Navegando Posts marcados como Beira Rio

Internacional 1 x 0 Santos

Data: 03/08/2014, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 24.538 total
Renda: R$ 710.090,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Bruno Raphael Pires (GO).
Cartões amarelos: Paulão, Fabrício e Jorge Henrique (I); Lucas Lima e Mena (S).
Cartão vermelho: Paulão (I) e Mena (S).
Gols: Rafael Moura (11-2).

INTERNACIONAL
Dida; Wellington Silva, Paulão, Juan e Fabrício; Willians, Wellington, Alex (Ernando), D’Alessandro (Igor) e Alan Patrick (Jorge Henrique); Rafael Moura.
Técnico: Abel Braga

SANTOS
Aranha; Cicinho, Bruno Uvini, David Bráz e Mena; Alison (Souza), Arouca e Lucas Lima; Rildo (Geuvânio), Thiago Ribeiro e Gabriel (Leandro Damião).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Em jogo com duas expulsões, Inter vence o Santos e chega ao terceiro lugar

Com gol de Rafael Moura, gaúchos venceram os paulistas, chegaram a 25 pontos e agora ocupam a 3ª posição na tabela

O Santos mais uma vez terminou a rodada fora do G4 do Campeonato Brasileiro . Em confronto direto contra o Internacional , o Peixe acabou derrotado por 1 a 0, no Beira-Rio, graças a gol de Rafael Moura.

Muito movimentada, a partida teve duas expulsões. Paulão, pelo Colorado, e Mena, pelo alvinegro praiano, receberam os cartões vermelhos. Além disso, Leandro Damião, enfim, voltou a jogar após quase três meses fora dos gramados. E, logo contra seu ex-time, o camisa 9 desperdiçou uma grande chance de arrancar o empate para o Santos já nos acréscimos do segundo tempo.

Com a vitória, o Inter chega ao terceiro lugar na tabela, com 25 pontos, empatado com o Fluminense, que vendeu nesta domingo, mas fica com a vice-liderança pelo critério de desempate. Enquanto isso, o Peixe é o sexto, com 20 pontos, quatro a menos que o Corinthians, primeiro time da zona de classificação para a Libertadores de 2015.

O jogo

Dois times que primam pelo futebol bonito, esquemas ofensivos e um gramado rápido e em perfeito estado. Antes mesmo da bola rolar, já se esperava um grande jogo entre Internacional e Santos, no Beira-Rio. E foi o que aconteceu.

O time da casa começou o duelo partindo para cima com um envolvente toque de bola e pressionou o gol de Aranha nos primeiros 10 minutos. A melhor chance aconteceu após linda jogada individual de Alex pela esquerda. Juan cabeceou no ângulo, mas o camisa 1 do Peixe foi buscar e espalmou para escanteio.

O time de Oswaldo de Oliveira apostava na retomada da bola durante a saída de jogo do Inter para aproveitar o contra-ataque. E aos 13 quase chegou ao gol dessa maneira, mas Gabriel não conseguiu completar o cruzamento de Thiago Ribeiro.

O Santos pecava no último passe e desperdiçava boas oportunidades com a defesa gaúcha desarrumada. Enquanto isso, o Inter abusava do entrosamento e rondava, sempre com muito perigo, a meta adversária.

Aos 21, Alex arriscou de fora da área, Aranha voou, mas a bola saiu raspando a trave. Dois minutos depois, Wellington recebe linda enfiada de bola de D’Alessandro, invadiu a área pela direita e tocou no canto, acertando a trave.

O alvinegro respondeu aos 37, quando, novamente pela direita, Thiago Ribeiro cruzou rasteiro e viu Paulão fazer um corta luz bizarro no meio da área. Rildo chegou de surpresa no segundo pau e perdeu grande chance ao bater para fora.

O jogo era lá e cá, bem jogado. O Santos era pressionado, mas ao mesmo tempo perigoso e claramente preparado para contra-atacar. Já o Inter, tentava abrir o placar de todas as maneiras, mas falhava no momento decisivo.

