Navegando Posts marcados como Caio Martins

Botafogo 2 x 0 Santos

Data: 18/08/2004, quarta-feira,
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 25ª rodada
Local: Estádio Caio Martins, em Niterói, RJ.
Público: 2.557
Renda: R$ 37.144,00
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR).
Cartões amarelos: Elvis, Fernando, Schwenck (B); Antônio Carlos (S).
Gols: João Carlos (12-2) e Jorginho Paulista (43-2).

BOTAFOGO: Jefferson, Ruy, Scheidt, João Carlos e Jorginho Paulista; Túlio, Fernando, Valdo, Elvis (Têti), Almir (Carlos Alberto) e Schwenck.
Técnico: Bonamigo

SANTOS: Tapia, Flávio, André Luís, Antonio Carlos e Léo; Fabinho (Luis Augusto), Elano (Preto Casagrande), Ricardinho e Basílio (Marcinho); Deivid e Robinho.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos perde em Niterói (RJ) e deixa liderança do Nacional para o Palmeiras

O Santos perdeu a liderança do Campeonato Brasileiro para o Palmeiras na noite desta quarta-feira. A equipe de Vanderlei Luxemburgo foi derrotada por 2 a 0 para o Botafogo, no estádio Caio Martins, em Niterói, pela 25ª rodada da competição.

O Santos permanece com 44 pontos no Nacional, enquanto o Palmeiras, que também nesta quarta derrotou o Internacional por 3 a 1, chegou aos 46 pontos.

Enquanto o Santos busca o título, o Botafogo, que estreou o técnico Paulo Bonamigo –ele assumiu o cargo no lugar de Mauro Galvão–, tenta escapar do rebaixamento. O time carioca chegou a 25 pontos na tabela de classificação.

O primeiro gol do Botafogo foi marcado pelo zagueiro João Carlos, aos 12min do segundo tempo, aproveitando de cabeça um cruzamento do meio-campista Elvis. Jorginho Paulista ampliou aos 43min.

O Santos volta a campo no próximo domingo, contra o Figueirense, em Mogi Mirim –a equipe perdeu o mando de um jogo por causa do rojão atirado no campo na Vila Belmiro no clássico com o São Paulo, pelo primeiro turno do Nacional. O Botafogo enfrenta o Atlético-MG, em Belo Horizonte, também no domingo.

Fonte: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/2004/08/19/20//5270121

Botafogo 2 x 1 Santos

Data: 12/11/1998, quinta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 23ª rodada (última)
Local: Estádio Caio Martins, em Niterói, RJ.
Público: 433 pagantes
Renda: R$ 4.330,00
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (MG).
Cartões amarelos: Sérgio Manoel e Pingo (B); Maezono (S).
Cartão vermelho: Sandro (S, 34-2).
Gols: Túlio (32-1) e Viola (40-1); Jean (17-2, contra).

BOTAFOGO
Wágner; César Prates, Grotto, Gonçalves e Lúcio Vágner; Pingo, França, Fábio Augusto e Sérgio Manoel; Bebeto e Túlio.
Técnico: Valdir Espinosa

SANTOS
Zetti; Sandro, Argel, Jean e Messias; Marcos Bazílio, Narciso, Jorginho (Maezono) e Róbson Luís (Bechara); Viola e Adiel (Alessandro).
Técnico: Emerson Leão



Santos cai, mas mantém a vantagem

Com um gol contra do zagueiro Jean, o Santos foi derrotado pelo Botafogo, por 2 a 1, ontem à tarde, em Niterói (RJ), mas manteve a vantagem de jogar as últimas partidas das quartas-de-final do Brasileiro em casa. Com o resultado, o Santos termina a primeira fase com 41 pontos e enfrentará o Sport.

O time ainda teria dois recursos julgados na noite de ontem, após o fechamento desta edição, em razão da escalação do atacante Aristizábal contra Atlético-MG e Palmeiras. Os times entendem que o jogador atuou de forma irregular e pediam os pontos das partidas, o que poderia mudar a situação do Santos no torneio.

O jogo

Sem contar com alguns titulares, o time santista jogou mal e não conseguiu vencer o fraco Botafogo, que já estava eliminado.

“Hoje (ontem), o nosso time estava mudo, o que não pode ocorrer. Mas temos tempo para acertar”, disse o técnico Emerson Leão, irritado com a atuação da equipe.

A partida começou sonolenta. Com os destinos já definidos na competição, os dois times adotaram cautela no início.

O jogo seguiu lento até os 32min, quando Túlio abriu o marcador.

