderlei salvou. E três minutos depois, saiu o gol. Edenilson, destaque do Colorado, tabelou com Patrick e encobriu o camisa 1. Luiz Felipe salvou e no rebote Leandro Damião, de cabeça, fez valer a Lei do Ex.

E ainda deu tempo para Rodrigo Moledo, na pequena área, furar a tentativa de letra, sem goleiro. O Santos começou bem, mas pôde comemorar a desvantagem de apenas um gol para o intervalo.

O Santos retomou as rédeas da partida para a etapa final e logo conseguiu o empate, em golaço de Gabigol. O camisa 10 acertou um chute improvável, colocado, do bico da área e marcou pela 15ª vez no Campeonato Brasileiro. É o artilheiro.

O Internacional reagiu rápido ao empate sofrido e quase empatou aos 8 minutos, novamente com Leandro Damião. O cabeceio parou em nova boa defesa de Vanderlei. Segundos depois, se iniciou uma polêmica com a arbitragem.

Com cinco minutos de paralisação e resenha com auxiliares, o árbitro assinalou impedimento de Leandro Damião. O centroavante teria feito um lindo gol por cobertura. O juiz entendeu que o toque veio de Cuesta e não de Sánchez em dividida.

O lance polêmico não esfriou o Inter e o gol não demorou a vir. Aos 25 minutos, Carlos Sánchez cobrou escanteio baixo e originou um contra-ataque mortal. De Edenilson, para Nico López e a assistência para o gol de Patrick.

E quando o jogo caminhava para vitória do Internacional, o Santos voltou a reagir. Aos 33 minutos, Bruno Henrique rolou para Gabigol chutar bem com a perna direita. O goleiro Lomba espalmou, Fabiano foi traído pelo efeito no rebote e o camisa 10 aproveitou o bate-rebate. Ele saiu comemorando, mas o gol foi marcado contra do lateral colorado.

Os minutos finais foram de muita movimentação e chance para os dois lados. Na melhor delas, o zagueiro Rodrigo Moledo cabeceou para outra grande defesa de Vanderlei, aos 44 minutos. No fim das contas, empate de bom futebol em Porto Alegre.

Bastidores – Santos TV:

Gabigol valoriza ponto do Santos contra o Inter: “De bom tamanho”

Gabigol valorizou o empate em 2 a 2 do Santos com o Internacional na noite desta segunda-feira, pelo Beira Rio, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O artilheiro do Campeonato Brasileiro destacou a aproximação ao Atlético-MG, sexto e primeiro na zona de classificação para a Libertadores da América em 2019. A diferença agora é de três pontos.

“Ficamos mais perto do Atlético-MG, temos confronto direto ainda. Jogo complicado, empate de bom tamanho, mas poderíamos ter vencido. Foi um grande espetáculo, um grande jogo”, disse Gabriel, ao Premiere.

Cuca cria alternativas no Santos para tentar “desarrumar” adversários

O técnico Cuca tem tentado criar alternativas no Santos para “desarrumar” os adversários. No empate em 2 a 2 com o Internacional nesta segunda-feira, vários jogadores não tiveram posição fixa.

Do meio para frente, Sánchez, Rodrygo, Bruno Henrique e Gabigol se alternaram entre o centro e as pontas. O gol do camisa 10, por exemplo, sai de uma jogada pela direita após roubada de Carlos Sánchez pelo meio.

No segundo tempo, Cuca colocou Bryan Ruiz na vaga de Alison e Derlis González no lugar de Rodrygo. As substituições deram certo e o empate foi alcançado. Por fim, Renato substituiu Bruno Henrique para fechar o meio-campo.

“É legal o trabalho dos treinadores, gosto muito da parte tática, fizemos diversas mudanças, inverti Rodrygo, Bruno Henrique e Sánchez da direita para a meia. Gabigol também. Inter soube nos marcar e aí ganhamos cinco minutos de um pouco de desarrumação do adversário. E aí neutralizam de volta. Colocamos Bryan como armador, velocidade do Derlis e ela apareceu diversas vezes, mas escolhemos jogada errada, poderíamos ter feito o terceiro. Depois fechamos com o Renato. Foi jogo bem trabalhado, bem jogado, gostoso”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

O Santos agora tem nova semana livre para treinamentos – e variações táticas -, antes de enfrentar o Fluminense, sábado, na Vila Belmiro, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Luiz Felipe e Gustavo Henrique, suspensos, devem ser substituídos por Lucas Veríssimo e Robson Bambu.

Internacional 2 x 0 Santos

Data: 19/10/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de volta
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 15.065 pagantes.
Renda: R$ 188.390,00.
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises e Luiz Claudio Regazone (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Andrigo (I).
Gols: Aylon (09-1) e Eduardo Sasha (42-2).

INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; Eduardo (Ceará), Alan, Ernando e Geferson; Fabinho, Eduardo Henrique, Alex, Andrigo (Valdívia) e Eduardo Sasha; Aylon (Vitinho).
Técnico: Celso Roth

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz (Rafael Longuine), Luiz Felipe e Zeca (Rodrigão); Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Paulinho (Joel), Copete e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior



Apático, Santos perde para reservas do Inter e dá adeus à Copa do Brasil

Quando o técnico Celso Roth anunciou que o Internacional viria com um time praticamente reserva para encarar o Santos, na noite desta quarta-feira, no Beira-Rio, nem o mais fanático torcedor colorado apostava fielmente em uma classificação para as semifinais da Copa do Brasil. Porém, mesmo entrando em campo com força máxima e levando vantagem de ter vencido o duelo de ida por 2 a 1, na Vila Belmiro, o Peixe foi apático em Porto Alegre e perdeu por 2 a 0, sendo eliminado do torneio mata-mata.

E a classificação colorada foi garantida com gols de dois atacantes reservas. No começo do primeiro tempo, Aylon marcou de cabeça. Já no final da partida, Eduardo Sasha bateu com categoria e garantiu a vaga na semifinal da Copa do Brasil, onde irá encarar o Atlético-MG, que perdeu do Juventude por 1 a 0 em Caxias do Sul, mas avançou em decisão por pênaltis.

Eliminados, os santistas voltam suas forças apenas para o Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, o Peixe visita a Chapecoense, às 19h30 (de Brasília). Com 55 pontos e na quarta colocação, o alvinegro segue vivo na briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2017.

Já no Internacional, o foco agora é total no clássico diante do Grêmio, também no domingo, às 17h (de Brasília), na arena do rival. Com 36 pontos e lutando contra o rebaixamento, os colorados seguem tendo como prioridade a reta final do Brasileirão, mesmo conquistando a vaga na Copa do Brasil.

O jogo

Apesar de entrar com apenas três titulares, o Internacional começou massacrando o Santos no Beira-Rio. Forçando a saída de bola do alvinegro, o Colorado chegava com facilidade e apostava nas bolas aéreas. De tanto insistir, os gaúchos foram premiados aos nove minutos de jogo. O meia Alex cobrou escanteio e Aylon apareceu livre dentro da área. Sem precisar pular, o atacante escorou de cabeça e abriu o placar em Porto Alegre.

Como perdeu por 2 a 1 no duelo de ida, na Vila Belmiro, a vitória mínima garantia na classificação ao Inter. Por conta disso, o Santos ‘acordou’ no jogo e partiu pra cima. Aos 13 minutos, Lucas Lima bateu colocado de fora da área e obrigou o goleiro Danilo Fernandes a fazer boa defesa.

Com a desvantagem no marcador, os comandados de Dorival Júnior passaram a ter a posse de bola e dominavam o meio-campo. Porém, o Peixe esbarrava na força defensiva do Colorado e não encontrava espaços para acertar o último passe.

Apesar de ficar com a bola nos pés, o Santos não assustava e sofria com as boas chegadas do Inter. Aos 34 minutos, Gefferson mandou na área e após confusão defensiva, Eduardo Sasha apareceu sozinho e bateu pro gol, mas foi travado por Luiz Felipe.

Lento na saída de jogo, o Peixe parecia alheio à eliminação momentânea e praticamente não correu atrás do empate. Tanto que a única boa chance desperdiçada foi aos 43 minutos. Após cruzamento de Lucas Lima, Ricardo Oliveira escorou de cabeça e viu Danilo Fernandes fazer grande defesa, garantindo a vantagem colorada antes do intervalo.

O segundo tempo começou praticamente igual ao que foi visto na primeira etapa. O Santos, apesar ter a bola dominada no meio de campo, seguia apático e ainda sofria com os contra-ataques do Inter. Aos 10 minutos, Fabinho apareceu como homem surpresa no ataque, arriscou de longe e quase ampliou para os gaúchos.

Aos 17 minutos, o Peixe chegou bem pela primeira vez após o intervalo e arriscou em bola lançada para Copete. Antes dela chegar no colombiano, Alan Costa e Eduardo brigaram por espaço para impedir a jogada e se chocaram. O jovem lateral levou a pior e precisou ser substituído por Ceará.

Mesmo jogando contra o relógio, o Peixe continuou mostrando pouca vontade para empatar. Tanto que as melhores oportunidades continuaram sendo para o Internacional. Aos 28 minutos, Alex levantou na área e a bola fica com Ernando. O zagueiro pegou de primeiro e mandou no travessão, quase ampliando o marcador.

Precisando do empate para continuar na Copa do Brasil, o técnico Dorival Júnior sacou o zagueiro David Braz e colocou o meia Rafael Longuine em campo. Logo depois, o comandante trocou Paulinho e Zeca por Joel e Rodrigão, respectivamente.

Apesar das mudanças, o Santos seguiu sem mostrar nenhuma vontade de conquistar a vaga. E o castigo veio no apagar das luzes. Aos 42 minutos do segundo tempo, Eduardo Sasha avançou dentro da área e tocou por cima de Vanderlei. Golaço que fechou o caixão santista e garantiu a classificação do Inter para as semifinais da Copa do Brasil.

Bastidores – Santos TV:

Dorival culpa pane inicial por eliminação na Copa do Brasil

Apesar de entrar com apenas três titulares contra o Santos, nesta quarta-feira, no Beira-Rio, o Internacional começou massacrando o Peixe. De tanto insistir, os gaúchos foram premiados logos aos nove minutos de jogo e abriram o placar com Aylon, após cobrança de escanteio. No final da partida, Eduardo Sasha ainda marcou mais um e garantiu a classificação do Colorado para as semifinais da Copa do Brasil.