Aos 43, Alan Patrick, após troca rápida de passes, finalizou de fora da área com perigo. E no último lance da primeira etapa, já nos acréscimos, após cobrança de falta que surgiu de uma linda caneta de D’Alessandro em cima de Mena, a bola mais uma vez explodiu no travessão de Aranha, depois do desvio de Cicinho.

Os jogadores foram para os vestiários mantendo o 0 a 0, mas com os aplausos da torcida após um bom jogo de futebol.A etapa complementar seguiu o ritmo frenético, mas com o Peixe melhor postado em campo. A conversa de Oswaldo de Oliveira com os jogadores surtiu efeito e o Inter pouco pegou na bola nos primeiros minutos. No entanto, o goleiro Dida era muito pouco exigido.

Lucas Lima chegou a colocar Rildo na cara do gol, mas o atacante do Peixe dominou mal a bola e, ao tentar salvar o lance, errou o cruzamento para Gabriel, que estava sozinho, embaixo da trave.

De repente, o clima ficou quente no Beira-Rio. Os jogadores do Inter forçavam as jogadas em cima de Mena, que estava pendurado com um cartão amarelo, mas acabaram exagerando.

Aos 10 minutos, o árbitro marcou um falta na lateral de campo, à favor do time mandante, mas Paulão, que havia recebido um amarelo poucos minutos antes, reclamou até ser expulso.

O inusitado é que após muita reclamação, a falta foi cobrada na área e Rafael Moura, sozinho, abriu o placar, de cabeça. A defesa santista, que só levara um gol nos últimos seis jogos, cometeu um grave erro de posicionamento no lance.

Com 1 a 0 e um homem a menos, os papéis se inverteram. O Colorado passou a apostar no contra-ataque e na força da torcida, enquanto o Peixe partia para cima em busca do empate.

Mas a vantagem numérica em campo durou pouco, já que Mena não resistiu muito e acabou sendo expulso também após frear o ataque do Inter com uma falta por trás.

Nem assim o Santos se intimidou. Aos 29, Lucas Lima quase empatou. O meia tabelou com Thiago Ribeiro na entrada da área e bateu forte. Dida espalmou e, sem querer, ligou o contra-ataque que terminou com o chute de Jorge Henrique para fora.

Com 10 contra 10, os espaços em campo apareciam e o técnico do Peixe partiu para o tudo ou nada, colocando Geuvânio e Leandro Damião. O camisa 9, fora de ação desde maio, voltava justamente contra seu ex-time.

E Damião acabou saindo como o vilão santista, pois perdeu uma chance clara de gol nos acréscimos do segundo tempo, gerando grande comemoração da torcida da casa.


Internacional 0 x 0 Santos

Data: 15/07/2012, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 9ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 14.044 pessoas (11.791 pagantes)
Renda: R$ 238.220,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ).
Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Rodrigo Henrique Corrêa (RJ).
Cartões amarelos: Guiñazu, Fabrício, Nei, Dagoberto (I); Gérson Magrão, João Pedro, Aranha (S).
Cartão vermelho: Juan (S).

INTERNACIONAL
Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Fabrício; Elton (João Paulo), Guiñazu, Mike (Otavinho) e Lucas Lima; Jajá (Maurides) e Dagoberto.
Técnico: Dorival Júnior

SANTOS
Aranha; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano, Henrique, Arouca e Felipe Anderson; Dimba (Gérson Magrão) e Miralles (João Pedro).
Técnico: Muricy Ramalho



Com um a menos, Santos empata sem gols com o Inter no Beira-Rio

Time gaúcho não consegue aproveitar vantagem numérica durante praticamente todo o segundo tempo

Desfalcados de seus principais jogadores, que estão servindo a seleção brasileira olímpica, Internacional e Santos se enfrentaram neste domingo no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro. Com um a menos durante praticamente todo o segundo tempo por causa da expulsão do lateral-esquerdo Juan, o time paulista criou chances, mas também deu espaço para os donos da casa desperdiçarem algumas oportunidades. No fim, o placar não se alterou, e a partida terminou empatada em 0 a 0.