O gol do Botafogo serviu para animar a partida. O Santos se lançou para o ataque, e o empate não demorou. Aos 40min, o atacante Viola marcou. Ele aproveitou cruzamento de Adiel e fez o seu 17º gol na competição.

No segundo tempo, os dois times voltaram devagar. O jogo continuou sem emoção até que, aos 17min, o santista Jean marcou contra o segundo gol do time carioca.

Em desvantagem no placar, o Santos voltou a se lançar ao ataque. Assim, o jogo ficou mais emocionante nos minutos finais. Apesar de seu time estar fechado na defesa, o botafoguense Bebeto acertou a bola no travessão aos 24min.

Imaginando que precisava vencer para continuar entre os quatro primeiros colocados, Leão mexeu na equipe. Ele colocou Bechara e o japonês Maezono no time. As mudanças não deram resultado.

Time perde estádio para igreja

Com sua classificação em quarto lugar, o Santos terá que contornar um compromisso firmado com a Igreja Católica se quiser atuar em seu estádio na segunda partida das quartas-de-final.

O Santos joga em casa a segunda partida contra o Sport, no dia 22, mas para essa data já está marcada uma cerimônia católica na Vila Belmiro, cedida meses atrás para a Diocese de Santos.

Nesse dia, o gramado e as arquibancadas do estádio serão utilizados para a celebração da Festa de Cristo-Rei, na qual receberão o crisma (confirmação do batismo) 2.280 pessoas.

Segundo o padre Antonio Alberto Finotti, coordenador diocesano de pastoral e responsável pelo evento, são esperadas, incluindo familiares, 20 mil pessoas no local, que anteontem foi liberado pela Prefeitura de Santos para receber em jogos de futebol até 25.229 torcedores.

“Não há chance de modificar a data”, afirmou o padre Finotti.

A partir de segunda-feira, informou, estão previstas chamadas publicitárias em emissoras de TV da região. A cerimônia está marcada para começar às 8h30, com duração prevista de pelo menos três horas.

A alternativa em discussão entre a direção do Santos e a coordenação do evento é a possibilidade de antecipação do jogo para o sábado. Segundo o padre Finotti, essa solução geraria dificuldades para a organização do evento.



Santos joga no Rio de olho em tribunal ( Em 12/11/1998 )

Embora tenha se classificado em campo com duas rodadas de antecedência, o Santos enfrenta o Botafogo hoje em Niterói (RJ) necessitando de pelo menos um ponto para não correr o risco de ficar fora das quartas-de-final do Brasileiro.

Terceiro colocado, o time vai desabar na tabela se perder para o Botafogo e for derrotado no Tribunal da CBF, que julga hoje os recursos de Atlético-MG e Palmeiras.

Os dois clubes querem os pontos que perderam para o Santos no empate em 4 a 4 (Atlético-MG) e na derrota por 1 a 0 (Palmeiras) porque consideram que o atacante colombiano Aristizábal atuou irregularmente nessas duas partidas.

Na hipótese de ocorrerem duas derrotas santistas -no campo e no tribunal-, a desclassificação irá se consumar caso Atlético-MG, Cruzeiro e Flamengo vençam seus jogos, e o clube carioca ganhe os pontos que reivindica do Botafogo devido à suposta escalação irregular de um atleta no empate em 1 a 1.

Se isso acontecer, Santos e Cruzeiro terminarão a fase de classificação empatados em oitavo lugar, com 37 pontos e dez vitórias. A última vaga será então decidida pelo critério de saldo de gols.

“Minha obrigação e a dos jogadores é entrar em campo para vencer. Não dá para administrar (o resultado) porque o futuro para o Santos é sempre incerto”, afirmou o técnico Emerson Leão.

O time tem muitos desfalques, embora Argel e Jorginho voltem, após longo período inativos. O zagueiro Sandro será lateral-direito.

Para não correr o risco de perder jogadores por cartão amarelo, Leão decidiu poupar os “pendurados” Baiano, Athirson, Eduardo Marques e Alessandro.

O lateral Gustavo Nery, que substituiria Athirson, foi cortado da delegação após a derrota por 3 a 1 dos titulares para os reservas ontem. Irritado devido a uma falha que resultou no segundo gol do time reserva, Leão resolveu sacar o jogador e improvisar o meia Messias na posição porque, segundo afirmou, Gustavo não estava cumprindo suas determinações.

“Por causa de uma jogada errada, ele me tirou. É claro que fico aborrecido”, afirmou o jogador.

Time aguarda troca de juiz

Os dirigentes santistas aguardavam ainda ontem uma resposta da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) ao ofício por meio do qual pediram a mudança do árbitro que apitará a partida de hoje à tarde contra o Botafogo, em Niterói (RJ).