Para o técnico Dorival Júnior, a desatenção no início do duelo foi determinante para a eliminação do alvinegro no torneio mata-mata.

“Tivemos alguns minutos iniciais que nos custaram muito caro na partida. Trouxemos a equipe do Internacional desnecessariamente para cima. E em uma jogada de bola parada, eles acabaram abrindo o marcador. Tiveram uma proposta de jogo e foram felizes. Eles se fecharam, marcaram com intensidade. A equipe do Santos tentou jogar, mas estava complicado para criar. Buscamos movimentações. Tivemos algumas oportunidades, mas não conseguimos com aquela clareza que sempre criamos e em razão disso nós tivemos dificuldades”, justificou-se o comandante santista em entrevista coletiva após a eliminação.

Dias antes da partida desta quarta-feira, o Internacional deixou claro que seu foco segue sendo a fuga do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Por conta disso, o técnico Celso Roth poupou seus titulares para o duelo, como já havia feito no jogo de ida, no dia 28 de setembro, na Vila Belmiro, vencido pelo Peixe por 2 a 1.

Mesmo com a superioridade técnica em relação aos reservas do Colorado, Dorival reconheceu os méritos dos gaúchos e não demonstrou irritação com a apresentação do Santos no Beira-Rio.

“Não existe essa conotação de time reserva. Jogamos contra Inter e Grêmio (no domingo). Tivemos uma equipe forte hoje. O Santos também se doou, foi ao limite, teve intensidade. O Inter se fechou bem, tivemos um bom tempo com a bola nos pés. Tentamos, fomos para cima, não nos acovardamos. Natural que se jogue contra duas equipes que não vinham atuando e tenha uma conotação diferente. Mas não subestimamos. Enfrentamos com todas as nossas forças”, concluiu o comandante santista.

Lucas Lima não encontra explicação para eliminação do Santos

Enquanto o Internacional deixou claro seu foco no Campeonato Brasileiro e veio com reservas nesta quarta-feira, no Beira-Rio, o Santos entrou em campo com força máxima e tinha tudo para sair de Porto Alegre classificado para as semifinais da Copa do Brasil. Porém, como o futebol não é uma ciência exata, os santistas foram derrotados por 2 a 0 e acabaram eliminados do torneio mata-mata.

E além da partida desta quarta, o Colorado já havia entrado com um time alternativo no jogo de ida, disputado na Vila Belmiro, no dia 28 de setembro. No primeiro embate, o Peixe chegou a abrir 2 a 0. Mas o gol de Seijas fora de casa fez a diferença no confronto em Porto Alegre.

“Não temos como explicar. Pecamos no começo do jogo e pagamos por isso. Tomamos o gol de bola parada. Não conseguimos segurar e sofremos outro no fim. Agora é levantar a cabeça”, afirmou o meia Lucas Lima na saída do gramado.

Após a eliminação na Copa do Brasil, o elenco santista não volta para a Baixada Santista. Os comandados de Dorival Júnior viajam direto para Chapecó, onde o time enfrenta a Chapecoense neste domingo, às 19h30 (de Brasília), na Arena Índio Condá, em jogo válido pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Fora do torneio mata-mata, o Peixe mira todas suas atenções no Brasileirão. Com 55 pontos e na quarta colocação, o alvinegro ainda tem chances matemáticas de título. Porém, a distância de nove pontos para o líder Palmeiras, faz os santistas pensarem principalmente em garantir a vaga para a Copa Libertadores da próxima temporada.

Após queda, Oliveira pede para santistas ‘esfriarem a cabeça’

Como venceu o duelo de ida por 2 a 1, na Vila Belmiro, no dia 28 de setembro, o Santos começou a partida contra o Internacional, nesta quarta-feira, momentaneamente classificado para as semifinais da Copa do Brasil. Porém, logo aos nove minutos de jogo, Aylon apareceu livre na pequena área após cobrança de escanteio e pulverizou a vantagem santista.

Precisando de um empate para ficar com a vaga, o Peixe até teve a posse de bola no meio-campo, mas não conseguiu criar e foi castigado no fim, após gol de Eduardo Sasha, que fechou o caixão santista e determinou a eliminação do alvinegro no torneio mata-mata. O atacante Ricardo Oliveira reconheceu a superioridade dos gaúchos, mas disse que o Santos lutou até o fim do duelo.

“Agora é momento de esfriar a cabeça, a gente procurou o jogo a todo momento. Tentamos e não conseguimos ser eficientes na hora de finalizar e criar jogadas de perigo. Paciência. Méritos a equipe adversária que marcou dois gols”, afirmou o centroavante na saída do gramado do Beira-Rio.

Presidente do Santos viaja para cobrar elenco após eliminação

A derrota por 2 a 0 para os reservas do Inter, nesta quarta-feira, no Beira-Rio, não foi digerida por parte da torcida a até mesmo pelo presidente Modesto Roma Júnior. Após o revés, que causou a eliminação do Peixe nas quartas de final da Copa do Brasil, o mandatário alterou sua agenda de compromissos e viaja nesta quinta-feira para Porto Alegre.