O resultado não foi bom para nenhum dos dois times, que não conseguiram subir na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Os Internacional chegou a 16 pontos, enquanto o Santos vai a nove pontos ganhos na competição.

Na próxima rodada, o time paulista retorna à Vila Belmiro para receber o Botafogo. O jogo será na quarta-feira, às 19h30 (horário de Brasília). No mesmo dia, mas às 21h50, o Internacional visita o líder Atlético-MG no Estádio Independência.

O jogo

Muito desfalcados, os times começaram a partida se estudando bastante. A primeira oportunidade de gol do jogo surgiu aos oito minutos, em um erro de passe do Santos no setor no ofensivo, que abriu espaço para o contra-ataque dos gaúchos. Mike recebeu boa assistência e, cara a cara com Aranha, chutou para boa defesa do goleiro santista, que fechou o ângulo do adversário e abafou o arremate.

Durante a maior parte do primeiro tempo, o Inter buscou mais o ataque, só que pouco incomodava o gol defendido por Aranha. A equipe local ainda reclamou de um lance polêmico, no qual Durval se atrapalhou ao rebater uma falta cobrada por Dagoberto. Os donos da casa pediram pênalti, alegando toque no braço do zagueiro santista, mas a arbitragem ignorou as reclamações da equipe gaúcha.

Nos minutos finais da etapa inicial, o Santos se aventurou no ataque e criou duas boas chances. Na primeira, aos 41, o estreante Miralles foi acionado por Arouca, dentro da grande área, porém errou o passe para Dimba fazer o gol. Dois minutos depois, Felipe Anderson cobrou falta, Bruno Rodrigo desviou e a bola passou rente a trave esquerda de Muriel. No entanto, como o argentino Miralles estava adiantado e atrapalhou o goleiro colorado, a jogada foi anulada por impedimento.

Na volta para o segundo tempo, Dorival Júnior sacou Jajá para a entrada do jovem Maurides, visando dar uma maior movimentação ao seu setor ofensivo, atuando dentro de casa.

Entretanto, a principal mudança para a etapa complementar foi a expulsão do lateral santista Juan, aos dois minutos, por falta em Lucas Lima. Após muita pressão dos atletas do Internacional, o árbitro expulsou Juan, que havia recebido cartão amarelo no primeiro tempo. Para recompor o setor, o técnico Muricy Ramalho sacou o atacante Dimba para a entrada do ala Gérson Magrão.

Mesmo com um homem a menos em campo, o Santos esteve perto de balançar as redes adversárias. Aos seis, Miralles quase aproveitou cruzamento vindo da esquerda e marcou o gol. Mais tarde, aos 20, o time paulista teve a melhor oportunidade de gol do duelo, quando Henrique tocou para Miralles e o argentino tocou na saída de Muriel, só que Bolívar chegou antes de a bola ultrapassar a linha do gol.

O Santos sentiu o melhor momento no jogo e passou a se arriscar ainda mais no campo de ataque. Aos 23, Felipe Anderson cobrou escanteio, Henrique cabeceou forte e Muriel precisou defender em dois tempos para evitar o gol dos visitantes.

O Colorado respondeu e, aos 31, João Pedro cruzou para Ovatinho, que havia acabado de entrar, no lugar de Mike e completou bem a jogada, só que o chute saiu ao lado esquerdo da metade defendida por Aranha. No minuto seguinte, Guiñazu exigiu grande defesa do camisa 1 do Peixe.

No final da partida, o Inter pressionou os santistas, que conseguiram resistir bem ao sufoco imposto pelos gaúchos, segurando o empate até o apito final do árbitro.

Mesmo com um jogador a menos, santistas lamentam empate contra o Inter

Mesmo com um homem a menos durante praticamente todo o segundo tempo, devido a expulsão do lateral-esquerdo Juan, o Santos criou boas chances, mas empatou em 0 a 0 com o Internacional-RS.

Mesmo com um homem a menos durante praticamente todo o segundo tempo, devido a expulsão do lateral-esquerdo Juan, o Santos criou boas chances, mas empatou em 0 a 0 com o Internacional. Para os jogadores do time da Vila Belmiro, o resultado deste domingo, no Beira-Rio, poderia ter sido melhor.

