Navegando Posts marcados como Bruno Rodrigo


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Atlético-GO 2 x 1 Santos

Data: 10/11/2012, sábado, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 35ª rodada
Local: Estádio Bezerrão, no Gama, DF.
Público: 7.276
Renda: R$ 451.250,00
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG).
Auxiliares: Jossemar Diniz Moutinho (PE) e Pedro Santos de Araujo (AL).
Cartões amarelos: Gustavo, Diego Giaretta e Ernandes (A); Adriano, Gérson Magrão e Neymar (S).
Gols: Bruno Rodrigo (45-1); Diogo Campos (38-2) e Márcio (43-2, de pênalti).

ATLÉTICO-GO
Márcio; Adriano, Diego Giaretta, Gustavo e Eron; Pituca (Marino), Dodó, Ernandes e Rayllan (Luciano); Diogo Campos e Ricardo Bueno (Patric).
Técnico: Jairo Araújo

SANTOS
Rafael; Rafael Galhardo (Bruno Peres), Bruno Rodrigo, Durval e Gérson Magrão; Adriano, Henrique, Arouca e Felipe Anderson; Neymar e André (Victor Andrade).
Técnico: Muricy Ramalho



Neymar produz pouco e Santos perde de virada para o rebaixado Atlético-GO

Santos sai na frente, mas sem motivação, acaba derrotado pelo pior time do Brasileiro

Sem motivações neste Brasileirão, Santos e Atlético-GO fizeram uma partida em ritmo lento para a torcida brasiliense que compareceu ao estádio do Bezerrão, no Gama para ver Neymar. O santista não brilhou e acabou vendo sua equipe ser derrotada para os rebaixados do Atlético-GO, por 2 a 1, de virada.

Ainda sem ambições, Santos e Atlético-GO duelam na próxima rodada contra adversários que lutam por seus objetivos no Campeonato Brasileiro. Enquanto o time de meio de tabela recebe o Figueirense, que luta contra o rebaixamento e pode até já ter caído no próximo sábado, o primeiro rebaixado da temporada visita o Atlético-MG, na briga pelo título que pode nem durar até o próximo final de semana.

O jogo

A festa para Neymar estava preparada pela torcida que marcou presença em bom número no estádio do Bezerrão, em Brasília. Com base nas bolas paradas de seu capitão, o Santos tentou abrir vantagem nos primeiros minutos de bola rolando, mas o início da partida acabou disputado em ritmo lento, sem boas chances de gol. A primeira, por exemplo, só ocorreu aos 22 minutos, quando Galhardo tentou o chute de fora da área e a bola passou raspando a trave do goleiro Márcio. No lance seguinte, Ernandes lançou Ricardo Bueno, que bateu em direção ao gol para defesa segura de Rafael.

Mais eficiente com bola no chão do que nas cobranças de falta, o Santos se arriscou a construir algumas jogadas a partir da metade do primeiro tempo. Aos 28 minutos, Neymar abriu o jogo para Felipe Anderson, que dominou na entrada da área e bateu forte, para desvio de Diego Giaretta. A torcida presente no Bezerrão se empolgou pela primeira vez naquela ocasião. Na batida de Neymar, Bruno Rodrigo errou o alvo. Na sequência, foi a vez do camisa 10 cruzar para André não alcançar.

A mesma estratégia que falhou com o Peixe também foi utilizada pelos donos da casa: a bola parada. O lateral direito Adriano teve chance em cobrança de falta, aos 37, e acabou obrigando o goleiro Rafael a cair e fazer a primeira boa defesa da partida. Três minutos depois, o Atlético-GO exibiu sua fragilidade em nova batida de falta, desta vez ensaiada. Adriano exagerou na força ao rolar a bola para Diego Giaretta, que bateu muito longe do gol de Rafael.

Aos 45 minutos, o gol que acordou o torcedor. Em jogada de ataque do Santos, Diego Giaretta cometeu falta em Arouca, mas a bola seguiu viva e Eron acabou derrubando Felipe Anderson. O lateral Galhardo cobrou em cima de Eron, o único homem da barreira do Atlético-GO e partiu para a batida do escanteio. Por sorte, a bola acabou sobrando para Neymar, que levantou na segunda trave para André. O camisa 9 do Peixe escorou para o meio da área, onde Bruno Rodrigo concluiu de cabeça e abriu a vantagem santista.

Na etapa complementar, o Peixe claramente trabalhou para premiar o esforço de Neymar em sua centésima partida em Brasileiros. Logo no primeiro minuto, Arouca antecipou a marcação e conseguiu lançar o capitão santista, que invadiu a área, mas chutou ao gol durante uma queda, sem precisão. Cinco minutos depois, Felipe Anderson cobrou falta na marca do pênalti e o camisa 11 apareceu para se adiantar à marcação e dar de cabeça por cima da meta de Márcio.

No momento em que Neymar decidiu retribuir os favores, o Santos criou sua melhor chance no segundo tempo. O camisa 11 partiu em velocidade, esperou a passagem de Felipe Anderson, que recebeu o passe, mas atirou por cima do gol de Márcio. Mais tarde, Galhardo levantou a bola na segunda trave e Neymar fez graça na linha lateral, pela esquerda. Sem eficiência, o santista acabou desarmado.

Em cinco minutos, o Atlético-GO encontrou forças e acabou virando para cima do Santos: aos 38, Marino partiu em velocidade e fez cruzamento preciso para Diogo Campos, que se antecipou à marcação do Santos e bateu fraco. O goleiro Rafael não conseguiu se reposicionar e levou o gol por debaixo das pernas. Na sequência, o camisa 1 do Peixe acabou cometendo pênalti em Ernandes, convertido pelo goleiro Márcio.

No jogo 100 em Brasileiros, Neymar lamenta não presentear torcida candanga

Público do Distrito Federal, desacostumado a vê-lo jogar, acabou saindo decepcionado

O atacante Neymar completou, neste sábado, sua centésima partida em Campeonatos Brasileiros. Para apoiar seu ídolo e capitão do Santos na celebração desta marca, a torcida da cidade do Gama marcou presença no Bezerrão, mas voltou para casa sem ver um único gol do camisa 11. Pelo contrário, acabou conferindo a uma vitória do Atlético-GO, por 2 a 1 , em partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Mesmo sem ambições, o Peixe abriu o placar aos 45 minutos do primeiro tempo, com Bruno Rodrigo concluindo de cabeça uma jogada com participação de Neymar. Nos últimos minutos, o Dragão virou o placar sob protestos do principal jogador do Santos, que acabou reclamando da arbitragem de Emerson de Almeida Ferreira. O capitão do time visitante ainda recebeu um cartão amarelo aos 40 minutos.