A ideia é reunir os atletas e o técnico Dorival Júnior para cobrar explicações e motivar o grupo para o restante da temporada. A forma como o alvinegro atuou diante do Colorado não agradou a diretoria. Apáticos, os santistas sofreram um gol logo no início, com Aylon, e mesmo com a eliminação iminente, criaram poucas oportunidades e não assustaram o Inter, que ainda marcou mais um no fim do segundo tempo, com Eduardo Sasha, e fechou o caixão santista.

Mesmo não concordando com algumas escolhas da comissão técnica durante a partida desta quarta-feira, Modesto não cogita a possibilidade de demitir o comandante Dorival Júnior.

A queda na Copa do Brasil fez a pressão aumentar no Peixe. Além de um grupo de conselheiros ter enviado uma carta pedindo a saída de Dorival, uma das principais organizadas do clube declarou nesta quarta-feira, após a eliminação, ser a favor da troca no comando técnico da equipe.

Apesar disso, Modesto pretende mostrar que está do lado do elenco e também do treinador, pensando na sequência da temporada.


Internacional 2 x 1 Santos

Data: 08/09/2016, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 23ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 29.996 pagantes.
Renda: R$ 763.100,00
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade e José Reinaldo Nascimento Junior (ambos do DF).
Cartões amarelos: Anselmo, Eduardo Henrique e Fabinho (I); Gustavo Henrique, Ricardo Oliveira e Victor Ferraz (S).
Cartão vermelho: Lucas Lima (S).
Gols: Ricardo Oliveira (27-1) e Seijas (41-1); Aylon (16-2).

INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; William, Paulão (Eduardo), Ernando e Geferson; Anselmo (Eduardo Henrique), Fabinho, Seijas e Valdívia (Alex); Nico López e Aylon.
Técnico: Celso Roth

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz (Rodrigão), Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Léo Cittadini (Jean Mota) e Lucas Lima; Vitor Bueno (Walterson), Copete e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior



Com expulsão polêmica, Inter vira sobre o Santos no Beira-Rio

O duelo entre Internacional e Santos, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro pode ser definido com uma única palavra: polêmica. Com a bola rolando, o Peixe chegou a abrir o placar, com Ricardo Oliveira, mas viu o Colorado buscar a virada, com Seijas e Aylon, e conquistar a vitória por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, no Beira-Rio. Porém, o arbitragem acabou chamando a atenção na partida. Aos 45 minutos do primeiro tempo, Lucas Lima foi expulso após o árbitro Rodrigo Batista Raposo entender que o meia estava fazendo ‘cera’. A expulsão gerou muitas reclamações por parte dos santistas.

Sem nada a ver com isso, o Inter finalmente conquistou uma vitória no Brasileirão. Após um jejum de 14 rodadas, o Colorado chegou aos 27 pontos e saiu da zona de rebaixamento, ocupando a 15ª colocação. Já o Peixe amargou sua terceira derrota seguida na competição. Com isso, a equipe de Dorival Júnior segue estacionada nos 36 pontos e continua na quinta posição.

O jogo

A partida em Porto Alegre começou com um susto. Logo aos 10 segundos, a defesa do Inter já bateu cabeça, literalmente. Os zagueiros Paulão e Ernando subiram ao mesmo tempo para desviar a bola e acabaram se chocando. Os dois caíram no chão e o atendimento médico foi chamado imediatamente. Após três minutos de paralisação, Ernando voltou para o jogo, enquanto.Paulão acabou sendo substituído por Eduardo.

Com a bola rolando, o Inter começou pressionando o Santos. Aos oito minutos, Copete saiu jogamdo errado e deu a bola no pé de Nico Lopez. O uruguaio avançou e bateu fraco, de fora da área, nas mãos de Vanderlei. No lance seguinte, Seijas chutou cruzado. O arqueiro santista rebateu e deixou no pé de Nico Lopez, que isolou.

O alvinegro só assustou aos 14 minutos. Lucas Lima cobrou falta na área e Gustavo Henrique desviou, assustando o goleiro Danilo Fernandes.

Após o ‘abafa’ inicial, o Inter diminuiu o ritmo e o Santos passou a pressionar a saída de bola colorada. E a pressão surtiu efeito. Aos 27 minutos, Geferson saiu jogando errado e deu a bola nos pés de Ricardo Oliveira. O artilheiro não perdoou. Ele ajeitou o corpo e bateu de esquerda, no canto direito baixo do goleiro Danilo Fernandes.

O Inter sentiu o gol. Após o tento sofrido, a equipe de Celso Roth não conseguia mais chegar com o ímpeto inicial. Mas quando o duelo caminhava para o intervalo, Seijas arriscou um chute de fora da área, aos 41 minutos. A bola desviou em Vanderlei e enganou Vanderlei, deixando tudo igual.