“Jogando com um homem a menos e sofrendo pressão, ainda assim poderíamos sair vencedores, pois tivemos boas oportunidades para marcar”, analisou o volante Henrique, na saída de campo.

O meia Felipe Anderson também deu a sua opinião sobre o empate fora de casa. O jovem atleta não crê que os santistas devam comemorar o ponto conquistado, mas elogiou a atuação do time diante do Colorado.

“Não vamos festejar o empate, pois a gente queria vencer. Só que jogar com o Inter aqui é difícil, ainda mais com um jogador a menos. Quando nós perdemos o Juan ficou complicado, mas dava para a gente ter matado a partida”, comentou.

Felipe Anderson destacou que o Santos não se acomodou com a possibilidade de apenas se defender. Explorando os contra-ataques, o time visitante ameaçou o clube gaúcho.

“Criamos duas boas jogadas, só que não fizemos os gols. Mas é coisa de futebol. E como eles também pressionaram e a gente estava com um a menos, pelas circunstâncias do jogo, foi um bom resultado”, encerrou.

Após empate com Inter, Muricy confirma renovação até o fim de 2013

Para o técnico, as condições de trabalho oferecidas pelo time alvinegro e o bom relacionamento que mantém com a direção foram decisivos

Após o empate com o Internacional por 0 a 0 neste domingo, no Beira-Rio, o técnico Muricy Ramalho confirmou a sua permanência no Santos. O treinador, cujo vínculo atual se encerra no final deste ano, acertará a renovação do contrato com o clube até o final de 2013.

Segundo Muricy, todos os detalhes do acordo foram ajustados e falta somente a assinatura do novo vínculo com o Santos. “Já está renovado praticamente. Está tudo acertado, falta apenas colocar no papel”, afirmou o treinador na saída do gramado.

Para o técnico, as condições de trabalho oferecidas pelo Santos e o bom relacionamento que mantém com a direção foram decisivos para que ele decidisse prorrogar por mais um ano o vínculo com o clube.

“Sei do momento do Santos e, por conta disso, não pedi nada de exagerado”, disse Muricy. “No Santos, nós temos um ambiente excelente, uma estrutura muito boa e eu acredito na diretoria. Não quero sair tão cedo de lá”, completou.

Desde abril do ano passado na Vila Belmiro, o treinador conquistou três títulos desde que chegou ao Peixe. Muricy foi duas vezes campeão paulista (2011 e 2012), além de ter faturado a Copa Libertadores no último ano.

Internacional 1 x 1 Santos

Data: 04/04/2012, quarta-feira, 22h00.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 1 – 5ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 35.530 torcedores
Renda: R$ 1.025.415,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Roberto Braatz e Fabrício da Silva.
Cartão amarelo: Sandro Silva, Nei, Élton, Rodrigo Moledo (I); Durval, Neymar (S).
Cartão vermelho: Rodrigo Moledo (I)
Gols: Nei (08-1); Alan Kardec (20-2).

INTERNACIONAL
Muriel; Nei, Rodrigo Moledo, Índio e Kléber; Sandro Silva, Élton, Tinga (Gilberto), Dátolo (Bolívar) e Dagoberto (Jajá); Leandro Damião.
Técnico: Dorival Júnior.

SANTOS
Rafael; Fucile (Alan Kardec), Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca, Henrique, Ibson e Ganso; Neymar e Borges (Elano).
Técnico: Muricy Ramalho.



Santos busca empate e frustra festa de aniversário do Inter

No dia em que completou 103 anos, clube gaúcho segurou Neymar mas levou gol de Alan Kardec

No dia em que o clube completou 103 anos, a torcida do Internacional ganhou meio presente. Quem foi ao Beira-Rio viu um jogão entre Inter e Santos, pela 5ª rodada da fase de grupo da Libertadores. Porém, o resultado não foi o esperado pelos gaúchos: 1 a 1.