Para os santistas, a escalação do mineiro Márcio Rezende de Freitas é uma “afronta”, devido aos episódios da decisão do Brasileiro-95. Na ocasião, o jogo final entre Santos e Botafogo, no estádio do Pacaembu, terminou empatado em 1 a 1, e os santistas afirmam terem sido prejudicados pelo juiz.

“Espero que ele tenha vergonha na cara, não apareça para apitar essa partida, e o árbitro reserva o substitua”, afirmou o presidente em exercício do Santos, José Paulo Fernandes.

Entre os botafoguenses, a situação é vista com ironia. O atacante Túlio, que marcou, em posição irregular, o gol que deu o título de 95 ao Botafogo, a escalação do juiz tem o objetivo de promover o jogo.

“Não dava para esperar outra coisa deste Brasileiro confuso. A CBF deve ter feito isso para promover a partida.”

A boa notícia que o Santos recebeu ontem foi a da liberação da Vila Belmiro pela Prefeitura de Santos para 25.229 pagantes, capacidade que permite a utilização do estádio nas quartas-de-final. Agora, resta a homologação pela CBF do parecer.


Flamengo 3 x 0 Santos

Data: 10/07/1993, sábado, 16h00.
Competição: Torneio Rio SP – Grupo B – 3ª rodada
Local: Estádio Caio Martins, em Niterói, RJ.
Público: 2.799 pagantes
Renda: Cr$ 419.850.000
Árbitro: Aloísio de Oliveira Viug (RJ).
Cartão vermelho: Darci (S).
Gols: Renato Gaúcho (19-1); Marcelinho Carioca (40-2) e Luis Antônio (42-2).

FLAMENGO
Gilmar; Fabio Baiano, Júnior Baiano (Índio), Rogério, Piá, Fabinho, Marquinhos, Luis Antônio, Rodrigo Fabri (Magno), Renato Gaúcho e Marcelinho Carioca.
Técnico: Evaristo de Macedo

SANTOS
Gomes; Índio, Júnior, Camilo e Dinho; Maurício Copertino, Rogério (Neto) e Ranielli; Darci, Neizinho e Cilinho (Márcio Griggio).
Técnico: Antônio Lopes


Botafogo 2 x 0 Santos

Data: 26/04/1992, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 15ª rodada
Local: Estádio Caio Martins, em Niterói, RJ.
Público: 12.072 pagantes
Renda: Cr$ 61.050.000,00
Árbitro: José Mocellin (RS)
Cartões amarelos: Renê e Valdeir (B); Gílson, Sérgio Manoel, Axel e Bernardo (S).
Cartão vermelho: Renê (B).
Gols: Pingo (27-1); Marcelo Fernandes (18-2, contra).

BOTAFOGO
Ricardo Cruz; Odemílson, Renê, Márcio Santos (Gilmar Francisco) e Válber; Carlos Alberto Santos, Pingo e Carlos Alberto Dias; Valdeir, Renato Gaúcho (Vivinho) e Chicão.
Técnico: Gil

SANTOS
Sérgio; Dinho, Marcelo Fernandes, Luiz Carlos e Gílson; Bernardo (Guga), Axel, Sérgio Manoel (João Paulo); Almir, Paulinho McLaren e Cilinho.
Técnico: Geninho



Botafogo dobra a valentia do Santos e vai à liderança

Fonte: Estadão

Flamengo 1 x 0 Santos

Data: 10/03/1991, domingo, 15h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 6ª rodada
Local: Estádio Caio Martins, em Niterói, RJ.
Público: 5.862 pagantes
Renda: Cr$ 5.951.000,00
Árbitro: Manoel Serapião Filho (BA).
Cartões amarelos: Júnior e Marquinhos (F); Sérgio Manoel, Edu Marangon e César Sampaio (S).
Gol: Nélio (34-1).

FLAMENGO
Zé Carlos; Aílton, Adílson, Wilson Gottardo e Dida; Charles Guerreiro, Júnior e Marquinhos (Toninho); Alcindo (Paulo Nunes), Nélio e Marcelinho Carioca.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SANTOS
Sérgio; Armstrong, Camilo, Rogério (Sérgio Santos) e Marcelo Veiga; César Sampaio, Zé Renato, Edu Marangon e Sérgio Manoel; Almir e Paulinho McLaren.
Técnico: Cabralzinho



Armstrong estreia mal e Santos perde para o Flamengo

Esta foi a estreia do zagueiro norte americano Armstrong em jogos oficiais. Jogou improvisado na lateral direita no lugar do Índio, que estava contundido. Ele já havia jogado o amistoso contra a Francana.

Fonte: Jornal Folha de SP