Navegando Posts marcados como Cabralzinho

Pouco mais de três meses depois de ter sido contratado, o técnico Cabralzinho foi demitido ontem do Santos. No início da noite, o gerente de futebol do clube, Ilton José da Costa, iria anunciar o nome do substituto, mas o anúncio foi adiado para até amanhã.

“Existe um universo de treinadores empregados e outro universo de desempregados. Estamos dentro do universo dos desempregados”, disse Costa. Entre os prováveis técnicos sondados pelo Santos estão Celso Roth, Leão e Wanderley Luxemburgo.

Uma semana depois de o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, vir a público para dizer que Cabralzinho estava confirmado para a temporada 2002, o treinador foi vítima de uma divisão interna no clube. Parte dos dirigentes queria a sua saída. “Vamos mudar para ver o que vai dar”, disse Costa.

O contrato de Cabralzinho terminaria no próximo dia 31. Embora não tivesse sido convocado para assinar um novo compromisso, ele estava incumbido de fazer o planejamento da pré-temporada do Santos. Anteontem, chegou a visitar hotéis e campos de treinamento no interior paulista, mas já estava desgastado.

Após a desclassificação do time no Brasileiro, a diretoria do Santos procurou outros técnicos, entre os quais Oswaldo de Oliveira, Wanderley Luxemburgo, Carlos Alberto Parreira e o próprio Celso Roth. Paulo César Carpegiani e Mário Sérgio foram sondados.

Mesmo quando afirmou que Cabralzinho ficaria, Marcelo Teixeira fez ressalvas ao trabalho dele. Disse que ele havia cometido erros que provocaram a eliminação da equipe do Brasileiro.

Além disso, algumas das pretensões de Cabralzinho -que assumiu após a saída de Geninho e a rápida passagem do auxiliar Serginho pelo cargo- para a próxima temporada eram contrárias aos planos da diretoria santista. O técnico pretendia montar uma comissão técnica com nomes indicados por ele, como o preparador físico Carlito Macedo, com quem trabalhou no próprio Santos em 1995, na campanha do vice-campeonato brasileiro daquele ano. A direção santista, porém, não concordava com as indicações nem com a saída de jogadores cujas dispensas eram pedidas pelo treinador.

A assessoria de imprensa do técnico Celso Roth informou ontem que o treinador foi procurado duas vezes pelo Santos -uma pelo presidente do Conselho Deliberativo, José da Costa Teixeira, e outra por Marcelo Teixeira. Nas duas ocasiões, o acordo não teria ocorrido porque o Santos não se dispunha a pagar o salário que o técnico pretendia receber.

Com a saída de Cabralzinho e a chegada de um novo treinador, o Santos vai tentar agilizar a contratação de reforços. O Flamengo tem interesse no meia Robert, que poderia ser envolvido numa troca com o meia-atacante Edílson, que deixará o clube carioca. O acordo poderia ser em forma de empréstimo, com o Flamengo pagando parte do salário de Edílson. O gerente de futebol do Santos descartou Robert como parte da troca.

O clube também tenta negociar com André Cruz (Sporting, de Portugal), Argel (Porto) e Adhemar, ex-São Caetano, que atua no futebol alemão. Outros atletas pretendidos são o atacante Oséas e o lateral Rodrigo, do Cruzeiro. O Santos quer trocá-los pelo atacante Fumagalli e pelo lateral Rubens Cardoso -o primeiro atualmente emprestado ao Guarani, e o segundo, ao Grêmio. O clube mineiro, porém, não aceita incluir Oséas no negócio e oferece o meia Paulo Isidoro, que não interessa ao Santos.


A diretoria do Santos apresentou ontem Cabralzinho como seu novo treinador. Ele é o terceiro técnico do clube no Brasileiro 2001 e assumiu o cargo no dia seguinte à demissão de Serginho Chulapa, substituto de Geninho.

Cabralzinho, que chegou ontem à tarde na Vila Belmiro, assumiu o time pela terceira vez em dez anos. Ele assinou contrato com o clube até o final do Nacional e a partir de hoje comandará o elenco durante os treinos no CT Rei Pelé.

A primeira passagem dele como técnico no clube, sem brilho, aconteceu em 1991. Depois, em 1995, a equipe santista chegou sob seu comando ao vice-campeonato brasileiro, perdendo a decisão para o Botafogo-RJ.

Cabralzinho, que defendeu o Santos como jogador na década de 60, trabalhou recentemente em clubes do Oriente Médio.

“Vou tentar resgatar as conquistas do Santos. Tenho de saber tirar de cada jogador a vontade de vencer, principalmente dentro da Vila Belmiro”, disse Cabralzinho.

A diretoria santista acertou a contratação apenas cerca de oito horas após o pedido de demissão de Serginho -que deixou o cargo depois do empate em 1 a 1 diante do Guarani. Serginho alegou que não suportava mais as críticas a seu trabalho como técnico e gostaria de preservar a sua imagem diante dos torcedores.