Até o craque Neymar foi convidado. A defesa gaúcha se redimiu e conseguiu segurar o atacante do Santos, depois de ele fazer três gols no jogo da Vila Belmiro. Nei, lateral-direito do Inter, até tentou dar um presentão fazendo um belo gol de falta logo aos 8 minutos de jogo. A festa parecia pronta, mas Alan Kardec apareceu de penetra. O atacante havia acabado de entrar e marcou o gol do Santos aos 20 minutos do segundo tempo.

O resultado não classificou nenhum dos dois. O Santos segue líder do grupo 1, com 10 pontos. O Inter é 2º colocado com 8. O The Strongest, que visita o Juan Aurich na quinta-feira, pode pular também para 10.

O jogo foi do nível que se esperava para um encontro dos dois últimos campeões da Libertadores: muito bom. O Inter se atirou para o ataque logo no início. O Santos não deixou por menos e respondeu nos contra-ataques. O gol de Nei acabou saindo em uma cobrança de falta, mas com a bola rolando os times também deram espetáculo.

O Inter fez uma blitz em Neymar. O craque do Santos produziu bem menos em relação ao jogo da Vila Belmiro, quando marcou três gols. Caiu pelo lado do campo, veio para o meio. Sempre tinha alguém do Inter pronto para roubar a bola. Porém, a defesa gaúcho não contava com Alan Kardec. Dois minutos depois de entrar em campo, o atacante empatou o jogo no segundo tempo.

Domingo, o Inter vai visitar o São Luiz, pela última rodada da fase de grupos do Gauchão. No mesmo dia, o Santos entrará em campo pelo Paulistão. Vai jogar fora de casa contra o São Caetano. Na última rodada da Libertadores, o Santos jogará contra o Strongest na Vila Belmiro, enquanto o Inter terá de encarar o Juan Aurich, no Peru.

O jogo

O Inter começou com uma disposição incrível. Se atirou para cima do Santos. Escanteios, cruzamentos. Logo deu resultado. Dagoberto sofreu falta perto da área. Nei cobrou com perfeição, na gaveta. Inter 1 a 0 aos oito minutos de jogo.

Resposta do Santos aos 13, Neymar colocou a bola na frente e apareceu na cara do gol. Muriel pegou firme. Aos 16, foi Kleber quem arriscou o chute assustando o goleiro Rafael.

Chance claríssima para o Santos aos 27 minutos. O cruzamento de Neymar deixou Ibson de frente para o gol. Muriel espalmou. Aos 41, Neymar arriscou um chute de fora da área. Nova defesa do camisa 1 colorado.

O Santos tentou acionar Neymar ainda mais vezes no início do segundo tempo. A marcação do inter foi perfeita, sempre com alguém pronto para tirar a bola do atacante. A primeira boa chance apareceu aos 15 minutos e foi do Inter. Chute de Dagoberto, passando perto do gol. Aos 17, Neymar conseguiu se livrar da marcação, driblou Moledo e chutou no cantinho. Outra bela intervenção de Muriel.

Se não dava com Neymar, o técnico Muricy Ramalho tirou um coelho da cartola. Colocou Alan Kardec em campo. Dois minutos depois, ele subiu no meio da área e cabeceou para fazer 1 a 1.

Dorival Júnior quase respondeu da mesma forma. Colocou Jajá em campo. Segundos depois, a bomba do meia-atacante explodiu nas luvas de Rafael. Mas Neymar conseguiu se soltar. Aos 28, o chute do craque tocou em Muriel e parou no travessão.

O Inter ensaiou uma pressão final. O Santos, comandado por Neymar, seguiu assustando. O atacante ainda conseguiu a expulsão do zagueiro Rodrigo Moledo nos minutos finais. Jogão de bola. 1 a 1 no Beira-Rio.

Bastidores – Santos TV:

Muricy exalta atuação “a la Barça” e comemora ponto conquistado

Treinador aprovou a posse de bola do Santos, que teve maior domínio em relação ao Inter

O técnico Muricy Ramalho lembrou da derrota do Santos para o Barcelona no Mundial de Clubes de 2011 para exaltar a atuação santista contra o Internacional nesta quarta-feira em Porto Alegre. O empate por 1 a 1 no Beira-Rio praticamente garantiu o Santos na próxima fase da Libertadores. O resultado foi conquistado depois de um grande jogo em que os visitantes tiveram mais de 60% da posse de bola, principalmente característica do time espanhol, campeão do mundo.