“É ruim perder, a gente não gosta, mas é futebol, essas coisas acontecem. O que não acontece é tomar chute na cabeça, pontapé sem bola, aí a gente não pode aturar. Tem que ver”, protestou Neymar, antes de agradecer à torcida que compareceu ao Bezerrão: “Eles estão de parabéns pelo carinho, mas infelizmente eu não consegui dar a vitória para eles e para o Santos”.

Neymar já é o 14º maior artilheiro da história do Santos, com 205 partidas disputadas. Sem quebrar nenhum recorde neste sábado, o atacante ainda precisa de quatro gols para igualar Serginho Chulapa e se tornar o principal goleador do Peixe em uma única temporada, após a Era Pelé. A três partidas do fim do Brasileirão, o objetivo de se aproximar de Fred na artilharia da competição (são 12 gols contra 17) não seduz mais o camisa 11: “Ficou difícil demais, o Fred é fera”.

Muricy aponta omissão da arbitragem em derrota do Santos contra o Atlético-GO

Técnico reclamou de falta no final do jogo pouco antes de o Santos sofrer o segundo gol

Derrotado no Bezerrão mesmo contando com a maioria da torcida a seu favor na cidade do Gama, o técnico Muricy Ramalho evitou apontar culpados, mas deixou claro que a arbitragem pode ter prejudicado o Santos neste sábado, na derrota por 2 a 1 diante do Atlético-GO . Na visão do comandante santista, Émerson de Almeida Ferreira deixou de marcar uma série de faltas para sua equipe, que sofreu gols nos últimos minutos e acabou superada.

A principal reclamação de Muricy é a respeito de uma falta cometida pelo zagueiro Gustavo, aos 43 minutos do segundo tempo, sobre Victor Andrade, que havia entrado em campo vinte minutos antes. “A entrada no moleque foi perigosa, passou dos limites. O rapaz entrou forte. Ainda bem que ele subiu um pouquinho e pegaram ele no alto, senão seria muito perigoso”, disse o treinador, acompanhando o discurso de Neymar contra a arbitragem.

“É difícil ficar falando só de arbitragem, senão a gente acaba pondo a culpa na arbitragem. Isso não nos absolve da derrota. Acho que o Santos jogou bem até tomar o gol do empate, depois parou. A gente não merecia melhor sorte no segundo tempo porque atuamos bem diferente da semana passada”, resumiu o treinador santista, insatisfeito pela derrota no Bezerrão e pela falta de ambições do Santos, que apenas cumpre tabela na reta final do Campeonato Brasileiro.

Após a goleada por 4 a 0 aplicada sobre o Cruzeiro na última rodada, em pleno Independência, a expectativa santista era de vitória fácil sobre o já rebaixado Atlético-GO. Após a derrota, o Santos retorna a São Paulo ainda na noite deste sábado, tanto que a entrevista coletiva de Muricy foi concedida em apenas cinco minutos, na beirada do gramado. O próximo desafio será diante do Figueirense, no próximo sábado, na Vila Belmiro.

Santistas lamentam “vacilo” na derrota para o rebaixado Atlético-GO

Time saiu na frente com gol do zagueiro Bruno Rodrigo, mas permitiu a reação do oponente e saiu de campo derrotado pelo lanterna do Brasileiro

A derrota para o Atlético-GO, por 2 a 1, na noite do último sábado, no Bezerrão, deixou os jogadores do Santos irritados. Os atletas lamentaram o fato de a equipe ter permitido a reação do adversário, lanterna e já rebaixado, nos minutos finais da partida.

“Lamentável. O jogo estava nas nossas mãos. Demos dois vacilos e tomamos os dois gols”, disparou o volante Arouca, visivelmente inconformado com o resultado negativo no Gama (DF), onde o duelo foi realizado.

O autor do único gol santista no confronto, Bruno Rodrigo também não ficou satisfeito com a atuação do time. Assim como Arouca, o zagueiro apontou a falta de atenção nos minutos finais como razão principal para o revés no Bezerrão.

“Afrouxamos no final e levamos a virada. O time perdeu um pouco a concentração no final e aconteceu isso. Não podíamos vacilar dessa maneira”, comentou o defensor.

Com a derrota para o Atlético-GO, o Peixe agora ocupa o 12° lugar na tabela do Brasileirão. O próximo compromisso dos santistas é contra outra equipe rebaixada matematicamente para a segunda divisão nacional: o Figueirense. O jogo será disputado no próximo sábado, a partir das 19h30 (horário de Brasília), na Vila Belmiro.

Sem ambições, Santos desperdiçou 20 pontos contra times ameaçados

Time poderia estar brigando por uma vaga na Libertadores, caso ganhasse mais alguns jogos contra os times da parte de baixo da tabela

A três rodadas do encerramento do Campeonato Brasileiro, o Santos soma 46 pontos, ocupa a nona colocação e não tem qualquer ambição para a reta final do torneio. Após a derrota diante do Atlético-GO, neste sábado, no estádio do Bezerrão, o time do técnico Muricy Ramalho deixou evidente sua dificuldade para superar adversários mal posicionados na tabela de classificação.

Contra os seis clubes que ocupam as últimas posições do Brasileirão e disputam ponto a ponto para evitar o rebaixamento, o Santos travou dez confrontos até o momento. Destes, venceu apenas dois, e ainda somou quatro empates e quatro derrotas. Caso tivesse obtido melhores resultados, o time poderia ao menos brigar por vaga na próxima edição da Copa Libertadores.

Além da derrota contra o já rebaixado Atlético-GO, gols marcados por Diogo Campos em falha de Rafael e Márcio, em cobrança de pênalti cometido pelo camisa 1, o Santos soma um empate, no Pacaembu, diante do Dragão. Contra Portuguesa e Bahia, primeiros times fora da zona de degola, foram placares iguais: empate por 0 x 0 fora de casa e derrotas 3 x 1, no Pacaembu e na Vila Belmiro.Ainda derrotado pelo Sport na Ilha do Retiro, o time do técnico Muricy Ramalho venceu os outros dois integrantes da zona de rebaixamento: o Figueirense por 3 a 1, no Orlando Scarpelli, e o Palmeiras por 2 a 1, no Pacaembu. Na reta final do Brasileirão, o Santos ainda encara estes dois adversários, além do Corinthians.