Após o empate, veio a grande polêmica do jogo. Lucas Lima, que já havia levado um cartão amarelo por demorar para bater uma falta, se posicionou para cobrar um escanteio. O meia resolveu deixar a cobrança para Vitor Bueno e saiu da posição. O árbitro Rodrigo Batista Raposo entendeu que o camisa 10 retardou o jogou e aplicou o segundo amarelo, expulsão o santista.

O cartão vermelho abalou Lucas Lima. Tanto que o meia sentou no banco de reservas e começou a chorar. A comissão técnica e os jogadores do Peixe reclamaram bastante do lance. Antes do intervalo, o árbitro acabou ainda amarelando o zagueiro Gustavo Henrique.

Além deles, Ricardo Oliveira, Victor Ferraz também levaram amarelo e desfalcam o Santos no clássico contra o Corinthians.

Com um jogador a mais, o Internacional começou o segundo tempo buscando a virada. Porém, com a pouca criatividade, a equipe de Celso Roth não conseguia furar o bloqueio defensivo montado pelo Santos.

Aos poucos, aproveitando a vantagem numérica e na base da insistência, o Colorado foi encontrando os espaços. Tanto que conseguiu a virada. Aos 16 minutos, Valdívia desviou cobrança de escanteio e Vanderlei fez linda defesa, espalmando pra cima. O atacante Aylon esperou a redonda cair e empurrou para o fundo das redes, de peito.

Depois de conquistar a virada, o Inter diminuiu o ritmo. Já pelo lado santista, o técnico Dorival Júnior colocou Jean Mota na vaga de Léo Cittadini e sacou Vitor Bueno para promover a estreia do jovem Walterson. Com a entrada dos dois, o alvinegro ameaçou uma reação.

Com um a menos, o Santos foi para cima, deixando espaços para o Colorado chegar no contra-ataque. O jogo ficou franco, com chances claras para os dois lados. Porém, ninguém marcou e a vitória ficou mesmo com os gaúchos.

Após expulsão polêmica, Ferraz dispara contra árbitro: “Ridículo”

A derrota por 2 a 1 para o Internacional, nesta quinta-feira, no Beira-Rio, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, vai demorar para sair da cabeça dos santistas. A expulsão polêmica de Lucas Lima, ainda no primeiro tempo, gerou muitas reclamações dentro e fora de campo.

O lateral-direito Victor Ferraz foi um dos mais exaltados na saída do gramado. O jogador admitiu as falhas da equipe, mas disparou contra o árbitro Rodrigo Batista Raposo.

“Não vou fugir da responsabilidade. A gente vem de algumas partidas ruins e temos também muita culpa. Mas hoje o jogo estava controlado, ele (árbitro) se atrapalhou inteiro. É complicado, posso pegar um gancho, mas o que aconteceu hoje aqui foi ridículo. O Inter é muito grande, poderia ganhar da gente sem isso. Ele disse que xingamos ele. Eu não falo um palavrão há 20 anos. Além de tudo, ele é mentiroso”, esbravejou o lateral, sobre a expulsão de Lucas Lima.

Aos 45 minutos do primeiro tempo, quando a partida estava empatada em 1 a 1, o camisa 10 do Peixe, que já havia levado um cartão amarelo por demorar para bater uma falta, se posicionou para cobrar um escanteio. O meia resolveu deixar a cobrança para Vitor Bueno e saiu da posição. O árbitro Rodrigo Batista Raposo entendeu que Lucas Lima retardou o jogou e aplicou o segundo amarelo, expulsando o santista.

Além da expulsão polêmica, o Santos ainda teve Ricardo Oliveira e Victor Ferraz amarelados. Por conta disso, a dupla, assim como Lucas Lima, não encara o Corinthians, no próximo domingo, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Santos perde Ricardo Oliveira, Lucas Lima e Victor Ferraz para o clássico

Como se já não bastasse a polêmica derrota por 2 a 1 para o Internacional, na noite desta quinta-feira, no Beira-Rio, o Santos também terá três problemas para a sequência da competição. Ricardo Oliveira e Victor Ferraz, que estavam pendurados, receberam o terceiro cartão amarelo e não encaram o Corinthians, neste domingo, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Lucas Lima, expulso, também não estará à disposição de Dorival Júnior.

Sem o trio, o comandante santista deve dar oportunidade a Daniel Guedes, Jean Mota e Rodrigão no time titular. Em compensação, Thiago Maia volta de suspensão e retorna à equipe. Assim, Léo Cittadini retorna ao banco de reservas.

Na manhã desta sexta-feira, o Peixe ainda treina em Porto Alegre na manhã antes de retornar a Santos. Dos últimos cinco jogos, o Alvinegro só venceu um – contra o Atlético-MG –, e perdeu para América-MG, Coritiba, Figueirense e Internacional.

O resultado no Beira-Rio determinou o fim de um jejum de 14 jogos do Inter no Brasileirão. A equipe colorada chegou a 27 pontos e saiu da zona de rebaixamento. Já o Santos manteve o quinto lugar, com 36 pontos, mas ficou distante do G4. O Corinthians, quarto colocado, chegou aos 40 pontos.

Santistas detonam árbitro após derrota para o Inter: “Vergonha”

O Santos foi derrotado pelo Internacional por 2 a 1 no Beira-Rio e chegou à terceira derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro. Mas após o jogo, o resultado ficou em segundo plano, pois o principal assunto foi a arbitragem de Rodrigo Batista Raposo, que expulsou o meia Lucas Lima ainda no primeiro tempo.