“No fim do ano aprendemos muito e estamos a cada jogo ficando mais com bola. Vimos que eles não entregam a bola de mão beijada então temos que continuar com a bola no pé. Jogar aqui (no Beira-Rio) não é fácil”, disse Muricy após a partida.

A classificação do Santos para a próxima fase da Libertadores passa exclusivamente por uma vitória santista contra o The Strongest, dia 19 de abril, na Vila Belmiro. Até um empate pode ser satisfatório. O Santos tem 10 pontos. O Inter, oito e o time boliviano, sete. Nesta quinta o Strongest visita o Juan Aurich no Peru.

Muricy comemorou que depois de cinco rodadas na Libertadores o Santos depende apenas dele para se classificar. E ainda teve uma vitória especial contra o Inter nos dois duelos pela fase de grupos. “Fizemos quatro dos seis pontos que disputamos com o Inter e isso é fantástico”, comentou o treinador.

Internacional 3 x 3 Santos

Data: 31/08/2011, quarta-feira, 21h50.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA)
Auxiliares: José Dias da Hora e Luiz Carlos Teixeira (BA).
Cartão amarelo: Nei, Élton, Dellatorre, Índio, Bolívar, Nei (I); Durval, Edu Dracena, Léo (S).
Gols: Bolívar (08-1), Leandro Damião (19-1); Oscar (26-2), Borges (31-2), Alan Kardec (35-2) e Borges (41-2).

INTERNACIONAL
Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Kléber; Élton, Guiñazu, Oscar (Sandro Silva) e Andrezinho (João Paulo); Dellatorre (Ilsinho) e Leandro Damião.
Técnico: Dorival Júnior.

SANTOS
Rafael, Pará (Alan Kardec), Edu Dracena, Durval e Léo (Cristian); Adriano (Felipe Anderson), Henrique, Danilo e Ganso; Neymar e Borges.
Técnico: Muricy Ramalho.



Inter abre três gols de vantagem, mas cede o 3 a 3 para o Santos

Na noite em que homenageou o lutador Minotauro, clube gaúcho saiu batendo, mas acabou quase nocauteado

Na noite em que homenageou Minotauro, lutador de MMA, o Inter viu o Santos dar uma de Rocky Balboa. Antes da bola rolar, o clube gaúcho homenageou o baiano que representou o clube no UFC Rio. Durante a primeira hora de jogo, parecia que nocautearia o Santos, pois abriu um 3 a 0.

Só não esperava que o time de Muricy Ramalho desse uma de Rocky Balboa. Com três gols na segunda etapa, o Santos buscou o 3 a 3.

Bolívar, logo a oito minutos de jogo, acertou o primeira pancada: 1 a 0. Damião, aos 19, tonteou os paulistas, fazendo 2 a 0. Oscar, aos 26 do segundo tempo, cobrando pênalti, parecia decretar o nocaute: 3 a 0.

O Santos resolveu reagir, asism como fazia o personagem de Sylvester Stalone no filme. Borges, aos 31, tentou interromper a contagem (3 a 1), Alan Kardec, aos 35, parecia dar o último suspiro (3 a 2).Borges, aos 43, decretou a sobrevivência dos visitantes (3 a 3).

Embalado por Minotauro, o Inter começou o jogo indo para cima. O Santos também manteve sua característica e não abdicou do jogo. O time de Dorival Júnior mostrou uma velocidade impressionante, marcando forte e atacando com força, bem diferente do Gre-Nal. Os gols não demoraram a sair. Bolívar aproveitou um cruzamento de Élton para abrir o 1 a 0. Damião, em cruzamento de Nei, completou o 2 a 0 da primeira etapa.

O Inter parecia ter o jogo dominado. Oscar, cobrando pênalti, chegou a fazer 3 a 0 na segunda etapa. Borges, duas vezes, e Alan Kardec fizeram o 3 a 3.