Em preparação para enfrentar o Figueirense no próximo sábado, às 19h30 (de Brasília), pela antepenúltima rodada do Brasileirão, o Santos foca no planejamento para a temporada 2013 e já contratou o zagueiro Neto, do Guarani, a pedido de Muricy Ramalho.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 30/09/2012, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 27ª rodada
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 45.762 pessoas
Renda: R$ 1.080.972
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE).
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Clóvis Amaral da Silva (PE).
Cartões amarelos: Zé Roberto, Vilson, Pará, Kleber e Elano (G); Adriano, Éwerton Páscoa, Neymar e André (S).
Cartões vermelhos: Léo Gago (G) e Neymar (S).
Gols: Werley (33-1); Bruno Rodrigo (12-1).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Pará, Werley, Gilberto Silva e Anderson Pico (Léo Gago); Fernando (Leandro), Souza (André Lima), Elano e Zé Roberto; Kléber e Marcelo Moreno.
Vanderlei Luxemburgo

SANTOS
Rafael; Éwerton Páscoa, Bruno Rodrigo, Durval e Gérson Magrão; Adriano, Arouca, Felipe Anderson e Patito Rodríguez (Bernardo); Neymar e André (Bill).
Técnico: Muricy Ramalho



Apesar da expulsão de Neymar, Santos busca empate contra o Grêmio

O resultado deixa a equipe de Vanderlei Luxemburgo a três pontos do Atlético-MG e a nove do líder do Fluminense, longe da briga pelo título

O Grêmio deixou escapar dois pontos preciosos na noite deste domingo. Jogando em casa, a equipe gaúcha saiu na frente do Santos , viu Neymar ser expulso no início do segundo tempo, mas cedeu o empate em 1 a 1. Werley marcou o gol gremista e Bruno Rodrigo empatou. O resultado deixa a equipe de Vanderlei Luxemburgo a três pontos do Atlético-MG e a nove do líder do Fluminense, longe da briga pelo título.

Decidido a buscar a vitória, o Grêmio partiu para cima desde o começo do jogo. Exerceu uma forte marcação na saída de bola do Santos, criou oportunidades e fez o gol ainda no primeiro tempo, na qualidade da bola parada de Zé Roberto. Na etapa final, a expulsão de Neymar dificultava ainda mais a tarefa do Santos. No entanto, um gol do zagueiro Bruno Rodrigo, minutos depois, surpreendeu o Olímpico. O Grêmio foi para cima na base do abafa, mas não conseguiu a vitória.

Com o empate, o Santos mantém o 13º lugar, com 34 pontos, sete à frente da zona de rebaixamento. Na próxima rodada, o adversário é o Internacional, na Vila Belmiro. Já o Grêmio voltará a atuar no Olímpico, contra o Cruzeiro. Ambos os jogos ocorrem no próximo sábado.

O jogo

Empurrado por um Olímpico cheio, o Grêmio pressionou o Santos no primeiro tempo. Depois de alguns minutos de estudo, o time gaúcho passou a levar perigo. Aos 12, Pará fez boa jogada, chegou à linha de fundo e cruzou para Marcelo Moreno, que concluiu de primeira, mas desajeitado, por cima do gol. Aos 17, o mesmo Moreno cabecearia no travessão um ótimo cruzamento de Anderson Pico.

A pressão era cada vez mais forte, e o grito da torcida empurrava o Grêmio para cima. Aos 18, Elano bateu falta da intermediária, Gilberto Silva cabeceou, Rafael defendeu, deu rebote e, no bate-rebate, a zaga conseguiu aliviar. Aos 25, Moreno recebeu bom lançamento, se desmarcou bem, mas o chute cruzado saiu raspando a trave.

Neymar, bem controlado, só foi aparecer aos 32 minutos: o craque recebeu passe de peito de André e chutou com a perna canhota rasteiro, para boa defesa de Marcelo Grohe. Na jogada seguinte, o Grêmio fez seu gol, em lance parecido com o que Gilberto Silva perdera minutos antes: Zé Roberto cobrou falta na área santista, Werley desviou de cabeça e matou Rafael: 1 a 0. Oitavo gol do zagueiro gremista na temporada.

No intervalo, Muricy tirou Patito Rodríguez e colocou Bernardo. Mas as coisas se complicaram para o Peixe aos sete minutos, com a expulsão de Neymar. O craque reclamou de ter sofrido falta e levou o amarelo do árbitro Nielson Nogueira Dias. Na sequência, acabou pisando em Pará e recebeu cartão vermelho direto, deixando o Santos com um homem a menos.

No entanto, em sua primeira chegada sem seu principal jogador, o Santos empatou o jogo. Aos 12 minutos, Bruno Rodrigo aproveitou escorada de Durval após cobrança de escanteio e chutou para o fundo do gol de Marcelo Grohe. O Grêmio, então, partiu para cima em busca do segundo gol. Aos 18, Anderson Pico cruzou,a bola passou por Moreno e Kléber não conseguiu concluir.

Com Leandro no lugar de Fernando, o Grêmio foi para o tudo ou nada, abrindo espaços para o Santos. Aos 20, após contra-ataque, Gérson Magrão desperdiçou boa chance. Aos 28, Elano enfiou para Leandro, que entrou livre, mas errou em bola na hora de concluir. No minuto seguinte, André demorou para deixar o campo para ser substituído por Bill, e Pará tentou arrastá-lo para fora do campo. O atacante santista revidou com um tapa no lateral do Grêmio. Ambos levaram cartão amarelo.

Aos 32, quase o segundo do Peixe: Bill sofreu falta próxima à área e Bernardo bateu na rede pelo lado de fora, dando um susto no Olímpico. Seis minutos depois, André Lima, que entrara no lugar de Souza, recebeu passe de Leandro, levou a bola com o braço e fez, mas a arbitragem anulou o gol. No último lance do jogo, Felipe Anderson puxou contra-ataque livre e foi derrubado por Léo Gago na entrada da área. O volante gremista acabou expulso. Na cobrança, Bernardo chutou no travessão.


Vídeo: Expulsão do Neymar aos 07-2.

Expulso, Neymar dispara contra arbitragem: “Está ficando chato”

Atacante do Santos pede “bom senso” aos juízes após ter levado cartão vermelho no empate com o Grêmio

Com apenas 7min do 2º tempo jogados no estádio Olímpico, o atacante Neymar se envolveu em uma dividida com o gremista Pará e acabou pisando no adversário, sendo expulso de campo. Mesmo sem contar com seu principal jogador, o Santos conseguiu arrancar o empate por 1 a 1 na casa do Grêmio , resultado que deixou o capitão satisfeito.

“O time foi brilhante no final do jogo, mesmo com um jogador a menos. É um empate importante”, resumiu Neymar, que deixou as críticas só para a arbitragem. Antes de ser expulso e passar a faixa de capitão do time praiano para o zagueiro Durval, o santista reclamou de um lance em que arrancou com a bola dominada da intermediária, sofreu faltas, mas se manteve em pé. Logo após o complemento do lance, Neymar reclamou com veemência ao árbitro e levou o cartão amarelo.

“Tem que ter um bom senso. Eu não falei com ele (o árbitro Neilson Nogueira Dias) o jogo inteiro, só conversei sobre esse lance. Futebol é dentro de campo e o juiz não pode virar o rosto para o jogador. Estavam me batendo desde trás e eu falei para ele: ‘estou ficando em pé, você pode dar vantagem, mas tem que punir depois’. Aí ele me deu o amarelo”.