Os jogadores do alvinegro não pouparam o árbitro do duelo desta quinta-feira, em Porto Alegre. No lance que resultou na expulsão, o camisa 10 santista estava preparando uma jogada ensaiada com Vitor Bueno, mas o árbitro entendeu que Lucas Lima estava retardando o início do jogo e aplicou o segundo cartão amarelo. Antes, Raposo já havia amarelado o meia por achar que ele estava fazendo ‘cera’ e ainda ignorou um pisão do volante Anselmo, que também já tinha cartão, no próprio Vitor Bueno.

“A gente veio com intuito de vitória, vínhamos jogando bem. Não se faz o que fez aqui. Vimos que ele veio mal intencionado e isso não pode acontecer. Não pode fazer isso porque aqui tem trabalhadores”, disparou o zagueiro Gustavo Henrique.

O atacante Ricardo Oliveira, na saída do gramado, não quis comentar a atuação da arbitragem e pediu para os jornalistas entrevistarem o juiz. Rodrigão, por sua vez, mostrou indignação, mas já quer o time pensando no próximo duelo, contra o Corinthians, na Vila Belmiro. “Isso é uma vergonha para o Brasil. Eles fizeram papel de casa e agora temos que levantar a cabeça porque domingo temos clássico”.

Dorival assume culpa por derrota, mas critica árbitro: “Crime”

Antes mesmo de começar a entrevista coletiva após a derrota por 2 a 1 para o Internacional, o técnico Dorival Júnior avisou que não iria comentar sobre a arbitragem. Porém, não tinha como fugir do assunto. Apesar de tentar evitar, o comandante do Santos não se conteve e disparou contra o juiz Rodrigo Batista Raposo.

Aos 45 minutos do primeiro tempo, o árbitro expulsou o meia Lucas Lima por entender que o camisa 10 estava fazendo ‘cera’ em uma cobrança de escanteio, quando a partida ainda estava empatada em 1 a 1.

“Aquilo foi jogada ensaiada. Um crime esse tipo de atitude. Nunca vi isso no futebol. Foi uma pena porque ali desarticulou o trabalho e a possibilidade de um resultado. Pensar que estávamos retardando o jogo vendo uma equipe que estava procurando a vitória, precisando de um resultado. Foi uma decisão muito infeliz”, afirmou Dorival.

Apesar das reclamações contra a arbitragem o técnico do Peixe assumiu a culpa pelas falhas da equipe na derrota desta quinta-feira. “O erro é meu, não dos jogadores, fomos infelizes na bola parada. É difícil sustentar uma situação com um a menos”, completou o treinador.

Modesto sugere favorecimento ao Corinthians e vê arbitragem como “vagabunda”

A arbitragem da partida entre Internacional e Santos segue causando polêmica. Após a controversa expulsão do meia Lucas Lima ainda na primeira etapa, quando o placar marcava 1 a 1, o presidente do Peixe, Modesto Roma Júnior, fez duras críticas ao trio formado por Rodrigo Batista Raposo, Daniel Henrique da Silva Andrade e José Reinaldo do Nascimento Júnior, classificando a arbitragem como “vagabunda”, “vergonhosa” e “mal-intencionada”, sugeriu um favorecimento para o rival Corinthians, pediu “a cabeça” de Sérgio Corrêa, presidente da Comissão de Arbitragem, e ainda falou sobre uma alteração no comando da CBF.

“Não adianta querer remediar um terremoto. Aí vem o senhor Walter Feldman dizendo ‘vamos pegar os melhores (árbitros) do Brasil, vamos ter trios fixos’. Um trio de vagabundos fixo o que teve ontem. Erro de arbitragem a gente perdoa, má-intenção a gente não pode perdoar. Ontem o árbitro estava mal-intencionado”, disse Modesto Roma, em entrevista à Espn.

“Estou reclamando porque ontem foi uma questão de má-intenção. Quando é questão de erro de arbitragem é uma coisa, entendemos que os árbitros são humanos. Quando é erro, agente até releva, mas ontem foi má-intenção. Os cartões que ele deu foram, o pênalti que ele não marcou, ele não se manifestar na briga do Luis Felipe com o atacante do Internacional, ele tolerar a ‘cera’ do Internacional no segundo tempo, isso tudo foi má-intenção. Um árbitro que foi lá com má-intenção”, completou.

O lance que causou maior revolta nos santistas foi a expulsão de Lucas Lima, nos minutos finais do primeiro tempo. Aos 19, o meia recebeu o primeiro cartão amarelo por retardar o reinício do jogo em uma cobrança de falta no campo de defesa. Depois, aos 45, o camisa 10 recebeu o segundo amarelo e, consequente o cartão vermelho, por ir em direção à cobrança de um escanteio, mas em seguida chamar o lateral Victor Ferraz para fazer o cruzamento. Além do jogador da Seleção Brasileira, Victor Ferraz e Ricardo Oliveira também receberam cartão amarelo e estão suspensos suspensos da próxima rodada, quando o Peixe encara o Corinthians. Modesto Roma sugeriu um favorecimento ao Timão e afirmou que o “Campeonato Brasileiro de 2016 está manchado”.