O Inter vai 28 pontos, perdendo nova chance de se aproximar da zona da Libertadores. O Santos chega a 23 pontos. Os gaúchos voltam a campo no domingo, 18h, quando visitam o Ceará. O Santos folga no fim de semana, pois teve a partida contra o Botafogo adiada. Os comandados de Muricy visitam o Avaí, em Florianópolis, na próxima quarta-feira.

O jogo:

O Inter largou na frente logo cedo. O gol saiu de uma maneira inusitada. Assistência de um volante e gol de um atacante. Aos 8, Élton cruzou e Bolívar cabeceou para fazer 1 a 0. O Santos respondeu com um chute de Borges, nas mãos de Muriel. O segundo gol veio aos 19, de forma bem mais convencional: Nei cruzou, Damião subiu mais que a zaga e cabeceou fazendo 2 a 0.

Dellatorre quase ampliou no minuto seguinte. Driblou os zagueiros e chutou cruzando. Rafael espalmou. O Inter seguiu fazendo uma atuação com muita velocidade. O Santos tentou chegar aos 35, mas a arrancada de Léo terminou com um chute pra fora. Outra chance clara surgiu aos 38. Andrezinho fez belo lançamento, deixando Damião na cara do gol. Pressionado, ele chutou na rede pelo lado de fora. Nos acréscimos, Danilo arriscou um chute que foi para fora.

Muricy tentou mudar o jogo no intervalo ao colocar Alan Kardec na vaga de Pará. O início de segunda etapa teve o mesmo ritmo. Leandro Damião arriscou uma cabeçada, aos 13, mas foi para fora. Aos 18, o Inter saiu jogando errado e o chute de Ganso passou pertinho do gol. O chute de Borges, aos 21, obrigou Muriel a fazer nova defesa.

Guiñazu respondeu com uma pancada. Aos 23, a bomba do volante foi espalmada por Rafael. Aos 25, Edu Dracena cometeu pênalti em Bolívar. Oscar não bateu tão bem, mas entrou. A bola foi para o canto esquerdo, passando embaixo do goleiro Rafael: 3 a 0. O Santos deu o ar da graça aos 31. Alan Kardec cruzou e Borges subiu entre os zagueiros para descontar para 3 a 1.

Os atacantes inverteram os papéis aos 35. Borges cruzou, e Kardec finalizou: 3 a 2. Borges fez bela jogada individual aos 43. entrou a dribles na área e empatou o jogo em 3 a 3.

Internacional 1 x 1 Santos

Data: 30/10/2010, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 29.565
Renda: R$ 459.005,00
Árbitro: Paulo Godoy Bezerra (SC).
Auxiliares: Carlos Berkenbrock e Marco Antônio Martins (ambos de SC).
Cartões amarelos: Guiñazu, D’Alessandro (I); Rodriguinho, Zé Eduardo (S).
Gols: Zé Eduardo (33-2) e Leandro Damião (36-2).

INTERNACIONAL
Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Guiñazu, Wilson Matias, D’Alessandro e Giuliano (Andrezinho); Rafael Sobis (Edu) e Alecsandro (Leandro Damião).
Técnico: Celso Roth

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Arouca (Rodriguinho), Roberto Brum, Danilo e Alan Patrick (Marquinhos); Zé Eduardo e Neymar.
Técnico: Marcelo Martelotte



Inter e Santos empatam no Sul e vêem título mais distante

Empate no Beira-Rio deixou rivais a oito pontos do líder Fluminense faltando apenas seis rodadas para o final do Campeonato Brasileiro

Um resultado que não adiantou para ninguém. Com um empate por 1 a 1 no Beira-Rio, Internacional e Santos foram a 49 pontos, permaneceram com o quarto e quinto lugares na tabela de classificação e viram a distância para o líder Fluminense (que era de seis pontos antes da 32ª rodada) subir para oito pontos a apenas seis jogos do final do Brasileirão-2010.

Destaques da partida, os goleiros Renan e Rafael só foram superados no segundo tempo. Quando o jogo já parecia se encaminhar para um 0 a 0, Zé Eduardo abriu o placar para a equipe paulista aos 33 minutos, em belo chute no ângulo direito de Renan. A resposta dos anfitriões, porém, não demorou. E três minutos depois o empate veio com Leandro Damião, que havia entrado poucos minutos antes.