“Eu sou visado, acho que esse é o problema. Está ficando chata essa coisa, e o Muricy é inteligente, sabe que está sendo exagerado”, encerrou Neymar, relembrando as declarações do comandante durante a semana, quando Muricy disse que o jovem santista era perseguido pela arbitragem no futebol brasileiro.

Adriano suspenso

Além de Neymar, o Santos não terá o volante Adriano na próxima rodada, quando recebe o Inter na Vila Belmiro. Por falta em Kleber aos 27 minutos do primeiro tempo, o santista levou o terceiro cartão amarelo e está suspenso para o confronto válido pela 28ª rodada.

“Neymar tem que ir embora do Brasil”, dispara Muricy Ramalho

Atacante do Santos foi expulso no duelo contra o Grêmio, fato que deixou o treinador muito bravo com a arbitragem

O técnico Muricy Ramalho ficou furioso com a arbitragem de Nielson Nogueira Dias, que expulsou Neymar no empate em 1 a 1 com o Grêmio , neste domingo, no Olímpico. E avisou que o seu atacante só terá sossego longe dos gramados brasileiros. “Ele (Neymar) toma porrada o tempo todo e eles (árbitros) não fazem nada”, reclamou. “Ele tem de ir embora do País, não tem jeito”.

Muricy continuou: “Não gosto de falar de arbitragem, mas está chato. Eu oriento o menino a não cair, aí ele veio tomando no tornozelo desde o meio-campo até dar falta. Ele foi falar com o juiz, mas não xingou. O árbitro acaba chamando de lado para meter cartão na cara dele. Exagerou e nos prejudicou. Não sou de falar de arbitragem, mas ele nos tirou o Neymar de dois jogos”

Para o treinador do Santos, se Neymar não levasse o cartão vermelho, a equipe paulista poderia ter saído com um resultado melhor. “Assim é complicado para a gente. Já não temos jogadores e ainda expulsam o nosso melhor”, disparou o comandante.

Neymar foi expulso nos primeiros minutos do segundo tempo depois de pisar no lateral Pará, que havia feito falta sobre ele. Um minuto antes, o atacante, que carregava a faixa de capitão do Santos, levou o amarelo por reclamação.

Após as críticas recebidas no Morumbi, em amistoso realizado entre a seleção brasileira e a África do Sul, Muricy aconselhou Neymar a deixar para trás o rótulo de ‘cai-cai’ e investir nas jogadas mesmo com a opção de cair no chão para cavar a falta. Neste domingo, o camisa 11 do Santos cumpriu as ordens, mas levou cartão amarelo por reclamar de uma falta que ocorreu desde a intermediária até a entrada da área.

“Quem conhece o menino sabe que é gente boa, humilde, atende todo mundo, não destrata ninguém e tomou porrada mesmo, tomou pancada no tornozelo. Aí depois trombou com o Pará, que era companheiro no Santos. O juiz quis chamar a atenção, é exagero. Teve faltas piores e ele não fez nada, jogador que falou muito mais. Os caras estão invertendo demais. O moleque melhorou. Vai ficar difícil assim”, previu o comandante santista, já lamentando a ausência de Neymar contra o Inter, no próximo sábado. Victor Andrade, que cumpriu suspensão neste domingo, deve ser o substituto.

Bastidores – Santos TV:


Vídeo: (1) Melhores momentos e (2) Repostagem Globo Esporte.

Santos 2 x 0 Universidad de Chile

Data: 26/09/2012, quarta-feira, 19h00.
Competição: Recopa Sul-Americana – Jogo de volta
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 23.876 presentes (22.388 pagantes).
Renda: R$ 651.890,00
Árbitro: Martín Vázquez (URU)
Auxiliares: Mauricio Espinosa e Miguel Nievas (ambos do URU).
Cartões amarelos: Adriano e Durval (S); Rojas, Martínez, Gonzalez e Lorenzetti (U).
Gols: Neymar (27-1); Bruno Rodrigo (15-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres (Éwerthon Páscoa), Bruno Rodrigo, Durval e Léo (Gérson Magrão); Adriano, Arouca, Felipe Anderson e Patito Rodríguez (Miralles); Neymar e André.
Técnico: Muricy Ramalho

UNIVERSIDAD DE CHILE
Jhonny Herrera; Acevedo (Paulo Magalhães), González, Rojas, Mena; Martínez, Rodríguez (Francisco Castro), Aránguiz (Marino) e Lorenzetti; Ubilla e Gutiérrez.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos bate La U, conquista inédita Recopa e volta a sorrir em seu centenário

Neymar perde pênalti, mas deixa sua marca e decide partida complicada contra time chileno

Em meio a um Campeonato Brasileiro decepcionante e vivendo dias turbulentos desde a saída de Paulo Henrique Ganso para o São Paulo , o Santos arrumou novamente um motivo para sorrir no ano de seu centenário. Após conquistar o tricampeonato paulista no começo do ano, o time praiano venceu nesta quarta-feira a Universidad de Chile por 2 a 0 e faturou a Recopa Sul-Americana, disputada entre os campeões da Libertadores e da Copa Sul-Americana 2011. O título inédito é a sexta taça continental levantada pelo clube da Baixada, que agora vai aparecer na liderança do ranking da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) na próxima atualização.

Em um Pacaembu com temperatura congelante, mas com boa presença de público , o time de Muricy Ramalho começou o jogo sendo dominado pela equipe estrangeira, que esteve perto de marcar em várias ocasiões. Uma linda jogada entre Léo, André e Neymar, porém, terminou em gol do camisa 11, que ainda perdeu um pênalti no final do primeiro tempo. Na etapa complementar, porém, o zagueiro Bruno Rodrigo fez de cabeça aos 15min e tranquilizou o Santos e sua torcida, que comemoraram mais uma conquista internacional. Foi o 94° título da equipe praiana em sua história.

Sem tempo para comemorar muito, o Santos agora volta suas atenções para o Brasileirão, torneio no qual ocupa a modesta 11ª colocação. Na próxima rodada, o clube da Baixada viaja a Porto Alegre para enfrentar o Grêmio, que briga por posições no topo da tabela. A partida está marcada para domingo, às 18h30 (horário de Brasília). A equipe praiana está 11 pontos atrás do Vasco, 4° colocado e último integrante do G4, que classifica para a próxima edição da Libertadores.

O jogo

Aos gritos de “vai pra cima deles, Neymar”, o craque do Santos começou o duelo dando susto logo nos primeiros segundos: ele bateu da meia-lua e por pouco não venceu Johnny Herrera. “La U”, porém, não se intimidou, e partiu para cima em seguida, exigindo saída arrojada de Rafael para salvar investida pelo meio da área. Com marcação por pressão, a equipe chilena impedia o toque de bola do Santos, deixando os atacantes Neymar e André isolados e tendo que voltar a para buscar a bola. Além de fechar os espaços, a equipe azul atacava com perigo, e por pouco não marcou com Martínez – por centímetros, o meia não alcançou um cruzamento perigoso. Depois, aos 13min, o time estrangeiro chegou novamente em boa tabela pela esquerda, mas a zaga afastou o perigo na pequena área.