“Dos nove jogos que ele apitou de 2014 pra cá, teve uma vitória do visitante e um empate. Os outros sete foram vitórias dos mandantes na Série A. Ele é bom em expulsar para arrumar resultado, é sempre essa história. Dá todo o entendimento de que isso foi preparado, porque para bom entendedor meia palavra basta. Tirou três dos nossos melhores jogadores para domingo (contra o Corinthians). Isso foi claramente montado. Por quem? Não sei, não me compete dizer. Isso mancha o futebol brasileiro. Está manchado o Campeonato Brasileiro de 2016. O resultado beneficiou os quatro primeiros e o Internacional. Foi tendencioso e mal-intencionado”.

Bastante irritado, Modesto Roma seguiu suas reclamações motivadas pela arbitragem desta quinta-feira, mas que acabaram resultando no presidente da Comissão de Arbitragem, Sérgio Corrêa, à quem Modesto Roma pediu “a cabeça”, e no presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, que tem mandato se encerrando em 2018. O mandatário sugeriu uma união dos clubes para compor uma das chapas nas eleições da entidade brasileira.

“Vai continuar assim. O passado deu essa estrutura vergonhosa. Todo mundo sabe da incompetência do atual presidente da Comissão de Arbitragem da CBF (Sergio Corrêa) e ninguém tira esse cara de lá. Ele já me processou no STJD e se quiser processar de novo, me processe, mas ele não tem condição de comandar a arbitragem brasileira. O que foi feito ontem, colocar árbitro pra ser experimentado no Campeonato Brasileiro? Isso é uma vergonha, ou então é pior ainda. Espero que seja só uma vergonha”.

“Você lembra do caso que aconteceu em um jogo Santos e Corinthians? O David Braz foi expulso e o árbitro mentiu na súmula. Na semana seguinte, o árbitro estava apitando de novo. O problema é mais sério porque a arrogância da arbitragem é provocada por esse cidadão que é o rei da arrogância. Ele é o maior dos arrogantes. Quando eu falei que queria o escalpo dele, ele me processou no STJD, mas eu continuo querendo. Eu continuo querendo sua cabeça, Sérgio (Corrêa) porque você não tem competência para administrar a arbitragem brasileira”.

“A questão é, temos que respeitar o mandato, que vai até 2018. Eu só não entendo porque o Marco Polo (Del Nero), que fez uma mudança importante em São Paulo colocando o Coronel Marinho, que deu um jeito na arbitragem paulista, não toma nenhuma providência quanto a esse incompetente do Sérgio Corrêa. A gente sabe que quem veio de Brasília é isso mesmo. Uma péssima escola. O que aconteceu ontem foi imoral. Mas vamos fazer o quê? Greve pra derrubar o Marco Polo? Não vamos fazer isso. Vamos nos mobilizar em 2018 para colocar um novo presidente e resolver esse problema do futebol brasileiro. Hoje eu peço pessoalmente ao Marco Polo que salve a gestão dele tirando esses despreparados do futebol brasileiro”.

“Os clubes para se unirem e lançarem uma chapa hoje, precisa do apoio de 18 Federações, que tem os benefícios do poder. Tem que pensar isso com muita clareza. As Federações recebem mesada da CBF então querem mudar o estatuto? Não, não querem. Se conseguirmos esse favor das Federações, ganhar é mais fácil, mas é preciso que as Federações tenham o controle externo da CBF. Temos que mudar várias coisas, mas tenho certeza que temos unidade para isso. Não estou tirando a responsabilidade dos presidentes dos clubes, que também tem uma certa incompetência e vagabundagem, para falar a palavra clara. Acabamos nos acovardando frente a essas coisas.

Presidente do Inter rebate Modesto e defende expulsão de Lucas Lima

Após as fortes declarações do presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, à Espn, sobre a arbitragem da partida entre Internacional e Santos, na última quinta-feira, o mandatário do Internacional, Vitorio Piffero, se manifestou, e contestou o comportamento do chefe do Peixe.

Na vitória do Colorado, por 2 a 1, o árbitro Rodrigo Batista Raposo, entre outros lances polêmicos, expulsou o meia Lucas Lima, deixando um dos principais nomes da equipe de Dorival Júnior fora do clássico contra o Corinthians, no próximo domingo. Para Piffero, porém, a exclusão do atleta foi correta.

“O Lucas Lima fez cera e tomou amarelo. Depois, repetiu o comportamento, então levou outro. O árbitro ia fazer o quê? O Lucas errou, e o Modesto vai perceber também”, afirmou Vitorio, também à Espn.

Sobre o fato de o presidente santista ter alegado má intenção do árbitro do jogo, o mandatário colorado também rebateu Roma, negando qualquer chance de atitude intencional de Raposo.

“A CBF coloca, mais ou menos, dez árbitros para o sorteio, é totalmente aleatório. Não tem como pensar na possibilidade de manipulação para prejudicar qualquer clube”, finalizou Piffero.