Com o consentimento de Cabralzinho, o presidente do clube, Marcelo Teixeira, decidiu manter Serginho no clube no cargo de auxiliar técnico, função que exercia quando Geninho era o treinador. Os outros integrantes da comissão técnica serão mantidos.

Cabralzinho chega em um momento conturbado. O Santos não venceu nas últimas seis rodadas do Brasileiro e ocupa a 16ª colocação, ao lado do Corinthians. O novo treinador estréia contra o América-MG, na Vila Belmiro, local em que o time tem sido pressionado por sua torcida. Cabralzinho não poderá contar com o meia Robert e o goleiro Fábio Costa, suspensos.

O goleiro, que foi expulso em Campinas, será multado hoje pela diretoria do clube em 40% do seu salário por causa do seu comportamento agressivo dentro de campo nas últimas partidas.

“O Fábio Costa prejudicou o Santos com a sua expulsão e por isso será multado”, declarou o presidente do Santos, ontem.

O zagueiro Cléber, que deixou a partida reclamando de dores na perna esquerda, será reavaliado amanhã pelo departamento médico do clube.


O Santos começou ontem a procurar um novo técnico, em substituição a Cabralzinho. Candinho é o nome mais cotado.

Candinho foi procurado ontem pela diretoria. A oferta do Santos é em torno de R$ 25 mil mensais de salário e luvas de R$ 80 mil.

Além de Candinho, a diretoria trabalha com os nomes de Hélio dos Anjos, que dirigiu o Goiás no Brasileiro, e Nelsinho Batista. Nelsinho também foi procurado pela diretoria, mas afirmou que possui proposta para voltar ao Japão e dirigir o Verdy Kawasaki.

Ontem, o presidente Samir Abdul Hak negou que tivesse uma reunião agendada com o treinador na última terça-feira. “Nem eu nem o Clodoaldo (vice-presidente) marcamos qualquer reunião.”

Cabralzinho esteve na terça-feira na Vila Belmiro. Ele chegou ao clube às 18h30 e esperou algum dirigente santista até as 19h30. Quando deixava a Vila, foi abordado por Clodoaldo, que o teria convidado a retornar e conversar sobre o contrato.

Cabralzinho, irritado, se negou a conversar. A atitude foi classificada como “insubordinação”.

Na noite de anteontem, a diretoria se reuniu e decidiu pela saída do treinador. O anúncio oficial só não foi feito imediatamente para que os diretores ganhassem tempo para contratar um novo treinador.

Ontem, Cabralzinho disse ter sido surpreendido ao receber uma proposta menor do que a que, segundo ele, já acertara com o clube. “Agora, quem não quer sou eu.”

Candinho acerta com o Santos para dirigir time no Paulista-96

Candinho é o novo técnico do Santos, em substituição a Cabralzinho, que levou o time à decisão do Campeonato Brasileiro de 95.

O ex-técnico da Portuguesa assinou contrato com o clube santista às 22h30 de ontem, pelo prazo de seis meses.

Candinho, que já foi técnico do Santos no Campeonato Paulista de 87, se apresenta no clube nesta segunda-feira, juntamente com os jogadores. As bases salariais do contrato não foram divulgadas nem pelo treinador, nem pela diretoria do clube.

A Agência Folha apurou, no entanto, que a oferta do Santos era de R$ 25 mil mensais e luvas (prêmio) no valor de R$ 80 mil.

Além de Candinho, a diretoria trabalhava com os nomes de Hélio dos Anjos, que dirigiu o Goiás no Brasileiro, e Nelsinho Batista.

Nelsinho também foi procurado pela diretoria, mas afirmou que tinha proposta para voltar ao Japão e dirigir o Verdy Kawasaki.

Cabralzinho esteve na terça-feira na Vila Belmiro. Ele chegou ao clube às 18h30 e esperou algum dirigente santista até as 19h30. Quando deixava a Vila, foi abordado por Clodoaldo, que o teria convidado a retornar e conversar sobre o contrato.

Cabralzinho, irritado, se negou a conversar. A atitude foi classificada como “insubordinação”.

Na noite de anteontem, a diretoria decidiu pela saída do treinador. O anúncio só não foi feito imediatamente para que os diretores contratassem um novo treinador.



Candinho quer atletas experientes no Santos ( Em 06/01/1996 )

O novo técnico do Santos, Candinho, 50, quer jogadores experientes para reforçar o time no Campeonato Paulista. “Se for para contratar, quero jogadores que venham para ser titulares”, afirmou. Ele citou como exemplos Gilmar (zagueiro do São Paulo) e Paulinho (centroavante que jogou pelo Cruzeiro no Brasileiro).

“Com exceção do Gallo, o Santos não tem jogadores experientes”, disse Candinho. Segundo ele, “faltou experiência” na final do Brasileiro.