Acuado, o Santos arriscava jogadas pelas pontas, com Neymar pela esquerda e Pato Rodríguez pela direita. Os chilenos, porém, seguiam marcando bem. Marcar Neymar, todavia, é tarefa complicada, e o craque apareceu aos 27min para abrir o placar: após Léo dar linda caneta na lateral e começar a jogada, o camisa 11 tocou para André, que fez o pivô e devolveu na medida para o parceiro de ataque tocar fora do alcance de Johnny Herrera e fazer o Pacaembu explodir de alegria. Minutos depois, “La U” tentou empate com cruzamento perigoso, mas quase levou mais um em rápido contra-ataque puxado por Felipe Anderson. A finalização do meia não entrou por centímetros.

Quando o Santos parecia satisfeito em levar o 1 a 0 para o intervalo, Neymar, sempre ele, apareceu de maneira decisiva novamente. Ele recebeu pela direita, completamente livre, e entortou o zagueiro Rojas, que passou uma rapa: pênalti. Na cobrança, porém, bateu muito mal, e Johnny Herrera espalmou sem dar rebote, encerrando a etapa inicial.

A defesa do pênalti pareceu motivar a Universidad de Chile, que voltou dos vestiários disposta a igualar o placar. Atacando pelas avenidas deixadas por Léo e Bruno Peres nas laterais do Santos, a equipe azul cruzava com insistência na área, com Bruno Rodrigo e Durval tendo que se desdobrar para afastar. Bem na defesa, Bruno Rodrigo ainda arrumou tempo para ir ao ataque e ampliar o placar no Pacaembu: aos 15min, após levantemento perfeito de Felipe Anderson, o zagueiro cabeceou no canto de Johnny Herrera, que ficou estático.

Após sofrer mais um gol, o ímpeto de “La U” finalmente esfriou, e o Santos passou a controlar o duelo com tranquilidade. Mesmo com mais espaço, porém, o time do técnico Muricy Ramalho não criou mais chances claras de gols, mas via sua zaga segurar com tranquilidade as investidas do adversário. Com o 2 a 0 no placar, bastou, então, tocar a bola e assitir as tentativas de dribles de Neymar, que infernizava a vida do lateral esquerdo Mena com cortes e pedaladas. Ao apito final, festa alvinegra no Pacaembu, e finalmente um novo motivo para sorrir no conturbado centenário santista.

Bastidores – Santos TV:

Neymar dá volta olímpica sozinho, minimiza faixa de capitão e vibra: ‘A gente dá trabalho’

Neymar é o grande diferencial do Santos atualmente. Nesta quarta-feira, não foi diferente. Com a faixa de capitão no braço, Neymar fez um gol e comandou a vitória santista por 2 a 0 sobre a Universidad de Chile, que garantiu ao time paulista o troféu da Recopa Sul-Americana. Segundo revelou o técnico Muricy Ramalho, o próprio Neymar pediu para ser o capitão da equipe no duelo. Mesmo assim, o jovem jogador minimizou o fato.

“Já fui (capitão) outras vezes. Não faz diferença. Independente do capitão, todo o time tem que conversar em campo. (A faixa) Serve mais para tirar a moedinha (antes do jogo). Não é que sou um capitão bonzinho, só tento ajudar todo mundo. É uma emoção muito grande levantar a taça, fico feliz, é um sonho que tenho desde pequeno. É um clube que eu amo, e hoje estar sendo o capitão é muito importante”, disse Neymar.

Após o término da partida, uma cena curiosa foi vista no Pacaembu. Neymar, durante muito tempo, deu a volta olímpica sozinho, saudando os torcedores santistas nas arquibancadas. E o jogador comemorou bastante o título alcançado nesta quarta-feira.

“Estou muito feliz, é mais um título. Só tenho que agradecer a todos que torceram. Muita gente não dá valor (para a Recopa), mas para quem está disputando vale muito, e pra quem não tinha, hoje temos o título”, vibrou Neymar, contente com a média de títulos do Santos dos últimos anos.

“A gente dá um pouco de trabalho para todo mundo. É o terceiro ano seguido que a gente consegue essa média (de duas taças por ano), e está todo mundo de parabéns”, completou Neymar.

No duelo desta quarta-feira, o placar a favor do Santos só não foi mais elástico porque Neymar desperdiçou uma penalidade no fim da primeira etapa. O jogador, por sinal, também perdeu um pênalti no jogo de ida, no Chile, que acabou empatado em 0 a 0. Por isso, Neymar brincou com o goleiro Johnny Herrera ao fim da partida. Nesta quarta, o ex-arqueiro do Corinthians defendeu a batida de Neymar.

“Falei para o goleiro: ainda vou fazer um gol de pênalti em você. Ele deu risada”, contou Neymar, que ainda dedicou o título da Recopa ao amigo Paulo Henrique Ganso, que se transferiu recentemente para o rival São Paulo.

“Agora não tem que ficar chorando o leite derramado. Ele está feliz. Desejo tudo de bom para ele. Paulinho: você faz parte disso, porque jogou a primeira final”, disse Neymar.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 3 x 2 Corinthians

Data: 19/08/2012, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.413 pagantes
Renda: R$ 276.613,00
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Emerson Augusto de Carvalho (ambos Fifa-SP).
Cartões amarelos: Neymar, Felipe Anderson e Ganso (S); Douglas e Paulinho (C).
Gols: Danilo (28-1) e André (36-1); André (04-2), Martínez (35-2) e Bruno Rodrigo (38-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Patito Rodríguez (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso (Everton Páscoa); Neymar e André (Miralles).
Técnico: Muricy Ramalho

CORINTHIANS
Cássio; Guilherme Andrade, Wallace, Paulo André e Fábio Santos (Denner); Ralf, Paulinho, Douglas e Danilo (Martínez); Romarinho e Guerrero.
Técnico: Tite



Santos se aproveita de erro de arbitragem e se vinga do Corinthians na Vila

Em jogaço pelo Brasileirão, Santos fez 3 a 2 e exorcizou sua eliminação na Libertadores

O Santos deu o troco no Corinthians . Não valeu uma vaga na final da Libertadores, mas para o torcedor santista a vingança está feita. No primeiro jogo após os dois duelos históricos que levaram o Corinthians à decisão e ao título continental, o Santos venceu de virada, fez 3 a 2 numa partida cheia de emoção e freou a sequência de nove jogos invictos do rival no Brasileiro.

A arbitragem teve participação decisiva no resultado. No início do segundo tempo, André anotou seu segundo gol no jogo em impedimento não marcado por Emerson Augusto de Carvalho. O Corinthians ainda chegou ao empate a 10 minutos do fim, mas o Santos foi capaz de ir buscar mais uma vez o resultado e a vitória libertadora.