Com um a mais, o Inter conseguiu quebrar o jejum de 14 rodadas, vencendo de virada, por 2 a 1. De quebra, a equipe de Celso Roth saiu da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, ocupando agora a 15ª posição, com 27 pontos.

Estreia agrada Dorival e Walterson terá novas chances no Santos

Apesar da polêmica envolvendo a arbitragem na derrota do Santos para o Internacional, por 2 a 1, nesta quinta-feira, no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro, o técnico Dorival Júnior ainda conseguiu ver alguns pontos positivos na equipe santista. Um deles foi a estreia de Walterson. O atacante fez sua primeira partida como profissional em Porto Alegre e deve ter mais chances nos próximos jogos.

“O Walterson é um garoto com velocidade. Faz parte da minha procura por um novo jogador com a perda do Gabriel. Tenho que buscar uma opção. Ele vem se destacando no sub-23 e vai ter algumas oportunidades”, afirmou o treinador, após a derrota para o Colorado.

Walterson começou a carreira no São Bernardo, jogou o Campeonato Mineiro de 2014 pelo Guarani-MG e retornou à equipe do interior paulista, antes de vir para o Santos B, em maio deste ano. O jogador de 21 anos chamou a atenção na Copa Paulista. Por conta disso, foi chamado por Dorival para participar dos treinos na última semana. Mesmo com o pouco tempo entre os profissionais, o jovem foi relacionado e já fez sua estreia diante do Colorado.

“É a realização de um sonho. Nós, que viemos de times menores, sempre queremos chegar em time e ir para um jogo. Agradeço ao professor Dorival (Júnior) e a comissão técnica por estar confiando em mim”, afirmou o atleta, que usou a camisa 45 em Porto Alegre.

O atacante está emprestado ao Peixe com contrato válido até dezembro. Mas após o crescimento no clube, a diretoria já pensa em negociar a permanência do jovem. Walterson tem vínculo com o São Bernardo até 2020.

Herói da vitória colorada, Aylon comemora fim de jejum: “Alívio”

O atacante Aylon pode se considerar o herói do Internacional na noite desta quinta-feira. No Beira-Rio, o jogador fez o gol da virada na vitória por 2 a 1 sobre o Santos e ainda evitou o tento de empate do Peixe, já nos minutos derradeiros da partida válida pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após o apito final, o camisa 18 comemorou o término de um jejum que durava 14 jogos ou 84 dias sem triunfos na competição.

“Alívio pela vitória, pelos três pontos, havia uma sequência grande que a gente não conseguia vencer. Agora é pensar todo jogo como uma final, pensar que no domingo tem outro jogo importante fora de casa e temos que buscar mais vitórias”, considerou Aylon ao canal Sportv.

O atacante de 24 anos ainda contou com a sorte nesta noite. Quando o placar ainda apontava o empate por 1 a 1, Aylon se posicionou bem após rebote em cobrança de escanteio, a bola tomou grande altura, mas caiu no peito do atleta, que só teve o trabalho de ficar parado para anotar o gol da virada colorada.

Aylon, no entanto, fez questão de dividir os méritos da vitória. “Teve ajuda dos companheiros, todo mundo correu, batalhou, as coisas mudaram um pouco. A bola bateu e voltou no meu peito. Agora no final tive a felicidade de tocar na bola senão o Copete ia fazer o gol, e ela saiu por muito pouco”, acrescentou, ressaltando o público de mais de 34 mil torcedores presentes no Beira-Rio.

“Acho que as coisas agora voltam ao normal, a confiança volta, temos que agradecer a torcida que nos empurrou e foi fundamental”, concluiu.

Certo é que, com a vitória, o Internacional, enfim, deixa a zona de rebaixamento ao somar 27 pontos, colocando-se no 15º lugar, superando Sport e Figueirense nos critérios de desempate.

Árbitro do jogo do Santos é retirado de escala pela CBF

Depois das declarações do presidente do Santos, Modesto Roma Junior, que criticou o árbitro da partida entre Santos e Internacional, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) retirou o juiz Rodrigo Raposo da escala da rodada deste final de semana do Campeonato Brasileiro.

O árbitro iria participar da partida entre Ponte Preta e América-MG, neste domingo, às 18h30 (de Brasília), como quarto árbitro, no entanto, a CBF realizou uma mudança na escala, retirando Rodrigo Raposo e o substituindo por Christiano Gayo Nascimento.

A principal polêmica envolvendo o árbitro no jogo entre Santos e Internacional, vencido pelo Colorado por 2 a 1, foi a expulsão do meia Lucas Lima ainda no primeiro tempo da partida, quando o jogo se encontrava empatado em 1 a 1. O primeiro cartão amarelo recebido pelo meia santista foi por retardar a partida, enquanto o segundo foi apresentado após o jogador se dirigir para a batida de escanteio e depois chamar o lateral Victor Ferraz para fazer a cobrança.

Além da expulsão de Lucas Lima, Rodrigo Raposo foi criticado pelo presidente Modesto por apresentar o cartão amarelo ao atacante Ricardo Oliveira e ao lateral Victor Ferraz, que estão suspensos para o próximo jogo da equipe, contra o Corinthians, neste domingo, na Vila Belmiro.