Na próxima rodada, o Internacional volta a jogar em Porto Alegre, recebendo o líder Fluminense às 19h30 de quarta-feira no Beira-Rio. Já o Santos joga no mesmo dia e horário contra o Vitória, na Vila Belmiro.

O jogo

Logo aos três minutos, o Inter exigiu uma ótima defesa do goleiro Rafael. Guiñazu recebeu cruzamento da direita de Rafael Sobis, dominou, invadiu área e chutou cruzado, mas o camisa um santista estava bem posicionado e conseguiu espalmar e afastar o perigo.

Não demorou e o Santos respondeu, dando trabalho também para o goleiro Renan, do Inter. Aos seis minutos, Neymar arrancou bem pela direita, tabelou com Zé Eduardo e saiu sozinho, cara a cara com o goleiro. Mas na hora da conclusão, o atacante santista acabou batendo fraco, o que facilitou a defesa.

Ainda antes dos quinze minutos, cada equipe teve mais uma ótima chance. Pelo Inter, D`Alessandro, Giuliano e Guiñazu fizeram bela troca de passes pela esquerda e Giuliano chutou colocado, mas a bola saiu acima da meta santista. Pouco depois o Santos respondeu com Danilo, que acertou chute forte da direita da grande área, bem defendido por Renan.

A primeira etapa seguiu com as duas equipes alternando bons momentos no ataque, mas sempre sofrendo com a forte marcação e, quando conseguiam concluir, as jogadas paravam nas mãos dos dois goleiros, ambos em tarde inspirada. Aos 30 minutos, o Santos perdeu o volante Arouca. Com dores na coxa esquerda, ele foi substituído por Rodriguinho.

Nos minutos seguintes, aconteceram os dois principais lances do primeiro tempo. Aos 34, Wilson Matias chutou no travessão santista. Rafael Sobis ainda pegou o rebote, mas chutou por cima do gol, desperdiçando a chance de abrir o placar para os anfitriões. E aos 39, Edu Dracena ganhou no alto do goleiro Renan e cabeceou. O lateral-direito Nei tirou de bicicleta, mas os jogadores santistas reclamaram muito, dizendo que a bola havia passado pela linha.

As equipes voltaram sem alterações para o segundo tempo e o ritmo do jogo também permaneceu semelhante ao da primeira etapa. A primeira grande chance, novamente, foi do Inter. Kleber cruzou da esquerda, Bolívar subiu mais que a defesa santista para cabecear e o goleiro Rafael precisou se esticar muito para fazer a defesa.

Antes dos 20 minutos, o técnico Marcelo martelotte, do Santos, gastou as duas outras alterações às quais tinha direito, colocando Marquinhos no lugar de Alan Patrick e Alex Sandro no lugar de Léo. Do lado gaúcho, Celso Roth promoveu a entrada de Edu e Andrézinho e tirou Rafael Sóbis e Giuliano, respectivamente.

Aos 24, mais um lance polêmico. Na ponta direita da grande área do Internacional, Neymar prendia a bola enquanto era agarrado pelo lateral Kleber. O atacante tentou tabelar com Marquinhos, mas ainda estava seguro pelo defensor e caiu dentro da área, mas o árbitro Paulo Godoy Bezerra ignorou e não marcou o pênalti.

Pouco menos de dez minutos depois, no entanto, os visitantes conseguiram o gol que abriu o placar. Zé Eduardo recebeu na esquerda do ataque santista, invadiu a área do Internacional e bateu com força no ângulo direito de Renan, que não teve chance de defesa.

Os últimos minutos foram de tudo ou nada para o Inter. Com Leandro Damião no lugar de Alecsandro, os donos da casa foram para cima buscando o gol de empate. E foi justamente o atacante recém-saído do banco quem empatou. Após cruzamento de Kleber da esquerda, ele cabeceou e Rafael não conseguiu evitar o gol que definiu o empate ruim para as duas equipes.