O Santos agora se prepara para uma viagem ao Chile, onde quarta-feira enfrenta a Universidad de Chile pelo jogo de ida da Recopa Sul-Americana. No próximo sábado o jogo será contra o Palmeiras, no Pacaembu. Já o Corinthians tem uma semana para se preparar para outro clássico. O duelo será contra o São Paulo, também no estádio municipal.

O jogo

As expectativas de um bom jogo em Santos se confirmaram quando os dois rivais iniciaram a peleja na Vila Belmiro. A atuação do árbitro Flávio Rodrigues Guerra, que anotou apenas 11 faltas no primeiro tempo, ajudou. Assim, o jogo fluiu e Santos e Corinthians protagonizaram uma partida muito movimentada em seus primeiros 45 minutos.

Melhor nos primeiros lances, o Santos usou da velocidade de seu ataque para pressionar o Corinthians. Bem postados, os visitantes seguraram as ações, Cássio esteve seguro e o Santos não foi além disso até os 15 minutos de jogo. Passada a pressão inicial, foi o Corinthians quem passou a controlar a partida. Romarinho, duas vezes, teve a chance de marcar mas Rafael defendeu seus chutes.

O goleiro santista não foi capaz de defender, contudo, a cabeçada de Danilo aos 28 minutos. Douglas, como fizera na partida contra o Internacional, levantou a bola com precisão e o artilheiro do Corinthians na temporada – agora com 11 gols – desviou para o gol.

O Corinthians era melhor, finalizou 11 vezes contra o gol de Rafael, mas o Santos tem Neymar. O atacante teve espaço aos 36 minutos para arrancar do meio campo e mesmo cercado por quatro corintianos cruzar para André marcar seu primeiro gol no retorno ao clube praiano. Foi o 100º gol do Santos no ano no 100º jogo de Muricy Ramalho à frente da equipe.

No último lance do primeiro tempo, André deu um chutão para a lateral, levantou muito a perna e acabou acertando a coxa esquerda de Guilherme Andrade. O árbitro apitou o fim da primeira etapa, mas viu ânimos se acirrarem entre santistas e corintianos. Ralf não gostou da entrada de André, mas Neymar tratou de colocar panos quentes na discussão.

O segundo tempo começou igualmente emocionante. E o Santos tratou logo de ir para cima do Corinthians. A arbitragem, que ia muito bem até ali, acabou influenciando no placar do jogo. Aos três minutos, Léo fez cruzamento para a área, e o que se sucedeu foi uma sequência de impedimentos não validados pelo trio de arbitragem.

Bruno Rodrigo desviou para Durval e depois este para André, todos em posição irregular. O atacante empurrou para as redes em cima da linha e comemorou mais um gol contra o maior rival santista.

O lance irregular irritou os corintianos, que demoraram para voltar para o jogo. Nervosos, argumentando muito para o árbitro a cada lance, o Corinthians não foi capaz de produzir nenhuma chance clara de gol, apesar de algumas tentativas de chutes de fora da área.

Tite tentou dar mais velocidade ao time, sacando Danilo e apostando em Martínez aos 20 minutos. Muricy sacou Patito para dar lugar a Felipe Anderson e o time da casa segurou bem a bola a partir dali. André, com dores, também foi substituído dando lugar a Miralles.

E aos 36 minutos, Martínez fez valer a aposta de Tite. Numa bela jogada pela esquerda ele empatou o jogo. Não deu tempo para o corintiano comemorar. Dois minutos depois, Neymar cobrou escanteio na cabeça de Bruno Rodrigo, que sem marcação, tocou firme para dar a vitória ao Santos. Em finalizações, 17 corintianas contra 16 santistas. No placar, sorrisos apenas dos alvinegros praianos.


Vídeo: (1) Reportagem do Globo Esporte e (2) xilique do técnico Tite na coletiva.



Bastidores:

Muricy defende quarteto, mas diz que ansiedade atrapalhou “Patito”

Técnico do Santos aprova formação com “Patito”, Ganso, Neymar e André, mas destaca que quarteto ainda precisa melhorar

Pela segunda vez consecutiva, o técnico Muricy Ramalho colocou em campo o quarteto ofensivo formado por Patrício “Patito” Rodríguez, Ganso, Neymar e André. Se no primeiro jogo, contra o Figueirense, o treinador foi obrigado a mexer no esquema devido à expulsão do lateral-esquerdo Juan, no clássico com o Corinthians, neste domingo, na Vila Belmiro, os quatro permaneceram em campo durante a maior parte do tempo e ganharam a simpatia do comandante do Santos .

“No primeiro tempo aceitamos muito a marcação, mas depois do intervalo acertamos o posicionamento do nosso quarteto. Marcamos melhor o Corinthians, conseguimos jogar e criamos boas chances. Se eu tenho jogadores de velocidade como eles, tenho mais é que colocar para jogar mesmo”, explicou o técnico.

Além disso, Muricy afirmou que não pode querer alterar o estilo de jogo da equipe, mas destacou que o quarteto ainda precisa melhorar. “Se eu tenho três jogadores ‘diferentes’, como Ganso, Neymar e André, eu tenho que usar. Não dá para inventar. O futebol do Santos é assim, ofensivo. Claro que eu preciso ajustar algumas coisas, mas o técnico não tem muito que interferir, senão atrapalha”, comentou.

Questionado sobre a atuação individual de “Patito”, Muricy viu aspectos positivos no rendimento do argentino. Entretanto, a ansiedade por disputar o primeiro clássico com a camisa santista atrapalhou o meia-atacante, na avaliação do comandante.

“Acho que o que atrapalhou foi a ansiedade do primeiro clássico. Ele corria demais, se esgotou e não suportava mais no segundo tempo. Quando tinha que tocar, segurar a bola, ele não fazia. Eu sei que ele é agressivo, mas tem que trabalhar um pouco mais. Não tem como aguentar essa correria toda”, ponderou.

Mesmo assim, Muricy Ramalho deve manter “Patito” entre os titulares para os próximos desafios do time alvinegro na competição. “Ele só tem que trabalhar mais a bola. Precisa saber dosar a energia, porque ele é um cara que ‘põe fogo’ no jogo. Ele é agressivo, vai para cima, e gostamos disso”, encerrou.

Autor de dois gols, André vibra por ‘entrosamento eterno’ no Santos

Atacante fez a sua segunda partida na volta à equipe e marcou dois gols na virada sobre o Corinthians no clássico do final de semana

Recém-chegado à Vila Belmiro, o atacante André marcou os dois primeiros gols do Santos na vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians , neste domingo, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de passar em branco na estreia, contra o Figueirense, o camisa 9 marcou e comemorou o “entrosamento eterno” com Neymar , autor da assistência para o tento do empate, ainda no primeiro tempo.