Candinho negou que já tenha pedido reforços para a diretoria. “Acho que iremos precisar, principalmente porque não teremos o Jamelli e o Narciso no início”. Jamelli e Narciso devem disputar o Pré-olímpico pela seleção.

“Além disso, o Santos carece de um centroavante especialista em bolas altas. Hoje, quem faz isso é o Giovanni.”

Além de possíveis contratações, Candinho afirmou que a sua principal preocupação é com a renovação dos contratos dos jogadores Jamelli, Narciso, Gallo, Camanducaia e Giovanni.

“Pedi para que a diretoria se empenhasse o máximo possível para manter a base do time vice-campeão. Pelo que senti, não haverá problemas”, afirmou.

Candinho, que inicia o seu trabalho nesta segunda-feira, disse que irá “trabalhar a cabeça dos jogadores para que o sucesso do Brasileiro não atrapalhe no Campeonato Paulista”.

Mesmo não querendo prometer resultados, Candinho foi categórico: “Uma das quatro vagas da final do Paulista tem de ser do Santos. O Santos, comigo, tem que ter o compromisso com a vitória.”


Santos 1 x 0 Criciúma

Data: 03/09/1995, domingo.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 1.841 pagantes
Renda: R$ 19.540,00
Árbitro: Carlos Elias Pimentel (RJ)
Cartões amarelos: Jean, Pintado, Edinho, Capixaba e Camanducaia (S). Alexandre Lopes e Wilson (C).
Gol: Giovanni (29-1)

SANTOS
Edinho; Marquinho Capixaba, Jean, Narciso e Marcos Paulo; Pintado, Carlinhos, Giovanni e Macedo; Jamelli (Camanducaia) e Marcelo Passos (Robert).
Técnico: Cabralzinho.

CRICIÚMA
Sadi; Gilson (Sandro), Wilson, Alexandre Lopes e Flavinho; Silvio (Rudinei), Paulo da Pinta e Luiz Carlos Oliveira (Bebeto); Nei, Eliel e Vanderlei.
Técnico: Luiz Gonzaga Milioli.



Santos consegue sua 1ª vitória no Brasileiro

O Santos venceu ontem o Criciúma, de Santa Catarina, por 1 a 0, na Vila Belmiro, em Santos (72 km a sudeste de São Paulo). Foi a primeira vitória do time santista no Campeonato Brasileiro, após um empate e duas derrotas.

O gol aconteceu aos 29min do primeiro tempo, num cruzamento do meia Marcelo Passos para Giovanni, que marcou de cabeça no canto direito do goleiro Sadi.

Sob chuva e frio, menos de 2.000 pessoas foram ao estádio. As torcidas organizadas Sangue Jovem e Torcida Jovem não compareceram. A Força Jovem fez um protesto fora do estádio contra a proibição da entrada de torcedores com camisetas das organizadas. Não houve tumultos.

O técnico Cabralzinho estreou no Santos mantendo o esquema tático adotado por seu antecessor, Joãozinho, com quatro jogadores no meio-campo e dois no ataque.

Logo no início do segundo tempo, o Santos perdeu três chances de gol com Macedo, Jamelli e Robert -todas defendidas pelo goleiro Sadi.

A partir dos 30min da segunda etapa, o Criciúma começou a criar oportunidades de empate. O jogo ficou mais rápido com a entrada do atacante Bebeto, no Criciúma. O goleiro Edinho defendeu uma bola perigosa aos 44min.

No final, aos gritos de “inho, inho, inho, fora Cabralzinho”, a torcida mostrou sua insatisfação com a equipe, pediu a saída do técnico e a volta de Serginho Chulapa, que foi treinador do Santos em 94.

Comentando o resultado do jogo, o meia Pintado afirmou que “o importante é ganhar, não importa o placar”.


O novo técnico do Santos, Carlos Roberto Ferreira Cabral, 50 anos, o Cabralzinho, disse ontem que quer “disciplina e trabalho” para conseguir melhorar o desempenho do time no Campeonato Brasileiro.

“Estou sentindo que o grupo está um pouco cabisbaixo e quero trabalhar psicologicamente em cima disso para recuperá-los o mais rápido possível”, disse.

Cabralzinho afirmou que procurará se empenhar “ao máximo” para que dentro de um curto prazo possa se adaptar ao elenco que o Santos tem hoje.

“Quando comandei o time santista, em 91, apenas o Edinho e o meio-campo Carlinhos estavam na equipe. Mas conheço o elenco e pretendo tirar proveito do melhor de cada jogador”, afirmou.

Em relação a reforços, o técnico disse que, a princípio, não pretende pedir a contratação de novos jogadores à diretoria. “Quero avaliar criteriosamente a equipe para que depois, se houver necessidade e possibilidade, pensar em reforços”, disse Cabralzinho.

O Santos fez três jogos no Campeonato Brasileiro e obteve apenas um ponto. Depois de duas derrotas (Vasco e Fluminense) e um empate (Goiás), joga amanhã, contra o Criciúma, às 16h, na Vila Belmiro, em Santos.