“Valeu o entrosamento de anos atrás, porque estamos há quase dois anos separados, mas quando você vem da base há muitos anos junto, isso conta na hora de decidir um jogo como esse. É muito importante fazer um gol na Vila Belmiro”, vibrou o atacante do Santos.

André foi emprestado pelo Atlético-MG até o final de 2013, por 2 milhões de euros – o Santos também adquiriu 25% dos direitos econômicos do atacante, vendido pela própria gestão Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro ao Dinamo de Kiev, da Ucrânia. Ao lado de Neymar, desde a base do Santos até brilhar na conquista do Paulistão e da Copa do Brasil de 2010, os dois atuaram lado a lado em 42 partidas e marcaram 48 gols.

“O André não está em plena forma, porque ficou muito tempo na reserva do Atlético-MG e isso é complicado. Nossos preparadores físicos estão conversando para acertar. Agora dentro da área ele é perigosíssimo, poderia até ter definido o jogo antes. Goleador como ele não esquece”, elogiou o técnico Muricy Ramalho.

André não chegou a disputar a Libertadores de 2011 e embarca nesta segunda-feira para o Chile, onde o Peixe disputa o primeiro jogo da final da Recopa Sul-americana.

Indignado com arbitragem, Tite externa raiva de “todos os corintianos”

Jogada do gol do Santos no início do segundo tempo teve três impedimentos não marcados

O técnico Tite levou quase uma hora para iniciar sua entrevista coletiva, depois da derrota do Corinthians por 3 a 2 para o Santos , na Vila Belmiro. A longa espera se deveu ao erro crucial da arbitragem que culminou na vitória santista. Tite queria esfriar a cabeça. Não deu certo. O treinador “solrou os cachorros” contra o trio de arbitragem, principalmente contra Emerson Augusto de Carvalho, o auxiliar que não viu uma sequência de impedimentos no segundo gol santista.

“Os jogadores estavam indignados, putos da cara… Falei para deixarem com o técnico e a direção, pois eles precisavam só jogar. Fizeram um baita jogo, assim como o Santos”, afirmou.

Tite fez um discurso para a torcida. “Vou dizer para o torcedor do Corinthians”, iniciou, em tom sereno, para gritar em seguida. “Todo sentimento que o corintiano tem, eu tenho também”, bradou, quase não se segurando na cadeira velha de plástico, posicionada em frente aos microfones, externando toda sua insatisfação com o desempenho do árbitro Flávio Rodrigues Guerra

O treinador explicou que acompanhou outras partidas do mesmo árbitro em que observou um bom desempenho, mas não poupou também os assistentes Marcelo Carvalho Van Gasse e Emerson Augusto de Carvalho de críticas nesta rodada do Campeonato Brasileiro.

“A arbitragem errou de forma muito clara, lamentável, em lances pontuais. Fomos bater uma falta no final do jogo, queríamos jogar para área, mas o Neymar deve ter ficado a quatro, cinco ou seis metros da bola. Avisei ao árbitro reserva, porque são coisas que acabaram complicando um pouquinho o baita clássico”, acrescentou.

A principal reclamação dos corintianos se refere ao gol impedido de André, que foi o segundo do Santos no jogo e validado pela arbitragem. “Lastimo por eles, que vão para casa e vão ficar chateados para caramba”, completou.

Tite diz que Neymar é mau exemplo para jovens e defende lealdade do Corinthians

Simulações de falta do atacante santista irritaram o treinador corintiano na Vila Belmiro

O atacante Neymar foi novamente o pivô de uma polêmica em clássico do Santos contra o Corinthians. Depois da derrota por 3 a 2 na Vila Belmiro, o técnico Tite reclamou de uma jogada do principal atleta adversário, na partida disputada na tarde deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

“O Guilherme (Andrade) foi pisado por ele. Quantas partidas jogamos contra eles e que nível de lealdade teve o Corinthians?”, afirmou o treinador, ainda tentando evitar uma crítica mais enfática ao rival.

Em seguida, o técnico corintiano aproveitou para recordar um episódio que aconteceu ainda na semifinal da Copa Libertadores da América, para aumentar a reclamação em relação ao jogador adversário.

“Falo de forma categórica: teve lance de deslealdade do Corinthians? No jogo aqui, o Emerson foi expulso por um carrinho imprudente. Depois que o árbitro deu o vermelho, o Neymar se levantou e acabou. Perder e ganhar faz parte, mas simular é mau exemplo para garoto, para quem está crescendo…”, acrescentou.

Neymar não balançou as redes neste domingo, mas fez as assistências para o primeiro e o terceiro gols do Santos, marcados por André e Bruno Rodrigo. Para tentar se esquivar de uma polêmica maior, o treinador corintiano preferiu não dar conselhos ao adversário.

“Quem tem de falar é o presidente e o técnico do Santos. Tenho uma opinião muito clara, mas não vou externar. Se tivesse escuta no meu apartamento, vocês (jornalistas) saberiam”, concluiu.

Bandeira que validou gol irregular do Santos em clássico é afastado

Presidente da Comissão Nacional de Arbitragem confirma erros de Emerson Augusto de Carvalho

A vitória por 3 a 2 do Santos sobre o Corinthians , em clássico realizado no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro , rendeu punição ao assistente Emerson Augusto de Carvalho. O bandeira validou de maneira errada o segundo gol do time da Baixada, marcado em impedimento pelo atacante André. Carvalho ficará afastado por pelo menos três semanas, segundo afirmou o vice-presidente da Conaf (Comissão Nacional de Arbitragem), Manoel Serapião.

“Não podemos esconder o óbvio. A comissão tem que reconhecer que houve erro, sim. As reclamações procedem, a arbitragem também não foi das melhores e houve a falha nos três lances consecutivos”, confessou o ex-árbitro, em entrevista para a “Rádio Globo”. “A confederação pode apenas pedir desculpa à agremiação prejudicada”, completou.

No lance que gerou a grande reclamação corintiana, o lateral Léo levantou a bola para dentro da área e, nos três toques até o gol, os atletas santistas que participaram da jogada – Bruno Rodrigo, Durval e André – estavam em posição de impedimento. O Corinthians ainda empataria, mas aos 38 minutos o time de Muricy Ramalho definiu o placar.

Após o confronto, o técnico Tite levou quase uma hora para iniciar sua entrevista, alegando que precisava se acalmar. O gaúcho, porém, não escondeu sua insatisfação ao gritar que sente o mesmo incômodo dos torcedores . Ronaldo, ex-jogador do clube, também ironizou o lance em sua conta no Twitter .

Embora Serapião tenha constatado o erro, o vice-presidente preferiu elogiar a “personalidade” no lance – mesmo que errando – de Emerson Augusto, com quem já conversou após a partida da Vila Belmiro. Segundo o dirigente, a decisão por tirá-lo das próximas partidas se deu para, além de reciclar o assistente, fazer com que ele saia de cena após as reclamações.

“Falamos no sentido de orientá-lo. Vamos passar um trabalho para que ele se aperfeiçoe. O último lance foi erro de posicionamento. É um assistente que tem um saldo positivo. Vamos ministrar algumas orientações para que ele volte com mais confiança”, completou. “Não vamos estabelecer tempo (para o retorno), mas certamente não será inferior a três ou quatro semanas. Temos que ver o trabalho, analisar, ter um retorno da nossa psicóloga para saber se ele está confiante para voltar”, encerrou.

Santos 4 x 1 Linense

Data: 12/02/2012, domingo, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 7ª rodada
Local: Estádio 1° de Maio, em São Bernardo do Campo, SP.
Público: 4.226 pagantes
Renda: R$ 96.555,00
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Auxiliares: Alberto Poletto Masseira e Alex Alexandrino
Adicionais: Claudinei Forati Silva e Alessandro Darcie
Cartões amarelos: Bruno Rodrigo e Felipe Anderson (S); Anderson Luis, Andrade e Alexandre Silva (L).
Gols: Bruno Rodrigo (27-1); Vinícius Simon (16-2), Diego Macedo (21-2), Anderson Carvalho (28-2) e Dimba (30-2).

SANTOS
Rafael; Rafael Caldeira, Bruno Rodrigo e Vinícius Simon; Crystian (Pará), Anderson Carvalho, Ibson, Felipe Anderson (Breitner) e Paulo Henrique; Rentería (Dimba) e Alan Kardec.
Técnico: Muricy Ramalho

LINENSE
Douglas; Marcelo (Wellington), Bruno Quadros, Pablo e Anderson Luis; Tarracha (Alexandre Silva), Marlon, Andrade e Neto (Diego Macedo); João Henrique e Lenilson.
Técnico: Pintado



Reservas do Santos goleiam Linense

Os reservas do Peixe deram conta do recado e derrotaram o Linense, pelo placar de 4 a 1, na noite deste domingo

O Santos resolveu poupar os seus titulares nesta rodada do final de semana do Campeonato Paulista, visando a estreia do clube na Copa Libertadores da América, diante do The Strongest (Bolívia), na próxima quarta-feira, em La Paz. Mas os reservas do Peixe deram conta do recado e, com facilidade, derrotaram o Linense, pelo placar de 4 a 1, na noite deste domingo, no Estádio 1° de Maio, em São Bernardo do Campo.

Com a vitória sobre o Elefante da Noroeste, os santistas alcançaram o seu segundo triunfo consecutivo no torneio, subindo para a sexta posição, com 12 pontos. Já o Linense caiu para a 13° colocação, com os mesmos oito pontos ganhos de antes.

Depois de estrear na Libertadores, na altitude de La Paz, o Alvinegro Praiano voltará a jogar no Paulistão contra o Mirassol, no próximo sábado, às 18h30 (horário de Brasília), no José Maria de Campos Maia. O Elefante da Noroeste, por sua vez, recebe o Bragantino, no Estádio Gilberto Siqueira.

O jogo

Mesmo com a forte chuva no ABC Paulista, o Santos começou a partida ofensiva, em busca do seu primeiro gol logo nos minutos iniciais do confronto. A primeira chance de gol do Peixe surgiu aos quatro minutos, com o zagueiro Bruno Rodrigo aproveitando cobrança de escanteio para chutar forte, mas o gol foi evitado pela defesa do goleiro Douglas.

O Linense respondeu a boa oportunidade criada pelos santistas em cobrança de falta de Andrade, aos sete minutos. O volante cobrou bem a infração, exigindo boa defesa do goleiro Rafael, único titular alvinegro utilizado pelo técnico Muricy Ramalho neste jogo.

Rafael ainda voltaria a trabalhar, em dose dupla, nos primeiros minutos do confronto. Aos 11, Marcelo arriscou uma finalização de longa distância, o camisa 1 do Santos rebateu e Neto, mesmo aproveitando a sobra, cara a cara com Rafael, não conseguiu marcar para o Elefante da Noroeste.

O Peixe voltou a ameaçar o Linense, aos 21, quando Crystian fez o cruzamento pela direita, o goleiro Douglas dividiu com Renteria e afastou parcialmente a bola, com o rebote caindo nos pés de Felipe Anderson. O meia santista, desequilibrado, não conseguiu aproveitar a chance e mandou a bola pela linha de fundo.

Com o gramado pesado, o Alvinegro Praiano foi encontrando o seu melhor futebol aos poucos. O resultado disso apareceu no pênalti cometido pelo lateral esquerdo Anderson Luis. Na cobrança, aos 26, o atacante Alan Kardec acertou a trave esquerda de Douglas.

No entanto, se o Santos não converteu a penalidade máxima, no minuto seguinte o time da Vila Belmiro não perdoou e balançou as redes adversárias. Em lance confuso na grande área, o zagueiro Bruno Rodrigo chutou e a bola atravessou a linha do gol, antes de ser cortada por um zagueiro do Elefante da Noroeste.

O assistente que acompanhava o ataque santista e o árbitro adicional colocado atrás do gol do Linense confirmaram o tento para o zagueiro, mesmo com Alan Kardec pegando o rebote e batendo para o gol.

Com o gol do Peixe, o Elefante da Noroeste passou a se arriscar mais no campo de ataque e levou perigo, aos 42, em lance individual de Lenilson. O atacante limpou a marcação e soltou a bomba de perna esquerda, assustando Rafael.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Pintado trocou o meia Neto pelo lateral Diego Macedo, buscando mudar a forma de atuar de sua equipe. Perigoso, Macedo quase empatou para o Linense, aos 13, mas Rafael evitou o gol mais uma vez;

Só que os alvinegros continuavam dominando a partida, mesmo com as perigosas jogadas de ataque do adversário. Aos 16, o Santos ampliou a sua vantagem com Vinícius Simon. O zagueiro aproveitou cobrança de escanteio e subiu livre, no meio da zaga do Elefante da Noroeste, para marcar o segundo gol de seu time.

Cinco minutos após o segundo gol santista, o Linense descontou com Diego Macedo, que aproveitou o rebote de um chute de João Henrique, defendido parcialmente por Rafael.

Mas o Peixe não se intimidou com o gol sofrido e voltou a estufar as redes dos visitantes, aos 28. O volante Anderson Carvalho arriscou o chute, a bola desviou em Bruno Quadros e venceu o goleiro Douglas, que nada pôde fazer para evitar mais um tento alvinegro.

Na sequência, aos 30, foi a vez de Dimba, que havia entrado no lugar do colombiano Renteria, deixar a sua marca. O jovem centroavante recebeu ótimo passe de Anderson Carvalho e tocou a bola por cima de Douglas: 4 a 1 para o Santos. Após o quarto gol, o Peixe se preocupou mais em administrar a vantagem construída do que tentou ampliar o marcador. Desta forma, o resultado se manteve até o apito final do árbitro.